quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Quanto tempo mais, Sporting?!...

 
Como era de prever, tendo em conta a nulidade intrínseca da sua existência, por via daquilo que estatutariamente está estabelecido em termos da relevância das suas atribuições e que, juridicamente consubstancia o zero absoluto que sempre envolverá qualquer das suas decisões, a montanha do Conselho Leonino de ontem à noite, parece ter parido um rato.
Ironicamente porém, o conclave de um orgão inócuo e absolutamente destituído de qualquer poder na vida associativa do Sporting Clube de Portugal, que clama pela sua urgente extinção e nada mais representa do que o estúpido afago da vaidade pessoal de grande parte dos seus componentes, conseguiu, aparentemente, pacificar a grande nação leonina.
De facto, mesmo perante a surrealista ausência de 30% dos seus componentes, o Conselho Leonino reuniu, discutiu o que havia para discutir, ouviu aquilo que se adivinhava que ouvisse e... incumbiu quem a ele presidiu, de transmitir às hostes leoninas a sua "decisão" : tudo como dantes, quartel general em Abrantes, com a devida vénia aos abrantinos, que nem são para aqui chamados, com excepção dos sportinguistas daquela bonita região!...
Do que foi dado perceber a este longínquo adepto da causa leonina, dos 42 conselheiros presentes, destacaram-se pouco mais de meia dúzia que terão mostrado um cartão alaranjado a Godinho Lopes. Porém quando o Presidente fez passar pelas mãos de todos eles a "batata quente" que representa hoje em dia a responsabilidade de gerir o Sporting Clube de Portugal, ouviram-se gritos de dor lancinantes e escaldados de cada um que foi recebendo o tubérculo sobreaquecido, que passou rapidamente - pudera! - de mão em mão até voltar à origem. Surpresa?! De quem?! Só se for dos vaidosos e desbocados protagonistas presentes, ou dos papagaios que vão palrando enquanto sobrevoam Alvalade! Aqueles que de há muito se mostram refractários a uma precipitada antecipação de eleições, não ficaram certamente tolhidos pela surpresa. Como muito bem disse aqui um leão que dá pelo nome de Quinta do Duque, "... aborrecido é chegar ao fim do mês todos os meses. Aí é que está o problema. Muitos dos que cantam também sabem que teriam de baixar a calcinha aos mesmos (BES e BCP)...e aqui está um grande problema. Piar cá fora é diferente de estar lá dentro...".
Mas a ironia que retirei do conclave de ontem à noite foi, simultaneamente com o rabinho entre as pernas que detectei nos "conselheiros pavões", que a grande maioria dos sportinguistas conhece, reconhecer que muita coisa ali terá sido dita que, teve porventura o condão de fazer cair Godinho Lopes na realidade, de lhe meter pelos olhos dentro e o fazer reconhecer, que não domina ou o faz muito mal, os meandros complexos do futebol e de que será urgente e inadiável, trazer para o Sporting alguém que o substitua no domínio da trave mestra que suporta e fundamenta o clube que dirige. Estão por aí os ecos desse momento importante também, que se terá verificado durante as longas e polémicas cinco horas de reunião que, afinal, parece ter servido para alguma coisa. Ou não?! Ou será que Godinho Lopes, ultrapassada a "vala ou  o obstáculo" que uma oposição de faz-de-conta ontem lhe colocou, virou-se seraficamente para o outro lado, adormeceu  e continuará a conduzir sózinho, uma nau cheia de rombos, sem o "manager" que prometeu e aqui é referido?!... 
Não sei o que irá na cabeça de Godinho Lopes. Talvez nenhum sportinguista o saiba e o drama do Sporting será esse mesmo. Até quando as "batatas quentes" que queimaram as mãos e a verborreia de meia dúzia de "corajosos conselheiros", serão o suporte da comprovada incapacidade do Presidente, para gerir o suporte e a alma de um clube com a grandeza do Sporting Clube de Portugal ?! Até quando vai durar a paz podre ontem alcançada?! E quanto tempo demorará o Conselho Leonino a ficar prenhe de novo, para parir depois um outro rato?!...
 
Leoninamente,
Até á próxima

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

A mediocridade da equipa e os protestos da Juve Leo

 
 
A claque Juventude Leonina (JuveLeo) do Sporting Clube de Portugal, emitiu um comunicado no seu site e que aqui poderá ser apreciado, que dá conta do seu protesto de, contra aquilo que entendem ser a "mediocridade das exibições da equipa de futebol profissional do Sporting Clube de Portugal que se vem arrastando desde o inicio da presente temporada, situação que não tem paralelismo na centenária história do nosso clube", não ocuparem o espaço que lhes está reservado no estádio José Alvalade nos jogos que o Clube ali realizar, enquanto o "jogadores não honrarem a camisola que envergam".
Crítico que sempre fui, de determinado tipo de atitudes e comportamentos, daquela que considero a claque mais importante do Sporting, tanto em termos históricos, como organizativos, influência e apoio do clube de Alvalade, não deixo de lhe reconhecer toda a legitimidade no protesto que acabam de anunciar. Legítimo também será a todo e qualquer sportinguista, discordar desta forma de mostrar à equipa o desalento e decepção de uma claque. Mas penso que, entre adeptos sportinguistas, desde que respeitados os princípios elementares da civilidade, a paixão que se dedica a um clube, sempre poderá ser evidenciada da forma que cada um julgue mais correcta.
Todos vamos sentir a "ausência" da Juve Leo ! Fazem muita falta os seus cânticos, o seu apoio, aquele espaço de paixão e alegria em Alvalade que, naturalmente, nunca será o mesmo sem a Juve Leo. Mas... quem mais vai sentir esta drástica medida serão, sem sombra de dúvida, os jogadores. Talvez a posição da Juventude Leonina possa vir a dar frutos. Sempre defendi que a aplicação de um castigo, seja ele qual for e sobre quem recaia, só produz efeitos se provocar dor. Imagino o impacto que os jogadores sentirão, ao depararem com aquele topo do estádio vazio, sabendo de antemão as razões que lhe estão subjacentes. Vai mesmo doer, não tenho dúvidas e pode muito bem acontecer que a exibição da equipa contra o Videoton, seja de molde a que a Juve Leo, que estará disseminada por todo o estádio, a fazer fé do apelo que consta do comunicado, de imediato, faça saltar cá para fora, um novo comunicado a saudar os jogadores pela vitória, empenho, colectivismo, esforço e dedicação e a cancelar os propósitos de continuar o castigo. Assistirão os sportinguistas a um interessante diálogo entre a equipa e a a sua claque de apoio mais representativa?! E será que teremos o privilégio de aasistir a uma poderosa reconciliação, num processo que poderá muito bem marcar para sempre a relação dos adeptos com a equipa?!...
 
Leoninamente,
Até à próxima
 

Conselho Leonino a sério, ou faz de conta?!...

Salvador Marques, sócio nº 1 do SCP
 
O Conselho Leonino é composto pelos seguintes membros:

Pelos Presidentes e Vice-Presidentes da Mesa da Assembleia-Geral deste e do anterior exercício ;
Pelos Presidentes e Vice-Presidentes do Conselho Directivo deste e do anterior exercício;
Pelos Presidentes e Vice-Presidentes do Conselho Fiscal deste e do anterior exercício;

Por 50 Sócios Efectivos eleitos pelos associados na Assembleia-Geral Eleitoral;
Pelo Sócio nº1 do Sporting Clube de Portugal
Pelos Presidentes dos Grupos Cinquentenários, Stromp e Leões em Portugal em exercício.

Compete, entre outras coisas, ao Conselho Leonino:

Velar pela observância dos Estatutos;
Exercer as competências que lhe forem delegadas pela Assembleia-Geral;
Tomar conhecimento da proposta de orçamento anual, relatórios de gestão e contas em exercício;
Apresentar sugestões ao Conselho Directivo e ao Conselho Fiscal e Disciplinar.

MEMBROS ELEITOS Eduardo Almeida Catroga | Sócio nº 17.961
João Mesquita Trindade | Sócio nº 550
Paulo Ávila Abreu | Sócio nº 1.888
José Eduardo Sampaio | Sócio nº 22.076
Maria de Lourdes Borges de Castro | Sócio nº 6
Artur da Cunha Rosa | Sócio nº 30
José Vera Jardim | Sócio nº 8.568
José de Sousa Cintra | Sócio nº 4.421
João Barnabé | Sócio nº 522
Vasco Rocha Vieira | Sócio nº 49.370
Manuel Vale Domingues | Sócio nº 183
Carlos Augusto Monjardino | Sócio nº 427
João Ribeiro da Fonseca | Sócio nº 724
Pedro Faleiro Silva | Sócio nº 15.219
José Corrêa de Sampaio | Sócio nº 34.198
António Luiz Neto | Sócio nº 2.448
Manuel Ollero Vidal | Sócio nº 157
Francisco Calheiros e Menezes | Sócio nº 1.641
Miguel Duarte Afonso | Sócio nº 4.542
Augusto Calixto Pires | Sócio nº 311
Luís Borges Rodrigues | Sócio nº 2.757
António Menezes Rodrigues | Sócio nº 8.643
Eduardo Marçal Grilo | Sócio nº 34.451
Vítor Costa Martins | Sócio nº 4.899
Rui Oliveira Costa | Sócio nº 17.905
Luís Filipe Coimbra | Sócio nº 1.803
José Carlos Estorninho | Sócio nº 1.589
Adérito Alves Ribeiro | Sócio nº 1.536
João Correia Duque | Sócio nº 8.571
Nuno Manaia | Sócio nº 15.819
Armando Lacerda | Sócio nº 683
Luís Filipe Carvalho | Sócio nº 43.161
José Diogo Quintela | Sócio nº 23.862
Miguel Horta e Costa | Sócio nº 4.471
Silvino Gomes Sequeira | Sócio nº 2.537
Marta Aragão Pinto | Sócio nº 7.104
Vasco Lourenço | Sócio nº 4.814
Rogério de Sousa Brito | Sócio nº 5.955
António Feu | Sócio nº 813
Mário Máximo dos Santos | Sócio nº 3.897
José Manuel Correia | Sócio nº 7.034
Zeferino Boal | Sócio nº 9.443
João Sousa Martins | Sócio nº 7.330
Jaime Marta Soares | Sócio nº 2.557
Fernando Correia | Sócio nº 261
Nicolau dos Santos | Sócio nº 19.608
Luís Pires | Sócio nº 16.788
José Cazal Ribeiro Carvalho | Sócio nº 6.938
José Manuel Silva e Costa | Sócio nº 17.008
Domingos Pinto Coelho | Sócio nº 3.452

MEMBROS POR INERÊNCIA Carlos Alberto Araújo Sequeira | Sócio nº 313
João Salvador Marques | Sócio nº 1
Rogério Beatriz | Sócio nº 874
Raul Baptista Gomes | Sócio nº 18.135
José Eduardo Bettencourt | Sócio nº 9.472
José Eugénio Dias Ferreira | Sócio nº 2.481
João Mello Franco | Sócio nº 9.945
Agostinho Bento Silva Abade | Sócio nº 567
José Maria Ricciardi | Sócio nº 13.131
Luis Godinho Lopes | Sócio nº 26.547
Aureliano Oliveira Neves | Sócio nº 4.344
José Nobre Guedes | Sócio nº 5.157-1
Eduardo Barroso Silva | Sócio nº 547
Daniel Branco Sampaio | Sócio nº 4.6922

 
Hoje às 21.00 horas, vai reunir no Auditório Artur Agostinho, o Conselho Leonino. É a segunda parte da análise da situação do Clube, que começou a ser discutida a 24 de Outubro.
Desejariam muitos milhares de sportinguistas, que o filme da reunião de hoje, não fosse uma "reprise" dos filmes da famigerada UN/ANP do "estado novo"! Desejaria a grande maioria do universo sportinguista, que hoje tivesse lugar no Auditório Artur Agostinho uma verdadeira e corajosa discussão, do momento actual e do futuro do Sporting Clube de Portugal e que o Conselho nos demonstrasse ao menos só por uma vez, que presta para alguma coisa e que a sua extinção pura e simples seria nociva para a vida do Clube.
Desejariam todos os que sentem e amam o Sporting, poder ler um comunicado final sobre as recomendações que o Conselho decidisse apresentar aos orgãos sociais, no sentido de que sejam dadas respostas a todos os graves problemas que o Clube atravessa, independentemente da "afinação" que possa ou não existir, relativamente ao pensamento dominante nos Corpos Sociais. em vez das meras, inócuas e habituais palavras de circunstância, debitadas com constrangimento e por obrigação, de quem presidir à reunião.
Ou o Conselho Leonino debate verdadeiramente o Sporting e aponta de forma séria e corajosa, caminhos para o futuro do Clube, ou melhor será que se auto-extinga, em vez de continuar a ser o que tem sido: um orgão de faz de conta !!!...
 
Leoninamente,
Até à próxima
 

PUBLICIDADE