terça-feira, 31 de março de 2015

A primeira "operação renovação" falhou estrondosamente!...

Alegria justificada!...
E o jogo de hoje à noite contra a selecção de Cabo Verde, que por aqui admiti como podendo transforma-se no "jogo da renovação" que Fernando Santos poderia começar a ensaiar para a fase final do França 2016, acabou por ser a confirmação de que muito dificilmente mais de metade daqueles que pisaram o relvado do António Coimbra da Mota, terão categoria suficiente para voltarem a merecer a atenção do seleccionador nacional em futuras convocatórias.

De todos aqueles que tiveram o privilégio de vestir pela primeira vez a camisola da selecção principal de Portugal, com nota positiva e por ordem decrescente, apenas Bernardo Silva, Paulo Oliveira, Ukra e André André. Dos restantes e pelo mesmo critério, salvaram-se Vieirinha, João Mário, Adrien Silva e Cedric. Nos restantes, a nota negativa acompanha-os a todos, pelo que não correram o que o jogo e a oportunidade exigiam e pela categoria que não revelaram, para poderem ser tidos em conta como soluções de futuro.

Com apenas um treino, pouco mais Fernando Santos poderia pretender, que empenhamento e demonstração de talento. O empenho não se viu e o talento foi escasso. E Cabo Verde regressa a casa com o cheque e uma vitória, ambos amplamente merecidos. E se é certo que o valor mais alto neste encontro, era a solidariedade, talvez não fosse preciso levá-la a extremos no relvado.

A selecção de Cabo Verde, numa exibição conseguida, revelou entrosamento e e solidez, com excelente coesão defensiva, sobressaindo Varela e Gegé. Na linha média destacou-se  Nuno Rocha e no ataque Heldon e Fortes fizeram por justificar a vitória. Foi por eles que Paulo Oliveira mereceu o primeiro cartão amarelo da partida e que André Pinto acabou por ser expulso.

Fernando Santos vai ter umas boas dores de cabeça com o quadro que se lhe apresenta. A começar na baliza e a acabar lá na frente, lá terá que continuar a recorrer à "terceira idade" para se qualificar e depois do Euro de Sub-21, fazer um refrescamento de talento e força, porque por aquilo que pudemos apreciar, o filão que hoje entendeu experimentar, parece não merecer exploração.

Leoninamente,
Até à próxima

A pedra no sapato nunca será cómoda!...


E que Sporting?

"... Acreditando no presidente do Sporting, o jovem técnico é para continuar. Mas não é tão simples. Para manter o apoio de todos, Marco terá de conquistar a Taça de Portugal. Depois, é preciso saber se o próprio quer continuar, depois de tantas agruras passadas esta época. Terá o treinador leonino vontade de arriscar mais um ano de vida em Alvalade?

Há também o plantel. Aqui as finanças ditarão leis. Bruno diz que o Sporting não precisa de vender a qualquer preço e não haverá adepto que não goste de o ouvir. Mas sabe-se como leões, águias e dragões perderam ao longo dos anos a capacidade para dizer não a boas propostas de mercado. E se jogadores como Rui Patrício, Adrien ou Capel são demasiado caros para as posses leoninas, outros há, como Nani, William Carvalho ou Carrillo, que poderão sair. O primeiro porque não há milagres, o segundo porque pode pagar toda a equipa durante uma temporada inteira e o terceiro porque a venda é o melhor remédio quando FC Porto e Benfica cobiçam valores alheios. Ainda há muito para jogar esta época, mas o defeso promete animação."
(Bernardo Ribeiro,  Lado B in Record)

Bernardo Ribeiro começa por uma iniludível verdade: "... para manter o apoio de todos, Marco terá de conquistar a Taça de Portugal."! Não valerá a pena tapar o Sol com uma peneira, se alguém argumentar que a continuidade de Marco Silva será pacífica caso não traga o caneco para Alvalade!...

Nas actuais circunstâncias, não estar presente no Jamor equivaleria a um terramoto maior que a perda da Taça por RSP, e não oferecer a 16ª às 15 irmâzinhas que vivem no Mundo Sporting, será o mesmo que ir a Roma e não ver o Papa! Para além de igualarmos os "tripas" e embolsarmos mais meio milhão!...

Agora que "o defeso promete animação" ai isso promete! E não foi preciso BR vir declarar-nos tamanha evidência, valendo-se da citação dos casos específicos de seis dos actuais leões! Haverá muitas mais "marias" na terra, não sendo despropositado meter no mesmo saco outra meia dúzia bem contada! Uns por isto e outros por aquilo, faltando quiçá, contabilizar as surpresas!...

Daí que não sejam fáceis de digerir as palavras do Presidente, quando refere falta de tempo ou oportunidade para reunir com Marco Silva. Por mais compreensão e benevolência que nos animem...

A pedra no sapato nunca será cómoda!...

Leoninamente,
Até à próxima

Vivendo sob o signo do azar!...




Um dos mais infelizes árbitros portugueses - dizem que os erros do homem apenas resultam da imperfeição humana e... do azar que o acompanha! -, acaba de ser nomeado para o jogo Paços de Ferreira vs Sporting Clube de Portugal!...

Este funcionário público nascido em Vila Nova de Famalicão há quase 40 anos, nunca chegou a internacional e isso deixa-me descansado, na medida em que não será por razões de promoção que não deixará de... tentar fazer uma boa arbitragem na Capital do Móvel.

O pior serão os 6 pontinhos que se interpôem entre o Sporting e o actual 2º classificado, margem que alguns certamente julgarão demasiado curta para que os 12 milhões do acesso directo à LC,  hoje anunciados pela UEFA, sejam colocados em risco. É muita grana para quem tanto investiu e cada vez menos sabe onde poderá recuperá-la. Logo, não será difícil de adivinhar o caminho mais fácil: a escolha de um árbitro infeliz, vivendo sob o signo do azar!...

Tendo em conta o desenho da jornada e as nomeações já conhecidas, ao Sporting Clube de Portugal apenas se coloca o desafio de manter a distância e esperar pelas próximas jornadas para ver o que os deuses decidem, com a certeza antecipada de que não será em Cosme Machado que estará a solução dos nossos problemas, muito bem pelo contrário. Até porque o azar não estará sempre atrás da porta do "nosso collina", que ainda por cima não se poderá queixar de ter de fazer uma grande deslocação e jogará, praticamente, em casa!...

Leoninamente,
Até à próxima

Mudar as moscas e manter o local onde pousam!...


Fica a certeza de que António Costa e a "sua Câmara", estarão a tentar mudar as moscas, mantendo o local onde pousam.

E assim se faz Portugal! Uns vão bem e outros mal!...

Leoninamente,
Até à próxima

Je suis Lopetegui!...



O "cartoon" surge intitulado como "A lógica de Lopetegui"! Mas não passa de um "gato escondido com o rabo de fora"! O seu autor, como qualquer ser humano, terá cometido um erro que só os principiantes cometem, usou afinal a "A lógica do cartoonista" e todos nós ficámos a conhecer os seus afectos clubísticos!...

Je suis Lopetegui!...

Leoninamente,
Até à próxima

E os jogadores, naturalmente, vão começando a abrir a pestana!



Muito curiosa esta pequena notícia, de cujo eco, também curiosamente, não me apercebi nos orgãos e locais habituais, o que constituirá a prova cabal de que, em primeiro lugar, a generalidade das especulações sobre o futuro destes dois jogadores e de tantos outros com ligação ao Sporting, resultava muito provavelmente da mesma sementeira e, em segundo lugar, "tantas vezes vai o cântaro à fonte que um dia deixa por lá a asa"!...

Rui Patrício e André Martins terão resolvido "mudar de ares" e eu aqui do meu canto, comentarei que apenas terão pecado pelo facto de tal decisão ser tardia. Na terrível e dura luta entre a água e o azeite, tarde ou cedo, o resultado sempre acabará por ser o que todos conhecemos.

Curioso que o tempo de vida dos famigerados fundos, "doyen a quem doer", esgota-se no fim do mês que depois de amanhã começa, pesem embora todas as movimentações que se conhecem, em prol da eternização da complexa teia de relações que movimenta centenas de milhões de euros que entram e saem do futebol, sob a capa do anonimato e protecção do guarda-chuva de paraísos fiscais, onde se "escondem" parte dos direitos económicos dos jogadores.

E os jogadores, naturalmente, vão começando a abrir a pestana!...

Leoninamente,
Até à próxima

segunda-feira, 30 de março de 2015

Portugal - Cabo Verde: os caboucos de uma "renovação" incontornável e urgente?!...



Depois de uma entrada com o pé esquerdo da nossa selecção - que como então se previu, acabou por custar "ambos os pés" a Paulo Bento! -, frente à Albânia em casa, é certo que a missão de Fernando Santos se revelava, senão impossível, pelo menos pouco convidativa a que a política errática, teimosa e absolutista do anterior seleccionador fosse prosseguida.

Fernando Santos, sem nunca ostilizar o seu antecessor, adoptou uma via completamente diferente e depositou com estrondo no caixote do lixo, todos os conceitos, teimosias, modelos e subserviências que colocaram a nossa selecção na segunda divisão da Europa. E o resultado saldou-se por quatro vitórias consecutivas, constituindo três delas um trampolim poderoso para o apuramento que muitos já julgariam impossível, para o Euro 2016.

O novo seleccionador nacional preferiu o pragmatismo do "apuramento já", à teórica mas académica via, de resultados sempre bastante duvidosos, de... "renovação já"! E estará no bom caminho! Os resultados provam-no, com a vitória de ontem e o apuramento quase alcançado, assentes na utilização de uma "velha guarda" cuja média de idades ultrapassa em seis meses os 30 anos:

- Ricardo Carvalho - 36 anos
- Tiago - 33 anos
- Bruno Alves - 33 anos
- Bosingwa - 32 anos
- Danny - 31 anos
- Quaresma - 31 anos
- Eliseu - 31 anos
- José Fonte - 31 anos
- Cristiano Ronaldo - 30 anos
- João Moutinho - 28 anos
- Nani - 28 anos
- Rui Patrício - 27 anos
- Fábio Coentrão - 27 anos
- William Carvalho - 22 anos

Porém, ainda a um ano de distância da realização do 15ª campeonato da Europa, a realizar em França entre 10 de Junho e 10 de Julho de 2016, Fernando Santos não poderá cometer o mesmo erro que cometeu com a selecção grega que levou ao último mundial do Brasil! Será excesso de pragmatismo apostar unicamente na experiência e não a caldear com a irreverência e a força da juventude, numa prova exigente e longa como se prevê venha ser o Euro 2016.

Os indicadores fornecidos pela sua convocatória complementar para o jogo de preparação de amanhã com a selecção de Cabo Verde, apontam no sentido de que esse aspecto não estará a ser descurado. Assim o entendam aqueles que Fernando Santos escolher para defrontarem os nossos irmãos de Cabo Verde, num encontro que está a gerar naturais expectativas, tanto em nós como na numerosa comunidade caboverdiana residente entre nós.

O encontro de amanhã no Estoril, representará bem mais que um mero encontro de preparação, para além de toda a carga afectiva de que se rodeará! Contra uma selecção organizada, bem dirigida e que trata bem a bola, espera-se do seleccionado português uma excelente exibição, que permita a Fernando Santos lançar os caboucos de uma "renovação", agora incontornável e urgente!...

Leoninamente,
Até à próxima

Os incorrigíveis melhores do mundo!...



Os incorrigíveis melhores do mundo!...

Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 29 de março de 2015

Em campo, vitória clara e gorda do Sporting!...


E no final do encontro com a Sérvia, para além de uma vitória "grega" de Portugal e da selecção ter sido empurrada quase "contra a sua vontade", para a liderança do grupo, muito poucos motivos de felicidade os portugueses poderão retirar. Não fosse o nosso melhor lateral esquerdo ter jogado a médio e com uma assistência e um golo, dever ser considerado o melhor de todos os que estiveram em campo, exactamente porque a par de João Moutinho e Tiago, terá sido dos poucos a escapar ao sofrível, e talvez não estivéssemos a esta hora e à boa maneira tuga, com as velas desfraldadas e faixas encomendadas.

Talvez, tendo em conta a lotação esgotada anunciada por uma comunicação social pintada da cor que sabemos e face aos números oficiais de 58.430 espectadores presentes, divulgados pela FPFhaja que corrigir a lotação oficial do estádio, com que a dita CS, vai para uma dúzia de anos, com a eventual conivência do clube supostamente proprietário,  nos andam a atirar areia para os olhos. A menos que a receita dos 3.570 bilhetes em falta, tenha revertido integralmente e por debaixo do pano, para os cofres exauridos da casa. Os responsáveis pelo imbróglio, agora que se decidam: ou a lotação do estádio será mesmo 58.430 e muita gente terá andado a mentir, ou será de 62.000 e andará o dinheirinho dos 3.570 bilhetes a ser desviado para bolsos indevidos.

Em campo, vitória clara e gorda do Sporting, sobre congéneres nacionais e estrangeiros, ainda que o facto resulte numa tremenda azia para alguns milhões, mas esta é a realidade "tuga", enquanto a "santa aliança" e os fundos coleccionarem os "xitos da bisca lambida cá do pântano", com vazas de "duques e ternos"!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 28 de março de 2015

Shikabala é um ilusionista!...

Imagem retirada de Record

Vasco Santana, provavelmente o nosso maior cómico de sempre, salvo erro no filme "O Pátio das Cantigas, chamava um nome giro ao candeeiro de rua, que em vez de lhe dar lume, jogava com ele às escondidas!...

Shikabala, parece ainda não se ter cansado de fazer o mesmo ao Sporting: aparece, desaparece...

É UM ILUSIONISTA!...

Leoninamente,
Até à próxima

Na "travessia do rio", nem só os escorpiões viajarão sobre as suas costas!...


A essência de Bruno e os... escorpiões

"Ninguém muda aquilo que é na sua essência".
Bruno de Carvalho in "Record".


«Nem mais: o presidente do Sporting utiliza aquilo que o ser humano tem de mais "natural" que é a sua própria essência para revelar cepticismo em relação ao comportamento até agora dominante dos seus homólogos do Benfica (Luís Filipe Vieira) e FC Porto (Pinto da Costa). Diz o presidente dos leões que o tempo não apaga nem corrige traços de perfil e de carácter e, por isso, não vê razões para o reatamento de relações com os emblemas rivais. Todavia, ressalva que o Sporting tem trabalhado com todos os grupos entretanto constituídos para o estudo de matérias específicas, pelo que ficamos definitivamente a saber que o corte de relações institucionais correspondeu a uma tomada de posição (colegial) contra a ausência de valores e contra os guardiões da hipocrisia. Quer dizer: o presidente do Sporting acha que pode avançar no caminho das reformas e ter êxito nesse domínio, de costas voltadas para o Benfica e para o FC Porto. É uma posição legítima no plano de um certo quixotismo e da afirmação dos valores que BdC tanto reclama, mas é uma visão romântica e, provavelmente, ineficaz. É importante verificar que, até ao momento da "decapitação" de Mário Figueiredo, na Liga (promovida por Vieira, com a intermediação de Joaquim Oliveira junto de Pinto da Costa, num processo em que muita gente foi usada), Benfica e FC Porto reclamavam a maior fatia do "bolo" para as suas hostes e que o Sporting se afirmava como uma ameaça no sentido de querer envolver-se na partilha do "bolo". Só essa pretensão, num quadro limite, podia ter o condão de aproximar as "estruturas" do Benfica e FC Porto (mais do que a aproximação entre Vieira e Pinto da Costa, sempre muito bem dissimulada) e foi isso que BdC conseguiu, com a sua impetuosidade e falta de diplomacia, a que o presidente do Sporting denomina, sempre, de hipocrisia. Chamei-lhe a "guerra do canivete". Ir para um campo minado com um canivete na mão não é pactuar com a hipocrisia ou com a falta de valores. É não ter consciência dos perigos e das consequências. É não perceber, nesta dialéctica de essências, que numa luta de escorpiões só pode vencer o escorpião mais forte. Não podes ser rã numa luta de escorpiões. Quer dizer: com esta postura, BdC acelerou o entendimento entre Benfica e FC Porto e o "isolamento" ficou mais cavado, expondo-se à crueldade ou mesmo à humilhação de os seus homólogos escolherem um "processado" (Luís Duque) para que não houvesse a mínima dúvida sobre a "vingança" e a… sede (com "e" aberto e fechado) de poder.

Em síntese: talvez não fossem necessárias toneladas de hipocrisia para percepcionar melhor uma situação perante a qual o Sporting não ia beneficiar.

Fica claro, nesta entrevista concedida a "Record", que Bruno de Carvalho está a fazer um esforço para dirimir algumas particularidades da sua própria essência. Ora tanto fala de aprendizagem ora insiste em não abdicar dos seus princípios. BdC entrou em luta com os "miasmas do sistema" – a designação que achei há muito para caracterizar os fautores das entorses à verdade desportiva – e está em luta consigo próprio. Nalgumas matérias recua alguma coisa, mas noutras – como a ida para o banco de suplentes – mantém-se intransigente. Nem sequer atinge que, mesmo querendo estar "mais próximo das realidades", passa um atestado de desconfiança a quem, num determinado momento, declarou confiar. Um presidente ("general") constituir-se como uma "ameaça" para os seus subordinados ("soldados") ou como um factor de pressão dificilmente será bem entendido. Há sempre um Jefferson que lhe pode sair ao caminho. Lá voltamos à questão da essência e da fábula da rã e do escorpião. Alguém na cabina do Sporting estará disposto a "atravessar o rio" nas costas de Carvalho?…

Em síntese: sozinho, nada se alcança. E o factor-confiança constrói-se e é essencial à… "essência".

Chegamos ao ponto-chave da entrevista: as relações com o treinador Marco Silva. É evidente o recuo estratégico. Nos dias de hoje, e perante o espartilho financeiro que se coloca ao Sporting, quem faz um contrato de longo termo com um técnico de futebol para além da vigência do seu próprio mandato, não pode ter dúvidas sobre essências e coisas essenciais. E não pode ter dúvidas de que a preparação de uma nova época deve ser antecipada o mais possível. Não quero admitir a possibilidade de – no caso de alguém que se confessa horrorizado com hipocrisias – estarmos perante uma posição hipócrita. Se BdC garante que "Marco Silva é para continuar"… Contudo, talvez seja prudente perceber como vai acabar a época (com ou sem Taça de Portugal) e compreender, também, se o treinador está disposto a "atravessar o rio" nas costas do presidente. Entre rãs e escorpiões, talvez seja melhor aguardar. E não é por ser "politicamente correcto"; é para ser… essencialmente correcto.»

Creio bem que estaremos perante um dos melhores textos até hoje publicados sobre a figura de Bruno de Carvalho. Essa foi a impressão que me ficou, depois de ler e reler o pensamento de Rui Santos, um dos jornalistas de toda a nossa praça que sempre se colocou à margem do funeral que a generalidade dos nossos escribas, "opinion makers" e, infelizmente, uma boa porção de sportinguistas apanhados e surprendidos nos seus privilégios e interesses pela "Primavera Leonina", lhe terão pretendido fazer desde que foi eleito e tomou posse.

E será precisamente porque Rui Santos nunca alinhou com a "marabunta" que pretendeu envolver o jovem Presidente do Sporting Clube de Portugal, que em cada dia que passa a sua posição de elogiosa crítica construtiva ganha mais credibilidade. Pelo menos na minha modesta opinião, que quase sempre tem estado próxima e cada vez mais, se aproxima da sua.

O eixo central da tese de Rui Santos passa, a meu ver de forma magistralmente correcta, pela verdadeira e incontornável "essência" de Bruno de Carvalho, que o tem vindo a empurrar em alguns casos, para veredas mais ou menos estreitas, semeadas de escolhos e prejuízos para si próprio e para o Clube que dirige. Mas, paralelamente, reconhece aquilo que de forma desapaixonada estará à vista de todos: o Presidente do Sporting Clube de Portugal estará "a fazer um esforço para dirimir algumas particularidades da sua própria essência".

De modo notório e flagrante, Bruno de Carvalho, sem de alguma maneira abdicar da sua "essência", parece estar a caldeá-la com inteligência, tempo e a experência que tem vindo a adquirir, num processo que começa a acumular garantias de que a sua acção, no médio e longo prazo, possa aproximar-se do limiar dos seus próprios e confessados sonhos.

Haverá apenas uma pequena questão em que discordarei de Rui Santos: Bruno de Carvalho não deverá apenas preocupar-se em saber, "se o treinador está disposto a 'atravessar o rio' nas costas do presidente"! A sua preocupação deverá ser bem mais abrangente, tanto no tempo, quanto no modo como conduzirá a sua "essência", por forma a garantir que todo o formidável Universo Leonino esteja disposto a "atravessar o rio" às costas do Presidente!...

Porque Bruno de Carvalho já terá tido tempo suficiente para compreender, que na "travessia do rio", nem só os escorpiões viajarão sobre as suas costas!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 27 de março de 2015

Apetece desejar-lhe toda a sorte do mundo!...




A notícia apanhou-me de surpresa! De facto nada faria supôr que pudesse ser prolongado até 2021, um vívulo contratual de longa duração que reportava para o ano de 2019.

Se tomarmos em consideração que sendo a alteração da cláusula de rescisão uma das duas únicas razões que poderiam justificar esta decisão por parte da Administração da SAD, a sua manutenção no valor anunciado de 45 milhões de euros, leva-nos para a melhoria das condições salariais do atleta, como causa mais provável, quiçá única, da renegociação do contrato até agora vigente e a sua extensão por mais dois anos, uma consequência do bom clima negocial e de confiança mútua, existentes entre as partes.

O potencial exibido por Wallyson Mallmann, desde que na época de 2012/13 chegou para ser integrado na equipa junior do Sporting e nas duas temporadas seguintes na equipa B, sendo que na presente já realizou quatro partidas na Taça da Liga, pela equipa principal, parece não oferecer dúvidas, nem à estrutura do futebol leonino nem aos adeptos. Mas a decisão agora tomada pela Administração, apenas nos poderá conduzir a que a medida só acontece pelas garantias que o atleta oferece em termos de futuro. E nessa condição os responsáveis conhecerão melhor que ninguém o valor do atleta e a confiança que lhes merece.

Por mim, admirador confesso dos atributos do jovem brasileiro apenas me posso regozijar com o facto de o saber leão nas próximas seis temporadas.

Quanto a Wallyson, que melhor demonstração de que está feliz no Sporting e confiante no seu futuro?!...

Apetece desejar-lhe toda a sorte do mundo!...

Leoninamente,
Até à próxima

Vou sorrindo e... "camacho" à espera do desenlace!...

Resultado de imagem para marçal nacional da madeira fotos

Ele há uma coisa no futebol português que me diverte, quase tanto como o golo de bandeira que Balakov marcou ao Benfica, em 17 de Outubro de 1992, iam decorridos poucos segundos desde o início da partida: são os jogos florais na contratação de jogadores há muito apontados pela imprensa como negociados por alguns clubes e que de repente assinam por outro ou, mais hilariante ainda, o clube inicialmente interessado, quando julgava ter feito um "negócio da China", se vê obrigado, perante o "picanço" de outros clubes,  a abrir os cordões à bolsa e a pagar três ou quatro vezes mais que a bagatela com que julgava ter arrumado o negócio.

Claro que estas "faenas" normalmente são protagonizadas por qualquer um dos "dois clubes mais ricos" cá do burgo, porque com a excepção de alguns negócios ruinosos de Godinho Lopes, o Sporting sempre foi mais comedido nos gastos e não se costuma meter nessas "altas cavalarias". Mas que há notícias, e bem recentes por sinal, de que também gosta de meter o "bedelho" nessas disputas e enterrar o ferrão, de tal modo que faz disparar o preço a pagar pelos "craques" por parte dos tais "dois clubes ricos", ai isso há e não serão poucas!...

Porque de momento não estarei muito interessado em que o espaço aéreo deste meu cantinho seja violado por "agentes voadores", mitológicos ou reais, não vou retirar quaisquer exemplos do saco a transbordar que tenho guardado por aí. Acho que todo o mundo se lembrará e sempre poupo a lâmina da guilhotina.

Vem isto a propósito de que, apesar do final da época ainda vir longe, já andará por aí no horizonte um caso que se ajusta que nem luva de pelica ao que antes disse. Como numa boa meia dúzia de situações anteriores, a "mina" volta a situar-se na Madeira, e há muito que os "pasquins oficiosos" anunciaram o negócio como concretizado. O pior é que os mentirosos são mais fáceis de apanhar que um coxo! E apesar da "deficiência motora" do Sporting, ele lá vai colocando areia na engrenagem e as "máquinas" correm sérios riscos de gripar, quando todos já as imaginavam em velocidade de cruzeiro.

Ao que se vai sabendo, ou o "craque" já não estará interessado em ir para onde o estavam a empurrar, ou então estará para aí a acontecer uma inflacção danada. Quem deverá estar na expectativa deverá ser... uma senhora, vejam lá! E eu não estou a ver uma senhora deixar-se levar pelos habituais "trampolineiros do pântano"!...

Enquanto o segredo estiver nas mãos dos deuses, por mim, vou sorrindo e... "camacho" à espera do desenlace!...

Leoninamente,
Até à próxima

A ambição do Presidente é a ambição de todo o universo sportinguista!...

A primeira pedra do Pavilhão João Rocha (foto MaisFutebol)

A singeleza da imagem, contrasta simbolicamente com grandiosidade do sonho de toda a nação sportinguista, espalhada pelos quatro cantos do mundo. 

E depois da primeira pedra, lançada hoje, 27 de Março de 2015, os próximos passos da construção do nosso tão desejado Pavilhão João Rocha, seguirão um calendário já estabelecido, apenas dependente de vistorias e licenças emitidas por entidades externas ao Sporting:

Até Maio de 2015: fase de projectos e licenciamento de obra.

Junho de 2015: início da obra.

Outubro de 2016: conclusão da obra.

Novembro de 2016: vistorias e obtenção de licenças de utilização.

Dezembro de 2016: inauguração do Pavilhão João Rocha.


"... Doyen a quem doer, este pavilhão vai estar terminado em Dezembro de 2016.[...] 

João Rocha foi o presidente com quem cresci e que mostrou que a força do Sporting era a força dos seus adeptos e das suas modalidades..."
(Bruno de Carvalho, no lançamento da primeira pedra)

A ambição do Presidente é a ambição de todo o universo sportinguista!...

Leoninamente,
Até à próxima

Muito obrigado Naide!...



Há 19 anos no clube a que desde menina entregou o coração, lá longe sobre a linha do equador, onde nasceu a 20 de Novembro de 1979, nesse paraíso que dá pelo nome de S. Tomé e Príncipe, despediu-se hoje das pistas de atletismo, uma das nossas maiores atletas de sempre.

Para além de um inigualável rol de títulos nacionais e internacionais, Enezenaide do Rosário da Vera Cruz Gomes, viu o seu sportinguismo ser reconhecido com a atribuição por sete vezes, do Prémio Stromp, nos anos de 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008 e 2010.

Com 35 anos, feliz e orgulhosa do seu percurso singular no atletismo português e mundial, e vivendo pela primeira vez a alegria de uma há muito desejada e bem próxima maternidade, Naide Gomes decidiu instalar em todos nós, sportinguistas e portugueses, uma saudade sem conta nem medida, que apenas estas palavras serão capazes de traduzir:

Muito obrigado Naide!...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 26 de março de 2015

Labyad: o tempo parece ter jogado a favor do Sporting!...


Labyad tem todas as condições para se afirmar no Sporting

"Está a jogar muito bem pelo Vitesse. Esta época, ele tem provado toda a sua qualidade e nota-se que está mais maduro. Acho que tem todas as condições para se afirmar no onze titular do Sporting com as funções de médio-ofensivo. Do que tenho visto, o Labyad rende mais nesta posição do que a jogar a partir das alas, já que, no meio, tem mais espaço para fazer a diferença. [...] 

Ele é muito forte no capítulo ofensivo, mas tem de ser mais trabalhado nos processos defensivos. Terá de correr muito mais no Sporting do que no Vitesse. [...]

Na primeira passagem pelo Sporting, ele ainda estava um pouco verde. Na sua grande maioria, os jovens jogadores que saem do futebol holandês têm alguma dificuldade para se adaptar a ligas mais fortes, como é o caso da portuguesa. [...]

Têm ambos raízes marroquinas e são parecidos no estilo de jogo. O Afellay também passou por dificuldades em adaptar-se a um grande clube europeu [Barcelona] e só agora, aos 28 anos, é que parece ter estabilizado. Espero que o Labyad o faça bem mais cedo."
(Ton du Chatinier, antigo técnico do Vitesse, in SapoDesporto)

Será por demais evidente que as razões que sustentarão as palavras de Ton du Chatinier, ex-técnico de Utrecht e Vitesse, seguidor atento do futebol holandês e do português, há muito que não terão passado despercebidas a toda a estrutura do futebol leonino, consciente da terrível lacuna de que há muitas épocas têm enfermado os sucessivos planteis de Alvalade, no lugar específico onde o talentoso médio ofensivo internacional marroquino poderá encaixar como uma luva, terminada que parece estar e com reconhecido êxito, a sua reciclagem no Vitesse.

Apontará nesse sentido a reunião ocorrida há cerca de três semanas em Lisboa, entre Bruno de Carvalho e o pai de Labyad e o representante holandês do jogador, no sentido de uma aproximação entre as partes e da ultrapassagem de uma série de questões que porventura a estas ainda se coloquem, nomeadamente as questões dos "direitos de imagem" e do salário do jogador, constantes do contrato estabelecido com o jogador por Godinho Lopes.

No primeiro caso estará a resolução do diferendo resultante da denúncia por parte do Sporting desses mesmos direitos e do consequente processo movido pelo jogador, junto das instãncias competentes da FIFA, sem que esta até agora se tenha pronunciado.

No segundo caso estarão os custos astronómicos a suportar pelo Sporting, da ordem dos 4 milhões de euros mensais, entre o salário líquido a auferir pelo jogador e os custos que daí resultam em termos fiscais e segurança social.

È certo que tanto a redução do salário aceite pelo jogador quando rumou por empréstimo para a Holanda, quanto a sua actual disposição de o continuar a fazer no caso do seu eventual regresso a Alvalade, concorrerão para que possa ser absolutamente viável um entendimento entre as partes, sem que se possa dar como adquirida a solução do diferendo em sede da FIFA. Mas a vinda do seu pai e representante a Lisboa, terá de considerar-se como sendo um primeiro passo para a resolução do diferendo.

Certo é que as palavras de Ton du Chatinier, reforçarão a certeza de que o Sporting estará mais interessado no regresso de Zakaria Labyad, tido como solução mais indicada para o reforço da equipa em posição tão carenciada, que a contratação a peso de ouro de alguém cujas garantias de qualidade, dificilmente se aproximem da valia de quem continuará a permanecer ligado ao Sporting até 30 de Junho de 2017.

Não será dispiciendo associar ao desejo de Bruno de Carvalho, a opinião de Marco Silva. Já Leonardo Jardim terá sido obrigado a permitir a saída de Labyad, por força da realidade económico/financeira que então se apresentava ao Sporting, perante a inflexibilidade do jogador na questão salarial e não só. 

O tempo parece ter jogado a favor do Sporting!...

Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 25 de março de 2015

Academia Sporting: a tarefa de colocar no mercado o que o mercado exige!...



"O Chaby está a fazer a integração num clube diferente daquele a que está habituado. Tem bom pé esquerdo, tem carácter, mas precisa de crescer em termos de atitude. Precisa de perceber que o jogo é colectivo e não um conjunto de toques. Está a melhorar e vai conseguir. [...]

(Ainda será cedo para o regresso ao Sporting): Precisa de sentir as lacunas que existem nas equipas ditas de segundo plano. Só o iria beneficiar, tem de sair da zona de conforto."
(Vitor Oliveira, in Record)

Vitor Oliveira, um treinador sabedor e experiente,  terá sintetizado em poucas palavras, as eternas questões que se colocam a todo o talento que há tantos anos emerge da Academia do Sporting:

- É preciso crescer em termos de atitude.
- É preciso perceber que o jogo é colectivo e não um conjunto de toques.
- É preciso sentir as lacunas que existem na equipa a que se pertence.
- É preciso sair da zona de conforto.
- É preciso tempo para assimilar tantos e tão importantes conceitos.

E sem me deter no inconsequente exercício académico, de procurar razões para explicar o facto de todo o talento potencialmente emergente da nossa Academia, se revelar incapaz de interiorizar os conceitos fundamentais e irrefutáveis enunciados por Vitor Oliveira, creio em absoluto na pertinência de que uma outra questão, quiçá decisiva, se deveria colocar, não aos sujeitos da formação leonina, mas aos seus mais importantes responsáveis:  a de saber o que será preciso fazer para alterar as características da formação leonina, de forma a que não sejam tão evidentes e confrangedoras as lacunas e deficiências que os formandos exibem quando abruptamente abandonam a sua... zona de conforto?!...

Não será essa "zona de conforto", uma declaração real e incontornável de amadorismo, laxismo, facilitismo, comodismo, erro, incapacidade ou mesmo incompetência, por parte daqueles que têm sobre os seus ombros a responsabilidade de gerir todo o complexo mundo da formação leonina?!... 

Será a Academia Sporting apenas um tremendo "haraquiri" dos interesses do Sporting Clube de Portugal, quando "transporta ao longo de anos" todos os seus formandos para um mundo irreal e utópico, absolutamente nos antípodas do mundo real, adverso e dífícil com que mais tarde virão a ser confrontados no profissionalismo a sério, quiçá inclusivamente na equipa principal?! Será que nas mais sofisticadas e evoluídas instituições de formação militar, se preparam os soldados para a guerra, habituando-os a um ambiente de paz, concórdia, facilidade e comodidade?!... 

Ou será a Academia Sporting a "universidade" onde quase todos os formandos se embriagam em vedetismos estéreis, no culto estúpido de egos pueris e sem alicerce, ou em rampa de lançamento de intérpretes pobres e limitados do "big-brother" em que se estará a transformar o futebol?!...

Não conheço nenhuma universidade, seja aqui seja onde for, em que a escolha do reitor não seja determinada pelo dom que possua de ser capaz de colocar no mercado aquilo que o mercado exige!...

Filipe Chaby, por quem há muito, como sportinguista, nutro especial simpatia e a quem desejo todo o sucesso que merece, não deverá ser tido nem achado nesta minha posição. Mas seria pouco inteligente da minha parte, não aproveitar as palavras de Vitor Oliveira, para demonstrar a nudez do rei!...

Leoninamente,
Até à próxima

Na verdade, muita coisa bonita pode acontecer em Alvalade, nos tempos mais próximos!...



Uma capa bonita a que hoje o jornal Record publica. E se a ela somarmos a parte mais interessante do seu congénere A Bola, depois da conveniente limpeza do material promocional avermelhado habitual e repetirmos a operação no azulado O Jogo, ficaremos com uma ideia aproximada tanto do passado recente quanto do presente e de uma projecção animadora do futuro.






Na verdade, muita coisa bonita pode acontecer em Alvalade, nos tempos mais próximos!...

Leoninamente, 
Até à próxima

terça-feira, 24 de março de 2015

Ah meu grande e querido amor, que mal te fizemos nós?!...



O dia 27 de Março de 2015 parece ter merecido por parte do Sporting Clube de Portugal, a atenção devida a uma das mais significativas datas de um Clube renovado e atento ao Futuro.

Será o lançamento da primeira pedra do Pavilhão João Rocha e em boa hora, todos os que dirigem o glorioso Sporting Clube de Portugal terão decidido e bem, que estava chegada a hora de regressar aos velhos hábitos leoninos, de se voltar a fazer de Alvalade, o autêntico e verdadeiro centro da nossa vida colectiva, numa procissão de fé, entre a Casa das Modalidades e o Teatro Maior dos Nossos Sonhos, com  passagem de profundo respeito e eterna gratidão, pelas novas Ruas Vitor Damas e José Travassos e pelas gloriosas e altaneiras páginas da nossa história, patentes no Mundo Sporting! Como antigamente, mesmo enquanto os sportinguistas tiverem de reiniciar esse périplo de vitórias, glória e saudade, partindo de uma simples pedra, mas cujo significado só nós seremos capazes de compreender!...

A partir de agora, nenhum sportinguista abalará para Alvalde, de Monção a Vila Real de Santo António, ou de qualquer parte do mundo onde pulse um "coração de leão", apenas para ver um jogo de futebol e aplaudir as gloriosas camisolas verde e brancas e todos os que as envergarem! A partir de agora, avançar para Alvalade, será o cumprimeento de um ritual, como era nos tempos do nosso querido e saudoso Presidente, que dará o nome à nossa Casa das Modalidades. 

A partir de agora a chegada a Alvalade, terá de ser programada para o raiar do dia. Porque haverá tanto Sporting para nos embriagar, que nem nos dias mais longos de Verão, o Sol será capaz de iluminar tamanha procissão de fé e de esperança!...

Ah meu grande e querido amor, que mal te fizemos nós para que estivesses moribundo tantos anos?!... 

Leoninamente,
Até á próxima 

Eventual epicondilite lateral de Vitor Pereira?!...


Corre por aí o boato de que o Presidente do Conselho de Arbitragem da FPF, Vitor Pereira, na sequência da acção desenvolvida pelo seu homólogo da UEFA, Pierluigi Collina, estará a pensar reunir com os presidentes dos dezoito clubes da I Liga, no sentido de os alertar sobre aquilo que, no seu entender, estará a ocorrer no futebol português, traduzido numa crescente vaga de indisciplina para com a arbitragem.

Pretenderá Vitor Pereira advertir todos os presidentes, no sentido de evitarem todas e quaisquer pressões sobre as equipas de arbitragem e prometendo severas sanções contra os prevaricadores. Preocupado estará também, com a crescente tendência de grupos de jogadores em torno dos árbitros, após cada lance ou decisão arbitral mais controversa, normalmente em posturas agressivas, tanto física como verbalmente.

Consta também que Vitor Pereira terá o apoio explícito do Fontanelas da APAF e que este final de campeonato será analisado com rigor pelo "magistruz" do CD da FPF, Ti Herculano, que promete mão dura, caso esta decidida intenção não venha a ser interiorizada por dirigentes, treinadores e jogadores.

Recorda-se que, segundo as Leis do Futebol, todos os árbitros estão obrigados a dar os encontros por terminados, quando uma equipa fica reduzida a menos de 8 jogadores!...

Estará por confirmar, eventual epicondilite lateral de Vitor Pereira!...

Leoninamente,
Até á próxima

E todos ficamos à espera que o rei abdique e o príncipe seja coroado!...


Terei as mais fundadas reservas sobre o impacto que terá no futebol português a eleição de Fernando Gomes para o Comité Executivo da UEFA, mesmo que isso possa vir a significar, pelo facto de ter sido o mais votado entre todos os 12 concorrentes, a conquista de uma vice-presidência. Temo que entre as permanentes deslocações à Suiça e o tempo que por lá fique retido, a única alteração de monta será a redução substancial do tempo que passará a dedicar à nossa Federação. Mas como as grandes questões do futebol português nunca serão função do tempo que o Presidente lhes dispensar, estaremos conversados.

Já sobre a magistratura de influência que da sua eleição poderia resultar, era preciso que Michel Platini fosse diferente daquilo que é, um "ditadorzito de meia-tigela", ou que a capacidade intelectual do novel executivo tuga, estivesse ao nível, por exemplo, do seu antecessor Silva Resende, para que alguma pequena réstia do Sol da UEFA iluminasse a escuridão e a insignificância do nosso pobre futebol.

Claro que o estatuto sofrerá uma alteração quase radical: de "modestíssimo verbo de encher", passará a "modestíssimo enchedor de verbos" e as penas brilhantes e multicolores duplicarão de tamanho, transformando-o aparentemente num pavão ainda mais imponente! Mas por cá, tudo continuará como dantes, sem que o quartel-general saia de Abrantes e a salubridade do "pântano" venha a ser minimamente alterada, muito bem pelo contrário.

Mas se alguém pensa que a regeneração do futebol português passa pelas mãos de todos este pavões que, parafraseando o advogado do outro, há longo tempo não tomam banho e cheiram demasiado mal, estará redondamente enganado!...

E todos ficamos à espera que o rei abdique e o príncipe seja coroado, conforme a "constituição do pântano"!... 

Leoninamente,
Até á próxima

Iuri Medeiros, bilhete de ida e volta?!...


Por maior ou menor carga de subjectividade que lhe esteja associada, e por mais paradoxal que nos possa ter parecido a situação, o facto é que o empréstimo de João Mário ao Vitória de Setúbal na derradeira fase da época passada, se terá revelado como autêntico tufão na carreira do jovem promissor atleta leonino, confirmando-o, inapelavelmente, como o melhor oito actualmente a actuar no nosso futebol e constituindo tanto para Marco Silva, quanto para Fernando Santos, uma opção inquestionável.

Pese embora a importância da recuperação das equipas B e a sua inclusão no novo quadro competitivo da II Liga, a competitividade e o grau de exigência deste escalão profissional, tem-se mostrado insuficiente para catapultar a grande maioria dos nossos talentos para o patamar último do nosso futebol. Isto constituirá um facto incontornável e caberá aos "experts" encontrarem a melhor explicação. Foi assim com Adrien Silva, Cedric Soares e William Carvalho e João Mário não terá sido mais que a insofismável confirmação.

Haverá no processo formativo intrínseco às seis equipas equipas secundárias que militam na II Liga, nomeadamente as dos três grandes, um estágio a partir do qual a permanência de determinados atletas apenas significará estagnação ou mesmo retrocesso, sem que se percebam muito bem os fundamentos e as razões. O certo é que as mais avisadas estruturas dos clubes estarão a chegar a essa conclusão e os "safanões" ou tentativas de ultrapassar essa realidade, têm vindo a suceder-se com cada vez mais frequência.

No Sporting Clube de Portugal, assistimos na última janela do mercado de transferências a uma mão cheia de decisões dessa natureza e, ainda sem que dois meses estejam decorridos, começamos a ser confrontados com noticias que nos dão conta do amadurecimento de alguns desses frutos. sendo que o primeiro a revelar alterações de brilho e coloração será Iuri Medeiros, a quem a crítica já vaticina a... "entrega do bilhete de retorno a Alvalade"!...

Obviamente que nunca poderão ser determinantes para o seu regresso a Alvalade, a meia dúzia de apontamentos rubricados pelo promisssor talento sportinguista, nomeadamente os fantásticos golos de abertura contra Benfica e Gil Vicente e as duas assistências decisivas para a vitória, no último jogo contra este último. Será demasiado cedo para que se possam ter certezas. Mas a oito jornadas do final da competição, nada nos garante que as dúvidas não possam vir a ser dissipadas. E ninguém, melhor do que Iuri Medeiros, para as desfazer!...

Quanto a Fabrice Fokobo, o processo de afirmação em Arouca estará aparentemente mais atrasado, sem que no entanto ainda não possa ir a tempo de a todos dar conta da sua ambição e capacidade. Ou não! Caberá ao próprio responder!...

Leoninamente,
Até à próxima  

segunda-feira, 23 de março de 2015

Ter estofo de campeão!...


Umas largas horas depois de ter por aqui publicado este texto, e não tendo visionado ontem o programa "Play-Off" da SIC Noticias, a curiosidade levou-me a fazer uma rápida incursão pela gravação, na qual, excluindo a palha que por ali surge amiúde, apenas dediquei a minha atenção aos segmentos que entendi realmente valerem a pena.

Entre tudo aquilo que visionei, chamou-me a atenção o discurso de indignada impotência de Rodolfo Reis, difícil de catalogar entre desilusão e revolta, acerca do desastre sofrido na véspera na Choupana pela equipa cujas cores defende como poucos, quantas vezes ultrapassando as raias do respeito com que deveria brindar os seus companheiros de programa.

A certa altura, Rodolfo Reis entendeu servir-se da recuperação da memória de José Maria Pedroto, para enfatizar aquilo que no final dos anos 70 o "velho mestre" terá designado com absoluta propriedade de "estofo de campeão", para adjectivar aquele "quase" que impediu José Peseiro, Jorge Jesus e porventura Julen Lopetegui, para não mencionar outros que terão como estes fallhado de forma quiçá não tão evidente, o salto para glória, fama, proveito e páginas da história do futebol.

Embora o termo "inventado" por JMP de "estofo de campeão" quase tenha sido apagado no longo tempo de quatro décadas que nos separam da sua decisiva época de influência no emergir competitivo do clube das Antas, não me repugna absolutamente nada atribuir-lhe mais significado e peso, que a expressão, actualmente mais em voga, que terei utilizado no meu texto, de "défice de mentalidade competitiva"!...

E razão terá Rodolfo Reis ao considerar que o jogo da Madeira, após a derrota do Benfica, seria o jogo onde o Porto não poderia nem deveria falhar, mas onde terá jogado sem chama, sem foco, e com evidente falta de comando fora e dentro do campo, desperdiçando uma oportunidade de ouro que colocaria a turma das Antas literalmente em cima do Benfica, fazendo do jogo da Luz uma partida realmente decisiva. Faltou ao Porto, "estofo de campeão"! E depois de tão esclarecedor falhanço, será bem provável que tenham sido os próprios tripeiros a encomendar as faixas do novo campeão!...

A falta de estofo de campeão, ou o défice de mentalidade competitiva ou outro jargão qualquer que venha a ser recuperado ou inventado, terão eventualmente atirado esta época o Sporting para o terceiro lugar. Mas atenção que os danos, como as granadas, poderão multiplicar-se por simpatia, na parte que resta do campeonato, na Taça e na pré-eliminatória da Liga dos Campeões!...

Caberá a toda a estrutura leonina, mas muito particularmente ao treinador  e jogadores do Sporting, compreenderem o poderoso significado introduzido por José Maria Pedroto, daquilo que será...

Ter estofo de campeão!...

Leoninamente,
Até à próxima

Uma vitória de Fernando Santos!...



Leoninamente, compartilha a alegria de Fernando Santos e regosija-se com o facto do TAS ter protagonizado a reparação da justiça que ele merecia, face à prepotência da FIFA!...

Esta decisão do TAS, terá mesmo ido para além do que era expectável nos meios geralmente melhor informados sobre os seus procedimentos habituais, a redução para metade dos oito jogos de impedimento antes aplicados pela FIFA, fixando-a em dois jogos efectivos e mais dois com pena suspensa durante seis meses, o que acaba por se traduzir na redução para 1/4 da pena inicial.

Fernando Santos estará assim impedido apenas nos dois próximos jogos da selecção nacional, contra a Sérvia em Lisboa no próximo domingo e contra a Arménia a 13 de Junho em Yerevan.

Leoninamente,
Até à próxima

Será tudo uma questão de mentalidade competitiva!...



"O Sporting alcançou uma das vitórias mais dilatadas no campeonato desta época e voltou a ganhar o direito a sonhar, depois de uma jornada em que conseguiu recuperar 2 pontos ao 2.º classificado e distanciar-se 9 do 4.º, cavando um fosso que lhe garante tranquilidade.

Foi, pois, uma jornada verdadeiramente leonina coroada com quatro golos, o que acontece pela quinta vez esta temporada em jogos da Liga. Uma lição de eficácia dada pela equipa de Marco Silva que noutros momentos lamentou não ter sido tão certeiro na finalização. Desta vez, aproveitou o que o jogo lhe deu e o que conseguiu construir, juntando o útil ao agradável: uma goleada e uma boa exibição. Acresce que Slimani e Nani bateram recordes pessoais. Enfim, o leão teve boas razões para sorrir.

Terminado o jogo, Marco Silva recorreu a uma frase lapidar: as contas fazem-se no fim. Pode ser uma evidência, mas a verdade é que nem sempre é tida em conta. Ainda hoje, benfiquistas e portistas estarão a remoer os pontos que ficaram em Vila do Conde e na Madeira. No futebol, nada se pode dar por garantido. Mas também os leões, a cada jornada que os seus eternos rivais escorregam, devem pensar em todos aqueles jogos em que, por causa disto ou daquilo, perderam "pontos fáceis". Com eles, certamente hoje alimentariam mais ilusões do que aquelas que legitimamente ainda têm..."
(António Magalhães, Entrada em Campo, in Record)

Não poderia António Magalhães estar mais certo: "... O Sporting, em cada 'escorregadela' dos seus eternos rivais, deve pensar em todos aqueles jogos em que, por isto ou por aquilo, terá perdido 'pontos fáceis'. Com eles, certamente alimentaria mais ilusões, do que aquelas que legitimamente ainda tem"!...

Com o mesmo orçamento, com o mesmo plantel, com o mesmo treinador, será que ao Sporting estaria vedado ou fosse mesmo impossível,  conseguir a vitória na 1ª jornada (Académica 1-1 Sporting), na 3ª jornada (Benfica 1-1 Sporting),  na 4ª jornada (Sporting 1-1 Belenenses),  na 6ª jornada (Sporting 1-1 Porto), na 10ª jornada (Sporting 1-1 P. Ferreira), na 13ª jornada (Sporting 1-1 Moreirense), na 20ª jornada (Sporting 1-1 Benfica) e na 21ª jornada (Belenenses 1-1 Sporting)?!...

E terão sido 16 os pontos desbaratados ingloriamente, "por causa disto ou daquilo", sem que seja preciso falar ou analisar científicamente, as duas derrotas que, sem apelo nem agravo, contabilizámos ao longo das 26 jornadas já disputadas!

Será por demais evidente, inegável e incontornável, atribuir uma razoável percentagem desses 16 pontos perdidos, a factores externos ao jogo! Mas haverá que reconhecer que as culpas próprias absorverão a parte mais substancial do insucesso leonino. E não tivessem estado "em nós próprios" essas causas, o cenário que hoje se poderia ter colocado seria completamente diferente, com o Sporting a liderar isolado e a confortável distância, este campeonato da nossa desilusão!...

Se esta segunda época de "NOVO RUMO", terminar com a obtenção do único título que ainda estará ao nosso alcance e com a manutenção do 3º lugar, poderemos sempre e por todos os motivos, classificá-la como melhor do que a anterior. Mas deveremos colher a experiência ora adquirida, para fazer da próxima o corolário da nossa justificada ambição...

Mesmo com orçamento inferior aos mais directos rivais, mesmo com plantel de valor idêntico, mesmo que com o mesmo treinador, mesmo com a entrada em jogo dos "mesmos factores externos", a época prestes a chegar ao fim, ensinou-nos o que será preciso para ir mais longe:

Será tudo uma questão de mentalidade competitiva! Que obviamente começará no treinador e terminará nos jogadores, mas passará por muitos mais!...

Leoninamente,
Até á próxima

Na acção, no silêncio e na tribuna, estará sempre o Presidente em quem votei!...

Foto Record
Está a fazer dois anos, daqui por poucas horas, que este vosso amigo estava na estrada, a caminho de Lisboa, para ajudar a encontrar um "NOVO RUMO PARA O SPORTING"! E conseguimos!...

Nesta data importante da nossa vida colectiva, não poderei deixar de recordar e homenagear aqueles grandes leões que o permitiram: André Patrão e Miguel Paim! Sem eles, sabe-se lá onde estaríamos!...

Muitas águas depois dessa data histórica, passaram sob as pontes de Alvalade! Umas límpidas e transparentes, que nos permitiram recuperar o orgulho e reforçaram as convicções e outras, contaminadas pelas descargas das "marés vivas do pântano" ou por via da juventude, irreverência e inexperiência do líder em que depositámos tanta esperança, acabaram a deslizar, talvez demasiado barrentas, impróprias e diferentes daquilo que todos imagináramos.

Mas o "novo rumo", permitiu que a nossa existência deixasse de ser ameaçada e a inteligência e o tempo hão-de acabar por fazer o resto, pelo menos essa será a grande esperança do fantástico universo em que orgulhosamente me incluo.

Ironicamente, extinguir-se-ão dentro de duas luas, os 30 dias com que Bruno de Carvalho foi castigado pelos "sujos executores da disciplina do pântano", e todos parecem adivinhar o seu regresso às palavras e ao banco. Se essa for efectivamente a sua intenção, permitir-me-ei discordar, com o legítimo direito que me dá o facto de ter contribuído para que ele hoje o possa fazer. Mas ninguém me impedirá de manifestar a minha discordância!...

O que eu desejaria de Bruno de Carvalho, jamais se poderá confundir com truculência e muito menos com o percorrer de caminhos desajustados com a nobre função de que está investido! E estes últimos 30 dias a acabaram por confirmar a minha intuição!...

Bruno de Carvalho aproximou-se,  nestes "benditos 30 dias", bem mais daquilo que lhe perspectivei em 23 de Março de 2013 e me levou a entregar-lhe os meus votos, refugiando-se num inteligente silêncio e ocupando na tribuna, o lugar mais consentâneo com a sua superior missão!...

Na eficácia da acção, na prudência do silêncio e no recato da tribuna, estará sempre o Presidente em quem votei!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE