domingo, 6 de setembro de 2015

Paulo Oliveira: o orgulho de ser português e sportinguista!...


É nesta forja que se tempera o aço! Se fazem campeões! E se alicerçam, constroem, sustentam e garantem os êxitos da selecção de todos nós!...

Paulo Oliveira, na sua modéstia e humildade, estava lá, cantando orgulhosamente o hino da pátria que o viu nascer! Como um leão, sem que lhe passasse pela cabeça que o cumprimento da lei, ao não atender o telemóvel enquanto conduzia rumo a Alvalade, a sua casa, o impediria de também lá estar, mas fazendo parte daquele que é o seu sonho lindo: estar no grupo mais representativo do futebol português!... 

Mas os deuses acabaram por escrever direito por inimagináveis linhas tortas e Paulo Oliveira já voou para a Albânia com os seus companheiros, cumprindo o seu sonho e enchendo-nos do orgulho de sentirmos que "o Sporting é a trave mestra da nossa selecção"!...

Sporting Clube de... PORTUGAL!...

Leoninamente,
Até à próxima

2 comentários:

  1. Mais um atrasado mental. Será que este ainda não percebeu no exemplo do WC que está completamente desvalorizado pelas brincadeiras nas selecções.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haverá algo na sua tese "anti-selecções", caro Superleão, que conheço desde que por aqui começou a comentar, que respeito e com a qual concordarei em alguns aspectos, designadamente, na questão fundamental que se prende com a utilização abusiva dos jogadores por parte das federações, sem que minimamente sejam acautelados os interesses de clubes e atletas.

      A FIFA e a UEFA, na profunda cegueira de acumulação de lucros próprios, normalmente distribuídos com a parcialidade, apropriação indevida e ilegalidades que todos conhecemos, excedem os limites razoáveis de uma calendarização justa, sem que sejam minimamente salvaguardados os interesses dos clubes e a saúde física e mental dos atletas. Esta será porventura uma bandeira que não rejeitarei empunhar.

      Já a classificação de atrasados mentais a todos aqueles - atletas, dirigentes e adeptos - que se revêm nas suas selecções, me parece absolutamente imprópria e condenável, no quadro de valores que parece defender.

      Eliminar

PUBLICIDADE