segunda-feira, 22 de outubro de 2018

E esta, hein?!...


A importância de ser estável


«O Centro Internacional de Estudos do Desporto de Neuchâtel, criado em 1995 num esforço conjunto da FIFA, da universidade daquela cidade suíça e de entidades públicas locais, tem dado um contributo relevante para a compreensão do fenómeno desportivo e em particular do futebol, usando uma abordagem multidisciplinar.


Este ano o CIES tem dedicado uma atenção especial à questão da estabilidade dos plantéis e ao seu impacto na competitividade das equipas e dos campeonatos. Sem surpresa, este tem sido um factor-chave e Portugal não faz boa figura. 

O CIES analisou a percentagem de novos jogadores nas equipas da divisão principal de 31 federações da UEFA entre 2009 e 2017. A primeira conclusão é que a rotação tem vindo a aumentar. Se no primeiro ano as equipas tiveram menos de 37% de caras novas, no último foram 45%. 

Imagine o leitor que perto de metade dos seus colegas de trabalho mudava a cada ano. Certamente não haveria monotonia, mas será que existia um forte espírito de equipa e coesão? São laços que precisam de tempo.

A instabilidade do plantel em Portugal é a segunda mais elevada entre os países europeus considerados (52%), melhor apenas que o Chipre (57,7%) e pior que a Bulgária (51,3%).

Há casos piores. O recordista, o Diyarbakirspor da Turquia, mudou 96,4% da equipa em 2009. No fim da época desceu de divisão. No extremo oposto está o finlandês FC Honka, que manteve o plantel igualzinho em 2010. Terminou em quarto.

O estudo do CIES indica que as equipas com os plantéis mais estáveis têm também melhores resultados desportivos. Os campeões nacionais apresentam em média uma rotação de 34%, menos 7,2% que os restantes clubes.

Outra abordagem usada é o tempo médio de permanência dos jogadores na primeira equipa dos clubes. Nesta época só três passam os cinco anos: Real Madrid (5,84), Barcelona (5,36) e Bayern Munich (5,26): todos de primeira água. No top 20 estão essencialmente equipas espanholas, alemãs e inglesas.

São as ligas com maior poder financeiro e logo com maior capacidade de reter os melhores por mais tempo. O que, por sua vez, contribui para os seus elevados índices competitivos. Outra vantagem é a possibilidade que isto dá de planear a longo prazo.

No ranking nacional o melhor posicionado é o Benfica, com 3,01 anos, depois o Porto (2,35), seguido pelo Portimonense (2,31). O Sporting está bem mais distante, com 1,07 anos, um registo agravado pelas rescisões. Há clubes onde a média não chega a um ano: é o caso do Aves, Setúbal, Belenenses e Moreirense.

A questão financeira é determinante. Para os clubes portugueses é difícil conseguirem números próximos dos melhores da Europa porque a venda de passes é fundamental para compor as contas e não agravar os enormes desequilíbrios acumulados.

O dinheiro, sempre o dinheiro. Casos há, e isso é salientado no estudo, em que a elevada rotação de jogadores se deve à corrupção, sendo uma forma de possibilitar a distribuição de comissões.

O caminho é claro: criar condições para ter plantéis mais estáveis e, por isso, mais competitivos.

Nota final: a investigação do CIES também mostra que os treinadores que mais mexem na composição das equipas ao longo da época tendem a ter piores resultados.»
(André Veríssimo, director do Negócios, Linha de Fundo, in Record)

Como diria o saudoso Fernando Pessa...

E esta, hein?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Quem pagará as munições à Judas?!...



A brilhante estratégia financeira de Varandas para poder pagar ordenados (que segundo dizem, já deixou de pagar às modalidades) é vender Gelson ao preço do desespero... Se JMS não se tivesse demitido e desencadeado a crise financeira do SCP, pelas dúvidas e instabilidade criadas à CMVM, que levaram a q um empréstimo obrigacionista de 60 milhões prestes a ser concluído caísse, hoje o SCP não estaria assim. Mas o que interessa é que está tudo de saúde... Com excepção do clube que está a agonizar...


Com a devida vénia ao Sporting Sempre e apenas uma dúzia de dias depois da primeira "morteirada" lançada pelo Zé Maria sobre os céus de Alvalade, que se desejariam, finalmente, eivados de paz e união entre sportinguistas, fartos de suportar vergonhas e guerras intestinas, eis que de novo o silvo dos obuses irrompeu de surpresa sobre as nossas cabeças, num ataque perpetrado por uma legionária recentemente expulsa das nossas trincheiras e cujo conceito de vergonha deveria ser suficiente para lhe impôr o decoro da mudez eterna...

Todos os sportinguistas reconhecerão que o canhão será, segundo a sua natureza, ela própria! Mas sobrar-nos-à sempre a dúvida, pela triste indigência em que sempre viveu e a conduzia à quotização eternamente atrasada...

Quem pagará as munições à Judas?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Criar e alimentar o hábito da indecisão!...


A entrevista de Sousa Cintra (II)

R: Deu a Peseiro tudo o que ele pediu?

SC – Tudo. Ele fazia a leitura dos jogadores. Mas perdia muito tempo a analisar. Via, via, serve, não serve, houve ali alguma falta de decisão. Tenho enorme respeito pelo treinador, mas na escolha dos jogadores houve muita indecisão. Sim, depois não, depois sim, não, talvez…

R: Ele terá visto 300 jogadores.

SC – Pois, está a ver… Foram muitos, se calhar de mais. Poderíamos ter outro plantel, apesar de este ser bom.

R: Faltou o avançado…

SC – Faltou. Tivemos praticamente contratado aquele que jogou com o Benfica. Até lhes marcou um golo.

R: Prijovic, do PAOK?

SC – Sim. Tivemos as negociações muito adiantadas. Esteve para vir. O Peseiro disse primeiro que sim, depois não, e no fim até disse que ele nem sequer iria para o banco.

R: Mas como é que identificou esses jogadores?

SC – Tenho um amigo que conhece tudo do futebol, o dr. Pedro Pires. É uma enciclopédia. Sabe a história do Sporting tintim por tintim e conhece jogadores. Trocava impressões comigo e com o Peseiro. Mas houve muitas hesitações e perdemos dois ou três bons jogadores. As coisas são como são e eu também queria que ele apostasse na prata da casa..

R: Miguel Veloso esteve para voltar?

SC – Não falei com ele, mas sei que viria. O Fábio Coentrão também poderia ter voltado.

R: Todos os que vieram foram escolhas de Peseiro?

SC – Claro. Não ia contratar jogadores que o treinador não queria.

R: Não se sentiu condicionado, sabendo que ia ficar três meses, ao contratar jogadores por 5 anos?

SC – Não, nada. Estava a comprar jogadores de selecção, não eram jogadores de meia-tigela.


As decisões trazem sempre consequências: uma boa parte poderão resultar como boas, mas inexoravelmente algumas hão-de revelar-se funestas! Já as indecisões, essas dificilmente poderão anunciar algo de bom! A indecisão será quase sempre fatal! Pior do que tomar uma decisão errada, será...

Criar e alimentar o hábito da indecisão!...

Leoninamente,
Até à próxima

Gratidão!...


A entrevista de Sousa Cintra (I)

R: Jovane está em ascensão. Renovou com ele antes de sair. Até onde chegará?

SC – O Jovane ganhava 2 ou 3 mil euros por mês, uma vergonha. Vivia num sítio horrível, um craque daqueles. Não se compreendia. Renovei-lhe o contrato, aumentei-o dez vezes ou mais e dei-lhe 100 mil euros para comprar uma casa e viver condignamente com a mãe. Ele merecia. Gosto imenso dele.

Investir com o coração gera sempre o maior de todos os lucros...

Gratidão!... 

Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 21 de outubro de 2018

A reunir e a sair a procissão do adro!...


Douglas e Sporting SAD acertam rescisão de contrato

Leões vão anunciar saída do central nos próximos dias. Acusou doping em Abril de 2017 e na última época não participou em nenhum jogo oficial. Tinha contrato válido até 2019, com outra época de opção

E o tempo, as decepções, os desgostos, os custos e os prejuízos que irá demorar... 

A reunir e a sair a procissão do adro!...

Leoninamente,
Até à próxima

Com a agressividade e a ingenuidade dos benjamins!...



À mesa do habitual e vespertino conclave domingueiro e entre acusações de distracção compulsiva por parte de familiares e amigos presentes, fui olhando de soslaio para o televisor lá ao fundo e, assim como se não querendo mas querendo muito, para o que se ia passando no dérbi de futsal esta tarde realizado no pavilhão da Luz.

A vitória do eterno rival terá começado, a meu ver e para minha amargura, a desenhar-se desde o apito inicial do árbitro, tão grande se me afigurou a diferença que neste momento, contrariamente ao um passado  ainda recente e bem fresco na minha memória, separará as duas equipas. Para alguém mais conhecedor e esclarecido sobre a realidade actual de cada um dos conjuntos em presença, aquilo que me foi dado ver talvez não tenha constituído surpresa. Mas o que senti não terá sido muito diferente de um violento soco no estômago, aplicado de surpresa e sem aviso prévio...

Mais tarde, chegado a casa, fui tentar saber o que estaria por detrás de mais esta hecatombe, na linha do que nos tem vindo a suceder no futebol, voleibol, andebol, hóquei e sei lá eu mais o quê...

Não precisei de procurar muito. Bastaram-me as palavras de Nuno Dias no final do encontro desta tarde:


«O jogo até estava a ser muito equilibrado na primeira parte, até aos dois golos do Benfica, ambos em lances para os quais estávamos preparados. Houve mérito do Benfica e demérito nosso. Sabíamos que era uma das formas do Benfica sair da pressão. Reagimos, chegámos ao intervalo com 2-1. Na segunda parte, num erro individual do Pany (Varela), sofremos o 3-1 e, depois, o 4-1 surge já numa situação de risco nosso, em que temos o guarda-redes avançado. Benfica foi superior e mereceu inteiramente esta vitória, mas em nada apaga tudo o que o Sporting tem feito. Temos de aumentar a agressividade defensiva, para equilibrar os duelos individuais e situações de um contra um. O Benfica, aí, foi melhor, ganhou quase todos os lances divididos.

Foram três anos sem perder no campeonato, agora há pessoas que devem estar todas satisfeitas. Cabe-nos continuar a trabalhar e a melhorar, sabendo que tivemos muitas mudanças. As coisas levam o seu tempo a rotinar. Daqui em frente só temos a melhorar.»

Fiquei esclarecido! Parece-me que vi o mesmo jogo que Nuno Dias: "o Benfica ganhou quase todos os lances divididos"! O Sporting está a jogar... 

Com a agressividade e a ingenuidade dos benjamins!...

Leoninamente,
Até à próxima

Antes jogar à porta fechada, que receber ameaças de morte!...


O futebol e a desunião

«O Sporting não está a jogar bem. Um facto que salta à vista de todos os observadores e que não aconteceu unicamente frente ao humilde Loures, derrotado pela margem mínima. A pensar, e bem, na Liga Europa, José Peseiro lançou em Alverca uma equipa com alguns nomes alternativos como Castaignos, Mané ou Marcelo. Ainda assim, o leão tinha a responsabilidade de conseguir um resultado mais descansado e de ter jogado bem mais à bola, problema que vem evidenciando desde o início de época.

Daí à resposta que as claques deram aos jogadores vai alguma distância. Lembra-nos novamente como é autofágico o clube de Alvalade, tantas são as vezes em que dispensa inimigos para arranjar problemas. A equipa não jogou bem, é um facto. Peseiro ainda não encontrou forma de colocar o Sporting a jogar bom futebol, outro facto. Mas não merecerá uma equipa remendada mais algum apoio? Mais, não há ali naquela bancada pelo menos um grupo organizado de adeptos que esta época devia ter o pudor, para não dizer a vergonha, de não assobiar a equipa? É que há 4 meses estavam a atacar o plantel e o treinador em Alcochete, no que foi a maior vergonha de sempre do clube em mais de 100 anos de história. Não fazia mal ter um pingo de decoro e pensar no que andam a fazer os grupos de... apoio. É grande a desunião e poucos os que realmente pensam no que dizem amar.»
(Bernardo Ribeiro, Saída de Campo, in Record)


Mais do que a decepção que de novo constituiu a prestação da equipa liderada por "Pezero", torna-se absolutamente decepcionante aquilo que os "orfãos do brunismo" exibem a cada jogo em Alvalade e não só! Em todas as mais insignificantes manifestações públicas, nomeadamente nas redes sociais e na blogosfera, é ver o ponto reles e criminoso a que essa escumalha de pretensos sportinguistas conseguiu chegar, ao assumir comportamentos a que até as ralés mais baixas e desprezíveis de Benfica, Porto, Braga e Guimarães, por certo se envergonhariam de chegar.

Depois de bater no fundo a nível de dirigismo, agora os adeptos orfãos dessa inclassificável saga de destruição da história do nosso Clube, parecem dispostos a ultrapassar todos os limites e marcas alcançados por uma ditadura que quase chegou a destruir uma centenária instituição que sempre nos orgulhou e a envergonhar os pouco menos de quatro milhões de adeptos que continuam a sentir no seu coração o pulsar deste amor eterno e incomparável.

Em Leoninamente chegou o momento de dizer BASTA! O que tem de ser tem muita força e...

Antes jogar à porta fechada, que receber ameaças de morte!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 20 de outubro de 2018

Uma tristeza que teima em ser surda ao adeus!...



O Clube Sportivo de Loures fez bem mais, muito mais até, do que naturalmente lhe poderia ser pedido e saiu do Complexo Desportivo de Alverca de cabeça bem levantada, embora a este Sporting de "Pezero" tenha calhado em sorte o privilégio de continuar em frente na Taça de Portugal. Coisas do futebol em que tantas vezes o mérito percorre com um indiferente encolher de ombros as malfadadas ruas da desilusão, da amargura e da tristeza...




É o que temos e não valerá a pena chorar sobre leite derramado. "Pezero" nunca irá além do "tudo ao molho e fé nos deuses" e nem ao melhor jogador da liga da época passada passará pela cabeça a ideia de que a um grande jogador como ele presume ser, possa haver alguém que lhe compreenda e perdoe as paragens cerebrais que amiúde exibe com a regularidade dos medíocres!...

Uma tristeza que teima em ser surda ao adeus!...

Leoninamente,
Até à próxima

Uma rotunda e tremenda frustração!...


A equipa de Sub 23 do Sporting parece ter quebrado a malapata que a vinha acompanhando ultimamente e na deslocação ao terreno do Belenenses, em jogo a contar para a 10ª jornada da Liga Revelação sub-23, ousou vencer de forma categórica com um concludente 3-0, tendo chegado já ao intervalo a vencer por 2-0. Os golos verde e brancos foram apontados Tomás Silva, Nuno Moreira e Pedro Mendes, subindo os leões com esta vitória ao 7º lugar da classificação. Na próxima jornada os Leões receberão o Marítimo no Estádio Aurélio Pereira, na Academia.


CLASSIFICAÇÃO
PJVEDGMGSDG
17Desp. Aves21107032012+8a
27Rio Ave19106132212+10a
38Benfica188530156+9a
47Estoril Praia1795221211+1a
58Braga17105231411+3a
67V. Guimarães1685122013+7a
78Sporting16105142217+5a
88Belenenses SAD16114431517-2a
9Marítimo15104331718-1a
108V. Setúbal13104152118+3a
11Portimonense8102261221-9a
12Académica OAF7112181427-13a
13Cova da Piedade610136919-10a
14Feirense29027516-11a

É triste e descoroçoante ver a "verde e branca" a fazer parte da "zona vermelha" da tabela! Ali, pela zona do mais fracos da tabela classificativa e com quase dois terços da competição para disputar, será hora de José Lima e os seus pupilos tomarem consciência de que as gloriosas camisolas que envergam lhes impõem como objectivo único e inalienável lutarem até ao limite das  suas forças e de todo o seu indesmentível talento, pelo triunfo final na competição. Tudo o que ficar abaixo desse patamar será inexplicável e...

Uma rotunda e tremenda frustração!...

Leoninamente,
Até à próxima

Enquanto houver estrada para andar, a gente vai continuar!!!...



Não porque alguma vez pretendesse imitar Cristo ao expulsar os vendilhões do templo. Mas pela simples e humana razão de ter idade, experiência de vida e um mínimo de inteligência, suficientes para conhecer os limites das minhas forças e a dimensão das minhas fraquezas...

Aos pecadores as minhas "Boas Festas" antecipadas!...

Aos inocentes, a minhas desculpas e a minha estima de sempre. Bem hajam!...

Enquanto houver estrada para andar, a gente vai continuar!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Mesmo com tudo ao molho, espero seguir na Taça!...


Num jogo em que José Peseiro alertou e bem, para as surpresas a que a Taça tantas vezes conduz, nem me atreveria a avançar com o onze titular que apresentará em Alverca, não fora este meu feitiozinho de desmancha prazeres acicatar-me para a surpresa ainda maior que ele por certo nos reservará e que não andará muito longe deste ensaio que vos deixo, sem obviamente esquecer o "duplo pivot":

Renan; Bruno Gaspar, Marcelo, André Pinto e Lumor; Petrovic e Gudelj; Elves Baldé, Castaignos e Mané; Montero.

Mesmo com tudo ao molho, espero seguir na Taça!...

Leoninamente,
Até à próxima 

Mais um apoiante de Frederico Varandas!...




Sporting: regresso à Liga de Basquetebol?!
Formalizado processo para o regresso à elite do basquetebol

O Sporting já terá enviado para a Federação Portuguesa de Basquetebol (FPB) um ofício a oficializar junto desta instituição o processo de candidatura do Clube à elite da modalidade, ou seja, para a entrada directa na Liga Placard já na próxima época. O interesse começou por ser manifestado durante a última campanha eleitoral em Alvalade, em reuniões que o então candidato Frederico Varandas terá solicitado junto da FPB e agora, a novel direcção por si liderada, terá resolvido mesmo avançar, certa, antecipadamente, para além da expressão de um profundo desejo, do bom acolhimento dos seus propósitos.

Estará portanto tudo bem encaminhado para que os leões voltem a competir na próxima temporada no principal escalão, juntando-se a Benfica e FC Porto, entre os ‘grandes’ do desporto português, e à Oliveirense, actual campeã nacional, entre outras equipas históricas do nosso basquetebol.

O Sporting beneficiará por certo do peso e do prestígio do seu nome para, com a concordância federativa e dos outros clubes participantes na prova, regressar de imediato à competição de elite do nosso basquetebol, em vez de iniciar o seu percurso nas divisões secundárias.

Sabe-se que os restantes clubes – nomeadamente Benfica e FC Porto – não irão levantar problemas à inclusão do Sporting, embora o tema só vá ser oficialmente debatido numa próxima reunião entre Federação e clubes. Em caso de aprovação, é provável que a edição da Liga Placard na temporada 2019/20 seja disputada por 14 clubes, em vez dos actuais 12. A confirmar-se este cenário, só o último classificado da época corrente deverá ser despromovido para a Proliga.


Na saudosa imagem acima apresentada surge a última equipa sportinguista a sagrar-se campeã nacional da modalidade, decorria a época de 1981/82 que, logo a seguir ao futebol, sempre ocupou o lugar de maior destaque no meu coração de adepto leonino. Esquecida e arrumada para sempre no sotão do meu desencanto, toda a amargura que desde 1995 e em consequência de um famigerado  referendo promovido pelo então presidente Pedro Santana Lopes, os sócios preferiram o Andebol ao Basquetebol, num contexto em que também o Hóquei em Patins, o Voleibol e o Futebol feminino viriam a ser extintos por essa mesma direcção de má memória.

Agora Frederico Varandas volta a reforçar o ecletismo do Sporting, preparando-se para recolocar o Clube no lugar que sempre foi seu e fazer voltar o basquetebol ao coração dos adeptos sportinguistas que sempre o elegeram como a mais espectacular e  favorita de todas as modalidades...

Não concedi o benefício dos meus seis votos ao recém eleito Presidente do Sporting nas últimas eleições. Mas, a caminho de completar os primeiros 50 dias de mandato, todo o seu comportamento e conduta levam-me a admitir que faltará muito pouco para que possa vir a tornar-me em...

Mais um apoiante de Frederico Varandas!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE