segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Era o mínimo, não era?!...


Depois do "triste e degradante espectáculo" de ontem e uma vez que para o protagonista tudo não passou de "ruído" da blogosfera leonina e das redes sociais capaz de ser resolvido com um simples telefonema...

Era o mínimo, não era?!...

Leoninamente,
Até à próxima

A Bem da Nação!...




E agora?! Quantos meses demorará a excelentíssima doutora Cláudia Viana, digníssima presidente da Comissão de Instrutores da LPFP, a averiguar a veracidade deste documento público e a remeter as suas conclusões para o Conselho de Disciplina da FPF, onde o excelentíssimo doutor José Manuel Meirim, num prazo de 15 dias, proporá perante o Presidente da República a condecoração do excelentíssimo senhor árbitro Jorge Sousa, à medalha da "grã-cruz ao mérito desportivo" que o venerando Chefe de Estado há-de vir a impõr ao melhor árbitro português da actualidade, num qualquer próximo 10 de Junho!...

A Bem da Nação!...

Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 20 de agosto de 2017

Outro galo certamente cantaria ao Sporting!...


BRUNO FERNANDES FOI APOSTA GANHA

«A aposta em Bruno Fernandes para o encontro de Guimarães foi ganha por Jorge Jesus?

Sem dúvida. Além de marcar cedo um golo que ajudou a desbloquear um jogo que poderia ter-se tornado complicado para o Sporting, o médio contratado à Sampdoria transmitiu uma outra dimensão ao meio-campo ofensivo dos leões. Ocupa uma ‘fatia’ de terreno maior – do que Podence – o que lhe permite ser mais participativo no transporte do jogo atacante. E com a espontaneidade no remate que demonstrou na Cidade Berço vai, seguramente, marcar muitos golos esta temporada.

O Sporting vai ressentir-se na quarta-feira do desgaste provocado por um encontro tão intenso?

Não. Faltam quatro dias para a partida com o Steaua Bucareste, tempo suficiente para descansar e recuperar os índices físicos. Além disso, sem nunca baixar o ritmo, a equipa de Jesus soube descansar com bola, retendo-a, fazendo-a circular e não se aventurando em grandes ‘correrias’. O Vitória também ‘colaborou’ um pouco.

As alterações forçadas na defesa do Vitória facilitaram a tarefa dos atacantes leoninos?

É um facto. Sem poder contar com os castigados Josué e Vigário, Pedro Martins recorreu a Marcos Valente e Sacko, um lateral-direito adaptado à esquerda. Sem rotinas, a defesa vimaranense tornou-se presa fácil para o leão, que ainda ficou a dever vários golos a si próprio.»
(João Lopes, Interrogatório, in Record)

Contra factos e evidências nunca haverá argumentos! Se JJ pretendia provar algumas das falaciosas razões que ultimamente vinha invocando, com a fabulosa exibição de ontem em Guimarães Bruno Fernandes desfez em pó todos os argumentos. Pena que antes dele a outros talentos da Academia não tenham sido dadas oportunidades semelhantes...

Outro galo certamente cantaria ao Sporting!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 19 de agosto de 2017

E agora, pé na tábua para Bucareste!...



Uma exibição cuidada e pragmática, duas bombas de Bruno Fernandes, um bis à ponta de lança de Bas Dost e um golo de Adrien a culminar a jogada mais bonita do encontro da "cidade-berço", acabaram por evidenciar a grande diferença actual entre duas equipas que, naquele terreno, habitualmente proporcionam espectáculos de desfecho quase sempre imprevisível.

Um importante passo rumo à estabilidade tão desejada pela formidável massa adepta sportinguista e uma não menos imprescindível motivação para o decisivo jogo de quarta-feira em Bucareste.

Bruno Fernandes, colocado finalmente na sua posição natural - JJ poupou-nos à sua tradicionais "invenções" -, rubricou sem surpresa uma prestação para mais tarde recordar, cotando-se como o melhor em campo e, fazendo crescer água na boca aos gulosos adeptos leoninos, terá deixado um sério aviso a Fernando Santos: não existe neste momento nenhum 10 em Portugal capaz de o suplantar em qualquer das vertentes do jogo!...


Continua a saga de Rui Patrício ao conseguir manter por mais um jogo as suas redes invioladas e o Sporting regressou, para satisfação, descanso e tranquilidade dos seus adeptos e já com dois jogos disputados fora de casa,  a um lugar da tabela mais de acordo com as suas legítimas aspirações.

E agora, pé na tábua para Bucareste!...

Leoninamente,
Até à próxima

Chegará a mensagem ao IPDJ?!...



Em vez da "cartinha escarlate", um manual do que deveriam ser em Portugal as claques, como grupos organizados legítimos de um Clube respeitador e cumpridor da lei estabelecida!...

Chegará a mensagem ao IPDJ?!...

Leoninamente,
Até à próxima

"Quo vadis" Sporting?!...


Desbravando os insondáveis caminhos digitais da informação desportiva cá do bairro, não há dia em que não nos entrem pela porta dentro mais uns quantos alvos de Jorge Jesus, que parece andar em cada madrugada a distribuir pelas redacções "plantas novas" que depois ao longo do dia nos aparecem melhor ou pior plantadas, mais ou menos carinhosamente regadas e com a terra  bem ou mal aconchegada aos tenros troncos...

Depois de atingida a dúzia de contratações que já nos fizeram disparar exponencialmente esta temporada para um orçamento ainda há dois anos julgado inimaginável, aí estão, da esquerda para a direita, Gabriel Barbosa, Erdem Sem, Walace e Rafael Assis...

Tudo dependendo do resultado que vier a ser conseguido mais logo em Guimarães, amanhã, por essa razão ou por outras que a mente fértil de "sandokan" venha a inventar, tudo aponta para que o rol venha a engrossar!...

"Quo vadis" Sporting?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Ó Jorge, cala-te por uma vez, pensa e age!...


Arrisco: Rui Patrício; Piccini, Coates, Mathieu e Jonathan; Battaglia, Bruno Fernandes, Gelson e Acuña; Doumbia e Bas Dost.

Ó Jorge, cala-te por uma vez, pensa e age!...

Leoninamente,
Até à próxima

Reina a calma em todo o país e o resto é só fumaça!...



Os adeptos sportinguistas podem dormir descansados! A Champions decide o futuro de Jorge Jesus e os "incendiários do futebol" vão passar a ser fechados em casa no Verão!...

Reina a calma em todo o país e o resto é só fumaça!...

Leoninamente,
Até à próxima

"Branco mais branco não há"!...


SARAIVA DEVIA SER O ‘JUIZ’ DE BRUNO

«Ao fim de mais de 9 meses (!) foram conhecidos os castigos aplicados aos presidentes do Sporting e do Arouca, principais protagonistas do denominado ‘caso do túnel’: 6 meses e cerca de 12 000€ de multa para Bruno de Carvalho e 20 meses e aproximadamente 30 000€ de multa para Carlos Pinho.

A primeira nota vai para o tempo gasto pela ‘justiça desportiva’ (neste caso, Comissão de Instrutores da Liga e Conselho de Disciplina da FPF) para condenar 4 arguidos, entre os quais os referidos presidentes e absolver 2.

Não está em causa o tempo normal da tramitação processual; no caso concreto da configuração deste ‘caso’ (assente em imagens e testemunhos), 9 meses e pico constituem um grave revés à intenção da FPF, declarada por Fernando Gomes à entrada para o seu segundo mandato presidencial, de prometer programaticamente uma justiça mais célere, e para isso promoveu a substituição de Herculano Lima por José Manuel Meirim, no respectivo Conselho de Disciplina.

Parece claro que, em sede de instrução, não se fez tudo o que havia a fazer para que este caso pudesse ser decidido (pelo CD da FPF) muito mais rapidamente. No meio de várias aparições públicas não foi aduzido um único argumento que justificasse tanta demora. Consequência (para esta época)? CD da FPF… com mais poder.

Passemos agora à natura das decisões e respectivas reacções. Nenhuma surpresa nos castigos: o mais pesado para o presidente do Arouca, Carlos Pinho. Um castigo também ‘duro’ para o presidente dos ‘leões’, Bruno de Carvalho. Sempre defendi que ambos mereceriam ser castigados – e sem contemplações. Porquê? Porque aquilo que aconteceu em Alvalade foi grave e é um (mau) exemplo do que não deve acontecer entre agentes desportivos, principalmente quando estamos a falar de principais responsáveis de dois emblemas da competição profissional. E também porque o futebol português viu crescer, nas últimas épocas, o sentimento de impunidade perante várias situações de violação do fair play e do desportivismo, sendo necessário criar uma ideia firme de que a ‘justiça desportiva’ existe, age e pune, independentemente do nome, do cargo ou do emblema das personalidades.

É isso que, de resto, está a contecer na ‘era Meirim’. Perante um número inusitado de queixas e participações (não abonando em nada o regime de alguma moderação e respeito institucionais que deveria ser um ponto de honra entre os agentes desportivos), o CD da FPF está a fazer aquilo que tem de fazer: instaurar os respectivos processos. E como os arguidos, no futebol português, acham sempre que "o crime compensa", ou por omissão ou por dilação, não há outra forma de os fazer reflectir ou moderar os seus ímpetos a não ser através de castigos e penalizações.

O futebol português precisa de entrar noutro registo. E isso passa pela mudança de comportamento de presidentes e dirigentes, em primeiro lugar. O ‘fogo’ entre Benfica e Sporting atingiu proporções diabólicas na época passada e ainda lavra sem controlo; entretanto, o ‘fogo’ alastrou pelo território cobiçado por Benfica e Porto. Há inúmeros casos de ‘fogo posto’.

A terceira nota vai para a reacção do presidente do Sporting ao castigo imposto pelo CD da FPF. Mais uma fábula facebookiana a visar o "escuteiro-mirim" (nem sequer é original). Nenhuma surpresa, também. Como não foi surpreendente a reacção do director de comunicação, outro fabulista (vide conto dos gnomos), ao considerar "um absurdo" a decisão do CD federativo. E até propõe punições para quem tome medidas erradas. Não seria melhor propor que Saraiva fosse o ‘juiz’ de Bruno de Carvalho? Poupar-se-ia dinheiro (na criação de mais entidades) e, pelo menos no reino do leão, ficar-se-ia com a sensação de que ‘justiça’ funciona. É, aliás, a única forma de funcionar. 

O comportamento de Carlos Pinho foi aberrante, com diversas manifestações (provadas) que configuram lesão da honra e reputação, agressões e incitamento à violência; o comportamento de Bruno de Carvalho, particularmente no momento em que lança uma baforada de fumo ou vapor de água à cara do seu opositor, não justifica de modo nenhum a absolvição que o Sporting pretende – e é isso certamente que o TAD vai considerar. Alegar que esse momento se deveu a um encontrão do presidente do Arouca é mesmo achar que o futebol é o reino da fantasia. E, na verdade, é. Bruno de Carvalho sabe que, neste caso, não se pode agarrar a nada. A não ser ao ‘juiz’… Saraiva.

NOTA – Este caso ‘Franck Vargas’ (Ferreira Nunes) é mais um sinal daquilo que se joga ‘atrás do pano’. Vítor Pereira estava mesmo num colete de gesso.»
(Rui Santos, Pressão Alta, in Record)







"Branco mais branco não há"!...


Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Foda-se, levou tempo, mas valeu a pena, ganda Leon!...



Que todas as Senhoras sportinguistas e todos os Gajos Sportinguistas mais puritanos me perdoem o vernáculo, mas hoje vai mesmo assim:

Foda-se Cherba, bem vindo ao "clube dos poetas mortos pelo sofrimento"! Atingiste o teu limite de paciência?! Pois já vais tarde! Antes de ti e já de há muito tempo, ando eu a engolir sapos vivos e mortinho por mandar o gajo p'ró caralho, a fazer zapping de cada vez que as fuças do estupor me aparecem na pantalha!...

Ó Cherba, eu sempre respeitei muito e continuo a respeitar o "Leão" que há em ti. Mas creio que hoje será um dia histórico para o "clube dos poetas mortos pelo sofrimento", porque me parece que hoje me obrigaste  a mudar-te o nome! Deixarás de ser para mim "Leão" e passarás a ser "Leon"! "Leon Trotsky de Alvalade". Porque foste capaz de mandar o gajo p'ró caralho, como o outro mandou o Josef Stalin! 

Foda-se, levou tempo, mas valeu a pena, ganda Leon!...

Leoninamente,
Até à próxima

Deste talentoso e promissor "bando dos quatro" já nos teremos livrado!...




«A FPF republicou esta sexta-feira a classificação dos árbitros da época passada, fruto do recurso apresentado pelos quatro árbitros despromovidos: João Mendes, Tiago Antunes, João Matos e Jorge Ferreira.

Enquanto continua por analisar o pedido de Tiago Antunes, o Conselho de Arbitragem decidiu desde já publicar a lista com as rectificações entretanto feitas. Sendo verdade que as classificações de João Mendes e João Matos não sofreram qualquer alteração, mantendo-se por isso entre o quarteto de despromovidos, o CA acabou mesmo por mudar a nota de Jorge Ferreira, último classificado.

Uma alteração no total da pontuação, mas que não alterou o destino do árbitro, que continua a ser o pior classificado da temporada 2016/17, mantendo-se por isso entre os que desceram de divisão.

Recorde-se que os quatro árbitros apresentaram recursos à primeira classificação, tendo Jorge Ferreira alegado incompatibilidade de um dos técnicos que analisou os lances. Uma queixa à qual foi dada razão, levando, após nova análise, a uma ligeira melhoria da nota final. Ainda assim, insuficiente.» (LINK)


Quatro árbitros, quatro "histórias de vida", qual delas mais sórdida e "mirabolantemente" pintada de tons escarlate, que vão desde a estúpida ostentação perante capitães das equipas cujos jogos dirigem, de cronómetros com as asas ditas gloriosas da marca de origem, até à publicação impune de textos racistas, xenófobos e provocadores nas redes sociais dirigidos a dirigentes, jogadores e adeptos de equipas exteriores ao pálio das fervorosas procissões em que participam, verdadeiros e despudorados actos místicos de uma fé inabalável e fundamentalista que impunemente vai varrendo o putrefacto futebol português.

Mas os "crimes cometidos" terão atingido tais proporções esta época, que terá sido o próprio "sistema" que os integrou e promoveu, a bani-los com o vómito do desprezo por tanta incompetência, total ausência de integridade e inclassificável desfaçatez, em processos quase decalcados do universalmente conhecido e reconhecido por "beijo da morte" da poderosa Mafia italiana!... 

Deste talentoso e promissor "bando dos quatro" já nos teremos livrado!...

Leoninamente,
Até à próxima

Campeão no Sporting uma vez, campeão do Sporting para sempre!...



Campeão no Sporting uma vez, campeão do Sporting para sempre!

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Mesmo racionais, a coragem e a verdade nunca serão incómodas!...


JESUS, ZIDANE E PHIL JACKSON

«Qualquer adepto do Sporting não gostou do que viu na terça-feira. Com a qualidade do plantel, com o esforço na aquisição de jogadores, com a paixão dos melhores adeptos do Mundo, a equipa tem de dar mais. O zero não é opção e o que exibimos foi próximo do zero. Ter posse, e não materializar, não serve para nada.

Jorge Jesus, por culpa própria, tem vindo a perder a confiança dos sportinguistas. Não é que tudo esteja perdido, eu acredito que se vai ganhar a Bucareste, mas os sinais não são bons. O segredo do sucesso de uma equipa ganhadora é a dinâmica e a sua fluidez de jogo, o que temos à vista é uma máquina perra que não consegue esmagar um Steaua que nada tem a ver com o poderio dos tempos em que Nicolae Ceausescu o pagava.

É um grande treinador JJ, mas não tão grande como ele pensa, e tem de o provar nas competições europeias. E muito menos é maior do que as instituições que o contratam. Não pode desvalorizar os seus erros em discursos sem nexo, o Sporting é grande de mais para não ser exigente com os seus profissionais. Sim, exigência. Exige-se, exigência. Esta é a palavra que deve ser um mantra para os adeptos de todos os clubes, especialmente, no Sporting.

JJ já disse várias vezes que tira ideias de outras modalidades, pois bem, devia aprender alguma coisa com Phil Jackson. Deixo uma dica do treinador que ganhou 11 anéis da NBA, 6 com os Chicago Bulls e 5 com os LA Lakers: "Não é necessário lembrar que a profissão de treinador atrai um monte de malucos controladores que estão constantemente a lembrar que eles são o ‘macho alfa’ do vestiário. Ao longo dos anos eu aprendi que a abordagem mais eficaz consiste em delegar tanta autoridade quanto possível e fomentar as habilidades de liderança de todos. Quando consigo isto, não só a unidade da equipe cresce e se dá aos outros a oportunidade de crescer, mas o meu papel como líder também é fortalecido"

Aqui ao lado, em Espanha, vemos um homem sereno, com a tranquilidade de saber que é bom, que transpôs toda a sua classe, enquanto um dos melhores jogadores da história do futebol, para o banco, onde, em pouco tempo, já conquistou 7 títulos, incluindo duas Ligas dos Campeões. Um punhado de milionários galácticos respeita aquele homem, segue-o, como se ele fosse um mestre Zen, à imagem do já mencionado Phil Jackson, que era assim conhecido.

Não berra, não gesticula, motiva dialogando para que a individualidade exponencie o seu talento para o colectivo. Tem confiança nos seus homens, organiza, mas deixa que se soltem na sua genialidade, porque eles sabem o que têm de fazer e se mexer muito só vai incomodar. Zinedine Zidane já provou, quase em silêncio, sem salto alto e com humildade, que é grande treinador, mas, acima de tudo, um excepcional líder de balneário e condutor de homens. Que Jorge Jesus aprenda com ele também.»
(Rui Calafate, Factor Racional, in Record)

Por razões que se prendem com os seis já longos anos da existência de Leoninamente e que a minha modéstia me impede de para aqui trazer agora, liga-me a Rui Calafate uma grande, antiga e amiga admiração, temperada pelo destemperado amor que ambos dedicamos ao Sporting, embora nele reconheça sem dificuldade, o "factor racional" que cultiva sem esforço, enquanto em mim o vulcão da leoninidade vomita e espalha lavas incandescentes, quantas vezes excessivas e quase irracionais.

Foi por isso motivo de grande regozijo a sua "contratação" pelo jornal Record que, em certa medida, terá compensado a "dispensa" de Daniel Oliveira, outro "monstro" de sportinguismo e racionalidade. Porém, estou certo que ele me perdoará o facto das minhas expectativas terem saído de certo modo defraudadas nas primeiras partidas que o vi disputar no tabuleiro difícil e complexo do "xadrez de Record". E disso lhe dei conta directamente, verberando a debilidade do fio da sua navalha, que ao longo dos anos me habituei a ver inteligente, frio, cortante e implacável...

Hoje Rui Calafate devolveu-me por inteiro as expectativas que eu, leoninamente, havia criado, de ter o privilégio de ver equilibradas as forças que no meu jornal de sempre têm vindo a pender, quiçá infeliz e decisivamente, para a afirmação de uma hegemonia que Record nunca permitiu.

Sempre cáustico em relação à camuflagem dos afectos perseguida por uma boa parte dos jornalistas cuja causa deles me aproxima, hoje, por causa de Rui Calafate, "tocam os sinos na torre da minha igreja, há rosmaninho e alecrim pelo chão, na nossa aldeia que deus a proteja, temos mais gente na procissão"!... 

Bem haja amigo, por ter afiado a navalha e por me devolver a esperança!...

Mesmo racionais, a coragem e a verdade nunca serão incómodas!...

Leoninamente,
Até à próxima

Tropeçar no arranque não seria nada positivo!...


«Os primeiros jogos oficiais do Sporting esta época saldaram-se por duas vitórias e um empate e mostraram uma equipa sólida defensivamente mas com grandes problemas em criar oportunidades de golo – e em concretizar as poucas que tem criado. Seguramente que Jorge Jesus já identificou o que tem de mudar. Ou seja, Doumbia e Bruno Fernandes, nesta altura da época, tem de estar no onze inicial. De outra forma, arriscamo-nos a ter dissabores, porque os jogos não se ganham só com boas defesas – exigem também que se marquem alguns golos. Até agora sofremos zero golos e marcámos três, à média de um por jogo. Um campeão só o é com uma defesa de betão e a marcar, por jogo, uma média de 2,5 a 3 golos.

Contra o Desportivo das Aves fora fizemos um jogo enfadonho, mas seguro. O Aves não teve nenhuma oportunidade, quase não passou do seu meio-campo e quando o 0-1 se ameaçava arrastar até ao final, deixando sempre a dúvida se num lance fortuito não poderia surgir o empate, um mau alívio da defesa avense colocou a bola em Gelson Martins que não perdoou. Uma vitória justíssima, sem discussão, mas sem brilho.

Seguiu-se o jogo com o Setúbal e mais uma vez se constatou a solidez defensiva da equipa. O Setúbal não criou nenhuma oportunidade e passou sempre a ideia que a sua única ambição era sair de Alvalade com um ponto. Bruno Paixão, que já tinha perdoado um empate aos sadinos por uma falta na sua área sobre Coates, teve a coragem de assinalar um penálti indiscutível aos 87 minutos, que Bas Dost converteu. Ganhámos justamente por 1-0 mas ficou claramente a ideia de que estamos a ter enormes dificuldades em criar oportunidades de golo e, mais ainda em concretizá-las.

O jogo com o Steaua de Bucareste era um teste de maior exigência, mas mesmo assim desta vez, pensávamos nós, os deuses do futebol estavam connosco, tendo afastado da nossa frente, por uma incrível conjugação astral, as equipas mais fortes no play-off da Champions. Pois o jogo de terça à noite em Alvalade provou que temos um osso muito duro para roer se queremos entrar mesmo na Champions. E sim, como disse Jesus, é bom não ter sofrido golos. Mas é péssimo não os termos marcado. Sim, lá podemos marcar um. Mas se eles marcam dois, a jogar perante o seu público, que lhes dará um apoio fanático?

O que este último jogo confirmou foi que:

1) Piccini não é defesa direito para o Sporting. Esperemos que o Stefan Ristovski seja bem melhor. Mas já agora, não haverá na equipa B ninguém melhorzinho para o lugar do que o Piccini?! É que o Piccini, valha-nos Deus!;

2) o centro da defesa parece estar a tornar-se de betão e Mathieu é um grande, um enorme reforço. Corta, desarma, não inventa, vai à frente, puxa pela equipa e tenta mesmo o remate. Dou a mão à palmatória de novo: Mathieu é um excelente reforço;

3) do lado esquerdo, não se percebeu a aposta em Coentrão para o jogo com o Steaua. Se não estava em condições nem tinha sido convocado como é que aparece a jogar? E o certo é que mostrou que não estava em condições: não houve piques, centros de jeito, remates e foi pelo seu lado que os romenos podiam ter chegado ao golo numa bola que saiu juntinho ao poste direito de Patrício. Neste momento, Jonathan Silva está melhor que Coentrão e dá mais garantias;

4) no meio-campo, enquanto não sabemos se William fica ou não, sabemos seguramente que Adrien não está em forma ou então está com a cabeça noutro lugar. Longe da exuberância e da assertividade que já mostrou em épocas anteriores, Adrien está, neste momento, claramente abaixo da forma de Bruno Fernandes, que tenta mais e melhor o golo e que faz passes bem mais perigosos.

5) Finalmente, no ataque, eu gosto muito de Podence, mas até agora a sua eficácia em matéria de golos foi nula. Com Doumbia em campo, a defesa da equipa adversária está sempre mais em causa.

Por tudo isto, e por o Sporting estar num ciclo de jogos importantes (e o da Champions é decisivo) espero eu e todos os sportinguistas que Jesus não invente contra o Guimarães nem contra o Steaua em Bucareste. A equipa inicial tem de ser esta: Patrício; Piccini (que remédio…), Coates, Mathieu e Jonathan; Battaglia, Bruno Fernandes, Acuña e Gelson; Doumbia e Bas Dost. É o melhor onze que temos neste momento, o mais perigoso, o que pode causar mais estragos ao adversário, o que marcará golos sem qualquer dúvida. De outra forma, arriscamo-nos a começar a perder pontos em Guimarães e a dizer adeus à Champions mais uma vez. Bom, e se o William não for vendido, claro que entra de caras para o lugar de Battaglia e a música passa logo a ser outra.

Vamos repetir todos juntos para Jorge Jesus ouvir: sem Bruno Fernandes nem Doumbia não vamos lá!»
(Nicolau Santos, Tribuna Expresso)

Partilho na generalidade o pensamento de Nicolau Santos, embora prefira pintar os quadros de Cristiano Piccini e Adrien Silva de um cinzento moderado em vez do negro puro, duro e radical que utiliza. De qualquer forma serão, um e outro de braço dado com Daniel Podence, três cinzentos a berrar demasiado com as necessidades actuais da equipa. Amanhã poderemos ver o quadro alterado, mas neste momento não trocaria o certo pelo incerto...

Seja como for, a equipa não poderá repetir Alvalade amanhã à noite em Guimarães, sob pena de vermos criado um ambiente pouco conveniente, tanto para a deslocação à Roménia, quanto para a manutenção de um clima de esperança no nosso campeonato.

Tropeçar no arranque não seria nada positivo!...

Leoninamente,
Até à próxima

O leão comece sobre brasas!...



Leão começa sobre brasas

Nulo frente ao Steaua deixa o Sporting sob pressão logo no arranque da época

«Há uma boa e uma má notícia para os adeptos do Sporting lerem no nulo de ontem. A boa é que a equipa de Jorge Jesus é claramente superior à do Steaua e, por isso mesmo, perfeitamente capaz de resolver a eliminatória no jogo da segunda mão, agendado para a próxima quarta-feira. A má é que, tal como já tinha acontecido com o Vitória de Setúbal, voltou a sentir uma enorme dificuldade para materializar essa superioridade em golos. É evidente que, em Bucareste, o Steaua vai ter de procurar a vitória, o que obrigará os romenos a assumir outra postura, abrindo espaços onde ontem só havia obstáculos. E também é verdade que, tal como o treinador leonino fez questão de sublinhar no final do jogo de ontem, fora os golos valem a dobrar. Claro que primeiro é preciso marcá-los e Jesus ainda está à procura da melhor maneira para fazê-lo, com os consideráveis recursos que o Sporting lhe pôs à disposição, face a equipas que se encolhem à frente da respectiva baliza. E é preciso marcá-los, não só em Bucareste, mas antes disso em Guimarães, onde os leões se deslocam no sábado e onde a importância do play-off da Champions, decidido quatro dias depois, pode pesar de forma significativa tanto na cabeça dos jogadores como nas opções de Jesus. De resto, o histórico do treinador leonino não é exactamente o mais animador, pelo menos no que diz respeito à capacidade de gerir as exigências da Champions em simultâneo com as obrigações de um candidato ao título. Condimentos para uma semana escaldante em Alvalade, capaz de definir muito do que será o resto da temporada do Sporting.»
(Jorge Maia, Opinião, in O Jogo)

Haverá de facto, como acentua e bem Jorge Maia, duas preocupações de monta enraizadas no espírito dos adeptos sportinguistas:

1 - Jorge Jesus, quando as exigências do contexto actual de todo o desaconselhariam, "ainda está à procura da melhor maneira" de a sua equipa produzir o futebol suficiente para marcar os golos que lhe garantam o sucesso nesta fase crucial da época.

2 - O histórico de Jorge Jesus "não é exactamente o mais animador, pelo menos no que diz respeito à capacidade de gerir as exigências da Champions em simultâneo com as obrigações de um candidato ao título".

Razões mais do que suficientes para que, tanto em Guimarães, quanto em Bucareste e pese embora a esperança que reina nas hostes leoninas, Jorge Jesus nunca poderá enjeitar as responsabilidades de que...

O leão comece sobre brasas!...

Leoninamente,
Até à próxima

ABORTO JURÍDICO!...



E a longa gestação do "caso do túnel" terminou exactamente como sempre terá sido suposto terminar, dada a exagerada coloração  sanguinolenta com tendência escarlate do "saco das águas", em... (LINK)

ABORTO JURÍDICO!...

Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Esteja carregado de razão!...


OS PONTOS E A QUALIDADE

«Com apenas duas jornadas disputadas, identifico três equipas que me surpreenderam pela qualidade de jogo apresentada: Estoril (mais que todas), Portimonense e Chaves. Nenhuma delas tem mais de 3 pontos e outra nem sequer fez um empate. Mas já ganharam um espectador atento para o resto da temporada. Por outro lado, há duas outras equipas que somaram as duas vitórias (Sporting e Rio Ave) sem terem revelado nível de jogo tão elevado para o justificar. É assim o futebol. Não ganha, necessariamente, o conjunto que tem a melhor ideia ou plano de jogo mais interessante. 

O Estoril mostra-nos que é sempre mais fácil fazer bem com bons ‘ingredientes’. Pedro Emanuel conta com dois brasileiros que têm futebol para uma dimensão bem maior (Lucas e Allano) mas isso só se tornou visível tão rapidamente porque o treinador soube potenciar as qualidades da dupla.

O Portimonense traz-nos de volta o bom jogo de transições ofensivas: rápidas, assertivas, e bem planeadas. Não organiza tão bem com a bola nos pés quanto o Estoril. Tem outras ideias e Vítor Oliveira explora-as bem. 

O Chaves perdeu em Guimarães por erros primários no momento defensivo. Tem uma abordagem positiva ao jogo e sabe o que fazer quando em posse de bola. Futebol desta qualidade, mais semana menos semana terá os pontos merecidos. Quem joga assim está sempre mais perto da vitória.

PS. Permitam-me uma antevisão: ou o Sporting resolve de vez a contradição do seu jogo ou arrisca uma época idêntica à de 2016/17.»
(José Ribeiro, Opinião, in Record)

Sobre a antevisão de José Ribeiro para a época do Sporting, receio bem que...   

Esteja carregado de razão!...

Leoninamente,
Até à próxima

Ficam rejeitadas liminarmente, apoio, fé ou esperança!...

>>> ????????? <<<

Numa única palavra, qual a melhor legenda para a imagem do banco leonino em Alvalade, recolhida  no decorrer do primeiro jogo do "playoff"?!...

Ficam rejeitadas liminarmente, apoio, fé ou esperança!...

Leoninamente,
Até à próxima

Mais depressa se apanha um mentiroso que um coxo!...


FALTOU DINÂMICA PARA DERRUBAR O MURO

«Como se explica a incapacidade do Sporting em entrar nas zonas centrais?

O Sporting entrou amorfo, sobranceiro e sem a intensidade e dinâmica que um jogo da Champions exige. Podence foi um ‘corpo estranho’ na estratégia ofensiva de Jesus, mostrando imensas dificuldades em fazer a ligação entre o ataque e o meio-campo. A equipa melhorou com Doumbia, mas não foi suficiente...

A ausência de William pode explicar a falta de dinâmica do meio-campo?

William é essencial na forma como ocupa os espaços intermédios e, acima de tudo, como lança a equipa em movimentos de rutura. Battaglia consegue segurar as rédeas em termos defensivos, mas está longe de dar a mesma rotação do camisola 14.

A Taça das Confederações ainda se ‘faz sentir’ nas pernas de Adrien e Gelson?

Estão ainda à procura da melhor forma física e o Sporting ressente-se disso, especialmente nas transições. Além do mais, relativamente ao lado direito, ficou ontem mais uma vez provado que Piccini não tem qualidade para ser jogador do Sporting, quanto mais um dos titulares...

Qual o objectivo de Jesus em fazer ‘bluff’ com a presença de Fábio Coentrão?

Nenhum. Esta ‘táctica’ faz lembrar os anos 90, em que se usavam ‘truques comunicacionais’ para tentar ludibriar os adversários, num tempo em que a comunicação era escassa e limitada. Fazer isto em 2017, com um lateral, frente ao Steaua, em Alvalade... Simplesmente incompreensível!»
(Alexandre Carvalho, Interrogatório, in Record)


Quatro importantíssimas questões que, a juntar a muitas outras de igual ou mesmo superior relevância, hão-de ficar sem resposta perante uma evidente e inegável cristalização de processos e ideias de quem se julga imune a críticas e capaz de com papas e bolos enganar a legião de tolos cujo amor ao Sporting obriga a ver vestes sumptuosas num rei que passeia jactante a sua nudez por entre a decepcionada multidão leonina. Mas ai de quem julgue incurável tamanha "cegueira"!...

Mais depressa se apanha um mentiroso que um coxo!...

Leoninamente,
Até à próxima

It's definitely a big shit!!!...



Quando o responsável técnico máximo de um clube de futebol da primeira linha de qualquer país na Europa, para mais campeão europeu de selecções em título, começa a ser alvo da chacota e do anedotário nacional, seja pelos resultados que clara e comprovadamente não consegue alcançar, seja pelos suas continuadas e sistemáticas bacoradas comunicacionais, ou ainda pela estúpida, atribiliária, gongórica e inconsequente jactância exibida, só um milagre do tamanho do mundo ou inexplicáveis razões de ordem muito pouco transparente, impedirão que seja mandado pregar para uma outra freguesia, de um outro mundo muito distante das responsabilidades que ora lhe estão cometidas.

Assume contornos de absurdo e imperdoável o que ontem aconteceu e foi dito em Alvalade! O copo transbordou e já nada mais resta ao Sporting que o caminho das pedras!...

Com a devida vénia, subscrevo inteiramente e reforço convictamente as palavras deixadas por Rui Monteiro, em "A insustentável leveza de Liedson" (LINK):

"It's All Shit"

«A bola chega ao Patrício e todos sabemos o que vai acontecer. A bola vai para o Coates e todos sabemos o que vai acontecer. E podíamos continuar por aqui fora. Nós sabemos e os adversários também. O pior é que os jogadores também sabem. A maior parte deles leva a bola para o ataque como quem vai para o cadafalso. Na cabeça deles devem passar coisas como: “lá vamos nós outra vez fazer o costume que, como de costume, não vai dar em nada".

Se o treinador não consegue inventar mais nada, se o futebol do Sporting continua cada vez mais na mesma, então os jogadores que se revoltem e passem a inventar. Este tédio é que não se aguenta. Estou como o Iggy Pop no “It’s All Shit”.

"If it walks like shit
Talks like shit
It must be shit

If it feels like shit
Tastes like shit
It must be shit

If it looks like shit
Sounds like shit
It must be shit

If it smells like shit
Tells like shit
It must be shit"

(Um derrota contra o Guimarães e outra contra o Steaua de Bucareste e estamos na casa de partida só que, agora, não recebemos um Leonardo Jardim)»

It's definitely a big shit!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

O nível do Sporting andará muito próximo da relva!...




Acredito no desespero de Bas Dost e partilho-o convicto e decepcionado!...

O nível do Sporting andará muito próximo da relva!...

Leoninamente,
Até à próxima

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Com um "pack" completo!...


Já se havia notado numa boa parte da época passada, voltou a manifestar-se já esta época na Vila das Aves contra o Desportivo local, tornou a sentir-se quase desesperadamente em Alvalade contra o Vitória e hoje ter-se-à manifestado decisivamente com o Steaua de Bucareste: falta ao Sporting um "danoninho" para ser "grande, tão grande como os maiores da Europa"!...

De um modo geral faltará um "danoninho" a cada um dos leões que hoje pisaram, perante mais de 46 mil adeptos, o magnífico relvado de Alvalade, obviamente com Jorge Jesus incluído. Mas talvez seja de obsequiar muito particularmente e com dose dupla, Acuña, Gelson, Podence, Adrien, Bas Dost e Bruno Fernandes, todos eles protagonistas de momentos do jogo em que, com a dose certa de "suplemento alimentar", teriam despachado o Steaua para Bucareste com a mala bem aviada...

Claro que Jorge Jesus precisará mesmo e com muita urgência, de se alambazar sózinho...

Com um "pack" completo!...

Leoninamente,
Até à próxima

Não me lembro de mais nenhum!...


COMO ALIMENTAR O BICHO

«Uma das coisas que Alex Ferguson sempre quis durante os quase 27 anos que orientou o Manchester United foi ter no plantel maus perdedores. Os tais 'bad losers', entre os quais se incluiam futebolistas como Gary Neville ou Roy Keane, eram garantia que a equipa nunca estava acomodada, que nunca se resignava perante as dificuldades e mantinha sempre intacta a sede de vencer.

Este é também um dos trunfos do Benfica. O clube soma quatro triunfos consecutivos no campeonato, mas conta com uma mão-cheia de jogadores com um alto espírito competitivo e habituados a lidar com a pressão. Rui Vitória falou, antes da estreia no campeonato, em "bicho competitivo". Algo que só se consegue quando se juntam na mesma equipa futebolistas como Luisão, Jardel, Fejsa, Salvio, Pizzi ou Jonas.

Por isso, e apesar de (ainda) não ter preenchido devidamente as lacunas no plantel, em especial com a saída de Ederson, o Benfica deve ser sempre olhado como o alvo a abater pelos rivais. A vitória em Chaves foi obtida nos descontos e de forma algo feliz, mas resultou de uma preserverança e sangue frio próprios de quem anda nestas lutas há muito tempo. Quantas equipas em Portugal conseguiriam marcar um golo daquela forma e naquele momento?

O próprio Jorge Jesus já falou várias vezes da necessidade de dar mentalidade de campeão ao Sporting. O técnico sabe bem qual foi um dos trunfos que teve - por mérito próprio - na Luz, em especial nos dois últimos campeonatos que venceu.»
(Sérgio Krithinas, Bloco Baixo, in Record)


De palavras muito bem pinceladas e capazes de embelezar o sórdido quadro que a pasquinada se atropela para colocar diariamente nos escaparates, estará a grande maioria dos adeptos sportinguistas, saturada, farta e enojada quase até ao vómito!... 

Com meia dúzia de dias de ambientação aos corredores de Alvalade e aos relvados da Academia, é vulgar depararmos com hinos, aleluias e louvaminhas de exaltação vindas de um qualquer "projecto de leão", ainda caloiro nas andanças leoninas. E os adeptos, logo correm pressurosos a apanhar as canas de tão "falsos foguetes", quantas vezes sem medirem os perigos que correm de alguma bomba por explodir lhes rebente nas mãos!...

Ainda há dias um desses "projectos de leão" afirmou o seu terrífico constrangimento perante o erro, pelo medo que lhe infundia um qualquer reparo "berrado" alto e em bom som, audível até nas bancadas, de Peter Schmeichel!...

Pois é! O grande Peter Scmeichel era um "bad loser"! E por isso, não estando sozinho, porque muitos outros "bad losers" o acompanhavam então, foi campeão logo no ano de estreia no "velhinho" Alvalade! E desde então, quantos "bad losers" terão passado pelo "novíssimo" Alvalade?! E quantas vezes fomos campeões sem "bad losers"?!...

Se calhar, para além de Ricardo Sá Pinto, embora pedindo antecipadas desculpas por alguma injustiça que a minha já fraca memória me esteja eventualmente a obrigar a cometer ...

Não me lembro de mais nenhum!...

Leoninamente,
Até á próxima

Sempre aplaudiremos bem mais as obras que falam em vez das palavras!...





Principio de acuerdo por Marvin Zeegelaar

Escrito por ElDesmarque

Martes, 15 Agosto 2017 16:23

«Marvin Zeegelaar es el lateral zurdo elegido por el Sevilla para convertirse en el complemento de Escudero en la defensa. El holandés de 27 años y todavía jugador del Sporting de Portugal está muy cerca de convertirse en nuevo jugador del Sevilla. Los de Nervión pagarían por el defensor tres millones de euros.

Según ha podido saber ElDesmarque, tanto la entidad lisboeta como la sevillana tienen un principio de acuerdo para que Zeegelaar recale en el Sevilla las próximas temporadas. 

El aún sportinguista cumplió 27 años el pasado sábado y puede jugar también como extremo izquierdo. Ha sido convocado en dos ocasiones con la selección holandesa, pero no llegó a debutar.
Además, hay otro dato que acerca a Zeegelaar al Sevilla, y es que el futbolista no ha entrado en la convocatoria para el partido de ida del play off de la Liga de Campeones, que el Sporting jugará este martes ante el Steaua de Bucarest. Al equipo lisboeta ha llegado el exmadridista Fabio Coentrao y de momento el puesto de titular le corresponde.

Zeegelaar no entra en los planes del entrenador del Sporting y lleva varias semanas entrenando fuera del grupo.» (LINK)

Tendo ingressado no Sporting Clube de Portugal, na abertura de Inverno do mercado, em finais de 2015, com o clube de Alvalade ao pagar qualquer coisa à volta de 400 mil euros ao Rio Ave, onde ao longo de época e meia havia dado nas vistas, disputando 52 jogos e marcando 4 golos, Marvin Zeegelar não conseguiu ao longo da época e meia que vestiu de verde e branco impressionar nem o treinador que aconselhou a sua contratação, nem os adeptos leoninos, nos 39 jogos em que alinhou de leão ao peito, tendo marcado apenas um solitário golo em todo esse tempo. 

Colocado por JJ na lista das dispensas no final da temporada que há pouco terminou, a confirmar-se esta notícia avançada há pouco pelo portal espanhol ElDesmarque, ficará encontrada uma excelente solução, nomeadamente em termos económicos, tendo em conta que o valor de mercado se aproxima actualmente o valor que é apontado para a transferência, para um dos muitos casos que no Sporting ainda permanecem sem solução à vista

Sempre aplaudiremos bem mais as obras que falam em vez das palavras!...

Leoninamente,
Até à próxima

Agora até o canivete suiço lhe puxa as orelhas!...


O outro já é dono das maiores orelhas do pântano e este sonso começa a ameaçar-lhe o recorde! Já não chegavam os bruxos, os padres, as morsas, os texugos nauseabundos e quejandos...

Agora até o canivete suiço lhe puxa as orelhas!...

Leoninamente
Até à próxima

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Todos juntos, todos unidos, conseguiremos!...


Todos os sportinguistas desejam poder guardar para toda a época a recordação deste "playoff"! Jorge Jesus e os nossos leões sabem-no bem!...

Todos juntos, todos unidos, conseguiremos!...

Leoninamente,
Até à próxima

Coloca os dois joelhos na relva!...


Vá lá rapazito, vê se começas a treinar como deve ser e deixas de ser novamente o maior flop escarlate da Liga portuguesa (LINK)...

Coloca os dois joelhos na relva!...

Leoninamente,
Até à próxima

Recuso assomar ao limiar dessa pocilga!...


AUTOCARRO QUE VEIO DO BONFIM

«Não vou arranjar desculpas para a ansiedade que o último jogo do Sporting contra o Vitória de Setúbal causou aos adeptos em Alvalade. O Sporting podia e devia ter sido mais eficaz, a benefício da saúde cardiovascular dos seus sofredores (a vitória só chegou de penálti a dois minutos do fim), mas essa é outra conversa.

O tema desta crónica é apenas este: mentalidade desportiva. E a questão é a seguinte: qual o racional de uma equipa com os pergaminhos do Vitória de Setúbal se apresentar na segunda jornada da Liga, em Alvalade, com uma postura ostensivamente retranqueira, fazer cerca de 30 faltas no jogo e abdicar de qualquer ideia de ataque?

Com isso não ganhou o futebol. Nem o Vitória. O futebol porque, por força desta postura, o jogo acaba por ser entediante, de sentido único e diminuído na sua emoção. O Vitória, espartilhado na sua obsessão de linhas baixas, deixou uma pálida impressão daquilo que legitimamente dele se esperava.

É por estas e por outras que a Liga portuguesa fica distante da inglesa ou da alemã, onde um jogo como este, mesmo entre equipas desniveladas, dificilmente teria lugar. Isto porque no quadro daquilo que se deve entender por boas práticas desportivas, prevalece o conceito de espectáculo, entendido como um esforço comum para o melhor desempenho possível, em benefício de quem assiste e quem paga.

Não é que condutas como o autocarro, o queimar de tempo, as faltas ditas cirúrgicas, as simulações, não existam, mas a sua frequência é muito inferior aos hábitos nacionais e sobretudo há a convicção que são expedientes nocivos para o espectáculo.

Ou seja, aquilo que muitos por cá qualificam de esperteza, outros consideram fraqueza.

Em Portugal joga-se e depois, se possível, vem a nota artística. Nos encontros de futebol em Inglaterra, por exemplo, a nota artística é uma procura permanente, independentemente do resultado.

É preciso perceber que aquela coisa que um comentador mais esclarecido denominou, com propriedade, de "futebol de contenção" e que por estas paragens tem tantos devotados cultores, retira o que este tem de mais excitante: o tempero que faz com que gostemos das coisas.

Futebol sem tempero é como comida de dieta: come-se, mas não deixa saudades!»
(Carlos Barbosa da Cruz, O canto do Morais, in Record)

Julgo e tenho a quase certeza de que não estarei errado, que por razões que, embora muito legitimamente, só ao autor deverão dizer respeito, não foram chamados nesta sua crónica "os bois pelos nomes"!...

Mas todos aqueles que já vêem futebol há muitos anos e conhecem minimamente o porquês de certas coisas, não terão qualquer dificuldade em atirar para cima da região lombar do treinador do Vitória a quase totalidade das culpas da mais sórdida negação do futebol que na sexta-feira foi apresentado aos mais de 42 mil espectadores que pagaram o seu bilhete para estarem em Alvalade e sairem autenticamente ludibriados, roubados, vigarizados! Obviamente que poucos terão dúvidas em saber de onde partiu a desonestidade e todas, mas mesmo todas  e serão muitas, as razões que a sustentam. Carlos Barbosa da Cruz deixou-o subentendido, talvez por respeito ao Sporting Clube de Portugal! E eu, do mesmo modo, fico-me por aqui!...

Recuso assomar ao limiar dessa pocilga!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE