domingo, 16 de maio de 2021

A gente perdoa, Amorim. Mas não esquece!!!...



"Podíamos ter criado mais perigo e definido melhor. O Benfica entrou bem, marcou três golos. Marcámos sobre o intervalo e acreditámos. Voltámos a sofrer um golo e depois fomos atrás do resultado. A equipa mostrou a alma e força que tem. Marcámos mais dois golos. Mais vale sofrer agora que somos campeões do que estar a sofrer no futuro. Temos de fazer estas mudanças.

Eu é que não ajudei, foram muitas mudanças ao mesmo tempo. Os jogadores estiveram muito bem, deram tudo. Rectificámos ao intervalo e reagimos numa boa segunda parte. Queríamos ganhar, queríamos manter a invencibilidade, não conseguimos. Mas o mais importante está feito: ganhámos o campeonato e já estamos a preparar o futuro. Os jogadores não têm culpa que o treinador mude tudo ao mesmo tempo. Rectificámos e voltámos a ser a equipa que mostrámos durante o resto do campeonato."

Quem assim se confessa, não merece castigo, mas lá que foram "invenções" a mais, lá isso foram... Quantos de nós adivinhámos o perigo???!!!...

A gente perdoa, Amorim. Mas não esquece!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Com o credo na boca!...



Foi preciso o Hóquei em Patins salvar o Sporting de um dia para esquecer, neste sábado 15 de Maio de 2021, já que nas três restantes disputas no futebol, entre Sporting e Benfica - Juvenis, Juniores e Seniores - não conseguimos mais que três derrotas. Valeu-nos o Hóquei para "salvar a honra do convento"!...

E mesmo assim, em desempate por grandes penalidades e...

Com o credo na boca!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 15 de maio de 2021

Roubem mas não à vista de todos!!!...


O primeiro golo do Benfica, não foi marcado por Haris Seferovic! O avançado vermelho com um toque subtil fez a bola passar por cima de Adán e quando aquela se dirigia para a baliza deserta, foi interceptada em carrinho por Nuno Mendes, sofrendo a sua trajectória um desvio que a levou a ir ao poste e ressaltar para dentro do terreno., tendo sido o defesa do Sporting que, deslizando ainda no relvado, a empurrou para a baliza com o braço!...

Espero que a Liga analise bem as imagens - "frame a frame"! - e retire o golo ao avançado do Benfica e atribua a autoria do auto-golo a Nuno Mendes...

Nesta condição deverá ser Pedro Gonçalves a liderar a lista dos melhores marcadores com 20 golos, seguido de Haris Seferovic com 19!...

Roubem mas não à vista de todos!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Borrar as cuecas!!!...


Mesmo com o Sporting a dar-lhes a primeira parte de avanço, os benfas ainda tiveram de fazer anti-jogo, queimar tempo e...

Borrar as cuecas!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Campeões dispostos a vencer!...


Ora aqui está, segundo notícias de última hora, o onze inicial escolhido por Rúben Amorim para enfrentar o Benfica na Luz!...

Se alguma surpresa aqui poderá ser encontrada, talvez apenas as entradas de Matheus Nunes e Daniel Bragança possam ser entendidas sob esse prisma, mas nada que possa constituir motivo de preocupação dos sportinguistas: dois jovens, mas já tarimbados na alta roda do nosso futebol e...

Campeões dispostos a vencer!...

Leoninamente,
Até à próxima 

Apenas à Sporting: com classe!!!...


"O Sporting está bem, saudável e... a Festa é deles"!...

Sem voltas olímpicas, sem sapatos de salto alto, sem protagonismos bacôcos... sem diarreias mentais!...

Apenas à Sporting: com classe!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 14 de maio de 2021

Um Grande Campeão!!!...


«Antes de assinar pelo Sporting em 2019 pedi opiniões a vários jogadores que passaram pelo Clube, todos eles sem excepção me disseram que era um Clube diferente, com pessoas diferentes, com adeptos diferentes. E no dia a dia vivi no Sporting a tentar perceber o que me explicavam com um brilho nos olhos.

Não minto, tive dias em que cheguei a colocar dúvidas se no meu tempo de contrato ia de facto conseguir ver ou sentir a grandeza do Sporting. A pujança de geração em geração. O Sporting dos Leões que quando um cai outro se levanta.

Mas situando isto na época 2020/2021 que será uma bonita história para contar aos filhos e netos através dum grupo que encarnou todos os valores porque se rege este Clube.

O universo sportinguista acreditou... E quando o Sporting acredita mobiliza, alavanca, aglomera e sofre junto. A ONDA VERDE formou-se. Lado a lado com o nosso espírito. Sentimos que já não era só a nós que eles tinham que derrubar. Estávamos blindados.

Da Madeira a Barcelos, de Famalicão a Braga, passando pela Taça da Liga e contra os nossos principais rivais, dissemos presente de uma forma ÉPICA.

PRESENTE quando o normal era não passarmos do NATAL.

Culminou ontem com a vitória do Campeonato Nacional ao final de 19 anos.

Felicidade extrema por três motivos. Primeiro, por fazer parte dum grupo que desde o primeiro dia quis ser diferente e mudar o rumo da história do Sporting.

Segundo, por perceber que é mesmo possível GANHAR neste Clube. E a quantidade de clichês, estigmas, crenças que caem com este título.

E por último, podia terminar a minha carreira hoje, que a vitória maior que eu algum dia poderia ter, consegui ontem. Não só o troféu. Mas vi com os meus olhos o GIGANTE que o Sporting é.

Estamos de Parabéns.
#ondevaiumvãotodos»

Um grande e exemplar profissional...

UM GRANDE CAMPEÃO!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Da mais elementar justiça!!!...


João Palhinha Campeão, a sua subida na hierarquia salarial de Alvalade, consubstancia o sentimento da grande nação sportinguista e constitui prémio para um dos mais esforçados leões ao longo de toda esta gloriosa temporada...

Da mais elementar justiça!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 13 de maio de 2021

Ainda há gente séria à nossa volta!!!...


A grande beleza do futebol

«Para que fique claro, não tenho nenhuma inclinação clubística pelo Sporting. Nos tempos que correm no futebol, aliás, é muito improvável que venha a reatar paixões antigas que me empurravam para o velho Estádio da Luz e para a magia que jorrava dos pés de Vítor Baptista, Nené, Chalana, Jordão e Toni. Depois, a mesma sensação despontava ao ver o imenso Futre, que era um produto cruzado da cultura competitiva dos três grandes. Futre era único, no seu tempo, o que tornava totalmente indiferente a camisola que envergasse aos olhos de quem ama a beleza do futebol de rua, a rebeldia táctica, a poesia de potro indomável que o genial jogador espalhava pelo campo. Essa beleza do futebol percorria os clubes da minha geografia sentimental, que ia do Vitória de Setúbal à Académica. E foi sempre isso que me prendeu ao futebol, que abandonei quando as sociedades anónimas desportivas ditaram as suas regras de pura mercantilização do talento e do suor dos jogadores, que transformaram os clubes em buracos de dívida sem fundo, às mãos de dirigentes que os usam como meio de sobrevivência e aval pessoal perante a banca.

Para ser verdadeiro, por estes dias, o que me reconciliou com esse futebol do meu velho bairro odemirense, mesclado de talento e generosidade, foi Palhinha (que jogador!), Daniel Bragança, Nuno Mendes, Nuno Santos, Pedro Gonçalves, Jovane, Coates ou Matheus Nunes. Que grande geração de jogadores, que viveiro para a Selecção Nacional!

Os jogadores e os adeptos sempre foram a essência e a beleza do futebol. Esta semana, os jogadores do Sporting mostraram isso ao mundo do futebol. São eles, com a sua força, querer, garra e talento, com o infinito poder da sua juventude, que provaram ser possível tirar um clube com a grandeza do Sporting do inferno mais humilhante e levá-lo até ao cume da glória.
A vitória dos jogadores do Sporting, dos seus adeptos e da sua direcção, representa o triunfo da decência contra o gangsterismo mercantil que hoje domina o futebol e que utiliza como braço armado claques que não servem para nada a não ser para espalhar o ódio e o terror.

É um triunfo que simboliza a afirmação da transparência de gestão sobre o banditismo instalado no futebol. O banditismo que vive por conta das velhas redes clientelares de uma banca que era suposto ter morrido em 2014, com a queda do Grupo Espírito Santo, mas que ainda dá sinais de vida. Ou aqueloutro banditismo que vive por conta do verdadeiro oligopólio que montaram no negócio da compra e venda de jogadores e que tanto dá comissões a quem vende como a quem compra. Parabéns, Sporting!»

Ainda há gente séria à nossa volta!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Os milagres precisam de alimento!...


O trio do milagre

«Contra muitas expectativas e após vários erros de palmatória evidentes para quem não seja seguidista nem invertebrado, incluindo a ausência de empatia e as dificuldades de comunicação próprias, Frederico Varandas irá cumprir o mandato e já prepara, com a conquista deste campeonato, a manutenção do seu seguro de vida que é Rúben Amorim, a Cidade Sporting e as cadeiras verdes em todo o estádio, uma recandidatura que será praticamente imbatível.

Soares Franco, Bettencourt, Godinho Lopes, Bruno de Carvalho não conseguiram o título. Varandas conseguiu. Facto indesmentível. Ponto. Podem gostar ou não, mas voltou a fazer sorrir os sportinguistas, que devem pelo menos agora estar agradecidos. Se o odeiam, não é problema meu, e eu não entro em carnavais de ingratos.

O meu contacto com ele resumiu-se a dois minutos de conversa normal antes do ‘Sporting Talks’ em 2018. Mas vivi sempre no meu íntimo com uma sombra relativamente a Varandas. Durante a sua campanha eleitoral contou que se empenhou muito para que os jogadores disputassem a final da Taça de Portugal, quando naquele momento não tinham condições psicológicas para tal após Alcochete. Ora, o presidente não sabia, nem tinha de saber, que o meu pai morreu de forma súbita e inesperada a ver o Sporting-Aves do Jamor. Um leitor pode não entender, pois não passou por esse drama, mas eu perguntei muitas vezes para mim próprio: e se ele não se tivesse empenhado tanto e o jogo não se tivesse realizado, o meu pai ainda estaria vivo? Sinto que a conquista deste campeonato deve servir de catarse dessas nuvens e ser um tributo a tantos sportinguistas (como o meu avô e o meu pai) que não voltaram a ver o Sporting campeão nestes 18 anos.

Tem de dar a mão (como escrevi na semana passada e o Bernardo Ribeiro aqui reforçou) para pacificar o clube, não se vestir de soberba e ser magnânimo. Assumir alguns erros, deitar desconfianças e azedumes para o Mar Morto, condenar publicamente e proibir exércitos do nojo, partir para uma fase de reforço do clube e dar-lhe alicerces para vencer mais vezes. Escrevia Esopo: "A união faz a força e a discordância debilita". Que fantástico seria para o clube se conseguisse prolongar a união.

E se com o presidente devemos ser críticos nos momentos oportunos quando a nau parece desgovernada, com o Hugo Viana fui duro no passado. Falámos logo nesse momento, tudo esclarecido, e recebeu a minha mensagem de parabéns por esta vitória, a que respondeu com enorme simpatia, educação e agregação. Foi ele que impôs a solução Rúben Amorim, um risco elevado que se tornou uma página gloriosa.

Um dos pianistas mais virtuosos do século XX, Arthur Rubinstein, afirmava: "Adoptei a técnica de viver a vida milagre a milagre". Rúben Amorim foi o virtuoso do jogo a jogo no caminho do maior milagre verde e branco. Não se esbanjam hossanas e superlativos quanto ao seu trabalho. O treinador virou unanimidade, por isso aqui fui o primeiro a insistir que renovassem e aumentassem a sua cláusula de rescisão, pois é ele que os adeptos veneram sem hesitações. Foi este o trio do milagre, que continuem a guardar espaço no museu para o que aí vem é o desejo de todos os leões para o amanhã.»
* Texto escrito com a antiga ortografia

Os milagres precisam de alimento!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE