terça-feira, 30 de Setembro de 2014

Sopa de feijão e broa, para a criançada da Academia !...


Hoje durante a tarde, com transmissão em directo da SportingTV e a contar para a 2.ª jornada da Fase de Grupos da UEFA Youth League, a equipa de juniores do Sporting saiu copiosamente derrotada pelo Chelsea, no Estádio Aurélio Pereira da Academia Sporting em Alcochete.

Perante a seriedade competitiva, empenho, rigor e classe dos ingleses, os jovens leões passearam os argumentos que tem vindo a caracterizar este descoroçoante início de época, que nem merecerão adjectivação. Apenas referir que aquele amálgama de vedetismo, presunção, egoísmo e atroz falta de humildade, sentido colectivo e trabalho, muito trabalho, não mereceu envergar as gloriosas camisolas verde e brancas.

Um berro, um alto berro de desagrado e decepção, será o que talvez esteja a fazer falta ouvir-se na Academia, de uma ponta a outra e de alto a baixo!...

Ah e talvez a intempestiva proibição de distribuição de chupas, drops, rebuçados, caramelos e torrão de amêndoa ou amendoim!...

Sopa de feijão e broa é que a criançada estará a precisar!...

Leoninamente,
Até á próxima

segunda-feira, 29 de Setembro de 2014

Como a mais reles das prostitutas !...


"A Doyen, fundo de investimento de futebolistas com o qual o Sporting está em litígio, advertiu esta segunda-feira que a proibição de investir nos direitos económicos dos jogadores vai penalizar os clubes dos campeonatos de menor dimensão.

"Queremos um mundo em que apenas Barcelona, Real Madrid, Bayern [Munique] e outros gigantes possam ganhar troféus devido a um mercado distorcido ou queremos que clubes mais pequenos, como Atlético Madrid, Sevilha, FC Porto, Benfica e PSV possam dar-lhes réplica", observou o diretor executivo da Doyen à Bloomberg.

Nelio Lucas, líder do fundo com o qual o Sporting resolveu os contratos relativos aos futebolistas Labyad e Rojo, diz-se preparado para a enfrentar a decisão recente da FIFA, mas advertiu que ela só prejudicará os clubes de mercados de menor dimensão. O director executivo da Doyen assinalou que os clubes pequenos só poderão contrariar os "colossos" do futebol mundial com recurso a fundos de investimento, ainda que aqueles nunca devam poder deter a totalidade do "passe" de um jogador ou dizer ao clube quando e para onde o transferir.

Na sexta-feira, a FIFA anunciou que vai proibir que os "passes" dos futebolistas sejam partilhados com fundos de investimento, como acontece em Portugal com alguns clubes, após a reunião do Comité Executivo, em Zurique (Suíça). A decisão, que não será imposta de imediato, a fim de proporcionar um período de três a quatro anos de adaptação aos clubes e aos fundos de investimento afectados, resulta da proposta de um estudo de um grupo de trabalho criado especificamente para analisar o assunto.

Ao contrário do que acontece em Portugal, em ligas como a inglesa e a francesa os direitos económicos dos futebolistas tem que pertencer integral e obrigatoriamente ao clube pelo qual foram contratados.".
(edição online de Record, hoje, às 17.08)

Como a Júlia Roberts na ópera, quase que me "mijava" todo ao ler as diatribes do Nélinho! Em verdade vos digo, que é de fazer chorar as pedras da calçada e todos os crocodilos do mundo!...

De facto, nem Santiago Bernabéu, lá no assento etéreo onde subiu, se a memória desta vida o consentisse, saberia como o seu Real Madrid conseguiu ser campeão europeu nos cinco primeiros anos em que a Taça dos Campeões foi instituída, sem que por perto estivesse a Doyen!

Muito menos compreenderão os historiadores do futebol, como foi possível a certos clubes, então ilustres desconhecidos da Europa, como o Benfica, Celtic de Glasgow, Feyenoord, Nottingham Forest, Aston Villa, Steaua de Bucareste, Porto, PSV Eindhoven, Estrela Vermelha e Olympique Marselha, baterem o pé aos colossos que o tuga Nelinho Lucas hoje invoca e terem arrebatado, senão a maioria, uma parte significativa da totalidade do mais celebrado dos troféus europeus, sem que a benção ou o beneplácito da Doyen os iluminasse.

E lá pelo assento etéreo aonde também subiram , o Eng. Maurício Vieira de Brito e o Gen. Horácio de Sá Viana Rebelo, devem remexer-se nervosos nas cadeiras, com a certeza de que seria muito difícil de explicar a bondade da gestão que permitiu a ambos o sucesso na Europa, quando a Doyen ainda nem tinha nascido, nem porventura os testiculos que a viriam a fazer nascer.

Esta verruga dos meandros mais escabrosos da arena da alta finança, finalmente confrontado com o toque da corneta do "inteligente" Blatter, que ordenou que saltassem para o redondel os "nunos salvação barreto" do futebol global, jamais compreenderá a importância e o significado do som do silêncio. E persiste em defender a sua dama, insinuando-se indecorosamente, como a mais reles das prostitutas!...

Leoninamente,
Até á próxima

Eles "ainda andem por aí" !...



Record – Conhece Bruno de Carvalho?

MourinhoNão o conheço pessoalmente. Se os resultados e o trabalho forem a recuperação do Sporting ao nível económico e desportivo, contentíssimo por isso.

Record – Se tivesse um presidente no banco, sentir-se-ia desconfortável?

Mourinho – Já tive! E nunca me incomodou. Quando tive Pinto da Costa ao meu lado e num par de vezes João Bartolomeu, em Leiria, nunca me incomodaram. Senti sempre que era uma presença de apoio incondicional. Acho que a maior parte das vezes até me esqueci que estavam lá.
(José Mourinho, in Record)

José Mourinho, separa naturalmente e com personalidade e classe, o essencial do acessório e consegue reconhecer tanto o mérito de quem o tem, quanto o real significado de comportamentos tantas vezes julgados inconvenientes, por quem prefere, de camarote, ver que o charco continue sereno e calmo!...

Um dia, quando o Sporting Clube de Portugal navegar tranquilamente em velocidade de cruzeiro e merecer da parte de largos sectores que hoje o afrontam, o respeito que merece, talvez o seu Presidente não seja mais necessário no banco de suplentes e possa terminar a sua missão de sacrifício!

Mas talvez seja demasiado cedo! Eles "ainda andem por aí" !...

Leoninamente,
Até á próxima

Sportinguistas e... sportinguenses!...




A distinção, que alguns adeptos do glorioso Clube de Alvalade considerarão absurda e outros, quiçá uma significativa maioria, julgará adequada, entre a palavra SPORTINGUISTA e uma outra, aparentemente sinónima, que será... SPORTINGUENSE, estará, a meu ver, nas diferentes formas de viver a leoninidade!

O adepto que vive o SPORTING como sendo "um dos grandes amores da sua vida", que coloca esse sentimento em todos os momentos, acima dos seus próprios interesses, que sorri e é feliz nas vitórias e é capaz do sofrimento do desespero dos inêxitos,  sem nunca colocar em causa as virtudes e vivendo com olhos de mãe coruja, os defeitos da pessoa amada! Este adepto, será o... SPORTINGUISTA!...

Mas há um outro adepto, quase decalcado do anterior, mas bem mais preocupado, tanto com o ajeitar do emblema na lapela ou com a cor do seu cartão de associado, quanto no galgar dos degraus  da escadaria da promoção social e da recolha de benefícios pessoais, subvertendo no silêncio da sua "consciência", o amor que apregoa! Já este, será o adepto... SPORTINGUENSE!...

Com 108 anos de História - sem copiar manipulações de benfas e andrades! -, julgar que esta dicotomia comportamental dos adeptos leoninos, é um produto que deriva da competitividade e globalização actuais, será um tremendo erro de análise. Ela sempre esteve latente em todos os momentos do glorioso passado leonino, seja curto ou remoto o alcance que pretendamos.

Pelo que negá-la ou branqueá-la nos tempos que correm, será um "terrível ensaio sobre a cegueira"! Ela envolve-nos a todos e a cada passo nela tropeçamos. Depois, enquanto nos levantamos, sacudimos as mãos e legitimamente soltamos uma imprecação menos aveludada, logo nos cerca o alarido de que "sportinguistas" seremos todos e "sportinguenses" será uma deturpação malévola, produto de presunção, com baldes de água benta!

Quando o vídeo que acima publico, me chegou às mãos, arrepiei-me! Porquê?! Apenas porque me senti obrigado, com desgosto e decepção, a chamar sportinguista a David Borges, mesmo não o sendo, sei-o bem, e sportinguense a... Diogo Matos!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 27 de Setembro de 2014

O Comunicado de Godinho Lopes


COMUNICADO DE GODINHO LOPES

"O actual presidente faz declarações de quem deseja que o Sporting seja punido, apenas porque isso serviria o seu patológico narcisismo e cumpriria o pressuposto que aparentemente mais o guia, de denegrir até à insanidade os seus antecessores. A quebra do meu pacto de silêncio fica, assim, a dever-se, apenas e exclusivamente, ao facto de o Sporting não merecer tal caricatura. 

O actual presidente confunde o clube com ele próprio e, por isso, veio tratar a questão do fair play financeiro não como um assunto do Sporting, mas como mais um suposto trunfo na sua campanha de narcisismo e valorização pessoal à custa do Sporting e mesmo contra o Sporting. A admissão do presidente, ditada pela sua desmesurada ambição e sede de protagonismo, poderá ter como consequência, só por si, uma condenação do Sporting.

O Sporting sempre justificou devidamente a sua situação financeira, tendo assim evitado sempre qualquer punição por parte da UEFA por violação das regras do fair play financeiro.".

Só uma mente doente ou senil, seria capaz de fazer distribuir pelas redacções um comunicado desta natureza! De todos os defeitos que possam ser imputados ao actual presidente do Sporting Clube de Portugal, haverá um que nenhum dos seus mais acérrimos adversários e opositores nunca pensará em utilizar: o de alguma vez e seja em que circunstãncia for, desejar o prejuízo do Clube!

Mas para além de tão inconsequente, atribiliária e gongórica arquitectura acusatória ao carácter e ao fervoroso sportinguismo do seu sucessor, Godinho Lopes, não foi capaz de acrescentar nada de substancial e esclarecedor e, bem pior do que isso, de verdadeiro, ao seu apressado e demagógico discurso.

Se foi obrigado a apresentar nas instâncias competentes, em defesa do Sporting como lhe competia,  quaisquer justificações sobre a situação financeira do Clube, estas terão assentado, necessáriamente, nos resultados dos exercícios anteriores à sua desastrada gestão. Se sempre conseguiu evitar "quaisquer punições por parte da UEFA", será abusivo tentar hoje ficar com os louros da sua argumentação, em vez de os atribuir a quem terá alcançado antes dele, resultados de tal natureza  que terão convencido a UEFA.

A missão que hoje se coloca ao seu sucessor e actual presidente do Sporting Clube de Portugal, essa sim, ciclópica e quiçá dificilmente ultrapassável, será a de convencer a UEFA de que a gestão de Godinho Lopes em 2012 e 2013, apesar de pornográfica e escandalosamente deficitária, não terá sido assim tão negra, nem violado de forma tão flagrante as regras estabelecidas pelo organismo máximo do futebol europeu.

O actual presidente do Sporting Clube de Portugal, nunca poderá branquear os terríficos números da gestão de Godinho Lopes. O que poderá, e essa é a esperança de todos os sportinguistas, será apresentar os resultados POSITIVOS da sua própria gestão, como garantia de que o caminho percorrido pelo Sporting no último exercício, nada tem a ver com os dois anos anteriores e poderá eventualmente vir a servir de "leit motiv" para a tão necessária benevolência da UEFA e o eventual apaziguamento da sua indisfarçada "fúria penalizadora".

Pretender, como Godinho Lopes terá pretendido, transferir o "onus da culpa" que lhe pertence em EXCLUSIVO, para o "patológico narcisismo" do actual presidente do Sporting, será colocar a carroça à frente dos bois e sacudir a água do seu capote. 

Nenhum sportinguista acreditará numa única vírgula do seu discurso! Porque todos, sem excepção, mesmo considerando os seus prosélitos, conhecem demasiado bem os números do seu... DESASTRE!!!...

Melhor fora que não tivesse quebrado o invocado "pacto de silêncio", que nenhum sportinguista compreenderá e muito menos saberá, com quem terá sido estabelecido, a menos que tenha sido com os seus deuses! Mas até esses parecem fugir em cada dia que passa, para bem longe dele!...

Leoninamente,
Até á próxima

A incomodidade da Verdade!...


Bom “clássico” e fim dos Fundos

O clássico de ontem em Alvalade foi um bom jogo: o Sporting impôs altíssimo ritmo na primeira parte, marcou um golo e poderia ter chegado ao intervalo com outra vantagem. O FC Porto respondeu no segundo tempo, com Lopetegui a mexer bem na equipa e, a partir de certa altura, qualquer um dos contendores criou oportunidades para chegar à vitória. Mas o que fica é o registo de uma intensidade competitiva que se deveria ver mais vezes no campeonato português.

Destaque também, neste espaço, para as posições da UEFA e da FIFA em relação aos fundos de investimento no futebol, que parecem ter os dias contados. É uma grande vitória! E, neste particular, destaque para a posição corajosa de Bruno de Carvalho, que se revelou contra a propagação desta praga, com claro prejuízo para a verdade desportiva.

A arbitragem voltou a estar no centro das atenções, em Alvalade. Lopetegui falou em 6 pontos retirados ao FC Porto, mas enganou-se nas contas. Existem prejuízos neste arranque da Liga, mas o exagero do técnico espanhol tem uma explicação: a pressão que está colocada em si próprio e que aceitou sem pestanejar.

Já agora, para benefício do jogo: é assim tão difícil fazer com que os árbitros levem o spray no bolso para a marcação das barreiras? São coisas simples que não deveriam levar tanto tempo a implementar...
(Rui Santos, Pressão Alta in Record)

Pois é, Rui Santos lá vai dando uma no cravo, outra na ferradura, mas pelo meio vai dizendo grandes verdades!...

Pode-se não gostar. A cada caberá o legítimo direito de pensar pela sua cabeça. Mas quantos jornalistas em Portugal terão a coragem de confrontar o "sistema" da maneira com que ele o vem fazendo?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Os putos



Os putos 

Uma bola de pano, num charco 
Um sorriso traquina, um chuto 
Na ladeira a correr, um arco 
O céu no olhar, dum puto. 

Uma fisga que atira a esperança 
Um pardal de calções, astuto 
E a força de ser criança 
Contra a força dum chui, que é bruto. 

Parecem bandos de pardais à solta 
Os putos, os putos 
São como índios, capitães da malta 
Os putos, os putos 
Mas quando a tarde cai 
Vai-se a revolta 
Sentam-se ao colo do pai 
É a ternura que volta 
E ouvem-no a falar do homem novo 
São os putos deste povo 
A aprenderem a ser homens. 

As caricas brilhando na mão 
A vontade que salta ao eixo 
Um puto que diz que não 
Se a porrada vier não deixo 

Um berlinde abafado na escola 
Um pião na algibeira sem cor 
Um puto que pede esmola 
Porque a fome lhe abafa a dor. 

José Carlos Ary dos Santos


Leoninamente,
Até à próxima

Os kalimeros e... podia ter sido pior !!!...


Acabado este primeiro clássico da temporada, ficou a certeza de o Sporting ter perdido uma excelente oportunidade de vencer inapelavelmente o Porto! Jonathan marcou a abrir e ainda na primeira parte, Nani viu por duas vezes Fabiano impedi-lo, com alguma felicidade, de provocar o escândalo.

O Sporting controlou até ao intervalo da forma que mais lhe conveio e Patrício foi assistindo lá de longe, a um jogo cheio de intensidade, energia e emoção por parte dos seus companheiros e uma tão surpreendente quanto inesperada e quase apática conformação da "espanholada" formação de Lopetegui. Pois é, cada equipa joga apenas aquilo que a outra deixa jogar! E quem jogou, mesmo a sério... foram os leões! As dúvidas, essas, os andrades que as cozam com as tripas!...

O Sporting de Marco Silva começa a evidenciar, à medida que vai somando jogos, uma tal intensidade, que quando for capaz de a compatibilizar e adequar convenientemente à capacidade física, poderá vir a tornar-se um caso sério. 

Para a segunda parte, o treinador espanhol terá entendido que haveria demasiados "tugas" na sua equipa e mandou o ciganito e o puto para o duche, substituindo-os por mais dois que falassem castelhano. E fosse ou não pela língua, o certo é que melhorou nos primeiro 15 minutos. Tanto, tanto, que lá conseguiu empatar, com a providencial ajuda de Sarr.

E só depois disso, lá voltou o Sporting a carregar, embora não com a intensidade do primeiro tempo e já com a espanholada a equilibrar as operações. Mesmo assim, João Mário de cabeça, ainda conseguiu fazer o mais difícil e de "tólinha", afastou a bola para fora dos postes e algum tempo depois Capel, por pouco não rebentava o travessão, que ainda deve estar a abanar neste momento.

Grande jogo do Sporting, que mereceu sem qualquer margem para dúvidas, vencer e arrecadar os três pontos. Mas não foi possível. Fica para as Antas, na segunda volta!...

Os kalimeros, atiraram-se ao genro do falecido Garrido, como gato a bofes! Pois é, e os burros somos nós?! Calem-se caladinhos, que podia ter sido bem pior!...

E venha o Mourinho e... seja o que os deuses quiserem!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 26 de Setembro de 2014

MARCO, APENAS UM GOLPE DE GARRA !!!...



Quasi


Um pouco mais de sol - eu era brasa, 

Um pouco mais de azul - eu era além 
Para atingir, faltou-me um golpe de asa ... 
Se ao menos eu permanecesse aquém ... 

Assombro ou paz ? Em vão ... Tudo esvaído 
Num grande mar enganador d´espuma; 
E o grande sonho despertado em bruma, 
O grande sonho - ó dor ! - quasi vivido ... 

Quasi o amor, quase o triunfo e a chama, 
Quasi o princípio e o fim - quasi a expansão ... 
Mas na minh´alma tudo se derrama ... 
Entanto nada foi só ilusão ! 

De tudo houve um começo ... e tudo errou ... 
- Ai a dor de ser-quasi, dor sem fim ... 
Eu falhei-me entre os mais, falhei em mim, 
Asa que se elançou mas não voou ... 

Momentos de alma que desbaratei ... 
Templos aonde nunca pus um altar ... 
Rios que perdi sem os levar ao mar ... 
Ânsias que foram mas que não fixei ... 

Se me vagueio, encontro só indícios ... 
Ogivas para o sol - vejo-as cerradas; 
E mãos d' heroi, sem fé, acobardadas, 
Puseram grades sobre os precipícios ... 

Num ímpeto difuso de quebranto, 
Tudo encetei e nada possuí ... 
Hoje, de mim, só resta o desencanto 
Das coisas que beijei mas não vivi ... 

Um pouco mais de sol - e fora brasa, 
Um pouco mais de azul - e fora além. 
Para atingir faltou-me um golpe d´asa ... 
Se ao menos eu permanecesse aquém ... 

Paris 1913 - maio 13 
Mário de Sá-Carneiro



Marco, este poema é para ti, ofereço-to! Apenas com a condição, simples mas obviamente legítima, de que aquilo que eventualmente te tenha faltado e que a partir de hoje deixará de faltar, seja apenas e tão só... 

UM GOLPE DE GARRA!...
É que asas, Marco, asas têm as galinhas!!!...

Leoninamente,
Até à próxima 

Blatter, a proibição dos fundos e a resposta do outro lado lunar!...



Segundo notícia divulgada há pouco pela Agência Lusa e aqui reportada, o presidente da FIFA, o suíço Joseph Blatter, terá anunciado hoje a intenção do organismo a que preside, de proibir que os passes dos futebolistas sejam partilhados com fundos de investimento, como acontece em Portugal com alguns clubes.

Joseph Blatter, falando após a reunião do comité executivo, disse tratar-se de uma "decisão firme", no seguimento de um estudo de um grupo de trabalho em relação a essa matéria e que a proibição não será imediata, estando previsto um período de transição.

Tratar-se-à de uma resposta do organismo máximo do futebol mundial  a um pedido do presidente da UEFA, Michel Platini, que já em Março terá pedido para que se "afrontasse este problema de uma vez por todas".

Obviamente que a medida apontará para uma clara tentativa de libertar o futebol à escala planetária, do colete de forças a que progressivamente estava a ser submetido, por parte da alta finança e dos seus "testas de ferro" que, sem escrúpulos e com o maquiavelismo próprio da ganância, vinham utilizando a terrível arma dos fundos e a impunidade dos paraísos fiscais, para sujeitarem os clubes aos seus ditames, desvirtuando completamente toda a essência da "verdade desportiva"!

Mas que ninguém pense na existência de um único método para matar pulgas! Uma grande parte dos agentes FIFA e os fundos a eles associados, hão-de continuar a matá-las, à dentada e à martelada, sempre que se lhes depare a oportunidade e tenham como interlocutores, dirigentes de clubes da estirpe de umas boas dúzias que a nível global e nomeadamente em Portugal, todos os adeptos do futebol bem conhecem.

E hão-de continuar a existir nos orgão de justiça federativos. magistruzes capazes das maiores indignidades e atrocidades, promovendo a despenalização e o branqueamento das acções mafiosas do sujo dirigismo que por aí campeia, recorrendo aos mais vis e ignóbeis estratagemas jurídicos, sem pudor, sem dignidade, sem honra, devorando com as mãos os pratos de lentilhas que lhes são colocados à frente.

A acompanhar com interesse e muita atenção, tanto as acções anunciadas por Joseph Blatter, quanto a resposta do outro lado lunar!...

Leoninamente, 
Até à prózima