sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Fica para a próxima!...


Dois golos do capitão João Matos, evitaram a derrota no dérbi de futsal, ao final da noite no Pavilhão João Rocha, depois de o Benfica ter estado por três vezes em vantagem. Resultado final Sporting 3-3 Benfica.

Impressionante o equilíbrio neste duelo eterno entre duas das melhores equipas do mundo. O Benfica esteve a vencer por 3-2 até ao último minuto, mas João Matos, já no 5 para 4, alcançou o empate. O capitão bisou no encontro, o outro golo dos leões foi de Taynan. Para as águias marcaram Robinho, Arthur e Tayebi. Tudo igual na classificação com os dois rivais a manterem-se com os mesmos 31 pontos no topo da tabela.

Fica para a próxima!...

Leoninamente,
Até à próxima

São todos 'gandas leões'!!!...


No meio da benfazeja e esperançosa réstia de Sol com que Rúben Amorim e a sua gente vem alumiando de novo a grande nação leonina, sequiosa de vitórias e alegrias, nós, os adeptos sportinguistas, cometeremos, naturalmente e sem que essa seja a nossa intenção, algumas injustiças, todas as vezes que enaltecermos determinados acontecimentos num qualquer jogo, muito em particular os seus responsáveis directos por uma qualquer 'obra de arte' que acabe por conduzir a uma vitória das nossas cores e consequente alegria. Nada mais injusto!...

Se a nós próprios colocarmos a questão de saber qual, em toda a fantástica, harmoniosa e perfeita máquina que é o nosso corpo, será o orgão mais importante, cometeremos o mesmo erro se porventura nos lembrarmos de destacar, o coração, os pulmões, o fígado, os rins, o estômago e por aí adiante. Exactamente porque todos, mas mesmo todos, desde as unhas aos cabelos e passando pelos dedos mínimos dos pés um por um único dos nossos 32 dentes, todos são importantíssimos. Com uma equipa de futebol, passar-se-á a mesma coisa: todos os onze elementos em campo, são importantes, sempre que a equipa atinge um grau de excelência capaz de provocar o êxtase dos adeptos!...

E deverá ser aí que o bom jornalismo desportivo deverá intervir: lembrar aos adeptos, que sem 'carregadores de piano' nunca haverá concerto; sem assistências não haverá golos; e, para abreviar, sem solidez defensiva ou sem um grande guarda-redes não haverá vitórias!...

Vitor Almeida Gonçalves veio hoje lembrar-nos que nesta grande equipa do Sporting que Rúben Amorim estará a construir, será uma tremenda injustiça que a Nuno Santos não cheguem também alguns dos fumos do incenso que os sportinguistas parecem pretender queimar e derramar apenas sobre os marcadores do golos...

Nuno Santos terá sido uma extraordinária contratação do Sporting. Como outros, é certo, mas uma extraordinária aquisição do Leão de Alvalade. Porém, que o incenso chegue também aos nossos 'meninos da formação' e a todas as demais escolhas de Amorim. Porque todos juntos, apenas todos juntos e juntando o trabalho, o talento, a garra, a abnegação e a superação de cada um, será possível nós celebrarmos vitórias  e viver as alegrias que estamos hoje a viver.

Nuno Santos é um 'ganda leão'! É verdade, mas...

São todos 'gandas leões'!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Ah se o ridículo matasse!!!...


Absolutamente lamentável que, na linha dos mais baixos e soezes "trolhas" que, malfadadamente, inundam o futebol português, tenham vindo agora os actuais dirigentes e responsáveis do Grupo Desportivo Fabril do Barreiro, "carroceiros de uma caravana" que se mostra indigna dos caminhos trilhados por honrosas tradições da instituição que esteve na sua origem, lançar o insulto e a provocação sobre a centenária e honrada instituição que é o Sporting Clube de Portugal, cujo único crime terá sido recusar caminhos que as leis e determinações em vigor liminarmente impedem que sejam trilhados...

Ah se o ridículo matasse!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Muito obrigado a quem deste modo está grato!...


A um Deus conhecido

«John Steinbeck escreveu o livro ‘A um Deus desconhecido’. Na história, Joseph Wayne parte para a Califórnia, onde se davam terras para atrair quem fosse povoar o território, então, quase deserto, e apaixonando-se pela sua nova morada faz amor com ela. Diego Armando Maradona não precisou de mudar de vida nem de morada, nasceu em Buenos Aires e ali fez da bola a sua amante eterna, tocava-lhe com o carinho que a adocicava, fazia também amor com ela numa ligação profunda de osmose perfeita.

A sua morada, a sua felicidade, o seu prazer, a sua plenitude era em campo. "Tragam-me uma bola, assim posso mostrar que estou bem", disse uma vez. Para mim, Maradona é o melhor futebolista de todos os tempos. Nasceu com o dom dos eleitos, o talento corria nas suas veias, a magia habitava na sua alma. Era um predestinado. No corpo de um simples terrestre residia alguém condenado ao Olimpo.

A "mão de Deus" contra a Inglaterra foi mais uma pincelada nesse sortilégio do legado de um artista que se tornou uma lenda. Era rei para os argentinos, mas soberano imperador em todo o mundo que ama o futebol. E onde senti a relação umbilical de uma comunidade com um Deus foi em Nápoles. Há 20 anos, de férias, cheguei à estação central de comboios e logo deparei com fotos, postais, galhardetes, pósteres da sua imagem por todo o lado. Espalhados pela fabulosa cidade voltada para a maravilhosa baía e namorada pelo Vesúvio, vi altares, cabelos do astro em exposição pública, murais, arte de rua, numa fusão esfuziante de fé e gratidão a quem pôs o clube da terra no patamar mais alto do Calcio.

E ficou célebre o que disse em italiano no momento em que chegou: "Buona sera napolitani. Sono molto felice di essere con voi."Naquele dia nasceu a adoração, os títulos criaram a religião. Sim, Maradona era um de nós. De todos os que vibram com o desporto-rei e as proezas das suas estrelas. Além disso, era rebelde, não se vergava a poderes e expunha com coragem a hipocrisia e corrupção, nomeadamente, da FIFA. Gostava de pessoas (algumas nada unânimes) e defendia causas. Tinha defeitos condenáveis – e que sentenciaram a sua morte prematura – porém, eram as imperfeições que lhe davam a proximidade e simpatia do homem comum.

Todos assistimos, como numa frase de um dos grandes filmes da história do cinema, ‘Les Diaboliques’, de Henri-Georges Clouzot, à sua "transformação em ruínas". Ao contrário do livro de Steinbeck, Diego Armando Maradona era um Deus conhecido. O "mais humano dos deuses", como afirmava Eduardo Galeano. Todos o conheciam no seu esplendor e na sua miséria. Todos vibraram com ele, todos sorriram com ele, todos torceram por ele, todos choraram com ele e por ele. Guardemos o seu melhor, o seu encantamento, em campo com uma bola, e só nos resta dizer muito obrigado por tudo Diego Armando Maradona.

PS: Parabéns pelos 71 anos do Record e foi um gosto ler ontem uma boa edição carregada de publicidade e agradecer ao Miguel Oliveira, pois ele nem sabe como a sua vitória – bem como outras do Desporto português – dá tanta alegria a um País que está triste.»

Texto escrito com a antiga ortografia

Muito obrigado a quem deste modo está grato!...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 26 de novembro de 2020

Oxalá!!!...



Zouhair Feddal em entrevista ao jornal Sporting falou sobre os primeiros meses no clube, mostrando grande vontade em corresponder à dimensão do Clube de Alvalade.

«O balanço que faço é muito positivo. Desde o primeiro momento que me receberam muito bem e a verdade é que estou muito, muito feliz e estou cada vez mais convencido de que acertei ao vir para este grande clube», começou por dizer, acrescentando a seguir:

«Eu já sabia o que era o Sporting, mas quando cheguei aqui dei conta de que é gigante. Um gigante que esteve muitos anos adormecido, mas espero que com a qualidade que há no plantel, possamos conquistar coisas importantes e dar alegrias aos sportinguistas.»

Feddal falou depois sobre Rúben Amorim: «É um treinador jovem, com muita vontade de crescer e de vencer. Estou convencido de que vai ser um grandíssimo treinador. Oxalá que nós também o possamos ajudar a que consiga conquistar os seus objectivos, que obviamente também são os nossos.»

Oxalá!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Aguardemos, serenos e confiantes!...


O histórico recente de todos os alvos recomendados por Rúben Amorim parece constituir para os responsáveis de Alvalade a garantia necessária e suficiente para que todos os esforços sejam desenvolvidos no sentido da contratação de mais este, em que de novo o técnico leonino terá colocado a sua convicta chancela!... 

Tudo apontará portanto, a concretizar-se este novo "affaire", que uma boa parte das necessidades defensivas do plantel leonino para a fase crucial das únicas competições que terá pela frente até final da temporada, Liga e Taça de Portugal, poderá vir a ser colmatada a contento dos desejos expressos por Rúben Amorim, constituindo tal facto, naturalmente, uma garantia extra de consolidação das cada vez mais fortes e fundadas esperanças da grande nação sportinguista...

Aguardemos, serenos e confiantes!...

Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 25 de novembro de 2020

A outros rebentam-lhes os lábios!...



E o sorteio da 4ª eliminatória da Taça de Portugal 2020/21, há pouco realizado na Cidade do Futebol, ditou que o Sporting CP receberá o FC Paços de Ferreira em Alvalade, com o jogo a dever realizar-se na sexta-feira 12 de Dezembro.

Uns comem os figos... 

A outros rebentam-lhes os lábios!...

Leoninamente,
Até à próxima

RIP Diego Armando Maradona



Os génios são eternos!...

RIP Diego Armando Maradona

Leoninamente,
Até à próxima

Quem não desejaria?!...


Dentro ou fora?

«O registo das claques Juve Leo e Directivo, junto da APCDV, foi definitivamente cancelado, passado que foi um ano sobre a suspensão do mesmo.

Significa isto que tais claques não são consideradas GOA (Grupos Organizados de Adeptos) e, consequentemente, não podem beneficiar de qualquer apoio por parte do clube.

Face ao comportamento recente daquelas claques – nunca esquecerei a tocha de fumo negro mandada para cima do coitado do Luís Maximiano, ou o ‘Varandas Out’ em Trondheim – esta decisão da direcção do Sporting foi mais do que justificada.

Com efeito, por força de diversas circunstâncias históricas, o papel de apoio que as claques era suposto desempenharem – e, reconheça-se, no Sporting, faziam-no bem – perverteu-se e transformou-se em centros de negócios ilícitos, agências de emprego, moços de recados, espaços de conspiração política, instrumentos de intimidação e poderes paralelos.

Deu no que deu.

A actual conjuntura sanitária, que excluiu as assistências no futebol, tem, de algum modo, marginalizado este problema.

Só que, quando voltarem os adeptos ao estádio, haverá que definir o papel destas claques, porque, GOA’s ou não, aquilo que andaram a fazer no passado recente, em Alvalade, é, pura e simplesmente, inadmissível e irrepetível.

Eu acho que compete às claques escolher de que lado é que querem ficar, à porta do recinto ou dentro dele. Se optarem pelo segundo, têm, inevitavelmente, de percorrer um longo caminho das pedras, qual seja o de convencer os sportinguistas que são capazes de se regenerar e voltar a ser aquilo para que foram criadas. E, claro, penitenciar-se pelos desmandos cometidos, de que Alcochete foi a página mais negra.

Eu não acredito em insubstituíveis, e se a Juve e o Directivo não quiserem mudar de rumo, outros virão para as substituir. Quem se lembra do que era o ambiente de festa, no Alvalade antigo, nos anos oitenta, com a música dos Vapores do Rego e a animação das bandeiras, não pode deixar de sentir mágoa por uma coisa tão bonita se ter deixado estragar.

Pessoalmente, gostava de ver a Juve Leo de volta a Alvalade, mas, para tal, tem de mudar de vida, de hábitos e excluir muita gente que se serve dela.

Serão capazes?»

Perdoar-me-á Carlos Barbosa da Cruz o meu profundo cepticismo acerca da possibilidade de alguma vez uma "primavera marcelista" poder vir a substituir o verdadeiro e necessário "movimento das forças armadas" que exigirá o "estado a que essas claques chegaram"! Quando um tecido apodrece, serão sempre tempo e trabalho perdidos todas as tentativas de remendá-lo!...

Agora, apreciar um 'fato novo' que nos fizesse lembrar os gloriosos e inesquecíveis "anos oitenta do velhinho Alvalade"...

Quem não desejaria?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Um estado dentro de outro estado!!!...


Sempre a "malhar", o Benfica! Como diriam os brasileiros, 'aquilo' já não será hoje propriamente um clube, antes se assemelhará mais a um riquíssimo "ginásio de malhação". (ler aqui na íntegra a extensa notícia e desenvolvimento)

Entretanto as contas da SAD Vermelha passam pelas malhas da CMVM e pelas AGs do clube e da SAD, por unanimidade, como cão por vinha vindimada!...

Razão terá o New York Times! É fartar vilanagem...

Um estado dentro de outro estado!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE