sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

I rest my case!...


PRESSÃO ALTA

«... O futebol não está bem, tresanda a corrupção por todos os lados, como é possível descortinar através do processo de limpeza que decorre na FIFA, mas, em Portugal, não vejo mais ninguém preocupado com essa mudança a não ser Bruno de Carvalho - e também compreendo porquê: o sistema de organização de futebol, tal e qual como ele existe, e que é uma extensão das contingências (muitas das quais viciadas ou erradas) em que assenta o futebol-negócio, tem sido mais generoso para uns do que para outros. Nesse sentido, para alguns, a mudança não é nem uma necessidade nem uma oportunidade. É uma traição ao situacionismo que muitos vêm defendendo, mesmo que se façam contas aos prejuízos. Percebo, também, que quem questiona, quem aposta em outros caminhos e quem ousa colocar em causa 'direitos adquiridos' não seja exactamente muito benquisto. Contudo, Bruno de Carvalho está um passo mais à frente em relação à classe dirigente dominante, porque o futebol precisa de uma grande transformação e está escudado em 'certezas' que perderam valor há pelo menos 15-20 anos. Como a questão da arbitragem e da introdução da figura do vídeo-árbitro. Quanto mais tempo é preciso fazer mal ao futebol para se iniciar o tempo de refundação?

JARDIM DAS ESTRELAS
*****
Sp. Braga-Sporting - hino ao futebol
Finalmente, tivemos em Portugal um jogo de encher todas as medidas. Um hino ao futebol. Duas equipas preparadas para fazer um grande jogo, fizeram um grande jogo. Tinha afirmado que só um grande Braga conseguiria vencer o Sporting. E só um grande Sporting poderia eliminar o Braga. Na verdade, pela aplicação, pela qualidade, pela intensidade, as duas equipas fizeram tudo para merecer continuar na prova. O Sp. Braga e Paulo Fonseca merecem um fortíssimo elogio, mas o Sporting também. Foi pena que a arbitragem não tivesse sido 'limpinha'. Mas valha a verdade, em abono do trabalho de um árbitro promissor mas ainda pouco rodado (Fábio Veríssimo), que só um vídeo-árbitro poderia evitar dois erros graves. E, com vídeo-árbitro, o Sporting não teria sido eliminado da Taça de Portugal.


BOAS FESTAS!
(Rui Santos, Pressão Alta, in Record)

I rest my case!...


Leoninamente,
Até à próxima

6 comentários:

  1. Independentemente do que aconteceria nesse jogo, penso que a verdade desportiva sairá reforçada com a introdução do vídeo-árbitro, prevalecendo a clareza das situações, em detrimento das "manigâncias" obscuras ou das manobras de bastidores que procuram atraiçoar a lealdade da competição, favorecendo, sem qualquer razão desportiva, determinados emblemas e desprezando outros, sem falar da ultrapassagem de erros involuntários, absurdos e inexplicáveis, sempre possíveis, em qualquer actividade humana. Há erros que até na nossa qualidade de adeptos, por mais fanáticos que sejamos, deixariam de nos atormentar, na intimidade da nossa consciência, pela vergonha vivenciada, por cada um de nós, ao reconhecer que o nosso clube ganhou, por um erro de arbitragem, inaceitável e inexplicável que envergonha qualquer mortal. São assim muitos os chamados "roubos de catedral" que envergonham, de certo, qualquer homem de boa vontade ou adepto, por mais fanático que seja. Nem falo de clubes, pois a verdade desportiva encontra-se acima de qualquer clube ou competição, é o que penso.

    ResponderEliminar
  2. Subscrevo em absoluto o excelente comentário de A.Martins. E acredito que um dia teremos no futebol o espectáculo a que pudemos assistir no recente Mundial de Rugby. Mas vai custar a derrotar a inércia, lá isso vai...

    ResponderEliminar
  3. Os meios auxiliares só serã introduzidos em Portugal se essa obrigatoriedade vier de um Organismo superior...
    Tiremos da cabeça a ideia de que clubes como o benfica ou o porto, alguma vez quererão a introdução de meios, que não lhes garantam ganhar a "qualquer custo"...

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Max, a verdade incontornável está no seu primeiro parágrafo...

      Mas "tirar da cabeça a ideia de que clubes como o benfica ou o porto, alguma vez quererão a introdução de meios, que não lhes garantam ganhar a 'qualquer custo'", jamais poderá significar que não continuemos a nossa luta pela denúncia da podridão. A GENTE TEM DE CONTINUAR!...

      SL

      Eliminar
    2. Amigo Max, a verdade incontornável está no seu primeiro parágrafo...

      Mas "tirar da cabeça a ideia de que clubes como o benfica ou o porto, alguma vez quererão a introdução de meios, que não lhes garantam ganhar a 'qualquer custo'", jamais poderá significar que não continuemos a nossa luta pela denúncia da podridão. A GENTE TEM DE CONTINUAR!...

      SL

      Eliminar
  4. Quase de certeza amigo Álamo, que vamos continuar a lutar contra os "marginais", pois temos um presidente que nunca desiste de uma luta, assim os corruptos vão ter que levar connosco todos os dias, e como se costuma dizer "pedra dura tanto bate até que fura" quem nos diz a nós que não vamos conseguir furar-lhes os planos?

    SL

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE