sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Paulo Bento não estará bom da cabeça!...



Lista de convocados de Paulo Bento:

Guarda-redes: Eduardo (Sporting Braga), Beto (Sevilha) e Anthony Lopes (Lyon);

Defesas: Coentrão (Real Madrid), M. Lopes (Lyon), J. Pereira (Valencia), Pepe (Real Madrid), Neto (Zenit), Ricardo Costa (Valencia), Rolando (Inter Milão) e Antunes (Málaga);

Médios: Josué (FC Porto), Moutinho (Monaco), William Carvalho (Sporting), Raul Meireles (Fenerbahçe), Ruben Amorim (Benfica) e Miguel Veloso (Dínamo Kiev);

Avançados: Cristiano Ronaldo (Real Madrid), Edinho (Kayseri Erciyesspor), Hugo Almeida (Besiktas), Ivan Cavaleiro (Benfica), Silvestre Varela (FC Porto) e Rafa (Sporting Braga).


Definitivamente, Paulo Bento não estará bom da cabeça! Tinha programado ir ver o próximo jogo da "nossa selecção", mas perante esta convocatória, já rasguei a ideia de ir a Leiria e o bilhete também. Para ver a selecção de Paulo Bento e Jorge Mendes, prefiro ficar em casa e ver o jogo na televisão. Sempre posso mudar de canal e apreciar outras coisas, quiçá mais interessantes.

Coitado do Paulo Bento! É inacreditável o que pode acontecer a um homem. Eu, que me habituei a ver nele um homem diferente daqueles que enxameiam o pântano do futebol português, não sou capaz de perceber o que vai naquela cabeça...

Leoninamente,
Até à próxima

Continua a contagem de espingardas !...



Compreendem-se as razões geográficas que terão estado na base da marcação de um novo Conselho de Presidentes da LPFP, a ter lugar em Fátima, exactamente de hoje a uma semana, aqui noticiada

E, embora a presença do presidente do FC Porto, possa ter surpreendido muita gente, a iminente decisão sobre o monopólio da Sport TV das transmissões televisivas dos jogos, terá dado corda aos sapatos do velho líder do "sistema", no sentido de conseguir antes disso, a destituição de Mário Figueiredo. Daí a sua presença na última reunião, no Porto, nas instalações da Liga, que acabou por subverter as intenções dos seus promotores, firmes no propósito de trabalhar propostas para implementar melhorias no futebol português.

Pinto da Costa e os seus conhecidos acólitos, terão alcançado aquilo que bem poderá ser entendido como uma "vitória de Pirro". Porque agora já não terá dúvidas de que esbarrará na oposição firme de um novo grupo liderado por Sporting e Benfica, a que se têm vindo a juntar novos e imprevistos apoiantes, grande parte deles desertores da ala que pretenderia destituir o actual presidente da Liga, para quem, mais importante do que correr com um líder a três ou quatro meses do final do seu mandato, será construir uma nova arquitectura para o futebol português.

Ao que se sabe, terá ficado consagrada na última reunião no Porto, que a destituição de Mário Figueiredo não fará parte da agenda da próxima reunião, agora acertada para Fátima, pelo que ao "velho ditador" será muito difícil que possa vir a ter êxito, em qualquer tentativa de fazer vingar o seu desejo manifesto de mudar pessoas, mantendo o, para si conveniente, "status quo".

Há muito que não se assistia a tal fragilidade negocial do monarca das Antas, como há muito também não se verificava uma tal sintonia entre os dois clubes da 2ª Circular de Lisboa, e esta talvez explique aquela de forma decisiva. Veremos o que irá acontecer daqui a uma semana, ou se de novo a montanha voltará a parir um rato. Mas que a contagem das espingardas continua, isso parece ser inegável!...

Leoninamente,
Até á próxima

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Obviamente que estou contente com andrades e lãmpiões apurados!...



Obviamente que estou contente com "andrades" e "lãmpiões" apurados. Em situação normal, essa ideia nunca me passou e garanto que dificilmente passará pela cabeça, pelo simples motivo de que a grande maioria dos adeptos desses clubes, sempre manifestaram de forma exuberante, o mesmo sentimento em relação ao meu Sporting. Logo, amor com amor se paga.

Mas, atendendo a que a única prova onde o "estupor do sistema" ainda nos permite competir, é na I Liga, eu desejo que "ambos os dois" - esta minha mania de imitar o "orelhas" dá-me cabo da organização sintática - vão por aí fora até às meias-finais. Faz-lhes bem, sempre recebem uns trocados e... um dia destes estarão a deitar os bofes pela boca.

Acresce ainda que, com estes pontitos, sempre vamos fazendo a manutenção do "ranking" da UEFA, o que também reverterá a favor deste desgraçado futebol português, em ano em que os "pequenos armados em grandes" bem poderão limpar as mãos à parede.

Neste momento, estou de saída para a Rotunda da Boavista. Quero ver se ninguém me vê a fazer uma pequena inscrição na base...

Leoninamente,
Até à próxima

Que tenha sorte e competência de merecer o benefício da dúvida !...



Vem do Porto, o árbitro designado pelo CA da FPF, para o jogo de sábado em Alvalade onde o Sporting Clube de Portugal receberá o S. Braga.

Na época que está a decorrer, Artur Soares Dias apenas arbitrou dois jogos do Sporting. O primeiro em 24-08-2013, em Coimbra, onde os leões defrontaram e venceram a Académica por concludente 4-0, com golos de Carrillo, Rojo, Adrien e Montero. Os jogadores do Sporting não foram contemplados com a amostragem de qualquer cartão, o mesmo não tendo acontecido com os estudantes, a quem foram mostrados três amarelos, sendo um deles duplo, seguido de expulsão. O Sporting beneficiou ainda da marcação de uma grande penalidade que Adrien converteu. 



O segundo jogo arbitrado por este árbitro do Porto, aconteceu nas Antas em 27-10-2013, tendo o FC Porto saído vencedor por 3-1. sendo o golo leonino marcado por William Carvalho e tendo o adversário inaugurado o marcador por Josué através da conversão de uma grande penalidade, a sancionar falta na área de rigor por parte de Maurício. Os cartões foram distribuídos de forma equitativa, com dois para cada lado.


Vitor Pereira volta a repetir o surpreendente "low-profile" que ultimamente vem exibindo nas nomeações para os jogos do Sporting. Artur Soares Dias arbitrará em Alvalade pela primeira vez esta época e, sendo um dos bons árbitros no aspecto técnico, não costuma chamar a si aquele protagonismo que é triste e confrangedor apanágio de muitos dos seus colegas de profissão.

Este jogo não se afigura como difícil de dirigir. Estarão em presença duas equipas que costumam jogar o jogo pelo jogo, a menos que a chicotada psicológica recentemente verificada na Pedreira, nos surpreenda com uma diferente abordagem. 

Também estatisticamente, o trabalho de Artur Soares Dias resulta equilibrado, mostrando-se credor, para quem tanto tem sido prejudicado pela "corporação mafiosa da arbitragem", no mínimo, do benefício da dúvida. Assim tenha a sorte e a competência dele ser merecedor.





Leoninamente,
Até à próxima

Octavio Ribeiro é indigno de ser jornalista !!!...

O verme


Octávio Ribeiro, director do jornal mais reles, baixo e quase pornográfico de toda a imprensa portuguesa, não tem pai! E que cada um lhe chame o que quiser. Por mim, apenas direi que é um verme da pior espécie.

Só um verme que nunca conheceu e por isso nunca soube avaliar o que diz o coração de um verdadeiro homem, perante a palavra Pai, é capaz de deixar publicar no jornal que dirige, o título de primeira página hoje publicado no pasquim que ainda ostenta o seu nome, como director.

Verme. Porco, feio e mau é que se me afigura dizer desta figurinha sem classificação. Vale tudo para este filho de pai incógnito, para este estrábico de carácter, tetraplégico da cabeça. Verdade ou mentira, será que o Correio da Manhã necessitaria de destruir um jovem inocente, na flor da vida e a caminhar decisiva e dignamente para a sua afirmação, talvez para ir morar bem longe das ruas onde hoje Octávio Ribeiro lhe situou o pai?!...

Octávio Ribeiro é indigno de ser jornalista!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Quando uns não querem, outros estão morrendo!...

Wallyson Mallman

Há quem defenda que a História nunca se repete. Por mim, com a experiência que a vida me trouxe, cada dia me sinto mais convicto do contrário. Vem esta minha consideração a propósito de uma pequena local que hoje encontrei aqui, e que me fez dizer para os meus botões: alguém, no plantel principal do Sporting, não colocou as barbas de molho e começa a correr o risco de seguir as pisadas de uma prometedora esperança da nossa Academia, que ora vai cumprindo lá pelas terras onde nasceu Portugal, a desesperança e o remorso, quiçá a oportunidade perdida para sempre.

Boa intensidade e versátil em termos tácticos

in Record
Com dupla nacionalidade, brasileira e alemã, Wallyson Mallman chegou ao Sporting em 2012, pela mão do empresário Óscar Dias, para prestar provas. Acabou por ficar ligado à equipa de juniores, então de Abel Ferreira, depois de um período de observação. Em Alvalade, estava referenciado como médio muito criativo, de boa intensidade e facilidade em jogar em qualquer posição do meio-campo ofensivo, fosse em 4x2x3x1, em 4x4x2 mais aberto ou em losango.

Antes de ingressar no Sporting, o jogador, de 20 anos, já tinha passado por Basileia, da Suíça, e Manchester City, de Inglaterra, onde não ficou por dificuldades de inscrição. No defeso, em final de contrato, a estrutura de futebol de Bruno de Carvalho propôs-lhe a permanência por empréstimo de um ano, com opção de compra no valor de 350 mil euros por 70% do passe. O elevado rendimento na equipa B coloca-o agora às portas de uma oportunidade nos eleitos de Leonardo Jardim.


Ora, a ser verdade o que li, e não haverá fumo sem fogo, depois de meses e meses a insistir numa jovem e talentosa promessa da nossa Academia, Leonardo Jardim parece ter chegado a uma conclusão nada abonatória para a promessa em causa e resolveu chamar Wallyson para as trincheiras.



Pois é, quando uns não querem, outros estão morrendo...


Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

As nossas leoas do basquetebol, rumo à "final four" !...



No próximo domingo a equipa feminina de basquetebol do Sporting Clube de Portugal, receberá o Algés B, na fase de qualificação para a "final four" que decidirá a subida ao escalão seguinte.

Com a confiança e o estímulo de terem terminado apenas com vitórias a 1ª Fase, as nossas leoas irão concerteza superar-se e vencer mais uma vez. Em nós, adeptos sportinguistas, existe uma crença inabalável nas suas capacidades e na sua férrea vontade de conquistarem o lugar onde todos as desejamos ver: na I Divisão!...

Leoninamente, aqui fica um abraço para quantos amam a modalidade e para quantos não olham a esforços ou dificuldades para a colocarem no lugar mais consentâneo com a história e grandeza do Sporting Clube de Portugal.

FORÇA LEOAS !...

Leoninamente,
Até à próxima

Marcos Rojo, um caso bicudo de indisciplina...



Logo no começo da presente época, analisei aqui, o comportamento disciplinar que Marcos Rojo vinha evidenciando em cada jogo que disputava. E cheguei a sugerir uma "vacina" para lhe acalmar os ânimos. Já lá vai meio ano e dois terços do campeonato decorridos. E Rojo parece estar cada vez mais na mesma.

in jornal Record
O quadro ao lado será suficientemente elucidativo, sobre a postura disciplinar deste argentino de sangue quente.

Ao que vai chegando ao nosso conhecimento, o jogador terá sido chamado à atenção pela estrutura leonina e ter-se-à apressado a fazer o seu "mea culpa" e a reconhecer a necessidade de uma maior contenção nas suas atitudes, mas justificando-as como sendo consequências de muito empenho e emoção.

Sendo a defesa de Rojo uma meia verdade e todos os adeptos reconhecerem a forma abnegada com que defende a causa leonina, há uma parte significativa das suas atitudes que cai fora da sua argumentação, não sendo verdade que algumas das admoestações que terá recebido se tenham ficado a dever ao empenho e abnegação arrolados em sua defesa.

Na imagem acima, no jogo com o Alba e no recente jogo com o Olhanense, as sanções que lhe foram impostas, não resultaram nem tiveram nada a ver com abnegação e empenho, antes foram consequência de pouco inteligentes infantilidades e uma mais do que evidente e reiterada falta de profissionalismo, na exacta medida da inconsciência ou mesmo um estranho e inadmissível desprezo, que vem demonstrando, pelos sagrados interesses do clube que representa.

Defendi na hora, na análise que fiz ao jogo com o Olhanense, que Marcos Rojo deveria ter ficado no balneário ao intervalo. Leonardo Jardim assim não o terá entendido e todas as situações desta índole se assemelharão a um bola de neve, que à medida que vai rolando pela encosta gelada, vai ganhando volume e cada vez mais capacidade destruidora, até ficar em absoluto fora de controle. Agora a estrutura do futebol leonino, tem pela frente uma questão delicada para resolver: o castigo tardio sempre perderá a sua razão de ser e inevitavelmente acabará por se revelar contraproducente.

Ai do líder que vacilar na exigência disciplinar. As fraquezas, o calculismo ou o pragmatismo de hoje, serão inevitavelmente exponenciados amanhã, quiçá, para além da nossa capacidade!...

Leoninamente,
Até à próxima 

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

R.I.P. Mário Coluna



Mário Coluna, que desde menino, me habituei a conhecer como "Monstro Sagrado", faleceu hoje em Maputo, aos 78 anos. 

Esse "Monstro Sagrado". terá sido o jogador que, envergando a camisola que desde que me conheço, sempre determinou em mim, a mais eterna das rivalidades, o meu maior "ódiozinho de estimação", o adversário que em qualquer momento ou circunstância, eu desejei ver ajoelhado ante o leão rampante de listas verde e brancas, eu mais admirei e que vejo desaparecer com infinita tristeza.

Mário Coluna foi único para mim. Pelo fantástico e incomparável futebol que sempre exibiu, e acima de todo o seu ímpar talento como atleta, pela sua postura de profunda e inatacável respeitabilidade. 

Hoje o futebol é mais luta que "fair play" e chovem sanções disciplinares à dezenas em cada jogo. No tempo de Mário Coluna, ainda não tinham nascido os famigerados cartões amarelos e vermelhos. A disciplina, ou era, raramente, imposta pelo sobrolho carregado dos árbitros, ou descambava não raras vezes em cenas pouco edificantes. Com Mário Coluna em campo, qualquer árbitro se preocupava apenas com o seu trabalho técnico. Porque ao mais pequeno desentendimento entre os companheiros e adversários, ele corria para o local do "acidente" e a disputa terminava ali, tal a importância e respeitabilidade que dele emanava para todos quantos calcassem o risco. Com a sua voz baixa, lenta e pausada, era como se alguém despejasse água sobre brasas. Tanto perante os seus companheiros, como junto dos adversários.

Mário Coluna foi único e grande. Tão grande, que uma boa fatia da grandeza do seu clube de sempre, a ele o deverá eternamente.   

Deixo a imagem de Mário Coluna como o conheci. É assim que quero recordá-lo sempre. 

Estejas onde estiveres, um abraço leonino, Mário, e até sempre, com profundo respeito e admiração!...

Leoninamente,
Até à próxima
  

Leonardo Jardim e a quadratura de um círculo chamado Braga



O futebol, mais do que racionalidade, pragmatismo e tantas outras cambiantes que o jogo nos traz, dentro e fora dos relvados, há-de ser sempre fortemente condimentado com arte, emoção e muita paixão. Este menino, como tantos outros que já nos fizeram vibrar as cordas mais sensíveis do nosso sportinguismo, entrou-nos de repente no coração e já não haverá convocatória de Leonardo Jardim, que os nossos olhos não percorram à procura do seu nome.

E não será apenas o seu sorriso puro, franco, alegre, bonito de ver, que nos cativa. Há qualquer coisa de leonino no seu deambular pelos relvados, qualquer coisa que nos faz por vezes adivinhar o que lhe inunda o pensamento quando a bola lhe chega aos pés: ele poderá sempre cumprir, seja em que lugar for, com determinação e humildade o que o seu técnico lhe pede no esquema táctico que suporta a estratégia pensada e planeada ao pormenor, mas o seu pensamento, os seus olhos, o seu esforço e empenho, estarão sempre colocados nos ferros brancos da baliza adversária, no "orgasmo do futebol", no golo! E sendo o golo que faz explodir de alegria os adeptos, será em absoluto normal, que esteja a nascer em Alvalade uma paixão tão grande pelo menino. Ele não marcou muitos até agora, mas o tempo de jogo que lhe deram também não o foi. O que todos eles terão revelado, para além da beleza particular de cada um, terá sido o seu carácter decisivo.

Carlos Mané, esse nosso menino, joga como os adeptos adoram: para a frente, sempre para a frente, sempre com a baliza nos olhos e o golo no pensamento. Faz tudo nem feito?! Certamente que não. Ainda não. Um dia fará. Se a cabeça não lhe esquentar como a tantos outros. E se continuar a colocar com orgulho, raça e um sorriso ímpar de orgulho e alegria, a sua mão de ébano sobre o leão que ostenta no peito. 

Aproxima-se mais um jogo decisivo para a nossa esperança, desta vez em Alvalade, a nossa casa, onde moram todas as ilusões. É preciso ganhar, é preciso entrar de rompante e não esperar que as coisas aconteçam. E para corporizar esse anseio, as importantes baixas de Adrien e Montero, determinam em cada adepto sportinguista a construção de um cenário diferente, que só a hora do jogo confirmará ou não se coincidente com a determinante e incontornável ideia de Leonardo Jardim.

A este sportinguista que por aqui vai deixando imagens do seu modo de ver e sentir Sporting, não sai do pensamento a quadratura do círculo que Jardim terá na cabeça para ultrapassar a "chicotada" do Braga, a que hoje Jorge Paixão terá emprestado o seu nome. Mas posso-vos anunciar que já fiz a "minha linha" para sábado. Com um passivo em conhecimento informático, bem superior ao do nosso Sporting, que Bruno de Carvalho vai aligeirando conforme pode e sabe, pela primeira vez e com a prestimosa e preciosa ajuda de outro grande sportingista, Quaresma Senos, consegui produzir um "esquema gráfico decente" para vos transmitir muitas horas de sono passadas a pensar na quadratura de Leonardo Jardim. 

É minha convicção que ele vai surpreender com a colocação de Carlos Mané numa zona nevrálgica e pouco habitual no campo. E que vai optar por Carrillo e Vitor. Para já, deixo-vos a minha premonição. No sábado veremos, se o treinador de bancada que existe em mim, valerá alguma coisa:



Leoninamente, 
Até à próxima

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Os 3 pontos serão a nossa melhor chicotada psicológica !...




Longe vão os tempos que em Alvalade se mudava de treinador como quem muda de camisa. A fúria das chicotadas psicológicas parece agora ter-se centrado lá mais para Norte. Primeiro calhou a "sorte" ao professor Jesualdo Ferreira, hipermétrope em adiantado estado enquanto andou por Alvalade e que, partindo em busca de um grande,  passou por Braga e acreditou na palavra do "salvador". Deixou o "grande", no mesmo lugar em que deixou o "pequeno", sendo que nem ele próprio saberá muito bem, se o problema é do rabo, se das calças. Um verdadeiro "euromilhões", seria o D. Bufas Pinto da Costa ficar sem ratos a bordo, e lembrar-se dele para restaurar a colónia de "andrades roedores". A menos que pague a côngrua ao Estoril ou, quem sabe, ao Penafiel. Ele ouve-se por aí cada coisa...

Henrique Calisto afirma ter ficado surpreendido, com o despedimento. Ou é da minha vista ou o "treinador da champions" ainda regressa a casa. Também era bem pensado, sim senhor, mas o problema residirá no facto de Carlos Barbosa, presidente do Paços de Ferreira, ter abanado o nariz próximo do rabo de D. Bufas, farto do fedor dos seus traques e ter-se passado para outras trincheiras. Na actual situação, ou tira um coelho da cartola, ou então segue as previsões de Manuel Serrão e, arma-se em mula e deixa o "crista de gel" apodrecer, para este lhe cair nas mãos, como fruta madura.

Em boas mãos parece estar o Vitória de Setúbal. Depois que "despachou a mota", com José Couceiro tem sido sempre a aviar e agora até se dá ao luxo de aplicar goleadas das antigas. Ah "ganda leão", vai amealhando amigo, para que no dia 9 de Março a derrota não perturbe as tuas contas. Chama-se a isso planeamento, área onde os créditos deste sportinguista decente, serão notáveis.

Bom, voltando a casa, apetece-me dizer que a saída do professor Jesualdo Ferreira terá sido algo extemporânea. Sempre poderia ter ficado mais uma semanita, carago. Era mais fácil. Assim, lá teremos que ficar de pé atrás com a "chicotada do salvador" e sem Montero e Adrien, já dizem por aí que jogaremos com 9. Aceitam-se apostas quanto ao substituto de Adrien. Pelas minhas contas será o Vitor Silva, mas a Leonardo Jardim caberá a última palavra, como naturalmente terá de ser. O importante será o Sporting averbar nova vitória. Os 3 pontos, nesta altura crucial do campeonato, serão a nossa melhor "chicotada psicológica"!...

Leoninamente,
Até à próxima

A gente vai continuar !!!...


"... Nunca é demais elogiar este Sporting. As viragens para o sucesso não são vulgares em Portugal e quando acontecem devem ser louvadas. No início do campeonato o clube de Alvalade saiu do inferno, aterrou no limbo e, muito debilitado, fez-se à vida. Nem o adepto mais optimista esperava grandes desempenhos nesta época, mas de surpresa em surpresa e de dossier em dossier, o leão transfigurou-se, recuperou a dignidade há muito perdida e, espanto, somou sucessos desportivos. O ponta-de-lança desta revolução chama-se Bruno de Carvalho. Que não se deslumbre, ainda só está na meta de partida.".


É uma verdade de La Palisse: mesmo que não seja demais elogiar este Sporting, ele ainda está na casa da partida! Mas que sabe bem assistir a esta transfiguração, ver recuperada a dignidade perdida e sentir o leão cada vez mais habituado aos lugares cimeiros e com uma vontade férrea de não mais os abandonar, lá isso sabe, amigos sportinguistas.

E a tudo isto que nos vai inundando a alma, teremos de somar o bonito horizonte que se nos apresenta. E nem quero pensar no que ainda estará ao nosso alcance. O volúpia da confirmação neste último terço do campeonato, a legítima perspectiva de um defeso que bem poderá livrar-nos da nossa "troika" e a certeza de que quem conseguiu colar os cacos que sobraram do "roquetismo", também terá capacidade suficiente para, com olhos de lince, colmatar as brechas das vendas que se adivinham e prosseguir este fantástico trilho da alegria, são motivos bem fortes para alimentar este amor tão grande e este desmesurado contentamento que há tanto tempo não nos inundava.

A gente vai continuar !!!...

Leoninamente,
Até à próxima 

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Hoje estamos no 2º lugar, amanhã veremos!!!...

Banco de ouro, em Vila do Conde


Com banco de ouro, ou de fato macaco, o segundo lugar, agora é nosso, e não é à condição! Hoje estamos no 2º lugar, amanhã VEREMOS !!!...

Leoninamente,
Até à próxima 

As saudades de outros noves que já passaram por Alvalade !...

foto retirada de A Bola

Em pés de lâ, e quase sem que ninguém dê por ele, Islam Slimani já leva 6 golos pelo Sporting. Este internacional argelino, que em boa hora provocou a alteração da bússula de Alvalade, desde sempre apontada para um seu compatriota que militava lá por Moreira de Cónegos e que a ganância do próprio e os habituais jogos de bastidores dos mesmos corruptos de sempre, acabou por provar ser um atleta bem mais valioso que a primeira escolha, cujas papas nos haveriam de ser comidas sobre a nossa própria cabeça.

Afinal, a segunda escolha tem vindo a revelar-se incomparavelmente melhor que a primeira, tanto na sua selecção, quanto em termos comparativos no futebol português e até pelos galardões que recentemente lhe foram atribuídos, de Melhor Jogador Argelino e do Magrebe em 2013.

No Sporting, o melhor jogador do Magrebe em 2013, já fez 16 jogos, entre I Liga, Taça de Portugal (2) e Taça da Liga (2), mas tudo espremido em tempo, resultará apenas em 706 minutos em 2.250 possíveis. Quase sempre em situação de recurso e como última esperança mas, ironicamente, essa até parece ser mesmo a praia de Slimani, já que o nosso camisola 9, só marcou golos quando saltou do banco e, excluídos os que apontou ao Alba e Benfica para a Taça, todos os restantes (Marítimo, Guimarães, Arouca e Rio Ave) acabaram, de alguma forma, por contribuir para a salvação da equipa.

No próximo sábado, face ao 5º amarelo recolhido por Fredy Montero, será espectável e natural que Islam Slimani venha a ser titular. E a iminência desse facto, desperta-me a óbvia curiosidade e esperança de o ver derrubar dois tabus. O primeiro residirá no comportamento da equipa sem Montero. O segundo, na possibilidade de se concretizar a minha esperança de o ver marcar pela primeira vez alinhando como titular.

Ao apreciar a determinante e irreversível instabilidade que a entrada do nosso 9 ontem provocou na defesa vilacondense, aguardo para ver com inusitada expectativa, o que acontecerá no próximo sábado à noite. É que a contagiante "vontade de vencer" de Islam Slimani, a alegria com que celebra os seus golos e os dos seus companheiros, já passaram para nós adeptos, com aquela força que nos traz saudades de outros noves que já passaram por Alvalade!...

Leoninamente,
Até à próxima 

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Muito importante estar de volta ao segundo lugar,

Os rostos dos nossos golos, qual deles o mais bonito...

Contra uma das equipas melhor organizadas e de maior conteúdo técnico da I Liga, o Sporting teve hoje em Vila do Conde um osso bem duro de roer. A uma primeira parte algo apática, pouco intensa e previsível, fundamentalmente devido a uma noite morna e pouco inspirada de André Martins, Leonardo Jardim, com as entradas de Mané ao intervalo e de Slimani pouco depois, estancou o ligeiro pendor atacante dos vilacondenses e descoordenou o "pressing" a que vinham submetendo o meio campo leonino, invertendo completamente a situação e passando a deter o controle absoluto do jogo.

Mesmo permitindo que o adversário, de forma fortuita e por absoluto demérito da nossa defesa, se adiantasse no marcador, o domínio da equipa leonina foi avassalador ao longo de quase todo o segundo tempo e foi com naturalidade que os leões viram premiado o seu esforço com a reviravolta no marcador e a conquista dos preciosos 3 pontos.

Pareceu exactamente na segunda parte do jogo de hoje, que a equipa já absorveu de forma bem mais consistente os novos processos de jogo que a inclusão de Slimani e o recuo de Montero determinam, sem que se ressinta da ausência de André Martins em termos defensivos e ganhando quase o dobro de velocidade e imprevisibilidade, através das características incisivas e de extraordinário pendor ofensivo de Carlos Mané. Pudemos deste modo assistir ao fim dos atrasos e lateralizações e passámos a ver a equipa, mal recuperava a bola, cavalgando quase freneticamente para a área adversária. É um rosto novo do Sporting, este que hoje conseguiu tão saborosa vitória em Vila do Conde e que nos deixa bem mais tranquilos e esperançados.

Jorge Ferreira teve uma prestação exactamente ao nível que eu aqui admitira. A continuar assim, remeterá a muito curto prazo, grande parte dos árbitros da sua categoria, para lugares da tabela bem inferiores ao seu. Sempre sereno e tranquilo, para além de pequenas falhas de pormenor, realizou um trabalho de nota francamente positiva. Assim arbitrasse a grande parte daqueles que se presumem mais qualificados, cujo valor efectivo não passará disso mesmo, presunção.

Uma boa vitória e o moral reforçadíssimo para o próximo sábado em Alvalade, onde apenas só a vitória nos interessará. E de preferência sem o sofrimento destes últimos jogos. Muito importante estar de volta ao segundo lugar...

Leoninamente
Até à próxima

Com tolos e bolos não se apanham dolos




Com tolos e bolos não se apanham dolos

"Decidiu o CD da FPF que o FC Porto merece uma repreensão por escrito e deve pagar uma multa de 383 euros, por ter retardado o começo do jogo com o Marítimo, quando em Penafiel e, ao abrigo dos regulamentos, todos fizeram o que tinham a fazer para o jogo começar à hora prevista. Uma decisão juridicamente válida, como o seu contrário também seria. Uma decisão que no entanto apenas faz ressaltar a ineficácia dos regulamentos e o desprezo pelo espírito do legislador. Uma decisão que também não apaga o desempenho de Herculano Lima na audiência disciplinar – o pior de tudo, e que deveria suscitar da parte do Sporting uma posição firme e vigorosa, no sentido de credibilizar as últimas posições tomadas em nome da defesa da verdade desportiva.

Estes 383€ são a expressão máxima do ridículo e a prova de que, por muitas que sejam as tentativas, vem vencendo sempre a facção daqueles que não levam o futebol a sério.

Sempre achei muita piada às construções jurídicas em redor dos regulamentos do futebol. Debate-se aqui, amplifica-se acolá e, independentemente da qualidade dos argumentos das partes, no fim... ganha o mais forte. O mais forte pode conduzir as audiências disciplinares a seu bel-prazer, com uma parcialidade intolerável e num tom jocoso e até paternalista pouco condizente com as responsabilidades que lhe foram incumbidas, mas, no fim, isso não tem importância nenhuma, porque a decisão estava tomada a partir do momento em que se percebeu qual era a posição de Herculano Lima, presidente do Conselho de Disciplina da FPF, independentemente dos efeitos que serão produzidos em sede de recurso para o Conselho de Justiça.

Neste processo do “caso do atraso”, considerando que a verdade desportiva é o valor mais nobre que está subjacente ao Desporto e ao futebol e deveria ser defendido a todo o custo, principalmente pelos “guardiões dos regulamentos”, à margem de quaisquer contaminações clubísticas, sempre me pareceram claras meia dúzia de coisas:

1) O artigo 116 do RD, nos seus pontos 1 e 2, pretende colocar ênfase especial no começo dos jogos à (mesma) hora marcada, para que nenhum dos contendores possa retirar daí qualquer vantagem competitiva. Este é o espírito da lei na óptica do legislador;

2) De acordo com o espírito da lei, a equipa que, por qualquer motivo, não compareça à hora marcada para dar início ao jogo, deveria ter o especial cuidado de se justificar perante o árbitro e os delegados – e é para isso que existe, para os clubes, a figura do delegado ao jogo;

3) Ao justificar-se, afastaria qualquer cenário de intenção dolosa;

4) A não ser assim, o regulamento está mal feito e não tem qualquer efeito prático. A eficácia é nula e promove o tipo de situações que envolveu o FC Porto no jogo com o Marítimo;

5) Talvez essa percepção da nula eficácia dos regulamentos tenha levado o FC Porto a não revelar, afinal, qualquer preocupação nem com a hora do jogo nem com a justificação do atraso – e, neste particular, a responsabilidade não lhe deve ser imputada.

6) Subestimar a importância de 2 a 3 minutos entre o fim dos respectivos jogos, como o fez Herculano Lima durante a audiência disciplinar, sabendo-se de antemão que a decisão das meias-finais poderia achar-se na diferença de golos ou mais golos marcados, corresponde a não se perceber o que é o futebol ou a uma situação de parcialidade ainda mais gravosa.

Em síntese: em terra de cegos, quem tem um olho é rei. É isto que os regulamentos e as instâncias disciplinares promovem. E é por isso que ninguém atribui especial importância aos regulamentos e à denominada “justiça desportiva”.

Esta decisão do CD da FPF prova que não é com tolos que se apanham os dolos. Infelizmente. Porque, na verdade, o que esta decisão demonstra é que o sistema em que está assente o modelo da autonomia do movimento associativo não gera as condições necessárias de isenção e independência quando estão em causa divergências e delitos desta natureza. E é sobre esta realidade que as reflexões devem ser dirigidas. Este sistema organizativo está feito para que os dolos sejam anulados por bolos. Servidos, sem parcimónias, aos bobos que fazem de tolos e se tornam presas fáceis dos lobos...".
(Rui Santos, Pressão Alta, in Record)

Dolos e bolos, para bobos e tolos, presas fáceis dos lobos! A isto se resume o maquiavélico "sistema organizativo" criado, mantido e controlado pelo maior génio da vigarice e corrupção, que alguma vez o futebol português terá visto nascer no seu seio. Chama-se D. Bufas Pinto da Costa e vem reinando há três décadas, colocando as botifarras sobre as costas de escroques sem carácter, enfileirados numa extensa procissão, que vai desde os corredores dos poderes Legislativo e Executivo, à Justiça e à Comunicação Social. Todos de cócoras e de calças arriadas, prontos para em qualquer momento provarem o estilete da empalação, em degradante espectáculo do mais puro masoquismo, caminhando felizes como carneiros para o altar onde serão sacrificados.

O último a retirar do altar, mostrando o anus ensanguentado, depois de engolir toda a dignidade que lhe restou de uma extensa e principescamente remunerada carreira na honrosa e, simultânea e tristemente desgraçada, magistratura portuguesa, foi o juíz desembargador jubilado e ex-membro da mais alta instância da justiça portuguesa, o Supremo Tribunal de Justiça, Herculano Carlindo Machado Moreira Lima, provando à evidência, que não há limites inultrapassáveis para a condição humana.

E prepara-se novo sacrifício a D. Bufas, o Rei da Corrupção neste desgraçado país do futebol e não só. Nova fila já se apresenta de calças baixadas até aos joelhos, mostrando os buracos negros dos alvos cus e implorando pelo ferro em brasa, que o monarca empunha com firmeza e pontaria. À frente, o juiz conselheiro Manuel Fernando dos Santos Serra, que já foi presidente do Supremo Tribunal Administrativo e agora preside ao Conselho de Justiça da FPF. Logo a seguir, um advogado de prestígio, com escritórios em Cantanhede e professor universitário, José Joaquim Sampaio e Nora, com longa experiência federativa e agora vice-presidente do CJ, seguindo-se depois os cinco vogais, Fernando Manuel Azevedo Moreira, Carlos Manuel Ferreira da Silva, Jorge Manuel Lopes de Sousa, António Sérgio Coelho de Matos e António Bento São Pedro. Tudo gente de peso, na área da trapaça jurídica, que dominam todos os labirintos da letra da lei e atiram o seu espírito pela sarjeta abaixo, como se lhes fosse vedado o caminho da dignidade e não houvesse amanhã.

Dizem que os burros, não serão grandes apreciadores de palha. Mas que D. Bufas Pinto da Costa, será exímio na mistura mais adequada com erva fresca e doce e estes burros acabarão por comer toda a palha que lhes der. No fim do repasto, "zurrarão" mais alguns euros para cima dos 383 que, asininamente, outros burros antes decretaram. E todos dormirão tranquilos, em camas de palha feitas de lavado. Ou estarei enganado ?! Hum! Mais facilmente um camelo passará pelo buraco de uma agulha!...

Leoninamente,
Até à próxima

Tribunal Arbitral do Desporto, segundo José Manuel Meirim



O bizarro acordão do Conselho de Disciplina da FPF, sobre o famigerado "caso do atraso do FC Porto" e o consequente e anunciado propósito do Sporting Clube de Portugal de dele recorrer para instância superior, ou seja o Conselho de Justiça, veio colocar uma inusitada premência no difícil parto a que estará a ser sujeito o Tribunal Arbitral do Desporto(TAD).

O ilustre e reconhecido jurista, da importante área do Direito Desportivo, que é José Manuel Meirim, vem dedicando a sua atenção a este complicado processo de gestação do TAD, desde que a gravidez foi declarada em 08-03-2013, através de artigos de opinião publicados no jornal Público, que venho acompanhando com atenção, por sempre me ter parecido o caminho certo para a definitiva resolução do grande imbróglio que sempre me pareceu a justiça desportiva, se comandada pelos respectivos agentes.

Julgo ter começado em 13-01-2013, com José Manuel Meirim analisa futuro Tribunal Arbitral do Desporto (take 1), onde o consultor da ABBC, entreabre a cortina do TAD, com todas as suas implicações, motivações e propósitos, tanto a nível nacional, quanto internacional.

Em 22-04-2013, com Porquê a necessidade de um Tribunal Arbitral do Desporto (take 2.1), José Manuel Meirim, já depois de aprovado pela AR  o novo TAD, explicita de forma mais profunda e abrangente os seus objectivos, contornos e implicações.  

E continuado em 24-11-2013, com Para onde vais Tribunal Arbitral do Desporto? (take 2.2), em que o ilustre jurista nos apresenta uma séria e objectiva radiografia de todas as vicissitudes do complicado processo de nascimento do TAD.

Para finalmente, em 16-02-2013, ser rematado com Tribunal Arbitral do Desporto: take 3 (e final)?, onde o conceituado causídico conclui de modo assaz curioso:


"... 6. Mas mesmo que funcionemos com a visão deturpada – ignorando o todo -, é redondamente falso que o futebol viva com a proibição do acesso aos tribunais e que os casos que se registam são 2,7 ou lá o que é.

Aqui, os políticos estabelecem “leis” com base no noticiário. A FIFA diz. Há para aí um caso X e Y. Nada de mais errado. Os litígios que se dirimem em tribunal estatal “vivem bem” com a regulamentação FIFA em toda a Europa. Por outro lado, no caso português, não existem só casos que fazem as páginas dos jornais que os políticos recolhem em serviços de clipping, no Ipad ou no tablet. Os treinadores, os praticantes e os clubes desportivos não deixam de vir a tribunal na defesa dos seus direitos e, dir-se-ia, de uma forma crescente.

7. O processo legislativo relativo à 3.ª versão do TAD já se iniciou. O que se gostaria de poder contar era, para os seus “retoques” finais, com deputados que conheçam a realidade. Mas isso, estou seguro, não é fácil de assegurar.".


Aqui chegados, ou o meu cansado cérebro estará a ficar pesado e pouco ágil, ou José Manuel Meirim, não terá dado à estampa tudo o que tão bem, ou melhor que os melhores, saberá. Porque para mim, simples e despretensioso cidadão, que tão intensamente vive o fenómeno desportivo, parece afigurar-se claro, que o tenebroso "sistema" que tem manietado o futebol português nas últimas décadas, o "polvo" como a gente séria do futebol já se habituou a chamar, já terá também estendido os seus tentáculos aos Passos Perdidos da Assembleia da República e vai plantado por lá, no meio de todos aqueles "depute(a)dos", tantas e tão poucas "minas e armadilhas", ou distribuído tantas e tão poucas embalagens de pílulas abortivas, que esta assaz complicada gravidez, acabará por redundar num descoroçoante e desgraçado "aborto"... 

Para que tudo continue na mesma!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Herculaneum, dignus es porcos pascere...




Obviamente, o Ti Herculano, juiz, desembargador, conselheiro do Supremo TJ, jubilado e bem assim todo o bando de comparsas que o rodeia no Conselho de Disciplina da FPF, decidiram dar razão a quem a razão não assiste. Uns miseráveis 383 €uros, será quanto vai custar ao "clube da corrupção", o prato de lentilhas pelo qual toda esta corja continuou a vender a sua dignidade, sem pudor, sem vergonha, sem honra...

Continua a não ser possível controlar todas as variáveis de um projecto criminoso de poder. Que se vale de uma camarilha de escroques maiores, para corromper, controlar e manipular outros escroques menores e desvirtuar toda a verdade desportiva e eternizar-se nesse mesmo poder.

O caso não ficou encerrado hoje, com o estapafúrdio acordão de que Álvaro Baptista foi relator e que todos os comparsas subscreveram, com ou sem declarações de votos vencidos nas margens, que não na torrente principal da sua vergonhosa decisão. Ele transitará para a instância superior e definitiva, que muito poucas garantias também poderá significar para os que ainda têm a honra, a dignidade e a justiça, como valores eternos e incontornáveis. Mas quer-me parecer que todos estes episódios se hão-de transformar, inevitavelmente, em novos tijolos de que resultará, cedo ou tarde, a construção de um novo e, pelo menos, decente edifício do futebol português.

Dignis digna eveniunt...

Dignitas delinquentis peccatum auget...

 Herculaneum,  dignus es porcos pascere...

Leoninamente,
Até à próxima

As baralhações dos "andrades" !...!...



Anda tudo baralhado por aqueles lados! Primeiro baralharam as transferências do James e do Moutinho. Depois baralharam o paradeiro do Ismailov. Logo a seguir baralharam a Champions com a Liga Europa. Recentemente baralharam a hora do jogo com o Marítimo. Depois baralharam o Angelino com o Gomes e agora deixaram-se baralhar pelos alemães... 

Será que o bicho lhes entrou  no coração, ou no cérebro?! Começo a ficar muito preocupado.  E o futebol português que precisa tanto dos "andrades" !...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Jorge Ferreira designado para Vila do Conde

DADOS PESSOAIS
Nome: António Jorge Gonçalves Ferreira
Nascimento: 1977-07-15 (36 anos)
Naturalidade: Fafe
Redes sociais:  
Associação: AF Braga
Profissão: Técnico Comercial
Categoria: Primeira Categoria Nacional desde 2010



Virá de Braga, o árbitro designado pelo CA da FPF, para o jogo de sábado em Vila do Conde, onde o Sporting Clube de Portugal irá defrontar o Rio Ave.

Durante a presente temporada, Jorge Ferreira apenas arbitrou dois jogos dos leões. O primeiro, em 13-10-2013, no estádio José Alvalade, em que a equipa B do Sporting defrontou e venceu o Moreirense por 3-2, com golos de Magrão e Cissé(2), tendo mostrado 3 cartões amarelos aos jogadores leoninos ( Semedo, Magrão e Vitor) e 5 a jogadores visitantes.


O segundo, em 01-12-2013, também no estádio José Alvalade, em que o Sporting recebeu e goleou o Paços de Ferreira por 4-0, com golos de William, André Martins e Montero(2), tendo sancionado Capel com cartão amarelo e os visitantes com 3 cartões amarelos e um vermelho.


Parece-me pacífica esta nomeação e confirmará algum cuidado por parte de Vitor Pereira, nas nomeações para os jogos do Sporting. Este árbitro tem revelado algum equilíbrio e tranquilidade na condução dos jogos, sem recorrer aos exibicionismos bacôcos de outros seus companheiros.

Terá pela frente um jogo difícil de dirigir, pelas condições que se adivinham o terreno venha a apresentar. Que protagonize um excelente trabalho é o que se deseja a Jorge Ferreira.

Leoninamente,
Até à próxima 

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

As modalidades serão sempre o nosso grande amor!...

Juvenal Carvalho, um dos nossos!...


"Que o Hóquei em Patins tenha iniciado hoje um virar de página não só a nível técnico, como também de resultados. Quem o lidera é de uma dedicação e sportinguismo acima de qualquer suspeita. São 11 anos de muita dedicação, altruísmo e competência. Eu sou dos que acredito muito num futuro brilhante. Para que isso aconteça, é óbvio que o apoio do Clube será não só importante, como vital. Gostei de ver a direcção representada pelo seu Presidente e pelos responsáveis pelas modalidades. O Hóquei terá que ter futuro!"
(Juvenal Carvalho, na sua página do Facebook)


Nas palavras de Juvenal Carvalho, não deveremos apenas retirar a crença e a esperança que sempre o hão-de animar. Está no seu adn e já não surpreendem. O que eu retirei e me deixou sereno e tranquilo, foram as mãos que pôs no lume, pelo novo treinador do hóquei em patins do Sporting Clube de Portugal, Nuno Lopes, hoje apresentado em Alvalade.

E aqui do meu canto, que o Presidente não me leve a mal, mas reforçando as palavras de Juvenal Carvalho, de ser "... óbvio que o apoio do Clube, será não só importante, como vital", deixaria o meu sentir de sportinguista, e por certo milhões me acompanharão: as modalidades, todas, sem excepção, serão sempre o nosso grande amor!...

Boa sorte Nuno Lopes! Sporting Sempre!...

Leoninamente,
Até à próxima

Não há machado que corte, a raiz ao pensamento !!!...


Herculano, o elogio da normalidade

"Num país com um futebol sério e civilizado, o comportamento do juiz jubilado, Herculano Lima, o presidente do CD da FPF, na audiência disciplinar do caso do atraso, (FC Porto-Marítimo) não seria tolerado. A fazer fé nos relatos que vieram a lume, o juiz Herculano, portista assumido, fez tábua rasa do dever de isenção. Adoptando um estilo paternalista (houve quem lhe chamasse desempoeirado), o juiz desvalorizou o atraso do FC Porto e deu claramente a entender que a sua interpretação dos factos, coincidia com a posição defendida pelo FCP. Num país com um futebol como o nosso, salpicado de gente mentirosa, oportunista e desmemoriada, o comportamento do juiz jubilado Herculano Lima, ficou e ficará impune. Porque aqui vale tudo e tudo se consente. Tudo. No fundo, a normalidade de um país onde anormalidades assim, só provocam censuras parciais e localizadas. Um país dormente, passivo, bovino. Enfermiço."
(André Pipa, Visão global, in A Bola)


Compreendo perfeitamente os limites inultrapassáveis de André Pipa. Ele não terá tempo, nem porventura estará disposto a dissipar o que tanto lhe custará a ganhar, para se sujeitar a uma acção judicial de difamação, quiçá agravada, movida pelo Ti Herculano. Apenas afirma que "a fazer fé nos relatos que vieram a lume, o juiz Herculano, portista assumido, fez tábua rasa do dever de isenção". E conclui depois que "o comportamento do juiz jubilado Herculano Lima, ficou e ficará impune".

Quem seria eu então para, com um horizonte de vida semelhante ao Ti Herculano e com meios incomparavelmente inferiores à reforma dourada que ultrapassará os dois dígitos, que todos nós lhe pagamos pontualmente, e sem contar com os estapafúrdios privilégios que a sua jubilação lhe confere, o desafiar a uma acção semelhante, chamando-lhe aquilo que André Pipa entendeu não lhe chamar?!...

Não Ti Herculano, não serei eu a dar-lhe o privilégio de exercer "no sistema sistema judicial limpo, justo, sério e honesto de onde proveio e onde navegará bem melhor que o Gama na sua aventura rumo às Índias, a desafiá-lo.

Mas sempre haverá uma coisa que nenhum "sistema judicial" do mundo democrático, me coarctará: a faculdade de pensar aquilo que a minha inteligência e as minhas capacidades intelectuais me permitirem! Nesta condição, pode o Ti Herculano arrogar-se, da forma presumidamente omnisciente de que não costuma prescindir, que terá agido neste "caso do atraso do FC Porto",  de forma honesta, isenta, insubornável, íntegra e juridicamente consistente. Pode. É um direito que lhe assiste. Como a mim me assiste o direito de pensar do Ti Herculano, aquilo que me aprouver. E olhe que o meu pensamento não lhe será, de todo, favorável. E agora processe-me, se a sua consciência ainda lho permitir! Ou então,,, vá para aquele mundo onde sempre tem andado, mesmo agora, quando a lei inexoravel da vida lhe diz, como a qualquer de nós, que o fim estará cada vez mais próximo! Nunca lhe poderei gabar a inteligência, meu caro Ti Herculano!...

Quanto a todos aqueles que o acompanham, ou se submetem às suas diatribes, ou as vão tolerando, silenciosamente, direi que somos "um país dormente, passivo, bovino. Enfermiço.", mas, felizmente...

Não há machado que corte, a raiz ao pensamento !!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Porquê tanta pressa em derrubar Mário Figueiredo ???!!!...



No dia de ontem ter-se-à assistido no Porto a um curioso exercício de manobras militares, que indiciarão uma guerra iminente no futebol português. De um lado,  o "exército" formado por, Sporting, Benfica, Marítimo, Gil Vicente, Paços de Ferreira e Olhanense da I Liga e Beira Mar, Oliveirense, Moreirense, Feirense, Santa Clara, Desportivo das Aves, Leixões, Farense, Trofense, Académico de Viseu e Atlético, da II Liga. A estes 17 clubes corresponderão 23 votos (6x2 + 11x1) na Assembleia Geral da Liga.

Carlos Pereira, presidente do Marítimo e um dos vice-presidentes do organismo e porta-voz do grupo, terá afirmado no final: "É necessário unir a Liga à Federação Portuguesa de Futebol, ao Governo, ao próximo quadro comunitário, falar de policiamentos e de "fair-play". Podemos ter alguns pontos divergentes, mas quando chegar às mãos de toda a gente o documento aqui discutido, estou em crer que estarão todos presentes na reunião do Conselho dos Presidentes.".

Em aparente sentido contrário, terá reunido o grupo de clubes que pretenderá a demissão imediata de Mário Figueiredo da presidência da Liga, por via de razões que se prenderão com "a não apresentação do Orçamento para 2013/14, o manifesto decréscimo de receitas, a ausência de patrocínios, a falta de transparência na gestão e, o facto de considerarem que a actual gestão da Liga ter vindo a ser marcada por uma atitude beligerante para com os clubes e patrocinadores". A liderar este grupo estará, como não poderia deixar de ser, o FC Porto, seguido pelo incontornável e sempre fiel SC Braga, e mais os acólitos Arouca, Académica, Estoril, Nacional, V. Guimarães, V. de Setúbal, Belenenses e Rio Ave, da I Liga, e Desportivo de Chaves, Portimonense, Tondela, União da Madeira e Penafiel, da II Liga. Este grupo de 15 clubes, traduzir-se-à numa soma de 25 votos ( 10x2 + 5x1) na Assembleia Geral. 

Tendo em conta o equilíbrio de votos até agora contabilizado - 23 vs 25 - pelos dois "exércitos" em presença, mesmo considerando que apenas faltará somar o voto do único clube de que até agora não se conhece a posição - Sporting da Covilhã -, independentemente da posição do clube serrano, que não alterará a maioria, esta apenas celebrará uma "vitória da Pirro", manifestamente irrelevante e sem sentido, que apenas servirá para proporcionar a venda de mais alguns milhares de jornais.

Nesta condição, o que aos verdadeiramente interessados na "regeneração do futebol português" importará analisar será, tão só, o contributo de cada uma das partes para uma melhoria significativa das bases em que assenta a sua estrutura.

Do lado dos opositores de Mário Figueiredo, liderados pelo FC Porto, toda a estratégia assentará na simples mudança das moscas e na eternização daquilo que Bruno de Carvalho já definiu, com propriedade, como o "bacôco sistema" que tem dominado o futebol português. E a pressa com que o pretenderão fazer, retira naturalmente qualquer credibilidade à sua iniciativa, na ausência clara de propostas sérias para a mudança premente, inadiável e por muitos julgada incontornável.

Santos Neves, no editorial hoje publicado pelo jornal A Bola diz, na abertura do seu artigo:

"Que fazer na Liga e na global estrutura do nosso futebol? Ontem, para não variar, clubes divididos em separadas reuniões. Maioria procura forma de destituir o presidente da Liga. Minoria (da I Liga, só Benfica, Sporting, Marítimo e Gil Vicente) [atrever-me-ia a corrigir Santos Neves, juntando, Paços de Ferreira e Olhanense], visa objectivos de bem maior fôlego. Entendam-se no essencial! E essencial não é destituir Mário Figueiredo, apenas a três meses do final do mandato..."

O velho, experimentado e sabedor jornalista Santos Neves, muito particularmente no que se refere aos meandros do futebol português, sabe do que fala. E como todos os adeptos do futebol, tem consciência do que estará a acontecer:

Estaremos a assistir, a uma inusitada pressa da parte dos mesmos de sempre, em mudar as moscas! Porque será ?!...

Leoninamente,
Até à próxima 

PUBLICIDADE