quinta-feira, 18 de junho de 2015

Daniel Oliveira, um leão de confiança!...


Contagem decrescente

"Enquanto vende jogadores (Cédric é só um), se prepara para comprar outros, arruma a casa (com Augusto Inácio a ter direito a uma prateleira dourada) e continua às voltas com um ajuste de contas desnecessário com Marco Silva, Bruno de Carvalho prepara-se para o mais difícil dos embates: a divulgação dos resultados da auditoria, na Assembleia Geral de 28 de Junho. Ilegalidades relativas a passes de jogadores e, ao que se garante, na gestão imobiliária prometem fazer correr muita tinta e causar muitas dores de cabeça a quem, nos últimos vinte anos, deixou o Sporting pronto para fechar as portas. Uma coisa é o que se diz outra é o resultado final. Mas sei que, pela primeira vez, um clube vai fazer tal striptease. Pela primeira vez as suspeitas de sócios e adeptos serão confirmadas ou desmentidas. E há muito sportinguista de conveniência a achar que o ideal seria deixar tudo como estava: bem fechado nas gavetas de Alvalade.

Devo dizer que o meu interesse nesta auditoria ultrapassa em muito o meu sportinguismo. Ultrapassa até o meu interesse pelo fenómeno desportivo. Ele é cívico. Porque sei, sabemos todos, como se cruzam no futebol os interesses da banca, do imobiliário e da política. E como esses interesses trabalham na sombra, muitas vezes à margem da lei. A auditoria pode vir a ser, espero que seja, um abanão. Não apenas no Sporting. Mas também no futebol e, já agora, no País. É-me por isso impossível olhar para o cerco que foi feito a Bruno de Carvalho, por causa do caso Marco Silva, sem me recordar que o relógio está em contagem decrescente para dia 28. E por isso, apesar de todos os erros, não me engano quando distingo quem erra e quem, pelo contrário, foi sabendo acertar no que lhe convinha."
(Daniel Oliveira, Verde na Bola, in Record)


Creio que muito dificilemente algum dia serei capaz de traduzir em palavras a admiração e o profundo respeito que, como cidadão do país que também me viu nascer, me merece a figura de Daniel Oliveira. E o orgulho e a tranqulidade de o saber sportinguista inteligente e lúcido.

Quantos clubes se poderão orgulhar de contarem nas sua fileiras com um apaixonado adepto desta estirpe?!...

Em cada dia que passa, perante cada novo desafio que ao Sporting Clube de Portugal é colocado, já começa a ser lugar comum na minha mente, reservar a minha opinião até que Daniel Oliveira diga de sua justiça. Não me lembro de alguma vez estar distante das suas posições. Chamem-me o que quiserem, mas Daniel Oliveira há muito que é o mar onde desaguam tranquilamente todos os meus sobressaltos e desassossegos. E, ainda que agora e aqui não venha ao caso, nem só no Sporting. Quem me acompanha no meu outro blog, sabe do que falo!...

Porque é um leão de confiança!...

Leoninamente,
Até á próxima

5 comentários:

  1. Caríssimo Álamo:
    O Daniel Oliveira é sportinguista, mas é também filho do grande Poeta Herberto Hélder.
    Para desviar a atenção do futebol, fica aqui um dos seus poemas:
    São claras as crianças como candeias sem vento,
    seu coração quebra o mundo cegamente.
    E eu fico a surpreendê-las, embebido no meu poema,
    pelo terror dos dias, quando
    em sua alma os parques são maiores e as águas turvas param
    junto à eternidade.
    As crianças criam. São esses os espaços
    onde nascem as suas árvores.

    Enquanto as câmpanulas se purificam no cimo do fogo,
    as crianças esmigalham-se.
    Seu sangue evoca
    a tristeza, tristeza, a tristeza
    primordial.
    - Enlouquecem depressa caídas no milagre. Entram
    pelos séculos
    entre cardumes frios, com o corpo espetado nas luzes
    e o olhar infinito de quem não possui alma.

    Seu grito remonta ao verão. Inspira-as
    a velocidade da terra.
    As crianças enlouquecem em coisas de poesia.
    Escutai um instante como ficam presas
    no alto desse grito, como a eternidade as acolhe
    enquanto gritam e gritam.

    - É-lhes dado o pequeno tempo de um sono
    de onde saem
    assombradas e altas. Tudo nelas se alimenta.
    Dali a vida de um poema tira
    por um lado apaixonamento; por outro,
    purificação.
    Nelas se festeja a imensidade
    dos meses, a melancolia, a silenciosa
    pureza do mundo.

    Quem há-de pensar para as crianças, sem ter
    espinhos nas vozes desertas
    até ao fundo? É vendo-se aos espelhos,
    no seguimento da noite,
    que as crianças aparecem com o horror
    da sua candura, as crianças fundamentais, as grandes
    crianças vigiadoras -
    cantando, pensando, dormindo loucamente.

    Não há laranjas ou brasas ou facas iluminadas
    que a vingança não afaste.
    As crianças invasoras percorrem
    os nomes - enchem de uma fria
    loucura inteligente
    as raízes e as folhas da garganta.
    Aprendemos com elas os corredores do ar,
    a iluminação, o mistério
    da carne. Partem depois, sangrentas,
    inomináveis. Partem de noite
    noite - extremas e únicas.
    - E nada mais somos do que o Poema onde as crianças
    se distanciam loucamente. Loucamente.
    Grande Abraço,
    José Lopes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fica a dever-me a comoção, estimado amigo José Lopes! Por esta nunca esperaria. Mas quem disse que as crianças são incompatíveis com o futebol?!...

      As origens de Daniel Oliveira também foram a origem do meu respeito por ele...

      Grande abraço

      Eliminar
  2. Amigo Álamo, subscrevo o texto de DO, acompanho sempre os seus escritos tanto no desporto como na política, e para ser sincera, raras são as vezes que discordo do se conteúdo, parece-me uma pessoa bastante coerente e isenta nas suas análises....Obrigado ao JL pelo post do poema, assim fiquei mais elucidada sobre as raízes de DO...

    SL

    ResponderEliminar
  3. Estamos todos em 'antecipação' comedida para saber dos resultados dessa tão nobre como eficaz busca pelos arquivos de Alvalade. Queremos saber quem fez o que, em nome de que interesses, quanto embolsou em vez de ajudar o clube que esta gentalha dizia ser o seu...

    Serviram-se do Sporting Clube de Portugal, deixaram-no moribundo, e depois, como 'ratos' que são, abandonaram o 'navio'... Nas últimas semanas têm vindo a terreiro com impropérios e calúnias a Bruno de Carvalho, demonstrando o quão "sportinguistas" são. Contudo, e como diz o ditado "a vingança é um prato que se serve frio", e aí, o NOSSO Presidente, Dr Bruno de Carvalho, deu mais um exemplo de que não é o imponderado e irrascivel como tantos querem fazer crer. Apenas cumpre o que prometeu aos sócios antes das eleições, e agora "doa a quem doer" as verdades saber-se-ão!

    Vamos Sporting Clube de Portugal! Vamos limpar estes 'esqueletos do armário de Alvalade' por forma a encararmos o presente e o futuro com a esperança, mas também com o realismo que esta Direcção nos devolveu!

    ORGULHOSAMENTE LEÃO!

    Aquelas calorosas Saudações Leoninas

    ResponderEliminar
  4. Estou tão ansioso pela AG, pelos resultados da auditoria como do inicio do campeonato !!!

    Bem. Igualmente ansioso pela decisão do TAS

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE