terça-feira, 31 de outubro de 2017

Grandes na Europa, apenas quando formos os melhores de Portugal!...


O Sporting voltou a estar perto de derrotar uma das principais equipas do futebol mundial mas, apesar de se aproximar a passos largos desse objectivo, ainda não terá sido desta vez que a fortuna o terá ajudado nesse justo desígnio.

Num jogo quase perfeito tanto no plano táctico quanto na determinação de todo o colectivo, o Sporting esteve na frente do marcador durante cerca de uma hora - Bruno César marcou aos 20 minutos e Higuain igualou aos 80 - e bem mereceria sair vitorioso deste confronto. 

Ainda não será hora da lavagem dos cestos neste grupo, mas haverá que reconhecer que a tarefa se apresentará agora bem mais difícil. Com 4 pontos acumulados contra 7 do hexacampeão italiano, tudo ainda poderá acontecer...

O que acontecerá pela certa será a recepção ao Braga já no próximo domingo e torna-se imperiosa uma nova focagem naquele que deverá ser o objectivo mais importante de toda a temporada... 

Grandes na Europa, apenas quando formos os melhores de Portugal!...

Leoninamente,
Até à próxima

Vamos ganhar, carago!...


Permitam-me que arrisque o onze que Jorge Jesus lançará para o jogo daqui a pouco: Rui Patrício; Ristovski, Sebastian Coates, André Pinto e Bruno César; Palhinha, Rodrigo Battaglia, Gelson Martins e Acuña; Daniel Podence e Seidou Doumbia.

Vamos ganhar, carago!...

Leoninamente,
Até à próxima

Vamos a eles, leões!...


Gostava muito de ver o Joâo logo à noite a fazer o "tandem" da linha média com Battaglia e a contribuir decisivamente para a vitória do Sporting!...

Vamos a eles, leões!...

Leoninamente,
Até à próxima

Importante é o Braga no próximo domingo!...


Haverá que reconhecer o esforço que Jorge Jesus tem feito desde o arranque da presente época na abordagem comunicacional que tem vindo a fazer às perspectivas do Sporting na Liga dos Campeões. E não custará muito admitir que, embora nas entrelinhas se note que nele permanecem as mesmas ideias sobre a dicotomia LC/I LIGA, abandonou claramente os tão nefastos e desprestigiantes "atalhos" percorridos em épocas anteriores. 

Mas a realidade é uma magana e só se deixa enganar quem quer, nomeadamente quando tudo aponta para que quatro peças fundamentais no onze de JJ não irão defrontar hoje a Juve em Alvalade: Piccini. Mathieu, Coentrão e William Carvalho. Quer isto dizer que embora continuando e bem a afirmar a capacidade do Sporting para alcançar hoje a superação perante uma das cinco melhores equipas do mundo, o facto é que não terá à sua disposição três defesas e ainda o médio mais recuado. Aqueles que foram os pilares na boa resposta dada em Turim não podem agora disputar um dos jogos mais importantes da época, em termos de competições europeias. Dois deles por lesão (Piccini e Mathieu) e os outros dois (Coentrão e William) por estarem perto do limite físico e, sem nunca o especificar, acaba por nos dizer e de novo bem, que...

Importante é o Braga no próximo domingo!...

Leoninamente,
Até à próxima

Porque será?!...



O Serpa sabe aquilo que Jorge Jesus ainda não sabe!...

Porque será?!...

Leoninamente,
Até à próxima

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Com as calças do Meirim o "twitter" do Benfica parece um homem!...




PATRÍCIO E OUTRAS HISTÓRIAS
Uma estrela -- Twitter e falta de vergonha

«... Depois de tanto tempo a queixar-se dos tweets dos directores de comunicação do Sporting e Porto, o Benfica criou um twitter que parece essencialmente existir só para se queixar das arbitragens dos dois rivais. A falta de vergonha é contagiosa.»

Com as calças do Meirim o "twitter" do Benfica parece um homem!...

Leoninamente,
Até à próxima

PENA MÁXIMA É O MÍNIMO QUE SE PODERÁ EXIGIR À JUSTIÇA!...


Marco Ficcini, adepto italiano do Sporting, morreu brutalmente atropelado no dia 24 de Abril, antes do dérbi da temporada passada entre os leões e o Benfica. Agora, o Ministério Público acusou o adepto benfiquista, responsável pelo atropelamento, de homicídio qualificado.

Luís Pina, de 35 anos, com ligações à claque do Benfica 'No Name Boys', entregou-se à Polícia Judiciária a 27 de Abril, alguns dias após o atropelamento mortal e é o único arguido em prisão preventiva desde 29 de Abril.

Só agora, passados mais de seis meses, o presumível assassino de Marco Ficcini é acusado pelo MP de, no dia 24.04.2017, durante a madrugada, sendo esse dia de jogo entre os clubes Sporting Clube de Portugal e Sport Lisboa e Benfica, nas imediações do Estádio José Alvalade e Rua Padre Cruz, um grupo de adeptos benfiquistas se ter confrontado com um grupo de adeptos sportinguistas. Durante os confrontos e perseguições desencadeadas, o arguido Luís Pina terá alegadamente atropelado intencionalmente e passado por cima do corpo da vítima, provocando-lhe lesões que foram causa directa e necessária da sua morte, tendo abandonado o local sem lhe prestar qualquer auxílio.

PENA MÁXIMA É O MÍNIMO QUE SE PODERÁ EXIGIR À JUSTIÇA!...

Leoninamente,
Até à próxima

Novela interessante. "Moços bonitos"!...


Terá sido com base em "novos elementos probatórios" que uma juíza de instrução criminal autorizou  as buscas de 19 de Outubro, ao Benfica, Luís Filipe Vieira, Pedro Guerra, Ferreira Nunes e outros suspeitos no chamado "caso dos emails", depois de outro juiz de instrução, em Julho, as ter inviabilizado. Segundo este mandado de busca agora apresentado aos citados alvos, a magistrada judicial considerou que perante os elementos recolhidos pela Unidade Nacional Contra a Corrupção da Polícia Judiciária estavam "adensadas as suspeitas" da prática de eventuais crimes de corrupção desportiva activa e passiva (LINK):

«Os factos sob investigação respeitam à suspeita da actuação de responsáveis do SLB-SAD, que, em conluio com personalidades do mundo do futebol e da arbitragem, procurarão exercer pressão e influência junto de responsáveis da arbitragem e outras estruturas de decisão do futebol nacional, tendo em vista influir na nomeação e classificação de árbitros nesse âmbito.»

A troca de correspondência – que tem sido divulgada nos últimos meses por Francisco J. Marques, director de comunicação do FC Porto – parece revelar algumas ligações directas entre dirigentes do SLB e pessoas ligadas às estruturas do futebol, corridas de membros dos conselhos jurisdicionais a convites para o Estádio da Luz, à orquestra dos comentadores liderada por Carlos Janela e até a um irritado email de despedida de João Gabriel, antigo director de comunicação do Benfica.

Para amanhã está anunciada a publicação da restante investigação...

Novela interessante. "Moços bonitos"!...

Leoninamente,
Até à próxima 

"Da janela do meu quarto, vejo a luz do quarto dela"!...


Como hábito instalado, parece não haver dia em que não nos entrem pelas "windows" adentro, umas boas pazadas de carvão, para que nunca se extingam as chamas da fornalha em que o Serpa adora incinerar em lume brando tudo o que mexa e tenha tido a desdita de nascer longe do pálio vermelho, muito particularmente se for verde! Mesmo que depois se acabem por amontoar lá pelos cantos esconsos e escuros da Travessa da Queimada,  resmas e resmas de papel de "sobras pasquináceas", fruto do facto de cada vez mais os adeptos do futebol límpido e transparente se recusarem a ler as patranhas publicadas. 

Desta vez, segundo informação veiculada pelo citado pasquim (LINK1), quiçá resultante do  poder inventivo das "fontes habituais", que já não se terá verificado noutros OCS (LINK2) e (LINK3), o Sporting, depois da folga dominical concedida por JJ, terá regressado aos treinos na manhã desta segunda-feira e a principal nota de destaque, terão descoberto os "recibos verdes" do Serpa, terá sido a ausência de William Carvalho. Claro que tal facto tanto poderia significar  uma mera questão de gestão de esforço por parte de Jorge Jesus em relação a um elemento fundamental da sua estratégia para o jogo de amanhã, quanto a existência de um qualquer problema físico. Porém, a pouco mais de 24 horas do jogo com a Juventus, a decisão do corpo redactorial do Serpa só poderia se aquela que de imediato foi escolhida para título: "William Carvalho deve falhar embate com a Juventus"!...

A notícia inventada pela "corja do Serpa" aparece depois rematada com aquilo a que os compêndios do mau jornalismo designam como o sustentáculo mais importante de toda  e qualquer especulação mentirosa, a sacramental verdade que todos conhecemos desde o jogo de Vila do Conde, anunciada sem pruridos ou tergiversações por JJ logo a seguir ao encontro: "já com problemas com as lesões de Mathieu e Piccini, o Sporting terá muitas dificuldades a superar a ausência de William Carvalho, se for caso para isso"!...

Obviamente "se for caso disso", não é Serpa?!... Anda rapaz, mete lá mais essa pazada de carvão na fornalha, que as alvíssaras de fim de mês não hão-de demorar muito a chegar-te à mãos pela via habitual!...

Já o Tristão da Silva cantava nos meus tempos de meninice...

"Da janela do meu quarto, vejo a luz do quarto dela"!...

Leoninamente,
Até á próxima

O Carnaval ainda vem muito longe!...


O "parsidente" tem razão: o cinzento será o mais indicado! Até que porque os regulamentos assim rezam! Sim porque Manchester não será propriamente Loulé e...

O Carnaval ainda vem muito longe!...

Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 29 de outubro de 2017

O "fair play" não se encomenda, não se ensina, não se espera, somente se vive... ou não!...



«JOGADORES DO BENFICA SÃO UNS MENINOS QUANDO JOGAM COM O SPORTING!»

«Infelizmente não abordámos o jogo da melhor forma, o Benfica foi muito superior a nós. Agora, o que eu não admito é a falta de respeito que este público teve para com a minha equipa, a gritar olés. Eu gostava que este público gritasse olés quando joga com o Sporting porque, infelizmente, os jogadores do Benfica são uns meninos quando jogam com o Sporting! Foi muito injusto o que fizeram aqui à minha equipa»
(Ricardo Canavarro, treinador do Futsal Azeméis, in A Bola)

Senhor Canavarro, o "fair play" não se encomenda, não se ensina, não se espera, somente se vive... ou não!...

Leoninamente,
Até à próxima

A minha vacina também dá pelo nome de "zapping"!...

Com quem é que joga o Sporting?

zapping

«Estava agora a fazer zapping e quando passei pela Sporting TV, reparei que estava a dar o "discurso do presidente do Sporting Clube de Portugal no núcleo do Sporting de Almoçageme". E continuei a fazer zapping.

No início, queria ver e ouvir tudo o que fosse discurso de BdC. Entrevistas, reportagens, discursos, sentia mesmo curiosidade em saber qual era o seu pensamento, o rumo que ele queria para o Sporting. Se não fosse em directo, fazia questão de o ouvir/ver em diferido. Não sei dizer desde quando (terá sido desde aquela entrevista à Sporting TV?) mas sei dizer que perdi aquela vontade "indispensável" de o ouvir...»
(Captomente, hoje às 20:42)


Não sei dos outros quase quatro milhões de sportinguistas. Nem me arrogaria sequer ao direito de pensar o que pensam que eu penso que eles pensam! Mas há uma coisa que sei: quanto mais vezes ouço, menos vontade tenho de ouvir! Acabou-se-me a pachorra...

A minha vacina também dá pelo nome de "zapping"!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 28 de outubro de 2017

Os deuses lá saberão o que andam a fazer!...



Imperdoável assistir a um treinador que, com a sua equipa embalada e bem próxima de conseguir alcançar o merecido empate com o líder da tabela classificativa, quando faltavam 15 minutos para o final do jogo, resolve fazer de uma assentada duas substituições que não lembrariam ao diabo, baralharam completamente as suas defesa e linha média  e de que resultaram, logo nos 5 minutos seguintes, dois autênticos "auto-golos" que terão salvado Sérgio Conceição do purgatório!...

Os deuses lá saberão o que andam a fazer!...

Leoninamente,
Até à próxima

Até quando durará a impunidade do "estado lampiânico"?!...


O insolente desplante das hostes da "seita lampiânica" chefiada por Osama bin Vieira, ao pretenderem colocar em causa a legalidade do golo de Bas Dost frente ao Rio Ave, uma situação absurdamente diferente que, no limite, será micrométrica para alguns, poucos, que poderão ter dúvidas, quando assistimos mais uma vez num jogo do pretenso glorioso, cuja glória será apenas estar no top da corrupção e da vigarice cá do burgo, a um lance que passou, miraculosamente "despercebido" tanto ao árbitro como ao VAR, como aquele que as imagens documentam com a desabrida e assaz recorrente  cacetada de Luisão a Luís Machado aos 50 minutos de jogo. Obviamente que Benfica TV nunca mais repetiu tal lance, face à incontroversa inconveniência do mesmo, mas as imagens retiradas e gravadas da imagem original da BTV, não deixam a mais pequena réstia de dúvida. O "padre do apito"  não poderia estar melhor posicionado, sem nada nem ninguém a perturbar a sua visão, mas o "império da corrupção escarlate" assenta exactamente na terrível escuridão que vai envolvendo, particularmente naquilo que lhe interessa, a responsável pelas transmissões televisivas, bem condimentada com as terríveis avarias técnicas no sistema que suporta o VAR, curiosamente apenas nos jogos do Benfica.

Até quando durará a impunidade do "estado lampiânico"?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Porca miséria tuga!...



O Porto acaba de ver homologados pela FIFA dois títulos de campeão mundial de clubes de futebol, na sequência da decisão do organismo máximo do futebol mundial de reconhecer como campeãs as equipas que conquistaram a Taça Intercontinental, entre 1960 e 2004.

Em 1987, a equipa da Invicta venceu em Tóquio o Peñarol, por 2-1, após prolongamento, e em 2004 voltou a conquistar a Taça Intercontinental, impondo-se aos colombianos do Once Caldas no desempate por grandes penalidades (8-7), após um empate sem golos no final de 120 minutos de jogo.

Mais de cinco décadas depois e varrido pelo vento o império da corrupção sustentado por Havelange e Blatter, a Justiça, embora tardia, não falhou...






Em Portugal o vento ainda não conseguiu varrer todo o tentacular "império de corrupção" que se instalou no futebol e enquanto uns somam títulos obtidos em "provas experimentais", a outros continua interdita a possibilidade de contabilizar os títulos alcançados com esforço, honra e dignidade, nas competições oficiais que sempre definiram os campeões, como muito bem rezam as primeiras páginas, títulos e crónicas da imprensa desses tempos, apagados à força com borracha vermelha em "noites de bruxas" das actas federativas e persistindo até aos dias de hoje apenas porque neste pântano de corrupção o vento continua ainda mais brando do que os costumes...

Porca miséria tuga!...

Leoninamente,
Até à próxima

É que a minha satisfação seria, obviamente, muito maior!...



Embaraçado, quase envergonhado, aqui estou a endereçar os meus mais veementes protestos junto dos deuses, pelo facto de Bas Dost não estar adiantado, no mínimo, mais meio metro!...

É que a minha satisfação seria, obviamente, muito maior!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Nem os deuses terão estado com todos os habituais suspeitos!...



Defrontar e levar de vencida no seu próprio terreno uma das equipas mais personalizadas e bem orientadas do nosso campeonato e que porventura praticará um futebol de tão fina água que muito poucas serão capazes de suplantar, representará para o Sporting um passo, quiçá decisivo, na persecução do objectivo mais importante de toda uma época.

Ao contrário daquilo a que de imediato e após o final do jogo, por aí vimos ser propagandeado pelos vários altifalantes da "central goebbelsiana escarlate", este triunfo não caiu do céu. Foi uma vitória muito difícil e escrita com muito suor, lágrimas e se não houve sangue de permeio, dor pelo menos não faltou, com as preocupantes lesões musculares de Mathieu e Piccini, porventura infelizmente afastados da próxima jornada da Liga dos Campeões, já na próxima terça-feira. Mas foi acima de tudo uma vitória merecida, porque obtida contra um valoroso adversário e não só...

Os suspeitos do costume também saíram do estádio dos Arcos derrotados. Jorge Sousa e João Capela revelaram-se incapazes e impotentes para cumprir os serviços mínimos que lhes haviam encomendado os também suspeitos do costume.

Nem os deuses terão estado com todos os habituais suspeitos!...

Leoninamente,
Até à próxima

"As pessoas têm de ser inteligentes para perceber o que está em causa"!...


«Não me revejo neste estilo. Já tenho 64 anos, só como bifes com nervo se quiser, só bebo mau vinho se quiser, só vejo maus jogos se quiser, só aturo pessoas sem nível se quiser. Tudo isso faz parte da minha maneira de ser. As pessoas têm de ser inteligentes para perceber o que está em causa.»
(Abrantes Mendes, in NotíciasaoMinuto, hoje há uma hora)

No meio do discurso demasiado confuso e de certo modo contraditório do doutor Abrantes Mendes, acerca do tema da actualidade, depois de espremer com empenho todo o sumo de tão azedo limão, apenas consegui aproveitar os pingos acima, que mal deram para que o copo de água meio cheio, ou meio vazio, consoante o prisma do observador, se assemelhasse a uma pobre limonada, sem açúcar, sem essência, sem nada!...

"As pessoas têm de ser inteligentes para perceber o que está em causa"!...

Leoninamente,
Até à próxima

Em equipa que ganha não se mexe!...



Jorge Jesus entendeu repetir a convocatória para Vila do Conde, que já havia decidido para o recepção do D. Chaves.

Atrever-me-ia a arriscar que a equipa com que alinhará de início no estádio dos Arcos, será exactamente a mesma com que avançou em Alvalade para defrontar os flavienses e que tão bons resultados deu. As mexidas será o próprio jogo a determinar...

Em equipa que ganha não se mexe!... 

Leoninamente, 
Até à próxima

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Acredito que o futuro o virá a confirmar!...


«SÓ QUEM TREINA COM JORGE JESUS PERCEBE O QUE REALMENTE É O TREINO»

«Só quem treina com Jorge Jesus percebe o que realmente é o treino. Aprendo muito com ele, acho que reduz o tempo de ensino ao jogador. Vejo como uma oportunidade para crescer e poder evoluir cada vez mais. [...] M
elhorei muito a nível táctico e técnico, tanto em termos defensivos como ofensivos. [...].

Continuem a apoiar o clube, são adeptos especiais, estão sempre presentes, mesmo em momentos difíceis. É um orgulho representar um clube com estas condições e com esta massa associativa.»
(João Palhinha, ao programa Porta 10 A da Sporting TV)

Dizem que mulher séria não tem ouvidos para tudo o que de menos próprio seja lançado para o ar em seu redor. Eu tenho a convicção que tal não acontecerá apenas com as mulheres e a abrangência deverá envolver toda a gente séria, mulheres e homens...

Penso que nenhum adepto sportinguista necessitará de um vídeo qualquer colhido no Youtube, para apurar a "versatilidade" comunicacional de Jorge Jesus. Bastará estar atento às transmissões dos jogos do Sporting e ao espectáculo que o técnico leonino invariavelmente nos oferece, cuja autenticidade subirá exponencialmente se atentarmos bem na linguagem labial e gestual. Uns criticarão, outros oferecer-lhe-ão sem reservas a candura da gente séria. Importante será que a sua mensagem técnica e táctica surta efeito e o Sporting alcance a vitória.

Haverá jogadores da nossa formação, sem que pretenda apelidá-los de menos sérios, que parecem sofrer um tremendo choque quando começam a trabalhar na equipa principal sob a liderança de JJ e em contacto directo com o seu temperamento destemperado ou, se quisermos, demasiado condimentado. Sem pretender defender Jorge Jesus, entendo como colossal esse tremendo erro, de se debruçarem sobre o acessório, sem conseguirem dar conta do verdadeiro compêndio que a vida lhes deu o privilégio de lhes colocar na sua frente.

Parece-me que João Palhinha, para além de inteligente, é um homem e atleta sério...

Acredito que o futuro o virá a confirmar!...

Leoninamente,
Até à próxima

Valham-te os deuses homem!...


VÁRIAS CENAS DE ENCANTAR

«Este espaço devia ser, hoje, exclusivo de nova fantástica conquista de CR7, pois ser pela quinta vez o melhor futebolista mundial é coisa de génios. Como ele. Ou Messi. Porém, com tantas outras histórias de encantar que polvilham o nosso futebol peço mil desculpas ao craque. Primeiro foram as buscas ao maior clube português, Benfica, e algumas das suas principais figuras, mas, como sempre tenho afirmado, deixo para a Justiça todas as decisões embora tudo o que envolve o caso faça aumentar o cenário de desconfiança. Seguiu-se a avaria (?) do VAR e com ela mil peripécias. Para que ninguém lavasse as mãos como Pilatos, não seria excelente a abertura de um exaustivo inquérito em defesa desta ferramenta fundamental para a verdade desportiva? Há empresas especializadas no assunto… Depois, as rábulas arbitrais. Fontelas Gomes (veja-se bem!!!), deixar de nomear, ele que ganha pouco para o fazer, a APAF (sabe-se lá quem decidiu) avança para a greve, o seu líder, Luciano Gonçalves, convida os comentadores a fazerem de árbitros – mesmo com ironia, não podia ter sido mais ridículo -, mas aquilo que os árbitros querem é mais 10 por cento em cima do que já auferem. O que dirão os enfermeiros… Com tudo isto alguém dá importância ao penta de Ronaldo?

O 25 de Abril garantiu-nos, constitucionalmente, um bem sagrado, entre outros: a liberdade de expressão. Assim, reafirmo o que já disse antes: o senhor presidente da FPF insinuou aos deputados que alguns de nós devem ser amordaçados. E eu não estou para ai virado!»
(José Manuel Freitas, À Minha Maneira, in Record, hoje às 17:27)

E depois os bilhetes, José Manuel?! Quem é que arranja bilhetes p'rós senhores deputados?!...

Valham-te os deuses homem!...


Leoninamente,
Até à próxima

"Há sempre alguém que resiste, há sempre alguém que diz não"!...



Com a devida vénia ao Mister do Café, descobridor do caminho digital para as "índias" de Fernando Gomes, fica por aqui um pequeno excerto das "velas" a que este senhor costuma recorrer para navegar nas águas turvas dos mares poluídos que serão o seu habitat natural e que lhe conferem toda a legitimidade e mais alguma para na Casa da República não ter pruridos de fazer as exigências que teve a hipocrisia, a lata e a pouca vergonha de fazer!...



Trova do Vento que Passa


Pergunto ao vento que passa/notícias do meu país/e o vento cala a desgraça/o vento nada me diz. 

Pergunto aos rios que levam/tanto sonho à flor das águas/e os rios não me sossegam/levam sonhos deixam mágoas. 

Levam sonhos deixam mágoas/ai rios do meu país/minha pátria à flor das águas/para onde vais? Ninguém diz. 

Se o verde trevo desfolhas/pede notícias e diz/ao trevo de quatro folhas/que morro por meu país. 

Pergunto à gente que passa/por que vai de olhos no chão/Silêncio - é tudo o que tem/quem vive na servidão. 

Vi florir os verdes ramos/direitos e ao céu voltados/E a quem gosta de ter amos/vi sempre os ombros curvados. 

E o vento não me diz nada/ninguém diz nada de novo./Vi minha pátria pregada/nos braços em cruz do povo. 

Vi meu poema na margem/dos rios que vão pró mar/como quem ama a viagem/mas tem sempre de ficar. 

Vi navios a partir/(Portugal à flor das águas)/vi minha trova florir/(verdes folhas verdes mágoas). 

Há quem te queira ignorada/e fale pátria em teu nome./Eu vi-te crucificada/nos braços negros da fome. 

E o vento não me diz nada/só o silêncio persiste./Vi minha pátria parada/à beira de um rio triste. 

Ninguém diz nada de novo/se notícias vou pedindo/nas mãos vazias do povo/vi minha pátria florindo. 

E a noite cresce por dentro/dos homens do meu país./Peço notícias ao vento/e o vento nada me diz. 

Mas há sempre uma candeia/dentro da própria desgraça/há sempre alguém que semeia/canções no vento que passa. 

Mesmo na noite mais triste/em tempo de servidão/há sempre alguém que resiste/há sempre alguém que diz não.
(Manuel Alegre, in 'Praça da Canção')

"Há sempre alguém que resiste, há sempre alguém que diz não"!... 

Leoninamente,
Até à próxima

"Pôrra para ti Bernardo"!...


COMEÇAR POR ALGUM LADO

«Percebo a preocupação de Fernando Gomes. É legítima, mesmo que pareça chegar tarde. Parece pedir ao Estado coisas que o futebol também pode resolver. Mas é verdade que todos já percebemos que as instâncias desportivas têm medo de afrontar os poderosos e que as palavras do líder da FPF encerram mesmo um pedido de ajuda.

Gomes tem razão em muito do que diz. As claques têm de ser legalizadas e é escandaloso como o IPDJ é gozado por grupos de adeptos organizados conhecidos de todos nós; as 88 interdições são demasiado poucas e explicadas com alguma brandura da polícia com as claques e da não aplicação da lei já vigente contra a violência; o curso para dirigentes é mais do que necessário, mesmo que os ensinamentos caiam em saco roto. O futebol também tem mecanismos para combater mas não tem força suficiente. Não me parece que seja necessária mais legislação. É preciso perder o medo de fazer cumprir as leis. E tirar aos grandes o controlo sobre algumas instituições do Estado.

Ideia perigosa é a de querer controlar o que é dito em programas de televisão. Também aqui há mecanismos para combater quem prevarica: chamam-se processos. Já tivemos quem gostasse de controlar o que podia ser dito, mas saudades de Antónios Oliveira, só no futebol. Apre.»
(Bernardo Ribeiro, Saída de Campo, in Record, hoje às 02:26)

Percebo a preocupação de Bernardo Ribeiro. É legítima, mesmo que peque pela grave omissão de não chamar os bois pelos nomes. Parece pedir aos leitores coisas que ele próprio poderia resolver, denunciando com coragem o que conhece de sobejo, em vez de sacudir a água do capote e recomendar-lhes que leiam nas entrelinhas. Mas é verdade que há muito todos já percebemos que, à excepção dos 14 milhões, uma grande fatia dos jornalistas cá do bairro têm medo de afrontar o Benfica e que os seus escritos mais não serão que pungentes e encapotados pedidos de ajuda.

Bernardo Ribeiro tem razão em muito do que diz. As claques têm de ser legalizadas e é escandaloso como IPDJ é gozado por grupos de adeptos organizados conhecidos de todos nós, as 88 interdições são demasiado poucas e explicadas com a demasiada e quase provocatória brandura da polícia com as claques do Benfica e da não aplicação da lei já vigente contra o monopólio da violência pelo Benfica; o curso para dirigentes é mais do que necessário, mesmo que os ensinamentos venham a cair em saco roto, lá para os lados da Luz. O futebol também tem mecanismos para combater. Mas não tem força suficiente para se opôr aos "donos disto tudo", o Benfica. É preciso perder o medo de fazer cumprir as leis. E tirar ao Benfica o controlo sobre todas as instituições do Estado.

Ideia perigosa é a de querer controlar o que é dito em programas de televisão. Também aqui há mecanismos para combater quem prevarica: chamam-se processos, desde que a Justiça não seja controlada pelo Benfica. Já tivemos quem gostasse de controlar o que podia ser dito, mas saudades de Antónios de Oliveira Salazar, só Fernando Gomes parece ter. Quanto ao "apre", apesar de o perceber, prefiro mil vezes dizer, porque estou em minha casa e marimbando-me para o poder dos DDTs e de todo o polvo escarlate, que vai fazendo do futebol o pântano a que chegámos...

"Pôrra para ti Bernardo"!...

Leoninamente,
Até à próxima

"Patria o muerte"!...



Che Gomes: "Patria o muerte"!...

Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Alguém me ajuda e permite que volte para uma adenda?!...


O ESSENCIAL E O ACESSÓRIO

«Muito se discutiu, esta semana, a falha nas comunicações entre a Cidade do Futebol e a Vila das Aves, a qual retirou de ‘acção’ o VAR a partir do minuto 66 do Aves-Benfica. E como o lance de toda a polémica ocorreu 13 minutos após este ‘crash’, não faltou quem tenha tentado desenhar, a partir daí, uma espécie de ‘teoria da conspiração’.

Isto é o futebol português no seu melhor. Discute-se o acessório horas a fio, dias a fio, por forma a ‘enterrar’ o essencial e assim o que verdadeiramente interessa não é abordado. A isto chama-se ‘spinning’. E há por aí muitos doutores desta prática comunicacional...

O VAR não julga, apenas ajuda na tomada de decisão final. Logo, o sistema não pode ser culpado, não pode servir de desculpa seja para o que for. Isso, repito, é discutir o acessório. Essencial, neste caso, é perceber como pode um árbitro assistente no futebol profissional, pago para estar a desempenhar aquela função, entender que o ostensivo empurrão de Jonas a Nildo Petrolina não feria qualquer lei do jogo. Colocado de frente para os protagonistas, a não mais que cinco metros de distância, entendeu que a acção era legal. Isto ou é muita incompetência ou qualquer outra coisa mais grave. Seja o que for, a decisão deste senhor, sim, devia ser analisada e punida, na nota e na ausência de jogos num futuro próximo.

Não fosse esta incrível má decisão do árbitro assistente e ninguém estaria a discutir se havia ou não VAR a funcionar naquele momento. Simplesmente porque ‘aquele momento’ deixaria de ter existido.»
(José Ribeiro, Opinião, in Record hoje às 18:38)

Concordando em absoluto com o tema e a crítica de José Ribeiro, compreendo que por questões jornalísticas - técnicas e deontológicas - a fotografia do objecto da "incompetência ou qualquer outra coisa mais grave" não tenha acompanhado a crónica.

Cansei-me em longa busca perseguindo o objectivo de chegar ao nome e imagem da criatura! Debalde o procurei, para por aqui o expôr, porque técnicamente e deontológicamente nada me impede, antes pelo contrário, de aqui deixar para memória futura o rosto da "incompetência ou outra coisa mais grave"!...

Alguém me ajuda e permite que volte para uma adenda?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Há ou não tomates na horta de Fernando Gomes?!...

A dúvida é se os tomates serão da sua horta...

Sempre se me afigurou no mínimo hipócrita, a posição da grande maioria dos árbitros de futebol e em particular da sua organização de classe, a inclassificável APAF, perante a decisão da FPF de implementar o vídeo-árbitro já nesta época que, após arranque envergonhado por parte dos juizes, agora decorre num sobressalto que sempre antecipei como expectável.

Numa primeira fase todos assistimos aos reflexos que a medida impõs nas pobres consciências reaccionárias da maioria dos árbitros: colaboracionismo q.b. mas sempre com bem camufladas reservas e na expectativa de poderem vir a alcançar mais tarde a vitória que quase todos desejam sobre as novas tecnologias que abominam e a recuperação dos antigos privilégios, compadrios e proveitos de que têm vivido de forma bem vísivel e corrupta ao longo de décadas.

Quem porventura acreditou na proactividade dos árbitros perante a introdução do VAR e no seu reconhecimento sobre o impacto positivo e utilidade que poderia determinar nas suas tomadas de decisão e, consequentemente no desejado aumento de credibilidade junto dos adeptos de futebol, que deveria ser o objectivo máximo da uma classe há décadas a viver nesse campo pelas ruas da amargura, bastaram nove jornadas para que chegasse a arrasadora desilusão. 

A princípio hipocritamente colaborantes e respeitadores dos princípio básicos que deveriam suportar o vídeo-árbitro, os senhores juízes têm vindo paulatinamente a cumprir o plano "maçónico" maquiavelicamente decidido nas catacumbas da classe, desvendado por Rui Costa e Nuno Almeida, sem medos, receios, pruridos ou tergiversações à nona jornada. Foi a aurora de um "estrebuchamento anunciado", logo seguido do pretenso "tiro de misericórdia", com a anunciada greve, para Novembro e Dezembro, aos jogos da Taça da Liga...

Quem os conhecer que os compre!...

Mas paradoxalmente a APAF, pese embora o "ensaio sobre a cegueira" com que parece ter contaminado a consciência do lider máximo na FPF, estará neste momento a correr o sério risco de se sujeitar à prova definitiva que Fernando Gomes, sem que alguma vez lhe tenha passado tal pela cabeça, talvez precisasse para afirmar a existência de tomates na horta da sua inocência: em vez de se andar a pavonear pela AR, por entre muitos daqueles que seguem religiosamente cartilhas semelhantes à da APAF, semeando ódios contra o dirigismo nacional, talvez fosse melhor começar a pensar em dar a machadada final na vertente siciliana da APAF, aproveitando a oportunidade única que se lhe depara, contratando árbitros estrangeiros para todos os jogos que eventualmente venham a ser objecto da "greve" anunciada! E todos ficaríamos a saber, para lá da fachada hipócrita que tem exibido, se...

Há ou não tomates na horta de Fernando Gomes?!...

Leoninamente,
Até à próxima

"Quo vadis futebol?! Quo vadis Justiça?! Quo vadis Portugal"?!...



Má jogada

Greve à Taça da Liga é a arbitragem a desconversar depois do Aves-Benfica

«Vamos lá tentar descrever a situação com o máximo de objectividade. O Benfica está a ser investigado por suspeitas de ter condicionado a arbitragem durante, pelo menos, algumas épocas. Anteontem, vinha de sete pontos perdidos em três jogos disputados para a Liga fora do Estádio da Luz que davam uma importância transcendental à visita à Vila das Aves. Nesta circunstância, o Conselho de Arbitragem entendeu que era sensato nomear Nuno Almeida, um dos oito árbitros (bem ou mal) mencionados nos emails que espoletaram a investigação ao Benfica. A partir desse momento, passava a ser, vá lá, provável que qualquer falha na arbitragem fosse entendida da pior maneira e tratada pior ainda. Para cúmulo, as comunicações com o videoárbitro caíram a quase meia hora do final do jogo, período durante o qual foi marcado um penálti, a favor do Benfica, em circunstâncias tão duvidosas quanto isto: os cinco ex-árbitros que analisam os lances para O Jogo, Record e A Bola entendem todos que ficou por marcar uma falta anterior a favor do Aves.

A sério que esta é a situação indicada para um apocalipse de indignação dos árbitros contra os críticos, ao ponto de anunciarem uma greve à Taça da Liga? Por ser um momento em que a arbitragem está cheia de razão? Os comentadores são mais culpados no caso que descrevi do que a arbitragem? Neste fim de semana, quais são os exemplos de comentários fora do habitual? Lamento não ter queda para sonso, mas a greve só pode ser entendida como aquilo que é: uma péssima manobra de diversão para moderar o impacto do Aves-Benfica e a deserção bizarra do videoárbitro, ainda por cima com a intenção descarada (e desnecessária) de prejudicar especificamente a Liga. No tão famoso "clima de ódio" que nos assola, onde encaixa esta guerra surda, e cada vez mais grave, entre a FPF e a irmã mais nova que gere o futebol profissional? São pancadas de amor?

Nota: FPF, Conselho de Arbitragem e APAF não percebem mesmo que, aos olhos dos adeptos, estão a escolher uma facção? E isso ajuda-os em quê?»
(José Manuel Ribeiro, Opinião, in O Jogo)

O director do jornal o Jogo está coberto de razão! A FPF, Conselho de Arbitragem e APAF, na sua tão conhecida quanto incompreensível e inclassificável missão de colocar o xaile sobre os ombros do Benfica, parecem a caminho de imitar o desesperado fim de quantos, inadvertidamente, se deixam envolver pelos perigos que representam as areias movediças de qualquer zona pantanosa: quanto mais de mexerem mais se vão enterrando!...

O pântano já todos o conhecem! Com emails ou mesmo antes deles, com investigação de faz-de-conta ou mesmo sem ela, com quase todos os OCS a assobiar para o lado ou com denúncias semelhantes às de JMR: os dirigentes actuais do Benfica, na maior das impunidades construiram-no meticulosamente ao longo de muitos anos e ele aí está, à vista de todos aqueles que recusam a promiscuidade de um "colossal ensaio sobre a cegueira"!...

Nesta caricata situação em que se torna evidente o falhanço total de todos os organismos de cúpula do futebol português, restar-nos-ia a esperança de ver actuar a Justiça que, contra todas as expectativas que a decência deveria impôr, parece também preparada para "enterrar a cabeça na areia"!...


"Quo vadis futebol?! Quo vadis Justiça?! Quo vadis Portugal"?!...

Leoninamente,
Até à próxima

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Amigo Max do Oeste, a "morsa" não tem cornos!...




Desconfio que a "morsa" ainda há-de vir dizer num dos seus próximos colóquios, que os assaltantes eram adeptos do Sporting!...

Amigo Max do Oeste, a "morsa" não tem cornos!...

Leoninamente,
Até á próxima

"Honni soit qui mal y pense"!...



CONSELHO DE DISCIPLINA RECUSA INQUÉRITO À FALHA DO VÍDEO-ÁRBITRO DO AVES-BENFICA (LINK)
Liga tinha pedido processo de averiguações

Fonte próxima do Zé Manel acaba de me confidenciar que só à décima terceira falha do VAR em jogos do Benfica ele promoverá o respectivo inquérito!...

"Honni soit qui mal y pense"!...

Leoninamente,
Até à próxima

A Taça da Liga fica bem entregue, como sempre!...



Pois é, no parir é que estará o  problema! Aos olhos da grávida e respectivos "familiares", a barriga pode parecer uma enorme e quase intocável montanha. Mas depois acaba por dar à luz um quase desprezível ratinho!...

Ó Sérgio, tem calma! Amanhã a pasquinada vai dizer que já não ganhas há uma eternidade, mas não te amofines! E podes dormir descansado... Em Novembro e Dezembro os árbitros até se vão baldar na Taça da Liga! Se calhar só arbitram os jogos do Benfica! E nesse caso...

A Taça da Liga fica bem entregue, como sempre!...

Leoninamente,
Até á próxima

É que na primeira qualquer cai, mas na segunda...


APITO ENCRAVADO

«A notícia inicial foi que os árbitros iam fazer greve aos jogos da Taça da Liga. Depois foi dito que era um boicote e agora é pedido de dispensa.

Esta singular iniciativa, merece óbvios comentários.

Em primeiro lugar, tenho dúvidas que se esteja perante uma greve legalmente declarada, nos termos do artº 531º do Código do Trabalho. Não foi decretada por nenhum sindicato, nem há notícia de plenário de trabalhadores que cumpra os requisitos legais.

Em segundo lugar, a soi-disant greve não visa a entidade patronal, outrossim terceiros, estranhos à relação laboral ou de prestação de serviços estabelecida; os promotores são bem claros, não está em causa a tabela salarial em vias de negociação com a Federação.


Assim, se árbitros houver que não se disponibilizem para apitar, ou não compareçam aos jogos para que foram nomeados, estão objectivamente a incumprir perante a sua entidade patronal, ou quem lhes paga à luz de outro tipo de relação contratual e sujeitam-se às consequência legais daí advenientes.

Se eu cumpro com as minhas obrigações, não vislumbro razões para a outra parte, que remunero, ficar dispensada de o fazer.

Diz a APAF que o boicote se destina a protestar contra o clima de asfixia e suspeição que grassa conta a arbitragem em geral e que, alegadamente, é fomentado pelos discursos incendiários dos dirigentes desportivos.

Não me custa nada a admitir que há dirigentes que excedem os limites do que deve ser a expressão do desagrado e da liberdade de opinião em Portugal. O resto, com a devida licença pelo prosaicismo, é treta.

Como em tudo na vida, uma pessoa só é respeitada, se se der ao respeito; e estas lágrimas de crocodilo da APAF têm muito que ver com rebates de consciência, fruto das suas reiteradas e importantes omissões.

Teria ficado bem à APAF, explicar que os árbitros receberem vouchers para almoçar no restaurante do Benfica, pode eventualmente não ser ilegal face aos regulamentos - eu pessoalmente acho que é - mas que do ponto de vista ético, é reprovável que um árbitro se alimente às contas de um clube, no quadro de uma gentileza que vai para além do momento temporal da prenda simbólica, que a equipa visitada e que gosta de receber bem, oferece.

O comunicado que, a propósito, a APAF emitiu em Janeiro de 2016, quando o assunto foi despoletado, é um modelo de aliviar para canto.

Ao contrário do que diz o Prof. César das Neves, há almoços grátis, só que não são inocentes.
O mesmo se diga dos meninos queridos ou da promiscuidade subterrânea entre ex-árbitros e dirigentes; não consta que a APAF se tenha dado ao trabalho de abrir um inquérito ou exprimir publicamente preocupação.

O ambiente contra os árbitros em Portugal não é bom, e estou de acordo, que, a bem da modalidade, este estado de coisas tem de ser alterado.

Só que os árbitros e a sua associação de classe, têm de estar na primeira linha o combate pela sua reabilitação, juntamente com outros agentes desportivos.

E não é pedindo dispensa que chegam lá.»
(Carlos Barbosa da Cruz, O canto do Morais, in Record)


Confesso que há já algum tempo e por via de recorrentes demonstrações menos elevadas de cavalheirismo e respeito pelo Sporting nas colunas que habitualmente assina no jornal Record, tinha colocado a figura do sportinguista Carlos Barbosa da Cruz no limitado rol de criaturas que aqui em Leoninamente estão destinadas a sofrer do mais profundo ostracismo. Estou certo que navegando nas cálidas, embora perigosas, águas em que costuma navegar, além de com toda a naturalidade ignorar de todo o pequeno atalho que aqui o poderia conduzir, mesmo que tal não correspondesse à realidade, o mais provável é que se marimbasse para tal facto. A história acabaria aí e cada um prosseguiria o seu caminho...

Mas a crónica que hoje fez publicar no jornal, conseguiu fazer retinir as campaínhas do meu orgulho de sportinguista e "obrigou-me" a trazê-lo de novo para a lista daqueles a quem, por obras valorosas, presto a homenagem de aqui trazer. Lá tive de voltar a reconstruir a imagem que aparece acima e, desta vez, com muito maior benevolência estética, tanto na postura, quanto na própria cor, luminosidade e contraste, de modo a "insuflar-lhe" aquelas características próprias de um leão. Sim porque ainda que mais de 14 milhões vejam como estulta esta minha convicção, o certo é que há uma diferença colossal entre as imagens de um sportinguista e as de outros adeptos quaisquer.

Tudo a propósito da excelente crónica que hoje assina e que eu gostaria de ter sido capaz de escrever, com o seu engenho, arte e conhecimento. Mas o seu a seu dono e o máximo que a mim me cabe dizer é que subscrevo vírgula por vírgula todo o seu texto...

Agora só espero que em futuras crónicas não volte a decepcionar-me e não me obrigue a voltar à primeira forma...

É que na primeira qualquer cai, mas na segunda...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE