sábado, 13 de junho de 2015

Bem-aventurados sejam os pobres de espírito!...


"... Bruno de Carvalho fez muito mal em não assumir o ónus financeiro do afastamento de Marco Silva do comando técnico do Sporting. As divergências eram insanáveis? Aceita-se. Era preciso redefinir o projecto? Aceita-se. O que não se aceita é esta fuga às responsabilidades, principalmente quando se percebe que a factura pode aparecer mais tarde ou mais cedo. É que a contratação de Jorge Jesus teria ainda muito maior impacto se não fosse essa mancha."
(Rui Santos, Pressão Alta, in Record)

O pensamento que Rui Santos deixa transparecer na sua habitual crónica Pressão Alta, hoje publicada no jornal Record, supreendeu-me na exacta medida em que constituirá um alinhamento que eu não julgaria possível com as posições mais espúrias que, sem surpresa, têm vindo a público por parte dos habituais críticos, próximos ou remotos, da política estratégica do Sporting e de tudo quanto emana do clube de Alvalade. E passo a explicar porquê.

Torna-se hoje muito claro que, acalmado o pó da inusitada "explosão atómica" que abalou os brandos costumes do futebol português, centrada na tempestade tropical a que foi dado o nome de Jorge Jesus, a estratégia do Benfica pensada e elaborada por Luís Filipe Vieira mai'los "seus fiéis acólitos internos e externos", assentava numa sucessão de etapas, cuja implementação ficaria sempre dependente do sucesso ou insucesso da primeira ou da imediatamente anterior:  

A - Renovar com Jorge Jesus, baixando-lhe significativamente o salário.

B - Perante a impossilidade de alcançar A, desterrá-lo para um qualquer "paraíso futebolístico" o mais longínquo possível das duas alternativas possíveis em Portugal.

C - Falhados os planos A e B, contratar Marco Silva.

D - Falhado o plano C, contratar Rui Vitória. 

Como sempre acontece com aqueles que se presumem como "os mais infalíveis do mundo", menorizando e quantas vezes ridicularizando sistemáticamente a inteligência, a sagacidade e a coragem alheias, nunca foi admitido sequer que ao Sporting fosse permitido ter, também ele, a sua própria estratégia. Mas, porque aos dirigentes do Sporting a Natureza e a dolorosa experiência de Vida neste pantanosso meio que é o futebol português, também concederam alguns atributos intelectualmente suficientes, Alvalade também tinha a sua estratégia, consubstanciada num idêntico escalonamento de etapas:

A - Contratar Jorge Jesus, ao mais pequeno indício de fragilidade nas negociações a decorrer no outro lado da rua. 

B - Perante a impossilidade de alcançar A,  partir para a contratação de um novo treinador cujo perfil se adequasse aos objectivos sempre reclamados.

C - Rescindir com Marco Silva no tempo e no modo julgado mais adequado à prossecução de A e B, sem jamais deixar de descurar A, B e C. agindo sempre em absoluta, inflexível e incontornável conformidade.

Ora chegados aqui, que tipo de "asas de anjo" Rui Santos e todos aqueles que acusam o Sporting de falta de ética, pretenderão colocar nos seus próprios ombros?! Andamos todos a brincar ao futebol em Portugal, ou pretenderá toda essa gente chamar de estúpidos os dirigentes do Sporting Clube de Portugal?! Francamente! Parece que os únicos dirigentes inteligentes, sagazes e lúcidos em Portugal, moram lá para os lados da Luz ou das Antas! Na savana de Alvalade toda essa "respeitável gente" apenas parece ver acampada uma imensa récua de burros ou uma celestial legião de anjinhos!...

Mas, irónica, descroçoante e quase vergonhosamente, depois da demonstração magistral da perspicácia e inflexibilidade demonstrada pelos dirigentes leoninos, será detectar nas nossas próprias hostes, o desfile de uma burrada que se julgaria inimaginável. Ou será que Rui Santos, com aqueles que defendem tese semelhante e mais a burrada de sportinguistas que vão por aí desfilando, ainda não terão conseguido entender ou perceber, que o passo seguinte de Marco Silva, depois de embolsar a generosa indemnização que tão asininamente continuam a defender,  seria dado na direcção da Luz, onde seria recebido com honras de herói e assinaria o contrato de três anos com mais um milhão por época, que há muito estaria redigido?!

Creio que haverá apenas uma voz discordante, no meio do alarido ensurdecedor que por aí se vai ouvindo: Rui Vitória! Esse, sem que alguma vez se tenha pronunciado, estará eternamente grato a Bruno de Carvalkho.

Bem-aventurados sejam os pobres de espírito! Deles será o reino dos céus!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. Sem tirar nem pôr, concordo com todo o seu raciocínio, amigo Álamo.
    Atrevo-me, até, a colocar em forma de pergunta, o passo que iria ser dado, mal houvesse acordo treinador/Sporting: como reagiria, o que diria, o que escreveria toda essa malta "pura", sedenta de ética, se BdC avançasse com a indemnização e o carnide, no dia seguinte, anunciasse um acordo com o "despedido"?
    Pois a falta de ética deve estar mesmo no impedimento da glorificação de Vieira !

    ResponderEliminar
  2. Já o afirmei e mais de que uma vez, que por mim...preferia que MS não tivesse saído assim (no entanto aguardo o que há-de vir e logo se vê como as coisas terminarão...)...

    Mas também (e mesmo sem saber o teor da nota de culpa...), estou convencido que pode muito bem ter existido aquilo a que se pode chamar "uma boa jogada" da parte de BC...é que "o impacto" seria outro se o Vieira pudesse ter recorrido de imediato à contratação de MS...mesmo deixando o RV "morrer na praia"...
    Mas isso talvez até "nem conte muito" para esses lados, porque quem tem de se preocupar ou não com essas questões de ética...é o Sporitng...!!

    Abr e SL

    ResponderEliminar
  3. Amigo Álamo, não sei qual a cor clubística de RS, mas pelo que deduzo do texto, está como o resto da lampionagem, lixado com o desfecho do despedimento de MS, pois os planos deste ir para a luz saíram gorados, desde o momento em que BdC tornou pública a questão do desconhecimento do orçamento para 2015/2016 os nossos inimigos esfregaram as mãos de contentamento, isso fez com que a bomba tivesse rebentado com mais "estrondo" aqui subestimaram a perspicácia e inteligência do nosso presidente e isso foi-lhes fatal, pois não só ficaram sem o JJ, como o viram ir para o rival, e além disso foram impedidos de contratarem MS, por isso amigo, só podemos esperar um ódio cada vez maior, e uma sede de vingança incontrolável, por parte dos nossos inimigos, que vai ser um ano difícil para nós, com todos contra, isso já sabemos...Acredito que apesar de todas as contrariedades vamos conseguir fazer uma época brilhante.....

    SL

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE