sábado, 29 de fevereiro de 2020

A espalhar classe por esse Portugal fora!...



Basquetebol: Sporting vence em Guimarães e recupera liderança

Na 21.ª jornada da fase regular da Liga de Basquetebol, o Sporting foi a casa do V.Guimarães triunfar por 89-102 num jogo de elevada qualidade. Com esta vitória, os Leões regressaram à liderança isolada da tabela classificativa.

Com Travante Williams e João Fernandes em destaque nos lançamentos triplos, o Sporting entrou a todo o gás em Guimarães e rapidamente alcançou uma vantagem de dez pontos  (6-16). O ritmo continuou bem alto o que fez com que o primeiro período chegasse ao fim com 18-33 no marcador, demonstração cabal do domínio leonino.

Responderam contudo os vimaranenses nos dez minutos que se seguiram. Com três triplos consecutivos, o Vitória SC encurtou o fosso, o que obrigou os leões a trabalhar para impedir que a liderança deixasse de ser uma realidade. O ritmo baixou ligeiramente e o jogo chegou ao intervalo com 46-54.

A aproximação do Vitória continuou nos primeiros minutos do terceiro quarto, tendo os vimaranenses chegado aos 50-54, mas o Sporting CP respondeu com o trabalho de Abu, os triplos de João Fernandes, Pedro Catarino e James Ellisor e com as investidas de Ty Toney, o que fez com que a diferença continuasse a ser considerável no final do período (66-80).

Por fim, o Vitória tentou uma última recuperação e, a jogar em casa, conseguiu catalizar o apoio do público para voltar a ficar muito perto do Sporting CP nos 84-88. Ainda assim, a qualidade individual e colectiva do emblema Leonino voltou a vir ao de cima, com o Sporting a dar uma magnífica resposta e a fechar o encontro, que foi um verdadeiro espectáculo da modalidade, em 89-102. Com 26 pontos, Travante Williams foi o melhor marcador da partida.

A equipa de Luís Magalhães visita agora a UD Oliveirense na quarta-feira, 4 de Março, para os quartos-de-final da Taça de Portugal.

A espalhar classe por esse Portugal fora!...

Leoninamente,
Até à próxima

"Bora te beio, home"!!!...



Agora, que faltou a luz e vai demorar dois ou três meses a repôr?!...

"Bora te beio, home"!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

E Varandas sabe o que é Futuro?!...


"Há um mínimo de dignidade que um homem não pode negociar. Nem mesmo em troca do Sol. Nem mesmo em troca da Liberdade"!...

E Varandas sabe o que é Futuro?!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

Até sempre, Teresa!...


O Sporting Clube de Portugal manifesta o seu pesar pela morte de Teresa Machado, atleta de excelência, melhor lançadora portuguesa de todos os tempos.
À família e amigos, o Sporting Clube de Portugal endereça as mais sentidas condolências.

Ver imagem no Twitter



Uma dor imensa sem conta nem medida, pelo desfecho da única prova que a nossa eterna campeã não conseguiu superar, faz-nos reflectir sobre o quão efémera é a nossa passagem...

Até sempre, Teresa!...

Leoninamente,
Até à próxima

Estou farto do "futebol português"!!!...



Parasitas, figurantes e o… ‘futebol português'?

«Um vendaval.
No final do mês de Fevereiro, não há uma única equipa portuguesa nas competições europeias. E, se a eliminação da Champions não representa qualquer surpresa, face às diferenças que se estabelecem entre os principais emblemas do futebol europeu, o afastamento de todos os conjuntos portugueses da Liga Europa não deveria deixar de fazer soar as campainhas.

Contudo, após uns artigos que se vão escrever e uns debates que se vão seguir nos próximos dias, o essencial não mudará: poucos são aqueles que, agarrados às suas quintinhas e mordomias e aos seus grandes e pequenos poderes, farão alguma coisa para olhar menos para a árvore e mais para a floresta.

No futebol, às vezes, há situações de superação ou de insuperação que fogem às dinâmicas da consistência. No caso da eliminação de todas as equipas portugueses das competições europeias, ela acontece num momento em que a consistência maior se relaciona com o ambiente de desagregação e de conflitualidade institucional entre os nossos principais emblemas.

Está na cara de toda a gente, mas quem pode reconhecer os erros de anos a fio — agarrados às vantagens que granjearam no passado — não o faz. Porque o sistema em geral, no qual se enquadra o sistema de comunicação dos próprios clubes, que pesa toneladas e só deixa passar aquilo que é conveniente para a salvaguarda da imagens das instituições e dos seus líderes, está viciado.

Viciado, porquê? O sistema beneficia ‘dois clubes e meio’ — Benfica, FC Porto e… Sporting (em meia dose) — e tudo o resto são cantigas. O próprio SC Braga, que se desunha para tentar encontrar o seu espaço de afirmação, dá-nos sinal de que não pode combater aqueles que, aqui e ali, gostam de se fazer passar por seus padrinhos. As independências e as autonomias não passam de estados de alma, porque no fundo o sistema não as consente e, na prática, valem muito pouco.

Se repararem bem, tudo o que tenha a ver com decisões tomadas por órgãos formalmente independentes e que não sejam convenientes aos clubes que se viciaram no protesto, no recurso e nas mais imaginativas construções de repúdio, o mecanismo é sempre o mesmo: toca a usar a betoneira para se despejar o betão sobre quem tem a ousadia de produzir decisões (mesmo que sustentadas) contra ‘os nossos interesses’. Este é um vício cuja dimensão não tem paralelo na Europa, talvez só ao nível das grécias. Mas se tudo é posto em causa, os governos (que se colocam a jeito), os tribunais, a comunicação social, como não colocar em causa tudo o que tenha a ver com decisões que emanam do próprio movimento associativo e dos seus órgãos jurisdicionais?

Faz algum sentido que a esmagadora maioria dos clubes profissionais portugueses esteja completamente dependente das bolsas de opinião fomentadas dentro e na periferia dos chamados clubes ‘grandes’? Faz algum sentido a inexistência de um esforço colectivo, ao nível da distribuição das receitas, para desagravar o fosso enorme que existe para os clubes médios e pequenos? Não faz, mas quem fomenta a situação dominante de desequilíbrio acha-se sempre mais forte. Isso já nem é verdade a nível nacional e, internacionalmente, a nível da competição inter-clubes, é o que se vê.

É um problema antigo, que se agravou nos últimos tempos, porque o foco está colocado nas questões laterais e na espúria rivalidade. Tudo serve para estigmatizar o que ainda existe de anti-seita. É este conceito de seita, de não olhar para os próprios erros e não haver preocupação sobre o negócio que deveria ser cuidado de todos para todos e não apenas de uns para alguns, que está a arruinar o futebol português.

Temos problemas de representatividade (ética).
Temos problemas de competitividade.
Temos problemas de mentalidade.
Temos problema de funcionalidade.
Temos problemas de credibilidade.

O futebol português tem dado mais força aos figurantes e aos parasitas do que propriamente àqueles que poderiam e deveriam concentrar as energias para atacar os problemas reais.

Enquanto for assim, enquanto não houver uma mobilização colectiva para melhorar a competitividade média da Liga Portuguesa (futebol mais intenso e menos posicional), a Europa ficará cada vez mais longe. E começa a ser claro que, ou por problemas de gestão ou por problemas na área da intermediação (não quero pensar noutro tipo de problemas… marginais), as equipas portuguesas já souberam comprar mais e melhor.

O panorama é negro, mas vão continuar a assobiar, acreditem. Até não haver mais terra para queimar.

JARDIM DAS ESTRELAS - A luz no túnel

Enquanto as equipas portuguesas deixam de jogar, em Fevereiro, nas competições europeias, temos um Cristiano Ronaldo incapaz de se conformar e de se reformar; temos Diogo Jota e Rúben Neves a marcar golos; temos Jorge Jesus a afirmar-se como papa-títulos no Brasil e temos um conjunto alargado de jogadores e treinadores a demonstrar que são capazes de dar respostas… Continuo a pensar que Portugal é, em proporcionalidade, um fenómeno à escala mundial. Poderia ser um super-fenómeno se, em contraponto, não cultivasse um conjunto de bizarrias internas, que começam na obsessão de controlar tudo e todos e não respeitando ninguém, nem a própria sombra. O que se passa em Portugal é ultrajante, mas o que mais choca é a impunidade e a consagração da ideia de que os heróis devem ser os controladores do submundo. A quantidade invulgar de fazedores de heróis é perturbante. E por isso o futebol português está como está. Agarrado ao ruído e nas mãos dos parasitas e figurantes que alimentam e engordam os (falsos) heróis.

O CACTO - Só se for na Cochinchina

«O afastamento das equipas portuguesas das provas europeias é um problema bem mais profundo, mas nesta eliminatória os respectivos treinadores cometeram muitos erros:

RÚBEN AMORIM - Cotação em alta, perfil elogiado sem favores, mas a falta de maturidade também se viu nos dois jogos frente ao Rangers. O que é… natural!

SÉRGIO CONCEIÇÃO - Não merece a situação que se construiu à sua volta, o Bayer é melhor, mas as opções que fez não resultaram.

JORGE SILAS - Fica difícil explicar como é que a equipa se equilibra nos últimos jogos e depois é o próprio treinador a promover os desequilíbrios. Inaceitável.

BRUNO LAGE — Disse que, frente ao Shakhtar, se viu um ‘Benfica à Benfica’. Onde? Na Cochinchina? As alterações permanentes e a falta de consistência estão na base de tudo. Errático.»
(Rui Santos, Pressão Alta, in Record, hoje às 21:04)

Haverá apenas uma boa mão-cheia de minutos! Li com muita atenção esta última "Pressão Alta" de Rui Santos. Ainda reticente, voltei a ler e permiti-me comparar com as ideias que me têm assaltado ultimamente...

E de sopetão, já está: suspendi "sine-die" a minha subscrição da SportTV!...

Estou farto do "futebol português"!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Vim para a minha e governei-me"!...



A viatura estará a chegar da Turquia quase completamente destruída! Promover a sua entrega ao enésimo 'bate-chapas', na esperança de que, com meia dúzia de notas, das mais pequenas e gastas, possamos prosseguir tão atribulada viagem até ao fim, será como pretender fazer uma canja com galinha em conta...

Dá ideia de que apenas o 'pára-choques' terá saído ileso de Istanbul! Nem uma beliscadura, mesmo classificando de "inadmissíveis" aqueles quatro golos de bola parada! Ainda bem que parece ser de 'ferro', fiável e confiável, em vez dessas inovações em acrílico que ao primeiro embate se desfazem em mil pedacitos e nos deixam a pé!...

Nesta condição, quem sabe se colocar ao serviço a viatura que ficou por cá na garagem, devidamente adaptada com o 'pára-choques' que conseguiu sair incólume do Fatih Terim, não nos sairia mais barato e não nos livraríamos dos recorrentes embaraços em que nos temos visto metidos?!...

Já por aqui o disse um dia, a propósito de uma viatura que então brilhava por cá e agora brilha, resplandecente, em Old Trafford e ninguém ligou ao que então disse: "Fui a casa da vizinha, envergonhei-me...

Vim para a minha e governei-me"!...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Parabéns Bruno!!!...

Imagem publicada no Jornal Record


Parabéns Bruno!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

P.S. - Do que o rapaz se livrou!...

Há gente que não merece estar no Sporting!...



Quando se juntam, em doses muito semelhantes, ingenuidade, teimosia, loucura, presunção e incompetência, que resultado esperar, para além de imbecilidades?!...

Há gente que não merece estar no Sporting!...

Leoninamente,
Até à próxima

Há gente que não merece pertencer ao Sporting!...


A vitória das derrotas

«Como estaria hoje o Sporting se não tivesse chegado a acordo com sete dos nove jogadores que rescindiram unilateralmente os contratos após o ataque à Academia de Alcochete? As derrotas na FIFA nos diferendos com Rúben Ribeiro e Rafael Leão vieram demonstrar que os leões teriam deixado de ganhar 126 mihões de euros, fruto das transferências posteriormente consumadas de seis deles (Battaglia é a excepção), ficando ainda obrigados a pagar, em acção posterior, chorudas indemnizações a todos os que bateram com a porta depois do 15 de maio de 2018.

Os especialistas em Direito apontavam o caso de Rafael Leão, o menos molestado da barbárie de há quase dois anos, como o menos difícil de o Sporting vencer.... e mesmo assim os leões perderam. O tempo vem, desta forma, dar razão à estratégia de Sousa Cintra, em primeiríssimo lugar, e mais tarde à de Frederico Varandas, que tiveram de colar os cacos e evitar que o Sporting fosse hoje um clube falido. Não tecnicamente falido, que a expressão encerra alguma subjectividade, mas real e irremediavelmente falido.

A segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa começou mal para Portugal, com a eliminação do Sp. Braga. O caminho percorrido durante a era Sá Pinto merecia outro desfecho.»
(Luís Pedro Sousa, Saída de Campo, in Record, hoje às 02:07)


Lamentavelmente, ainda hoje, quase dois anos passados sobre a página mais negra de toda a história do Sporting Clube de Portugal, há adeptos sportinguistas que não conseguiram, nem algum dia conseguirão, aferir a verdadeira dimensão dos acontecimentos ocorridos na Academia em 18 de Maio de 2018 e de todas as dramáticas consequências que poderiam ter riscado definitivamente o Clube do mapa das instituições mais relevantes do desporto em Portugal.

Em muitas e variadas manifestações, mas muito particularmente por detrás de obscuros teclados, porta dos fundos de uma degradada atmosfera que continua a inundar redes sociais e caixas de comentários de jornais, revistas e blogs, a cegueira campeia, desbragada e quase irracionalmente, candidata ao último lugar do ranking da decência entre todos os adeptos de clubes portugueses.

Pesem embora os tão manifestos quanto naturais erros de uma Comissão de Gestão empurrada de surpresa para as trincheiras de uma frente de batalha medonha e de quem, democraticamente, lhe sucedeu na terrífica operação de colar os cacos e prosseguir, de cara levantada, o histórico caminho de uma instituição centenária que a todos deveria orgulhar, ainda assistimos hoje, dentro de um universo de quase quatro milhões de adeptos, associados ou meros simpatizantes, a quem se julgue no direito de prosseguir aquilo que um bando de energúmenos e irresponsáveis, directos ou indirectos, começou por fazer nesse fatídico dia de 18 de Maio de 2018.

Há gente que não merece pertencer ao Sporting!...

Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

No Sporting parece ser tudo demasiado verde!...


Plata na rota do ouro

«Foi na íngreme rua L, nos subúrbios de Guaiaquil, a maior cidade do Equador, que cresceu Gonzalo Plata. No meio de complexidades financeiras evidentes, até porque o progenitor desamparou a mãe e os cinco filhos quando Gonzalo tinha poucos meses de vida. Chamavam-lhe, desde muito pequeno, o Diabinho. Os vastos repertórios de diatribes eram concebidos atrás do desígnio de vir a ser futebolista profissional. Na rua, por entre nuvens de pó, metamorfoseava tudo numa bola de futebol. Fosse uma carica, uma pedrinha ou uma lata desprezada. Mais tarde, quando o couro ainda era uma miragem para o parco orçamento familiar, o esférico era constituído por papel arrancado do interior dos cadernos escolares.

A primeira aventura no futebol aconteceu, pouco depois dos 5 anos, no Rocafuerte, um clube local que procurava jovens talentos. O receio que a mãe Mónica Jiménez não autorizasse a experiência levou-o a fugir de casa com a guarida de um vizinho. A inusitada habilidade e desenvoltura com a bola, à qual juntou três golos, cativaram os treinadores que convenceram a progenitora a não o castigar por mais uma diatribe e a aceitar que fosse incorporado nas camadas jovens do clube. Mesmo que isso a obrigasse a transportá-lo todos os dias aos treinos, sempre com o receio de que não lesasse os estudos. Algo que o guiaria posteriormente à Academia de Alfaro Moreno, que lhe proporcionou a oportunidade de estudar num dos melhores colégios da cidade, onde, curiosamente, trajava uma indumentária verde e branca, e à Escola de Futebol Metropolitana de Guaiaquil, antes de se transferir, com apenas 12 anos, ao Independiente del Valle, o que implicou que Gonzalo se mudasse para Sangolquí, na região metropolitana de Quito, a mais de quatro centenas de quilómetros de casa. Estava dado o passo decisivo para alcançar o sonho de ser futebolista profissional ao ingressar no clube que mais talentos tem revelado no Equador na última década.

As excelentes prestações ao serviço das camadas jovens do Negriazul, com presença em alguns torneios internacionais em que causou impacto, chegaram a colocá-lo precocemente na rota do Tottenham. Mas Platita soube esperar. Tornar-se-ia em referência nas selecções jovens equatorianas, ao mesmo tempo que brilhou a grande escala na Libertadores Sub20 de 2018 (vice-campeão), o que colocou o Barcelona na sua rota, tornando inevitável a estreia pela equipa principal com 17 anos, 9 meses e 5 dias pelas mãos do técnico espanhol Ismael Rescalvo. Só que nem a paixão assolapada por Messi o convenceu a rumar à La Masia, pois não pretendia actuar no terceiro escalão do futebol espanhol ao serviço da formação secundária. É aí que entra a sagacidade e a agilidade do departamento de scouting do Sporting, capaz de detectar o talento, perceber o que pretendia (ser opção na equipa principal), e colocá-lo na rota dos leões, o que se concretizou no Chile, durante o Sul-Americano de Sub20, competição que o Equador venceria, permitindo que, meses mais tarde, alcançasse um brilhante 3.º lugar no Mundial da categoria disputado na Polónia, onde Gonzalo Plata foi eleito como 3.º melhor jogador da competição.

Extremo canhoto, mais talhado para actuar a partir do corredor direito, de forma a perscrutar os seus dilacerantes movimentos em diagonal para zonas de criação e de finalização no espaço interior, sobressai pela velocidade e capacidade de aceleração, conjugando uma passada larga com argumentos interessantes de ordem física, que tem vindo a desenvolver. Além disso, é extremamente móvel e agressivo a atacar os espaços vazios, não se inibindo de assumir acções de desequilíbrio, o que o leva a buscar, de forma destemida, o um contra um, até porque possui um repertório muito interessante de dribles ziguezagueantes. Se é certo que poderá melhorar a tomada de decisão, pois acusa, em alguns momentos, excessos de precipitação, surpreende pela contundência do seu remate com o pé esquerdo – em bola corrida e em bola parada – e mostra-se capaz de oferecer algumas assistências para situações de finalização através de cruzamentos e de passes, aspecto que ainda pode burilar de forma a ganhar maior estabilidade, o mesmo acontecendo em relação ao seu contributo defensivo...»
(Rui Malheiro, Futebol Total, in Record, hoje às 20:12)


Calma, nada de precipitações com este "minino"! Um passo de cada vez, imitando, exactamente, aquilo que o seu 'prodigioso sexto sentido' lhe tem dito para fazer e, descaradamente, parece estar a fazer! Ainda com apenas 19 anos, completados há cerca de quatro meses, "Platita" parece muito seguro do seu caminho. Assim os responsáveis leoninos também mostrem essa segurança! Que se mostrem à altura da escolha que ele fez: o Sporting!...

O primeiro passo, para "mea culpa" desses responsáveis que já tiveram tempo suficiente para perceberem o diamante que têm nas mãos, já veio escarrapachado em grandes parrangonas nos jornais! Errado! Só deveria surgir depois do passo ser dado. Mas parecem andar todos a dormir!...

Os passos seguintes passam por um acompanhamento sério e competente de quem tiver o privilégio de o treinar. E Jorge Silas, parece-me, já terá começado aos tiros nos pés do adolescente. Pois se até não se poupa aos tiros nos seus próprios pés, que admiração se os distribui por quem deveria ter obrigação de proteger?!...

No Sporting parece ser tudo demasiado verde!...

Leoninamente,
Até à próxima

terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

Nunca fiando!...


Voleibol - Challenge Cup: Sporting vence na Hungria
Leões batem Penzügyör por 3-2 na primeira mão dos quartos-de-final

Com os parciais de 25-18, 22-25, 19-25, 25-22 e 15-8, foi uma vitória arrancada a ferros aquela que o Sporting conquistou esta terça-feira na Hungria, diante do Penzügyör, de Budapeste, na primeira mão dos quartos-de-final da Challenge Cup.

Na segunda mão, agora no Pavilhão João Rocha, no dia 5 de Março, o Sporting terá de vencer o encontro, seja qual for o resultado (3-0, 3-1 ou 3-2), para selar a passagem às meias-finais, podendo ainda fazê-lo no golden set (desempate), caso o adversário ganhe o jogo por 3-2. Na eventualidade de equipa húngara vencer por 3-0 ou 3-1, será ela a qualificar-se. Para já, com o resultado de hoje, o Sporting estará com um pé e meio na meia-final, mas...

Nunca fiando!...

Leoninamente,
Até à próxima

'Rebentar' com a simpatia dos sportinguistas!...


Vietto de ouro

«A exibição de Gonzalo Plata com o Boavista veio confirmar aquilo que há muito já se falava nos corredores de Alvalade: o Sporting tem no equatoriano uma pérola para ir trabalhando de forma progressiva e sustentada, de forma a poder extrair do extremo não só o dinheiro de uma potencial venda no futuro, mas também mais-valias desportivas no imediato.

Mas há outro jogador que me tem enchido as medidas. Vietto parece finalmente ter percebido qual é o seu papel na estrutura táctica de Silas e tem mostrado grande qualidade nas transições ofensivas, não só com passes cirúrgicos e golos, mas acima de tudo com movimentações de grande inteligência táctica. Aliás, é no jogo sem bola que Vietto tem melhorado substancialmente: o camisola 10 arrasta as marcações do adversário, cria manobras de distracção e permite que, ou Jovane ou Plata, surjam em posições mais confortáveis para estruturarem os ataques. Vietto não é Bruno Fernandes (nunca será), mas a forma como a equipa se adaptou à ausência da sua maior referência demonstra duas coisas: qualidade individual e inteligência táctica colectiva.

P.S. - Na sua conta oficial no Instagram – a rede social que mais utiliza -, Bruno Fernandes tem 1,3 milhões de seguidores; o Sporting tem 868 mil seguidores. Bruno Fernandes partilhou, no último fim-de-semana, um vídeo de um golo de um jogador da formação leonina, tendo ainda dado os parabéns a Gonzalo Plata pela exibição frente ao Boavista. No fundo, Bruno Fernandes faz muito mais pela imagem do Sporting no estrangeiro do que o próprio treinador. Por isso, e por muitas explicações que Silas venha agora dar, o antigo capitão não merecia que o seu nome fosse colado a frases que terminam com "estava mais fora do que aqui" ou "podia ter dado muito mais".»
(Alexandre Carvalho, Na Gaveta, in Record, hoje às 16:48)


Alexandre Carvalho trouxe-nos hoje na sua habitual crónica "Na Gaveta", três pontos que me parecem importantes na actualidade de Alvalade: Gonzalo Plata e Luciano Vietto estão aí a 'rebentar' com o seu talento, enquanto Jorge Silas, parece apostado, por muitas, sucessivas e recorrentes razões, em...

'Rebentar' com a simpatia dos sportinguistas!...

Leoninamente,
Até à próxima

Recomendo vivamente a leitura!...


Impressionado pelo poderoso texto que Pedro Boucherie Mendes publicou hoje no blog És a Nossa Fé, dirigido a Francisco Geraldes e, sem me atrever sequer a pensar em deixar por aqui quaisquer comentários, tamanha é a sua força, a todos os sportinguistas que por aqui passarem...

Recomendo vivamente a leitura!...

Leoninamente,
Até à próxima

Agora eu também acredito!...


Liderada por Frederico Varandas partiu esta terça-feira rumo à Turquia, a comitiva do Sporting, que na quinta-feira vai defrontar o Basaksehir, na segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa. Depois da vitória por 3-1, na primeira mão, em Alvalade, o sentimento generalizado expresso à partida pelos leões foi inequívoco: todos acreditam que irão garantir a passagem à próxima fase.

Acima a lista dos convocados por Jorge Silas para este importantíssimo jogo, que será dirigido pelo árbitro espanhol Mateu Lahoz, que já se cruzou anteriormente com Sporting na Liga Europa e na Liga dos Campeões e será coadjuvado pelos compatriotas Pau Cebrián Devís e Roberto del Palomar.

Agora eu também acredito!...

Leoninamente,
Até à próxima

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

Logo partem em busca de novo contágio!!!...


Há vida para além de Bruno Fernandes

«Em pouco mais de uma semana, o Sporting deu sinais de uma frenética convalescença que surpreendeu muitos dos seus adeptos e até peritos da bola. Não passou do oito para o oitenta, mas quase. Afinal, até pode haver vida no Sporting pós-Bruno Fernandes. E, aos olhos da crítica (pública e publicada), os jogadores já não parecem tão maus. E alguns até mostram ser melhores do que a encomenda…

A exibição, em Vila do Conde, havia sido uma das mais tétricas desta época (o empate castigou o Rio Ave, que foi superior em todos os capítulos). O Sporting foi, então, uma equipa sem garbo e nada protagonista. Mas, cinco dias volvidos, transfigurou-se e desmontou por completo um Basaksehir que não mereceu o golo (3-1) que ainda mantém a eliminatória em aberto.

Foi, provavelmente, a exibição mais bem conseguida da época, até porque os turcos valem bem mais do que mostraram. Mas não o confirmaram em Alvalade por mérito de um Sporting surpreendentemente equilibrado e competente nos diversos momentos do jogo. Melhor até do que aquando das goleadas, por 4-0, impostas ao PSV e ao Santa Clara – o resultado desses jogos reflectiu o laxismo defensivo dos adversários, mais do que o brilhantismo leonino.

Três dias depois, o Sporting bateu também o Boavista, não acusando, de forma significativa, as ausências resultantes da gestão (Acuña, Ristovski e Bolasie), do castigo de Coates e da lesão de Mathieu, que obrigaram a quatro mudanças no "11" e a uma revolução na defesa. Claro que houve pouco adversário, até porque os responsáveis boavisteiros despediram Lito Vidigal por este ser um treinador com uma ideia de jogo demasiado assente na estratégia poltrona e na tracção atrás e logo o substituíram por quem (Daniel Ramos) partilha princípios idênticos…

Mas nem isso invalida que o Sporting tenha confirmado os sinais de retoma, designadamente ao nível da autoconfiança e da assertividade. E esta evolução emocional também ajudou a que se repetisse o futebol mais paciente, a segurança em ataque posicional e até as melhorias na reacção à perda e na recuperação defensiva.

Claro que, em ambos os jogos, o Sporting conseguiu marcar cedo, o que ajudou a moderar a tensão nervosa que, em Alvalade, normalmente chega das bancadas. Mas tão ou mais fundamental acabou por ser o conjugar de três circunstâncias: o regresso sustentado de Battaglia (ganha em critério e posicionamento a Doumbia, mesmo não tendo ainda o ritmo ideal), a entrega, finalmente, do papel de Bruno Fernandes a Vietto (Wendel rende muito mais se puder partir de trás e queimar linhas) e a ambientação rápida de Sporar, que tem o talento e o "killer instinct" que se exige a um ponta de lança de uma equipa minimamente proficiente.

Claro que também terá ajudado a estabilização do sistema de jogo, até porque os jogadores parecem mais confortáveis no actual 4x2x3x1. Silas tem razão quando diz que o Sporting tem continuado, aqui e ali, a usar a saída de bola a três, como domingo voltou a ser evidente. Faltou-lhe foi admitir que acrescentou uma variante que reduz o condicionamento adversário, que agora nunca sabe se é Battaglia que recua ou se se mantém baixo um dos laterais.

Claro que ainda é cedo para tirar conclusões definitivas, até porque, no futebol, as vitórias avulsas são muitas vezes confundidas com o sucesso perpétuo e as derrotas ocasionais com o fracasso completo. Mas bem menos arriscado será dizer que o "upgrade" tem de ser relacionado com o trabalho da equipa técnica e com a qualidade do treino.

Silas cometeu erros ao longo dos últimos meses e vários poderiam ser evitados por um técnico mais experimentado. Viu-se isso até na escolha errada das palavras para comentar a prestação de Bruno Fernandes nos últimos jogos (e melhor teria sido admitir a imprecisão, em vez de passar a responsabilidade ao Record). Mas ser hoje treinador do Sporting é como ser trapezista sem rede. Um exemplo: a SAD há muito deixou que se desse como certa a saída de Silas no final da época. Mas está em condições (financeiras e não só) de garantir um técnico melhor? Não seria mais inteligente manter em aberto a continuidade de quem irá evoluir e ser melhor no futuro? Duas perguntas para quem ainda há dias dizia ter errado ao despedir Keizer.»
(Bruno Prata, Ludopédio, in Record, hoje às 20:50)

"Ser treinador do Sporting é como ser trapezista sem rede", escreve e bem Bruno Prata no seu Ludopédio de hoje, dando de seguida um excelente exemplo, para logo colocar duas dolorosas questões a "quem ainda há dias dizia ter errado ao despedir Keizer"!...

Pois o mais dramático de quase todas as acções do responsável máximo do Clube e da SAD, será a incapacidade revelada para corrigir os sucessivos erros de palmatória cometidos! Parece não ter emenda... 

Não lhe bastando já, ter deixado que "se desse como certa a saída de Silas no final da época" e sem ainda ter encontrado resposta para as difíceis perguntas que Bruno Prata acaba de lhe colocar, na véspera da partida da equipa para o importante jogo da próxima 5ª feira na Turquia, também estará a permitir que sejam entendidas como verdades, as 'fake news' hoje mesmo lançadas pela Cofina - recuso-me a acreditar na mais ínfima parcela do que há pouco publicaram o jornal Record e a CMTV! -, sobre o substituto de Silas no final da temporada!...

Alguém vai pintando de verde o fundo do retrato

Decididamente, haverá pessoas que não sabem viver sem sarna para se coçar! E sempre que, com maior ou menor dificuldade, conseguem debelar uma crise...

Logo partem em busca de novo contágio!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Compulsivamente, terão de fechar a loja!...


Bom seria mandar todos para casa

«A semana finda foi preenchida por intermináveis considerações acerca do "caso Marega", que flutuaram entre belas declarações sobre um futuro limpo de racismo e hesitações patéticas, como a interpretada por Pedro Proença, num canal de televisão, em respeitosa vénia ao conceito negacionista do "se aconteceu é grave mas se não aconteceu deixemo-nos de exageros".

Para além do líder da Liga, o protagonista mor da incomodidade foi o outrora tão irreverente José Manuel Meirim, que preside ao Conselho de Disciplina da FPF e nos veio dizer o que estamos carecas de saber: que os regulamentos o deixam "limitado" para punir a violência, racismo incluído. Ah, sim? E sente-se então tranquilo, há tanto tempo no aconchego do seu posto, tendo consciência do pouco que pode fazer? Rendeu-se?

Sejamos realistas. Não viveremos o suficiente para ver acabar o racismo, tal como nunca acabarão a sabujice e o crime. Só com punições severas aos selvagens e aos emblemas que os apaparicam se daria uma efetiva machadada na violência e nas misérias que se fazem sentir nos campos de futebol, arena por excelência da barbárie. Mas os clubes habituaram-se a servir-se das suas guardas pretorianas e da gentalha que elas acoitam, e jamais aceitarão regulamentos que os punam com a dureza dissuasora que se impõe. O recente "caso Pedro Ribeiro" e o manto de silêncio que o finou confirmam que os interesses instalados mandam no futebol como mandam na vida. Mal a poeira que Marega levantou assente, veremos como a bandalheira continua.

Jogar em Stamford Bridge com um plantel curto e jogos quase sem descanso, sem Kane e sem Son, e com Dele Alli no banco, é enfrentar uma missão praticamente impossível. Mourinho perdeu mas o Tottenham mantém-se na perseguição ao Chelsea, e na luta pelo quarto lugar e pelo acesso à Champions, num grupo de quatro equipas separadas por dois pontos, que integra o Manchester United – que ganhou outra consistência com a chegada de Bruno Fernandes – e o Wolverhampton, de Nuno Espírito Santo, com Diogo Jota em forma superlativa: cinco golos em quatro dias.

Em entrevista ao "Mundo Deportivo", Messi elogiou Cristiano Ronaldo, para desgraça dos que gostariam que os dois melhores jogadores do Planeta se odiassem. Curioso também é que CR7 tenha, há dias, apontado Mbappé como o grande craque "do presente e do futuro", e que o astro argentino elegesse igualmente um "sucessor": o compatriota Lautaro Martínez, avançado do Inter. O futuro dirá!

O último parágrafo vai para o árbitro Nuno Almeida, que ontem – em Alvalade e com a bênção do VAR – transformou um penálti claro, contra o Boavista, num envergonhado pontapé de canto. Como diria um antigo diretor meu, pela manhã, ao ver a primeira página do jornal, elaborada pelo chefe de redação que o mesmo diretor largara à sua sorte na noite anterior: "Não te canses mais, pá. O melhor é fechares a porta e mandares todos para casa.»

(Alexandre Pais, Outra vez 2ª feira, in Record, hoje às 00:16)

O único refrigério que encontro para amenizar os últimos 'coices' que tanto Nuno Almeida, quanto Jorge Sousa, tiveram a desfaçatez de aplicar na arbitragem portuguesa nos dois últimos jogos em que, alegadamente, terão arbitrado o Sporting, será saber que ambos estarão a escassos meses de completarem 45 anos e...

Compulsivamente, terão de fechar a loja!...

Leoninamente,
Até à próxima

Será mesmo a terceira de vez?!...


INTERROGATÓRIO DO SPORTING-BOAVISTA
Confiança e controlo total do jogo

«O que mudou no Sporting de Silas?

Acima de tudo a confiança. Os jogadores leoninos parecem mais serenos, capazes de sair a jogar, tanto na defesa como no miolo. Já o tinham feito frente aos turcos e ontem repetiram. O Sporting foi superior durante todo o jogo, até mentalmente. Isso é novo esta época.

+ Pontos altos na exibição leonina?

Vários jogadores acima da média. Mas Plata chama obviamente a atenção. A capacidade de aceleração, de improviso e até de resistência à dureza. Mas muito bem também Vietto – também ele muito castigado... – na construção, assim como Sporar, com mais um golo à ponta-de-lança e uma excelente capacidade de procurar jogo entrelinhas e de dar soluções aos médios.

+ O que faltou ao Boavista para travar o Sporting?

Quase tudo menos agressividade. Futebol, essencialmente. O Boavista não teve capacidade de construção, foi bloqueado no corredor central e nas laterais foi incapaz de colocar em cheque Rosier ou Borja. Aliás, mesmo a perder esteve sempre mais preocupado em defender e muito tempo em bloco baixo. Mal.

+ Ilori e Neto como titulares voltaram a tremer?

Não, pelo contrário. O Sporting soube sair da pressão, quase sempre numa construção a três, em que Battaglia foi o mais usual mas também Wendel foi aparecendo, mesmo procurando terrenos mais adiantados. Bom jogo dos patinhos feios.»
(Bernardo Ribeiro, director jornal Record, Interrogatório, ontem às 23:42)

Quando os adeptos sportinguistas mais familiarizados com as liturgias religiosas do futebol já se preparavam para administrar a 'extrema-unção' a Jorge Silas, eis que ultimamente se têm visto confrontados com uma tão inusitada quanto surpreendente recuperação do 'moribundo', ao ponto de encontrarem, bem no fundo de si próprios, asas capazes de lhe concederem a oportunidade com que já nem ele próprio contaria!...

De facto, poucos seriam capazes de antecipar tudo aquilo que a equipa acabou por oferecer nos dois últimos jogos, sem que as suas bocas se abrissem de espanto até às orelhas...

Será mesmo a terceira de vez?!...

Leoninamente,
Até à próxima

É Gonzalo Plata!!!...


No ano em que se completam 90 anos sobre o nascimento do revolucionário, mágico e lendário Flecha de Prata W 25, que ainda hoje pode ser admirado no Museu da Mercedes, em Estugarda e que pilotos como von Brauchtisch, Caracciola, Fagioli, Lang e, depois da II Guerra, o supercampeão argentino Juan Manuel Fangio e o famoso eterno segundo que foi Stirling Moss, fizeram brilhar nos mais consagrados circuitos de velocidade da Europa, eis que nos surge no tapete verde do 'velódromo de Alvalade' uma nova versão de "Flecha de Prata", vinda das quentes terras da América do Sul, lá onde a linha do equador divide a meio o país a que deu o nome, ainda mais reluzente e sedutora, desse saudoso e revolucionário bólide, capaz de poder vir a bater, quem sabe, recordes que Bruno Fernandes nos fez julgar serem porventura imbatíveis...

A nova "Flecha de Prata" não é da Mercedes! É do Sporting Clube de Portugal e mora em Alvalade! Poderá um dia vir a poder ser visto no Museu do Sporting mas, por enquanto, apenas poderá ser visto no Estádio José Alvalade!...

É Gonzalo Plata!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 23 de fevereiro de 2020

Já aparenta idade para ter juízo!...

Jornal Record: adepto sportinguista troca de calçado antes do Sporting-Boavista

Já aparenta idade para ter juízo!...

Leoninamente,
Até à próxima

É proibido tropeçar nos últimos sete jogos!...



Futebol Feminino: Sporting vence Benfica num dérbi espectacular
Leoas muito superiores no dérbi (3-2) alcançam as águias na liderança da prova

Em excelente e bem disputado jogo de futebol, o Sporting fez por merecer ser feliz e acabou por vencer por 3-2 o dérbi frente ao Benfica, na 15.ª jornada do campeonato nacional. Com este resultado, as leoas alcançam as águias na liderança da tabela classificativa com os mesmos 42 pontos, liderando as encarnadas pela melhor diferença de golos nos dois jogos disputados entre os dois conjuntos, mas lá que esta liga promete um tremendo equilíbrio até ao fim, ai isso ninguém contestará. Com o Sp. Braga, em terceiro lugar, já a 8 pontos, às duas equipas do topo da classificação... 

É proibido tropeçar nos últimos sete jogos!...

Leoninamente,
Até à próxima

Importantíssimo!!!...


Com Jorge Silas de pés bem assentes no chão, a tarde teria de ser e foi, bem tranquila para os leões!...

Andraz Sporar voltou a 'molhar a sopa', Gonzalo Plata entrou com o diabo no corpo e depois de assistir para o primeiro golo também ajudou à festa com o segundo. Tiago Ilori e Valentin Rosier resolveram desta vez não comprometer e Rodrigo Battaglia começa a ser tudo aquilo por que o Sporting aspirava para posição tão importante no xadrez leonino. 

Nota ainda para os primeiros minutos de Francisco Geraldes: ou é agora ou nunca mais, Chico!...

Agora toca a recuperar que a próxima 5ª feira é muito importante, diria mesmo...

Importantíssimo!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 22 de fevereiro de 2020

Imperdoável!!!...

Chinelo Havaiano com pedrarias; cor verde com pérolas brancas e verdes e pitangas brancas
Uma inqualificável incompetência e, mais grave ainda, a mais completa ausência de verdadeiro sentido de oportunidade, estarão a permitir que até este momento ainda não tenham sido postos à venda na Loja Verde estes originais auxiliares dos 'pés descalços'!...

Imperdoável!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Nunca é tarde para acordar!...



Liga Revelação: Sporting vence Benfica com épica reviravolta no marcador
Ao intervalo a formação visitante vencia por duas bolas

Espectacular vitória do Sporting frente ao Benfica por 3-2, após ao intervalo estar a perder por duas bolas, ainda que tenha tido mais posse de bola e mais oportunidades de golo nos primeiros 45 minutos. O Benfica chegou à vantagem através de penálti por Luís Lopes, que ainda na primeira parte bisou na partida, com o segundo golo a surgir de livre directo. A formação leonina fez o 1-2 aos 55 minutos, por Nuno Moreira. O mesmo jogador bisou aos 78', na marcação de uma grande penalidade e, no minuto seguinte serviu Tomás Silva, que com um remate acrobático deu a volta ao marcador. Com este triunfo, na 1.ª jornada da fase de campeão da Liga Revelação, o Sporting fica com 29 pontos e aproxima-se do 2.º lugar ocupado pelo Benfica (31 pontos). com o Rio Ave na liderança com 34 pontos.

Nunca é tarde para acordar!...

Leoninamente,
Até à próxima

E sempre se poupará o 'parto à montanha'!...






Comunicado da PSP (LINK)



«Relativamente às medidas de segurança implementadas no jogo Sporting-Basaksehir, que se disputou ontem, a PSP informa:

1. As medidas de segurança aplicáveis a eventos desportivos, nacionais ou internacionais, encontram-se legalmente previstas, nomeadamente as revistas pessoais aquando da entrada nos recintos desportivos;

2. As medidas de segurança a implementar são decididas em coordenação com o promotor do espectáculo desportivo, conforme o grau de risco determinado para cada evento desportivo, o que sucedeu no jogo em concreto;

3. Concretamente as revistas pessoais são executadas pelos assistentes de recinto desportivo (ARD) pertencentes a empresas de segurança privada, sob supervisão das Forças de Segurança, no caso concreto a PSP;

4. As revistas pessoais aquando da entrada nos recintos desportivos visam prevenir a entrada de objectos proibidos e perigosos no recinto de jogo, contribuindo para a segurança de todos os participantes no evento desportivo, independentemente da sua condição;

5. Apela-se à compreensão e colaboração de todos os participantes nos eventos desportivos, nomeadamente deslocando-se para os respectivos recintos com maior antecedência relativamente à hora de início dos mesmos.»

Afinal, fácil, fácil, será... ir para o estádio, limpo, sereno e a tempo e horas!...

E sempre se poupará o 'parto à montanha'!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE