quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Oh Bruno de Carvalho, põe os olhos nisto!...


Aposta clara e muito transparente numa "gestão de excelência", rumo à sustentabilidade, à redução do astronómico passivo e à aposta na espectacular e premiada no Dubai "melhor formação do mundo"!...

Oh Bruno de Carvalho, põe os olhos nisto e vê se te decides a montar uma lavandaria como esta!...

Leoninamente,
Até À próxima

Feliz 2016!...




Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

"Quem faz bem aos nossos, nosso amigo é"!...


A carta da redenção. AMO-TE NOS!

Minha Querida,

Tu não dás ponto sem NOS!!!

Queria dizer-te que aceito as tuas desculpas e que apesar de não ter tido um Natal fácil, estou na disposição de esquecer querelas passadas e voltar a construir o futuro ao teu lado, em minha casa.

Tu já me conheces, sabes que sou impulsivo. Já da outra vez em que me cobraste indevidamente a Sportv quis logo acabar e insultei-te de alto a baixo. Com a tua calma e assertividade fizeste-me ver que estava a ser precipitado, pois todos temos o direito de errar. Agora sei do que falavas minha querida...

Não te vou mentir, andei a curtir com a MEO durante duas semanas, mas juro por tudo que foram só uns beijinhos e amassos, e não chegámos a consumar nada, juro!

Tu sabes como ela é, assim que soube que nos zangámos ligou-me logo a querer ir lá a casa. Eu estava fraco, disse-lhe que ia pensar, mas quando dei por mim estava embrulhado no sofá a ver o que ela tinha para me oferecer...

Outro dia no shopping também me tentou saltar à espinha uma tal de Vodafone. Não era má de corpo, tinha uma conversa agradável, mas tu sabes muito bem como sou racista no que respeita a vermelhices. Nunca iria resultar.

Tenho sentido falta das nossas coisinhas...da lentidão do teu zapping, das piadas da tua prima Iris, e de ver contigo o curral das celebridades em directo. As crianças choram compulsivamente pelo teu baby first...

A verdade é que esta separação fez-me valorizar mais a nossa relação de há tantos anos...

Fico sensibilizado por me dares esse valor todo, mesmo sabendo que nem sempre me portei bem contigo. Mas tu sabes perfeitamente que não sou nenhum jagunço como o outro com quem andaste metida, e que comigo contas com um homem com nivel, honrado e disposto a ser-te fiel para sempre.

Amo-te NOS.
(Manuel Assis Teixeira, na sua página do FB) 


Sempre cultivei muitas reservas sobre se assistiria alguma razão ao nosso insondável Pessoa, ao defender que "todas as cartas de amor são ridículas"!...

Muito longe de o supor ou (des)confirmar, estaria o nosso grande leão Manu, ao escrever a sua "carta de redenção" à NOS: porque os afectos jamais poderão considerar-se ridículos!...

Ridícula será agora a minha posição, por via do casamento de conveniência a que me vi obrigado por força da minha sempiterna lealdade leonina, de braço dado com a nossa bendita SportingTV: dizem que os processos de divórcio são sempre demorados e dolorosos! Pelo que não vejo outro caminho que não seja esperar para ver em que param as modas. Até 2018, enquanto o pau vai e vem hão-de folgar as costas, desde que a "gaja-a-dias" que tenho cá em casa não me falhe nos jogos do Sporting. Se falhar, nem vos conto o MEO problema, pois creio não ter a paciência nem a perseverança do Inácio...

De qualquer modo, nenhum de NOS poderia deixar de ficar sensibilizado com o enorme gesto de altruismo dessa grande Senhora, para mais brevemente escarrapachada nas nossas gloriosas camisolas e logo por tantos anos... 

"Quem faz bem aos nossos, nosso amigo é"!...

Leoninamente,
Até à próxima

Há guarda-chuvas impenetráveis!...



Um inqualificável "caso de polícia" cuja retirada a CM de Lisboa parece de imediato ter decretado e levado à prática, afirmando a sua intenção de apresentar a conta aos mandatários, que estarão sob a alçada de investigação judiciária, segundo referiram alguns orgãos de CS.

Duvido que alguma vez a polícia consiga encontrar a ponta da meada. Apesar de não me parecer tarefa muito difícil, se porventura a encontrar, o seu destino será, obviamente, a sargeta. Há investigações que determinados interesses condenam ao fracasso. E neste caso, será indiferente a origem da meada situar-se dentro ou fora do Sporting Clube de Portugal. O resultado será sempre o mesmo!...

Já disse aos meus botões que considero tanto a estratégia quanto os meios utilizados, algo distantes da boçalidade e primarismo que costumam ser apanágio de adeptos rivais e que os vejo mais próximos de quem levou o Clube a correr o risco de que agora acusa outros. Os meus botões prometeram-me sigilo absoluto e eu fiquei muito mais tranquilo. Mas cada vez mais convicto de que...

Há guarda-chuvas impenetráveis!...

Leoninamente,
Até á próxima

Foi um excelente e leonino fecho de 2015!...


Esta noite em Alvalade o Sporting passeou classe pura perante uma das melhores equipas da I Liga! Porque o jogo foi um passeio, porque a classe andou à solta no relvado e porque o resultado final peca por escasso, numa exibição a que só o "frango" de Marcelo Boeck terá tirado algum brilho.

Matheus Pereira e Gelson Martins, os "meninos de JJ", endiabrados e em acelerado processo de afirmação, continuam empenhados na demonstração do ridículo que cobre os jornaleiros da nossa terra, quando julgam ver estrelas nos fogachos  pobres de alguns cometas que mais se assemelham a pirilampos. 

Bryan Ruiz continua a espalhar o perfume do maior talento que pode ser visto nos relvados portugueses. Jefferson está de regresso ao seu melhor. Adrien Silva, João Mário e Aquilani traduzem na perfeição o que significa posse de bola e critério de circulação...

Faltará falar na alegria e no prazer que se pressente em todos aqueles que JJ chamou ao terreno...

Foi um excelente e leonino fecho de 2015!...

Leoninamente,
Até à próxima

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

O Sporting Clube de Portugal é a maior potência desportiva nacional!...


Comunicado à CMVM

«A Sporting Clube de Portugal, Futebol SAD informa, nos termos do art. 248.º, n.º 1 do Código de Valores Mobiliários, que chegou hoje aos seguintes acordos:

1) com NOS Lusomundo Audiovisuais, S.A. um contrato para a cessão dos seguintes direitos:

(i) direito de transmissão televisiva e multimédia dos jogos em casa da Equipa A de Futebol Sénior da Sporting SAD e direito de exploração da publicidade estática e virtual do estádio José Alvalade pelo período de 10 épocas desportivas com início em 1 de Julho de 2018;

(ii) direito de transmissão e distribuição do Canal Sporting TV, pelo período de 12 Épocas desportivas, com início em 1 de Julho de 2017;

(iii) direito a ser o seu principal patrocinador, pelo período de 12 épocas e meia, com início a 1 de Janeiro de 2016. 

2) com a PPTV – Publicidade de Portugal e televisão, S.A. um aditamento ao contrato actual pelo qual foram revistos os valores a pagar pelos direitos de transmissão televisiva e multimédia dos jogos em casa da equipa A de futebol sénior da Sporting SAD e direito de exploração da publicidade estática e virtual do estádio José Alvalade para as épocas 2015-2016, 2016-2017 e 2017-2018.

As contrapartidas financeiras globais resultantes do valor dos contratos, incluindo as épocas 2015-2016, 2016- 2017 e 2017-2018, o referido no ponto 1 e o aditamento referido no ponto 2 ascendem ao montante de € 515.000.000.»


Bom, por dever e imperativo de consciência, vejo-me obrigado a conceder que nem o melhor dos cenários que alguma vez fui capaz de construir em parceria com a minha almofada, alguma vez se aproximou do teor do comunicado enviado pela Sporting, SAD ao princípio da tarde de hoje à CMVM.

Se são certos e factos incontroversos, que sem Bartolomeu Dias ter passado o Cabo da Boa Esperança, ou Vasco da Gama ter chegado à Índia, Pedro Álvares Cabral não teria descoberto o Brasil, nada nem ninguém lhe poderá retirar o tremendo e inimaginável mérito de ter cometido o maior feito de toda a gloriosa saga dos Descobrimentos Portugueses.

Agora que a "carroça" prossegue a sua jornada com muito boa, bem estivada e equilibrada carga, será tempo de proceder com inteligência a uma cuidada e eficaz lubrificação de todos os seus mais nevrálgicos pontos móveis, de modo a que desapareça em definitivo o medonho, lancinante e incomodativo ruído do seu desengonçado caminhar.

O Sporting Clube de Portugal, que terá chegado neste 29 de Dezembro do glorioso ano de 2015, ao topo da importância com que o poder económico condimenta a hierarquia desportiva, nunca mais deverá permitir, por desnecessário e muito pouco inteligente, que alguém no seu seio se coloque em bicos de pés para reivindicar aquilo que a natureza das coisas acaba de lhe conceder:

O Sporting Clube de Portugal é a maior potência desportiva nacional!...

Leoninamente,
Até à próxima

Mas confesso que estou expectante por ver as gloriosas camisolas do meu Sporting na estrada!...



Depois de um "prólogo" descoroçoante, com a "carroça " ao longe a denunciar as habituais falhas de manutenção, rodagem e afinação, semeando aos ventos falaciosas vitórias em "voltas a Portugal e aos Algarves", parece que iremos ter as gloriosas camisolas verde e brancas nas estradas portuguesas!

Nasci no meio das bicicletas do saudoso Sangalhos Desporto Clube e como sportinguista menino, sempre tive muita dificuldade em distinguir entre Alves Barbosa, Edmundo Simões Louro, Antonino e António Baptista, Fernando Henriques da Silva, Aquiles dos Santos, Pedro Polainas, Manuel Graça, Américo Raposo e outros que a memória agora não me traz, aquele que mais idolatrava. O ciclismo terá sido, a par do futebol, a modalidade que mais me entusiasmou.

Quando a modalidade foi extinta em Alvalade, o ciclismo morreu para mim. Já tinha morrido um pouco com a morte do saudoso e único Joaquim Agostinho. Depois acabou por morrer da mesma forma que a Fórmula 1 morreu com Ayrton Senna! Nem na televisão me voltaram a seduzir!...

Agora o ciclismo volta ao Sporting Clube de Portugal, numa parceria com o clube que depois do Sporting e do Sangalhos, mais próximo sempre esteve do meu coração, por causa de outro grande nome do nosso ciclismo, que eu muito admirava: Jorge Corvo!...

Não serei capaz de antecipar como reagirei a este regresso do ciclismo ao meu clube de sempre. O arranque foi demasiado decepcionante e traumatizante. Não pelo ciclismo em si, mas porque me envergonhou o comportamento de todos aqueles que protagonizaram tão triste simulacro de arranque...

Mas confesso que estou expectante por ver as gloriosas camisolas do meu Sporting na estrada!...

Leoninamente,
Até à próxima

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Maldita "carroça"!...



A propósito das declarações de Bruno de Carvalho, à margem da assinatura do acordo com o Clube de Ciclismo de Tavira que permitirá o regresso do Sporting Clube de Portugal à modalidade, sobre o tema candente que na actualidade se prende com os direitos televisivos, (LINK) lembrei-me de duas histórias curiosas.

A primeira, de autor anónimo, que relata a saída de um pai com seu filho para a floresta, e na qual, durante a caminhada, pede ao filho que preste atenção ao som de uma carroça que se adivinhava ao longe. O garoto concentra toda a sua atenção no ruído distante e consegue ouvir o barulho, longínquo, mas perceptível. O pai, em sua sabedoria afirma, sem que naturalmente a tenha visto ainda, que se trataria de uma carroça vazia. Algum tempo depois, a carroça passa pelos dois, completamente vazia, como o pai dissera, para espanto do garoto. Curioso, o rapaz pergunta como o pai chegou àquela conclusão. “Simples” - responde ele em tom de reflexão – “quanto menos conteúdo, mais barulho a carroça produz!”

A segunda, que julgo dever ser atribuída a Sócrates, o filósofo ateniense e um dos fundadores da filosofia ocidental, um diálogo em que os seus discípulos vieram falar sobre a vida de outros e ele perguntou, ensinando: "Vocês já passaram pelos três crivos antes de me contar? E que crivos são esses, Mestre? Pois, a verdade, a bondade e a necessidade: É verdade? Vocês têm provas? É bom? Não vai prejudicar ninguém? É necessário? Tem alguma coisa a ver com a vida de cada um de vós ou com o bem comum?” E os discípulos se calaram, e Sócrates voltou a falar de filosofia...

Maldita "carroça" que quanto menos conteúdo apresenta mais barulho produz, sem que por uma única vez o condutor se preocupe com "os três crivos"!...

Leoninamente,
Até á próxima

Só os deuses saberão se o Sporting será capaz de alcançar tais objectivos!...


MILHÕES A MAIS

Aos 400 milhões do Benfica, o FC Porto respondeu com 457 milhões. São, no essencial, contratos de direitos televisivos por 10 anos, aos quais se juntam alguns acessórios - exclusividade dos canais de clube, publicidade estática e, no caso dos dragões, o 'naming' da camisola - que só podem ser vistos como tal, acessórios. Porque o que está em causa são, de facto, os direitos de transmissão de jogos em directo.

Quando olhamos para os números dos clubes espanhóis ou ingleses, coramos de vergonha. O último classificado da Premier League recebe actualmente por ano mais do dobro que Benfica e FC Porto irão receber nos milionários contratos que agora assinaram. Em Espanha, os valores pagos a águias e dragões são equivalentes aos recebidos pelas equipas do fundo da tabela. Mas será essa a comparação que devemos fazer?

O mercado televisivo português é minúsculo quando comparado com o inglês ou o espanhol. E, pior, a Liga NOS é anónima para os amantes de futebol para lá de Badajoz, pelo que os jogos do campeonato português interessam a pouco mais pessoas do que aos portugueses. Por isso, a comparação que deve ser feita é com os países com uma dimensão semelhante à de Portugal e com ligas de um nível idêntico.

Na Holanda, que tem quase 17 milhões de habitantes e muito mais dinheiro do que Portugal, os 18 clubes da Eredivisie recebem cerca de 83 milhões de euros por ano - Benfica e FC Porto sozinhos terão mais do que isso; na Bélgica, que tem 11 milhões de habitantes, o valor global é de 53 milhões; na Grécia, que tem sensivelmente a mesma população, o número é de 44 milhões. Os clubes portugueses são bem melhores na Europa, é verdade, mas não é isso que está aqui em causa.

Estes dados indiciam, no mínimo, que NOS e PT estão a valorizar o futebol português muito acima do que é a sua realidade. Estamos a falar de apenas 17 jogos por temporada, a maioria dos quais sem grande história ou emoção, e que até podem ser menos se a Liga voltar a reduzir o número de equipas no primeiro escalão. Por isso, Benfica e FC Porto fizeram bem em aproveitar esta 'loucura' do mercado. Será que o Sporting vai a tempo de o conseguir?
(Sérgio Krithinas, Bloco Baixo, in Record)

Claro que para o espírito desempoeirado e justo de Sérgio Krithinas, assim como para qualquer observador atento e avesso a fundamentalismos bacocos, em ambos os contratos, tanto no do Benfica quanto no do Porto, desprezados os "acessórios", o que está verdadeiramente em causa serão, de facto, os direitos de transmissão dos jogos em directo.

A mim parece-me que o Porto terá conseguido uma melhor "performance" negocial, beneficiando do facto de não ser obrigado a abrir o caminho e da disputa que se instalou entre operadoras após essa abertura pelo Benfica.

Veremos qual será a posição do Sporting que, do meu ponto de vista poderá superar qualquer dos dois rivais se:

1 - Souber e puder esperar pelo fim da época.

2 - Conseguir negociar com o título de campeão nacional nas unhas.

Só os deuses saberão se o Sporting será capaz de alcançar tais objectivos!...

Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 27 de dezembro de 2015

Nada nem ninguém deveria obrigar Jorge Jesus a aceitar!...


Sim, eu sei que o José Alberto Carvalho não é nenhum "burro de carga" e que alguém na TVI teria de entrevistar hoje à noite Jorge Jesus, porque não pode tocar tudo ao mesmo. Também sei que lá pela estação de Queluz de Baixo o nível qualitativo para estas andanças do futebol não é alto. Mas c'os diabos, quem como a Judite de Sousa persiste em continuar, depois de muitos e longos anos de televisão, a trocar "quarenta por qurenta", que de futebol pouco ou nada perceberá para além da sua condição de indefectível adepta "andrade", cuja qualidade jornalística já terá conhecido melhores dias e que parece ter vindo para esta entrevista juntar ao ramalhete um notório e pouco adequado fastio, dificilmente poderia conseguir mais do que uma entrevista que, de tão pobre, bacoca e pífia, Jorge Jesus não mereceria de todo!...

Um mau momento televisivo para todos os que, directa ou indirectamente a ele estiveram ligados e que... 

Nada nem ninguém deveria obrigar Jorge Jesus a aceitar!...

Leoninamente,
Até à próxima

Será que, também por uma vez, surpreende?!...


Bastaram pouco mais de três semanas para que as flores do "jardim da luz" estiolassem e todos constatassem as suas pétalas e folhas murchas pejando o chão, calcadas pela insensibilidade, indiferença ou gozo dos poucos milhões de não praticantes da religião oficial deste (des)estruturado país do futebol e varridas pelos ventos adversos à jactante prosápia dos incorrigíveis fundamentalistas que aquela professam.

Premonitoriamente, em bicos de pés e fazendo jus aos "cinco minutos de fama" a que todo o vaidoso, legitimamente, terá direito, um tal Mourão, ilustre e desconhecido professor de Economia da Universidade do Minho, havia afirmado no próprio dia em que foram abertos ao público os "jardins da luz" (LINK):

«Tendo em conta a estrutura actual, em oligopsónio, em que dominam poucas empresas de audiovisual, haverá sobretudo uma resposta das outras concorrentes. Também pode acontecer a redefinição/alienação da Benfica TV, com a mudança do exclusivo dos jogos do clube. E vai redefinir o valor das transmissões dos outros grandes. Será difícil que FC Porto ou Sporting alienem os seus jogos por menos de 40 milhões/época.»

Talvez levado pela detestável jactância erudita de que quase todos os ecomistas se servem para encobrir deficiências e mostrar ao mundo a sua infalibilidade, travei a fundo no crédito com que as suas palavras desafiavam este sportinguista radical que sou e disse, conformado, aos meus botões, que de "bruxos estaria o inferno cheio"! Afinal, ao menos por esta vez, as previsões do Mourão economista, viriam a revelar não serem assim tão desajustadas: metade dos seus vatícinios, já fizeram murchar todas as flores do "jardim da luz"! Os fabulosos 457.5 milhões do contrato que a MEO estabeleceu com os "andrades", terão sido mais eficazes para o "jardim da luz", que 400 litros de "round-up" que alguma avioneta em voo picado por lá descarregasse!...

Veremos agora se a outra metade profetizada, acabará ou não por se concretizar. Mas os indicadores, tendo em conta que o hábito faz o monge, serão pouco ou nada animadores... Bruno de Carvalho, até agora, disse... NADA!...

Será que, também por uma vez, surpreende?!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 26 de dezembro de 2015

"O Ser de que nos reinvindicamos não o fundamos em nós senão por actos"!...


Os Actos Valem mais que as Palavras

«Nenhuma explicação verbal poderá alguma vez substituir a contemplação. A unidade do Ser não é transmissível pelas palavras. Se eu quisesse ensinar a homens, cuja civilização o desconhecesse, o que é o amor a uma pátria ou a uma quinta, não disporia de argumento algum para os convencer. São os campos, as pastagens e o gado que constituem uma quinta. Todos e cada um deles têm como missão produzir riqueza. No entanto, há alguma coisa na quinta que escapa à análise dos seus componentes, pois existem proprietários que, por amor à sua quinta, se arruinariam para a salvar. Pelo contrário, é essa 'alguma coisa' que enriquece com uma qualidade particular os componentes. Estes tornam-se gado de uma quinta, prados de uma quinta, campos de uma quinta... 
Assim se passa a ser homem de uma pátria, de um ofício, de uma civilização, de uma religião. Mas, para que alguém se reclame de tais Seres, convém, antes de mais, fundá-los em si próprio. E, se não existir o sentimento da pátria, nenhuma linguagem o transmitirá. O Ser de que nos reinvindicamos não o fundamos em nós senão por actos. Um Ser não pertence ao domínio da linguagem, mas dos actos. O nosso Humanismo desprezou os actos. Fracassou na sua tentativa.»
(Antoine de Saint-Exupéry, in 'Piloto de Guerra')


Creio que se estará rapidamente a aproximar de Alvalade,  o "tempo dos actos": em todo o nosso passado recente vimos assistindo com enlevo mais ou menos pronunciado, consoante a sensibilidade de cada um, à costrução, com palavras, da moldura do quadro do nosso encantamento; acabado que estará o "embelezamento" da obra, talvez seja chegada a hora de abandonar as palavras e pintarmos, definitivamente, o quadro com actos!...


"O Ser de que nos reinvindicamos não o fundamos em nós senão por actos"!...


Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Feliz Natal para todos!...


ESPERANÇA EM MELHORES DIAS

«... Poucas épocas têm sido tão inquietantes como aquela em que vivemos. Os princípios morais estão cada vez mais distantes do nosso quotidiano. A sociedade é minada pela corrupção em várias actividades e a todos os níveis é marcada por tremendas desigualdades sociais e por uma intolerância em diversos domínios que muitas vezes se traduz por manifestações de fanatismo.

Encontramo-nos numa época de enorme crise de valores e infelizmente o Desporto não tem conseguido escapar a essa pandemia. Este foi um ano 'trágico' desse ponto de vista como atestam os escândalos da corrupção na FIFA e do 'doping' promovido pelo governo russo. Ele, desporto, reflecte a nossa sociedade e dificilmente poderia ser uma ilha paradisíaca num mundo permissivo aos piores defeitos do ser humano. Mas é através dele que podemos acreditar em melhores dias.

Vivemos numa sociedade altamente competitiva, onde se cobra o sucesso com uma exigência tremenda e onde tantas vezes não se olha a meios para atingir os fins. Se soubermos aplicar os valores éticos que o desporto nos ensina, estaremos mais preparados para enfrentar aqueles desafios e acima de tudo estaremos a dar um contributo válido para um mundo melhor. Feliz Natal!»
(António Magalhães, Entrada em Campo, in Record)

Feliz Natal para todos!...

Leoninamente,
Até à próxima

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Eu também convivo, serenamente, em paz, sossego e felicidade, com Jorge Jesus de alma e coração no seu e nosso clube de sempre: SPORTING CLUBE DE PORTUGAL!...


"CALINADAS? EU FALO PELA MINHA CABEÇA!..."

«Todos nós damos calinadas. Mas sei que tenho de ter algum cuidado e cada vez tenho de ter mais. Só que não valorizo muito esses aspectos, valorizo sim a minha formação de treinador, ou seja, aquilo que eu sei fazer, a faculdade que eu tive de desenvolver e evoluir no sentido de criar as minhas ideias. Isso é que me dá conforto, segurança. Depois, se eu não pronunciar bem uma frase em inglês… eu não estudei inglês, nem fui formado para ser professor de português! Agora, tenho de ter algum cuidado, porque sou uma pessoa referenciada. Mas o que me importa saber é daquilo que me compete: eu sou um especialista de treino, sou um especialista de trabalhar com seres humanos. Nesta área, aqui sim, é que eu me dedico, tento ao máximo evoluir e é esta área que me vai valorizar na minha profissão. As outras áreas… claro que tenho de saber das outras coisas… mas, repare, eu sou uma pessoa genuína, não há pessoas a "briefarem-me", eu falo pela minha cabeça. A bem ou mal, porque também há algumas coisas que não devia ter dito, mas enfim, não vou mudar. Não é agora que vou mudar.»
(Jorge Jesus, in Record)

A cada dia que passa, mais admiro esta personagem ímpar da actualidade portuguesa que é Jorge Jesus!...

É o maior no seu difícil "metier", pedindo meças aos mais credenciados treinadores de toda e qualquer parte do mundo! Mas, rotulado de "bronco e broncas" por todos os que lhe apontam "falta de chá" ou excesso de "incultura", não se lhe carrega o sobrolho, nem se lhe reflectem amargura, decepção, pesar ou recriminação no rosto! Como se as "balas do achincalhamento" lhe resvalassem na couraça da sua indiferença, trata esses projécteis com a grandeza de quem conhece as suas limitações e com elas convive, serenamente, em paz, sossego e felicidade...

Eu também convivo, serenamente, em paz, sossego e felicidade, com Jorge Jesus de alma e coração no seu e nosso clube de sempre: SPORTING CLUBE DE PORTUGAL!...


Leoninamente,
Até à próxima

Marvin Zeegelaar, confesso que o meu receio será igual ao dele!...



"Sporting? Não sinto receio algum"

«Para surgir o interesse de um grande clube como o Sporting é preciso trabalhar muito, o treinador gostar de ti e o clube também. Não sinto receio algum. É uma nova experiência, tudo é novo. Temos de nos adaptar, já estou habituado.

Agora tenho de conseguir jogar, tenho de trabalhar muito. É um sonho chegar a um clube como o Sporting. Quando cheguei ao Rio Ave ninguém me disse que iria jogar. Tenho de lutar.»
(Marvin Zeegelaar, in A Bola)


Aí temos Marvin Zeegelaar, na sua primeira foto com a gloriosa camisola do Sporting Clube de Portugal.

A expectativa dos adeptos sportinguistas é, naturalmente, enorme. E alicerçada numa boa série de razões:

1 - É um produto de uma das melhores escolas de formação do mundo: Ajax.

2 - Apesar de muito jovem ainda, apresenta uma larga folha de experiências em vários clubes do futebol europeu, nomeadamente em Portugal, cujo futebol conhece bem através de 42 presenças defendendo as cores do Rio Ave e sob a direcção do treinador que o recomendou e nele tem apostado, Pedro Martins.

3 - É dono de extraordinária envergadura física e rápido q.b. para qualquer das posições que normalmente desempenha na faixa esquerda, exibindo, a par disso, uma superior qualidade técnica e a polivalência que o treinador leonino tanto aprecia.

4 - Parece ser uma clara aposta de JJ, a que a estrutura leonina deu o seu aval, sendo o custo da sua contratação absolutamente compatível com as possiblidades actuais do Sporting e que o prazo contratual claramente reflecte. 

5 - Afirma estar empolgado com o seu ingresso num grande clube como o Sporting e declara "não sentir receio nenhum" perante tão grande desafio.

Por mim, confesso que o meu receio será igual ao dele!...

Leoninamente,
Até à próxima

Em Portugal qualquer cepo pintado de vermelho é um embondeiro!...


«Até costumo pedir ao quarto árbitro que me avise, porque estou a olhar para o jogo e nem sei onde estou. A minha emoção do jogo, o querer partilhar com os meus jogadores… agora, também tem a ver com o resultado. [...]

Já as entradas em campo é que são mais raras. A última vez o jogo estava parado, foi com o Tondela, não queria que fosse o Adrien a marcar o penálti e eles não me ouviam. Tive de chegar mais perto. E com o Moreirense, aí fui expulso. Quando faço as coisas não é intencional, é com emoção, a paixão. Porque o treinador… as pessoas dizem: "Ah, os jogadores não ouvem." Ouvem, ouvem. E tem muita importância, esta comunicação faz a diferença em relação aos técnicos que não dizem nada. E alguns não podem mesmo dizer; eles não vêem! Vão dizer o quê? Quando se vê treinadores sentadinhos no banco, não se mexem, não dizem nada… mas vão dizer o quê, eles não estão a ver nada!»
(Jorge Jesus, in Record)


Ser genuíno é isto mesmo! A grande diferença advém da camisola que se enverga... 

Em Portugal qualquer cepo pintado de vermelho é um embondeiro!...

Leoninamente,
Até à próxima

"Et cum spiritu tuo"!...



O LADO NEGRO DA FIFA

A Comissão de Ética da FIFA puniu o presidente Joseph Blatter e o líder da UEFA, Michel Platini, com oito anos de suspensão. Uma decisão surpreendente. Por um lado, pela dimensão da sanção e, por outro, por quem atinge, os altos dirigentes em vez dos meros funcionários.

O poder da FIFA desde há muito que aguça o interesse dos vários agentes do futebol e se perpetua, estando nas bocas do Mundo pelos piores motivos. Blatter, por ironia do destino, acaba por ser eleito e denunciado pelo mesmo poder corrupto que o elegeu. Incapaz de fazer qualquer reforma estrutural, limitou-se a garantir a sua continuidade, promoveu e pactuou com gente indesejável para o futebol que não teve escrúpulos em denunciá-lo.

Se é verdade que este clima de suspeição é um duro revés para o futebol e para o desporto, não deixa de ser menos verdade que é uma oportunidade para quem vem a seguir limpar a má imagem e implementar reformas.

Num momento como aquele que vivemos, é fundamental que cada um dos ‘stakeholders’ assuma a sua responsabilidade, seja claro e transparente. O retorno financeiro que o futebol gera tem de ser distribuído por todos os agentes e não apenas por meia dúzia de amigos que estão sentados à mesma mesa. Exige-se uma mudança de paradigma, mais solidariedade, melhor redistribuição. Os dirigentes devem servir o futebol em vez de se servirem do futebol. É urgente boa governação .

Nessa matéria, a FIFPro, que representa os futebolistas a nível mundial, tem de uma vez por todas exigir que os protagonistas - os jogadores - estejam nos órgãos de governação, fiscalizem a actividade e participem nos resultados financeiros. A FIFPro tem uma oportunidade histórica. Não pode ficar à espera do que acontece e do que os outros dizem. Não se pode comportar como quem critica. Tem de agir, ser exigente, antecipar soluções. Ser a voz activa dos jogadores junto de cada candidato e apresentar as suas reivindicações.
O abalo que este escândalo está a provocar não deixará de ter consequências no plano nacional, ao nível das federações e clubes. O futebol português não será excepção. Os danos dependerão da forma como saibamos prepararmo-nos para os seus efeitos! Que a força esteja connosco!
(João Evangelista, Desalinhado, in Record)

"Et cum spiritu tuo"!...

Leoninamente,
Até à próxima

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

E umas Boas Festas para todos eles com rotundos êxitos nas suas carreiras!...




Em contraponto com os pouco agradáveis acontecimentos vividos em Alvalade nesta última semana, situar-se-ão as notícias que nos dão conta das eventuais saídas, por empréstimo, dos jogadores argentinos Valentin Viola (LINK1) e Jonathan Silva (LINK2)

Esperemos que para outras botas bem mais difíceis de descalçar, também sejam encontradas soluções semelhantes, a começar pelo talentoso jovem de óculos escuros, de seu nome Zakaria Labyad:



E umas Boas Festas para todos eles, com rotundos êxitos nas suas carreiras!...

Leoninamente,
Até à próxima

Nada mais do que isso, esta "apregoada" vitória da Doyen!...



Hoje é um dia muito triste para o futebol.

Como sempre disse tudo é possível quando se trata de futebol.

Um mundo com o qual não me identifico e que cada vez mais me envergonha.

O futebol não tem a mínima condição de se auto regular, com a sua disciplina e justiça a demonstrarem, constantemente, uma debilidade e uma permeabilidade perante um "sistema" que teima em se querer manter vivo. Próxima fase recurso. Próximo passo a manutenção acérrima pela luta por um futebol digno e credível.

Quanto ao Sporting Clube de Portugal cá estaremos para resolver os vários obstáculos que têm surgido e os outros que teimam em nos colocar pela frente.

Num subsistema (futebol) onde tudo vale e os "bandidos" reinam, a nossa resposta será dada em 2016: manter o foco, manter o rumo e manter a identidade!

Que os nossos adeptos saibam manter o seu apoio, fundamental para se demonstrar a coesão do Clube e com isso a sua força e perseverança em torno de valores, ideais e objectivos.

Que os nossos inimigos nunca subestimem a força da razão e da perseverança. São estes momentos que nos redobram as forças e que ainda consolidam mais as nossas convicções.

Que não entremos em depressões inúteis e que quem hoje vier "cantar de galo" não se esqueça que quando não se tem razão e se tem tantos telhados de vidro mais cedo ou mais tarde verá as suas acções estilhaçadas pois a verdade acaba sempre por se fazer mostrar.

O futebol não pode nem deve ser tomado de assalto e os governos do mundo e a justiça comum já perceberam que tem de se colocar um fim num futebol que se transformou num subsistema opaco, cheio de negociatas, corrupção e onde a criminalidade, nomeadamente pagamento de luvas, apostas ilegais e lavagem de dinheiro, são acções a combater de imediato.

Todas as histórias tem um fim. Neste caso estamos ainda no princípio.
(Bruno de Carvalho, na sua página do FB)

Quando assistimos às reacções de Joseph Blatter e Michel Platini após a suspensão de oito anos de todas as actividades ligadas ao futebol, decretada pela Comissão de Ética da FIFA, afirmando a sua intenção de recorrerem para o TAS, poucas dúvidas subsistirão sobre a idoneidade e isenção desta instância internacional arbitral, assim como fica clara e inequívoca a sua índole corporativista, neste terrível submundo de interesses ligados ao futebol. 

Nesta condição, a ninguém de boa fé terá surpreendido a decisão hoje vinda a público e muito menos os dirigentes e corpo jurídico sportinguistas, liderados por Bruno de Carvalho. A próxima fase, o recurso desta decisão, há muito que estará a ser preparada, sem que isso signifique a certeza de que possa vir alcançada a vitória que agora não foi possível. Apenas significará que não haverá bandejas em Alvalade para entregar, sem luta, qualquer causa que nos surja pela frente, acautelando sempre, em termos económicos e financeiros, a eventualidade de a vitória voltar a não nos sorrir. Porque, todos saberemos que, "enquanto o pau vai e vem, folgam as costas"!...

Nada mais do que isso, esta "apregoada" vitória da Doyen!...

Leoninamente,
Até à próxima

Só a esperança nos "dois estarolas" nos poderá salvar!...


«... A equipa não dá para muito mais do que deu até ao momento. Suspiramos pelos reforços de Inverno. Provavelmente constituem uma ilusão como outra qualquer. Resta-nos a esperança no Lopetegui e no Rui Vitória. Tenho mais esperança neles do que nos nossos jogadores.»
(Rui Monteiro, in A insustentável leveza de Liedson)

Eu gostava de pensar de um modo completamente diferente de Rui Monteiro. Mas depois do que vi na Choupana, não me atrevo! Acho que será ele a levar o passo certo!...

Em Braga fomos aviados por apito e bandeiras. Não fora isso e o "braguinha" tinha ficado pelo caminho. Na Madeira fomos nós que "botámos" os pés a caminho, denunciando o quão rotas estarão as nossas alpargatas!...

Agora, ou o mercado nos arranca da indigência, ou JJ vira santo milagreiro, ou então... 

Só a esperança nos "dois estarolas" nos poderá salvar!...

Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 20 de dezembro de 2015

Pôrra, não há mesmo por ali um líder!...




Agora mais a frio e sem a mínima intenção de crucificar quem quer que seja, até porque o mal está feito e o único remédio será tocar a vida para a frente, não deixa de ser doloroso constatar a forma quase estúpida e infantil como, em termos colectivos, a defesa leonina, Rui Patrício incluído, acabou por ser "comida" de forma incrível no golo que condenou a equipa à primeira derrota na Liga e lhe retirou a liderança, numa violação arrepiante dos mais elementares princípios de posicionamento no processo defensivo.

E não houve, no meio de tanta gente que por ali andava de leão ao peito, um único grito, um único berro, um único rugido de leão, que alertasse para o local exacto de onde poderia vir o único perigo do fatídico lance. Exactamente porque nem um único leão da nossa defesa se colocou de frente para o portador da bola! Mas será JJ que lhes ensina a virarem as costas aos lances?!... 

Como eu me lembro de ouvir na bancada e até na televisão em casa, os berros do grande Peter Schmeichel! E quanto respeitinho eles impunham! Agora só se ouve: sai, sai, sai, quando depois, afinal, entra, e entra, e volta a entrar, na nossa baliza, a danada da bola!...

Pôrra, não há mesmo por ali um líder!...

Leoninamente,
Até à próxima 

Há que deixar certas coisas de lado e seguir em frente!...


Aconteceu futebol na Choupana! Pelo que a equipa lutou, não merecia sair derrotada da Madeira. Mas num golpe feliz, no único que conseguiu construir, os deuses abençoaram a turma madeirense. Aconteceu futebol!...


Há que deixar certas coisas de lado e seguir em frente!...

Leoninamente,
Até à próxima

E já agora, que mudasse a cor da fatiota!...



JESUS GOSTAVA DE TER REFORÇO PARA A DEFESA

"Um treinador nunca está 100 por cento satisfeito. No meu caso é assim, nem com o que faço nem com o que tenho. Se pudesse ter mais um jogador, para que posição seria? A equipa está uniforme, equilibrada mas talvez no sector defensivo. Estamos na quadra natalícia mas acho que o Pai Natal não me vai dar esse presente (Carrillo). Vamos ver se me dá outro...[...]

Todos os jogos na Madeira, seja com que equipa for, são difíceis. O União já nos deu essas indicações no último jogo, contra o nosso rival, ou mesmo com o Sp. Braga. O União vai jogar com uma organização defensiva com qualidade, vamos ter de arranjar soluções para criar espaços à forma defensiva do U. Madeira. É uma equipa que não vai ser fácil. Depois de termos jogado um jogo de enorme intensidade, de grande qualidade feita por duas grandes equipas, na Taça, ficamos pelo menos com a sensação de que fomos uma grande equipa e fizemos um grande jogo. Se jogarmos ao nível de Braga, as coisas vão sair mais fáceis na Madeira."

"O campo em si tem todas as condições, é um campo acolhedor, é um estádio que tenho algum carinho sobre o proprietário. Agora é verdade que, pela altitude em que está situado esse estádio, há esses problemas. Podia ser nos Barreiros, no campo do Marítimo, mas isso já não tenho capacidade para saber. Sei que isso envolve outros pormenores, um dos quais acho que é económico. Mas o ideal era que se pudesse jogar aí porque o campo do Marítimo está a ficar muito bonito. [...] 

O nevoeiro da Choupana pode aparecer a qualquer momento, mas estamos preparados. O jogo é dia 20, se não pudermos jogar, jogamos a 21, se não der a 21, jogamos a 22. O jogo tem é de ser feito.»
(Jorge Jesus, in MaisFutebol)

Durante muitos e longos anos o Pai Natal ter-se-à esquecido das coordenadas de Alvalade! Agora que o "filho" voltou a casa, era bom que nunca mais deixasse introduzi-las no seu "GPS"!...

E já agora, que mudasse a cor da fatiota!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 19 de dezembro de 2015

"A princípio estranha-se. Depois entranha-se... É assim o SPORTING"!...


SCHELOTTO FELIZ COM PRIMEIRA CONVOCATÓRIA

"Com esforço e sacrifício tudo se consegue. Contente pela minha primeira convocatória. Graças a Deus por tudo. Agora é continuar a crescer."

Ivone De Franceschi também chegou ao Sporting, vindo de Itália, e soube reservar para sempre o seu lugar no coração dos adeptos leoninos. Quando partiu, levando ao peito a faixa de campeão, levou também para sempre o Sporting no coração!...

O sorriso de felicidade de Ezequiel Schelotto, parece prenunciar um trajecto semelhante. Que assim seja, na certeza de que o reconhecimento dos adeptos não será diferente!...

"A princípio estranha-se. Depois entranha-se... É assim o SPORTING"!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

I rest my case!...


PRESSÃO ALTA

«... O futebol não está bem, tresanda a corrupção por todos os lados, como é possível descortinar através do processo de limpeza que decorre na FIFA, mas, em Portugal, não vejo mais ninguém preocupado com essa mudança a não ser Bruno de Carvalho - e também compreendo porquê: o sistema de organização de futebol, tal e qual como ele existe, e que é uma extensão das contingências (muitas das quais viciadas ou erradas) em que assenta o futebol-negócio, tem sido mais generoso para uns do que para outros. Nesse sentido, para alguns, a mudança não é nem uma necessidade nem uma oportunidade. É uma traição ao situacionismo que muitos vêm defendendo, mesmo que se façam contas aos prejuízos. Percebo, também, que quem questiona, quem aposta em outros caminhos e quem ousa colocar em causa 'direitos adquiridos' não seja exactamente muito benquisto. Contudo, Bruno de Carvalho está um passo mais à frente em relação à classe dirigente dominante, porque o futebol precisa de uma grande transformação e está escudado em 'certezas' que perderam valor há pelo menos 15-20 anos. Como a questão da arbitragem e da introdução da figura do vídeo-árbitro. Quanto mais tempo é preciso fazer mal ao futebol para se iniciar o tempo de refundação?

JARDIM DAS ESTRELAS
*****
Sp. Braga-Sporting - hino ao futebol
Finalmente, tivemos em Portugal um jogo de encher todas as medidas. Um hino ao futebol. Duas equipas preparadas para fazer um grande jogo, fizeram um grande jogo. Tinha afirmado que só um grande Braga conseguiria vencer o Sporting. E só um grande Sporting poderia eliminar o Braga. Na verdade, pela aplicação, pela qualidade, pela intensidade, as duas equipas fizeram tudo para merecer continuar na prova. O Sp. Braga e Paulo Fonseca merecem um fortíssimo elogio, mas o Sporting também. Foi pena que a arbitragem não tivesse sido 'limpinha'. Mas valha a verdade, em abono do trabalho de um árbitro promissor mas ainda pouco rodado (Fábio Veríssimo), que só um vídeo-árbitro poderia evitar dois erros graves. E, com vídeo-árbitro, o Sporting não teria sido eliminado da Taça de Portugal.


BOAS FESTAS!
(Rui Santos, Pressão Alta, in Record)

I rest my case!...


Leoninamente,
Até à próxima

Uma pessoa séria sente vergonha até diante de um cão!...


PERDER COM GOSTO

«Se fosse possível o adepto de um clube sair do estádio satisfeito depois da derrota da sua equipa, isso teria acontecido na noite de 4.ª feira, em Braga, com os adeptos do Sporting. Primeiro, porque haviam assistido a um magnífico jogo; depois, porque tinham visto a sua equipa praticar um futebol de alto nível.

O jogo de Braga teve de tudo: muitos golos, três 'remontadas', lances magníficos, erros de arbitragem, incerteza até ao último minuto. Do princípio ao fim, as equipas nunca se remeteram à defesa. Mesmo o Sporting, estando a ganhar a 6 minutos dos 90, continuava a jogar como se estivesse empatado ou a perder - e talvez por isso sofreu o golo fatal que ditou o prolongamento.

Há muitos anos, os clubes espanhóis fizeram um pacto entre si para abandonarem as tácticas defensivas. A partir daí, o campeonato espanhol deu um salto enorme, sendo hoje um dos melhores do mundo. E não só por ter grandes jogadores. Mas pelo facto de as equipas jogarem abertas, querendo discutir sempre o resultado. Em Espanha não vemos uma equipa jogar os 90 minutos aglomerada na sua área, como acontece aqui. Mesmo contra os colossos Barcelona e Real Madrid, os adversários jogam muitas vezes cara a cara - e às vezes levam a melhor.

O Braga-Sporting merece uma aturada reflexão. É um exemplo a seguir, que por isso devia passar a ser mostrado nos cursos de desporto, contribuindo para revolucionar o futebol português. Com muitos jogos disputados assim, os estádios não estariam tão vazios.»


Esta crónica de José António Saraiva deveria ser afixada, em letras garrafais, no hall de entrada da sede da APAF. Para que a "aturada reflexão" que sugere, começasse por ser feita pelos únicos elementos que estiveram presentes no estádio municipal de Braga e que não mereceram os encómios e a exaltação do cronista: "O jogo de Braga teve de tudo: muitos golos, três 'remontadas', lances magníficos, ERROS DE ARBITRAGEM, incerteza até ao último minuto"!...

Deveria corar de VERGONHA toda a escória  que, na arbitragem portuguesa e nos corredores contíguos, vegeta e se governa à custa do futebol!...


Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE