terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Um abraço para todos e um Feliz Ano de 2014!...


Agora que estamos a poucas horas do início de um novo ano, apetece fechar os olhos e tentar compreender, tanto o que significou o ano de 2013 para o Sporting Clube de Portugal, quanto adivinhar o que nos poderá trazer o ano de 2014.

Penso que serão poucos aqueles que, dentro da grande nação leonina, não entenderão, hoje por hoje, que 2013 foi o ano da libertação de uma era marcada por uma aristocracia que dominou o Clube com confrangedores e porventura arrepiantes resultados desportivos e financeiros e que quase o conduziu ao abismo.

O Clube optou por um novo tipo de dirigismo, assente no trabalho de uma equipa séria e competente, com um novo tipo de liderança pragmática, firme, decidida, incisiva e a uma só voz que, em escasso tempo, operou alterações radicais de paradigma, eliminando vícios e potenciando virtudes de décadas, racionalizando de forma harmoniosa, a quadratura de um círculo onde sempre hão-de navegar a utopia dos adeptos e os meios imprescindíveis para a sustentar.

Emergem deste novo e leonino ciclo, primeiro Bruno de Carvalho e, consequentemente, Leonardo Jardim. Um e outro, por razões naturalmente distintas, mas que se complementam e são determinantes, numa simbiose tão perfeita, que todo o universo leonino, desde os tempos do saudoso Presidente João Rocha, julgaria irrepetível.

E aí temos o Sporting Clube de Portugal, nos lugares que historicamente nos pertencem. Tanto na modalidade rainha, que sempre foi e será a mola real da nossa vida associativa, quanto em todas as outras que continuam a dar corpo ao orgulho de um ecletismo ímpar.

Partir deste ano glorioso da "restauração leonina", para metas utópicas de uma glória que apenas os sonhos não proíbem, seria emoldurar o ano de 2014 de forma fantasiosa e irrealista. O Sporting Clube de Portugal, como Roma e Pavia, nunca poderá recuperar em tão escasso tempo, aquilo que demorou décadas a destruir. 

Mas como diria o saudoso José Torres, deixem-nos sonhar! A transfiguração operada por Leonardo Jardim, de um penoso Sporting da época anterior, para a equipa adulta, segura, organizada, metódica, atrevida, concretizadora e que pratica o futebol, por todos reconhecido, como o melhor que actualmente se vê em Portugal, dá garantias mais do que suficientes de que não deixará por mãos alheias no ano de 2014, os créditos que soube conquistar ao longo do ano que mais logo chegará ao fim.

E não se tratará de um mero acto de fé, deste vosso amigo, sportinguista como todos aqueles que me dão o prazer das visitas diárias. Será antes o resultado da confirmação das qualidades dos nossos jogadores, das fragilidades dos nossos adversários e dos calendários mais exigentes que terão pela frente e, "last but not least",  do reconhecimento do modo como Leonardo Jardim costuma desenhar as curvas das prestações das suas equipas.

Tranquilamente, entremos no novo ano de 2014, com a certeza do nosso valor e de que muitos dos nossos sonhos poderão virar realidade. Seja o que for que Maio nos traga, a alegria de hoje, já ninguém conseguirá roubar-nos.

Um abraço para todos, sportinguistas e desportistas em geral, e um Feliz Ano de 2014.

Leoninamente,
Até à próxima

Uma vitória da táctica e um hino ao futebol !...



Mais uma vitória da "táctica" e um hino ao futebol!... E lá vão eles a caminho de ganharem mais uma Taça Lucílio Baptista... São os maiores! Estas coisas "mexem" co'a gente!...

Leoninamente,
Até à próxima


segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

E agora, o que farão a CII e o CD, à "cobra cuspideira" ?!...



Fico à espera do acto de contrição da Comissão de Instrução de Inquéritos (CII) da LPFP, pela inusitada instrução e sugestão de pena, de que o futebolista do F.C. do Porto, Josué, foi alvo muito recentemente.

Desconheço em absoluto o que terá levado a honorável CII a uma instrução de tal modo estranha e incompreensível, que acabou por desaguar numa inexplicável penalização, que acabaria por se consubstanciar em metade daquela que poucos meses antes havia sido aplicada a Emiliano Insua, exactamente pelo mesmo "crime". Mas no fundo e com grande decepção minha compreendo-a: a justiça em Portugal prefere ser forte com os fracos e fraca com os fortes!...

No sábado à noite em Alvalade, o "criminoso" Josué Filipe Soares Pesqueira, voltou a reincidir no mesmo "crime": voltou a cuspir num seu semelhante! Desta vez o alvo da "cobra cuspideira", não foi um companheiro de profissão, foi apenas e tão só um... ignorado "apanha bolas".

O facto foi público, testemunhado por todos quantos estavam por perto do banco de suplentes do F.C. do Porto e foram fixadas imagens. Ficaria desta vez ainda mais surpreendido, se a responsável máxima pela CII, para além da imediata instauração do respectivo inquérito, não contemplasse desta vez o "criminoso" com a sugestão de uma pena exemplar, junto do Conselho de Disciplina da FPF, de onde possa resultar a recuperação do reincidente e agravado "porco criminoso".

Leoninamente,
Até à próxima 

O tempo de William abandonar a "sua casa", ainda demorará a chegar...


Casa do miúdo William com muros de betão

Voltou a ser uma espécie de comandante da equipa, cuja acção evolui para se transformar no dono do jogo. Pelo modo como ocupou a vasta zona que lhe cabe (bom sentido posicional), travou os adversários (físico imponente, associado ao tempo de entrada aos duelos) e iniciou os lances de ataque da sua equipa (técnica individual cristalina, na qual não cabe o adorno). O Sporting é, nos dias de hoje e cada vez mais, a casa de William Carvalho, porque é ele, ainda um menino, logo pouco experiente, o responsável pela decoração; quem dita as ordens e conhece melhor os segredos e as preferências de todos e cada um dos inquilinos.

Já lá vão os tempos da surpresa que o aparecimento de William Carvalho causou nos observadores mais ou menos atentos ao fenómeno do futebol intramuros. Já caiu pela base o cepticismo com que todos aqueles que apenas vêm promessas nas camisolas vermelhas, olhavam para o jovem leão, que até teve o dom e o desplante de convencer o actual seleccionador nacional a levá-lo à Suécia e a deixá-lo debutar no "baile do playoff".

Hoje o leão William, quase mais depressa do que demora a queimar um fósforo, galgou patamares sucessivos e de surpreendente promessa transformou-se num dos valores emergentes mais seguros do futebol leonino, ameaçando tornar-se a muito breve trecho, se é que neste momento já não o será, no dono incontornável do lugar 6 da selecção nacional, não sendo difícil de lhe adivinhar as asas dos seus naturais e legítimos sonhos, que certamente o levarão para bem mais longe que o nosso horizonte de mar imenso, mas de espaldar reduzido.

E tudo isto aconteceu, sem que o jovem leão necessitasse do "andor da subserviência" de uma comunicação social vesga e bajuladora, e sem que a sua humildade ultrapassasse o seu imponente porte atlético, quase a roçar o 1.90, sem necessidade de se pôr em bicos de pés e sem que valores sagrados como o respeito e gratidão para com aqueles que o ajudaram e ensinaram a ser o homem e atleta de eleição que hoje já é.

"O Sporting é [...] a casa de William Carvalho, [...] porque é ele o responsável pela decoração; quem dita as ordens e conhece melhor os segredos e as preferências de todos e cada um dos inquilinos.". 

São palavras sábias do insuspeito analista Rui Dias, exactamente porque a camisola de William Carvalho é às listas verde e brancas. Mas são palavras que outras palavras, carregados de objectivos "ultra-diferentes", pretendem colocar em cada dia, esta jovem promessa sportinguista, alvo da voracidade dos grandes tubarões do mar imenso que nos rodeia.

Mora em mim a convicção de que o destino futuro desta predestinada promessa sportinguista, não passará, inevitavelmente, por Alvalade. Mas prevejo que William, só abandonará a "sua casa", quando julgar chegado o tempo certo. E esse tempo ainda demorará a chegar...

Leoninamente,
Até á próxima 

Coisa mais feia, a mentira, honorável Querido !...



"O grupo B da Taça da Liga terminou a 1.ª jornada com as quatro equipas perfeitamente iguais – todos com 1 ponto e 0-0 em golos. Caso a 3.ª fase terminasse assim, o desempate seria feito pela média de idades (art.º 7, ponto 4, alínea C do Regulamento da Taça da Liga) e passaria às meias-finais a equipa mais jovem. Ora bem, na 1.ª jornada o Sporting foi o que apresentou os 14 (11+3 suplentes) com a média mais baixa: 24 anos. Segue-se o FCPorto (24,9), Marítimo (25,5) e Penafiel (27). É por isso que Record coloca os leões em 1.º do grupo B.".
(in jornal Record, hoje)

A gente olha para esta nota publicada hoje, por ordem do "manhoso", e rebola-se pelo chão a rir. O pobre e triste homem, que no Campeonato organizado pela LPFP, à margem dos regulamentos da própria, atira com o Sporting para o 3º lugar da classificação geral, vem agora invocar o art.º 7, ponto 4, alínea C do Regulamento da Taça da Liga, para colocar o clube de Alvalade em 1º lugar, "caso a 3ª fase terminasse assim".

Coisa mais feia, a mentira, honorável Querido! Coisa mais triste, perder a credibilidade dos leitores, senhor director Manha! Se os patrões andarem de olhos abertos e acautelarem devidamente os seus legítimos interesses, OBVIAMENTE DEMITI-LO-ÃO !...

Leoninamente,
Até à próxima

Tarde ou cedo a verdade triunfará !...



A imagem reflecte cabalmente o que Alvalade nos mostrou ontem: um SPORTING enorme e um Porto muito pequenino, vulgarizado e ultrapassado em todos os aspectos do jogo.

Esta é a realidade do momento no futebol português: apenas os "manhosos" de braço dado com o "sistema", vão conseguindo impedir estes fabulosos leões, comandados pelo melhor treinador de todas as equipas nacionais, de se afastarem definitivamente da concorrência.

Não há actualmente no panorama do futebol nacional, quem sequer se aproxime das virtudes evidenciadas por toda esta talentosa juventude e saiba explanar nos relvados, de modo sequer parecido, o maior espectáculo do mundo.

Ontem foi Fabiano a impedir que uma supremacia tão evidente e pronunciada se traduzisse numa vitória mais do que justa e indiscutível. Antes de ontem, têm sido os próceres de um sistema podre e anquilosado, a subverterem a "verdade desportiva" e a permitirem que se compare o incomparável.

Mas nós vamos continuar, porque nunca ninguém assistiu ao triunfo da água sobre o azeite. Tarde ou cedo a verdade triunfará!...

Leoninamente,
Até à próxima

O Sporting está quase pronto !...

Sporting: mais uma prova! O Sobral está quase convencido...


O melhor jogo que vi fazer esta época a este Novo Sporting! E se no futebol houvesse justiça, eu diria que o resultado final acabou por ser tremendamente lisonjeiro para o Porto, absolutamente vulgarizado ao longo de todo o tempo de jogo.

E sem destacar um único, entre todos os leões que Jardim colocou a jogar de início, eu diria que, falando de seleccionáveis para a equipa de todos nós, não encontro nenhum, em nenhuma equipa portuguesa ou estrangeira no momento actual, capaz de superar aquilo que hoje todos fizeram em Alvalade. Sei que o actual seleccionador nacional terá as suas predilecções e os seus ódiozinhos de estimação mas, se for honesto, pensará o mesmo, embora não o diga a ninguém e passe o tempo a chupar "kompensans" e a pedir aos seus "santinhos" para os rapazes quebrarem um qualquer dia antes de Maio.

O meu justificado receio sobre a capacidade do árbitro designado para o encontro, para produzir um trabalho à altura deste clássico, protagonizado pelas duas melhores equipas nacionais do momento, não se confirmou. E a minha leve suspeita de que apenas o sonho de arbitrar em Maio a final do Jamor poderia constituir o "leit motiv" de um trabalho que passasse despercebido a todos quantos sabem ver e apreciar futebol, essa sim, confirmou-se em absoluto. Penso que o homem terá assegurado hoje a almofada onde poderá alimentar esse sonho.

As únicas notas negativas foram azuis. O "crista de gel" continua sem classe, talento e carácter. Pode agradecer a manutenção do lugar, a duas coisas bem singulares que há muito não víamos para lá das pontes do Douro: ou os "andrades" fecharam para obras, ou a tradicional saúde do "papa" será mais débil do que a comunicação social servil e bajuladora nos tem dado notícia. Do Varela nem valerá a pena falar, tão triste e pobre se apresentou na casa de quem lhe abriu os olhos para o futebol e aconchegou o estômago. E sobre a "cobra cuspideira", quando a justiça não cumpre o papel que lhe deveriam impôr a honra e a dignidade, os répteis julgam-se à solta no pântano da idiotice e da baixeza.

Depois desta primeira jornada da Taça Benfica, ou "lucílio" como preferirem, afiguram-se-me como bem possíveis de ultrapassar os dois próximos adversários, se soubermos manter a qualidade que temos vindo a exibir. Mas não vou negar que gostei do que fui ouvindo hoje, relatado do António Coimbra da Mota, onde até o "braguinha" conseguiu ser grande, vejam bem.

Finalmente, só para referir as palavras sábias de Leonardo Jardim. Depois de um jogo destes, quem não abriria o sorriso como ele abriu?!...

O Sporting está quase pronto !...

Leoninamente,
Até à próxima 

sábado, 28 de dezembro de 2013

Atenção ao desatar do nó górdio pelo "olevigário" ...



Independentemente das afirmações hoje proferidas por Leonardo Jardim, ninguém irá amanhã pisar o relvado de Alvalade, ou encher as arquibancadas, com um pensamento que não passe por alcançar a vitória.

Cada um à sua maneira, lançará o jogo de amanhã segundo a estratégia que julgar mais adequada. O líder leonino entendeu seguir o caminho que as suas palavras reflectem e o mesmo fará o líder adversário. E as palavras serão levadas pelo vento e no final do jogo ninguém recordará o que foi dito de um e de outro lado.

Agora, a grande questão que o jogo colocará, há-de centrar-se, fundamentalmente, na actuação do conhecido Olegário Manuel Bártolo Faustino Benquerença. E não estarei só, na convicção de que no apito deste mau árbitro, felizmente prestes a abandonar a arbitragem, estará o desatar do "nó górdio" que a insensibilidade de Vitor Pereira terá criado.

Logo pela manhã,  Rui Santos na sua crónica Pressão Alta, se referiu a este aspecto nos seguintes termos:

"... Para colocar outra vez o nome do Sporting na “agenda futebolística” e dar um sinal claro às instituições que “o Sporting não morreu”, Bruno de Carvalho endureceu o discurso. E há muito que está a preparar o jogo de Alvalade, com o FC Porto, de amanhã. Tem feito de tudo para provocar o seu adversário, designadamente através do jornal do clube. Há uma parte útil (de denúncia) e outra absolutamente inútil. O FC Porto mantém-se imperturbável, vá-se lá saber se é porque a estrutura está em crise ou porque, estrategicamente, será melhor assim.

A verdade é que não estamos habituados a ver um Sporting “vivo” e o FC Porto a fazer de morto. O comportamento das equipas e a arbitragem de Olegário Benquerença vão dizer muito em relação à natureza dos próximos capítulos.".

Só uma razão poderá levar a que o "olevigário" tente produzir uma boa arbitragem: o sonho de estar no Jamor em Maio! Mas, "se outras razões mais fortes se alevantarem", o Sporting estará irremediavelmente condenado, a menos que 14 consigam derrotar 17 !...

Se me afirmarem como absolutamente impossível derrotar o "sistema" instalado, servir-me-ei de La Palisse para dizer que não haverá impossíveis. Mas que não tenho dúvidas de que para alcançar a vitória, o Sporting terá de fazer o melhor dos jogos já realizados neste 2013 quase a acabar, isso é um ponto assente, indiscutível e incontornável.

Estou em pulgas para ver o cor do apito do próximo reformado da APAF!...

Leoninamente,
Até á próxima

Quando se choca de frente com a realidade !...



Ainda voltando ao tema abordado por Bruno de Carvalho na sua mais recente mensagem aos sportinguistas, deparei hoje com a crónica de José Ribeiro no jornal Record, cuja opinião não confundo com a de grande parte dos seus companheiros de projecto, por razões que se prendem com a sua forma de fazer jornalismo e estar no desporto e no futebol em particular, a que não será estranha aquela que será uma simpatia clubística que julgo conhecer.

E permitam-me que destaque a frontalidade com que o articulista aborda a problemática suscitada por Bruno de Carvalho em torno da insipiente adesão da nação leonina ao novo desafio que lhe vem sendo colocado, por me parecer eivada de um realismo que, por muito que doa a quem sente e vive o Sporting com paixão sem peso ou medida, não deixa de constituir uma verdade incontornável:

"... O Sporting ganhou 6 mil sócios desde as últimas eleições. Bruno de Carvalho considera que o número fica aquém das expectativas. Já eu leio esse aumento como muito positivo. A aquisição das Gamebox não foi o que o líder leonino esperava. Olho para o número de adeptos em Alvalade e fico positivamente surpreendido. As Gamebox das modalidades não venderam mais de 200 unidades, lamenta. Os sócios, desde sempre, reclamam o ecletismo, mas não o praticam. Querem modalidades para encher a boca, não os recintos. É aborrecido quando se choca de frente com a realidade. Mas é a vida.".

Ainda que para  muitos de nós seja incompreensível, haverá porventura uma grande diferença entre os sonhos de Bruno de Carvalho e a dura realidade que as palavras de José Ribeiro, talvez deixem a descoberto.

"É aborrecido quando se choca de frente com a realidade. Mas é a vida."!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Aí está o "sistema" no seu melhor !...



Aí está o "sistema" no seu melhor! Um fervoroso adepto dos "andrades", vai arbitrar a "sua" equipa em Alvalade, enquanto um outro fervoroso adepto "lampião", arbitrará o encontro da "sua" equipa na Madeira. O "dono" da arbitragem nacional, já nem se dá ao trabalho de salvar as aparências. Vergonha é coisa que já não lhe assiste, desde que as escutas do Apito Dourado foram entendidas como ilegais e os culpados declarados inocentes!...

Inocentes serão todos aqueles, que continuam a acreditar no Pai Natal e a beijar os pés do Menino Jesus, que sorri, também inocente, nas palhinhas, como se o ouro, o incenso e a mirra, não fossem bens transacionáveis...

Dizem que o "juíz" nomeado para Alvalade, já terá colocado na mala, junto com o equipamento, um "cinto de castidade", pelo que, ao contrário do que pensa o Carlos Xavier, os leões não serão "comidos". Restar-nos-à a fé e a "benquerença". E que nenhum leão salte o fosso e vivamos todos em paz até que a morte nos separe...

Leoninamente,
Até à próxima

Está nas vossas mãos: o Sporting é nosso !!!...


A mensagem do Presidente do Sporting Clube de Portugal, hoje publicada no site oficial, é suficientemente elucidativa sobre a realidade nua e crua que continua a envolver uma tão grandiosa e histórica instituição a que, para além dos afectos, poucos mais elos de solidariedade parecem ligá-la a milhões e milhões de adeptos.

Se bem que no espírito leonino de todos os adeptos sportinguistas, jamais possam fazer parte o desânimo e a desesperança, seria cegueira pretender não vislumbrar nas palavras de Bruno de Carvalho, a dureza da realidade que lhe trouxeram nove meses de feroz e ininterrupta luta, pela restauração de uma grandeza que já foi nossa e pela busca de uma sustentabilidade sem a qual não haverá o futuro que nos habita os sonhos.

Os números que corajosamente hoje deu a conhecer, serão o reflexo inevitável de que aos afectos não estarão a corresponder os gestos materiais do imenso universo leonino, necessários e condição "sine qua non", para os vivificar e exponenciar o orgulho que lhes é subjacente.

Sem que irrompa por todo o universo sportinguista, uma nova mentalidade associativa e uma consciencialização clara de que, para inverter a situação a que chegou o Sporting Clube de Portugal, não bastará ser Sporting, mas que, a somar ao sentimento que nos anima, todos teremos de fazer Sporting!  Sem que essa transfiguração ocorra na imensa nação leonina, o nosso grande amor não passará de um amor platónico, sem realização.

Negar que a crise que se abateu sobre todos nós, não representará um bom número de razões que sustentarão a amargura do Presidente do Sporting Clube de Portugal, seria profundo e frio irrealismo. Mas escamotear o facto de que milhares e milhares de sportinguistas em todo o mundo, terão ao seu alcance a capacidade de ajudar a fazer Sporting e continuam comodamente a assobiar para o lado, sem repararem na inércia que os condiciona, será cair num imenso erro de avaliação.

Haverá milhares e milhares de leões espalhados por todo o mundo, para quem uma ordem de débito directo ao seu banco, para pagamento da quotização mensal do Sporting - o amor que trazem no coração -, representaria menos que um qualquer supérfluo desperdício que todos os meses provavelmente provocarão no seu orçamento mensal. Então, porque não fazer uma mais que justa e correcta troca?! Porque não abandonar essa inércia e imobilismo, quando o nosso Sporting tanto necessita para poder reerguer-se?!

Parafraseando, Bruno de Carvalho, deixo-vos para meditação, o último apelo da sua mensagem:

Apenas juntos conseguiremos, e está na altura de todos comprarem a Gamebox para o futebol e para as modalidades, tornarem-se sócios, assinarem o Jornal Sporting e demonstrarem de forma convicta, porque somos realmente o melhor Clube do Mundo.

Está nas vossas mãos, pois: O Sporting é Nosso!

Leoninamente,
Até à próxima

Os berros do Sporting e a exuberante manifestação da testosterona da APAF



Sobra berrar

Sentado no meu sofá, senti, quando o golo de Slimani foi anulado, o bafo quente de Jorge Nuno e Luís Filipe, no meu pescoço desprotegido. Não estou a dizer que, mancomunados, os presidentes do Porto e do Benfica convenceram Manuel Mota a permitir que o relvado de Alvalade fosse um campo de batalha na primeira parte do jogo e a exigir que se transformasse num salão de chá no momento em que o Sporting marcou um golo. Nem sequer sou dos que acham que o Sporting é sempre a vítima – ainda recentemente assistimos ao oposto. Mas tenho de verificar que parece haver uma relação quase automática entre a deterioração da qualidade de jogo do Benfica e do Porto e o aumento dos erros de arbitragem no campeonato. E, por isso, reconheço aos dirigentes do Sporting o direito à indignação.

Perante os protestos mais firmes de Bruno de Carvalho, o presidente da Associação Portuguesa de Árbitros exigiu uma punição exemplar. E eu exijo alguma vergonha na cara. Os árbitros, que até já boicotaram, há poucos anos, os jogos do Sporting, em defesa do seu bom-nome, têm sensibilidade selectiva e toleram bem melhor os ataques bastante regulares de Jorge Jesus. Se há coisa que o futebol nacional tem provado, é que há muita gente na arbitragem que nunca comete o erro de estar do lado errado do poder. E por isso reserva para as indignações sportinguistas os seus momentos de demonstração de testosterona.

Bem dizia Luís Filipe Vieira, há uns bons anos, que “são mais importantes os lugares na Liga do que os bons jogadores”. Como o Sporting não tem poder para ter lugares na Liga e não tem dinheiro para ter bons jogadores, resta-lhe bater-se pelas vitórias no campo e berrar pela justiça fora dele. A pressão que não pode exercer, na hora da verdade, nos corredores mal frequentados do futebol nacional, tem de exercer na praça pública. É por isso que, mesmo não gostando do espectáculo, tenho de reconhecer a Bruno de Carvalho o direito e o dever de dizer as coisas que diz. Quem não tem cão, caça com gato. Se até o Benfica, com os “lugares na Liga”, protesta, por que raio deveria o Sporting calar? Porque a associação de árbitros só se lembra que tem a dignidade de uma classe a defender quando o protesto vem de quem não manda no futebol nacional?


Sempre me perturbou a candura masoquista das prostitutas, perante o exacerbado sadismo dos xulos, alicerçado em puras e desviantes manifestações testosterónicas. Nunca percebi a descoroçoante dicotomia entre corpos encharcados de porrada e sublimados sentimentos de paixão. E a prova de que a minha incompreensão fará algum sentido, estará nos, felizmente mais comuns do que poderá ser suposto, gritos de Ipiranga das putas, vergadas a um continuado e infeliz modo de vida.


"Mesmo na noite mais triste, em tempo de servidão, há sempre alguém que resiste, há sempre alguém que diz não!".

Ironicamente, ou nem tanto assim, este grito de Ipiranga, não veio de uma puta. Nasceu, por razões bem distantes daquelas que hoje me fazem escrever estas despretensiosas linhas, na alma do assumido benfiquista que dá pelo nome de Manuel Alegre. Porque na grande família benfiquista, também há gente grande.

Bruno de Carvalho, goste-se ou não do estilo que vem adoptando, tem demonstrado a coragem de dizer não, à lama que inunda todo o futebol português. E a proverbial testosterona que prolifera no submundo do futebol luso, tudo faz para o arrasar, em prol da manutenção do "status quo" que nem a Justiça foi capaz de erradicar, quando a oportunidade descarada e incontornável de um "Apito Dourado", se nos meteu pelos olhos dentro. E o "polvo" continuou a espreguiçar-se no pântano. Ninguém sabe até quando!...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

A leucotomia pré-frontal, ainda não terá alternativa...



É com um aperto no meu coração de sportinguista, que continuo a assistir na blogosfera leonina, à triste exibição de um obscuro "plagiador pessoano", que lançando mão de heterónimos leoninos, ora obrigando o mesmo desgraçado leão a percorrer as ruas mais escuras da cidade, ora fazendo-o coabitar nas dunas de árido deserto como os mais nojentos répteis, vai pretendendo pintar o céu de Alvalade, com as cores mais ignóbeis do seu deformado carácter.

Umas vezes pincelando nuvens negras de raiva e de despeito, outras vezes carregando de cores tenebrosas, imagens de terríficas tempestades, cuja iminência anuncia com presumido sentido de profeta carregado de ódio. Pelo meio aparece "pessoa", ele próprio, qual chacal envergando a pele de cordeiro, armado em descendente de um qualquer visconde, defensor da "leonina grei".

Tive o privilégio de alguns leões como eu, me levarem à fonte onde terá nascido este "mondeguinho" de ódio, raiva e despeito e por quem, para onde e porquê, se viu obrigado a fazer desaguar o seu "rio de sórdida mesquinhez". Tenho por isso perfeitamente identificado, este "pessoa-de-trazer-por-casa", mas tenho continuado atento às suas escabrosas diatribes, porque melhor que confrontar a víbora, será nunca lhe virar as costas.

Hoje o coração apertou-se-me, quando deparei com a hedionda analogia que lhe escorregou entre os dedos, já que apenas pude imaginar a bilis que lhe escorria por entre os lábios, quando entendeu configurar o ano de 2013 como o ano do 25 de Abril do Sporting e adivinha o novo ano de 2014 que aí está a rebentar, como o do emergente e incontornável 25 de Novembro do Sporting, clamando no meio do deserto das suas ideias, pelo aparecimento na grande nação leonina, de novos jaimes neves e ramalhos eanes.

Nenhum ser vivo está livre de ver invadido o seu tecido cerebral de forma tão violenta e destruidora. Nem os progressos da farmacologia ainda conseguiram descortinar um caminho que seja capaz de superar aquele que deu o Nobel a António Egas Moniz, no longínquo ano de 1949. A leucotomia pré-frontal, em casos muito graves, ainda não terá alternativa...

Leoninamente,
Até à próxima

Uma andorinha não faz a Primavera, mas se não chegar a primeira...




O golo da verdade

O polémico golo anulado este fim de semana ao Sporting, tem uma característica muito especial: não foi polémico. Excepto meia dúzia de alminhas, não se encontra quem diga que o golo foi bem anulado. Foi golo e pronto. A única polémica foi a decisão do árbitro de o anular. O Sporting merecia ter acabado a primeira volta da Liga com mais dois pontos.

É bem verdade que, como foi dito várias vezes na conferência de imprensa em Alvalade, um jogo e uma actuação de um árbitro não podem ser resumidos num só lance. Mas é também verdade que basta um lance para mudar a história de um jogo – às vezes mesmo de um campeonato. Quando é “limpinho, limpinho”, não há nada a fazer. Quando o árbitro erra... também não? Pois, também não.

As declarações de Bruno de Carvalho no final do jogo foram uma bordoada exagerada, como diz José Fontelas Gomes, presidente da Associação de Árbitros de Futebol? Deve o presidente do Sporting ser punido pelo que disse? Ou, como afirmou Carlos Xavier, o líder do clube leonino fez muito bem em protestar, pois “o Sporting andou a ser comido muitos anos”? Esta questão é talvez muito importante, mas é muito menos importante do que outra: o que acontece ao árbitro que errou e prejudicou ostensivamente o Sporting?

Nos últimos anos, o movimento propulsionado pelo jornalista Rui Santos que apela à verdade desportiva tem engrossado a sua lista de apoiantes. Está demonstrado que a utilização de novas tecnologias ajuda a reduzir a margem de erro e possibilita a correcção atempada de uma decisão errada. Sempre que há um lance como o deste fim de semana entre o Sporting e o Nacional, ergue-se uma barragem de críticas ao “sistema” e desfraldam-se bandeiras apelando à verdade desportiva. E depois nada acontece. Assim será outra vez agora. As críticas dos árbitros ao presidente do Sporting são uma tentativa de mudar de assunto. O que, como quase sempre, será conseguido. Como escreveu Mário Balotelli há dois dias no Twitter, “Bom Natal e bom ano a todos, até para o árbitro”.


É preciso um indefectível benfiquista, vir a terreiro dizer que "o rei vai nú", para que toda a nação leonina e os mais profundos adeptos do futebol, possam dormir descansados na certeza de que neste mundo cão em que vivemos, ainda existe gente séria que cultiva valores e princípios eternos. Seja em que quadrante nos detivermos, da política ao desporto, do futebol ao badmington, do Benfica ao Esperança de Lagos.

Volto com o meu irreprimível aplauso a Pedro Santos Guerreiro. Gente séria, gente lúcida, que merece o nosso respeito. Volto como sempre voltarei, sem receio de me repetir, sempre que a dimensão humana de qualquer adepto, seja ele de que clube for, do Benfica, do Porto ou do Beira-Mar, o coloque bem acima da sua legítima preferência clubística, com a aura da honestidade. E nunca me cansarei, mesmo que a voz me doa e os ventos das críticas me pretendam violentar. Porque se "à mulher de César não lhe basta ser séria", também o comodismo do silêncio, jamais se comparará à coragem da afirmação da verdade!

Honra a um benfiquista, que apenas demonstra em cada dia, ser um Homem sério! Pedro Santos Guerreiro mereceria a honra de ter muitos mais seguidores. No seu clube do coração e em quaisquer outros clubes! Como merece a distinção de estar a poucos dias de ser investido na mais alta função da sua ainda curta carreira: director-executivo do Expresso, com a responsabilidade máxima na novel edição diária online.

Pedro Santos Guerreiro, é uma lufada de ar fresco no atribulado processo de crescimento do jornalismo português.

Uma andorinha não faz a Primavera. Mas se não chegar a primeira...


Leoninamente,
Até à próxima

Na "mouche" Presidente. Faltou apenas... VASELINA !!!...


"O Sporting é uma equipa jovem, de muito valor. Tem um treinador muito metódico e um presidente que já preparou o jogo. Quem anda no futebol sabe que é assim".
(Rodolfo Reis, in Record)

Rodolfo Reis nunca pretendeu, nem pretenderá enganar ninguém. "Quem anda no futebol sabe que é assim". São 31 anos de vivência de um fenómeno que catapultou, por processos que interna e externamente todos conhecem, o clube de uma região, para a dimensão que hoje, pretensiosa ou subservientemente, muitos defenderão como universal.

Por isso a sua autoridade na matéria, lhe permite assegurar que Bruno de Carvalho, no final do jogo com o Nacional, já teria no pensamento a preparação do jogo do próximo domingo. Ele assistiu, repetidamente, ao longo de décadas, a intervenções semelhantes, todas elas balizadas por objectivos perfeitamente definidos e precisos, sem que alguma vez tivessem sido levadas à prática de braço dado com a transparência. Ele assistiu à construção do "império" e estará hoje em posição de reconhecer arripiantes analogias entre as inúmeras maneiras de "matar pulgas", utilizadas pelo "seu imperador", e as "cartas de alforria" que a dignidade e a revolta hoje determinarão.

Encomendada ou determinada pelos silêncios insurdecedores dos presidentes atingidos, esta "carta a garcia" de Rodolfo Reis, acaba por denunciar, incontornavelmente, que a mensagem de Bruno de Carvalho terá atingido, "na mouche", os alvos que lhe terão estado subjacentes. Embora crítico do modo, terei de reconhecer, com incontida satisfação, a correcção do tempo utilizado pelo Presidente do Sporting Clube de Portugal na sua mensagem e a prodigiosa pontaria que acabou por revelar.

Muito interessantes e, diria mesmo surpreendentes, os resultados de uma atitude estratégica que todo um glorificado e humilhante sistema, nem ao cuidado se deu de reflectir, compreender e descodificar, preferindo as indignadas e fáceis condenações que por aí proliferam.

Na "mouche" Presidente! Apenas aconselharei no futuro, o uso de... VASELINA!...

Leoninamente,
Até à próxima

E depois do Natal, o jogo que se segue...



E depois do Natal, para o jogo que se segue, Vitor Pereira ainda não disse de sua justiça, mas a minha admiração seria zero se já estivesse na calha um qualquer capela, paixão, ou outro "ornitorrinco" qualquer da mesma família. Porque poucas dúvidas me restam de que todos os esforços serão desenvolvidos no sentido de aprimorar a reabilitação de uns e de outros. E não digo mais nada, por receio de vir a ser castigado pelo "polvo" da APAF, directa ou indirectamente.

Há por aí quem já tenha afirmado que as duas equipas se apresentarão em Alvalade na sua máxima força. Penso que esse não será o factor determinante e que assistiremos a mais uma excelente prestação da terceira equipa, a tal equipa que Jardim diz nunca ter tido intervenção nas derrotas do Sporting, mas todos sabemos que o nosso técnico tem um sentido de humor que muito poucos ainda terão conseguido descodificar.

Mas não será difícil adivinhar que Fredy Montero, ainda pouco entrosado no "sistema" do futebol luso, há-de continuar a acreditar nas virtudes da afinação da mira. Oxalá me engane, mas de pouco lhe valerá. O "ornitorrinco" que VP já terá na cabeça, nem lhe vai permitir a veleidade de testar a mira. É quase certo que a estratégia passará por um "plágio da mota" do sábado passado: súbitas e surpreendentes alterações de critério e no fim... ganha a "alemanha"!...

A menos que Jardim traga em mente alguma volta estranha no "bailinho" que pretenda dar ao "crista de gel" e lhe baralhe a aposta no "novo eduardo salvador". Tudo poderá acontecer, é certo, mas ninguém me tirará da ideia de que as contas de VP é que pervalecerão, já que para o pedido da APAF, na minha modesta opinião, já não haverá tempo útil de o levar à prática.

Vamos todos aguardar calma e serenamente, o desenrolar das últimas peripécias do clássico, na certeza de que o sistema não costuma dormir depois das "festas", bem pelo contrário...

Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Boas Festas e Feliz Natal




Para todos quantos fazem de LEONINAMENTE o seu ponto de encontro com uma forma porventura diferente de viver o Sporting Clube de Portugal e o desporto em geral, aqui fica o desejo de Boas Festas e Feliz Natal.

Leoninamente,
Até à próxima    

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Como sportinguistas, a linha vermelha deverá estar-nos sempre vedada !...


Bruno de Carvalho passou a linha vermelha

"Declaração de interesses: sou do Sporting, facto que é conhecido de muitos leitores deste jornal. Essa circunstância nunca, mas nunca – sublinho – me impediu de criticar o meu clube. Vinte e cinco anos de jornalismo, alguns no Desporto, e bons professores deram-me o distanciamento suficiente para não confundir as posições. Também aprendi com o meu pai a ver futebol e, torcendo pelo Sporting, cresci num clima de respeito pelo melhor. Sabemos todos que nas últimas décadas o Sporting nem sempre foi o melhor, o que não quer dizer que eu goste menos dele. Dito tudo isto, eu nunca serviria para um desses painéis televisivos (onde está, por exemplo, o meu amigo Jorge Gabriel), porque um dia acabava a dizer mal do Sporting e a elogiar o rival, o que, convenhamos, era aborrecido.

Antes de irmos ao que interessa, escrevo o que escrevo para, se se der o caso de ser aqui insultado nas caixas de comentários ou em fóruns de sportinguistas, ficarem todos a saber que nenhum sente mais o clube do que eu, mas que não vale a pena perder tempo com discussões estéreis como são sempre as discussões de clubite. Bom, onde quero chegar? Sábado estive a ver o jogo com o Nacional. O Sporting podia e devia ter ganho, mas fez das exibições menos conseguidas da temporada. Acontece. O árbitro prejudicou o Sporting no lance do Jefferson e, no golo anulado, embora não tenha tantas certezas, a decisão também cheirou a esturro. Perante isto, o que fez o presidente do clube? Uma lamentável declaração, estilo, eu não sou do futebol, eu nada tenho a ver com isto, eu sou outra gente. Ora, Bruno Carvalho – cuja profissão ou passado desconheço – é do futebol, quis ir para o futebol, foi a eleições e ganhou, adora estar sentado no banco, faz disto a sua vida e passa o tempo a provocar polémicas baratas, copiando, com 30 anos de atraso, o estilo de Pinto da Costa nos seus primórdios, quando o Mundo era outro. Estando a fazer um trabalho globalmente bom no clube e tendo acabado com aquela aristocracia que, não só estava falida, como levou o Sporting à falência, o que se lhe pede é que se concentre no essencial e não perca tempo com fait-divers. Os sportinguistas apreciam, com toda a certeza, um presidente que defenda o clube e que o faça na hora certa, mas dispensam um provocador que, tendo todos os tiques do sistema, apareça com um ar de que não faz parte do dito sistema, tanto mais porque, tendo sido o Sporting prejudicado, também já foi beneficiado esta época. Pior: um provocador que não concretiza as acusações, sendo, até nisso, igual a todos os outros. O ano desportivo está a correr bem. Há um enorme mérito de Leonardo Jardim, os jogadores têm qualidades e têm-se esforçado, mas há também imenso mérito da direção. Bruno de Carvalho tem esse crédito e não há um adepto do Sporting que lho negue. É muito importante que o saiba utilizar em benefício do clube, da sua estabilidade e da sua afirmação."
(Nuno Santos, Ângulo Inverso, in Record)

No sábado à noite depois dos tristes acontecimentos de Alvalade, que fui obrigado a acompanhar, com pena, através da televisão, a revolta que de mim se apoderou, turvou-me o sentido crítico ao ponto de fechar os olhos à carga negativa que a intervenção do Presidente do Sporting Clube de Portugal perante as câmaras me deveria ter provocado.

À medida que as horas foram passando, o pó foi assentando e fui assistindo à óbvia repetição das imagens, em evidente aproveitamento por parte dos sectores do costume do "passo em falso" protagonizado por Bruno de Carvalho, foi-se radicalizando em mim a convicção de que melhor fora que Bruno de Carvalho não tivesse dito o que disse, quando disse e como disse.

Hoje li atentamente o que Nuno Santos escreve sobre o epidódio e, embora me custe, tenho que reconhecer que tem absoluta razão. Sou um admirador confesso do notável trabalho que Bruno de Carvalho vem desenvolvendo no Sporting Clube de Portugal. Como sportinguista, estou-lhe reconhecido por me fazer de novo acreditar e orgulhar num dos grandes amores da minha vida. Mas o pensamento que traduzem as palavras de um jornalista tão sportinguista como eu, estará mil vezes mais próximo da verdade, que a voluntariedade e os excessos que o Presidente do nosso Clube terá exibido.

Leoninamente,
Até à próxima

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Somos todos uns cegos do camandro !!!...

Falta!



"... O golo obviamente não existiu, porque o sarraceno empurrou o defesa, com as suas mãos magnéticas, que resultam num empurrão...que puxa o defesa..."

(Valdemar Iglesias, in Cabelo do Aimar)


Esta a melhor imagem e um dos melhores comentários que tive a oportunidade de apreciar em toda a blogosfera que frequento e que não resisti a "roubar", com a natural e necessária citação e com o elogio que deixo ao autor, Valdemar Iglésias. 

E convido delicadamente José Leirós, António Figueiredo e Manuel Machado, bem como todos aqueles cuja exagerada secreção gástrica tenha causado problemas, a entrar e a ficar o tempo que quiserem, até ficarem convencidos de que "o golo não existiu"!...

Por mim, ainda a bola vinha no ar, depois de batida tão defeituosamente por Cedric Soares, ou mesmo depois de Miguel Rodrigues não ter tido a capacidade de impulsão necessária para evitar que fosse direitinha à cabeça do "sarraceno", eu tive a certeza que era falta, mesmo a 300 km de distância, quanto mais o Manuel Machado a 70 metros e o Manuel Mota a menos de 10 ! Reparem bem no Mota, que analisou o lance no meio das pernas de Gottardi! Deve ter sido essa a causa da sua extra-terrestre acuidade visual! E se tiverem paciência suficiente, centrem também a vossa atenção na "terrível placagem", feita por Montero a Marçal e que parece que ninguém viu, excepto o Manuel "andrade" Machado e o José "andrade" Leirós!...

Somos todos uns cegos do "camandro" !!!...

Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 22 de dezembro de 2013

E a retaliação poderá começar por congelar-lhes o cérebro !...


"... O Sporting passa o Natal na liderança... mas repartida com Benfica e FC Porto. E mais uma vez se prova que Leonardo Jardim está por dentro da razão, os leões são candidatos a ganhar um lugar na Liga dos Campeões. Entre os três primeiros, portanto. O título nacional é tema para falar depois... da Páscoa. E depois de ter corrigido, bem, os objetivos da equipa, agora já assume a necessidade de criticar os árbitros, na linha do que faz o presidente Bruno de Carvalho, incapaz de aceitar o resultado com fair play."

Mas qual fair play, qual carapuça! Querem tomar-nos por parvos ?! Mas qual dos adeptos de um qualquer clube, mesmo que seja do Paços ou do Olhanense, que ocupam presentemente os últimos lugares da tabela classificativa, seria capaz de revelar fair play com uma atrocidade semelhante àquela que ontem Manuel Mota cometeu em Alvalade?! Andamos a brincar com a dignidade dos outros ou quê?!...

É sabido que Vitor Pereira trocou a jarra que Fernando Marques "inventou", já lá vai quase uma eternidade, por uma jarrinha do tamanho que aparentemente terá o seu pénis: pequenina, muito pequenina! É sabido que João Capela e Duarte Gomes e agora Manuel Mota, e outros do mesmo calibre, não viram, não vêm e nunca hão-de ver os seus proventos drasticamente reduzidos no final de cada mês, por apitadelas afinadas pelo "lamiré" do sistema. E vamos todos continuar a "civilizada" prática do fair play?!...

Estamos em pleno Inverno. Está um frio do "camandro". Não conheço as penalizações a que está sujeito um clube que vete determinado árbitro para os jogos que terá de realizar. Mas haverá uma acção que dificilmente estará contida nos regulamentos e que possa penalizar qualquer clube em termos classificativos ou resultar em multa pecuniária. Cá para mim, às equipas de arbitragem que deliberadamente tenham prejudicado ou venham a prejudicar o Sporting Clube de Portugal, deveria passar a ser cortada a água quente no balneário respectivo e, simultaneamente, reduzir a temperatura do ar insuflado no mesmo, para um valor rigorosamente igual ou até inferior ao que houver no exterior. Seria a primeira medida, congelar-lhes o cérebro, enquanto não se estudassem profundamente as seguintes. As desculpas nem precisariam de ser muito convincentes, como nunca fora convincentes as desculpas de Vitor Pereira ou da máfia dos árbitros, vulgo APAF.

Comecemos por congelar os cérebros aos árbitros que se revelem "personas non gratas" em Alvalade! Boa ou má, sempre seria uma primeira medida de retaliação, já que até agora ainda não se viu nenhuma e os "porcos e corruptos" continuam a fazer o que lhes dá na real gana !...

Leoninamente,
Até à próxima

E a culpa recairá depois no nobre animal ?!...





Pode-se não gostar do antigo árbitro Pedro Henriques. Com aquele corte de cabelo e os tiques militares que muito naturalmente resultarão de deformação profissional sedimentada em já longa carreira, o ex-árbitro poderá ser tudo, menos cativante e gerador de simpatia. Mas quando cercado pela lama da arbitragem lusa, sempre me pareceu digno, frontal e vertical. A prova provada estará na forma como abandonou o pântano. E continua a mostrar essa faceta de frontalidade e desassombro, em todas as ocasiões em que lhe é solicitada a opinião acerca do comportamento dos seus antigos pares.

Sobre o golo ontem anulado a Slimani e sobre a apreciação global ao trabalho de Manuel Mota, diz hoje Pedro Henriques na rubrica Tribunal O Jogo, na sua edição impressa:

"Montero usou os braços, mas não derruba Marçal nem o tira da jogada, e Slimani, ao saltar, não empurra o seu adversário; apenas tem um ligeiro contacto com Miguel Rodrigues, mas não o tira da jogada nem o desequilibra."

"Jogo difícil de dirigir, com muitos contactos e constantes protestos por parte dos jogadores. A arbitragem fica marcada pelo golo anulado ao Sporting.".

Dificilmente alguém se esquecerá da célebre azia que Jorge Coroado um dia contraiu em Chaves, em prejuízo do Sporting, de que o próprio se haveria de penitenciar mais tarde. Mas todos lhe reconhecerão atributos pouco comuns no seio da arbitragem nacional a que pertenceu e a coragem e a disponibilidade para contribuir para a sua regeneração, coisa que naturalmente contou com o poderoso veto do "sistema", exactamente porque sempre manteve a coluna direita. Na mesma rubrica Tribunal O Jogo, tratada antes, este competente ex-árbitro, afirma sobre as mesmas questões:

" A falta assinalada a Slimani não se justifica. Admitia-se que o tivesse feito relativamente à cometida por Montero sobre Marçal, momentos antes, o que não aconteceu."

Num jogo simples e sem problemas de maior, (o árbitro) exibiu estilo arcaico e  cometeu lapsos de apreciação. No lance mais vistoso, decidiu erradamente."

Finalmente, para se perceber cabalmente o que significaram, de deformação de carácter, perda de dignidade e incontornável esclerose mental, 31 anos de um sistema corrupto, de férias pagas em paraísos turísticos, de quinhentinhos, fruta e chocolatinhos, atentem bem no que se ofereceu dizer sobre as mesmíssimas matérias, no mesmo Tribunal O Jogo, ao conhecido antigo árbitro, salafrário andrade do apito, que dá pelo nome de José Leirós

"Há dois empurrões pelas costas, o primeiro de Montero (a Marçal) no cruzamento inicial, e depois, o de Slimani antes de cabecear. Perante duas faltas consecutivas, o árbitro puniu a que viu, anulando o golo."

"Muitos protestos, alguma ansiedade, mas Manuel Mota soube suportar isso, fazendo uma arbitragem justa e sendo bem auxiliado."

Alguém, paulatinamente e sem a mínima noção do que está a fazer e dos perigos em que estará a incorrer, vem ateando fogos na savana de Alvalade, acossando, provocando e enraivecendo o leão, no seu habitat natural, na sua própria casa! Um dia o leão poderá muito bem saltar o fosso e dilacerar com as garras, os imprevidentes incendiários. E será que a culpa, recairá depois no nobre animal ?!...

Leoninamente,
Até á próxima

Líder, apesar de tudo !...





Apesar de tudo, o quê ?!... Pois, os presidentes do Porto e do Benfica, sabem o quê ! E o Manuel Mota também ! Feios, porcos e corruptos !...

Leoninamente,
Até à próxima

Largos critérios têm 31 anos !...

Quem me diz a cor do cartão a que corresponde esta falta?!...


Foram 38.624 os espectadores que estiveram no estádio José Alvalade e que tiveram a oportunidade de assistir a uma demonstração de grande qualidade por parte da equipa de arbitragem designada para o encontro com o Nacional.

Efectivamente Manuel Mota justificou plenamente a confiança demonstrada por Vitor Pereira ao nomeá-lo para este jogo, em vez de o escolher e à sua equipa, para arbitrarem um qualquer jogo da II Liga em que se defrontassem os dois clubes pior classificados. Tenho a forte convicção de irá muito longe este árbitro.

Critérios largos, muito largos, ou mesmo larguíssimos, sem faltas ou cartões para os insulares, que usaram e abusaram de boas maneiras e "fairplay" em quase todo o encontro, mas muito em especial na primeira parte, muito bem tirados três foras de jogo aos avançados do Sporting, "muita atenção", critério largo e excelente visionamento na jogada em que Jefferson terá sido apenas "ceifado", creio que por Zainadine e para acabar em beleza, muito bem anulado o "golo limpinho, limpinho" de Slimani, agora com "atenção bem mais redobrada", critério tão largo que ninguém poderá assegurar se o houve e sobre o visionamento apenas se poderá considerar de extra-terrestre, tamanha a acuidade visual do homem.

Não gostei de ouvir, Jaime Pacheco, Oceano e o pivô do RTP Informação, logo a seguir ao jogo, dizerem que o golo anulado ao Slimani foi limpo. Isso não são coisas que se digam. O Teles e o Figueiredo, mesmo sem terem visto, entendem que foi muito bem anulado. Pessoas decentes estes dois.

Também acho que os jornalistas que escolheram alguns dos títulos que foram passando em rodapé nas televisões, nomeadamente aquele em que afirmam que o "Nacional roubou dois pontos ao Sporting", são do melhor que temos visto em programas de televisão sobre futebol na nossa terra.

Não gostei de ver Bruno de Carvalho, tão nervoso e indignado a botar palavra para as televisões. Se eu estivesse no lugar dele, ter-me-ia sentado, ajeitado o microfone e, sem permitir quaisquer perguntas, teria dito. simplesmente: ide todos à bardamerda !...

Largos critérios têm 31 anos !!!...

Leoninamente
Até à próxima

sábado, 21 de dezembro de 2013

Academia Sporting, a 2ª melhor do mundo!!!...




Agora já não será a impertinência do exacerbado narcisismo de que nos acusa a "dor de cotovelo" de todos os nossos rivais internos. Agora é o reconhecimento internacional do conceituado Bleacher Report que coloca a Academia do Sporting em segundo lugar no Ranking the Best Youth Academies in World Football.

Ironicamente ou não, o ranking divulgado há dias pelo insuspeito e credenciado site, apenas hoje foi divulgado, ao que me foi possível verificar, na edição em papel de apenas um dos "nossos" desportivos, talvez porque a sua publicação generalizada, nomeadamente online, não interesse à "voz do dono". Mas o prazer que me dá a sua divulgação neste modesto blog, supera a minha leonina modéstia:

1. F. C. Barcelona 
2. Sporting Clube de Portugal
3. A. F. C. Ajax
4. Sao Paulo F. C.
5. F. C. Bayern Munich
6. Manchester United F. C.
7. GNK Dinamo Zagreb
8. Santos F.C.
9. F. K. Partizan Belgrado
10. Southampton F. C.
11. Real Madrid C. F.
12. Stade Rennais F. C.
13. Feyenoord Rotterdam
14. R. S. C. Anderlecht
15. Right to Dream (Ghana Academy)

Desconheçe-se em absoluto, por cá e em todo o mundo adepto do futebol, o lugar ocupado no ranking pela formação dos clubes que, por cá, têm a presunção e o privilégio de encher as primeiras páginas da subverviência escrita desportiva deste singular país.

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE