terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Se o seu homólogo leonino abrir o bico, rogo-lhe uma praga!...



Tinha de ser o director de comunicação do FC Porto a borrar a pintura, supondo, estupidamente, que com estes "mind games" se atreveria a abrir as hostilidades e inclinar o relvado da Pedreira a favor do seu clube!...

Bom prenúncio para o Sporting e bem revelador do estado de espírito que animará as gentes das Antas...

Claro que não admito outro cenário que não seja o de ficar a falar sozinho!...

Eu não sou de intrigas, nem crente em nada de que os meus sentidos não me alertem, nem de escrever "cartas" a ninguém desde que os CTT foram privatizados, mas sou capaz de jurar, aqui e agora...

Se o seu homólogo leonino abrir o bico, rogo-lhe uma praga!...

Leoninamente,
Até à próxima

Quanto não valem mais as obras que as palavras!...



BRUNO DE CARVALHO SEMPRE COM A EQUIPA DURANTE A FINAL FOUR DA TAÇA CTT

Presidente viajou no autocarro e acompanhará o plantel durante a estadia (LINK)

Quanto não valem mais as obras que as palavras!...

Leoninamente,
Até à próxima

"A ocasião faz o ladrão"!...


SPORTING VOLTA À DIRECÇÃO DA LIGA

O Sporting vai voltar a estar representado na direcção da Liga pelo vice-presidente Rui Caeiro. A decisão surge após os leões terem questionado Pedro Proença sobre o futuro da instituição e a forma como ela seria gerida, depois dos acontecimentos ocorridos na Assembleia Geral de 29 de Dezembro . 

Perante as garantias recebidas do presidente da Liga, os leões terão entendido, a bem do Clube e do futebol, voltar à direcção do organismo. (LINK)

Uma decisão que merece o meu total e entusiástico aplauso: incómodos sim,  quando e sempre que necessário, ausentes nunca!...

Bem bastou no passado, a ausência do Sporting dos grandes centros de decisão. Sem polícia, a criminalidade pula e avança...

"A ocasião faz o ladrão"!...

Leoninamente,
Até à próxima

P.S. - Quanto não valem mais as obras que as palavras?!...

Que o melhor seja o Sporting!...



Num dos mais belos anfiteatros que o Euro2004 nos colocou no sapatinho, sem os "mind games" que já ninguém suporta e com o respeito que todos os intervenientes parecem estar a demonstrar pelos adversários e pelo futebol, resta-nos desejar que, tanto os adeptos que amanhã estiverem presentes, quanto a equipa de arbitragem que for designada, saibam ser merecedores do espectáculo que as duas melhores equipas portuguesas da actualidade por certo nos oferecerão a todos.

Que me seja permitido exprimir apenas e tão só dois legítimos desejos: em primeiro lugar que o vencedor seja aquele que for mais capaz de fazer pender o mérito para o seu lado; em segundo lugar...

Que o melhor seja o Sporting!...

Leoninamente,
Até à próxima

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Subscrevo inteiramente o pensamento de Pedro Correia!...



Uma promessa que ficou por cumprir 

«Bruno de Carvalho tinha prometido abandonar o Facebook. Ninguém o obrigou a isso: foi ele que a divulgou aos quatro ventos, em Maio passado.

Cumpriu outras promessas, mas esta não. E todos os dias se torna notícia pelo que vai escrevendo nesta rede social de que nunca se afastou.

Agora insiste num absurdo e despropositado bate-boca com um comentador televisivo afecto ao FC Porto - clube do qual o Sporting tem estado muito próximo. Com linguagem de carroceiro, que em nada o enobrece.

Desta vez faz também um repto aos sócios que o contestam no exercício do saudável direito à crítica. Parecendo convicto de que esta atitude de permanente confrontação com quem pensa de maneira diferente é a melhor receita para conseguirmos marcar golos nas balizas adversárias. Infelizmente, não é.

Se o fosse, ganhávamos sempre por goleada.

Já muitos lhe dissemos que vai no caminho errado quando se torna notícia não pelo que faz mas pelo que insiste em escrever nas redes sociais. Ele, surdo às críticas, persiste nesse caminho que colide com o que nos prometeu.

Tenho a certeza de que não é por falta de bons conselhos que continua a cometer os mesmos erros. Quando mais tarde fizer o balanço do seu mandato, concluirá enfim quem estava certo.»
(Pedro Correia, in ÉS A NOSSA FÉ)

Como Pedro Correia e muitos milhares, senão mesmo milhões de sportinguistas, estou cansado! Cansado das infindáveis e eternas diatribes de Bruno de Carvalho, cansado da sua falta de argúcia, de sagacidade, para dizer se calhar o mesmo, até porque quase sempre a sua análise até não deixa de se aproximar muito da verdade, mas de modo a que pudesse ser escutado por alguém e isso significasse uma qualquer melhoria no desgraçado futebol português ou, pelo menos, uma qualquer alteração no viciado e sinuoso trajecto que o Sporting infelizmente parece continuar a percorrer.

Estou cansado de clamar que "cessem as palavras e falem as obras"!...

Ontem olhei para Bruno de Carvalho com esperança!...

Hoje subscrevo inteiramente o pensamento de Pedro Correia!...

Leoninamente,
Até à próxima

E de longe o melhor hóquei está em Alvalade!...




No Pavilhão João Rocha o Sporting conseguiu, este domingo, perante a Oliveirense, um robusto triunfo, por 9-1, no cumprimento da 13.ª jornada do Campeonato Nacional de hóquei em patins.

Os leões chegaram ao intervalo a vencer por 6-1, avolumando o resultado na segunda parte para um registo pouco usual. João Pinto (2), Pedro Gil (2), Matías Platero (2), Henrique Magalhães, Toni Pérez e Vítor Hugo foram os marcadores de serviço dos leões, tendo Jordi Bargalló feito o único golo do conjunto de Tó Neves.

Com este triunfo, o Sporting subiu à segunda posição, com 34 pontos, apenas a um do Benfica, com o Porto no terceiro lugar com 33 e o adversário de ontem na quarta posição com 27.

E de longe o melhor hóquei está em Alvalade!...

Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 21 de janeiro de 2018

Eis a maior potência desportiva nacional!...


A equipa masculina de Ténis de Mesa do Sporting reconquistou o título na Taça de Portugal, ao vencer na final o ADC Ponta do Pargo por 3-0, na competição disputada no Centro de Alto Rendimento nas Caldas da Rainha, depois de na meia-final ter derrotado também por 3-0, o CD São Roque.


O Sporting é a formação nacional que ostenta maior número de títulos (24) na Taça de Portugal da modalidade.

Esforço, Dedicação, Devoção e Glória...

Eis a maior potência desportiva nacional!...

Leoninamente,
Até á próxima 

Sobre o futuro, será Iuri a pôr e os deuses a dispôr!...


Sem grande surpresa, Iuri Medeiros já terá embarcado no Aeroporto de Lisboa, como se pode ver na fotografia acima, na companhia dos empresários Miguel Pinho e Rui Guimarães, da agência Positionumber, num avião que levantou voo pelas 14.45 horas rumo a Itália.

Logo depois de chegar, o extremo leonino deverá realizar os necessários exames médicos, para então assinar contrato pelo ano e meio do empréstimo do Sporting, ficando o Génova, que alegadamente pagará um milhão de euros ao clube de Alvalade pela cedência, com opção de compra de 80% do passe do jogador, fixado em dez milhões, no final do período acordado.

Como o próprio jogador, com pragmatismo, reconheceu na hora da partida, embora grato ao Sporting, trata-se de "uma nova fase da sua carreira"...

Sobre o futuro, será Iuri a pôr e os deuses a dispôr!...

Leoninamente,
Até à próxima

Porventura uma boa solução para as três partes!...



Após a vitória eleitoral de 21 de Dezembro último, a equipa directiva do Vitória Futebol Clube, liderada por Vitor Hugo Valente, terá vindo a tentar uma reaproximação ao Sporting Clube de Portugal, no sentido de normalizar as relações entre os dois clubes, a viverem uma embaraçosa situação de rotura nas relações institucionais, na sequência do divórcio ocorrido em Janeiro do ano passado, como reflexo de acontecimentos que culminaram no regresso imediato a Alvalade de André Geraldes e Ryan Gauld, que estavam cedidos à equipa vitoriana.

Na sequência dessa tentativa de reaproximação entre o novo executivo setubalense e a admininstração leonina, reforçada por ocasião do recente duelo entre os dois clubes, para o campeonato, terá resultado o reatar de relações que veio a determinar pela primeira vez desde há um ano, na cedência por empréstimo de um jogador da formação leonina ao clube sadino, corporizada por Wallyson Mallmann, médio de 23 anos, há muito apontado como uma das grandes promessas leoninas e que deste modo evoluirá no Bonfim até final desta época.

Porventura uma boa solução para as três partes!...

Leoninamente,
Até à próxima

Cadê os outros?!...


O criminoso volta sempre ao local do crime! E as autoridades sempre o souberam bem! A intervenção apenas peca por demasiado tardia. Porém...

Cadê os outros?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Ser Sporting não se ensina, nem jamais se poderá exigir! Apenas se vive... ou não!...


Sem me deter nas palavras, naturalmente temperadas pelo tempo e por tantos outros factores que quase sempre decorrem após os acontecimentos, importará, neste e em milhões de outros casos, avaliar a genuidade e o significado profundo dos sentimentos que os factos expressaram.

Se ao inquestionável profissionalismo que todo o colectivo leonino patenteou no Bonfim, pudéssemos somar a singular, espontânea e sintomática mística evidenciada por Fábio Coentrão, o Sporting nunca estaria condenado a tão tremendos, descoroçoantes e frequentes fracassos...

Ser Sporting não se ensina, nem jamais se poderá exigir! Apenas se vive... ou não!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 20 de janeiro de 2018

Qual é o próximo jogo do Sporting?!...



Alguém deve oitenta e oito cêntimos a Rogério Casanova

«RUI PATRÍCIO

Passou por alegadas dificuldades ao minuto 45, quando alegadamente demorou a resolver um atraso e ia alegadamente chutando a bola contra um jogador do Vitória, mas as imagens televisivas não mostraram o alegado incidente - uma manifestação de decoro e respeito pela paz e sossego de um campeão europeu que devia servir de exemplo para todos, não só outros órgãos de comunicação social, mas também os adversários que teimam em invadir a sua privacidade com grandes penalidades.

PICCINI
Era óbvio que algo não estava bem. Desde o primeiro minuto que se notaram indícios de comportamento deficiente na sua estrutura. Será necessário um relatório para apurar as causas das anomalias detectadas, mas à primeira vista eram evidentes algumas fissuras na coxa direita, roturas ao nível do passe curto e longo, uma racha no frontispício do cruzamento fácil e outros sinais de alarme que levaram alguns adeptos mais nervosos a sentir vontade de invadir o campo até tudo ficar esclarecido.

Ninguém deve ser obrigado a ver um jogo neste clima de insegurança, quando três milhões de euros que até aqui pareciam tão estáveis de repente ameaçam ruir. Há que proteger o espectáculo. O ideal, o justo, o ético, teria sido interromper a partida, chamar uma equipa de engenheiros para avaliar o problema, e continuar o jogo daqui a uns meses.

COATES
Está mais do que na altura de Coates fazer uma introspecção profunda e demorada na maneira como se relaciona com a violência, uma relação cada vez menos eficaz e profissionalizada. Viu um amarelo ao minuto 50 por se encostar ao inofensivo Gonçalo Paciência, que conduzia inofensivamente a bola perto da inofensiva linha lateral. Nos últimos minutos, quando podia e devia ter anulado um problema bem mais sério, pregando uma pantufada ao adversário que lhe virasse os intestinos do avesso, optou por deixar-se comer na profundidade por um jogador com aproximadamente 58 anos de idade.

MATHIEU
Perfeitamente enquadrado no espírito do clube, respeitador do seu passado, conhecedor das suas tradições, sabia que há um ritual que consiste num defesa-central ser obrigado a cometer uma falta por trás, dentro da grande área, no Estádio do Bonfim, em Janeiro, sobre Edinho, e nos últimos minutos de um jogo decisivo. Limitou-se, portanto, a cumprir à risca o que estava previsto nos estatutos.

FÁBIO COENTRÃO
Foi o melhor em campo e saiu depois do empate, envolvendo-se de imediato num debate de ideias com o banco de suplentes, tão rancoroso como uma polémica teológica medieval. A interpretação de Coentrão, a julgar pela veemência injustiçada dos seus gestos, pelo seu semblante intransigentemente solitário, devia ser herética e não ortodoxa. O banco de suplentes teve o que merecia (a equipa também, ao contrário de Fábio). Uma coisa é certa: mais uma vez, Fábio Coentrão não caiu, não se aleijou, não sangrou: a não ser por dentro.

WILLIAM CARVALHO
O grande passe para Gelson dentro da área ao minuto 10, a placidez com que frustrou ao minuto 14 um projecto de trinta segundos de um jogador do Vitória que consistia em roubar-lhe a bola, o excelente contra-ataque que conduziu logo a abrir a segunda parte, galopando 40 metros e soltando no momento exacto para Piccini, o esclarecimento que mostrou quase sempre com bola: estes são os quatro pontos cardeais de uma boa exibição. O resto - e quando me refiro ao resto, refiro-me à escavação arqueológica a que por vezes se assemelha o meio-campo defensivo da equipa - tem menos a ver com a responsabilidade individual de William Carvalho e mais com a responsabilidade de quem acha que o fantasma de Adrien Silva ainda ali anda a ajudá-lo quando a equipa não tem bola.

GELSON MARTINS
Temporização e definição perfeitas no lance do golo. Grande slalom a partir da própria área ao minuto 77, num lance em que fez tudo bem e que merecia melhor conclusão. Capacidade inesgotável para fazer de lateral, segundo trinco, e segundo avançado, por vezes no espaço de 10 segundos. Aos 89, isolado depois do milionésimo sprint da época, já não teve energia para rematar, e fez com que eu acendesse não um, mas dois cigarros em simultâneo, que posteriormente deixei cair ao chão no momento do penálti, tendo voltado a acender mais dois, e a deixá-los cair também. Pelos meus cálculos, alguém me deve oitenta e oito cêntimos; mas não é Gelson - é quem o deixou, muito literalmente, jogar até cair.

BRUNO FERNANDES
A qualidade que conta nos momentos cruciais. Marcou um golo, na primeira diagonal em que conseguiu aparecer dentro da área. E merecia bisar a dois minutos dos 90, que mais não seja por ter sido dos poucos que se apanhou com a bola dentro da área e tentou metê-la realmente dentro da baliza, em vez de criar uma instalação artística chamada "Andebol". Espero que Coentrão tenha deixado uma parte do banco intacta, pois este também estava com cara de quem precisava de descomprimir à biqueirada.


ACUÑA
Alguns jogadores vêem as jogadas como elas são e perguntam "porquê?" Outros sonham jogadas que nunca foram e perguntam "por que não?" Acuña imagina os dois tipos de jogadas e pergunta "será esta uma boa altura para chutar a bola para a nebulosa de Orion?" E a resposta é quase sempre positiva. Embora o torne inútil como médio-ala, o seu actual momento de forma ainda pode ter utilidade noutras áreas. Os instrumentos de trabalho de Marie Curie permanecem radioactivos xx anos depois da sua morte. Talvez as recentes exibições de Acuña possam ser preservadas num laboratório subterrâneo no Nevada, debaixo das areias do deserto, dentro de um cubículo reforçado por paredes de aço de dois metros de grossura, estudadas pelos andróides que vão preparar armas biológicas para a IV Grande Guerra Mundial.

RÚBEN RIBEIRO
Geralmente bem nas combinações ao primeiro toque, esteve envolvido em duas jogadas na segunda parte (ambas com Gelson) em que podia ter decidido ou executado melhor. Creio que o cliché operativo mais adequado neste tipo de situações é "não fez um jogo deslumbrante". E não fez. A não ser para quem se deslumbre com pouco, como eu. Quem se deslumbre, por exemplo, com a capacidade que mostrou ao minuto 85 para, rodeado por três adversários e sem linhas de passe perto da linha, manter a calma, manter a posse, e deixar a situação esclarecida. Saiu no minuto seguinte, e perdeu-se pelo menos um bocadinho dessa lucidez em espaços fechados, e dessa anómala relutância em perder bolas escusadas.

BAS DOST
A fada dos golos deve tê-lo informado que hoje não ia marcar e portanto não valia a pena estragar a sua sobrenatural percentagem de eficácia com tentativas condenadas ao fracasso. É pelo menos essa a conclusão a tirar da sua acção ao minuto 86, quando optou por servir Bruno Fernandes, no outro lado da área, em vez de rematar à porra da baliza. E assim se vai agravando a sua preocupante seca de golos, que já se arrasta há 93 minutos.

BATTAGLIA, PODENCE E DOUMBIA
Foram apenas testemunhas de uma desgraça, e é como tal que devem ser tratados.»
(Rogério Casanova, Tribuna Expresso)

Só o leão Rogério Casanova para me retirar da porra do poço negro para onde me empurraram ontem à noite o JJ e o tal "carrapau de corrida" com aproximadamente 58 anos.

Creio que depois desta miraculosa e rápida "cura de divã", esta noite vai ser menos tenebrosa para mim!...

Qual é o próximo jogo do Sporting?!...

Leoninamente,
Até à próxima

P.S. - Um abraço para o Funchal.

Até quando leoas e leões?!...


Esperar e ter esperança

«Perdemos, perdão, empatámos com, porventura, a pior equipa do campeonato. Era tudo demasiado fácil para não procurarmos complicar. Contra um ataque inofensivo, um meio campo à deriva e uma defesa a dar abébias, nada melhor do que a célebre ideia de jogo do Jorge Jesus, seja isso o que for. A execução dessa ideia de jogo transformou-se num fim em si mesmo, interessando pouco os resultados.

O que falta em capacidade de explosão e potência nos jogadores, sobra na arte de trocar a bola a toda a sela, a passo e sem o propósito devido: o golo. Os jogadores deleitam-se em jogadas inconsequentes, jogando ao “meiinho” com o adversário sem perder a bola para não terem de correr atrás dela. Jogam ao “meiinho” na defesa, jogam ao “meiinho” no meio-campo, jogam ao “meiinho” na área do adversário, contando com o empenho e dedicação do próprio Bas Dost. Os jogadores acasalam todos tanto e tão bem que se esquecem que o objectivo é consumar o acto com o adversário. O Ruben Ribeiro encaixa que nem uma luva no ritual e o Montero, sempre que não estiver acabrunhado, o que é raro, também encaixará.

O fácies dos jogadores não denota uma centelha de irritação, de raiva ou de incomodidade. A placidez, a troca de palavras amigáveis, pedindo sempre desculpa se não passaram a bola a outro, o seu autocontentamento só são quebrados quando o Bruno Fernandes vislumbra o espaço que os outros não vêem e inventa uma jogada ou o Gelson Martins estica o jogo. Suspendemos a respiração, mas por pouco tempo.

O Setúbal só teve que fazer o que fazem todas as outras equipas: esperar. Esperar até que o tempo nos vá desgastando, física e psicologicamente, e se instale alguma ansiedade. Quando o jogo caminha para o fim, basta meter uns avançados frescos e acreditar que, numa biqueirada para frente, uma desconcentração da defesa ou um golpe de sorte lhes permita marcar um golo. Foi o que aconteceu ontem. Não se pressionou como se devia o lançamento lateral, o Coates estava desconcentrado e o Mathieu não tinha pernas para chegar mais cedo ao adversário. Se fosse no princípio do jogo, dificilmente teria acontecido. É por isso e só por isso que sofremos golos a acabar os jogos.

O que fazer? Esperar, continuar a esperar. Não é só a nossa sina. Somos realmente bons nisso. Outros já teriam desistido. Apesar de tudo, no final do jogo de ontem houve um sinal, um sinal só para ter esperança: a raiva do Coentrão. Espero que ele e outros em vez de esmurrarem o banco dos suplentes esmurrem as fuças do Jorge Jesus, dizendo-lhe que querem marcar golos, ganhar jogos e conquistar títulos e que estão fartos de defender a ideia de jogo do treinador como se ele e só ele interessasse.»
(Rui Monteiro, in A Insustentável Leveza de Liedson)


Obrigado Rui Monteiro! Desde o "mau fim" do jogo do Bonfim, que vinha tentando, quiçá num rodopio de enésimas vezes, escrever qualquer coisa que pudesse por aqui publicar, que falasse de raiva. Da minha raiva. Mas todas as tentivas acabaram por desembocar no Delete. Umas vezes por demasiado cinismo e/ou hipocrisia. Outras vezes por demasiado cabelo que terei colocado na minha raiva. E a raiva cabeluda é como o cuspe que atiramos ao ar: pode vir a cair-nos na careca!...

Há pouco o Rui, pela certa que sem o querer, ao publicar a  sua raiva na "Insustentável Leveza de Liedson", salvou-me, sugerindo uma forma airosa, delicada, gentil, civilizada que eu, confesso, não tinha ainda sido capaz de encontrar, de "esmurrar as fuças do Jorge Jesus"!...

Com o Bruno na retranca, vá lá saber-se porquê, só nos resta "esperar, continuar a esperar, ter esperança, muita esperança"...

Até quando leoas e leões?!...

Leoninamente,
Até à próxima

P.S. - Nunca mais rebenta a p... da chicla!...

Porque será assim com este "caga-lérias"?!...




Como se algum leão deste mundo acreditasse que o homem tivesse levado um porradão de um soco no estômago! Nada disso, népia, nadica de nada! Ele apenas disse o que disse, em modo de disfarce e enquanto tomava o ar que se lhe tinha escapulido com o impacto!...

O que ele levou foi um valente e jesuíta pontapé naquele sítio que deixa um homem sem respirar durante mais de meio campeonato!...

Mas, honra lhe seja feita! Até agora, cerrou os dentes e... Nem o mais leve queixume: ainda não tugiu, nem mugiu! E ele não é, nem nunca foi de deixar ninguém sem troco...

Porque será assim com este "caga-lérias"?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Até quando?!..



Ainda estará por conhecer o feliz destinatário de tão "triste e desgraçada cortesia" com que os leões, ontem no Bonfim, terão decidido estimar a concorrência. Mas sobre o responsável único e exclusivo ninguém na grande nação sportinguista parece ter qualquer dúvida...

Até quando?!..

Leoninamente,
Até à próxima

E O BURRO SOU EU?!...



E O BURRO SOU EU?!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

ADEUS SPORTING, ADEUS JESUS!...



VERGONHA!

ADEUS SPORTING, ADEUS JESUS!...

Leoninamente,
Até à próxima

Façam logo na primeira parte o que precisa de ser feito!...


Sem surpresas o onze inicial de Jorge Jesus, que parece demonstrar não pretender correr quaisquer riscos quando se trata da prova maior do nosso futebol: jogam os melhores e depois se vê o que dá o jogo!...

Esperamos que estes leões tenham dormido a sua soneca nas horas próprias e...

Façam logo na primeira parte o que precisa de ser feito!...

Leoninamente,
Até à próxima

Esperamos de todos actuações dignas e limpas!...


É suposto serem, Fábio Veríssimo, auxiliado por Paulo Soares e Pedro Felisberto, com o 4º árbitro Bruno Rebocho e o VAR António Nobre e AVAR Pedro Martins, que serão os responsáveis pela arbitragem de logo à noite no Bonfim.

De tão sujo que anda o futebol português...

Esperamos de todos actuações dignas e limpas!...

Leoninamente,
Até à próxima

Portugal é o maior consumidor mundial de gelados com a testa!...



Portugal é o maior consumidor mundial de gelados com a testa!...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Irá Bruno de Carvalho ainda a tempo?!...



Acabamos de receber de fonte segura, a informação de que Bruno de Carvalho, logo após o final do jogo em que os Juvenis foram copiosamente derrotados pelo arqui-rival Benfica no Estádio Aurélio Pereira, ter-se-á decidido finalmente a fazer um volumoso investimento, com a aquisição de várias centenas dos miraculosos aparelhos de 'indução mental' que a imagem mostra, para distribuir por todos os nossos jovens jogadores da formação!...

Pois se os 'aparelhómetros', já usados com absoluto sucesso por outros clubes cujas formações tem coleccionado os mais variados galardões internacionais, nomeadamente no Dubai, e permitem a aprendizagem de qualquer língua em apenas 30 dias, naturalmente que o sucesso na Academia Sporting estará garantido. Apenas subsistirá uma dúvida para o que resta da presente temporada...  

Irá Bruno de Carvalho ainda a tempo?!...

Leoninamente,
Até à próxima

A culpa só poderá ser de Gino Pozzo!...


MARCO SILVA EM ROTA DE COLISÃO COM A DIREÇÃO DO WATFORD (LINK)

Exactamente como outrora terá acontecido com Bruno de Carvalho...

A culpa só poderá ser de Gino Pozzo!...

Leoninamente,
Até á próxima

Será apenas um "palhaço pobre": um pândego!...


O 'PENTA' NA TESOURARIA

«O Benfica está de parabéns. Se já não bastassem os quatro títulos nacionais consecutivos, Luís Filipe Vieira está a arrasar os rivais também no que às vendas de jogadores diz respeito. Úmaro Embaló é só mais uma das enormes vitórias do presidente. Até ontem, o extremo dos juniores era quase um desconhecido para a larga maioria dos portugueses, mas os 15 milhões de euros que o Leipzig está a oferecer tiraram-no, por completo, do anonimato.

Embaló vai render tanto como João Cancelo, Ivan Cavaleiro e Bernardo Silva. Hélder Costa valeu ainda mais, tal como Oblak. Acima dos 20 milhões de euros temos(?) craques como Javi Garcia e Ramires e por 25 saíram Matic, Enzo Pérez, David Luiz, Markovic e Gaitán. A lista é longa e os números continuam a subir: por 30 milhões de euros foram vendidos Witsel, Fábio Coentrão, Rodrigo, Gonçalo Guedes e Nélson Semedo. Di María custou 33, Lindelof e Renato Sanches 35… Ederson 40 milhões de euros, sendo certo que o Benfica não recebeu a totalidade.

Mais palavras para quê? Vieira está mesmo de parabéns! E a concorrência tem motivos para estar de rastos…»

Mais palavras para quê?! Há por aí muitos jornalistas assim. Com um sentido de humor que lhes deveria recomendar uma carreira, por certo triunfal, na mais nobre das artes, o circo! Nasceram palhaços e ao longo de toda a carreira académica apenas conseguiram apurar esse extraordinário talento, sem cuidarem de aprender a olhar para o mundo que os rodeia e tentar compreender as razões que aqui os trouxeram e que para pular e avançar, o mundo que lhes apareceu servido numa bandeja, necessitou de mais alguma coisa que palhaços!...

Ricardo Vasconcelos será um singular exemplo do que acabo de dizer: um "batatinha", que consegue, sem que o seu rosto deixe transparecer o mais leve sorriso, escrever coisas com a superficialidade, ligeireza e falta de respeito para com tudo e todos os que o rodeiam, do estrume que deixou bem evidente nesta sua crónica!...

Presume-se que Carlos Janela não terá esquecido o seu nome na "lista dos jornalistas avençados", pela simples razão de que pertencerá obviamente ao escalão mais baixo dos honorários...

Ricardo Vasconcelos será apenas um "palhaço pobre": um pândego!...

Leoninamente,
Até á próxima

Para certo tipo de gente a única alternativa ao "rés-do-chão" será a Carregueira!...




Por sugestão amiga e plena de oportunidade do leitor Nuno Azinheira, aqui fica uma bem esgalhada e avisada recordação do "miúdo da Bica", que dedico com especial amizade ao grande leão Juvenal Carvalho, também ele sempre firme defensor do Bairro que o viu nascer e, para além da grandeza sem limites ou oposição do Sporting Clube de Portugal, da ideia que também partilho com entusiasmo de que, "a Bica continua linda"!...


E, "en passant", será bom que a "menina" não continue a pretender tomar todos por parvos e estúpidos! Haverá, alegadamente, quem por honra, dever, dignidade ou obrigação, possa vir a procurar uma explicação credível para o facto de, em cada hora de cada dia, a 'Janela' estar sempre aberta e a 'Porta 18' sempre fechada!...

Quanto às humildades características da residência e do carácter da "menina", nem valerá a pena especular... 

Para certo tipo de gente a única alternativa ao "rés-do-chão" será a Carregueira!...

Leoninamente, 
Até à próxima

Pobre BAESH! Os astros falam de um futuro triste!...


JESUS TEM DUAS EQUIPAS


«É difícil que o Sporting não seja, entre as principais equipas europeias, quem contratou mais jogadores na actual época. São já 15 os reforços que a SAD entregou a Jorge Jesus e também deve ser por esse motivo que Bruno de Carvalho, em recente entrevista a Record, admitiu ter pedido ao treinador a conquista da Liga Europa. É um desejo legítimo e que, de resto, até pode fazer sentido.

A temporada já entrou na segunda metade e quase tudo o que o Sporting fez até agora foi bem feito. Jesus construiu uma defesa quase de raiz (entraram Piccini, Mathieu e Coentrão) e, em simultâneo, teve de introduzir novas soluções no processo ofensivo – desde logo porque quem entrou (Bruno Fernandes) tem um perfil diferente de quem saiu (Adrien). Era quase impossível fazer melhor em tão pouco tempo.

Falta agora o mais importante: títulos. E para a grandeza do investimento não serve um título qualquer. O Sporting ‘precisa’ de vencer o campeonato nacional ou a Liga Europa. É uma dessas conquistas, ou mesmo as duas, que dará sentido ao trabalho que está a ser feito. Com tantos jogos já nas pernas (33) e com tantos que ainda estão por fazer, o mais certo é que Jesus esteja a preparar duas equipas: uma para consumo interno e outra para a Europa. Pode estar aqui a chave do sucesso.»
(Nuno Farinha, Saída de Campo, in Record)


Torna-se demasiado óbvio que a "estratégia de defenestração" do BAESH - acrónimo que por analogia designará o "estado lampiânico" - assentará em dois importantíssimos pilares, numa altura em que as finanças dos lampiões apenas conseguem colocar a "instituição" do segundo lugar do ranking europeu dos maiores passivos e no "porta-moedas" parecem sobrar apenas alguns negros centavos do "velho escudo": 

1 - Transformar miraculosamente em vedetas à escala mundial, avaliadas em muitas dezenas de "mendilhões", alguns excedentes do cotão que se acumulou no Seixal e...

2 - Alimentar em permanência a "central goebbelsiana da 'janelar figura lampiânica'", na sua ciclópica missão de espalhar por toda a "cidade" em medonha profusão, os "out-doors" suficientes para que o "povo" se convença sem dúvidas ou tergiversações de que as expectativas que a "sarna" que os corrói do outro lado da sua rua, só se poderão traduzir a breve trecho nas conquistas de tudo aquilo a que se tenha proposto e em que publicamente tenha revelado empenho, de modo a poderem cobrar no futuro e celebrar a preceito no Marquês, todos os eventuais inêxitos.

Assim, enquanto temos vindo a assistir diariamente à saída "embalada" para a rua dos "cartilheiros do costume", empunhando cartazes dos "saldos do Seixal", deparamos amiúde com uma outra "milícia" que, coçando a "sarna e o piolho" que lhes vão corroendo as penas, a alma e as moelas, vai colocando ao Sol na "eira das ilusões" uma hipotética safra do seareiro vizinho, cujo cereal, tanto em qualidade quanto em qualidade, desejaria ter produzido, mas que a tanto não terão conduzido o seu próprio engenho e arte.

É aqui que aparece Nuno Farinha, qual ponta-de lança, baixote mas mexido e  transportando sob as penas toda a sarna, piolho e raiva de um galinheiro em peso!...

Pobre BAESH! Os astros falam de um futuro triste!...

Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Porque filhoses de água, nem a minha avó!...


JESUS E O SPORTING DO FUTURO IMEDIATO

«Com o inesperado regresso de Freddy Montero, o Sporting acaba de preencher um dos poucos lugares que na visão, não declarada, mas não exactamente escondida, de Jorge Jesus estava em falta. Desde que perdeu Teo Gutiérrez – que tinha tanto de bom jogador como de tonto – que o treinador, homem de ideias fixas, procurava um segundo avançado. Claro que Montero, que já andou pelo Sporting e que Jesus deixou sair não foi a primeira escolha mas, não havendo dinheiro para Vietto, feitas bem as contas e observado o mercado é um reforço que pode ser útil. Bruno de Carvalho também só terá dado o seu visto sabendo que esta lista de entradas tem associada uma outra de saídas com razoáveis negócios para o clube. O entendimento entre o presidente e o treinador existe, o desejo de ganhar – entre campeonato, taças e Liga Europa – é enorme e a sintonia supera eventuais ruídos e tiros menos acertados. 
Valha a verdade que este plantel do Sporting é robusto em quantidade e qualidade e está desenhado à medida dos conceitos do treinador.

Os reforços de Inverno dão a Jorge Jesus mais opções e permitem-lhe uma rotação que até agora tem tido os seus riscos, como se tem visto. Se é certo que Misic e Wendel estarão noutro plano (e não estou assim tão certo quanto ao talentoso brasileiro ...), Rúben Ribeiro, Montero e previsivelmente Marcelo e Raphinha estão habilitados a entrar na equipa e a fazer parte da tal rotação que permite estar em pleno nos grandes jogos.

Conhecendo Jesus e a forma como geriu no passado, não é arriscado dizer que a Liga Europa será menos importante do que o campeonato, apesar do pedido público do presidente, e será na competição europeia que haverá uma maior tentação para dar espaço a jogadores menos utilizados. Mas mesmo esse cenário é relativo. Se o Sporting ultrapassar o Astana e tiver pela frente, por exemplo, o Atlético Madrid ou o Nápoles, terá obrigatoriamente que jogar com a melhor equipa. A mesma lógica prevalece nas taças. Contra o Porto, na meia-final da Taça da Liga e da Taça de Portugal, terão que jogar os melhores. Ora, isto talvez queira dizer que haverá um grupo de 15/16 jogadores, de qualidade equiparada e nalguns casos de perfil semelhante, que têm que estar prontos para jogar a qualquer momento. Nessas contas Rúben Ribeiro e Montero juntam-se a Podence, Battaglia, Bruno César e outros.

Este trabalho que no Sporting está mais exposto parece estar a ser feito, com menos volume e menos estrondo – mas talvez não menos eficácia – pelo Porto como indiciam os dois reforços vindos do Portimonense. E o Benfica? Estando só numa competição não precisa de ninguém para a primeira equipa? Claro que a carga de jogos é muito menor, há um onze de bom nível estabilizado, dois ou três suplentes que podem dar garantias, mas as insuficiências apontadas no início da época estão lá todas. Talvez fosse bom atenuar ao menos uma parte no mercado de Inverno. Sempre é um inédito penta que está em causa...»


Importante e significativo o contributo de Nuno Santos para a reflexão colectiva a que, desde a abertura do mercado de Inverno, a grande nação sportinguista terá metido ombros, hoje mais carregada do que nunca de uma inabalável esperança, alicerçada não apenas nos resultados até agora conseguidos, mas no rigor dos critérios a que tem vindo a assistir por parte dos responsáveis leoninos, tanto em relação a reforços, quanto na imperiosa e necessária concretização de uma extensa lista de dispensas que há muito se impunham e que todos os indicadores apontam para que o venham a ser.

Nuno Santos admite nas entrelinhas desta sua crónica e creio que não estará só em todo o universo leonino, que no imediato, a Rúben Ribeiro e a Montero, se juntarão a breve trecho, previsivelmente, Marcelo e Raphinha. Estou em crer que tal acabará, inevitavelmente, por acontecer, se os responsáveis leoninos continuarem a desejar abraçar a rota de sucesso pelo qual a mais fantástica massa associativa do mundo tanto reclama e tanto merece.

Seriam as cerejas no topo do bolo...

Porque filhoses de água, nem a minha avó!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE