domingo, 24 de julho de 2016

A única arma: ganhar, ganhar, ser campeão anos e anos a fio!...



Só haverá uma arma capaz de destroçar toda esta "sado-morbidez" exibida pela "pasquinada" e reduzir a pó a poderosa "central de propaganda goebbelsiana dos benfas":

Ganhar, ganhar, ser campeão anos e anos a fio!...

Leoninamente,
Até à próxima

E viva o Benfica!...


No jogo de estreia do novo relvado de Alvalade, seria perfeitamente natural que qualquer jornalista, no final do jogo e já com o estádio vazio, se deslocasse lá abaixo, ao tapete verde, acompanhado de um qualquer seu companheiro de captação de imagens, para analisarem "in loco" o estado do relvado, depois de todas as "agressões" sofridas ao longo da peleja rija a que todos assistimos, de modo a documentarem-se minimamente para poderem emitir uma opinião honesta e éticamente insuspeita sobre a qualidade do trabalho realizado pela empresa que assumiu a substituição do relvado e os trabalhos de melhoramentos complementares que na oportunidade o Sporting noticiou.

Depois de buscas aturadas, não consegui até ao momento encontrar uma única publicação que tenha dedicado a sua atenção a esta questão, após a realização do primeiro teste do novo relvado de Alvalade.

Mas, tal como eu, todos os espectadores que assistiram à transmissão televisiva do jogo, tiveram a oportunidade de apreciar as imagens que o realizador colocou no ar, iam passados 32 segundos do início do jogo que, naturalmente, geraram preocupação em muitos espíritos de adeptos sportinguistas e, à boa maneira "tuga", gáudio nos espíritos dos adeptos "comprometidíssimos" com o 'fairplay', particularmente os benfas, como adiante explicarei.

Por ironia do destino, atenção, cuidados e esforço dos deuses e satisfação dos sportinguistas e responsáveis da empresa que procedeu aos trabalhos de substituição, o jogo terminou sem que o realizador tivesse voltado a colocar qualquer imagem de degradação do novo relvado, pela simples e liminar razão de que ao longo de todo o jogo o relvado, afinal, terá revelado um comportamente excelente, para tão curto tempo de enraizamento. Nenhum realizador, depois da primeira imagem que colocou no ar, enjeitaria, segunda e terceira e quarta oportunidade, se elas eventualmente surgissem.

E o assunto morreria e cairia no esquecimento, cabendo ao futuro encarregar-se da bondade dos trabalhos levados a cabo no estádio José Alvalade. Mas isso aconteceria em outro lugar qualquer do mundo, diferente de Portugal. Porque por cá, há sempre alguém que consegue ser "mais papista que o papa", há sempre alguém que odeia mais o Sporting e tudo o que com ele se relaciona, do que ama o clube do seu coração.

O exemplo paradigmático chegou-nos através do jornal Record, feito por jornalistas da mais fina água, competência, ética e isenção! E vá de publicar o "frame" que o canal televisivo responsável pela transmissão do jogo, havia colocado no ar aos 32 segundos de jogo (LINK), e abrir a caixa de comentáriso a toda a casta de energúmenos que por lá decidiram comentar, sem a mínima moderação e dando todas as oportunidades aos melhores adeptos do mundo, os adeptos benfas, de  poderem exibir todo o seu "glorioso fairplay"!...

Só o mais estúpido adepto de futebol desconhecerá que acidentes da natureza daquele que a imagem documenta acontecem em todos os jogos, em todos os relvados, até naqueles com enraizamento de anos. Se porventura o acidente documentado se tivesse repetido hoje em Alvalade uma dúzia ou mais de vezes, estariámos em presença daquilo que os "simpáticos jornalistas do jornal Record" tanto pareciam desejar, bem como a multidão de "comentadores benfas" que logo se apressaram a vomitar a sua bilis na caixa de comentários, aberta à discrição de todos os "vândalos". Porém, tal não aconteceu e fica só o exemplo modelar do jornalismo que se pratica naquele jornal! Não andarei muito longe da verdade se disser que o senhor director António Magalhães e o senhor director-adjunto Bernardo Ribeiro, passaram ao lado desta "atrocidade", porque certamente estarão a banhos, de férias! O único que parece nunca ter férias, nunca ir a banhos, nunca se enganar e raramente ter dúvidas, será o outro senhor director-adjunto, de seu nome, Nuno Farinha! Isto a julgar pelas "entradas de borla" que são dadas aos "energúmenos benfas" que invadem as caixas de comentários em matérias criteriosamente escolhidas e, naturalmente, contra o Sporting!...

E viva o Benfica!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 23 de julho de 2016

Ah ganda Leão de Marrazes! Obrigado campeão!...



Mais uma derrota nesta malfadada pré-época, que naturalmente nunca será agradável mas, a meu ver, o Sporting terá alcançado contra os vice-campeões franceses o melhor de todos os desempenhos nos cinco jogos que até agora realizou e precisamente contra a equipa que se destacou ligeiramente das anteriores no futebol explanado.

A qualidade exibicional dos centrais galgou alguns degraus, Schelotto terá sido a melhor unidade da defesa enquanto Zeegelaar se manteve no plano medíocre que antes evidenciou.

O meio campo continua a ser o "calcanhar de aquiles" da equipa, com Petrovic ainda a funcionar a gasóleo, Palhinha em andamento semelhante e Bryan Ruiz, se dúvidas ainda houvesse, obediente e sem um queixume, a pedir a todos os santinhos o regresso de Adrien ou de alguém que se lhe compare, porque ali não será, decididamente, o seu lugar. De Aquilani confesso que nem me lembro de o ver em campo. Se calhar já foi para Itália.

Na frente gostei do salto para um degrau mais acima, de Alan Ruiz e Podence, Bruno César e Gelson brilharam a espaços e os restantes que por lá andaram, entre Matheus e Iuri Medeiros, fiquei na dúvida sobre o menos esclarecido. De Barcos direi o mesmo que disse daquele que terá ido levantar o bilhete, provavelmente para Bérgamo, com a diferença de que o destino deverá ser diferente.

Islam Slimani é outra loiça! Pelos vistos já rola sobre os carris e tudo será uma questão de tempo até que volte a ser o terror das defesas. Mesmo assim, creio que terão ficado alguns defesas "lyonnais" com os rins em muito mal estado.

Azbe Jug pareceu-me hoje menos nervoso, mas deve ter respirado de alívio quando Rui Patrício entrou. E nós também! E começa a não haver palavras para expressarmos a homenagem que o melhor guarda-redes da Europa merece. Acabadas as férias e sem uma hora sequer de preparação, aí o temos, como se fosse a coisa mais natural do mundo defender a baliza do Sporting, até de bengalas ou muletas!...

Ah ganda Leão de Marrazes! Obrigado campeão!...

Leoninamente,
Até à próxima

Por mim só quero o Sporting campeão!...



«Na Suíça tivemos quatro jogos num espaço mínimo de tempo. Estivemos sempre a fazer jogos-treino com muita carga em cima. Não quer dizer que tenhamos baixado a carga nesta semana, mas amanhã (hoje) é a apresentação e é diferente. Mostramo-nos aos sócios, num regresso a casa. Com relvado novo, mas é verdade que estamos longe daquilo que vai ser o Sporting do futuro. o Sporting desta época. Há jogadores que não estão cá, como os que foram campeões europeus, como outros que possam chegar. Temos de reformular todo um plantel que no ano passado já deu provas de muita qualidade. Este ano sem algumas peças, mas é como em todas as equipas, em que uns entram e outros saem. [...]

Os jogadores novos são os da formação, não há neste momento nenhumas novidades, até porque o Sporting tem um potencial com muita qualidade. Dá para ter confiança e dá para escolher os jogadores com margem de segurança maior. As novidades vão ser o Iuri, Palhinha, Podence... São jogadores da formação, que vão fazer parte do nosso plantel. Hoje vamos conviver com os adeptos, conhecer o relvado. [...]

Defrontamos o segundo classificado do último campeonato francês. Já sei os créditos da equipa que tenho. Não preciso dos jogos de pré-temporada, mas claro que vão dar novas indicações. Mas não preciso, porque já tenho indicações de dez meses de trabalho. Mas claro, temos pela frente equipas que estão nas eliminatórias da Champions, que começam a competição a sério antes. Como é óbvio, é importante ganhar na pré-temporada, mas essa não é a minha metodologia de treino, mas sim preparar um plantel para que no dia 14 seja capaz de ser aquilo que quero. Não me importo muito com os resultados, mas sim com a qualidade da equipa...»
(Jorge Jesus, à SportingTV, in Record)


"Conviver com os adeptos, conhecer o relvado" novo, novinho em folha, que pelo que se pode adivinhar, certo que vai fazer inveja a muita gente. E conhecer os "novos reforços" do plantel principal, Iuri Medeiros, João Palhinha e Daniel Podence, cujos empréstimos os pasquins já vinham tentando adivinhar, ou antecipar, ou sugerir, construindo cenários atrás de cenários, com a verdade, altruismo, ética e  propósitos que desde há muito conhecemos.

"Estamos longe daquilo que vai ser o Sporting desta época e a preparar um plantel para que no dia 14 (13 de Agosto o Sporting recebe o Marítimo) seja capaz de ser aquilo que quero"!...

Três semanas até lá, já com os "nossos campeões europeus e com outros que possam chegar"!...

Se há coisa que ninguém poderá apontar a Jorge Jesus será falta de confiança e uma certeza enorme e contagiante no caminho traçado!...

Por mim só quero o Sporting campeão!...

Leoninamente,
Até à próxima

P.S. - A entrevista de Jorge Jesus, foi mais tarde publicada no Youtube:

Robin Van Persie: o impossível não existe!...



Haverá mais do que um motivo que terá levado a generalidade e a "generosidade" dos pasquins desportivos cá da praça a apresentarem Robin Van Persie como solução que eventualmente poderia interessar ao Sporting. A actual conjuntura política e social que se vai vivendo na Turquia, a insatisfação do jogador em função dos reportados desentendimentos com Vitor Pereira, traduzidos ou consequência do questionável rendimento que tem evidenciado e os custos de uma hipotética transferência que talvez estivessem ao alcance da bolsa de Alvalade.

Acontece que se considerarmos que o elevadíssimo salário auferido por Van Persie no Fenerbahçe está absolutamente fora do alcance do Sporting e tomarmos em conta que nunca haverá melhor medalha para o jornal que hoje o exibe na sua capa, que a revelação aos seus milhões de leitores vermelhos de que a operação não terá passado de mais uma louca visão do presidente e treinador leoninos, talvez compreendamos a verdadeira razão de todo o afã dos jornaleiros da Travessa da Queimada e dos seus homólogos para lá do Douro.

Todavia e aqui entre nós sportinguistas, quer-me parecer que nem será tão louca assim a visão de BdC e JJ, nem me admiraria nada se um dia destes esses pasquins tivessem de engolir o "sapo vivo" que seria a notícia da contratação do poderoso avançado holandês pelo Sporting, pesem embora os 32 anos que já apresenta no bilhete de identidade. E as contas parecem-me bem fáceis de colocar em equação, se os responsáveis leoninos abandonarem a inércia que parecem evidenciar no tratamente do "affaire" Teo Gutiérrez: há ocasiões em que com uma só cajadada se matam dois coelhos de uma vez!...

Quer-me parecer que nem a última proposta do Rosário Central andará assim tão longe daquilo que será preciso para convencer os turcos do Fenerbahçe a libertarem o jogador, nem o milionário salário auferido pelo "barrabás" colombiano andará assim tão distante daquilo que será necessário para captar Robin Van Persie para o projecto leonino.

De Peter Schmeichel os pasquins disseram o mesmo! Mas chegou, viu e venceu! E regressou à sua Dinamarca com a faixa de campeão!...


O impossível não existe!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 22 de julho de 2016

A "jesuíta mensagem" terá chegado ao destinatário!...


PRÉ-ÉPOCA

«A pré-época é uma floresta de enganos. No ano passado o Benfica fez uma péssima pré-época e foi campeão, enquanto o Porto fez uma pré-época excelente e ficou em terceiro lugar. Mesmo assim, é possível avançar já duas ideias.

A primeira diz respeito à quantidade de novos jogadores que deram entrada na Luz. Todos os dias havia um nome novo para apresentar: Benítez, Cervi, Celis, Zivkovic, Kalaica, Carrillo, André Horta, etc… Quer isto dizer que a tão falada aposta na formação é uma conversa oca. Como tenho escrito, as academias não produzem jogadores em quantidade suficiente para alimentar uma equipa grande. Por outro lado, os clubes precisam de realizar receitas. Ora uma das principais fontes de receita é comprar jogadores em mercados baratos, valorizá-los e vendê-los caro. Muita gente ainda não percebeu esta verdade elementar.

O segundo tema é a horrível pré-temporada do Sporting. Que resulta de uma acumulação de coisas incompreensíveis. Como se explica que o clube, sabendo que não tinha disponível a espinha dorsal da equipa, se tenha disposto a jogar com equipas poderosas como o Zenit, o Monaco e o PSV? Com a agravante de essas equipas estarem mais adiantadas na preparação. Acresce que, dado jogar quase todos os dias (4 jogos em 6 dias), o Sporting teve de fazer constantes improvisações numa equipa que à partida já era de recurso.

O resultado está à vista. E só há uma explicação razoável para o que aconteceu: Jesus quis mostrar a Bruno de Carvalho que o plantel é muito fraquinho e, se vender as pérolas, tem de se preparar para uma época miserável.»
(José António Saraiva, Futebol à Portuguesa, in Record)

Muitos sportinguistas ao serem confrontados com esta crónica de JAS, terão uma reacção pouco simpática, senão mesmo deselegante e justificadamente agressiva. Não caberá na cabeça de nenhum adepto leonino e na minha também não, considerar que para além dos quatro campeões europeus, o "plantel é muito fraquinho"! Acho que o cronista por razões que só ele saberá ao certo, mas que facilmente se adivinham, terá sido pouco cuidado, incorrecto e deselegante quando, em flagrante confronto com a realidade decidiu escolher palavras menos próprias e ofensivas para com uma boa parte do colectivo leonino. A menos que a sua bitola padeça da necessidade de urgente aferição, ninguém terá dúvidas de que "fraquinho" não será o rótulo mais apropriado para colar no talento ou nas qualidades técnicas e atléticas de Sebastian Coates, Ruben Semedo, Bryan Ruiz, Gelson Martins, Bruno César, Islam Slimani e de alguns mais, eventualmente poucos...

Pronto, o homem ter-se-à "espalhado ao comprido" neste ponto, como amiúde se "espalha" na defesa de conceitos estapafúrdios noutros campos que não o futebol. Ele é e sempre será assim, daí os dramáticos "soluços" da sua atribulada carreira jornalística: pouco cuidado e quantas vezes errático no tratamento da sua mensagem!

Ultrapassando, por desinteressantes para mim, as questões que aborda sobre as virtudes da actuação no mercado do vizinho do outro lado da rua. até nem estarei em desacordo com as restantes considerações que tece em relação  ao que chama de "horrível pré-época do Sporting". Já por aqui deixei as minhas severas críticas sobre a "esquisita semana de estágio na Suiça" e afino sem dificuldade pelo diapasão que defende a tese de que "Jorge Jesus quis mostrar a Bruno de Carvalho" as debilidades de um plantel que aquele aponta, "à boa maneira lampiónica", como incontornável campeão da próxima época e a profunda incompatibilidade que existirá entre esse desígnio e a venda de algumas das jóias da coroa  e bem assim a imperiosa necessidade de colmatar algumas debilidades de uma equipa com tamanho nível de exigência na temporada prestes a arrancar.

Julgo que, tendo em conta o desaparecimento da habitual "espuma presidencial" logo após o "furacão suiço" que...

A "jesuíta mensagem" terá chegado ao destinatário!...

Leoninamente,
Até à próxima 

"Se em 2016/17 não conseguirem o tetra, isso sim será uma grande surpresa"!...


Com uma capa destas, a tiragem de hoje deve ter disparado para... 14 milhões!...

Julgo que até a "cinha jardineira" e a "lili caneças" terão feito um "pequeno esforço" para compatibilizar o seu debilitado orçamento com as supremas necessidades de combater o défice lá pela Travessa da Queimada!...

Já me perdi em tamanhas divagações sobre o impacto de tantos milhões no "Orçamento Geral do Estado" elaborado pelo Centeno, que me apetece chamar nabos àqueles mentecaptos da Comissão Europeia que pretendem aplicar sansões a este desgraçado povo que "nem se governa nem se deixa governar". Acho que no meio disto tudo, a costela benfas de António Costa estará a ser providencial para a sua estratégia. E não me admiro nada se na próxima remodelação ministerial o próprio Centeno não passar a pasta ao Domingos Soares de Oliveira, para já não falar na forte possibilidade do "Orelhas" vir a render o Carlos Costa no Banco de Portugal!...

Ao invés de lhe gabar a ironia, começo a dar razão ao José Ribeiro...

"Se em 2016/17 não conseguirem o tetra, isso sim será uma grande surpresa"!...

Leoninamente,
Até à próxima

A ironia de José Ribeiro!...


Adormeci a pensar em José Ribeiro. Não apenas no jornalista do Record cuja crónica me deu o mote para o último texto que por aqui publiquei antes de, quase a cumprir-se a primeira hora desta penúltima sexta-feira de Julho, decidir entregar-me nos braços de Morfeu. Mas em todos os "josés ribeiros" que me vão acompanhando em cada jornada deste estranho e fugaz campeonato de que, por bondade dos deuses, desconheço quantas ainda terei para disputar para além da septuagésima que recentemente tive o privilégio de cumprir. Nos "josés ribeiros" que em toda uma comunicação social  globalizada, vão contribuindo e permitindo, tanto por cá quanto para lá destas insignificantes raias que nos separam de Espanha e do resto do mundo, que  muitos milhões, biliões, sei lá, um incomensurável número de ovos continuem a ser espectáveis sairem dos cus de número igual de galinhas, quando apenas uma palavra sua, desses "josés ribeiros", entre o muito que o seu conhecimento transporta mas vai sonegando por falta de coragem ou mero instinto de auto-defesa, bastaria para que milhões desses ovos se transformassem, sem que os deuses pudessem intervir, em pouco agradáveis, para as galinhas e espectadores, poias de merda expelidas por cloacas que, comprovadamente, a Natureza dotou mais para expelir excrementos que para nos oferecerem ovos!... 

Ironicamente, e talvez por isso, a proliferação de "josés ribeiros" não se resume aos "media"! Eles pululam por todo o universo global que nos envolve, nos mais importantes sectores de regulação da sociedade que somos, exibindo, desafortunadamente, a mesma ausência de altruismo e ética ou as mesmas cobardia, falta de coragem, comodismo ou instinto de sobrevivência.

De vez em quando os deuses revoltam-se e desalinham os astros. E acontecem cometas que iluminam fugazmente os céus do infinito. Mas apenas fugazmente, como é característica dos cometas. De vez em quando acontecem "watergates", "lava jactos", "blatters e platinis", "vales e azevedos"... Mas quantos ""zeinais bavas", "luíses filipes orelhas", "portas 18" e milhares de outros ficam no cu da galinha ou apenas se traduzem em merda fétida que encharca os nauseabundos corredores dos sistemas judiciais, por cá e por aí fora?!...

É por isso tudo que, na minha imperfeição, compreendo a imperfeição de todos os "josés ribeiros": fazem apenas o que podem, na medida em que poucas vezes ou mesmo nunca os deuses entregam a recompensa a quem se atira para os cornos do touro. Uns optam por silêncios ensurdecedores buscando a sobrevivência nesta mescla de mundo cão e vale de lágrimas. Outros tentam usar processos mais sofisticados de difundir a mensagem embora, inevitavelmente, a surdez e cegueira colectivas acabem por conduzir aos mesmo resultados.

Julgo que terá sido o caso da crónica de ontem de José Ribeiro: a ironia!...

leoninamente,
Até à próxima 

Manda a Dona Prudência, que ninguém conte com o ovo e ele ainda no cu da galinha!...


21,8 MILHÕES: O NOVO RECORDE

«Record noticiou há dois dias e ontem o Benfica confirmou de forma oficial, através de informação prestada à CMVM: o passe de Jiménez pertence na totalidade à SAD encarnada, após o pagamento de 12 milhões de euros ao Atlético de Madrid, detentor de 50 por cento dos direitos económicos do avançado mexicano. A operação de aquisição deste jogador cifrou-se nos 21,8 milhões de euros e passou a ser a mais elevada da história do futebol português, superando os 20 milhões pagos pelo FC Porto ao Marselha, há um ano, na aquisição do médio Imbula.

Há poucos anos talvez ninguém acreditasse na possibilidade de um clube português ter capacidade para intervir no mercado com valores desta grandeza, mas a realidade, agora, é esta. Discutir se Jiménez vale ou não os quase 22 milhões ou se o avançado tem margem de progressão suficiente para no futuro permitir à SAD gerar lucro com uma venda, é assunto lateral. O principal é isto: o Benfica cresceu de tal forma nos últimos anos como ‘player’ de primeiro mercado que coloca-se hoje a larga distância daquilo que o principal rival (o Sporting) pode e consegue fazer. Neste sentido, mais mérito têm ainda os leões por encontrarem forma de bater-se em campo pelos mesmos objetivos que o Benfica.

Adquirir um passe por 22 milhões milhões de euros não é nada de transcendente para o Benfica, nos dias que correm. Basta olhar com atenção para os sete anos de negócios feitos de forma ininterrupta para o entender. Ao longo deste período a SAD do SLB transacionou passes de jogadores num valor médio um pouco acima dos 60 milhões/ano. Não o fez uma ou outra vez de forma esporádica. Repito: fê-lo de forma continuada durante sete anos. No total, desde a entrada de Jorge Jesus na Luz, e até este momento, foram vendidos passes num valor total que atinge os 430 milhões! Quem vende bem e a um ritmo anual ganha músculo financeiro para depois poder intervir com força no mercado das aquisições. É isso que o Benfica actual prova de forma evidente. A diferença entre Benfica e o resto da concorrência está a aumentar de forma clara. Ser tricampeão foi a consequência natural das coisas. Se em 2016/17 não conseguir o tetra, isso sim será uma grande surpresa.»
(José Ribeiro, Contas Feitas, in Record)


Preparem-se então para essa grande surpresa! Porque o Benfica já por quatro vezes tentou alcançar o tetra:

1 - 1962/63 Benfica # 1963/64 Benfica # 1964/65 Benfica1965/66 Sporting

2 - 1966/67 Benfica # 1967/68 Benfica # 1968/69 Benfica1969/70 Sporting
3 - 1970/71 Benfica # 1971/72 Benfica # 1972/73 Benfica1973/74 Sporting
4 - 1974/75 Benfica # 1975/76 Benfica # 1976/77 Benfica1977/78 Porto

E o Sporting por três vezes e o Porto por uma vez, tiraram-lhe o pão da boca!...
Porque teria esta época de ser diferente?!...

Manda a Dona Prudência, que ninguém conte com o ovo e ele ainda no cu da galinha!...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Muita força e coragem Lukas!...


O jovem e promissor reforço Lukas Spalvis que o Sporting atempadamente foi descobrir e contratar ao Aalborg, viu bater-lhe à porta o infortúnio no decorrer do desafio amigável com o Stade Nyonnais, no estágio que os leões realizaram recentemente na Suíça e os exames complementares entretanto realizados em Lisboa detectaram que a lesão afinal é mais grave do que se esperava, tudo apontando para um afastamento prolongado dos relvados, muito dificilmente inferior a seis meses.

Spalvis sofreu uma dupla rotura, do ligamento cruzado anterior e do menisco interno do joelho direito, pelo que será submetido nas próximas horas a uma cirurgia que será conduzida, como habitualmente, pelo cirurgião ortopedista leonino  Pedro Pessoa.

Perante uma das mais graves lesões com que o azar poderia contemplar o jovem atacante, o seu prolongado afastamento enfatizará naturalmente a necessidade de nova investida no mercado por parte do Sporting e por certo inviabilizará qualquer perspectiva de transferência que eventualmente pudesse vir a apresentar-se relativamente a Islam Slimani, face ao sub-rendimento evidenciado por Hernan Barcos e à autêntica carta fora do baralho que obviamente terá de ser considerado o colombiano Teo Gutiérrez.

O mais importante será, naturalmente, que a cirurgia a que o desafortunado atleta terá de sujeitar-se, venha a constituir rotundo êxito e que a sua recuperação se venha a processar, no tempo e no modo, em moldes que permitam ao promissor ponta-de-lança regressar à actividade plena já no início do próximo ano.

Muita força e coragem Lukas!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE