quinta-feira, 18 de junho de 2015

Cada benfiquista resolve a sua raiva com pode e é capaz!...


"Na semana passada, na revista "Visão", Pedro Norton revelou que dera licença aos seus filhos para uma semana de palavrões livres em casa. Por causa da saída de Jorge Jesus para o Sporting, os miúdos puderam dizer tudo, mesmo tudo, aquecendo as orelhas do treinador dissidente. Obviamente, trata-se de família de benfiquistas (benfiquistas da categoria extrema, a dos malucos pelo Benfica) e o texto, que é divertidamente delirante, agradece também a Jesus tudo o que fez no Benfica, jurando a maior antipatia possível no futuro.

Cada benfiquista resolve a sua raiva da forma como pode, mas suponho que a maioria deles (ou, sendo completo, a maioria de nós) a transforma em desejo de vingança. Não no sentido de fazer mal a Jesus nem sequer ao Sporting, mas vingar o orgulho benfiquista, que foi brutalmente ferido com esta saída do treinador de um lado para o outro da Segunda Circular, em Lisboa. Ora, essa vingança vem de ganhar ao Sporting na Supertaça, nos jogos do campeonato e sobretudo ser campeão na próxima época.

É também por isso que a próxima temporada, mesmo que com plantéis mais baratos, vai ter uma rivalidade vitaminada. E Rui Vitória vai ter uma pressão tão alta na Luz como Jorge Jesus em Alvalade.

No meio da polarização desta rivalidade, o FC Porto saiu das discussões e isso pode até nem ser mau para a equipa nortenha. Lopetegui, que, como o "DN" lembrava esta semana, é o único treinador das seis equipas melhor classificadas esta época que fica, não tem os focos sobre si. E no entanto, já se deve ter rido muito desta transferência de Jesus. Aos palavrões. E durante mais do que uma semana."
(Pedro Santos Guerreiro, Abrir o Jogo, in Record)

Agora, depois de PSG declarar com inteligente elegância, preto no branco, a sua afeição clubística e assumir sem peias ou tergiversações a sua raiva, que não é nem nunca poderia ser para um homem com o seu carácter, "fazer mal a Jorge Jesus nem ao Sporting", já posso dormir descansado: há pelo menos um benfiquista digno, decente, com elevação suficiente para não dizer que dorme com a minha irmã, só porque "leoninamente" aqui defendo com garras, unhas e dentes o meu grande amor: o Sporting! Bem contra o meu mais profundo desejo sempre me conheci como filho único, e jamais confundirei o clube de Carnide com a multidão ululante e primária que colocou Jorge Jesus nos cornos da Lua e agora o baixou aos infernos e vive de violações imaginárias de irmãs e mães de leões!...

Júlio Machado Vaz e Pedro Santos Guerreiro encabeçam uma felizmente longa lista de benfiquistas a quem respeito. O resto serão quase 6 milhões de inclassificáveis e irracionais fanáticos e energúmenos vesgos ou amblíopes! Uma pena, mas a dura realidade é esta, sem que alguma vez me passe pela cabeça pensar que o universo leonino é um paraíso de virtudes! Mas creio que a diferença continua a ser abismal! Uma simples questão educacional, quiçá cultural!...

Leoninamente,
Leoninamente

16 comentários:

  1. Mas creio que a diferença continua a ser abismal!

    Claro que continua. Este país tem um problema sério civilizacional em quase tudo. Do trânsito ao pagamento de impostos, do respeito pelos lugares de deficientes até às filas nos supermercados.

    E depois, no futebol há uma diferença abismal.

    Acho que já tem idade para mais que isso.

    Infelizmente, a maioria dos adeptos de futebol são o reflexo do que são enquanto pessoas em tudo o que fazem e são na sociedade.



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse será um ângulo de observação algo diferente daquele que pretendi abordar, mas não me custa reconhecer que "os adeptos de futebol são o reflexo do que são enquanto pessoas em tudo o que fazem e são na sociedade."!...

      Eliminar
    2. Álamo,

      grande parte do País assistiu no passado Domingo, em directo e ao vivo, ao expressar do que é o actual 'sportinguismo'.
      Uma excelente demonstração de respeito e boa formação desportiva e pessoal, do rapazola das claques e comum à grande maioria dos lagartos, perdão, adeptos do Sporting.
      Sois realmente diferentes. E como derrotados, cada vez mais. Para pior, muito pior ... !!!

      Eliminar
  2. Agora?

    Há anos que ele o escreveu em editoriais do Jornal de Negócios...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O anónimo está "cheio" de razão: há anos que Jorge Jesus se passou de armas e bagagens da Luz para Alvalade! Bem aventurados os pobrezinhos de espírito...

      Eliminar
  3. Raiva de ser bicampeão nacional...não sei o que é isso

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada um come "urtigas" da maneira que lhe dá mais jeito...

      Eliminar
  4. No seguimento do raciocínio considero Ricardo Araújo Pereira um dos fanáticos 6 milhões... Mas mesmo esse inclassificável, irracional fanático e energúmeno vesgo ou amblíope disse uma grande verdade... empurraram o Jesus para fora da luz!
    Não se percebe sinceramente... se a culpa dele não continuar lá é deles vêm para o nosso lado chatear porquê?

    O presidente deles não esteve bem, o nosso é que é um malandro...
    A Isabel dos Santos enquanto andou a meter dinheiro lá nunca houve problema, o Sobrinho com o seu dinheiro angolano sujo é que é um malandro...
    O Passos Coelho manda emigrar, ou diz que sim e depois diz que não, o Jesus não quer emigrar é um malandro...
    O Jesus na luz ajudou a manter o barco à tona a potenciar vendas de milhões, em Alvalade vai afundar tudo com os milhões que vai ganhar...
    O rui vitória já superou em muito a popularidade da águia vitória... Podiam juntar o treinador e a águia e cantar em coro "Vitória, vitória acabou-se a história". Nós cá deste lado cantávamos em coro "Maravilha, maravilha têm o cérebro de uma ervilha, larguem-nos lá a braguilha".

    Às tantas penso que o cérebro das galinhas não tem ligação entre os dois hemisférios... Não ligam a parte racional à emocional. Outras vezes penso que não têm cérebro sequer... é que elas continuam a andar mesmo depois de perderem a cabeça...
    Enfim, deus que faça mas é o diabo parar com as tentações que nós não somos o JOB!
    SL
    Basco "O Leão"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Basco "O Leão", mais palavras para quê? São apenas... benfiquistas!... Mas faz-me uma enorme confusão cairem aqui em Leoninamente às centenas e centenas, diáriamente, quantas vezes várias vezes por dia! Porque será?! Faz-me pena ver tanta gente "sem abrigo" acolher-se nesta nesga de savana! Fariam as delícias de muitos blogs benfiquistas, que não vão além de umas dúzias de visitas diárias, Às vezes sinto que os habitantes de Lampeduza devem viver momentos semelhantes àqueles com que quase diariamente sou confrontado!...

      SL

      Eliminar
  5. Meu caro, eu como Benfiquista, gostaria de ser informado, se para isso tiver paciência, como chegou á conclusão que essa diferença a que alude é abissal ( juro que não o quero corrigir, é apenas a expressão mais concordante, e já agora mais bonita)! Talvez pura fé, ou crença, quiça crendice?
    Saudações Desportivas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O comentário do caro "chakra indigo" poderá apenas pretender discutir a questão linguística, uma vez que eu utilizei o vocábulo "abismal" e o caro contrapôs com "abissal".
      Com a paciência que a educação me impõe, dir-lhe-ei que utilizo abismal sempre que pretendo significar algo relacionado com o abismo existente entre duas posições quase antagónicas e abissal se pretendo referir-me a algo relacionado com profundidades marítimas. Mas creio que ambas poderiam ser perfeitamente utilizadas no meu texto, se lido por alguém com suficiente elasticidade mental.

      Mas como algo me diz que o seu comentário tenha eventualmente pretendido explorar uma outra vertente do pensamento que exprimi no texto, complementarei com a explicação da razão fundamental que me levou a dizer que "há uma diferença abismal entre os sentimentos dos adeptos sportinguistas e benfiquistas": os sportinguistas, nos quais sem pruridos de qualquer espécie me incluo, nunca esconderam a sua admiração pelos ímpares atributos técnicos de Jorge Jesus, ao longo dos seis anos em foi treinador do Benfica, enquanto para os adeptos benfiquistas bastou Jorge Jesus transferir-se para o Sporting, para passar a ser o mais vulgar dos treinadores!...

      A "pura fé, ou crença, quiçá crendice" que refere, vejo-a muito mais ligada à forma de ser e estar dos adeptos benfiquistas, que não dos sportinguistas como me pareceu pretender dizer! Argumentará que sempre houve e haverá honrosas excepções que confirmam a regra e eu concordarei em absoluto, até pela simples razão de que fiz a isso referência no meu texto. Mas aquilo que pretendi foi expressar a minha opinião sobre a generalidade dos adeptos de um e outro clube. Acredito que o caro tenha opinião diferente, que será tão válida e respeitosa como a minha. Mas também acredito que jamais tomará a árvore pela floresta na irracionalidade de qualquer adepto de futebol e muito menos será sua intenção pretender que o autor de um blog sportinguista pretendesse fazer a apologia das virtudes de um clube rival. Seria demasiado estulto ou então, hipócrita, defeito que procuro combater em cada dia.

      Saudações Desportivas.

      Eliminar
  6. Meu caro Álamo, então na magna questão a que me referi, e do qual pretendia uma conclusão menos empírica, concordamos em discordar. Acredito que é impossível uma conclusão cientifica ou generalizadamente aceite, e também não pretendia adjectivar ou caracterizar a forma de ser e de estar dos adeptos Sportinguistas, porque assim como a dos Benfiquistas, entronca numa diversidade e heterogeneidade assentes na enorme mole que as compõem.

    A explicação que me dá, e que agradeço, se escrita de outra forma, teria a mesma validade daquela que exprime -por exemplo- "os Benfiquistas, nos quais sem pruridos de qualquer espécie me incluo, nunca esconderam a sua admiração pelos ímpares atributos técnicos de Jorge Jesus, ao longo dos seis anos em foi treinador do Benfica, enquanto para os adeptos Sportinguistas bastou Jorge Jesus transferir-se para o Sporting, para deixar de ser o mais vulgar dos treinadores"!...

    Sem estulticia, era este o tipo de fé, ou crendice que pretendia apontar, sem o querer apoucar ou diminuir;é apenas uma simples hipótese académica, que me fará o favor de conceder.

    Agradeço a sua resposta, e pela extensão e cuidado que na mesma colocou, sinto-me distinguido pela atenção.

    Saudações Desportivas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro "chakra indigo", creia que apreciei a sua argúcia, própria talvez de um experimentado jurista nas barras dos tribunais. Mas ela cai pela base como caiu e ainda hoje cai aquela de que se servirão alguns para colocar o ovo de pé. E digo porquê: os sportinguista sempre admiraram Jorge Jesus e roeram-se de inveja durante os seis anos que esteve na Luz! Não mudaram com a sua vinda para Alvalade! Quem mudou foram os benfiquistas e, perdoar-me-à que o diga, por quatro vezes! A primeira quando o receberam com cepticismo, que engoliram, esqueceram e foram festejar no Marquês no fim da primeira época. A segunda, no ano terrífico do "quase", em que só a teimosia e, vamos lá, a corência de LFV, permitiram que continuasse na Luz contra a opinião generalizada e quantas vezes exaltada dos adeptos benfiquistas. A terceira, quando voltaram a adorar o deus Jorge Jesus e com ele celebraram dois títulos no Marquês. A quarta quando atravessou a rua, acompanhado da demonização e declaração de incompetência generalizada, muito bem orquestrada pela famosa "central de propaganda goebbelsiana do arcanjo gabriel"! Por favor, apesar de reconhecer ao caro "chakra indigo" excepcionais dotes de argumentação, poupe-me à negação de tamanhas evidências. Se me argumentar com a irracionalidade própria das massas adeptas, de todas elas, eu ainda que com algum esforço, até poderei aceitar. Mas contra-argumentar com a mesma tese virada do avesso, antecipadamente lhe confessarei que escusa de ir por aí, porque facimente adivinhará a minha reacão de comiseração.

      Claro que esta nossa polémica terminaria no exacto momento em que o caro "chakar indigo" pudesse adoptar a "grandeza moral" de um PSG ou de um JMV. Mas perdoo-lhe o seu benfiquismo irracional como creio me perdoará o meu sportinguismo, também e naturalmente irracional.

      Grato também pela sua resposta, nada comum nas centenas e centenas de comentários de correlegionários seus, que diariamente caem sob a alçada da guilhotina da boa educação e do respeito que nos devem merecer aqueles que circundam á nossa volta e têm o terrível "defeito" de não pensar como nós, para mais num blog que exibe no seu frontispício o lema que me orgulho de ter escrito já lá irão bem mais de quatro anos. Não que me queira aproveitar deste argumento que agora me ocorreu no delicado e repetitivo carregar nas teclas, mas frequento inúmeros blogs benfiquistas, alguns que respeito, estimo e me orgulho do privilégio de sentir reciprocidade e jamais procedi neles, nem vi correlegionários meus procederem, como a grande maioria de centenas de benfiquistas que diariamente aqui vêm verberar os meus textos e insultar-me, a mim e aos meus. Estará aí outra abismal diferença que antes não utlizei como argumento, para não me tornar extenso e enfadonho. A menos que quem pensa assim, pretendesse que num blog sportinguista fosse feita a apologia do rival centenário!...

      Saudações Desportivas.

      Eliminar
  7. Meu caro Álamo, quase me arrepiei ao apressadamente entrever na sua tese uma tripla negação de Jesus, feita, não por Pedro, mas por essa massa sem rosto, e que já tipificou quase sem misericórdia- "os Benfiquistas". Os Benfiquistas, como sabe, são adeptos apaixonados, irracionais no seu Amor ao Clube, perdoam as pequenas misérias do quotidiano por um Bem maior. Para nós, o Benfica tem tudo, só não tem comparação, e creia, sei bem que são sentimentos comuns a qualquer clube.

    O Benfica é grande, glorioso, enorme, é do Mundo, considerado pela FIFA um dos clubes lendários do futebol, Primus Inter Pares,e isso me envaidece.

    Faz parte do meu ADN, como se usa dizer agora, considerar que este estatuto só foi alcançado por ser respeitado e temido pelos nossos rivais, mas também por ter sempre presente que só vencendo grandes como nós, nos engrandecemos. O Sporting CP, é o nosso maior rival, sempre foi apesar da espuma dos tempos, e se não tivesse e contivesse em si a dimensão e o desejo de ser "tão grande como os maiores...", nunca estaríamos a ter esta "conversa", que não sendo olhos nos olhos, assumo como intimista.

    Agradeço o que penso ser um elogio, e retribuo saudando-o desportivamente, e...
    "I rest my case" :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro "chakra indigo", ao contrário de si naquilo que o atemorizou ao "entrever na minha tese uma tripla negação de Jesus", não me surpreendeu a exaltação de fé e crença nos valores intangíveis e inatingíveis do seu Benfica! Ao longo de toda uma vida que felizmente já não será tão curta como eventualmente possa pensar, tive oportunidade de conhecer uma vasta gama de exemplares daquilo que costumo designar como estereótipo benfiquista e das poucas excepções de que me consegui aperceber, citei duas no texto que abriu esta nossa polémica. Porque a generalidade, com mais ou menos educação, com maior ou menor erudição, com menor ou maior modéstia, afina exactamente pelo diapasão que o caro "chakra indigo" se revelou incapaz de controlar neste último comentário que acabo de ler. Não me ofende a jactância dos benfiquistas. Como nunca me ofendeu a jactância dos portugueses quando estabelecem paralelos com quaisquer povos do mundo. Penso que será uma doença endémica cuja vacina poderia perfeitamente ser ministrada nas escolas, se nós não fôssemos... portugueses e os nossos governantes de há séculos não tivessem sido sempre... portugueses!...

      Sabe caro "chakra indigo", quem teve o privilégio, como eu tive, de durante décadas, calcorrear as sete partidas do mundo, está numa posição privilegiada para aferir múltiplos estereótipos de natureza semelhante por esse mundo fora e de construir para si próprio um "ranking" mais ou menos exaustivo, que pouco se afastará da realidade nua crua: da educação e da cultura de um povo resulta a melhor ou pior posição nessa tabela! Que ninguém pretenda bons resultados nos povos latinos, árabes, africanos, americanos e na maioria dos países do Sul ou centro da Europa. Todos sofrem, uns de um modo e outros de modos mais ou menos próximos, da mesma "doença"! As excepções encontrei-as no Norte da Europa e... no Oriente.

      Posto isto, difícil senão mesmo impossível, poder ler um comentário seu, diferente daquele que acabo de ler. O caro padece, com o devido respeito, de uma doença... incurável, que admito lhe possa trazer a felicidade, mas que jamais me conquistará como adepto: quem alguma vez tomou o sabor do absinto, será certo que jamais apreciará aguardente bagaceira!...

      Mas ambos vivemos em Portugal. Aqui nascemos e aqui, eventualmente, morreremos.
      O caro é do Benfica à sua maneira e vê o seu Clube como a coruja vê os filhos! Eu sou do Sporting e vejo o meu clube de maneira diferente, a minha. Penso que não haverá mal absolutamente nenhum nisso se, e sublinho o se; nenhum de nós pretender convencer a outra parte da bondade e da excepcionalidade do seu amor.

      Foi um gosto tê-lo como interlocutor.

      Saudações Desportivas
      E copio-lhe a despedida: "I rest my case"

      Eliminar
  8. Só não concordo com a referência aos 6 milhões. Essa é uma invenção de um jornalista de "A Bola", de há muitos anos e que nunca foi confirmada na realidade. O único estudo que conheço, a esse propósito, foi efectuado pelo SCP, nos tempos de José Roquete. Esta história deverá ser desmistificada, a bem da verdade.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE