domingo, 14 de junho de 2015

Que o único presidente feliz seja Bruno de Carvalho!...


A morte dos artistas

"Os três artistas líderes do futebol cá do burgo vão enfrentar a próxima época desportiva nos limites do alto risco. Para dois pode ser a morte do artista. Nunca um campeonato teve uma pré- época tão empolgante, nunca a comunicação social tinha tido os holofotes em cima duma transferência como a de Jorge Jesus, nunca presidentes tinham arriscado tanto. Vai ser bom de ver.

Bruno de Carvalho embicou com Marco Silva e foi colocando as pedras no xadrez para o despachar. Mas - um forte mas -, os adeptos sportinguistas demonstraram, em ocasiões várias, apreço pelo treinador e não se inibiram nos fortes sinais de apoio. A vitória, tirada a ferros, na Taça de Portugal reforça a ligação das gentes leoninas com Marco Silva. O presidente, encurralado, sobe a parada e, numa espectacular fuga para a frente, contrata Jorge Jesus. E, assim, obriga-se a ser campeão para que este baralho de cartas não se esboroe. Vai ser lindo.

Luis Filipe Vieira, com o ganhar do bicampeonato e tantos elogios à estrutura, inchou. E vai daí decidiu indicar, como amigo, o caminho da emigração a Jorge Jesus. Ele, presidente, e a tal elogiada estrutura lá estavam para a continuação ou, quem sabe, superior sucesso. Mas o tiro saiu-lhe pela culatra, pois o treinador atravessou a rua e foi para a casa do vizinho das más relações, determinado, no seu turbulento estilo, aos confrontos desportivos. Estamos mortos para assistir.

Lá para norte a vida não está mais morna, Jorge Pinto da Costa, igual a si próprio, manteve a confiança em Lopetegui. Decisão que, apesar da sua incontestada liderança, não parece coisa pacífica, pois o treinador acabou a época sem ganhar nada de nada e debaixo de sonora contestação dos adeptos portistas. Um segundo ano de fracasso será muito difícil de digerir por uma massa associativa muito exigente, como é a do dragão.

Ora, vêm aí tempos de brasa para os três presidentes dos maiores de Portugal. E só um vai ser feliz."
(Alberto do Rosário, Bilhar Grande, in Record)

Fiquei em amena cavaqueira com os meus botões, depois de ler o texto de Alberto do Rosário. E nem eu e muito menos eles, os meus circunspectos mas sempre optimistas botões, compreendemos a razão, ou as razões que o levaram a não rematar a crónica com o leonino desejo de que...

O único presidente feliz seja Bruno de Carvalho!...

Leoninamente,
Até à próxima

Sem comentários:

Enviar um comentário

PUBLICIDADE