quarta-feira, 30 de abril de 2014

Como assenta bem Leonardo Jardim no Sporting !!!...



"... No essencial Leonardo Jardim pretende ter garantias de que será possível formar um plantel que lute pelo título em Portugal e por uma boa figura na Liga dos Campeões, querendo também ter uma voz mais activa no dossier de contratações. 

O Sporting, por outro lado, está consciente da importância do treinador no projecto leonino e por isso não parece colocar entraves a esse reforço de poder do treinador na estrutura do futebol.".

Entende-se. Tanto a pretensão de Leonardo Jardim, quanto a disposição do Sporting, incontornavelmente e fácil de concluir, através da pessoa do presidente Bruno de Carvalho, que já não terá dúvidas sobre o papel decisivo do técnico madeirense, no tão desejado êxito do seu projecto.

O "low profile", o equilíbrio, a ponderação, a racionalidade e a inteligência de Leonardo Jardim, em todas as vertentes do seu trabalho, muito particularmente em termos de comunicação para o exterior, têm-se afirmado ao longo de toda a época, sobressaindo incontornavelmente o progressivo respeito que tem vindo a determinar em todos os sectores, tanto a nível interno, quanto para fora das paredes herméticas de Alvalade.

Se a tudo isso for somado o indesmentível e surpreendente trajecto percorrido pela equipa por si liderada, escrito sobre a página mais negra da história do Sporting Clube de Portugal, reservas de qualquer natureza apenas poderão existir em espíritos animados de sentimentos perversos e incompatíveis com o bem de uma instituição que se honra de perseguir sagrados valores e princípios e honrosas diferenças.

Mas, paradoxalmente, as pretensões de Leonardo Jardim encerrarão um inquestionável motivo de reflexão. Elas significarão, a meu ver, uma declarada, ainda que elegante intenção, de contribuir para a correcção de trajectórias que se recusa a subscrever, em nome, quiçá, do sportinguismo que o trouxe para Alvalade e, eventualmente, em nome da certeza que o Futuro não se compadece com tergiversações do Presente.

Talvez hoje se comecem a compreender melhor, as suas precipitadas saídas do Beira-Mar, do Braga e do Olympiakos! Jardim será avesso a muita coisa de podre em que o futebol é fértil. Quanto mais no Clube do seu coração?!...  

Como assenta bem Leonardo Jardim no Sporting! E como caminha, com cadência firme e segura, para se transformar no Alex Ferguson de Alvalade!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Alvalade dará a resposta que surpreenderá MIdo!...



Ele é um jogador fantástico, um mágico... um verdadeiro mágico. Poderá tornar-se no jogador mais importante do Sporting, se tiver uma oportunidade. Claro que isso só acontecerá quando o treinador achar que é o momento certo para o lançar na equipa. Ele sabe melhor do que ninguém quando for a altura certa para o fazer. Mas eu acredito que será um enorme trunfo para o Sporting, quando começar a jogar e a ganhar confiança. [...]

Sei que o Shikabala precisa de sentir-se amado, tem de sentir-se acarinhado para dar o máximo. Este é o meu conselho para o seu treinador: que o faça sentir-se importante, porque esse é o carácter dele. E, sinceramente, se o técnico conseguir pô-lo a jogar ao seu melhor nível, acredito que Shikabala pode tornar-se num reforço incrível para o Sporting, um jogador extraordinário.”.

Ao ler as declarações de Mido, cuja carreira extraordinária acompanhei com o interesse que sempre me despertam os grandes futebolistas, particularmente quando passou por clubes como o Ajax, Marselha, Roma, Tottenham, Middlesbrough e West Ham, recordei Krasimir Balakov, como o último grande mágico que passou pelo Sporting Clube de Portugal, que há década e meia tem vivido uma terrível orfandade no que diz respeito a magia, no seu meio-campo ofensivo, já que a inconsequência de Matias Fernandez pouco mais fez que açucarar os lábios dos adeptos sportinguistas e André Carrillo parece demorar a reagir ao tratamento com pinças a que Leonardo Jardim parece estar a submetê-lo.

Quando Shikabala chegou a Lisboa, chegou com ele também, a auréola de magia que o visionamento dos grandes momentos da sua carreira deixavam adivinhar. Mas Jardim, à semelhança de Carrillo, entendeu também usar pinças na condução da sua integração no futebol do Sporting. Agora Mido, amigo e grande conhecedor do carácter e sensibilidade de Shikabala, vai mais longe e fala-nos que "precisa de sentir-se amado, acarinhado e importante, para dar o máximo".

Mido não conhece os adeptos do Sporting Clube de Portugal. Por isso não lhe passa pela cabeça como reagirão quando assistirem à estreia de Shikabala na sua nova casa, em Alvalade.

Três meses são passados desde que Shikabala chegou. Todo o fantástico universo leonino, pese embora o seu desejo profundo de ver o nosso "faraó" triunfar rapidamente, soube compreender a violência do processo que teve de ultrapassar nos últimos dois anos e respeitar as sábias palavras de Leonardo Jardim. Mas no dia em que ele decidir colocá-lo em campo, ultrapassados os medos e traumas por que teve de passar, já integrado com os seus companheiros e com o nosso futebol e sentindo e vivendo a mística leonina, não lhe regateará o carinho, o estímulo e a importância que o seu amigo e compatriota para ele reclama.

Será de admitir que assistamos à sua estreia na Madeira através da televisão. Se isso acontecer, apenas aos adeptos sportinguistas da Madeira, será concedido o privilégio de assistir à sua estreia na equipa principal. Mas se tudo correr bem e a Shikabala for concedido por Leonardo Jardim o privilégio da titularidade na última jornada, Alvalade dará a resposta que surpreenderá Mido! Palavra de leão!... 

Leoninamente,
Até à próxima 

O mercado começa a animar !...



Esta notícia, valerá o que vale! A credibilidade da fonte também será aquela que há muito tempo conhecemos. Por outro lado, não haverá fumo sem fogo e, nesta condição, sendo a reserva maior que o crédito, negar aquela pontinha de satisfação só pela possibilidade que representará, seria cepticismo a mais. A atitude mais correcta será aguardar pela confirmação, serenamente, com o sentimento de que talvez já não demore assim tanto a renovação com Leonardo Jardim.

Outra notícia também interessante, ao que parece veiculada por A Bola TV, cuja credibilidade andará de braço dado com a primeira, surgiu hoje, apontando  Loris Benito, jogador do  FC Zürich, como alvo prioritário para o lado esquerdo da defesa leonina. A SAD do Sporting já terá encetado contactos com o clube suiço que terá  balizado a tranferencia num valor a rondar os 3 Milhões de Euros. Não me parece credível que o interesse de Alvalade se afirme perante os valores avançados, embora tratando-se de um jogador jovem, 22 anos, excelente estampa atlética, 1.82, 75 kgs, de ascendência espanhola nascido na Suiça e que tem dado nas vistas e chamado a atenção de vários clubes europeus, 

Segundo a opinião do ex-lateral esquerdo sportinguista André Marques, actualmente a militar no Sion e que conhece bem Loris Benito, este evidenciará excelente capacidade física e condições para triunfar no futebol português, constituindo um excelente desafio a Jefferson, com quem poderá lutar pela titularidade, caso o Sporting avance para a sua contratação.

A menos que a capacidade negocial do Sporting, consiga trazer para números aceitáveis os valores desejados pelo FC Zürich, com quem o jogador ainda terá mais dois anos de contrato, não me parece que o "negócio" venha a ter êxito.

Que a lacuna na lateral esquerda existe, ninguém duvidará. Outra coisa bem diferente, será a predisposição do Sporting para correr atrás de lebres de "velocidade" demasiado elevada para o nosso "golpe de pernas"! De qualquer modo, o mercado começa a animar!...

Leoninamente,
Até à próxima

Que diferença !!!...



Como era de prever, o juiz austíaco reformado Thomas Prantl, não cedeu ao poder do futebol italiano, corporizado pela "veglia signora" e o processo de Enzo Perez foi arquivado. O Presidente do Comité de Controlo e Disciplina da UEFA, não usa as costas vergadas ao peso da corrupção, como os "magistruzes" tugas jubilados, Ti Herculano e Ti Manel da Serra. E a verdade desportiva foi salvaguardada.

Que diferença!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Eu queria que contratassem o Thomas Partl !!!...



A República da Áustria, é um pequeno país de cerca de 8,3 milhões de habitantes, com uma superfície de 83 872 km2 (Portugal tem 92 090), localizado na Europa Central, rodeado pela Alemanha e República Checa a norte, Eslováquia e Hungria a leste, Eslovénia e Itália a sul e Suiça e Liechtenstein a oeste.

- A Áustria, com menos 2.2 milhões de habitantes e cerca de 8 mil km2 de superfície, em relação aos números portugueses, sem mar e cercada pelo céu e oito vizinhos, é o 12º país mais rico do mundo, com um PIB nominal per capita de 43.570 dólares (Portugal, com 20.038, está sob intervenção da Troika).

- Na Áustria, os cidadãos exercem o seu direito de voto a partir dos 16 anos e elegem de 5 em 5 anos um parlamento com 183 deputados (Portugal tem 250).

- A Áustria, ocupa o 15º lugar no ranking de países com menor índice de corrupção (Portugal ocupa o 32º lugar).
(Fonte, Wikipédia)

- Na Áustria, nasceu Thomas Partl, um juíz reformado (em Portugal diz-se jubilado), de 67 anos, que faz parte do Comité de Controlo e Disciplina da UEFA desde 1995 e é seu presidente desde 2007.



Thomas Partl terá recebido o dossiê com as queixas da Juventus e do Benfica na segunda-feira à tarde, ainda em sua casa, depois de terem dado entrada nos serviços da UEFA, respectivamente, ao fim da tarde da passada sexta-feira, dia 25 de Abril, e na tarde de segunda-feira, dia 28. e não vai consultar mais nenhum dos demais membros do Comité (2 vice-presidentes e 7 vogais), sendo este um procedimento considerado normal nos casos urgentes (em Portugal um dolo, passa por três instâncias, demora mais de um mês a decidir e no fim, provada e reconhecida a intencionalidade, ela não teve intenção).

Partl debruçar-se-à sobre os casos na sede da UEFA, em Nyon, a partir das 9 horas da manhã (locais) de quarta-feira, sendo a sua decisão comunicada de imediato ao Benfica e à Juventus. Na eventualidade de algum dos jogadores em causa ser punido com um jogo de suspensão, não haverá recurso suspensivo, devendo o castigo ser cumprido no jogo de quinta-feira, na segunda mão da meia-final da Liga Europa.

Muito eu gostava de ter nascido na Áustria. Não porque a cidadania austríaca me fizesse sentir mais orgulho, que aquele que sinto por ser português. Mas porque sempre desejei viver num país civilizado e onde vivesse bem e me sentisse feliz. Num país onde o povo fosse trabalhador e a riqueza que produzisse fosse gerida por gente honesta e impoluta.

E onde no futebol não houvesse "sistema", nem pântano, nem corrupção! Nem "magistruzes" como o Ti Herculano e o Ti Manel da Serra! O que eu queria para o futebol português, é que contratassem o Thomas Partl!...

Leoninamente,
Até à próxima

terça-feira, 29 de abril de 2014

Rui Costa, nunca se sabe para que lado sopra o vento!...



E aí está o "turista" que Vitor Pereira designou para ir passar o fim de semana na Pérola do Atlântico, numa imagem feliz, que deverá colocar de sobreaviso os leões que Jardim destacar para a Choupana. É que com esta "peça", nunca se sabe de que lado sopra o vento.

Este ex-professor de Educação Física, e agora ao que parece, "profissional do apito", com 37 anos, ainda não terá chegado a internacional. Alguma coisa deve ter feito, quer a gregos quer a troianos, para tamanha expiação. 

O que vale é que o jogo da Choupana, até eu era capaz de apitar. Já nada estará em jogo, para além da dignidade com que as camisolas deverão ser defendidas. E, nesta condição, até pode acontecer que o vento não se faça sentir e o nevoeiro não apareça. É que o homem por vezes terá umas pequenas falhas de visão...

E que tudo seja pelo bem do futebol...

Leoninamente,
Até à próxima

Quem semeia ventos...



Quem semeia ventos, arrisca-se a colher tempestades! Os adeptos benfas, com a conivência dos seus dirigentes, contrariando o sentir antes expresso junto da UEFA, pelos dirigentes da "vecchia signora", teimaram e exibiram mesmo uma tarja de homenagem ao Torino, velho, encarniçado vizinho e rival da Juventus. E a tempestade aí está, traduzida em duas queixas da Juventus junto da UEFA, sendo que a que refere a exibição da tarja, muito provavelmente ficará em águas de bacalhau, dado que será muito difícil que seja entendida como provocatária e violadora dos regulamentos. Mas uma outra, que só os ingénuos não entenderão como represália dos italianos à notória provocação contida na faixa, poderá muito bem acabar na impossibilidade de utilização de Enzo Peres em Turim. 

O caso não é virgem! Outras claques, de outros clubes, por cá e por essa Europa fora, já utilizaram a "técnica". E a questão que se coloca, inevitavelmente, será se poderá alguma vez enquadrar-se no espírito de "fair play" que deve envolver todos os jogos de futebol ou de outra modalidade qualquer e se alguma vez resultará em benefício para os provocadores.

Como agora facilmente se concluirá, o Benfica arrisca-se a não poder apresentar em Turim, provavelmente o jogador mais decisivo na tão desejada, pelos mesmos adeptos, vitória na eliminatória. Tudo porque o seu adversário da Luz, além de não ter sido respeitado, foi provocado de forma descarada e desnecessária.

O belicismo espúrio das claques, acaba por, demasiadas vezes, ensombrar a grandeza das instituições que dizem amar e defender!...

Leoninamente.
Até à próxima

Uma carta para o Ruben!...





Ruben, aquilo que fizeste, é uma das maiores ofensas que pode ser dirigida ao SPORTING CLUBE DE PORTUGAL. E vai acompanhar-te para sempre, mesmo que todo o fantástico universo sportinguista te perdoe. Mesmo que os teus companheiros, treinadores e dirigentes te concedam o seu perdão. Esse será o estigma, a marca, o castigo que te acompanhará toda a vida. Porque há algo em ti que jamais te perdoará: a tua própria consciência!...

É um LEÃO IMAGINÁRIO, chamado SENHOR CONSCIÊNCIA, com quem vais ter de travar uma luta terrível e diária. No final de cada treino, de cada jogo, ou até de cada jogada fantástica que faças, convicto que terás dado o máximo de ti, hás-de perguntar-lhe, então SENHOR CONSCIÊNCIA, acha que cumpri e que já me pode perdoar?! E o SENHOR CONSCIÊNCIA há-de dar-te sempre a mesma resposta: AINDA É POUCO PARA A OFENSA QUE COMETESTE!...

Ruben, já terás feito muitas asneiras na tua vida. Umas foram-te perdoadas, noutras terás recebido castigos mais ou menos severos. E o tempo depois tratou de curar as feridas que tu abriste. Desta vez foi diferente: a ferida nunca mais vai sarar, nunca mais vai cicatrizar! Terás de aprender a viver com a chaga aberta, que o SENHOR CONSCIÊNCIA em cada dia da tua vida terá o cuidado de te lembrar!...

Apenas no dia em que, com o teu esforço, a tua dedicação e a tua devoção à causa leonina, conseguires com os teus companheiros, conquistar um título de campeão, no momento em que te colocarem a faixa do título ao peito, conseguirás ver o SENHOR CONSCIÊNCIA sorrir para ti. Mas logo no dia seguinte, hás-de ouvi-lo de novo dizer: AINDA É POUCO PARA A OFENSA QUE COMETESTE!...

Mas mesmo assim, poderás ser feliz, Ruben! Desde que nunca deixes de falar e de te entender com o SENHOR CONSCIÊNCIA, com esse LEÃO IMAGINÁRIO que vive dentro de ti e sempre te acompanhará toda a vida! Basta que o queiras muito!...

UM GRANDE ABRAÇO LEÃO RUBEN.

Leoninamente,
Até à próxima

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Há quem goste de cavar a sua própria sepultura !...



Tendo em conta as palavras de Abel Ferreira, no final do jogo entre as equipas B do Sporting e do Porto, reproduzidas no site do Sporting Clube de Portugal, e fazendo a sua conjugação com diversas opiniões de jornalistas destacados para Alcochete e de adeptos sportinguistas que assistiram a essa partida e já por aqui deixaram expressa opinião pouco coincidente com o técnico leonino, não será difícil a qualquer sportinguista, concluir:

1 - A manifesta deselegância de Abel Ferreira para com Leonardo Jardim, ao recusar-se a fazer comentários à condenável atitude de Ruben Semedo, com o argumento de que o atleta não pertencerá ao quadro de profissionais que lidera. Se o técnico da nossa equipa secudária pretendeu atingir o técnico principal, por razões que apenas a ele dirão respeito, esteve muito mal, ao beliscar a hierarquia que deveria respeitar. Se de forma cobarde e condenável pretendeu sacudir a água do seu capote, terá estado pior ainda. Ruben Semedo estava sob a sua responsabilidade e as suas palavras serão o reconhecimento da sua incapacidade para prevenir tais actos de indisciplina.

2 - A compreensão manifestada por Abel Ferreira "com o facto de a equipa ter desaproveitado a vantagem", revela um espírito acomodatício, intolerável num técnico a quem foi confiada a responsabilidade de liderar a segunda equipa do Sporting Clube de Portugal, não tendo adjectivação possível a esfarrapada desculpa de "algum desgaste dos jogadores".

3 - A afirmação de Abel Ferreira, de que "a equipa teve culpa própria em ceder o empate, ainda que até aos 60 minutos, o resultado de 3-0 fosse lisonjeiro para o adversário, que foi muito feliz" , além de não corresponder inteiramente à verdade, porque grande parte da culpa do empate parece ter ficado a dever-se ao descalabro da equipa resultante das substituiçoes feitas por ele próprio, são a negação da função que qualquer treinador principiante recusa, assumindo ele próprio os inêxitos conseguidos.

4 - De tanto crescer com os inêxitos, a equipa liderada por Abel Ferreira, arrisca-se a não caber na Academia. Ou será o próprio Abel Ferreira que já não cabe na equipa?!... 

5 - A inabilidade comunicacional de alguns treinadores de futebol, parece estar a destruir-lhes as carreiras, enquanto eles persistem em empurrar os problemas com a barriga, em não os identificar e em não se esforçarem por adquirir o conhecimento necessário para os evitarem.

Estamos em Portugal, um país onde há quem julgue que "NUNCA SE ENGANA E RARAMENTE TEM DÚVIDAS"!...

Há quem goste de cavar a sua própria sepultura! E gostos não se discutem!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Paulo Curado, a cor da camisola e o gosto pela sopa de lentilhas!...



Se formos confrontados com uma mão cheia de gaiatos, procurando com a algazarra habitual, seixos planos e de escassa espessura nas margens de qualquer lago, para depois se defrontarem em aguerrido campeonato, para encontrar entre eles o campeão do arremesso mais distante, com o maior número de ressaltos nas águas calmas e espelhadas, pensaremos em inocente jogo de crianças.

Mas se entre a folhagem da floresta que povoa as margens do lago, se nos deparar, furtivamente, a imagem de um solitário adulto, transportando enorme calhau que atira violentamente para as águas, a nossa conclusão será obrigatoriamente diferente: ele estará muito longe de pretender protagonizar uma qualquer e inocente brincadeira. Haverá nele um objectivo bem definido, que poderá ser tudo, menos a obtenção de um simples e pontual prazer lúdico.

Foi com essa impressão que fiquei, no final da leitura do artigo de Paulo Curado, publicado hoje no jornal Público, em que é abordado o "inconseguimento frustracional" de Sporting, Benfica e Porto, das exigentes disposições "uefeiras" sobre o "fair play" financeiro, por parte dos clubes pretendentes à participação nas provas organizadas pela UEFA. 

Dificilmente alguém me convencerá, que Paulo Curado, em mera competição individual, apenas terá pretendido atirar um inofensivo seixo para as águas do lago, para avaliar a sua destreza quanto à distância alcançada e quanto ao número de ricochetes obtidos no espelho líquido. E se os meus fieis leitores se recordarem do que por aqui deixei, sobre esta mesma matéria, aqui o declaro com profunda convicção, de que o articulista do Público, terá pretendido protagonizar o segundo "round" do combate que a famigerada sociedade de advogados da "imbicta", terá concluído não ser suficiente para derrotar o Sporting!

Ao longo de todo o artigo, é manifesta a intenção de Paulo Curado, embora colocando no mesmo saco todos os incumpridores, de fazer recair sobre o Sporting o ónus maior do incumprimento. "Criminosos" serão todos, mas o crime maior terá sido perpetrado pelo Sporting, que por isso deverá ser penalizado, enquanto os olhos da justiça "uefeira" se poderão semicerrar, ante crimes iguais, mas de menor dimensão, de outros prevaricadores.

E vem-me à memória a argumentação do Ti Herculano na desculpabilização do "atraso" do Porto: se o atraso tivesse sido maior, então o crime dos "andrades" deveria ser punido! Os crimes deverão ser avaliados, não na sua essência, mas pelo factor quantitativo. Matar um nosso semelhante, nunca será crime, se comparado com um massacre no Sudão!

Penso ter recolhido deste artigo, uma ideia aproximada da dimensão do carácter deste jornalista e dos conceitos éticos que perseguirá. Apenas me restam duas pequenas dúvidas: a cor da sua "camisola" e a confirmação da sua preferência pela sopa de lentilhas!... 

Leoninamente,
Até à próxima

Comentários para quê?! As consequências chegam!!!...



Sobre o incidente protagonizado por Ruben Semedo, aqui relatado, olho para a resposta de Abel Ferreira e a pulga pica-me atrás da orelha:

“É um jogador que se treina com a equipa principal. Não farei qualquer comentário.”

Pela minha parte, porque é um treinador que não treina a equipa principal, também não farei qualquer comentário. Aliás o jogo de ontem na Academia e tudo o que por lá se passou, não merecem mesmo quaisquer comentários. Outra coisa será dizer que não terão consequências!!!...

Leoninamente,
Até à próxima 

D. Bufas Corleone terá de ir, muito depressa, à bruxa !...



Depois de assistir ao jogo das Antas, reforcei a convicção de que foram os MAGISTRUZES, Ti Herculano e Ti Manel da Serra, que impediram o SPORTING CLUBE DE PORTUGAL, de estar na final da Taça da Liga.

Com um Benfica colocando em campo 1/3 da sua capacidade futebolística, se tivesse hoje defrontado o Sporting, para mais em Alvalade, não estaria na final. E podem os lampiões habituais, aparecer por aqui com os "bitaites" do costume! Desta vez não fiquem à espera que lhes responda.

Os andrades são uma amostra de equipa. Nada funciona naquele colectivo e fora dele, a começar pelo banco, e sem falar na famosa estrutura em arrepiante processo de desestruturação. O Benfica, com meia equipa titular de fora e a jogar com 10 durante mais de uma hora, não resistiria ao Sporting, como não resistiria ao Estoril, ao Nacional, ao Marítimo e ao Vitória de Setúbal. Teve hoje uma sorte danada, de ter encontrado "uns andrades inofensivos e tenrinhos" pela frente.

E aos "andrades" ainda estará reservado um outro drama: A MORTIFICAÇÃO DO CILÍCIO da última jornada! Vá lá, ganharam a Super Taça, porque o Júlio Mendes é da cor e é amigo! Chiu, que eu não disse nada!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 27 de abril de 2014

A fabulosa resposta de Dani Alves a provocação racista!...





Há momentos em que um pequeno gesto, diz mais que todas as palavras!...


Leoninamente,
Até à próxima




A palavra e a acção a quem de direito !...



Não estive em Alcochete, mas quando uma equipa revela supremacia tão evidente e aos 60 minutos de jogo vence por concludente 3-0, algo irá muito mal para meia hora depois ver o jogo terminar, rendida a um descoroçoante empate a três golos!

E não foi a primeira vez, nem a segunda, nem a terceira, que assistimos a um terramoto desta natureza. E não me venham colocar as culpas num lance infeliz de Ruben Semedo. Como esse momento do jogo, acontecem milhares em todos os campos de futebol e a todas as equipas. Se como foi noticiado, toda a estrutura do futebol de Sporting esteve presente, a pulga que há muito tempo trago na minha orelha, também os deve ter acompanhado, incómoda e chata, no regresso a casa no final do jogo.

Se a equipa B não rende, se os juniores, juvenis e iniciados parecem seguir-lhes as pisadas, medidas profilácticas deverão ser tomadas antes que a galinha devore os ovos que deveria chocar. Algo irá mal do "reino da dinamarca"! Há qualquer coisa de errado com a miudagem da Academia! A palavra e a acção a quem de direito!...

Leoninamente,
Até à próxima  

Demos avanço e... fomos eliminados da EHF!...



Terminou o sonho lindo do nosso andebol na EHF! Do que me foi dado apreciar através da imagem que acima vos deixo, teremos sido eliminados por uma prestação menos conseguida na 1ª parte, no final da qual se registava um parcial de 16-10. Na segunda parte, a julgar pelo parcial de 12-12, teremos conseguido equilibrar as operações, mas já não teremos tido a capacidade necessária para reparar os estragos da 1ª parte. Já em Lisboa tínhamos percorrido o mesmo caminho e ainda conseguimos a vitória. Desta vez não foi possível e por 4 golos ficámos arredados da "final four".

Acompanhei o jogo da Hungria, através do link recomendado pelo site do Sporting, e apeteceu-me chorar. Pela primeira vez tive oportunidade de ser confrontado com o acompanhamento de um jogo ao segundo, onde um adepto, quer seja de andebol, quer seja de futebol ou outra modalidade qualquer, tem à sua disposição um dispositivo de alta tecnologia que lhe permite acompanhar qualquer jogo da forma que mais se aproxima de uma transmissão em directo.

A razão porque me apeteceu chorar, está na constatação de que a tecnologia que hoje me foi dado apreciar, não será nenhum bicho de sete cabeças, que os húngaros dominem e nós por cá não sejamos capazes de dominar. Nesta condição, choro. Choro muito. Porque me pergunto, qual a razão pela qual o site do Sporting não oferece algo semelhante aos seus milhões de adeptos, espalhados por todo o mundo?!...

Sem discutir a bondade, a justiça e a necessidade das medidas recentemente tomadas pelo CD do Sporting, no que ao jornal do Sporting e a outras áreas multimédia diz respeito, e muito em particular ao site do Clube, quer-me parecer que algo teria que ser feito, perante a estagnação que há longos anos vimos constatando. E fico-me por aqui, porque não será do meu conhecimento toda a delicada história que terá estado na origem das citadas medidas. Vou sentar-me a um canto e esperar que o Sol nasça!...

De qualquer modo, mesmo desconhecendo pormenores desta eliminação, o resultado da 2ª parte deixa antever que os nossos leões, no período complementar, terão vendido cara a derrota. E isso para um sportinguista será sempre o mais importante.

Leoninamente,
Até à próxima

Alguém encontrou por aí a dignidade desta gente?!...

TAÇA DOS MAGISTRUZES

Mais logo jogar-se-à a meia-final da TAÇA DOS MAGISTRUZES! O troféu passou das mãos, ou do apito, do Lucílio Baptista, para as mãos, ou para a consciência, dos magistrados(?) que já eram, e hoje serão alcatruzes(!): o Ti Herculano e o Ti Manel da Serra! Um, trocou o DOLO pelo LODO! O outro descobriu a INTENCIONALIDADE SEM INTENÇÃO! Paz às suas almas!... 

ALGUÉM ENCONTROU POR AÍ A DIGNIDADE DESTA GENTE?!...


Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 26 de abril de 2014

... Que outro valor mais alto se alevanta!...



"... O choque aí está, brutal e, ao que parece, insanável. Fernando Gomes e Mário Figueiredo não estão no mesmo barco e diz-se à boca pequena que o presidente da FPF vem preparando uma “saída limpa” para a UEFA, assim a modos como (em 2004) Durão Barroso abandonou o país para iniciar funções como presidente da Comissão Europeia. Há muita coisa que se joga, neste momento, no tabuleiro dos bastidores do futebol. A perda do campeonato pelo FC Porto, as conquistas do Benfica (gestão dos direitos televisivos + título de campeão nacional) e um novo posicionamento institucional do Sporting estão a provocar incómodo(s). Há um clima de “assalto ao poder” em marcha e muitas figuras à procura do melhor posicionamento. Seguem-se as cenas dos próximos capítulos.".


O pequeno excerto que acima reproduzo, da excelente crónica Pressão Alta, que Rui Santos hoje assina no jornal Record, abriu de par em par a cortina pesada e opaca que me impedia de apreciar e compreender a guerra intestina, que na actualidade vai dominando o futebol português.

No meu modesto entender, estará a aproximar-se a derradeira batalha, a partir da qual nada será como dantes neste pântano hediondo, para onde ao longo de três décadas foi conduzido o futebol português.

E todo os pêlos do meu corpo de leão se eriçam, só de pensar o que seria hoje o Sporting Clube de Portugal, se André Patrão e Miguel Paim não fossem os sportinguistas que todos reconhecemos e a quem teremos de estar eternamente gratos! 

Mas face à rapidez com que os acontecimentos se têm precipitado e aos sinos a rebate que se adivinham, em cada dia o Futuro do Sporting Clube de Portugal há-de exigir ao homem que os sportinguistas colocaram à frente dos seus destinos, um cada vez mais elevado SENTIDO DE ESTADO, que começa a não se compadecer e, ao invés, a não ser mesmo compatível, com "jogos menores de animação de massas" e políticas desenhadas voluntariosamente, sem um respaldo estratégico rigoroso, amplo e profundo, sempre com o olhar fixo no horizonte.

Sporting a uma só voz, foi uma vitória decisiva de Bruno de Carvalho! Mas não poderá ficar por aí a sua missão! Será necessário e urgente dar inatacável CREDIBILIDADE a essa voz, o que só poderá ser conseguido se o mundo se aperceber que a envolve e suporta, um claro, evidente e manifesto sentido de estado, que naturalmente há-de exigir, mais do que a obcessão pela popularidade, a reflexão silenciosa dos gabinetes e o alargamento do leque disponível de pensadores, ideólogos e estrategas com tarimba nos meandros obscuros do futebol luso, únicos caminhos para o êxito.

O Sporting está unido! O Sporting recuperou em apenas um ano, a estabilidade interna, o caminho do êxito desportivo e da sustentabilidade económica e financeira e o respeito exterior! O homem do leme e a sua tripulação têm o reconhecimento e a gratidão da grande nação leonina! Então:

Cessem do sábio Grego e do Troiano
As navegações grandes que fizeram;
Cale-se de Alexandro e de Trajano
A fama das vitórias que tiveram;
Que eu canto o peito ilustre Lusitano,
A quem Neptuno e Marte obedeceram.
Cesse tudo o que a Musa antiga canta,
Que outro valor mais alto se alevanta.

Luís Vaz de Camões

Leoninamente,
Até à próxima

Homens sem medo!...



Humberto Delgado, o general Sem Medo! A sua derrota nas eleições de 1958, em que afrontou o fascismo, personlizado pelo candidato do regime, Américo Thomaz, ficou conhecida como a maior fraude eleitoral de sempre neste país de brandos costumes. Mas as sementes germinaram durante longos 16 anos e nem o seu assassinato, às mãos dos esbirros da PIDE, a polícia política fascista, em 1965, impediu a madrugada redentora de 25 de Abril de 1974, ainda ontem celebrada com orgulho e convicção no Largo do Carmo, pelo povo anónimo, no teatro principal da queda do regime fascista.

Bruno de Carvalho, nunca foi militar, embora na sua ascendência brilhe a estrela castrense, também frontal e determinada, que foi o almirante Pinheiro de Azevedo, seu tio-avô. Mas o medo também nunca fez parte dos seus predicados, substituído antes por uma determinação e vontade ímpares. Mas como o general Sem Medo, também foi vítima da maior fraude eleitoral de que haverá memória em todos as agremiações desportivas portuguesas.

Venho acompanhando com manifesto interesse, as crónicas, a meu ver intelectualmente honestas, que sob o título, HISTÓRIA - A Revolução no SCP, José Eduardo, ex-atleta e insuspeito sportinguista, vem dando à estampa no jornal "A Bola", sobre todo o processo que, desde a demissão do presidente Bettencourt, foi vivido pela centenária instituição que se orgulha de ser. o SPORTING CLUBE DE PORTUGAL

E enquanto lia o XVI Capítulo do doloroso processo narrado por José Eduardo, com que Godinho Lopes rematou a "dinastia roquettista", aqui declaro a minha incapacidade para rejeitar uma simbólica analogia entre o terrível regime fascista, Humberto Delgado, PIDE/DGS e o 25 de Abril de 1974, e o glorioso SPORTING CLUBE DE PORTUGAL. Ressalvadas, natural e respeitosamente, as devidas diferenças, haverá a meu ver uma linha condutora comum, pese embora o facto que reconhecerei sem pruridos e animosidades estéreis, que nem todo o grande e fantástico universo sportinguista comungará do meu prisma de observação. Eis o capítulo integral, com que José Eduardo hoje nos presenteou:

"Com algum distanciamento cumprimentámo-nos. Entrámos no elevador, carrego no botão do piso 0 e fico admirado quando Godinho, carrega no 2, já que era um piso que estava interdito, fechado. Abrem-se as portas, esperam-no uma funcionária e o segurança que possui as chaves para abrir as portas. Fico intrigado. Qual o motivo para se dirigir a um espaço fechado aos olhos de todos? Com quem se iria encontrar? E para quê? Durante meses, anos, transportei esta 'pedra no sapato'. Até que muito recentemente fez-se luz...

Confesso que, na altura, estranhei, mas a excitação e os acontecimentos posteriores, entorpeceram a atenção que devia ter prestado a tão insólito acontecimento.

Os resultados demoram. Há desordem no piso 0. Rebentam petardos. Ameaças de invasão. As televisões em directo começam a anunciar os vencedores.

É já do conhecimento geral. Bruno ganhou e Rogério Alves é o Presidente da AG. Distribuem-se abraços, Vencedores e vencidos dão entrevistas. De repente o golpe. Afinal os vencedores são Godinho e Barroso! É o caos. Oa candidatos estão em reunião a meio do caminho. Diz quem viu, que Godinho estava lívido.

A desordem é total. Pancadaria. Quando Godinho aparece e se dirige para o palanque é a revolta total. Insultado, vaiado, agredido, é obrigado a voltar para trás. Estava a ser escrita uma das páginas mais negras do SCP...".

Vou aguardar com singulares expectativa e muita curiosidade, o XVII Capítulo da história de José Eduardo. Porque acredito que do episódio que colocou "a pedra no sapato" de José Eduardo, como ele próprio deixa antever, virá a luz que retirará da penumbra em que ainda hoje permanecem, outras histórias sobre "uma das páginas mais negras do SCP"!

Mas não termino sem deixar também por aqui, um pequeno excerto do corpo principal do artigo de José Eduardo, hoje publicado e que recomendo, sob o título "O Porto (cidade/portuenses) é uma lição", que merecerá por parte de muitos daqueles que por lá aparecem implicitamente retratados, serena reflexão, e em que o autor se refere ao SCP:

"Bruno omnipresente, em Bruxelas, nos Açores, fotos, autógrafos, almoços, jantares, reuniões. Tudo muito. Demasiado? Cuidado!".

Desejaria não me sentir tão identificado com o alerta de José Eduardo. Mas a minha consciência obriga-me a subscrevê-lo.

Leoninamente,
Até à próxima

Shikabala vai à Madeira ?! Os adeptos andam "tesicadinhos" !...




A fazer fé em alguma informações que nos vão chegando, Shikabala estará a crescer! Não em altura, porque aos 28 anos, não me parece que do seu 1.79 salte para o número redondo. Para os lados vou crescendo eu e os da minha idade. O nosso "faraó" estará a crescer, na exacta medida dos desejos de todos os sportinguistas, nos hábitos, fisicamente, tecnicamente e... mentalmente!

Os adeptos andam "tesicadinhos"! Com esta forma do verbo "tesicar" é que eu deixei os meus amigos à nora. Esta, antes de vos explicar, vou dedicá-la ao meu grande amigo e sportinguista dos sete costados João António Cachim. Porque de vez em quando, lá me vem ele com aquele seu ar de gozo, dizer-me que para ler os meus posts teve de recorrer ao dicionário. Desta vez, foi ele e as gentes da terra dele que eu há muitos anos fiz minha, que me ensinaram.

Tesicar, será ter uma necessidade ou um desejo muito grande, estar mortinho por fazer, comer, dizer alguma coisa. Não terei a certeza, mas creio que nos terá chegado da Galiza irmã, que tanta coisa nos tem dado, até um carinho e amizade fraternal que fará doer o cotovelo aos espanhóis. 

Mas voltemos ao Shikabala. No jogo particular contra o Farense, disputado na nossa Academia, para que os nossos leões não esqueçam que a Liga ainda não acabou, dizem que terá sobressaído e demonstrado uma confiança que poderá levar Leonardo Jardim a arriscar a sua presença contra o Nacional. Era bonito, e os sportinguistas, tenho a certeza, que de hoje a uma semana às 18.30, deixariam tudo de lado e estariam em frente da televisão!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 25 de abril de 2014

O equilíbrio instável da arbitragem



O equilíbrio instável será, por definição, a situação de qualquer corpo ou sistema que, sujeitos a determinado tipo de força, revelem tendência para se afastar da posição de repouso inicial, em vez de a recuperarem, logo que a força deixe de ser aplicada.

A fazer fé na reacção de José Fontanelas, presidente da APAF, às afirmações de Vitor Pereira, presidente do CA da FPF, no Fórum da Maia, o equilíbrio supostamente estável, que se julgava existir entre os dois homens fortes da arbitragem portuguesa, parece ter passado perigosamente a instável.

A verborreia inconsequente, atrabiliária e egocêntrica de Vitor Pereira, parece ter sido mal digerida pelos árbitros, pese embora a resposta do "sumo pontífice" arbitral, não trazer a gasolina da provocação de Pereira.

De qualquer modo, diz a Física, que desfeito o equilíbrio, nada mais fica como antes, a menos que novas forças permitam ao corpo ou sistema recuperarem a posição inicial, se entretanto a deslocação não tiver provocado significativas alterações de massa, que inviabilizem a recuperação do estado inicial.

Para já, ao intervalo do "match", Fontanelas está a ganhar 1-0, em golo marcado pela "Elegância" da resposta. A acompanhar com interesse a segunda parte...

Leoninamente,
Até à próxima

Ajoelhou?! Tem que rezar!...




"... Se me perguntarem se estou satisfeito com o nível da arbitragem, diria que os desempenhos gerais ficaram aquém das expectativas. [...]

Olhando para os comentários de quase todos os intervenientes do jogo, e isso é recorrente ao longo dos anos, os campeões são sempre justos vencedores no final."

Ajoelhou?! Tem que rezar!...

Leoninamente,
Até à próxima

A reestruturação do Sporting europeu




"... Ainda assim, a ideia segundo a qual o Sporting esta época se fez à custa de milagres no recrutamento não corresponde à realidade. Maurício, Montero e Slimani foram grandes achados (bons e baratos) e Jefferson uma confirmação, para contrabalançar com falhanços como Gerson Magrão, Piris ou Welder (ainda que com a vantagem de também estes terem chegado ao preço da chuva). No entanto, muito da força da equipa se deveu à recuperação de jogadores da casa, como William Carvalho, à subida de rendimento de outros que já lá estavam, como Adrien, André Martins, Cédric ou Rojo, e à eclosão do talento puro de Carlos Mané. Factores com uma enorme responsabilidade de Leonardo Jardim, que os fez crescer a todos, pelo que o primeiro passo para a construção de um Sporting europeu terá sempre de passar pela continuidade do treinador.

Depois, com essa base garantida, a capacidade do Sporting de 2014/15 dependerá sempre da manutenção da política desportiva agora iniciada (base da formação, com reforços capazes de fazer a diferença) e da sua afinação. Dependerá, primeiro, de se saber quais das estrelas desta época saem. Rui Patrício ou William, por exemplo, parecem bastante mais difíceis de substituir do que Rojo, Adrien ou qualquer dos extremos do plantel. Dependerá, depois, da escolha dos jogadores a fazer regressar a casa: além de João Mário e Viola, poucos ou nenhum parecem estar já à altura do desafio. Dependerá, em seguida, da decisão acerca dos elementos da equipa B a fazer subir ao grupo principal (Wallyson? Iuri? Dramé?) ou a emprestar, numa época em que as opções terão de ser sempre mais do que as 15 ou 16 que efectivamente estão à disposição de Jardim na temporada em curso.

Neste contexto, já se percebe que, além de colmatar eventuais saídas, o Sporting terá de contratar três ou quatro reforços verdadeiros, daqueles que chegam e discutem de caras um lugar no onze. Um central, um lateral multiusos, um médio de classe e abrangência e mais um ponta-de-lança. Tem a palavra a carteira.
(António Tadeia, Conversas de bancada, Record)


Uma análise interessante e com a qual grande maioria de sportinguistas concordará. A meu ver, pecará apenas na abrangência da conclusão, sem a condicionar a eventuais saídas.

O reconhecimento do falhanço das contratações de Gerson Magrão, Ivan Piris e Welder, a que acrescentarei Vitor Silva, parecendo-me óbvio, afigura-se-me absolutamente passível de ser resolvido com o recurso às promoções de João Mário, Ricardo Esgaio e Wallyson.

A contratação de um central e de um ponta de lança, só a entenderei como obrigatória, face a eventuais saídas de atletas que hoje fazem parte do plantel, nas referidas posições. Assim como a referência a um lateral multiusos, a meu ver, deveria reduzir-se à lateral esquerda, perante a propalada e já citada chamada ao plantel principal, de Ricardo Esgaio, que resolverá, do meu ponto de vista, com maior qualidade, as carências reveladas nesse flanco.

Onde a convergência entre a análise de AT e a minha opinião pessoal será absoluta, verificar-se-à na imperiosa e incontornável necessidade da contratação de "um médio de classe e abrangência", que o Sporting parece não ter, quer no plantel actual, quer da resultante dos regressos de alguns emprestados ou de eventuais promoções da equipa B. Shikabala continua a representar uma incógnita demasiado difícil de esclarecer, e as responsabilidades e dificuldades da próxima época não deverão ser enfrentadas com base em pressupostos falíveis.

Bruno de Carvalho, Augusto Inácio e Leonardo Jardim, tendo em conta a a saúde financeira e disponibilidade do Clube, não terão tarefa fácil, face à dureza dos números que o mercado apresenta. Mas há um ano, com as água bem mais turvas, todos pudemos apreciar o que de bom foi feito. Pelo que não será necessário fazer um grande esforço para acreditar que será possível conseguir o cumprimento do lema instituído: "fazer mais como menos" !...

Leoninamente,
Até à próxima



E venha o futebol de praia!...





O Sporting Clube de Portugal formalizou na tarde desta quinta-feira, a inscrição da sua equipa que participará no Campeonato Nacional de Futebol de Praia.

Esta competição disputar-se-à entre os meses de Maio e Setembro.(link)


Uma excelente notícia! Agora ficarão a faltar os pormenores, a composição da equipa, o anúncio das transmissões televisivas... E Madjer, poderemos contar com ele?! Grande leão!...

Fica a imagem acima, como um feito a perseguir!...

Leoninamente,
Até á próxima

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Greetings to you !...




GREETINGS TO YOU !...

Leoninamente,
Até à próxima


Ai o diabo do número 10 que não me sai da cabeça!...




Não serei suficientemente capaz de cortar a raiz ao meu pensamento e amiúde dou comigo a pensar na fase de grupos da próxima Champions League. Fecho os olhos e vejo-me em Alvalade, olhando para os nossos leões de gloriosa camisola às riscas verde e brancas a cobrir-lhes os troncos suados, terçando armas com algum tubarão europeu. E sinto um arrepio percorrer-me o corpo. Falta qualquer coisa nesta equipa, que Leonardo Jardim não tem...

Lembro-me de Shikabala, mas o arrepio continua. Mesmo quando tento encontrar no meu espírito uma gigantesca palete de benefício de dúvida. E o número 10 não me sai da cabeça. Sem a classe e o talento de um armador acima da média, vejo com alguma reserva a nossa presença na Champions. E imagino quanta da minha reserva não andará aos trambolhões no espírito do nosso Professor.

Desde que abandonámos o Restelo com o passaporte debaixo do braço, que tenho gasto uma boa parte do meu tempo e a pouca ciência que reúno, a tentar fazer uma descoberta qualquer que ajude o Augusto Inácio. Mas a situação é complicada e o porta-moedas do Presidente não ajuda. O que o Sporting precisava, até que nem seria muito difícil de encontrar. Mas os melões estão caros p'ra burro! É uma linguagem de milhões aquela que se nos depara por aí...

Há pouco mais de uma hora, passei por aqui e achei curiosa "a dica". Porque este "puto" belga - Thorgan Hazard, 21 anos feitos em Março -, dos quadros do Chelsea e emprestado ao Zulte-Waregem, da Bélgica, irmão de outro Hazard, que é cabeça de cartaz também no Chelsea, parece possuir os atributos necessários para encaixar como uma luva em Alvalade e fazer com que as minhas dores de cabeça e se calhar de muita gente mais, deixassem de fazer sentido.

Se fosse conseguido o seu empréstimo, porventura com uma razoável opção de compra e com um ordenado mensal que actualmente parece situar-se pouco acima dos 25 mil euros e portanto perfeitamente enquadrado no tecto salarial do Clube, creio que seria um bom negócio para o Sporting...

Ai o diabo do número 10 que não me sai da cabeça!...

Leoninamente,
Até á próxima 

A golpada lampiónica !!!...

Um benfiquista digno!...

Desde que o 33 apareceu criminosamente gravado a tinta indelével na estátua do Marquês de Pombal, que com a curiosidade aguçada por esse grande sportinguista que é Juvenal Carvalho, que na sua página do Facebook manifestou a sua estranheza pelo facto de o SLBenfica ter celebrado no ano de 1994 o seu 27ª título de campeão nacional de futebol e miraculosamente surgir 10 anos depois a celebrar o seu 33º, quando nesse intervalo de tempo apenas foi campeão por 3 vezes, calcei as minhas tamanquinhas e... fui investigar.

E depois de longas e trabalhosas pesquisas, encontrei resposta para a falcatrua, ou artimanha, ou vigarice, ou chico-espertice, ou saloíce, da "lampionagem", comandada, ou orquestrada, pelo actual presidente da instituição vermelha. Ora "botem" por aqui um bocado da vossa atenção:

"Em 1921 e depois de vários anos a tentar organizar uma competição nacional decidiu-se finalmente organizar o primeiro Campeonato de Portugal. Embora nesse ano houvesse campeões no Algarve e Portalegre, deliberou-se que apenas os grupos de Lisboa e Porto disputassem o troféu.

Sporting Clube de Portugal e Futebol Clube do Porto enfrentaram-se primeiro no Porto (2-0 para a equipa local), depois em Lisboa (2-1 para o Sporting), em face do empate registado, houve que fazer um sorteio para definir o local, calhou ao Porto, e o jogo disputou-se no Campo do Bessa onde o clube nortenho derrotando por 3 a 1 o seu opositor, conquistou o primeiro campeonato nacional."
(Fonte: Recordes da Bola)

Esta prova, denominada Campeonato de Portugal, disputada em sistema de eliminatórias, manteve-se sem interrupção desde a época 1921/22 até à época de 1937/38 e nunca conduziu a que o vencedor pudesse ser consagrado como campeão, uma vez que não permitia o confronto de todos contra todos. Apurava sim, na final, como hoje na Taça de Portugal, o vencedor e o vencido do torneio, porque de um torneio se tratava, tendo-se apurado os vencedores e vencidos constantes do seguinte quadro:

                                   CAMPEONATO DE PORTUGAL

Ano                             Vencedor                                 Vencido                         

1938                            Sporting                                  Benfica
1937                            Porto                                       Sporting
1936                            Sporting                                  Belenenses
1935                            Benfica                                    Sporting
1934                            Sporting                                  Barreirense
1933                            Belenenses                              Sporting
1932                            Porto                                      Belenenses
1931                            Benfica                                    Porto
1930                            Benfica                                    Barreirense
1929                            Belenenses                              União F. Lisboa
1928                            Carcavelinhos                           Sporting
1927                            Belenenses                              Vitória Setúbal
1926                            CS Marítimo                             Belenenses
1925                            Porto                                      Sporting
1924                            SC Olhadense                          Porto
1923                            Sporting                                 Académica Coimbra
1922                            Porto                                      Sporting 

"Em 1935 surgem os Campeonatos das Ligas (I e II), sugeridos pelos jornais da época, depois de clamorosa derrota com a Espanha. Estes torneios foram organizados a título experimental para estudar a sua viabilidade económica, sem prejuízo do Campeonato de Portugal."


CAMPEONATO DA LIGA
Ano                              Vencedor do Torneio               2º Classificado                

1938                            Benfica                                    Porto
1937                            Benfica                                    Belenenses
1936                            Benfica                                    Porto
1935                            Porto                                      Sporting

Como poderá ser facilmente verificado, durante quatro anos, disputaram-se simultaneamente o Campeonato de Portugal, anteriormente tratado e uma competiçao experimental intitulada, pomposamente e à boa maneira portuguesa, Campeonato da Liga, quando nem Liga existia. Era simplesmente um Torneio Experimental, que serviria apenas para estudar a viabilidade económica de uma prova de natureza diferente e não apurava campeão nenhum, dado que pela natureza da prova, ela não tinha reconhecimento oficial nem consagrava campeões.

"Em 1938, na comemoração dos Cinquenta Anos do primeiro jogo de futebol em Portugal, o Congresso da Federação Portuguesa de Futebol aprova o quadro de provas que passa a ser o seguinte:
Campeonato Nacional da I Divisão, que substitui o Campeonato de Portugal.
(Em 1995/96, passou a ser organizado pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional)".

(Fonte: Recordes da Bola)


Nesta condição, a partir de 1938, o Campeonato Nacional da I Divisão passou a disputar-se em novos moldes, todos contra todos, até aos nossos dias, com a única diferença de, a partir da época de de 1995/96, passar a ser organizado pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional, SÓ ENTÃO FINALMENTE CRIADA. O quadro seguinte mostra-nos os campeões e vice-campeões desde o arranque da nova prova até aos dias de hoje:

CAMPEONATO NACIONAL DA I DIVISÃO
Ano                              Campeão                                Vice-campeão                 
2014                             Benfica(30)                            Sporting
2013                             Porto                                     Benfica
2012                             Porto                                     Benfica
2011                             Porto                                     Benfica
2010                             Benfica(29)                            Braga
2009                             Porto                                     Sporting
2008                             Porto                                     Sporting
2007                             Porto                                     Sporting
2006                             Porto                                     Sporting
2005                             Benfica(28)                            Porto
2004                             Porto                                     Benfica
2003                             Porto                                     Benfica
2002                             Sporting                                Boavista
2001                             Boavista                                Porto
2000                             Sporting                                Porto
1999                             Porto                                     Boavista
1998                             Porto                                     Benfica
1997                             Porto                                     Sporting
1996                             Porto                                     Benfica
1995                             Porto                                     Sporting
1994                             Benfica(27)                            Porto
1993                             Porto                                     Benfica
1992                             Porto                                     Benfica
1991                             Benfica(26)                            Porto
1990                             Porto                                    Benfica
1989                             Benfica(25)                            Porto
1988                             Porto                                     Benfica
1987                             Benfica(24)                            Porto
1986                             Porto                                    Benfica
1985                             Porto                                    Sporting
1984                             Benfica(23)                            Porto
1983                             Benfica(22)                            Porto
1982                             Sporting                                Benfica
1981                             Benfica(21)                            Porto
1980                             Sporting                                Porto
1979                             Porto                                    Benfica
1978                             Porto                                    Benfica
1977                             Benfica(20)                           Sporting
1976                             Benfica(19)                            Boavista
1975                             Benfica(18)                            Porto
1974                             Sporting                                Benfica
1973                             Benfica(17)                            Belenenses
1972                             Benfica(16)                            Vitória Setúbal
1971                             Benfica(15)                            Sporting
1970                             Sporting                                Benfica
1969                             Benfica(14)                            Porto
1968                             Benfica(13)                            Sporting
1967                             Benfica(12)                            Académica Coimbra
1966                             Sporting                                Benfica
1965                             Benfica(11)                            Porto
1964                             Benfica(10)                            Porto
1963                             Benfica(9)                              Porto
1962                             Sporting                                Porto
1961                             Benfica(8)                              Sporting
1960                             Benfica(7)                              Sporting
1959                             Porto                                     Benfica
1958                             Sporting                                Porto
1957                             Benfica(6)                              Porto
1956                             Porto                                    Benfica
1955                             Benfica(5)                             Belenenses
1954                             Sporting                               Porto
1953                             Sporting                               Benfica
1952                             Sporting                               Benfica
1951                             Sporting                               Porto
1950                             Benfica(4)                             Sporting
1949                             Sporting                               Benfica
1948                             Sporting                               Benfica
1947                             Sporting                               Benfica
1946                             Belenenses                            Benfica
1945                             Benfica(3)                              Sporting
1944                             Sporting                                Benfica
1943                             Benfica(2)                              Sporting
1942                             Benfica(1)                              Sporting
1941                             Sporting                               Porto
1940                             Porto                                    Sporting
1939                             Porto                                    Sporting


Face a estes resultados, factuais e incontornáveis, o Benfica conquistou na época de 2013/14 o seu 30º título de Campeão Nacional de Futebol. O resto morrerá inexoravelmente, como há-de morrer um dia, a mentira da data da sua fundação.

Claro que todo o verdadeiro e íntegro amante de futebol tem conhecimento, do golpe palaciano que Gilberto Madail levou a cabo há uma boa meia dúzia de anos, à revelia do que se encontrava plasmado nos estatutos federativos, que exigiam que uma matéria de semelhante melindre deveria ser aprovada em Assembleia Geral, de eliminar na secretaria, em cozinhado privado com os acólitos da sua direcção, da história do futebol português, os 4 últimos Campeonatos de Portugal, disputados entre 1935 e 1939, e substituí-los pela tal competição experimental que viria a conduzir ao Campeonato Nacional da I Divisão, que era disputada depois de concluído o Campeonato De Portugal, apenas e tão só para satisfazer os desejos hegemónicos do presidente do seu clube, na senda do sentimento que já vinha animando todos os seus antecessores desde o início da década de 60, quando Eusébio fez de um clube de história bem modesta e comum (8 títulos), um clube respeitado na Europa.

As tentativas foram várias ao longo dos anos e na corrente também chegaram a tentar pôr a flutuar o reconhecimento pela UEFA, de um outro troféu particular, a famigerada Taça Latina. Mas os esforços da "lampionada", tanto na UEFA, como na Federação desse tempo, resultaram infrutíferos: os dirigentes uefeiros e federativos eram gente de costas direitas.

Com Gilberto Madail, devoto, confesso e assalariado benfiquista, o sonho viria a tornar-se realidade e hoje aí está... o 33º título de Campeão Nacional de Futebol!!!...

Ao que se sabe, conhece-se apenas um benfiquista em toda a imensa família vermelha, que terá erguido a sua voz contra a "falcatrua". O seu nome era Rui Cartaxana, antigo director do jornal Record.

Honra à sua memória!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE