segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Algo irá mal no reino dos leões mais novos!...



NOME: Pedro José Moreira da Silva
NASCIMENTO: 1997-02-13(18 ANOS)

PAÍS DE NASCIMENTO:    Portugal
NACIONALIDADE:    Portugal
NATURALIDADE: Lisboa
INTERNACIONALIZAÇÕES A: 0
PÉ PREFERENCIAL: Direito
ALTURA/PESO: 189 cm/ 70 kg
POSIÇÃO: Guarda Redes
CLUBE ACTUAL:    Sporting Clube de Portugal
CONTRATO: 2022/06
CLÁUSULA RESCISÃO: 45.0 MILHÕES EUR


Foram 4 mas poderiam ter sido mais, não fosse o excepcional desempenho do nosso jovem guarda-redes da equipa B, na visita hoje realizada a casa do adversário que lidera a II Liga, o Porto B, a contar para a 21ª jornada.

A equipa leonina é um confrangedor conjunto de equívocos, tanto em termos individuais e na perspectiva de futuro, quanto em termos de qualidade de organização colectiva. Está a anos luz do seu adversário de hoje em todos os aspectos do jogo, muito particularmente, em termos competitivos.

Com as portas claramente abertas para a equipa principal, tão só e apenas o jovem guarda-redes Pedro Silva, muito provavelmente um digno sucessor de Rui Patrício, dentro do tempo necessário, assim seja acompanhado, amparado e estimulado. A qualidade parece ser evidente.

Quanto ao resto, algo irá mal no reino dos leões mais novos!...

Leoninamente,
Até á próxima

P.S. - No FB, encontrei esta curiosa, ou nem tanto, opinião de  sportinguista:


Fernando Alvega Que o puto é bom (André Silva) acho que ninguém pode dizer o contrário, agora também não é menos verdade que é facílimo marcar golos a esta equipa do Sporting.

Tirando o Pedro Silva e o Domingos Duarte, não existe mais ninguém de jeito na defesa incluindo o médio defensivo Zezinho. Depois os laterais efectivos estão lesionados e o totó do treinador em lugar de ir buscar os júniores não, faz adaptações.

E por falar em treinador não consigo ver qual o trabalho positivo que ele têm feito.
Não vejo ele potenciar nenhum jovem antes pelo contrário, pois eu vejo por exemplo um Gauld diferente para pior. A sua aposta em juniores A ou B é quase nula.

Conclusão; tirando os 2 jogadores em cima citados, só se pode juntar mais o Francisco Geraldes o que é muito pouco para um clube com marca de formador...

5 comentários:

  1. CaroÁlamo, Não podemos ser tão ciclotímicos a avaliar os desempenhos da nossa equipa B! As performances desta equipa dependem de muitas variáveis. E o campeonato é muito longo. Ao contrário do que pensa, eu acho que existem, nesta equipa, vários jogadores que poderão, no futuro, ter a veleidade de pensar em jogar na equipa A.
    Eu dou pouca relevância aos resultados das equipas B: desde que não andem a lutar por os derradeiros lugares da tabela classificativa, como é óbvio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordarei com o pensamento do amigo Helder Mestre, quando aplicado a todos os escalões anteriores à equipa B. Chegados a este escalão, julgo que será o momento certo para todos os técnicos e atletas darem o salto para um grau de exigência muito próximo da equipa principal, sob pena de entrarem num processo de estagnação contraproducente para os intérpretes e, consequentemente, para o Clube.

      Será aceitável dizer que para além do GR Pedro Silva, mais alguns atletas, poucos, evidenciam qualidade para sonharem com outros voos. Porém, pouco ou nada estará a ser feito para que isso possa vir a ser uma realidade. O caso mais paradigmático será o de Ryan Gauld, mas aceito que haverá mais dois ou três. Porém, por este caminho, nenhum lá chegará...

      Eliminar
  2. Saudações
    Sou muito pouco dado a blogs e a estas coisas estilo redes de opinião, mas como lagarto, desde muito novo habituado a ver o Sporting pela formação, venho aqui partilhar algumas incompreensões estratégicas:
    1.ª) A despeito dos jogadores b terem ou não qualidade para prosseguirem carreira profissional, sería de esperar haver obrigação das equipes técnicas definirem um certo "modelo" de jogo - idealmente copiado ou transferível do utilizado pela equipe AA.
    2.ª) É também esperado que as qualidades intrínsecas e particulares dos jogadores,neste caso, entre os 18 e os 23 anos (faixa etária de transição),sejam potenciadas e não desbaratadas.
    3.ª) É óbvio que o mais importante não serão os resultados, mas o mesmo já é aplicável à forma como são obtidos.
    4.ª) A formação do Sporting não é uma formação qualquer, tem história, reputação e exigência - não pode ser nunca o laboratório idiossincrático de qualquer treinador - não sei se a equipe técnica de Marco Aurélio ainda manda alguma coisa...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comungo na generalidade o pensamento do "anónimo das 12:35". Essa a razão porque depois do jogo de ontem com o Porto b, escrevi o texto agora comentado.

      Penso que ao referir Marco Aurélio se estaria a referir a Aurélio Pereira, cujo papel na formação actual do Sporting me parece pairar numa nebulosa pouco clara e quase incompreensível...

      Eliminar
  3. A formação devide-se em 3 fases.

    1°- Futebol de formação= formar os jovens como futebolistas e homens.

    2°- Equipa B= Potenciar os jovens e ajudar a ultrapassar a sempre difícil transição do futebol de formação para o futebol profissional.

    3°- O aproveitamento de alguns destes jovens para o plantel principal.

    Os resultados desportivos vem por acrescento.

    Voltem a pôr a frente dos escalões de formação a prata da casa e, quase de certeza, que a hegemonia na formação será uma realidade.

    Quanto aos jogadores volto a referir que os 3 citados no artigo são os que têm mostrado mais potencial para subirem, no entanto, também reconheço que existe mais alguns que podem bem juntar-se aos outros. O grande problema desses jovens e que têm um treinador que não os potência.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE