domingo, 26 de junho de 2016

Eles ainda não sabem nem sonham o que representam as suas palavras para os adeptos!...


Alan Ruiz, Lukas Spalvis e Radosav Petrovic chegaram a Portugal ao longo do dia de hoje e por esta ordem, a fazer fé no que nos reportam os principais orgão da imprensa da especialidade. O ar circunspecto de Ruiz e Petrovic contrasta com o sorriso de confiança que Spalvis irradia. Mas ao que sabe, as declarações de todos eles afinam pelo mesmo diapasão: chegam para vencer pelo maior clube de Portugal!...

Eles ainda não sabem nem sonham o que representam as suas palavras para os adeptos!...

Leoninamente,
Até à próxima

P.S. - Curioso o facto da indumentária dos três ser em tons negros e discretos, ao contrário do "estardalhaço" a que normalmente assistimos com jogadores de outros clubes! Se calhar vêm mesmo para trabalhar!...

Os típicos autocarros que lhe "surripiaram" o título!...


Ataque organizado

«A selecção alemã a dar mais uma grande lição ao mundo, sobre a forma de colocar os jogadores em campo quando o adversário defende com muitos. Lição muito importante que todo o futebol em Portugal deveria olhar com atenção.

Hummels e Boateng adiantados, e abertos. Caso Hummels seja pressionado, de imediato Boateng reage e recua para lhe dar uma opção de passe mais segura pela direita. Kroos a garantir uma opção segura pela esquerda, e a cobertura no caso de Hummels tentar agredir o bloco adversário em condução. Kimmich largo e profundo, mas apenas com a largura necessária tendo em conta o posicionamento do bloco eslovaco, uma vez que com a bola do lado contrário interessa mais receber na profundidade do que em apoio. Hector largo e profundo no corredor mais perto da bola. Com largura máxima por forma a abrir a equipa eslovaca onde interessa que ela abra, ou então para receber com espaço. Khedira dentro do bloco atrás da pressão a aproximar-se da bola. Draxler prepara-se para se mostrar atrás da pressão, assim como Muller. Todos no corredor central, mas sempre a possibilitarem soluções de passe diferentes para o portador da bola. Ozil, também dentro do bloco mais afastado da bola, e Gomez a segurar e a provocar a linha defensiva com a possibilidade de ruptura. E quando perdem a bola? Reacção fortíssima e agressiva sobre a bola.

Dito isto, alguém imagina onde estará Neuer?»
(Blessing, in Lateral Esquerdo)

Só há um treinador em Portugal cuja interpretação de jogo e trabalho de campo se aproximam desta filosofia. Mas a meu ver, não terá tido ao seu dispôr na época transacta, protagonistas deste quilate ou, se relativamente próximos, nunca terá conseguido por razões várias e sobejamente conhecidas, que todos estivessem em momentos de forma e rendimento semelhantes. 

Na época que amanhã arranca, com a excepção desejável e previsível de apenas quatro, é muito provável que a situação melhore. E mesmo com a chegada um pouco mais tardia desses jogadores nucleares, a situação nunca terá paralelo com aquela com que esse treinador foi confrontado há um ano. 

Nessa suposta condição será muito interessante apreciar o que fará a equipa desse treinador, quanto encontrar pela frente...

Os típicos autocarros que lhe "surripiaram" o título!...

Leoninamente,
Até à próxima

Quando se somar a classe de todo o seu futebol!...


O Sporting Clube de Portugal voltou a anunciar hoje mais um trio de reforços para o seu futebol feminino (LINK).

Elsa Ventura, Constança Silva e Catarina Lopes, juntam-se assim aos 12 reforços anteriormente anunciados e que o Clube colocará na próxima época à disposição do técnico Nuno Cristovão.

Tanta beleza junta é bem capaz de desfazer o coração dos adeptos! Imagine-se o que acontecerá...

Quando se somar a classe de todo o seu futebol!...

Leoninamente,
Até à próxima

A ver se esse clube de "nível mais fraco" consegue manter o "ranking" do Dubai esta época!...


Ainda me passou pela ideia o envio desta imagem para o Dubai! Porém, reflectindo melhor, entendi que tal gesto seria profundamente deselegante para com o clube representativo do nível mais baixo da formação em Portugal!...

Pois se atendermos a que:

1 - O Porto B "limpou" o título da II Liga, com esse clube de nível baixo a ter corrido o risco de baixar de divisão.

2 - O Porto/Juniores "limpou" o campeonato do segundo escalão da formação.

3 - O Sporting/Juvenis "limpou" o campeonato do terceiro escalão da formação.

4 - O Benfica /Iniciados teve de se contentar apenas com o título alcançado no campeonato que corresponde ao quarto escalão da formação,

O que é que os "fabricantes da atribuição de títulos das formações", lá no longínquo Dubai, pensariam do "ranking do ano transacto"?!...

Dizem que FPF arrancará já na próxima época com o Campenato Nacional de... Benjamins!...

A ver se esse clube de "nível mais fraco" consegue manter o "ranking" do Dubai esta época!...

Leoninamente,
Até à próxima

Se calhar o "farelo" ter-se-à ausentado da redacção em "missão de serviço"!...


É ACEITAR QUE VAMOS JOGAR SEMPRE ASSIM


«Desde a geração de ouro que os portugueses estão habituados a um futebol ambicioso. Os Magriços foram pioneiros, sim. E em 84 quase chegávamos lá, mas no futebolzinho de contra-ataque que nos caracterizava. Com os homens que colocaram Portugal definitivamente no mapa do futebol mundial jogávamos quase sempre para ganhar.

Talvez por isso tenhamos dificuldades em engolir esta Selecção. Três empates na fase de apuramento e ontem uma vitória a provar que a sorte faz parte do jogo. Não porque Portugal tenha consentido muitas oportunidades ou sido subjugado pela Croácia. Mas porque a Selecção nunca jogou para ganhar. A ideia é defender.

Os portugueses hoje sabem como se devem sentir os italianos após muitas vitórias. E esse é definitivamente o plano de Fernando Santos, que tem em Portugal um projecto futebolístico semelhante ao que defendia na Grécia. Pode questionar-se, é claro, se não temos jogadores para mais. E que o processo ofensivo parece abandonado aos jogadores. Mas talvez seja melhor aceitar que vai ser sempre assim. Santos foi feliz na Grécia com a ideia do ferrolho. Espalhou-se nos três grandes onde precisava de partir para cima do adversário. Se a ideia é tirar o melhor de cada um, é isto que o engenheiro tem para dar.

De Patrício a Ronaldo, ontem todos sabiam como parar a Croácia. E cumpriram religiosamente a tarefa de não sofrer. A entrada de Danilo provou à saciedade o que é importante para o treinador. Depois houve a talentosa irreverência de Renato, a genialidade de Ronaldo e a cabecinha de ouro de Quaresma. Pode não se gostar do processo, mas estar nos quartos é bom.

QUESTÕES LATERAIS

Santos esteve bem a refrescar

Num Europeu uma equipa tem de usar o plantel com inteligência. Foi isso que o treinador de Portugal fez. Cédric e a sua garra para descansar Vieirinha. Fonte para dar tempo a Carvalho. Nota-se a diferença mas Mandzukic é como muitos que o central ‘inglês’ trava na Premier. E depois Adrien. Aqui onde Portugal ganhou mais. Fez esquecer Moutinho.

Faltou Bryan ao miolo leonino?

Com William a 6, Adrien a 8 e João Mário na direita, apenas André Gomes destoava no meio-campo mais elogiado do futebol português. Mas se Bryan Ruiz é um médio de enorme classe e a única coisa que parecia faltar ali, a verdade é que os jogadores eram os mesmos mas as preocupações e dinâmicas eram totalmente diferentes. Com Santos a ideia principal é defender. Com Jesus é transformar o momento defensivo em ofensivo.

NOTAS DE RODAPÉ

5. Pepe. Um jogo enorme do central que um dia adoptou Portugal. Na altura chegou a ouvir que era por razões financeiras. Hoje são poucos os que questionam a sua entrega. Por vezes excessivo, ontem foi essencial na manutenção da baliza inviolada.

4. Adrien e Renato. O primeiro foi essencial a secar Modric. Talvez o trabalho mais implacável alguma vez feito ao genial médio croata, ontem apenas banal. Já Renato acrescentou a imprevisibilidade que Portugal tanto precisava. Fantástico no golo.

3. Cristiano Ronaldo. Jogo de esforço do craque e capitão português. Também ele a pisar muitas vezes o terreno de Modric, sendo o primeiro tampão à criatividade croata. Os flancos viram-no muitas vezes a defender. E assim nasceu o golo de Portugal.

2. Velasco Carballo. Portugal não se pode queixar das arbitragens no Euro. No entanto, o árbitro espanhol perdoou uma grande penalidade aos croatas . Não teve influência no resultado, mas podia ter tido. Afinal, para que servem os juízes de baliza?

1. André Gomes. Não é falta de vontade, mas as coisas não estão a sair bem ao médio do Valencia. A insistência de Fernando Santos começa a ser penosa. Foi claramente o pior do meio-campo de Portugal. Tudo melhorou com a sua saída...»
(Bernardo Ribeiro, Análise, in Record)

Eu andava deveras preocupado com Bernardo Ribeiro. Cheguei a pensar que teria, desgraçadamente, sido contaminado com um qualquer derivado do "virus ZIKA"! Claro que a proximidade do seu gabinete com aquele em que habita o "farelo", poderá ter efeitos nefastos, se porventura o único sub-director decente do jornal Record, não adoptar as necessárias e suficientes cautelas e medidadas profilácticas rigorosas, mas, a sua "baixa de forma" vinha-me surpreendendo muito desagradavelmente. Mais parecia o João Moutinho, coitado: cada cavadela, cada minhoca! Já não lia uma crónica dele que se aproveitasse desde que o "trancinhas da Musgueira" foi dado como certo no Bayern por 80 milhões!...

Hoje, de repente, quase que parecia o Adrien a secar o Modric! Ah, assim gosto de ler o Bernardo! E nem precisou de "rezar" a oração reverencial da praxe ao "deus trancinhas"! É de homem! É de jornalista!...

Se calhar o "farelo" ter-se-à ausentado da redacção em "missão de serviço"!...

Leoninamente,
Até à próxima

"Ganda" Quaresma!...




Terá sido a nossa jogada mais bonita em 120 minutos! E logo aquela que nos haveria de dar o apuramento. "Ganda" Quaresma!...

É por isso que não me canso de a rever!...

Leoninamente,
Até à próxima

A minha preferida é Super Bock!...



Esta terá sido a anedota mais gira que me chegou durante o dia de ontem!... Obviamente que não me ri! Fui obrigado, isso sim, a rebolar-me pelo chão, atacado por  32 violentas convulsões, tantas quantos os passes certos que a UEFA diz que o jovem terá feito. E eu que julgava que 32 teria sido o número de passes que tinha falhado, com tanta verdura e nervoso miudinho! Claro que mexeu com o jogo. Claro que deu sequência à recuperação de bola de Ronaldo. Claro que esteve à beira de estragar a jogada. Claro que tardou demasiado a entregar a bola a Nani. Claro que a jogada acabou por resultar no golo que apurou Portugal!...

Mas agora a sério. O homem do jogo, aqui para nós, foi o Pepe e o resto serão compromissos publicitários a concorrer para o bolso de alguèm!...

Eu até nem posso com a Carlsberg! A minha preferida é Super Bock!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 25 de junho de 2016

Proponho o absinto para a celebração!...

Honra aos vencidos. Glória aos vencedores!...


Portugal está nos quartos de final do Euro 2016! Com a ajuda dos deuses "gregos", a vitória acabou por nos sorrir ao quarto jogo, ficando de fora a melhor das duas selecções que hoje se defrontaram. A Croácia não merecia ter sido eliminada por uma selecção que nunca lhe foi superior. Mas talvez sejam os imponderáveis que hoje ditaram a vitória da selecção das quinas que fazem do futebol o desporto mais amado universalmente.

Com medo de "ser atirado ao lago" como justamente Cristiano Ronaldo fez ao microfone do jornalista da CMTV, Fernando Santos, ninguém saberá muito bem com que convicção e coragem o fez, colocou finalmente em campo os melhores. E os melhores demonstraram-lhe quão errática tem sido a sua postura.

Como aqui sempre tinha vindo a defender, sem as quatro alterações profundas introduzidas por Fernando Santos no seu "onze preferido", a "nossa selecção" teria sido hoje facilmente eliminada. Com Cedric Soares, Raphael Guerreiro, William Carvalho e Adrien Silva, foi capaz de lutar quase de igual para igual com a Croácia e dirigir a "estrelinha da sorte" na nossa direcção.

Mas desiludam-se todos aqueles que ainda alimentam a esperança de ver esta nossa gente a praticar o futebol que poderia estar ao alcance do seu talento. Com Fernando Santos talvez nunca nos seja concedido o privilégio de assistir a uma selecção capaz de soltar esse talento e e deliciar-nos com o seu futebol. O "espartilho grego" há-de acompanhar-nos até onde a "lei de Murphy" nos permitir chegar!...

Julgo que o próximo desafio será mais fácil que o de hoje. Em primeiro lugar porque a Polónia se me afigura uma selecção qualitativamente inferior à Croácia. Depois porque Fernando Santos muito dificilmente terá coragem para "negar o óbvio" e tentará, naturalmente, apurar nos próximos cinco dias, os mecanismos cujo aperfeiçoamento descurou durante mais de um mês, em que tentou fazer, quase "a martelo", uma "selecção de compadres".

Proponho o absinto para a celebração!...

Leoninamente,
Até à próxima

Não há sono nos bastidores de Alvalade!...


E aí está mais um reforço para o futebol feminino do SportingClube de Portugal! Chama-se Inês Pereira, tem 17 anos, é guarda-redes e vem do Estoril Praia, a jovem promessa em que o Clube apostou para colmatar a difícil tarefa de defender as suas balizas, depois de ter garantida a internacional portuguesa Patrícia Morais.

Inês Pereira também internacional nos escalões mais jovens das nossas selecções, será não só uma garantia de salvaguarda do presente, como uma consciente e correcta aposta no futuro.

Não há sono nos bastidores de Alvalade!...

Leoninamente,
Até à próxima

Acredito que Fernando Santos não tenha que se atirar ao lago vestido e tudo!...


SANTOS NO CAMINHO DO MICROFONE?

«A Selecção Nacional morreu e ressuscitou três vezes, depois de ter entrado em estado comatoso logo que o Europeu começou, depois de ter propagandeado aos quatro ventos uma saúde extraordinária, e tem hoje 90 ou 120 minutos para provar que aquela passagem pelos ‘cuidados intensivos’ era apenas um teste à capacidade de sofrimento e à heróica resistência dos nossos combatentes.

Acabaram-se os testes, as aventuras, as concessões, os romantismos, a calma, a paciência e a tolerância. E também já chega de ‘brincar aos médicos’. Agora, quem não matar, nem tem direito a ficar ferido, morre mesmo. Depois do mau comportamento da fase de grupos — Portugal havia calhado no grupo reconhecidamente mais acessível da fase final —, chegou a hora ou da afirmação ou da negação.

O seleccionador nacional é quem está, neste momento, mais exposto. Fernando Santos cumpriu irrepreensivelmente bem, como tenho salientado, o seu papel no pós-bentismo. Desfez-se dos vetos anteriores, abriu a Selecção a todos, recuperou alguns jogadores e o ambiente tornou-se respirável. 20 valores por isso.

Santos livrou-se de alguns dogmas e assumiu esta fase da sua carreira com indiscutível desportivismo, até nos seus regulares contactos com a imprensa. Mais afável, mais aberto, mais colaborante, mais solto. Contudo, vem revelando alguma dificuldade em perceber, durante o Europeu, que o seu meio-campo preferido (com Moutinho e André Gomes) não funciona. E está na altura de perceber. Ou fá-lo hoje, ou corre o risco de seguir o mesmo caminho do microfone: ser ‘atirado ao lago’ pela opinião pública portuguesa.

Adrien e Renato Sanches reclamam presença naquele meio-campo. Adrien porque está em condições de realizar aquilo que Moutinho não está apto a fazer, neste momento (correr muito, pressionar, organizar); Renato Sanches porque tem pulmão, músculo e irreverência, tudo o que André Gomes esgotou no jogo de estreia. E é tempo de se dizer que Rafa, pela velocidade, pelo repentismo e por ser um jogador que também defende quando é necessário, merece ser mais utilizado… 

Não há margem de manobra. Fernando Santos está em exame. Ser eliminado nos ‘oitavos’, mesmo por uma boa equipa como é a Croácia, equivale a um falhanço. E, perante a hipótese de um falhanço, não há outra alternativa senão escolher os melhores. A pior coisa que pode acontecer numa Selecção Nacional, até em razão de antecedentes, é não se perceber por que razão os melhores (a esse conceito, num final de época, deve estar associada a avaliação física e clínica) não jogam. A Selecção Nacional tem de privilegiar os interesses desportivos. Mas já se percebeu que essa é uma tarefa não apenas difícil, mas imensamente desgastante para quem a queira protagonizar. Aproveitar-se o Europeu para se tentar valorizar certos jogadores em detrimento de outros não faz parte das competências do seleccionador. E Fernando Santos tem de saber defender-se dessa ideia que, pela generalização, se pode tornar perigosa.

Os melhores e os mais bem preparados no ‘onze’ é no mínimo o que se deve exigir. Sem clubismos nem intermediações...»

(Rui Santos, Pressão Alta, in Record)

"Comme d'habitude" aí temos Rui Santos sem "papas na língua"! A dizer aquilo que a imensa mairia de adeptos do futebol e da nossa selecção, está cansada de pensar e alguns, poucos na "digna tradição tuga", de dizer!...

Está na hora do "mata-mata", de colocar em  campo os melhores, de "atirar ao lago" todos os "jorges mendes", todos os jogos de espúrios interesses instalados na selecção e juntar-lhes também o arcaico e caduco "catecismo" de Fernando Santos! O seleccionador ou encontra a coragem de atirar essa merda toda para o lago, ou bem pode atirar-se também! Com gravata, tiques e tudo!...

Adrien Silva por direito próprio que assenta em tudo o que dele conhecemos e que demonstrou à evidência na última época ao serviço do seu clube. Renato Sanches porque mesmo ainda verde, verde, muito verde, adivinham-se-lhe o "pulmão, músculo e irreverência" que os três jogos anteriores demonstraram serem impossíveis de esperar num só dos 80 quilos de André Gomes. Finalmente Rafa, porque poderá fazer aportar à equipa das quinas a velocidade, o repentismo e o compromisso defensivo que a selecção ainda não teve, nem ninguém acredita que venha a ter se os protagonistas não forem outros.

E se ao regresso de Raphael Guerreiro pudermos somar a solidez defensiva que naturamente resultará de um outro e mais fiável posicionamento defensivo de Cedric Soares na outra lateral, acredito que...

Fernando Santos não tenha que se atirar ao lago vestido e tudo!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE