domingo, 19 de novembro de 2017

Presunção e água benta cada qual toma a que quer!...



Presunção e água benta cada qual toma a que quer!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 18 de novembro de 2017

Burros, teremos sido sim, pela escolha que um dia fizemos!!!...





















Bruno de Carvalho
59 min


Já chega! Acabou a paciência!

Para os aziados quero relembrar que já disse várias vezes e repito: havia Sporting antes de mim e haverá depois de mim. O mérito de tudo o que a minha equipa tem feito é dos sportinguistas. Nós é que temos a honra e orgulho em servir o Sporting.

Chega de sonsos aziados! Essa frase que o Madeira Rodrigues disse na última AG é falsa e hipócrita!

Tem tanta pirataria na net, não seja você mais uma!

E isto que sirva para todos os aziados!

Burros! Em vez de falarem dos e-mails, vouchers e processos graves a decorrer contra os nossos rivais vêm falar de mim e todos com a mesma cartilha!
(LINK)


Burros! É o que Bruno de Carvalho pensa de todos os sportinguistas que recusam afinar pelo ridículo diapasão que o acompanha 24 horas por dia e pelo qual afina um comportamento que estará a destruir a unidade do Sporting!...

Burros, quando o único burro para que apontam quase todos os malefícios com que em cada dia o Sporting se vê confrontado, será ele próprio, Bruno Miguel de Azevedo Gaspar de Carvalho!...

E tão burro, tão burro, tão burro que ainda não conseguiu descobrir que as razões pelas quais todo o universo sportinguista não se levanta, unido, unânime e corajosamente em armas contra a corrupção instalada no pântano do futebol português, está única e exclusivamente nele próprio. Por se constituir teimosa, sistemática e reiteradamente nos "telhados de vidro do Sporting".




Todo o universo sportinguista desejaria partir já amanhã para a luta pela regeneração do futebol português, unido com os seus dirigentes, contra a podre corrupção instalada neste pobre país onde as instituições que zelam pelo cumprimento da lei estão manietadas pelo poder escarlate, pelo "polvo vermelho", pelos "DDTs" que dispõem a seu belo prazer de políticos e de toda a pirâmide da justiça, seja desportiva, seja de âmbito geral e nacional,  mas como, se em cada hora surgem disparadas pelo próprio presidente do Sporting Clube de Portugal, rajadas de uma retórica deselegante, grosseira, de inclassificável nível e tão atroz quanto pueril e tresloucada incivilidade?!...

Burros, teremos sido sim, pela escolha que um dia fizemos!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

A "próxima gaja" a ser abatida pela "kalashnikov" presidencial!...


Será possível?

Será mesmo possível?

«O que eu estranho, nesta fase, já não é a linguagem de Bruno de Carvalho. Bruno de Carvalho deixou-se escorregar para um regime de roda-livre e, agora, qualquer redução de tom, qualquer atitude de homem de Estado - no fundo, qualquer intervenção consentânea com a que deve ser a pose do presidente de um clube com dezenas de milhares de sócios e milhões de adeptos, com desafios exigentes e uma bomba nas mãos - poderia ser entendida como um recuo.

O que eu estranho é que, aparentemente, não haja ninguém no Sporting, entre titulares de órgãos sociais e funcionários de alto perfil, a quem esta linguagem incomode. Será mesmo possível que ainda não tenha havido um só a manifestar o seu desconforto por este tom? Será mesmo possível que ninguém exija ao menos que a direcção de comunicação tenha uma palavra a dizer nas intervenções do presidente, quando estas vinculam tão claramente o clube?

Onde é que isto vai parar? Essa é a pergunta seguinte. Mas, se a resposta à primeira persiste ao que parece, "Sim, está tudo confortável", a segunda fica parcialmente respondida: não vai parar em bom lugar.»
(Joel Neto, Opinião, in o Jogo)


Depois de nova e retumbante "diatribe facebookiana" de Bruno de Carvalho, alicerçada numa pretensa "destruição maciça" de um jornalista, Rui Santos, de quem, com defeitos e virtudes comuns a qualquer ser humano, todos conhecemos um especial afecto pelas nossas cores  e passa por ser uma das poucas vozes na nossa imprensa que tem a coragem de afirmar a sua absoluta e incontornável recusa, subserviência e condenação dos métodos e processos perseguidos pelo "império do crime" estabelecido do outro lado da nossa rua, surge-nos tão natural como o leão ser o rei dos animais, a opinião corajosa e desempoeirada de Joel Neto, um leão dos sete costados que, hoje por hoje, começa a ocupar um espaço interessante no panorama cultural deste "bairro pobre e desajustado" que somos, que orgulhará todos aqueles que, conhecendo-o, se ufanam de cultivar o respeito e a admiração pela obra e pensamento de um seu "irmão de raça"!...

Não tardará que sobre Joel Neto caia novo vilipêndio semelhante e se venha a tornar a breve trecho em... 

A "próxima gaja" a ser abatida pela "kalashnikov" presidencial!... 

Leoninamente,
Até à próxima

É o passo que lhe faltará para chegar ao "panteão"!...


PIRIQUITOS, PAPAGAIOS E MUITAS ‘AVES RARAS’

«Vamos lá a colocar os pontos nos is: no âmbito já de si repugnante ‘caso dos emails’, a partir do qual temos assistido a um imparável desfile de indignidades, este ‘caso Piriquito’ é a cereja (estragada) no topo do bolo (…podre).

Vamos a factos:

1. A revista ‘Sábado’ revela online que o ex-director de conteúdos da BTV, Pedro Guerra (PG), recebeu documentos internos da FPF, relacionados com auditorias internas do organismo federativo, através de Horácio Piriquito (HP), membro do Conselho Fiscal.
2. A FPF esclareceu, junto da revista, que os "os documentos são internos, sem acesso público". Entrega caso à PJ e à PGR.
3. Piriquito publica um comunicado na sua página pessoal do Facebook, no qual adianta que "nenhuma informação confidencial foi passada para a praça pública". Sublinha que, apesar de "não ter praticado algum ilícito", apresentou o "pedido de demissão do cargo de vogal do Conselho Fiscal da FPF".
4. O director de comunicação do FCP reage ao comunicado e acusa Piriquito de mentir.
5. A imprensa dá conta de um email de HP, de 30/9/2016, com o conteúdo de uma auditoria, dirigido a PG: "Segue superconfidencial. Nem sequer foi ainda aprovado. Aprovaremos hoje à tarde".
6. O Benfica recusa fazer comentários sobre a matéria.

Vamos às considerações e interpretações assentes nos factos:

1. Piriquito é um gestor-benfiquista. Tudo normal. Amigo de Guerra. Normal.
2. Piriquito participou várias vezes em painéis de debate, na BTV. Reticências.
3. Piriquito sabia, melhor do que ninguém, da responsabilidade de Guerra na BTV.
4. Foi na qualidade de membro do Conselho Fiscal da FPF que não se coibiu, segundo a imprensa, de fazer chegar documentos confidenciais ao director de conteúdos da BTV.
5. Piriquito sabia que não estava a facultar documentos confidenciais a uma fonte jornalística (o que também seria altamente discutível, a menos que estivéssemos a falar de alguma matéria com indiscutível interesse público); estava a facultar informação para ser (di)gerida no interesse de alguém que se assumia como porta-voz do Benfica.

Este último ponto é especialmente grave e denuncia um comportamento matriz que não é possível ignorar: o papel de Pedro Guerra neste intricando ‘caso dos emails’, uma das aves mais raras que, a certa altura e depois de ter saído do arquivo e da casca do ‘Independente’, onde chegara a publicar matérias inflamáveis contra o presidente do Benfica, pousou na Luz, passando a gozar de uma protecção — como dizer? — singular. Fez treino na CMTV para ‘calçar’ as chuteiras [do Damaiense] na TVI.

Estamos a falar de uma estratégia. De uma estratégia dissimulada. De uma estratégia que passava por capturar e comprometer uma série de figuras que não estivessem ‘ao serviço de’. E as que estavam ao ‘serviço de’ estimuladas, no mínimo, a fazer o seu papel no espaço público (televisões, etc.). Basta olhar para o filme das ‘cartilhas" e para o papel coordenador de Janela. Basta recordar que os ‘cartilheiros’ começaram por negar o recebimento das ‘cartilhas’ e muitos se lembram das figuras tristes que fizeram. O incómodo dos estrategos e das suas marionetas foi visível. Guerra é ‘descoberto’ e, após um percurso sinuoso e ziguezagueante, sai oficialmente da BTV para ‘proteger’ o Benfica. Mas prossegue o perigosíssimo espectáculo circense, agora somente na TVI e com grandes dificuldades para negar as evidências e disfarçar aquilo que toda a gente viu: foi o escolhido para – entre algumas verdades – despejar todo o tipo de suspeitas sobre os principais adversários.

Neste tão maltratado futebol português, outros papagaios, de outras tonalidades, têm aberto o bico e dado à asa, mas este episódio a envolver Piriquito parece ser a prova que faltava para provar que a tenda estava (bem/mal) montada.

As pessoas no futebol e nos clubes têm de se habituar à ideia de que ninguém é melhor ou pior por ser do Benfica, do Sporting ou do Porto. E que a falta de respeito pelas diferenças é o caminho mais rápido para a intolerância e o caos.

Este é o problema do futebol português. Uma terrível obsessão pela instrumentalização. O céu escuro da bola indígena está cheio de falcões mascarados de piriquitos que não têm respeito nem por si próprios nem pelas instituições que não servem ou julgam servir. É mau de mais o que está a acontecer ao futebol em Portugal. E é natural que indivíduos bem formados e com carácter, respeitadores dos mais elementares princípios de coexistência pessoal e institucional, não apareçam nem se proponham, desde logo bloqueados e rejeitados por formas pidescas de controlo totalitário e de uma atitude rasca de gente (autoproclamadamente ‘regeneradora’) que não consegue abandonar a tasca.»
(Rui Santos, Pressão Alta, in Record)


Ainda tenho esperança de, num dia não muito longínquo, assistir ao ainda e por enquanto presidente do Benfica, a abrir uma conta no Facebook!...

É o passo que lhe faltará para chegar ao "panteão"!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Quem não quer ser lobo, deve fazer como a mulher de César!...


OS CASOS DO SPORTING-FAMALICÃO
Três lances em análise pelo árbitro Record Marco Ferreira (LINK)


«3 minutos - MAL (ERRADO)
Fora de jogo mal assinalado a Ristovski. O jogador leonino aparece sozinho do lado direito do ataque, saindo de uma posição legal.

29 minutos - PÉNALTI (ERRADO)
Infracção por assinalar de José Pedro sobre Bas Dost. Jogador agarra o adversário, impedindo-o de ganhar posição. Infracção dentro da área ficando um pénalti por assinalar.

87 minutos - PÉSSIMO (ERRADO)
Infracção de Mattheus sobre Anderson na área, empurrando o adversário numa jogada onde o avançado do Famalicão estava em fora de jogo. O assistente não assinala e o árbitro pune a infracção do médio. Erro grave do assistente.

HELDER MALHEIRO (Lisboa) - Classificação (0-5) 2

Arbitragem com alguns erros por parte de Hélder Malheiro. Teve boas decisões nas áreas com lances com os braços/mãos, mas errou no lance do penálti, marcado por uma má decisão do seu assistente. Além do mais, não assinalou um penálti sobre Bas Dost, na 1.ª parte. Mal auxiliado.»



Sete anos como árbitro de primeira categoria, já seria tempo suficiente para o senhor árbitro Helder Malheiro, num jogo aparentemente fácil de dirigir e contando com exemplar correcção por parte dos jogadores de ambas as equipas, produzir um trabalho que não merecesse nota negativa na análise do ex-árbitro Marco Ferreira.

Terá sido apenas um dia mau, ou reflexo negativo de algum email que por aí ande perdido, à espera de ver a Luz do dia?! Certo, certo, será que por este caminho, mesmo continuando a não faltar às missinhas, "a carreira poderá ser curta". Os tempos não correm de feição para os distraídos!...

Quem não quer ser lobo, deve fazer como a mulher de César!...

Leoninamente
Até à próxima

Palavras para quê?! É Campeão Europeu!!!...




Palavras para quê?! É Campeão Europeu!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Deplorável e coisa de terceiro-mundo!...


BATTAGLIA E O CAOS

«Numa semana de guerra aberta no futebol português, enquanto a Selecção Nacional se mostrava solidária com a comunidade com mais de 700 mil euros recolhidos, foi serviço público de qualidade o que o Record prestou com a entrevista a Battaglia. No meio da pancadaria verbal, que parecia uma revisitação juvenil daqueles recitais de murros do Bud Spencer e Terence Hill, o argentino exibiu que o futebol é fantástico quando se dá palco aos que enchem estádios e não aos que semeiam o descrédito da modalidade.

Já tinha reparado que Rodrigo Battaglia era muitas vezes convocado para as flash-interviews e conferências de imprensa. Sobressaindo a sua tranquilidade e clareza na análise do jogo, acompanhada de discurso positivo. Esta semana, numa entrevista de 4 páginas no Record, mostrou uma sensatez e humildade que por vezes julgamos afastadas dos discursos habituais de homens que ganham muito acima da lusa realidade.

"Nos treinos estou atento aos movimentos dos colegas, não me limito apenas aos médios, tento aprender tudo", dizia o médio sportinguista. Com esta frase, lembrei-me de uma outra do professor Abel Salazar: "um médico que só sabe de medicina, nem de medicina sabe". Ora, todos sabemos que um dos factores de desenvolvimento da personalidade é a abertura ao conhecimento e Battaglia mostrou essa disponibilidade para ser todos os dias um bocadinho melhor, para ir crescendo e atingir o objectivo de chegar à selecção argentina.

Evidenciou profissionalismo, uma boa relação com o mestre Jorge Jesus e com os companheiros, revelou matizes de um magnífico ser humano, o que só enobrece os pergaminhos do Sporting. É deste tipo de contributos que se valoriza um jornal, uma modalidade e a sociedade. Não é caso único, por isso é tempo dos responsáveis de comunicação de todos os clubes libertarem das grilhetas os atletas e deixarem-nos contar as suas experiências de vida. Pois todos ganham com isso.

Tenho observado com alguma repulsa o que se tem passado para os lados da Luz. Penso que até nenhum benfiquista gosta de ver o seu clube enlameado por passarões, periquitos e figurinhas que nada acrescentam à sua história. E continuo a achar estranho que o Ministério Público mais rapidamente entre nos assuntos de José Sócrates, Ricardo Salgado, Zeinal Bava, Henrique Granadeiro, entre outros, do que nos assuntos que têm vindo à tona relacionados com o Benfica. É a prova de que há na esfera dos poderes do Estado uma subserviência que reputo de vergonhosa perante um emblema que não pode estar acima da lei. A Justiça deve investigar, se tiver provas, acusar, e depois julgar. Com honestidade, sem preconceitos nem favores. Pois, se um dia se duvida da sua independência e eficácia, será o caos. E ninguém vive saudavelmente no caos, muito menos o futebol português que tem os seus alicerces podres e está à beira da ruína.»

Quantos jornalistas em Portugal são capazes de escrever e publicar o pequeno excerto seguinte da crónica de hoje de  Rui Calafate?!...

"...Continuo a achar estranho que o Ministério Público mais rapidamente entre nos assuntos de José Sócrates, Ricardo Salgado, Zeinal Bava, Henrique Granadeiro, entre outros, do que nos assuntos que têm vindo à tona relacionados com o Benfica. É a prova de que há na esfera dos poderes do Estado uma subserviência que reputo de vergonhosa perante um emblema que não pode estar acima da lei..."

Tirando os 14 milhões de benfiquistas, todos nós, portugueses com um pingo de vergonha na cara achamos, mais do que estranho... 

Deplorável e coisa de terceiro mundo!...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Faltam apenas mais três passos para o Jamor!...



Esteve bem Jorge Jesus ao não facilitar perante uma equipa bem organizada e que entrou claramente em Alvalade para disputar um autêntico jogo de Taça!...

Admirável a forma actual de Rui Patrício que se cotou como o melhor em campo. A esse facto, a somar a outro que teve como protagonista Bruno Fernandes, cuja entrada acabou por ser decisiva para o desfecho, ficou a dever o Sporting a sua passagem aos oitavos de final de uma competição que afirma e bem, querer vencer.

Faltam apenas mais três passos para o Jamor!...

Leoninamente,
Até à próxima

Obviamente, nunca se demitirá!...


Comparar o incomparável

«Os responsáveis do Benfica pretendem atirar areia para cima de terceiros para desviar a atenção dos gravíssimos problemas que têm acontecido nos últimos tempos. [...] Fiquei a conhecer hoje o Dr. Falcato através do Record e do pedido inusitado e descabelado do Benfica. O Dr. Falcato, tal como todos os árbitros do TAD, assinou uma declaração de independência e imparcialidade, assumindo o compromisso de honra e ética em que declara exercer as funções de forma independente. Mas fez mais do que isso. Sem que nada o obrigasse, declarou que é sócio do Sporting com o numero 8098. Maior declaração de honestidade e idoneidade não poderia haver. Isto foi coisa que Lucas Pires nunca fez nos processos que envolviam o Benfica, pelo menos que se saiba. Mas Falcato fez mais do que isso - como qualquer cidadão que tem clube. Fez esta declaração de interesses e no momento de julgar, ao contrário de Lucas Pires, condenou-me. Mantém 'condenado pelo TAD'. Há redução mas não há absolvição. Lucas Pires é o juiz do TAD que iliba o Benfica no caso dos vouchers. É comparar o incomparável". [...]

Falcato nunca pediu 'bilhetes jeitosos' ao Sporting e sempre que foi a Alvalade foi à sua própria custa. Mas não se lhe conhecem posições públicas de anti-benbfiquismo ou anti-portismo, ao contrário de Lucas Pires. Recordo aqueles disparates ao longo dos anos tornados públicos a semana passada. [...] O que quero dizer é que este pedido do Benfica de afastamento de Falcato, procurando confundir com Lucas Pires, além de ser um insulto à inteligência das pessoas é uma aberração. Não há comparação entre a conduta de um e do outro...»
(Nuno Saraiva, programa 'Verde no Branco'/Sporting TV, in Record)

Na sua desesperada, inevitável e irreversível caminhada para o abismo, os dirigentes actuais do Benfica perderam completamente todo e qualquer discernimento e bom senso! Pretender meter no mesmo saco um juiz capaz de permitir que a sombra da suspeição sobre a sua imparcialidade lhe toldasse a imagem de integridade que deveria nortear a sua conduta, a troco de uns míseros "bilhetes jeitosos" para um jogo do seu clube do coração, com um outro juiz, adepto fervoroso e sócio pagante de uma vida, com indefectível presença familiar em Alvalade e cultivando princípios e valores capazes de o levarem à declaração de interesses que agora nos chega ao conhecimento, só pode lembrar a quem não tem a mínima noção de dignidade e de respeito pelos mais elementares valores que devem ser padrão inultrapassável e incontornável da sociedade de que fazemos parte.





Para além do mais a atitude dos dirigentes do Benfica, revelando confrangedor défice intelectual, acaba por traduzir-se num claro insulto à inteligência de José Manuel Gião Falcato: como sportinguista e como homem íntegro e impoluto, de consciência absolutamente limpa e tranquila sobre todos os seus actos passados, presentes e futuros, a última acção que lhe poderia passar pela cabeça, seria sentir o mínimo constrangimento face à inclassificável pressão que o Benfica pretende exercer sobre a sua pessoa, no sentido de admitir, promover ou facilitar a  sua demissão.

Nesta condição, quanto mais não fosse por dignidade e honra pessoais e orgulho sportinguista...

Obviamente, nunca se demitirá!...

Leoninamente,
Até à próxima

"Capo di tutti i capi"!...


Ora aí estão os quatro tentáculos do "polvo vermelho" que, até ao momento, o futebol já foi capaz de decepar... O primeiro foi José Eduardo Fanha Vieira, que estava lançado para ser Secretário de Estado da Juventude e Desporto e... tropeçou pelo caminho. O segundo foi João Pinheiro, que era membro da Comissão Arbitral Paritária da Liga e espalhou-se ao comprido. Depois foi Miguel Lucas Pires, o tal juiz do TAD que pedia e aceitava ‘bilhetes jeitosos’ para jogos do Benfica. E agora o azar bateu à porta de Horácio Piriquito, o espião que alimentava o Benfica, pela mão do "maitre" Pedro Guerra, de "vinhos d'alhos dos intestinos federativos". É o desmantelar lento mas persistente de um colossal e gigantesco polvo escarlate que foi crescendo no pântano à custa da distracção de muita gente, sportinguistas incluídos. Ainda estaremos perante a ciclópica tarefa de nos termos de debruçar sobre a arraia miúda. Só depois será hora de enfrentarmos os verdadeiros... 

"Capo di tutti i capi"!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE