quinta-feira, 11 de junho de 2015

O resto são... "peaners"!...


O que interessa

"Se Bruno de Carvalho mandasse embora Marco Silva sem um nome forte para o substituir não durava um dia perante o ataque violento de opositores internos que têm um grande poder nos media. Como conseguiu, aqueles que venderam e faliram o clube e que agora querem defender o seu bom nome passaram a contestar a forma como despediu o treinador. Até o ministro da Economia, que na política defende o despedimento fácil, veio por uma vez a terreiro em defesa de um trabalhador. Gosto da forma como Marco Silva está a ser despedido? Nada. Mas não deixo de notar que centenas de milhares de trabalhadores desprotegidos não contam, quando são despedidos, com tão amplo movimento de solidariedade.

Sabendo o que sabemos hoje, é evidente que Marco Silva não podia ficar no Sporting. Por culpa sua, de Bruno de Carvalho ou dos dois, já não havia uma relação civilizada e leal entre treinador e presidente. E, quando isto acontece em qualquer clube, sai o treinador. O presidente eleito só pode ser despedido pelos sócios.

Com as relações como estavam, Marco Silva queria mesmo continuar a trabalhar com Bruno de Carvalho? Se sim, é pouco sensato. Se não, estamos apenas a discutir quanto tinha de receber para sair. E isso será decidido em tribunal. Até lá, tenho outros assuntos que me apoquentam: Como vai Jorge Jesus corresponder à estratégia de valorizar jogadores da formação? Ou estamos perante um novo ciclo? Se sim, que condições tem o Sporting para o iniciar? Haverá dinheiro para as correspondentes contratações? E como fica a Academia? É isto que me interessa. Marco Silva, que não é um trabalhador desprotegido, saberá, como soube Jorge Jesus, tratar da sua carreira e defender os seus legítimos interesses. Quanto aos que querem reconquistar o poder em Alvalade, seria melhor concentrarem-se no que interessa ao Sporting."
(Daniel Oliveira, Verde na Bola, in Record)

Que me perdoem todos os sportinguistas que teimam em ficar amarrados à ética  - ou à falta dela - , que esteve subjacente ao despedimento de Marco Silva, quando o país em que vivemos se viu obrigado a suportar um contingente de despedimentos e consequentes desempregados, que chegou a rondar o valor astronómico de um milhão. Será que todos os milhares de entidades patronais que promoveram essa verdadeira hecatombe nunca antes vista, eram constituídas por gente sem ética, valores e princípios?! Ou tudo terá sido consequência de erros de governação passados, sublimados por um governo que não soube, ou não quis, ou não estava interessado, em governar para os mais desprotegidos?!...

Daniel Oliveira tem razão. Ou Marco Silva foi "pouco sensato" ou estaremos "apenas a discutir quanto tinha de receber para sair". E isso serão coisas para serem decididas em tribunal. Como todos os trabalhadores despedidos neste país tiveram de fazer. A uns foi dada razão e a muitos outros não. Porque teria Marco Silva de ser diferente dos outros?! E que justificação terá a onda de solidariedade que terá granjeado entre leões?! E porque terei eu de ser solidário com um trabalhador do meu Clube, que não conhecia de lado de nenhum antes de lhe concederem a honra de pisar Alvalade e me revolte contra o presidente que ajudei a eleger, só porque cometeu o "criticável acto de gestão" de defender os interesses do Clube que o escolheu para assumir essa responsabilidade?! Já não suporto ouvir falar de ética num país como o nosso! Estou farto!...

O que me interessa e me leva a estar de corpo e espírito com o pensamento de Daniel Oliveira, será: "... Como vai Jorge Jesus corresponder à estratégia de valorizar jogadores da formação? Ou estamos perante um novo ciclo? Se sim, que condições tem o Sporting para o iniciar? Haverá dinheiro para as correspondentes contratações? E como fica a Academia?" Isso sim, isso é que me interessa...

O resto são... "peaners"!...

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. A realidade do futebol português... leia e reflicta

    http://vencebeiramar.blogspot.pt/2015/06/entrevista-alan-mota-parte-2.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao caro "VenceBeiramar", quero afirmar que vivi em Aveiro entre os 13 e os 25 anos e ali estudei até aos 18. Assisti e festejei a subida à 1ª Divisão, pelas mãos de Anselmo Pisa, era amigo pesoal de muitos dos jogadores de então e fiquei sempre com o "beiramarzinho" no coração, apesar de sportinguista profundo.

      É com mágoa que assisto ao que se passa no Beira-Beira. Mas se há culpados, os sócios estarão sempre na primeira linha. Como no país que somos, o voto será sempre a arma mais importante que temos nas mãos. Sei do que falo, porque o meu grande amor, o Sporting Clube de Portugal, também já passou por isso e foram os associados que o salvaram.

      Normalmente não publico comentários, fora do contexto, como o seu. Mas hoje o coração ordenou-me que publicasse. Espero que a divulgação ajude.

      Abraço e Saudações Leoninas

      Eliminar
  2. Amigo Álamo, como sempre um excelente texto, subscrevo todas as palavras, suas e de DO, as minhas preocupações tb estão inseridas, no seu último parágrafo, e é aí que se devem centrar todas as preocupações dos sportinguistas, qt ao resto é tudo acessório...
    Não me admira o apoio que MS conseguiu dentro da esfera Sportinguista, porque eu própria tb me deixei levar na onda, através das suas falinhas mansas, aliás foram vários os comentários que escrevi aqui no seu blog, a defender MS, mas tive o discernimento suficiente para admitir que errei tal como vários sportinguistas o fizeram, hoje acredito que só aqueles que continuam a desejar o insucesso de BdC é que continuam a insistir na mesma tecla ( anteriores governantes e alguns ditos notáveis e outros).
    Qt à actuação de PdL em defesa de MS, foi do mais vergonhoso a que já assisti, simplesmente pq esse senhor faz parte de um governo abominável, com que então não é etico o despedimento de MS e é ético o despedimento de milhares, estes com a agravante de ficarem sem condições de pôrem comida na mesa para os seus filhos (aqui falo com conhecimento de causa), querer comparar o despedimento de MS com os despedimentos que ele próprio tem ajudado a levar a cabo dentro do governo, é um insulto aos portugueses...
    Coitadito do MS, é tão grande a minha compaixão que as lágrimas não param de correr....

    SL

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE