terça-feira, 30 de junho de 2015

Um grande, solidário e leonino abraço, José Sá!...



Um grande, solidário e leonino abraço, José Sá!...
 
És um campeão!!!...

Leoninamente,

Até à próxima

Obrigado campeões!...




Com tantas praias para se divertirem, porque tinham que escolher uma para enterrarem os nossos e os vossos sonhos?!...

Mas foi apenas um momento! A vida é feita de pequenos nadas. Um dia virá que faça esquecer a tristeza de hoje!...

Obrigado campeões!...

Leoninamente,
Até à próxima

Pedro Nobre regressa a Alvalade!...


"Aceitei o convite na hora. O futsal do Sporting tem uma organização muito forte, este projecto é extremamente aliciante e, felizmente, tenho tido a felicidade e a competência de conquistar títulos nos últimos anos. É isso que quero continuar a fazer: vencer. Agora no Sporting, agradecendo com títulos a oportunidade de voltar a vestir esta camisola. O Sporting é o meu clube do coração e como tal era um sonho voltar."

Segundo anuncia o Sporting Clube de Portugal, Pedro Nobre sucede a Filipe Carneiro na condução da equipa sénior feminina de futsal, que na próxima temporada se estreia na primeira divisão nacional, depois de um percurso ascendente de dois anos que culminou com a conquista da Taça Nacional, no domingo passado.

Cada vez mais Sporting!...

SEMPRE SPORTING!!!...

Leoninamente, 
Até à próxima

Obviamente, alguém deveria demiti-lo!...



"Golpe de teatro: o FC Porto – que há 10 dias, na AG da Liga, tinha sugerido a nomeação de árbitros, embora com algumas condições – mudou de ideias e propôs ontem o sorteio puro, no momento em que a discussão entrou na especialidade. O que mereceu a aprovação da maioria dos clubes não deixa de ser surpreendente. É mais ou menos consensual que a arbitragem nacional é francamente melhor hoje do que era há 15 anos. E o que poderá vir a acontecer, se esta proposta for ratificada na AG da FPF (que irá decorrer já em Julho), será o regresso ao sistema que existiu entre 1998 e 2003. Um sistema, já agora, que não existe em nenhum grande campeonato europeu.

O próprio Sporting, que tinha começado por propor o sorteio condicionado, acabou por ser ultrapassado pelo FC Porto, que defendeu o sorteio, sim, mas em estado puro. De qualquer forma, e no essencial, há legitimidade para se falar numa aliança entre dragões e leões – porque a vontade de ambos, percebe-se agora, era provocar a mudança. E esse cenário é o que passa a estar em cima da mesa. Se avançar, andamos para trás. O mais bizarro de tudo isto é que, com sorteio puro, até pode dar-se o caso, imagine-se, de voltarmos a ver Bruno Paixão apitar o FC Porto e Manuel Mota dirigir jogos do Sporting..."
(Nuno Farinha, Entrada em Campo, in Record)


"Há legitimidade para se falar numa aliança entre dragões e leões". Vejam só, quem escreve isto é, nada mais nada menos, que o sub-director de um dos jornais desportivos com maior expressão em Portugal! "Porque a vontade de ambos, percebe-se agora, era provocar a mudança"! Porque se quaisquer dois clubes tiverem vontade de ser campeões, é porque estão aliados! Porque se dois quaisquer clubes, ou até, ironicamente, a maioria dos clubes, pensarem diferente do clube que controla a arbitragem e lutarem para que acabe o "colinho" que já lhe rendeu os últimos dois títulos, acabam por protagonizar uma "vergonhosa e inadmissível aliança"!... 

Acresce que a este infeliz jornalista, alguém terá contado mal a história de que o sorteio aprovado será um "sorteio em estado puro". Deve ter sido o assessor jurídico do Benfica, que abandonou os trabalhos, que lhe terá "vomitado" uma verdade diferente daquela que terá sido aprovada. Nada que nos surpreenda...

Coitado do Nuno Farinha! Os distúrbios mentais que determinam os óculos encarnados , o "fitness" e os "croissants" diários no estádio da Luz! E é este "contrapeso" que foi escolhido para equilibrar a direcção do jornal e agora tem a distinta lata de se comportar, não como um jornalista sério que deveria debruçar-se sobre as razões que estiveram na origem da esmagadora rejeição dos clubes das nomeações de Vitor Pereira, mas como o "lacaio" que vem verberar a extinção do "colinho"!...

Obviamente, e na impossibilidade de o próprio se aperceber do mal que está a fazer ao jornal...

Alguém deveria demiti-lo!...

Leoninamente,
Até à próxima

Obviamente demito-me!...



Obviamente demito-me!...

Leoninamente,
Até à próxima

segunda-feira, 29 de junho de 2015

A segunda bomba atómica em menos de um mês!...


Uma inesperada e violenta deflagração atómica terá sido registada ao fim da tarde no Norte do País, com epicentro situado em Santa Maria da Feira, onde estavam reunidos os senhores do pantanal.

Segundo é reportado aqui (link 1), aqui (link 2) e ainda aqui (link 3), não se terão registado acidentes pessoais, embora se tenha assistido a algumas inesperadas fugas desordenadas, provavelmente ditadas pelo pânico subsequente a tão violenta explosão, naturalmente em busca do aconchego do "colinho".

É a segunda bomba nuclear a deflagrar em curto espaço de tempo, pelo que as autoridades já estarão em campo no sentido de averiguar as razões desta inesperada cadeia de incidentes.

O fotógrafo privativo de Leoninamente, captou a feliz imagem que a seguir reproduzimos, quando o "mayor" do pantanal se retirava do conclave e saudava os adeptos benfiquistas que, de boca aberta até às orelhas, se encontravam no local. Aguardam-se mais desenvolvimentos a todo o momento.


Leoninamente,
Até à próxima

Os novos reforços do Sporting

Os novos reforços para o Sporting, a apresentar na quarta-feira, durante a II Gala Honoris


Leoninamente,
Até à próxima



Está quase a chegar o "belfodil"!...


Tudo terá começado no primeiro dia do mês de Maio, com quase todos os tablóides e sites desportivos a darem o jovem ponta de lança sueco John Guidetti, em final de contrato com o Manchester City, como referenciado pelo Sporting.


Depois, em catadupa, fomos lendo e ouvindo nomes sobre nomes de jogadores debaixo de olho do clube de Alvalade: Joel Campbel, Bruno Uvini, Ahmed Hassan, Afonso Figueiredo, Maurício Isla, Luc Castaignos, Bryan Ruiz, Eric Palmer-Brown, Erivelto Silva, Gaspar Iguiñez, Ishak Belfodil, Nemanja Nikolic, Jake Bedford, António Cassano, Jean Paul Pineda, Lamine Koné, Germán Conti, Helder Lopes, Giovanni Augusto, Azbe Jug, Fréderic Injai, Danilo Pereira, Maxi Pereira, Fábio Coentrão, Oscar Cardoso, Bruno Alves, Alexandr Zhirov, José Luís, Raphael Guerreiro, Bruma, Moussa Marega, Bruno Rodrigo, Franco Cervi, Aly Ghazal, Douglas, Filipe Santana e o jornal Record, engrossa hoje a lista com Eduardo Vargas, o homem que com dois golos apurou o Chile para as meias-finais da Copa América e que milita no Nápoles.


Foram só 38 aqueles que até agora este prodigioso "scouting" descobriu a caminho de Alvalade. E não se cansam, nem desanimam! Até agora apenas o guarda-redes esloveno Azbe Jug acabou por ser contratado pelo Sporting. De todos os outros...




Certo, certo, só o "belfodil"!...



Leoninamente,

Até à próxima

P.S.1 - Em 1 de Julho A Bola coloca Ricky van Wlfswinkel no Sporting e o Record faz o mesmo em relação a Oscar Benitez.

P.S.2 - Em 2 de Julho em O Jogo é "anunciado" que Teófilo Gutiérrez estaria a um passo do Sporting.

P.S.3 - Em 3 de Julho o jornal Record colocou Vid Belec em Alvalade.

P.S.4 - Em 4 de Julho O jornal Record, citando o Calciomercato.it, anuncia o iteresse do Sporting no lateral fireito argentino Julio Buffarini.

O impossível não existe!...


Excerto da entrevista concedida por Leonardo Jardim ao jornal Record e hoje publicada

«Com Jesus o Sporting fica mais próximo do título

R – Como treinador que conhece muito bem a realidade do futebol português, em particular a do Sporting, ficou surpreendido com a mudança de Jorge Jesus do Benfica para Alvalade?

LJ – Claro que surpreendeu. Em primeiro lugar, não acreditava que o Jesus ia sair do Benfica, e depois, sabendo que o Sporting tinha um treinador, fiquei um pouco surpreendido. É complexo estar a falar desta questão, porque tenho a noção de que qualquer palavra fora do contexto pode ferir susceptibilidades, mas em termos mediáticos esta contratação foi uma grande cartada do Sporting. Agora, é necessário esperar para ver o que representa no futuro...

R – Quando fala da necessidade de esperar pelo impacto que terá no futuro, significa que, com esta realidade, o Sporting esta temporada, e ao contrário das duas anteriores, está obrigado a ser um forte candidato ao título?

LJ – Eu vejo as coisas assim: o treinador é importante numa equipa, mas não é decisivo. Decisivo é termos uma organização e jogadores de qualidade que nos permitam ser mais ambiciosos. Se o Sporting conseguir preencher aquilo que são as suas lacunas com alguns jogadores de qualidade, tendo um treinador conhecedor daquilo que é o campeonato português, acredito que vai estar mais próximo do título. Acho que o Sporting vai estar mais próximo do FC Porto e do Benfica, se conseguir preencher algumas das vagas para aumentar a qualidade global da equipa.

R – Acredita que existe o risco de se estabelecer uma comparação permanente entre aquilo que foi o trabalho de Jorge Jesus no Benfica e aquilo que se pretende no actual projecto do Sporting de Bruno de Carvalho?

LJ – Esse risco vai existir sempre, e a motivação de toda a estrutura também existe. Mas é fundamental passar da teoria à prática, pois imagino que se o Sporting contratou o Jorge Jesus não é para ter a mesma ambição dos últimos dois anos, mas sim para algo mais. É um "upgrade" em relação à ambição do clube, a qual será reforçada em termos de objectivos.

R – Neste processo, há também a questão relacionada com Marco Silva. O técnico assinou um contrato de quatro épocas com o Sporting, conquistou a Taça de Portugal e acabou por ser afastado do cargo antes do arranque da época 2015/16. Este cenário surpreendeu-o?

LJEu acho que estas decisões já tinham sido tomadas, anteriormente. Esta decisão de o Marco Silva sair não me parece que estivesse directamente relacionada com o êxito desportivo. Acho eu... O Marco Silva fez uma temporada aceitável, com o carimbo de um troféu que o Sporting já não ganhava há muitos anos.(Entrevista de Leonardo Jardim ao jornal Record)

Num registo "low profile" a que nos habituou, Leonardo Jardim deixou nesta oportuna entrevista, mensagens bem interessantes para todo o universo sportinguista. Que merecem ser meditadas e objecto de profunda reflexão. Porque nenhuma palavra sua alguma vez poderá ser considerada produto de saldo para encher papel. Sempre assim foi...

E se não teve relutância em afirmar que "Com Jorge Jesus o Sporting fica mais próximo do título", provavelmente mais importante ainda terá sido o pensamento com que complementou o seu raciocínio: "o Sporting vai estar mais próximo do FC Porto e do Benfica, se conseguir preencher algumas das vagas para aumentar a qualidade global da equipa".

Não será fácil, depois do encargo financeiro que constituiu a contratação de Jorge Jesus, o Sporting partir para o "preenchimento das vagas" de que fala Leonardo Jardim, por forma a "aumentar a qualidade global da equipa" mas, citando Muhammad Ali:

"O impossível é apenas uma grande palavra usada por gente fraca, que prefere viver no mundo como ele está, em vez de usar o poder que tem para mudá-lo, melhorá-lo. Impossível não é um facto. É uma opinião. Impossível não é uma declaração. É um desafio. Impossível é hipotético. Impossível é temporário. O impossível não existe"!...

Leoninamente,
Até à próxima

A expulsão de Godinho Lopes é a expulsão da inocência de todos os Sportinguistas!...


"A expulsão de Godinho Lopes é a expulsão da inocência de todos os Sportinguistas"!...
(Javardeiro, in Leão de Plástico)

Tinha decidido após a publicação do post anterior, riscar literalmente deste espaço a personagem de Luís Godinho Lopes, até que as últimas pás de terra sejam atiradas sobre o tenebroso processo que muito tempo ainda o há-de ligar ao Sporting Clube de Portugal, apesar da expulsão ontem decidida pelos sportinguistas.

E não, não foram nem poderiam ser os comunicados que pressurosamente se encarregou de fazer publicitar pela imprensa amiga e que não me merecem qualquer comentário, que provocaram a alteração da minha decisão. Partilho exactamente as razões que Daniel Sampaio ontem terá invocado: "Godinho continua a mentir"! E creio bem que o Professor me permitirá de bom grado, acrescentar, compulsivamente!...

Aquilo que verdadeiramete me terá levado a deixar por aqui, apenas por mais uma vez e espero que definitivamente, o nome de alguém que desejo evitar pronunciar para sempre, foi a mais brilhante conclusão que me foi dado ler sobre a Assembleia Geral Ordinária do SCP ontem realizada e que encabeça este meu rápido e despretensioso texto.

É muito provável que os sportinguistas tenham expulsado ontem e definitivamente, a sua inocência!...

Leoninamente,
Até à próxima

SPORTING! ONTEM, HOJE E SEMPRE!!!...


Para quem como eu votou, convicta e democraticamente nas últimas eleições do Sporting Clube de Portugal e aceitou, também democraticamente, os resultados, todos os orgãos posteriormente empossados, me merecem o máximo de crédito e confiança. Nunca será meu timbre, como sportinguista enxovalhar na praça pública a legitimidade de qualquer das suas acções, ainda que eventualmente possa discordar  e criticar a justeza de determinados actos, especificamente em termos comunicacionais, que não do exercício dos poderes que lhe foram democraticamente outorgados.. 

Não estive presente ontem em Alvalade,  mas insere-se neste meu pensamento tudo o que envolveu a AGO ali realizada, desde a sua convocatória, ordem de trabalhos estabelecida, forma como foi conduzida e resoluções tomadas pelos mais de mil associados presentes. Nada do que lá foi deliberado fere a minha sensibilidade de democrata e  respeitador profundo de todas as disposições estatutárias em vigor no meu Clube.

Rejeito por isso, em absoluto, todas as lágrimas, baba e ranho de certas virgens ofendidas com as legítimas decisões tomadas pelo CFD e ontem ratificadas, sobre a expulsão de Godinho Lopes e a suspensão de Luís Duque, no seguimento do comunicado também ontem mandado publicar no site oficial do Sporting Clube de Portugal por aquele orgão, no pleno e legítimo uso das competências que lhe estão cometidas e como já referi, me merecem todo o crédito e confiança.

Dentro daquilo que está estatutariamente estabelecido a nível interno do Clube e, fora desse contexto, na arquitectura legal do estado de direito que Portugal se orgulha de ser há 41 anos, a Godinho Lopes e a Luís Duque, abrem-se todas as portas para a legítima contestação que entendam por bem fazer, cabendo aos organismos competentes decidir, favorável ou desfavorávelmente, sobre as suas alegações e pretensões. Simples e sem o mais pequeno drama, lágrimas, baba ou ranho!...

Tudo o que vá para além disso, será folclore, tipicamente português! Que nunca apreciei e não será agora que alterarei o meu sentido estético.

E o SPORTING continuará o seu caminho! Porque o SPORTING somos nós todos, os sportinguistas!...

ONTEM, HOJE E SEMPRE!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 28 de junho de 2015

Ao ponto de vestir a pele do lobo que não será!...


Pela pena de José Pedro Pinto, jornalista, presumivelmente "católico apostólico romano" dos quadros da Rádio Renascença/Bola Branca, ficámos a saber que todos os "católicos apostólicos romanos" estarão muito preocupados com a inscrição de Jorge Jesus como treinador principal do Sporting Clube de Portugal. A fazer fé  nos atributos matemáticos deste presumível "católico escriba", a data limite para que o "protestante" Jorge Jesus possa dirigir da área técnica do estádio do Algarve, no primeiro grande derby da época, a sua também "protestante" nova equipa, será 5 de Agosto, faltando ainda por isso uns longos 38 dias, mas os seus, dele e deles, cuidados, serão atrozes e confrangedores.

Não sei se quando o treinador Manuel José foi despedido por incompetência, após a quarta jornada da época 97/98, José Pedro Pinto já sabia ler e escrever. Ou se os quase quatro anos seguintes, quando finalmente o litígio entre o treinador e o Benfica foi resolvido com honra para ambas as partes, terão sido suficientes para ter aprendido a juntar as letras e a rabiscar o "a, e, i, o, u" no papel. Mas sei que quando um presumível imberbe "católico apostólico romano" cospe para o ar, normalmente cai-lhe o cuspe na cabeça.

Mas se, pelo contrário, José Pedro Pinto já era adulto, crescidinho e dominava de forma capaz a língua de Camões, ou até, presumivelmente, ostentava com a habitual jactância de "católicos apostólicos romanos" a sua carteira de jornalista, então recomendar-lhe-ia um urgente teste da doença de Alzheimer e o subsequente tratamento no sentido de impedir que a doença avance até ao ponto em que já não haverá retorno. 

Porque se houve em Portugal processos vergonhosos de "despedimento com justa causa", aquele que o Benfica, na pessoa de Manuel Damásio e o reputado técnico Manuel José, protagonizaram em 1997, logo após a 4ª jornada do Campeonato, jamais será desalojado do primeiro lugar do "ranking da indecência"! Mas a memória de certa gente é tão curta quanto o efémero da sua apregoada glória!...

Mas se, por outro lado,  a fabulosa imagem que em cima publico, fizer algum sentido e puder significar absolutamente o contrário daquilo que presumi, então ver-me-ei forçado a reconhecer que José Pedro Pinto, ou terá exagerado na preocupação, ou se enganou na forma do recado e terá abusado de conceitos religiosos... 

Ao ponto de vestir a pele do lobo que não será!...

Leoninamente,
Até à próxima

Rui Vitória arrepela os cabelos e Jorge Jesus bate palmas!..


"Péssimo profissional. Não corre, não se dá ao grupo, não defende. Maus hábitos. É habitual seguir de directa do casino ou da noite para o treino. É zero. Vai partir o grupo. Muita qualidade técnica, verdade, mas também muito inconsequente. Incompreensível como o Benfica avança para alguém com este perfíl e qualidade."
(Adel Taarabt, in Lateral Esquerdo)

Pelas ilacções que vamos retirando das movimentações do mercado, dá ideia que o Benfica estará a fazer "copy and past" da pepinada que o Sporting fez na época transacta: criatividade zero, opção pelo barato mas com uma fila de mais de uma dezena de atletas de qualidade mais que duvidosa, consequência de um "scouting" que gere interesses alheios ao clube e, como as galinhas, de grão em grão o papo pode ficar cada vez mais cheio de nada, o porta-moedas vazio e Rui Vitória às aranhas.

No Sporting parecem ter aprendido com esse erro colossal. Parece que nunca mais entrarão Shikabalas e Slavchevs  em Alvalade, mas no Benfica a lição de Alvalade parecer ter-lhes passado completamente ao lado. Andavam tão distraídos que acabaram de fazer o mesmo, com a contratação de Adel Taarabt.

E, ironicamente, as grandes diderenças não se ficam por aqui. Ainda ontem no "desastre alemão" do EuroSub21, Jorge Jesus entre os que estiveram em campo e no banco, viu quase uma equipa inteira preparadinha para lhe cair nas mãos, enquanto Rui Vitória, da propagandeada "formação de luxo do Seixal" terá concluído que já foi toda passada a patacos e nada, rigorosamente nada, vai sobrar para ele!... 

Rui Vitória arrepela os cabelos e Jorge Jesus bate palmas!..

Leoninamente,
Até à próxima

Pois é, estão muito caros os melões este ano!...

Chelsea, si valuta un'offerta per Mitrovic dell'Anderlecht

28.06.2015 00.38 di Antonio Gaito  
Chelsea, si valuta un'offerta per Mitrovic dell'Anderlecht


Si complicano i piani del Newcastle per arrivare a Aleksandar Mitrovic, talentuoso attaccante classe '94 dell'Anderlecht. Il giocatore, infatti, secondo quanto riferisce il Daily Mail è finito nel mirino anche del Chelsea che valuta una proposta di 15mln di sterline per sbaragliare la concorrenza.



Não estou a perceber isto! Então o rapaz não era do Carnide desde pequenino?!... Ainda bem que em Alvalade já nos damos por satisfeitos com o Belfodil! É mesmo à nossa medida: baratinho e escusamos de nos meter em altas cavalarias!...

Pois é, estão muito caros os melões este ano! Teremos de nos governar com meloas!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 27 de junho de 2015

Falta um pequeno passo, campeões!...



Há muitos, mas mesmo muitos anos, se calhar desde o longíquo ano de 1966, que não me lembro de ver uma selecção portuguesa de futebol entrar em campo com os tratados do futebol luso debaixo do braço e passar 90 minutos a esfregá-los na cara da sobranceria teutónica como hoje vi no Estádio Andruv, em Olamouc, República Checa. 

Portugal passeou talento e classe, cimentou legítimas aspirações no título europeu e destroçou completamente os "tanques alemães", que levarão anos a esquecer a maior goleada que em todo o sempre sofreram neste escalão.

Quase metade da nossa selecção, sob as camisolas, hoje honradas de forma tão surpreendente quanto sublime, trazia o "leão rampante" tatuado no peito. Dizem os compêndios que esse será o caminho mais curto e correcto para se formar uma selecção. Mas nem sempre os seleccionadores terão o privilégio que agora se deparou a Rui Jorge, de poder fazer isso com a extraordinária Academia Sporting. 

Honra ao Sporting, por continuar a ser o mais fantástico alfobre de talento e categoria do futebol português. A gente vai continuar!... 

Honra a Rui Jorge, pelo discernimento e coragem da sua aposta, não sendo difícil de imaginar quantas críticas em surdina lhe terão chegado. É imperioso que seja capaz de continuar surdo, competente e patriota.

Publico acima aqueles que considerei os melhores em campo, mas deste cantinho envio um orgulhoso e leonino abraço de parabéns a todos quantos ajudaram a escrever esta gloriosa página do nosso futebol.

Falta um pequeno passo, campeões!...

Leoninamente,
Até à próxima

Apenas o funeral da "central de negócios". Nada mais!...


Sporting enterra "central de negócios"

"O Sporting vive o momento decisivo da sua existência e, amanhã, na Assembleia Geral (ordinária), para além da apresentação do projecto de construção do pavilhão João Rocha e da dissolução de um conjunto de sociedades participadas, os sócios ficarão conhecedores das conclusões dos relatórios sobre o Imobiliário, no período compreendido entre 1995 e 2013, isto é, sob a presidência de Pedro Santana Lopes/José Roquette, Dias da Cunha, Filipe Soares Franco, José Eduardo Bettencourt e Luís Godinho Lopes. Foram 18 anos em que o Sporting começou a acumular passivos significativos e a apresentar capitais próprios negativos (passivo superior ao activo) muito relevantes, cuja situação patrimonial se resume do seguinte modo:



Não restam dúvidas de que, nesses 18 anos, o Sporting comprometeu drasticamente a imagem de um clube pujante e competitivo deixada por João Rocha, e não apenas no futebol. Em Dezembro de 1994 – uma das conclusões da auditoria – o património imobiliário do Sporting, sem contar com o valor de construção do Estádio antigo, foi avaliado em cerca de 55 M€ e a dívida financeira bancária estava fixada em 0,6M€; em Junho de 2013, excluindo o valor de construção do Estádio e da Academia, o património é "praticamente inexistente" e, nessa data, a dívida financeira bancária ascendia a 331M€.

Parece claro que uma das causas principais para o desconchavo financeiro em que caiu o Sporting resultou do custo total das empreitadas relativas à construção do novo Estádio e dos seus desvios. Segundo a auditoria, há uma comunicação interna de Abril de 2000, da autoria de Diogo Gaspar Ferreira, segundo a qual o valor estimado era de 106 M€ e o valor executado foi de 170 M€, o que significa um desvio de 64 M€.

A outra causa, não menos importante, tem a ver com o perfil das figuras que chegaram à presidência do Sporting. Um clube desportivo como o Sporting pode orgulhar-se de promover uma cultura eclética, como acontece aliás com outros emblemas representativos do desporto nacional, mas o seu core business é o futebol. O futebol é central, prioritário e um clube de futebol não se pode comparar, genericamente, a uma outra qualquer empresa. O tipo de gestão é diferente. A natureza dessa gestão tem de ser diferente. Porque tudo depende do resultado desportivo no futebol. A equipa mais representativa, olhada como o ponto de chegada de todo um projecto integrado no qual cabem as equipas da Formação, tem de ser tratada com especiais cuidados. Num galinheiro, a atenção não pode estar centrada nas telhas ou nas paredes desse galinheiro mas nas galinhas e nos ovos que elas põem. Essa distracção ou, se se quiser, essa inversão de prioridades (as telhas e as paredes são importantes, mas nada que possa comprometer o investimento nas galinhas e nos ovos) deu cabo do Sporting.

O Sporting transformou-se num clube cuja prioridade passou a ser o património não desportivo, no qual se instalou uma linhagem de dirigentes que fez do clube uma central de negócios, à margem do objecto principal que deve estar subjacente à actividade (desportiva) de um clube de futebol. Isso foi desastroso. A falta de um mínimo de 'cultura futebolística' da esmagadora maioria dos dirigentes que povoaram esse tempo entre 1995 e 2013 colocaram o Sporting à porta da exaustão e da irrecuperação financeira.

Compraram-se jogadores sem um mínimo de critério futebolístico. Milhões e milhões de euros gastos com jogadores de fraquíssima qualidade. A certa altura, o descontrolo era tão grande que o Sporting passou a ser 'o clube das indemnizações chorudas'. O slogan até podia ser: ‘Queres ganhar dinheiro fácil? Vem para o Sporting!'

Não sabemos se estamos 'apenas' perante questões relativas a má gestão, incompetência ou algo mais, e disso se ocuparão os sócios, os dirigentes actuais e, eventualmente, o Ministério Público.

No futebol são muito raros os casos de responsabilização efectiva dos dirigentes, mas este processo, se não servir para mais nenhuma coisa, pode criar a convicção de que jamais se pode olhar para o futebol e para a gestão dos clubes como um território em que tudo é permitido, à luz de inúmeros regimes de excepção. Bruno de Carvalho gerou esse responsabilidade para si próprio e para o futuro."
(Rui Santos, Pressão Alta, in Record)


Nunca fui e já não tenho idade para poder algum dia vir a ser, especialista em matérias e áreas tão vastas e complexas como aquelas que foram abordadas pela Mazars na Auditoria sobre o período compreendido entre 1995 e 2013,  aquele em que o Sporting Clube de Portugal viveu sob as presidências de Pedro Santana Lopes/José Roquette, Dias da Cunha, Filipe Soares Franco, José Eduardo Bettencourt e Luís Godinho Lopes.

Como sportinguista atento e decepcionado, entendi a promessa eleitoral de Bruno de Carvalho, como justa e necessária, para que de uma vez por todas possa ser colocada sobre esse período negro e decepcionante, quiçá tenebroso, uma enorme e pesada pedra.

As conclusões serão apresentadas amanhã e recai sobre os ombros de todos os sportinguistas presentes na AGO, a responsabilidade de, pelo menos e recusando extremismos e alinhamentos que nada terão a ver com o equilíbrio, racionalidade e justiça que sempre nos norteou, ter uma opinião, essa sim, equilibrada, racional e justa.

É para formar essa opinião que deveria servir a Comunicação Social. Na vida, no país, na política, nas artes, no desporto, em tudo o que se quiser e, neste caso particular , no Sporting, deveria ser nos jornais, nas televisões, nas rádios, que o cidadão comum deveria poder matar a sua sede de conhecimento. Mas todos sabemos que não é. Infelizmente, em Portugal, a CS é, quase sempre, um antro obscuro e lodoso de onde saímos ainda mais confusos e sujos.

Porém, e porque não haverá regra sem excepção, se nos preocuparmos verdadeiramente em encontrar fontes recomendáveis em que possamos saciar sem temor a sede que nos abrasa, elas existem. Felizmente.

Esta crónica de Rui Santos terá sido para mim o exemplo paradigmático da fonte que exigia a minha sede de conhecimento sobre a matéria em causa. Foi escrita para aqueles que, como eu, passaram uma vida de trabalho longe da complexidade da gestão das coisas e dos números tratados pela Mazars. Mas que desejam estar informados, de uma forma simples, directa e sem excessivos e incompreensíveis pormenores. Penso que Rui Santos o terá conseguido de forma brilhante. Fico-lhe grato. 

Sinto-me agora mais capaz de formar a mimha opinião. Não quero nem desejo contribuir para o peditório de uma pretensa e absurda "caçar às bruxas". Muito menos alinhar em linchamentos públicos à revelia das leis que regem o país em que vivo. Isso caberá, se assim for entendido por quem tem esse dever e responsabilidade, a outras instâncias, as legítimas e porque vivemos num estado de direito,  em que devemos confiar.

A Assembleia Geral Ordinária de amanhã, não é um julgamento, nem nunca o poderá ser. Apenas o segundo episódio do funeral de um passado triste que a todos envergonha e que poderia e deveria ter sido evitado.  É preciso enterrar bem fundo e o mais rapidamente possível, a "central de negócios" de que, apropriadamente, fala Rui Santos. Sem ódios nem rancores. Apenas no estrito respeito pela legalidade e pelos valores humanos que sempre serão os nossos... 

Com a dignidade que o Sporting e quem o serviu, mal ou bem, nos deverão merecer!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Angelino Ferreira e os vendedores de ilusões!...



O Youtube oferece-nos de quando em vez a possibilidade de não sermos enganados. Numa entrevista à A BolaTV, Angelino Ferreira, sem papas na língua, afirma para quem o escutar com atenção: as quotizações e a bilhética de Porto e Benfica - o Sporting fez a sua reestruturação financeira e apresenta custos mais reduzidos e controlados -, não chegam para pagar o serviço da dívida!...

Angelino Ferreira abandonou o "barco azul"! Ele e só ele saberá porquê, mas depreende-se das suas palavras que o caminho seguido pela Porto, SAD apontava para o precipício, que ele inteligentemente recusou. E com um serviço de dívida incomparavelmente superior ao da colectividade nortenha, para onde apontará o caminho da Benfica, SAD?!...

Prossiga o Sporting Clube de Portugal o caminho que iniciou há pouco mais de dois anos e o tempo se encarregará de demostrar a verdade nua e crua daqueles que continuam a vender ilusões, que em cada hora serão mais difíceis de esconder ou camuflar, pese embora a areia que as "centrais de propaganda de ambos os clubes" continuam a atirar para os olhos dos adeptos.

Uma questão simples de ambliopia e fé, muita fé!...

Leoninamente,
Até à próxima

Jorge Jesus tem em José Pereira um defensor acérrimo!...



Dos meus velhos e saudosos tempos académicos no Porto, entre as muitas histórias de línguas destravadas da mulher nortenha, houve uma que me ficou para sempre na memória.

Contavam que lá por uma qualquer "rua escura" próxima da Ribeira, uma jovem mulher com carteira profissional da mais velha profissão do mundo, se terá travado de razões com uma vizinha, dirigindo impropérios desde a sua janela para a outra que lhe ficava quase em frente, na rua estreita e mal frequentada.

A discussão terá azedado a tal ponto, que a mãe da rapariga terá resolvido dar uma ajuda à filha, aconselhando-a, sensatamente:

"Chama-lhe puta, filha, chama-lhe puta... antes que ela te chame a ti!..."

Esta história conduzia a uma óbvia moral: a experiente mãe, calejada pelas agruras da mesma profissão da filha, sabia que se esta chamasse primeiro puta à vizinha, além do nunca desprezível efeito surpresa, aquela perderia uma importante e decisiva arma na discussão.

Lembrei-me desta história quando ouvi primeiro e li depois, as declarações do excelso e ilustríssimo presidente de ANTF, José Pereira, acerca do complicado processo de rescisão de Marco Silva com o Sporting Clube de Portugal.

Para este impoluto habitante do "pântano", todos os associados da instituição a que preside serão iguais, mas haverá uns mais iguais que outros!...

Jorge Jesus pode continuar a pagar religiosamente as quotas e dormir descansado! Tem ali um defensor acérrimo!...

Leoninamente,
Até à próxima

Jornalismo de merda!!!...



Não acredito nesta capa contraditória, reprovável e sensacionalista do jornal Record!...

Em primeiro lugar se o treinador "aceita receber apenas um terço dos ordenados mas rejeita qualquer restrição laboral", isso significa negociações entre as partes e não a rejeição pura e dura de acordo.

Em segundo lugar se o Sporting contrapõe com a oferta de 1 ano de salários e a proibição de treinar Porto e Benfica,  para além da redução a pó do estúpido argumento que esteve na base da construção da capa, isso significará a pretensão legítima do clube de Alvalade de que, durante esse ano em que se dispõe a pagar o salário ao técnico, não assista à conjugação e soma desses proventos com outros que venham a resultar de um qualquer contrato de trabalho que eventualmente possa vir a ser estabelecido com qualquer dos seus rivais na vigência do período acordado.

Que o jornal construísse uma capa absolutamente igual, substituindo o título bombástico e mentiroso, MARCO RECUSA ACORDO, por outro mais sóbrio e verdadeiro, como por exemplo, AINDA NÃO HÁ ACORDO ENTRE SPORTING E MARCO, compreender-se-ia! Assim, alguém demonstra estar à espera de receber a côngrua pela perfidiosa pressão exercida na opinião pública sobre os dirigentes do Sporting. E obviamente que não serão estes a passar o chegue!...

Jornalismo de merda!!!...

Leoninamente,
Até á próxima   

E venham mais cinco, e dez e muitos sportinguistas!...


Vistas curtas

"O grande problema do campeonato português é ser pouco competitivo. Só três clubes da primeira liga sonham ser campeões. Isso retira a todos os restantes adeptos, receitas e, por consequência, recursos para se aproximarem dessa possibilidade. É um círculo vicioso que acaba por prejudicar todos. Qualquer competição depende, para continuar atractiva, de algum equilíbrio entre os concorrentes. Tudo o que se faça no futebol nacional deve favorecer o reforço dos clubes médios.

É por isso que tenho defendido que os direitos das transmissões televisivas devem ser centralizados e distribuídos conforme os resultados desportivos, permitindo que uma equipa que num determinado ano se afirme tenha um retorno financeiro que a permita continuar esse caminho. Só isto favorecerá o investimento para crescer.

Na Alemanha, em Inglaterra e em Itália a venda de direitos está centralizada. E Espanha acabou de o fazer, através de uma lei do Estado. Ao que parece, a direcção do Sporting aprecia o modelo italiano, que tem em conta vários factores, nem todos dependentes do mérito. Eu gosto mais do modelo inglês. Contam os resultados e a taxa de ocupação do estádio. Parece-me excelente. Ganha quem conquista, não quem se senta à sombra da bananeira de passados gloriosos ou de muitos adeptos.

É isto que espicaça a competição, de que o futebol depende para ser sustentável. Infelizmente, as vistas curtas nacionais estão a encaminhar tudo para uma solução bipartida, em que Benfica e Porto dividem o bolo entre si. Já nem se trata de desprezar os clubes médios, mas de reforçar ainda mais o afunilamento da competição. Só que um campeonato a dois não é um campeonato. São dois jogos por ano em que perdem todos."
(Daniel Oliveira, Verde na Bola, in Record)

Mais uma valente pedrada no charco do futebol português, arremessada por Daniel Oliveira, com a coragem e lucidez habitual e que desta vez nem o seu próprio Clube poupou.

Há muito que também sou partidário do modelo inglês da repartição dos proventos dos direitos televisivos: os clubes deverão receber a compartipação da entidade onde se encontram centralizados os direitos, consoante as suas posições no final de cada época, quer na tabela classificativa, quer no "ranking" das taxas de ocupação dos estádios, sendo que esta deriva sempre do número real de bilhetes vendidos e jamais serão consideradas as "entradas de favor" e as borlas que muitos clubes em Portugal, em momentos mais "aconselháveis", costumam proporcionar aos seus adeptos.

Apenas lamento que Daniel Oliveira não tenha ido mais longe, lançando o alerta aos cidadãos adeptos do futebol em geral e ao Governo em particular, para o "cozinhado" que a "santa aliança" há muito tem a "refugar".

Agora que se avizinham as eleições, a um homem com o peso político de Daniel Oliveira, não seria descabido e muito menos impossível, lançar o repto a todas as organizações partidárias que brevemente se degladiarão na campanha eleitoral que está ai´a rebentar, para que, o "criminoso e mafioso esquema" que levou à constituição de uma "aliança contra-natura" entre Porto e Benfica, seja definitivamente abortado e os partidos se comprometam todos a copiar aquilo que o Governo espanhol, exactamente pelos mesmos motivos, teve a coragem e a honestidade intelectual e política de fazer.

É que nem será preciso inventar nada de novo: bastará copiar linha por linha, vírgula por vírgula, ponto por ponto o modelo que tão bons resultados está a dar na Grã-Bretanha e mandar às malvas o modelo italiano que, à boa maneira latina e mafiosa, por entre linhas direitas e outras tortas, oferece, aos olhos de quem defende a mais pura  e justa repartição, os habituais privilégios a "quem se senta à sombra da bananeira de passados gloriosos ou de muitos adeptos". E se o actual poder em Alvalade porventura não estiver de acordo com o modelo inglês, caberá a todos os adeptos sportinguistas que se orgulham de ter rejeitado ainda recentemente a "dinastia de Roquette", por motivos bem próximos do modelo italiano, de o voltarem a reafirmar, corrigindo a trajectória de quem assim não o entender.

Tenho para mim a convicção de que este terá sido apenas o "primeiro round" de um duro combate que teremos pela frente. E que Daniel Oliveira nele não terá pretendido desperdiçar todas as munições. Se tiver sido essa a sua intenção, eu estarei sempre com ele nas trincheiras.

E venham mais cinco, e dez e muitos sportinguistas!...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Oh Maxi, o melhor mesmo é começares a penasr em aceitar uma proposta do Sporting!...


Maxi Pereira vai para o Sporting

"A possibilidade de Maxi Pereira se tornar jogador do FC Porto ameaça ser o tema deste defeso, o que é surpreendente se tivermos em conta a forma como Jesus se passou para o outro lado da 2.ª circular.

Quanto a Jesus, fez ele muito bem! Quando o Benfica deu a entender que, após a conquista do bicampeonato, lhe queria dar como prémio um desconto no ordenado, só havia mesmo um caminho: procurar emprego noutro lugar. Situação apenas agravada quando Jorge Mendes e Luís Filipe Vieira praticamente quiseram empurrar JJ para um avião com destino às arábias…

Podem argumentar que Vieira fez, há dois anos, por Jesus o que Maomé fez por Alá, dando-lhe confiança quando todos o queriam ver apenas a arder na fogueira do inferno. Ok. Mas, como diz um conhecido treinador da nossa praça, especialista em tautologia, uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

Aquilo que hoje os adeptos do Benfica sentem por Jesus é comparável ao que os adeptos do FC Porto pensam da possibilidade de Maxi Pereira se tornar jogador portista. Não vou aqui reproduzir os nomes já usados para caracterizar esta situação mas quer-me parecer que nesta altura Pinto da Costa estará tentado a mudar o chip. O que foi feito até aqui não foi bluff mas, lá está, nos tempos que correm há que estar atento à forma como sopra o vento, especialmente nas redes sociais que até o líder e criador dos dragões deve frequentar (já o vi com um tablet!).

Maxi tem 31 anos e está próximo do seu fim de ciclo. Foi um jogador muito importante para o Benfica e para os benfiquistas. Apesar de ser um susto a defender, ataca como outro lateral não ataca no nosso campeonato. E até marca uns golos.

Se o lateral direito uruguaio transitar para o FC Porto, é certo: vai comprar duas guerras.

Uma com os adeptos do Benfica.

Outra com os adeptos do FC Porto.

Vendo bem as coisas, o melhor seria começar a pensar em aceitar uma proposta do Sporting.
(Eugénio Queirós, Bola na Área, in Record)


Quer-me parece que para além da tão característica e aplaudida faceta humorística de Eugénio Queirós, estaremos a assistir ao nascimento de uma nova estrela da prestidigitação, acérrimo seguidor do lema, "com a verdade me enganas"!...

Claro que este excelente jornalista ainda não terá interiorizado bem os sarilhos em que se estará a meter. Aos prestidigitadores, o "pântano do futebol" nunca deu acesso e os tribunais sempre fizeram tábua rasa dos seus prognósticos, veja-se o caso do "Apito Dourado". Mas o homem parece-me "enxertado em corno de cabra" e nunca me constou que lhe tremessem as pernas, nem com a bexiga cheia. Por isso, quem o pretender desafiar, que lhe meça primeiro a largura das costas.

Eu por mim, terei de confessar que cada vez mais o aprecio. E, neste caso em particular, se pudesse, dar-lhe-ia um grande e grato abraço: pela piada e pelo desconcerto que terá provocado! O futebol português está mesmo a precisar de muitos, muitos jornalistas como ele!...

Leoninamente,
Até à próxima

Suficiente para todos os sportinguistas "peregrinos de olhos abertos"!...





Suficiente para todos os sportinguistas "peregrinos de olhos abertos"!...


Leoninamente,
Até à próxima

Por mim, continuarei sem saber se hei-de rir se chorar!...


"A uma semana do arranque da pré-temporada, o Benfica tem oito reforços. Uns já oficiais, outros por oficializar: Éderson, Diego Lopes e Hassan (ex-Rio Ave), Pelé (ex-Belenenses), Marçal (ex-Nacional) e ainda mais três que chegam do exterior – Carcela (ex-St. Liége), Taarabt (ex-QPR) e Bilal Ould Chikh (ex-Twente), um miúdo de 17 anos que é anunciado como o "novo" Robben.

Parecendo que está quase tudo feito, a realidade é que está quase tudo por fazer. Continua a não haver solução, por exemplo, para o imbróglio Maxi Pereira. Não é garantido que Eliseu venha a ser o dono do lado esquerdo da defesa (nem Marçal…). E falta saber, obviamente, se Lima e Jonas vão continuar na Luz. Se um deles sair, ou mesmo os dois, alguma coisa terá de acontecer. A entrada de Mitrovic é uma forte hipótese, mas nunca pelos 15 milhões que o Anderlecht está a pedir. Ou seja, há fortes indícios de que alguns dossiês irão arrastar-se até ao final de agosto. Nada de novo: há um ano foi a mesma coisa.

A única diferença é que, desta vez, também o treinador é novo. Rui Vitória, que hoje começa a trabalhar no Seixal, já deve saber que a definição do plantel vai tardar. Há uns que já chegaram e que não vão ficar. Há uns que vão ficar e que ainda não chegaram. O verão vai ser longo..."
(Nuno Farinha, Entrada em Campo, in Record)



"O FC Porto parte em vantagem. Vai ter poucas mexidas e continua com o mesmo treinador e as mesmas ideias. Tem todas as condições para fugir aos adversários, fazer uma época à FC Porto e terminar com dez ou 15 pontos de avanço. Isso requer trabalho e Lopetegui não precisa de tempo para conhecer o campeonato português e fazer a rotatividade sem excessos. [...]

(Sobre o Porto)Os pequenos erros ditaram a época. A rotatividade falhou da forma como o clube fez. E a derrota em casa com o Benfica marcou a temporada do FC Porto.[...] 

(Sobre o Sporting) Aprecio o que o clube vai fazendo com os jogadores da formação e a maneira como Marco Silva trabalhou e se impôs perante o presidente e o grupo. Mas ainda era cedo e o presidente deveria ter dado mais tempo ao treinador. [...]

(Sobre Jorge Jesus)Acontecerá o que sucedeu com o Marco Silva. O Sporting não vai ser um clube estável. Vai andar lá por cima porque Jorge Jesus a nível táctico é dos melhores, mas não vai vencer porque vai precisar de um ano de adaptação. Os sócios terão de dar tempo ao tempo. A contratação de Jorge Jesus não chega para o Sporting voltar aos títulos.[...]

(Sobre Benfica) O Benfica foi um justo campeão e beneficiou com a eliminação precoce das competições europeias. [...]

(Sobre Rui Vitória) O trabalho que fez em Guimarães é impressionante..."
(Ricardo Sousa, in Bola Branca/RR)

Olhem bem para o meu azar! Ainda me rebolava com as gargalhadas entrecortadas aqui e ali por alguns "cof-cofs" dos malditos cigarros que asininamente ainda vou aspirando,   por efeito da crónica de Nuno Farinha e clicando no site da Bola Branca/RR, aparece-me a entrevista concedida por Ricardo Sousa, o tal que terá passado ao lado de uma grande carreira, dizem por aí as más línguas, apenas porque terá confundido os relvados com o pano verde dos casinos!...

E logo a seguir às gargalhadas, humedeceu-se-me o canto do olho, quando pensei na ironia tremenda da vida que estará no facto de nem tudo o que é verde é bonito e porreiro, pá! E que ninguém atire pedras quando tem em sua casa telhados de vidro. E nós, em Alvalade, infelizmente, temos...

Agora, quando decidi contar-vos estas minhas peripécias de hoje, decorrentes deste vício de "nauta" na imensidão das auto-estradas que as poderosas tecnologias nos disponibilizam, já nem sei se hei-de rir se chorar: coloquei num dos pratos da balança o desespero de Nuno Farinha e no outro as pueris tiradas do freguês dos Solverde e o fiel parece ter ficado colado ao zero, inamovível.

Deixo ao vosso critério fazerem ou não nova pesagem. E depois digam-me para onde pende o fiel: se para o lado do Benfica, onde "parecendo que está quase tudo feito, a realidade é que está quase tudo por fazer", com a agravante de "haverem uns que já chegaram e que não vão ficar e outros que vão ficar e que ainda não chegaram", se para o lado do Porto, que "tem todas as condições para fugir aos adversários, fazer uma época à FC Porto e terminar com dez ou 15 pontos de avanço?!...

Porque nem valerá a pena contestar a sabedoria de quem terá passado a vida em busca de um "Royal Straight Flush", em vez de dar o litro nos treinos ao longo de uma carreira pouco mais que pobre, para o talento que o pai lhe ofereceu de borla. Se o Ricardo diz, que com JJ "acontecerá o que sucedeu com o Marco Silva", deveremos dar isso como adquirido: ele sabe do que fala!...

Por mim, continuarei sem saber se hei-de rir se chorar!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE