quinta-feira, 30 de novembro de 2017

O homem certo nos lugares certos!...


Aqui do meu canto o meu aplauso para a renovação por mais quatro épocas com Luís Martins.

O homem certo nos lugares certos!...

Leoninamente,
Até à próxima

Pode ser, um dia, quem sabe se seremos capazes de aprender!...


O MALHEIRO, O PRATA E O CLÁSSICO

«Quando decidi chamar a esta minha coluna, Factor Racional, sei porque o fiz. A racionalidade pode estar a espaços submersa em águas profundas, mas é nela que residem a solidez dos passos fortes, as análises equilibradas e a robusta raiz da confiança. Ela tem de estar sempre na moda, porque o barulho, a insanidade, podem tentar montar tenda mas chega o momento em que as pessoas se cansam e fartam de tanta imbecilidade e cretinice em torno do futebol.

Nesta semana enviaram-me um vídeo de um canal que não tenho, onde um comentador atacava desbragadamente «o Malheirinho e o Prata» e ainda tentava lançar a semente do ódio contra o melhor programa de comentário de bola da televisão portuguesa que se chama "Grande Área" na RTP3, onde se discute o jogo, os jogadores, as tácticas, as estratégias, se elogia e se critica consoante a actualidade, os resultados e as exibições, e não se perde tempo com o que se passa fora das quatro linhas.

Claro que respeito quem não gosta do Rui Malheiro e do Bruno Prata, estão no seu direito, uns até podem não gostar do cabelo de um e das camisas do outro, e isso é perfeitamente normal. Agora, vilipendiarem sem pudor dois homens sérios, com uma história de credibilidade e competência no campo da imparcialidade das análises é lamentável. Não pode valer tudo. Eu não ofendo quem proferiu essas palavras, é o meu estilo, apenas não lhe dou antena nem "share" de audiências nos programas em que participa e julgo que é assim que devem proceder as pessoas de bem. Quem não gosta, muda de canal e temos esse direito também.

Mas chegou o tempo dos leitores perceberem quem faz bem ao futebol e quem tenta meter lama na ventoinha para atingir quem não merece ser salpicado de sujidade. Ora, o bem convive mal com o lodaçal e não se pode deixar contaminar por ele. Como bem aqui escrevia ontem o Octávio Ribeiro: «são os parasitas, os cágados regurgitantes em torno deste maravilhoso fenómeno, o futebol, que o estragam e tornam azedo. Irão matá-lo, se deixarmos». Da minha parte não contem com irracionalidade. É um gosto escrever nesta grande instituição que se chama Record e um enorme prazer conviver nestas páginas com o Rui Malheiro e o Bruno Prata.

Hoje, temos um clássico importante. Há meses, contra-corrente, escrevi um artigo que se intitulava: «O Benfica ainda não perdeu nada». Punha água na fervura da soberba de alguns e chamava a atenção para as muitas jornadas que ainda vinham pela frente. Como sportinguista, o resultado que mais me interessa é a vitória sobre o Belenenses para depois poder esperar por um empate que tira pontos aos dois rivais. Para um amante do desporto-rei o que importa é a competitividade da Liga e uma luta a três, com um sensacional Braga de nota artística à espreita, é sempre mais espectacular que um título decidido em Dezembro.»


Às vezes "felizmente há luar" e bons samaritanos para ensinarem o dífícil, emerso e sinuoso "caminho das pedras" que os adeptos de boa fé ainda acreditam que exista neste "glorioso e invicto" pântano do futebol português!...

Pode ser, um dia, quem sabe se seremos capazes de aprender!...

Leoninamente,
Até à próxima

Queria-me rir se os deuses escolhessem o Sporting?!...


Que do confronto de religiões que amanhã terá lugar na Antas, saia vencedor o mais sério e impoluto!...

Queria-me rir se os deuses escolhessem o Sporting?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Melhor será no sábado, depois de verem as capas dos jornais!...

INEGOCIÁVEL!!!...

Melhor será no sábado, depois de verem as capas dos jornais!...

Leoninamente,
Até à próxima

Bem haja Nuno Santos, até ao regresso!...


A BRIGADA DE REACÇÃO RÁPIDA

«Paulo Portas, o maior criador de ‘sound bytes’ da política portuguesa, fez este fim de semana uma rara aparição e mostrou ter as qualidades intactas. Não estava a falar de futebol, mas podia estar. Disse Portas que os actores políticos são hoje uma "brigada de reacção rápida" - sempre de dedo em riste ou preparados para comentar a declaração de outrem.

É a pura verdade. A tecnologia, as ferramentas de comunicação, os media, a social media estão a transformar vertiginosamente a nossa sociedade e, fazendo nós (todos) parte dessa mudança, é difícil sermos lúcidos quando a analisamos.

No espírito de Portas, que, como poucos, utilizou os meios de comunicação para passar e condicionar a mensagem, estava a incapacidade que decisores e organizações têm neste tempo, em muitas ocasiões, para em vez de agir, simplesmente reagir.

Ora, no futebol português esta visão assenta em pleno. E, se bem que a partir de um certo momento todos estejam com os mesmos procedimentos e a usar as mesmas manobras, parece agora claro que no tema central dos últimos meses – o caso dos emails – o Porto agiu, e com uma estratégia bem definida, enquanto o Benfica reagiu tendo-o feito tarde e de forma pouco articulada.

Mas nem tudo mudou e ainda existe, felizmente, espaço para o Jornalismo. Vejamos dois casos dos últimos dias. Na manipulação das imagens da Vila das Aves foi preciso um trabalho da CMTV para denunciar uma situação inaceitável. Após a peça jornalística exibida na segunda-feira, todos sabiam, afinal, que as imagens tinham sido truncadas, era uma evidência, os especialistas em frames multiplicaram-se, mas até essa noite, ninguém o tinha dito.

A partir daí o Porto fez o que tinha a fazer, o Benfica explicou-se com dificuldade. A manipulação pode não ter sido feita pelo departamento de comunicação do Benfica, mas a sua divulgação está no espírito da "brigada de reacção rápida".

O Jornalismo, através da ‘Sábado’, também tem tido um papel relevante no caso dos emails. A revelação de que Luís Filipe Vieira conhecia por antecipação a posição dos árbitros sobre os vouchers adensa a ideia de que existe uma teia de interesses e influências.

Existirá, se procurarmos uma visão panorâmica, questões macro e, como é importante nas sociedades, espaço para o Jornalismo. O pior é o frenesim diário que atinge todos, incluindo os mais altos responsáveis e os que falam em seu nome. Aí, sim, está o problema principal, porque a falta de senso tem sido imensa. Nos comentários ao minuto, nos tweets com jogos a decorrer, atingindo o ridículo nos vídeos truncados. A linguagem do café já tinha passado para os canais de notícias, para os blogs de adeptos radicais (também há uns quantos simplesmente magníficos), e caiu agora com estrondo na social media dos protagonistas. Admiram-se com o clima de ódio?

Um adeus amargo

Eu sei que anda meio Mundo, ou mais, comovido com as lágrimas de Júlio César e, faço notar, as lágrimas não são de crocodilo – são autênticas. Há naquele adeus uma genuína emoção, fruto de um tempo bem passado. Mas é a única parte que faz sentido. Tudo o resto está mal. Ao menos mal contado. É evidente que Júlio César vai continuar a jogar e que se sentiu destratado pelo Benfica; é evidente que esta foi a semana errada para fazer o anúncio, quando a equipa tem de estar focada no grande jogo do Dragão – aproveitando até alguns sinais negativos do Porto – sem qualquer factor (evitável) de perturbação e, finalmente, a gestão do anúncio também deixou a desejar: antes do Benfica falar já a família do jogador andava pelas redes sociais a dar nota do "fim". Com a emoção à flor da pele, estes aspectos vão ser negligenciados, mas eles são reveladores que a máquina do Benfica, ou a estrutura, está menos afinada do que em épocas anteriores. E aqui não estamos a falar de comunicação.

Jonas

Tendo chegado à Luz após uma muito má experiência em Espanha, o brasileiro Jonas teve uma segunda vida no Benfica. Sem exagero, ele foi desde a sua chegada , mesmo nas épocas em que as lesões o afligiram, o jogador mais influente da Liga portuguesa e o factor que desequilibrou o jogo a favor do campeão. Goleador implacável e silencioso, Jonas não tem uma boa folha de serviços nem contra os grandes nem na Europa. Mas quando se observam os números globais já não há dúvidas de que ficará na história.

Bryan Ruiz

Nunca saberemos toda a história do divórcio anunciado que acabou, afinal, na manutenção do casamento entre Bryan Ruiz e o Sporting. E talvez isso pouco importe. Observando o plantel e os compromissos que existem nas várias frentes, um jogador com a qualidade, a inteligência e (neste caso) a disponibilidade física de Bryan pode ser um grande reforço para a segunda parte da temporada. Jorge Jesus, teimoso e até caprichoso, já mostrou ser capaz de colocar uma pedra sobre temas desta natureza – quem não se lembra do caso Cardozo no Benfica. O Sporting só tem a ganhar.»
(Nuno Santos, Ângulo Inverso, in Record)

Para os mais cépticos e ferozmente críticos de Nuno Santos, eis aqui mais uma valiosa pérola saída da ostra de um Jornalista que honra o Jornalismo, deslumbrante de nácar e com um peso específico a pedir meças ao que de melhor se produz em Portugal!...

Pena que Nuno Santos se veja compelido, lá longe, a perguntar ao vento que passa, notícias do seu país. Sorte dele, e nossa afinal, que hoje por hoje, já o vento não cala a desgraça e tudo lhe diz! A nossa sorte vem depois da sua inconfundível pena e do "ângulo inverso", e da forma quase altruista com que nos privilegia!...

Bem haja Nuno Santos, até ao regresso!...

Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

O de ter transformado Portugal numa república das bananas!...


MANIPULAÇÃO MEDÍOCRE

«Todos sabíamos que a ‘entrada em campo’ do vídeo-árbitro não iria colocar um ponto final nas discussões doentias sobre a arbitragem nos jogos dos três grandes. Quanto muito abriria um outro tipo de discussão, aquele de colocar em causa a competência do VAR (porque viu e não alertou; porque não viu e devia ter visto...). Em vez de um, agora discute-se o trabalho de dois árbitros. Tudo normal num país latino.

O que é necessário, e nesse ponto parece que o presidente da FPF, Fernando Gomes, não irá vacilar porque já garantiu o VAR em 2018/19, é manter em acção esta ferramenta essencial para dar mais verdade ao jogo. Não a verdade alternativa que alguns querem, mas a verdade possível, dentro dos condicionalismos. Esta, sempre melhor que em anos anteriores, desde que ajude a corrigir pelo menos um erro de vez em quando (e já ajudou).

Dito isto, considero que a ‘brincadeira’ de difundir nas redes sociais imagens adulteradas de um lance (ocorrido no Aves-Porto), tentando demonstrar com as mesmas uma mentira, não seria nada de grave se não recebesse a chancela oficial de um clube, neste caso o Benfica. Não passaria, digamos, de uma manipulação feita por um medíocre que gosta de tentar enganar os mais distraídos (ou mais crédulos…) e provocar ruído. Mas disso não falta no espaço digital. A ‘brincadeira’ só se transformou em discussão nacional porque o Benfica lhe deu cobertura. E quem comete um erro destes não pode ‘assobiar’ para o lado e fazer de conta que nada tem a ver com o sucedido. Ou pode…»
(José Ribeiro, Opinião, in Record)

Pois a grande questão que por certo José Ribeiro não ignorará, estará não apenas no facto de a "brincadeira" se ter transformado em discussão nacional depois do Benfica lhe dar cobertura e rematá-la de seguida com um estridente assobio para o ar, "fazendo de conta que nada tem a ver com o sucedido"! A grande questão decorre do conforto que neste miserável país o Benfica desfruta na maior das impunidades, cometendo erros desta ordem ou crimes ainda mais graves, ultrapassando mesmo a raia da perversidade!...

O maior e mais celebrado título que até hoje o Benfica se pode ufanar de ter conquistado em toda a sua longa e rica história, será concerteza...

O de ter transformado Portugal numa república das bananas!...


Leoninamente,
Até à próxima

Mera coincidência!!!...


BENFICA NEGA TER TIDO ACESSO ÀS RESPOSTAS DOS ÁRBITROS NO CASO DOS VOUCHERS (LINK)


Fonte oficial do Benfica terá garantido ao jornal Record - que naturalmente e com toda a elegância que se lhe reconhece, fez um denodado esforço para acreditar! - que "é falso" que o clube da Luz tenha tido acesso aos depoimentos dos árbitros sobre o caso dos vouchers antes da inquirição de Luís Filipe Vieira, como foi noticiado esta quarta-feira pela revista 'Sábado'.

A mesma fonte terá destacado ao Record - que voltou a apelar a todas as suas forças para acreditar! - as respostas dos 142 árbitros, assistentes e observadores que testemunharam e que, de forma unânime, disseram que viram a oferta do Kit Eusébio como "uma mera cortesia" e que "nunca" sentiram que fosse uma tentativa de os condicionar.

O Benfica terá reforçado ainda - e quase exangue, Sérgio Krithinas, o jornalista contactado, num derradeiro e supremo esforço e sem se rir, vomitou "muito bem"! -  que o caso dos vouchers foi arquivado por quatro instâncias e órgãos desportivos distintos: Comissão de Instrutores e Inquéritos da Liga - pois!-, Secção Profissional do Conselho Disciplina - pois, pois! -, Pleno do mesmo Conselho de Disciplina - pois, pois, pois! - e Tribunal Arbitral do Desporto - pois, pois, pois, pois, Miguel Lucas Pires, pois elevado à potência n!...

Publicada a notícia às 17:31, sabe-se no momento em que me apresto para publicar este postal e quando pouco passa das 19:00, que Sérgio Ktithinas ainda andará às voltas pela redacção a cuspir as penas de pato com que o Benfica terá pretendido encher-lhe a boca!...

Aqui no meu canto, a minha única reacção foi "oferecer" ao presidente do Benfica umas "asinhas de anjo" e clamar aos berros para todo o Portugal ouvir, que qualquer semelhança entre Luís Filipe Vieira e Michele Zagaria, chefe do clã Casalesi, o mais poderoso da Camorra, a máfia napolitana, encontrado em 07 de Dezembro de 2011, num "bunker" de betão armado, depois de 16 anos de fuga à Justiça italiana, que o havia condenado a prisão perpétua, será, com a mesma dose de certeza da crença do "pato" Sérgio Krithinas na fonte do Benfica...

Mera coincidência!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

E no entanto move-se!...



"E pur si muove"

«... 'E no entanto move-se'. Estas palavras tê-las-ia dito num sussurro quase inaudível Galileu Galilei ao terminar a leitura da abjuração a que havia sido forçado pelos inquisidores-gerais da Igreja Católica em 22 de Junho de 1633. Tratou-se, como se sabe, de obrigá-lo a desmentir, condenar e repudiar publicamente o que tinha sido e continuava a ser sua profunda convicção, isto é, a verdade científica do sistema coperniciano, segundo o qual é a Terra que gira à volta do Sol e não o Sol à volta da Terra. O estudo do texto da abjuração de Galileu deveria fazer-se com a conveniente atenção em todos os estabelecimentos de ensino do planeta, fosse qual fosse a religião dominante, não tanto para confirmar o que hoje já é uma evidência para toda gente, que o Sol está parado e a Terra se move ao redor dele, mas como maneira de prevenir a formação de superstições, lavagens de cérebro, ideias feitas e outros atentados contra a inteligência e o senso comum...»


Este é apenas um pequeno excerto do texto então enviado por José Saramago a solicitação do jornal "El País", na sequência da sondagem que esse jornal havia promovido sobre o "melindroso, delicado, polémico e conflitivo assunto da eventual união dos povos que compõem a Peninsula Ibérica" e óbvia e natural consequência  da surpreendente e polémica obra "Jangada de pedra" do Nobel português.

Não será, porém, José Saramago e muito menos Galileu Galilei, o objecto primeiro deste postal, mas algo bem mais próximo de nós no tempo e no espaço. Refiro-me à estranha dicotomia que parece começar a varrer todo o universo leonino, tendo como "olho do furacão" a personalidade e a praxis de Bruno de Carvalho.

Estou em crer e ainda bebendo da inextinguível fonte de Saramago, que "ao contrário do que geralmente se diz, o futuro já está escrito, nós é que não temos ainda a ciência necessária para o ler". Os aplausos ou os protestos de hoje podem tornar-se em repúdios ou concordâncias amanhã, mas uma coisa é certa e a frase de Galileu terá aqui perfeito cabimento. Sim, pedante ou revolucionário?!...

E no entanto  move-se!...

Leoninamente,
Até à próxima

Claro que vou comprar a SÁBADO!...



VOUCHERS


Benfica teve acesso privilegiado a depoimentos dos árbitros (LINK)


Depois da Liga ter aberto um inquérito, em Outubro de 2015, "resposta preparada" pela APAF para os árbitros e árbitros assistentes, de primeira e segunda categoria, estagiários e observadores, chegou a Paulo Gonçalves a 7 de Novembro. Luís Filipe Vieira prestou declarações quatro dias depois.





Claro que vou comprar a SÁBADO!...

Leoninamente,
Até à próxima

terça-feira, 28 de novembro de 2017

O bom jornalismo pinta-se de todas as cores!...


VENCER DÉRBI PARA... 'GANHAR' NO CLÁSSICO

Bater o Belenenses em Alvalade permite aproveitar tropeção de águias ou dragões... ou dos dois

«‘O jogo da época’. Foi com este grau de responsabilidade que os jogadores do Sporting abordaram o duelo de Paços de Ferreira, tal como será sob esta bitola que haverão de subir ao relvado de Alvalade para defrontar o Belenenses. O objectivo, esse, é comum: tomar de assalto a liderança da Liga, beneficiando de eventuais escorregadelas do Porto.

O alerta subiu assim que os dragões deixaram dois pontos na Vila das Aves. Jorge Jesus passou para o exterior a ideia de que o empate do Porto não condicionara a preparação dos leões na véspera da visita a Paços de Ferreira, mas Record sabe que a mensagem transmitida para o interior foi diferente da que o treinador difundiu na conferência de imprensa posterior ao triunfo que aproximou o Sporting do 1º lugar. A estrutura leonina reforçou, junto dos jogadores, a obrigatoriedade absoluta de vencer na Capital do Móvel. Foi já em estágio que os leões assistiram ao tropeção do Porto, ficando então a saber que voltaram a depender apenas de si próprios para atingir o desígnio máximo: conquistar o campeonato.

Ultrapassado o ‘Petit trauma’ em que resultaram 6 pontos perdidos contra o novo treinador do Paços, o Sporting reforçou posição na luta pelo título. Aproveitou a escorregadela do Porto e conquistou o direito a chegar à liderança já na próxima sexta-feira. Ora, é aqui que se cruza a ligação entre a obrigatoriedade (cumprida) de vencer o Paços de Ferreira e a importância vital de bater o Belenenses na próxima jornada.



Mais um ‘jogo do ano’

Sexta-feira é dia de decisões: ao dérbi entre Sporting e Belenenses, segue-se o clássico entre Porto e Benfica. Os leões têm perfeita noção de que só poderão sorrir no rescaldo do duelo entre águias e dragões se vencerem o seu próprio desafio. Será mais um ‘jogo da época’, para encarar com o máximo de seriedade e espírito de compromisso, sendo precisamente essa a mensagem que a estrutura vai reforçar até à hora de os jogadores voltarem a entrar em campo, cerca de duas horas antes do duelo entre águias e dragões.

Balneário assume compromisso

Depois de uma época atribulada, o balneário leonino reforçou laços e redobrou empenho nos objectivos colectivos. A mentalidade dos reforços contribuiu para esta melhoria, assim como o espírito de grupo promovido pelos que já estavam. Mathieu, Coentrão, Battaglia, Bruno Fernandes foram recrutados por responderem, entre outros parâmetros naturalmente importantes, aos requisitos que treinador e presidente entendiam como vitais: mentalidade vencedora, espírito de grupo e compromisso para com os objectivos do clube. Neste sentido, foi igualmente importante o contributo de elementos como Patrício, Coates, William e Bas Dost. Eis os pilares do ‘novo’ Sporting no ataque ao título de campeão.»
(António Adão Farias, in Record, hoje às 03:30)


Depois de há pouco mais de 24 horas ter aqui perspectivado a próxima sexta-feira, fiquei com a ideia de voltar ao tema para o rematar de forma algo mais virada para o interior da savana. Porém, alguém no jornal Record terá ganho a coragem que a outras cores é costume sobrar e abusar e surpreendeu-me pela antecipação, publicando este excelente texto que acima vos deixo. Gostaria de ter escrito o que António Adão Farias talvez tenha conseguido muito e bem melhor do que eu.

Fica assim aqui e deste modo, prestada a minha homenagem ao facto de que os afectos jamais deverão ou poderão constituir entrave à isenção e competência...

O bom jornalismo pinta-se de todas as cores!...

Leoninamente
Até à próxima

Quem não os conhecer que os compre!...

Adaptação da pintura "A Inocência" de Maikel Herrera - Cuba

Quem não os conhecer que os compre!...

Leoninamente,
Até à próxima

Em vez de fechar a estação dos benfas!...



Um canal televisivo deu-se ao trabalho de analisar, frame a frame, as imagens do lance do alegado penálti sobre Danilo nos descontos do Aves-Porto, colocando lado a lado o vídeo da jogada oriundo da transmissão da Sport TV e as imagens divulgadas pelo Benfica no Twitter, em que argumentou não ter existido  qualquer toque sobre o médio portista. A reacção dos portistas através do seu director de comunicação Francisco J. Marques não se fez esperar, acusando o Benfica de manipulação das imagens. Terá sido com o objectivo de 'tirar a limpo' a história que o tal canal televisivo fez agora a análise, chegando à  conclusão de que efectivamente terá havido manipulação.

Exactamente como no "caso dos emails", fontes do Benfica terão garantido em resposta, não ter havido qualquer manipulação de imagens, ao que Francisco J. Marques terá retorquido que "o Benfica estará a sacudir a água do capote"!...

"E cá vamos, cantando e rindo, levados, levados sim"... E a ERC, parecendo fazer crer que "não tem que fazer, vai fazendo colheres", talvez porque poderão estar em causa alegados "crimes dos DDTs", eventuais Massenas, "filhos queridos das 'vitórias' escarlates"...

Em vez de fechar a estação dos benfas!...

Leoninamente,
Até à próxima

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

"Porque no te callas Marcos"?!...


«Estava com medo do Marcos, que já tinha um amarelo. Os sul-americanos discutem por tudo e por nada e ele pensa que ainda está na Argentina»assim explicou Jorge Jesus a substituição de Marcos Acuña aos 56 minutos da segunda parte e não seria caso para menos...

De facto o amarelo mostrado ao argentino, bem pode dizer-se que foi a seu pedido, tantos, tão veementes e despropositados foram os protestos. Nada que qualquer adepto sportinguista no decorrer da jogada não tivesse antecipado, como foi exactamente o meu caso. E o mais curioso é que de modo nenhum terá sido a primeira vez que tal acontece. Marcos Acuña há muito que tem evidenciado essa terrível característica latino-americana e começará naturalmente a estar na agenda de uma boa parte do "clero" cá da paróquia. O mal é fazer-se notar - e tem tanto Acuña para se evidenciar como jogador! -, por razões desta ordem.

Acuña porventura estará à espera de reincidir em situações desta natureza e só aprenderá quando acabar expulso num qualquer jogo importante e carregar depois o desconforto de ter sido o culpado de obrigar a sua equipa a jogar em inferioridade numérica, quiçá sujeitando-se a um escusado inêxito.

Julgo que JJ deverá ir bem mais longe da medida que desta vez utilizou, tendo em conta que o que não faltam no plantel serão sul-americanos já tarimbados no futebol europeu, com personalidade e capacidade para meterem isso na cabeça do companheiro. 

Para além disso, não queira Marcos Acuña juntar essa irascibilidade típica de argentinos e uruguaios, à admiração que os adeptos já nutrem pelo grande jogador que é!...

"Porque no te callas Marcos"?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Coitado, quem lhe há-de valer?!...


O sucesso é isto

O futebol profissional não está a murchar: está a crescer. E o Porto-Benfica de sexta-feira é o topo

«1 Nas últimas quatro épocas, o clima desagradável chamou, em média/jogo, mais 10 mil pessoas ao Estádio da Luz, mais 11 mil a Alvalade, mais 13 mil ao Dragão, mais 5 mil ao D. Afonso Henriques e mais 3 mil ao Municipal de Braga. São 42 mil pessoas adicionais só nestes cinco estádios desde 2014/15. A leitura está errada à nascença: não é a baixaria que afasta as pessoas do futebol, porque está visto que não afasta (na melhor das hipóteses, atrai-as); é a sofreguidão das pessoas pelos clubes que chama a baixaria, como a lâmpada atrai as moscas. De certa forma, o futebol profissional está a ter problemas em lidar com a pequena margem de sucesso interno que se vai vendo nas lotações, mas também nos saldos positivos de cada vez mais clubes. Admitam: um Porto-Benfica como o de sexta-feira, a espumar de tensão e a pôr um país a latejar, é tudo o que se ambiciona num grande campeonato.

2 Compreender de onde vem a sabujice não a torna tolerável, nem pode dispensá-la de escrutínio. Neste domingo, gerou-se um debate em volta de um vídeo posto a circular pelo Benfica. Em causa estava o alegado penálti por marcar no Aves-Porto de sábado, que as novas imagens supostamente desmentiam. Num vídeo comparativo de resposta, o Porto parece demonstrar que essas novas imagens foram manipuladas através do corte de alguns "frames" no momento em que Amilton atinge Danilo. É o tipo de irrelevância que, para a Imprensa, não é irrelevância nenhuma e que a Liga e a Federação deviam esclarecer pela via disciplinar. Importa, e muito, saber quem nos mente.»
(José Manuel Ribeiro, Opinião, in O Jogo)


O discurso do senhor director do jornal O Jogo, ainda que com magnanimidade de leão o lamente profundamente, revela-nos inequivocamente que estará a passar por um mau momento em termos psíquicos, quiçá a exigir atenção, um bom clínico da especialidade e tratamento urgente e adequado...

Então não querem lá ver que o homem terá permitido que lhe entrasse na moleirinha a ideia bacôca e estapafúrdia de imaginar o Zé "mirim" Manel, aquele das "disciplinas federativas" a solicitar àquela senhora da comissão  de instrutores da Liga, Cláudia Viana se não estou em erro, a quem ainda há dias dirigiu um gentil acordão de encómios e louvaminhas, que investigue as trapaças de tratamento de imagens que se vão fazendo lá para os "laboratórios da mentira da BTV"?!...

Como se a manipulação de imagens fosse crime, aqui, em Portugal e a favor do Benfica!!!...

Coitado, quem lhe há-de valer?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Milagres?! Só na Cova da Iria e na Luz!!!...


PIZZI APARECEU E AS ÁGUIAS VOARAM ALTO

O ressurgimento do Pizzi da época passada foi determinante para a goleada?

«Absolutamente. É cada vez mais evidente que a qualidade das prestações do criativo mexe com o desempenho colectivo. Quando Pizzi joga e faz jogar, todo o futebol do Benfica se transfigura, para melhor. Pelo contrário, quando não consegue assumir a batuta... a formação de Rui Vitória fica muito debilitada. Ontem, Pizzi regressou às exibições de ‘encher o olho’ e a equipa fez o mesmo...»






Pizzi será, por assim dizer, o novo "tratador das águias"! Quem haveria de pensar uma coisa destas! Assim, de um momento para o outro?!...

Milagres?! Só na Cova da Iria e na Luz!!!...


Leoninamente,
Até à próxima

Só terá aparecido um para treinar!...


Ninguém sabe o que terá passado pela cabeça de Rui Vitória para marcar o último treino de conjunto antes do jogo com o Vitória, para um local destes e logo para as seis da manhã!...

O que vale é que, ao que se sabe, só terá aparecido um para treinar!...

Leoninamente,
Até à próxima

Porque não podem perder os dois?!...



O leão já corre no encalço da próxima presa! Será em Alvalade e dá pelo nome de Clube de Futebol "Os Belenenses" que, com todo o natural e devido respeito, esperamos que não venha a constituir-se como obstáculo para que no final do encontro o rei dos animais se refastele merecidamente num qualquer recanto mais convidativo da savana, para assistir curioso ao duelo entre outros dois animais que entre si hão-de disputar a honra de com ele discutir a hegemonia que a si próprio coloca como imperativo objectivo, único e inadiável!...

Admitindo como concretizado a meta, também única, que norteará o leão no seu confronto com Belém, três cenários possíveis decorrerão do clássico duelo que se lhe seguirá, a saber: 
  

Perante a complexa e subjectiva delicadeza de tais cenários, creio bem que será sempre muito difícil ao leão compreender...

Porque não podem perder os dois?!...

Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 26 de novembro de 2017

A "restauração" é já daqui por cinco dias!...



Como no "regresso das cruzadas", é no seio da "cristandade" e perante aqueles que lhes são "queridos", que os lampiões encontram o lenitivo capaz de lhes curar as chagas do corpo e da alma e a marca indelével de tantas derrotas!...

Hoje já poderão deitar abaixo uma caixa de "bjecas" cada um! Mas cuidado, não abusem, nem apanhem a "gata"...

A "restauração" é já daqui por cinco dias!...

Leoninamente,
Até à próxima

Mathieu estará um "danoninho" acima de todos!...



São vitórias como esta que decidem campeonatos: difíceis, muito difíceis e arrancadas a ferros perante adversários que disputam cada palmo de terreno como se não houvesse amanhã, liderados por um "catalizador" que ficou conhecido no futebol como “Pitbull” devido à raça, agressividade e entrega que colocava em cada lance disputado e que em menos de um fósforo soube transmitir aos seus comandados todos os predicados que o celebrizaram.

A equipa e a vitória valeram pela força do colectivo e pela vontade férrea que a todos animou, mas será justo realçar o papel daquele que para mim terá sido o "homem do jogo": Jeremy Mathieu!...




Se a vitória assenta naturalmente bem em todos quantos estiveram na Mata Real a lutar pelo Sporting, adeptos incluídos, e isso nunca significará que fomos passear à Capital do Móvel, na minha modesta opinião de sportinguista...

Mathieu estará um "danoninho" acima de todos!...

Leoninamente,
Até á próxima

Apetece mandá-lo de volta à sua origem!...


Como qualificar o jornalismo capaz de tamanha, vil e insultuosa accão e quanta baixeza de meios e processos, senhor Vitor Serpa?!...

Com o devido respeito por quem o pariu... 

Apetece mandá-lo de volta à sua origem!...

Leoninamente,
Até à próxima

É na Segunda Liga!!!...


Como se não houvesse amanhã?! Mas o amanhã já está perfeitamente definido...

É na Segunda Liga!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Quanto ao pénalti reclamado, não me façam rir!...





E foi assim! Por trás e sobre o tendão de Aquiles! Com boa ou má vontade o Rui Costa só podia ter feito o que fez! Assim tivessem outros "padrecos" a coragem que foi capaz de demonstrar!... 

Quanto ao pénalti reclamado, não me façam rir!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 25 de novembro de 2017

"Yo no creo en las brujas, pero que las hay, las hay"!...



Há quem se mostre muito relutante em venerar o general-doutor Nhaga!...

"Yo no creo en las brujas, pero que las hay, las hay"!...

Leoninamente,
Até à próxima

Trazer os três pontos nesta sempre difícil deslocação!...



Esta fotografia divulgada há pouco pelo Sporting no Twitter, com a comitiva leonina a viajar esta tarde para Paços de Ferreira, além de confirmar a presença de Acuña entre os convocados, traz-nos também a surpresa da primeira presença de Bryan Ruiz esta época, o que significará com grande margem de certeza, que Jorge Jesus estará mesmo a pensar no internacional costariquenho no sentido de aliviar a carga de esforço que tem solicitado ultimamente a alguns elementos do ataque leonino.

Uma excelente oportunidade para os treinadores de bancada não terem de esperar pela divulgação da convocatória completa - agendada apenas para as 15:00 de amanhã - para começarem a pensar no onze titular. Porém, fundamental e importante será...

Trazer os três pontos nesta sempre difícil deslocação!...

Leoninamente,
Até à próxima

Fizeram-lhe crer que estava no Dubai!...




"ERA DO SPORTING, MAS BASTOU-ME UM JOGO PELO BENFICA PARA ME TORNAR ADEPTO" 

«... O meu pai treinava uma equipa na minha cidade e eu, com sete anos, comecei a jogar lá. Depois, o Benfica viu-me a jogar e, com oito ou nove anos, fui para Lisboa jogar. Quando cheguei ao Benfica, era adepto do Sporting. São rivais de cidade, tal como aqui o Sampdoria-Génova. Depois de chegar ao Benfica, disseram-me que, se queria jogar lá, tinha de ser adepto do clube, e eu concordei. Bastou jogar o meu primeiro jogo tornei-me logo adepto...»
(Pedro Pereira, em 7 de Outubro de 2015)

"OH PAI, EU ACHO QUE O RUI VITÓRIA NÃO GOSTA É DE MIM"

«... O maior desejo do Pedro é, eventualmente, regressar a Itália e continuar a carreira dele. O melhor é sair em Janeiro. No Benfica não está a fazer nada, está a perder-se e a desvalorizar no mercado (...) O Pedro diz 'oh pai, eu acho que o Rui Vitória não gosta é de mim'...»
(Pai de Pedro Pereira, em 24 de Novembro de 2017)

Enganaram o rapaz. Fizeram-lhe crer que estava no Dubai!...

Leoninamente,
Até à próxima

A melhor da semana!...



A melhor da semana!...

Leoninamente,
Até à próxima

Raios me partam se eu me permitisse votar contra!...



Cá para mim, a "armadilha Gaitan" hoje posta a circular na imprensa desportiva cá do pântano, ainda a madrugada era uma criança,  cheira-me a "jogada de cartilha" pensada e implementada à janela de umas águas furtadas de uma qualquer rua pouco recomendada: oferece-se o rapaz ao Sporting, antes de se concretizar a vinda dele para  a "academia do Dubai" e lá voltamos nós a "coleccionar" mais uma vitória para oferecer aos nossos infelizes adeptos, a quem ultimamente só lhes temos oferecido derrotas.

Só que daquelo lado da rua ainda se estará a digerir - e a pagar com língua de palmo! - o empréstimo do "famoso Gabigol" e ninguém me convencerá que o "orelhas" ande com pachorra para se meter nessas corridas, pelo que sendo assim... 

Quanto mais não fosse por causa da "comovedora azia" que a "operação" faria despoletar nuns tantos milhões de "tristes conformados"...

Raios me partam se eu me permitisse votar contra!...

Leoninamente,
Até à próxima

Olhem que a bota bate certa com a perdigota!...


O PENTA É UMA MIRAGEM

«São demasiados os equívocos que afectam o Benfica, mas há um que é mais flagrante do que os outros: a passividade com que se aceitou a quebra de nível do plantel. O campeão perdeu Ederson, Nélson Semedo e Lindelöf poucos meses depois de também ter vendido Gonçalo Guedes, que é ‘apenas’ a estrela do momento em Espanha. Já para não falar em Mitroglou, que apontou a ninharia de 52 golos (!) em duas épocas na Luz. Saiu demasiada qualidade sem que entrasse qualquer verdadeiro reforço. Como se não bastasse, o treinador continua sem conseguir ‘sacar’ rendimento de um craque como Rafa – incompreensivelmente arrumado a um canto do Seixal. Fatal.

As dúvidas continuam a crescer e ninguém consegue prever que equipa veremos daqui para a frente: em 4x3x3 ou 4x4x2? E porque foi Gabigol inscrito na Champions e não Krovinovic? Que mal fez Samaris para ficar de fora em Moscovo, ultrapassado na curva por Filipe Augusto? E quem terá acreditado que Douglas poderia ser solução? E porque não param as lesões e recaídas? O que se passa, já agora, com Júlio César?

Mesmo com tanta derrapagem, uma vitória amanhã diante do V. Setúbal e outra na 6.ª feira, no Dragão, mudariam a história e colocariam de novo o Benfica na rota do penta. Só falta perceber como isso será possível.»


Conhecendo-se sobejamente o papel que esta criatura representa na divulgação e expansão da "cartilha de defenestração escarlate", depois desta singular crónica, as minhas reservas sobre o colossal pontapé que o "derrotas" estará na iminência de levar nos fundilhos, deixaram de estar em suspenso: o sonso muito dificilmente comerá o bolo-rei da pastelaria da Luz!...

Olhem que a bota bate certa com a perdigota!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Rui Santos continua a fazer um excelente campeonato!...


RUI VITÓRIA NO PINO DA CONFUSÃO

«É sempre assim. Todos os treinadores têm os seus ciclos. Uns mais duradouramente vitoriosos e outros menos. Depende de muitos factores.

De que dependem os treinadores? Dependem da capacidade económico-financeira dos clubes para os quais trabalham. Dependem da qualidade dos jogadores. Dependem da natureza da intervenção dos presidentes e dirigentes que os rodeiam e os (não) suportam. Dependem das organizações que os (não) sustentam. E dependem, naturalmente, de si próprios: da capacidade de liderança (ou seja, da perícia de fazer acontecer), das decisões que tomam, da forma como comunicam e daquilo que é a sua apetência para perceberem o mundo global do futebol, independentemente dos seus conhecimentos na área técnico-desportiva.

Rui Vitória atravessa a sua fase mais difícil desde que chegou à Luz – e tudo porque não começou bem a época, sendo neste momento o último dos três ‘grandes’ no campeonato e a protagonizar uma situação impensável no momento do sorteio para a presente edição da Champions, correspondente a zero pontos na fase de grupos, com 5 dos 6 jogos realizados. Impensável, mesmo!

Bem se sabe que Rui Vitória entrou na Luz para corporizar a antítese de Jorge Jesus. Talvez não fosse esse o espírito de Rui Vitória, conhecido por ser um homem de ‘bons fígados’, mas sabe muito bem que muitos apostavam nele para ser uma espécie de treinador profano, assim a modos de um anti-Jesus.

Todavia, estavam na Luz seis anos de dinâmicas, rotinas, metodologias, relações e hábitos. E Rui Vitória, naturalmente, numa primeira fase, teve muitas dificuldades em montar o seu próprio sistema. Não estamos apenas a falar de sistema táctico. Estamos a falar de um ‘padrão Vitória’. De um Benfica ‘à Vitória’. O Benfica foi campeão e bicampeão com ele, mas em nenhum momento ficou indiscutível aos olhos de toda a gente, nem interna nem externamente, a imposição da impressão digital do treinador. Ficou acima de tudo a imagem de um gestor. Um gestor de equilíbrios e sensibilidades e o gestor técnico-desportivo de um projecto que Vieira e a sua Administração queriam impor no Benfica: com a ‘componente Seixal’ a liderar no critério de escolha dos jogadores.

Rui Vitória foi, pois, desde que chegou à Luz, um treinador condicionado. A dimensão da oportunidade sobrepôs-se a todas as condicionantes e Rui Vitória sabia ao que ia e não tinha de se queixar. Aceitou correr os riscos e a verdade é que, neste momento, na óptica pessoal, ninguém pode dizer que se tratou de uma opção errada. Contudo, no começo da sua terceira época na Luz houve coisas que Rui Vitória não soube nem podia controlar, porque fora esse, aliás, o pacto que havia assinado com o presidente e a Administração: não é, no limite, Luís Filipe Vieira que faz a equipa, mas é ele que condiciona as escolhas da equipa, se é que me faço entender. E nunca tinha sido assim, como se sabe, nos últimos 8 anos…

Os dois títulos de campeão nacional conquistados com Rui Vitória adensaram junto do presidente e da Administração a convicção de que a hegemonia do Benfica estava reconquistada e controlada. Sob o comando do presidente e da Administração, num novo modelo em que o treinador era apenas uma peça secundária de todo o modus operandi do Benfica. E foi assim que se cometeram erros inacreditáveis para quem se gaba de ter uma estrutura operativa, competente e superprofissional.

O plantel do Benfica é hoje uma manta de retalhos, a partir da não resolução do problema que constituiu a saída de Ederson, Nélson Semedo, Lindelöf e Mitroglou, fundamentalmente. O Benfica tem andado, esta época, a correr debaixo do peso desse enorme equívoco. E a correr pouco, como se viu em Moscovo. Os jogadores estão sem confiança e é preciso dizer que, em cima do erro colossal da Administração (provavelmente mais preocupada e desconcentrada em função da dimensão que ganhou o ‘caso dos emails’), Rui Vitória tem feito muito para roubar a confiança dos jogadores (a partir do caso dos guarda-redes). Alternância de sistema táctico, um corrupio de jogadores a entrar e a sair, tudo o que – é dos livros – condiciona o rendimento dos jogadores. Ou se tem uma atitude de alguma exigência ou pressão sobre a equipa (e, para isso, ela tem de acreditar naquilo que se faz…), como acontece com Sérgio Conceição no FC Porto e com Jorge Jesus, no Sporting, ou é meio caminho para o desastre.

Não é estranho que não haja um jogador do plantel do Benfica que esteja no top das suas capacidades? Rui Vitória atingiu o pino da confusão e da indefinição. O buraco na Champions é maior e irreparável porque, cá em casa, é como se sabe. Tudo um pouco mais brando. Menos no Dragão. E é no Dragão que o Benfica vai… ‘viver ou morrer’.

JARDIM DAS ESTRELAS -- 4 estrelas

Contrariando o desastre

O treinador Jorge Jesus e a equipa de futebol são a última esperança do Sporting, esta época. Com uma comunicação desenfreada, sem rei nem roque, e agora já sem a ‘protecção’ de Octávio Machado, Jorge Jesus e os jogadores estão cada vez mais entregues a si próprios e à capacidade de blindar o balneário a interferências desestabilizadoras. Não é fácil, mas já se pode dizer, incluindo o desempenho frente ao Olympiakos, que a equipa deu uma excelente resposta na Champions. O ‘milagre’ maior que Jesus tem de fazer é conseguir resultados desportivos com o presidente a marcar tantos golos na própria baliza — um fenómeno desastroso de ‘comunicação’.
Destaque, também, para o Sp. Braga: grande maturidade no jogo com o Hoffenheim (que tudo fez para vencer!) e um belo desempenho na Liga Europa. Chapeau!

O CACTO -- Quem quer a cabeça de Fontelas?

Esta estória em redor da paralisação dos árbitros, das condições que têm ou não têm para arbitrar debaixo deste clima insustentável de suspeição, esconde a questão essencial: todos querem controlar o presidente do Conselho de Arbitragem. Tê-lo na mão. Dirigir as nomeações, nem que seja por mera sugestão. É uma função difícil, porque há muitos interesses em jogo e os clubes — já se viu — têm as suas preferências. Os árbitros estão ‘marcados’. Uns querem tê-los; outros não querem. Começou cedo a tentativa de decapitação, neste caso de Fontelas Gomes. Com os ataques ao VAR. Com a forma como se tem pretendido influenciar os árbitros neste processo de pré-paralisação, até com SMS de ex-árbitros… Foi exactamente por isto que sempre defendi que um ex-árbitro nunca poderia ser presidente da Liga.»


Rui Santos continua a fazer um excelente campeonato!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE