segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Tic-tac é o bater do coração do leão...

Gabriel o pensador... leão


Gabriel o Pensador, foi um espectador atento do Feirense-Sporting. O cantor e agora também empresário de jovens futebolistas, vai actuar em breve no Festival da Latada, de Coimbra, e aproveitou para rever amigos: "Já estive na Academia e fui muito bem recebido. Gosto muito da equipa do Sporting, e principalmente do Elias."
In "O Jogo" 31-10-2011

A onda leonina avança, aumenta, alarga, estende-se, vai por aí fora ao encontro do seu destino!... Nós, sportinguistas, felizes, alegres, calmos, serenos, adivinhamos esse destino, mas calamos dentro de nós o grito que o coração nos manda fazer ecoar de norte a sul. Ainda não é hora!... Falta o sofrimento, as unhas roídas ou o sabor amargo e fugaz de alguma qualquer derrota que estiver para vir. Se houver alguém que o saiba, que cale esse saber para sempre, porque a hora é de alegria. Quando tivermos de enfrentar a tristeza, arranjaremos forças para o fazer. Com a mesma intensidade com que hoje vivemos a nossa alegria. 
O Barça tem o "tiqui-taca"?!... Tem, sim senhor!... E é bonito e deslumbrante e faz lembrar o futebol reinventado!...
O Sporting tem o "tic-tac" que é lindo e empolgante e faz golos e trás as vitórias do nosso contentamento e o nosso amor de volta e faz lembrar o Sporting que todos temos no coração! Reinventado também! Ou rejuvenescido! Ou novo! Ou de volta a sua casa, que somos todos nós! E faz lembrar um futebol novo, um futebol à Sporting, um relógio anti-choque e à prova de água, de ventos e de marés vivas!...
O "tic-tac" é o bater de um coração! De muitos corações! De muitos milhões de corações! De todos os corações dos leões que por esse mundo fora vivem o Sporting! É o bater dos corações dos onze leões que em cada jogo entrarem em campo para defenderem as gloriosas camisolas verde e brancas, ou pretas ou "Stromp", porque o leão irá sempre no peito, imponente, garboso, rei de todos os animais, rei de todos os nossos sonhos, de todas as nossas ambições, rumo uma glória que será sempre e só nossa, mesmo que no-la queiram roubar e pretendam também ser gloriosos.
Aconteça o que acontecer, ninguém nos tira a alegria que hoje vivemos. A certeza com que partiremos para Vaslui, em busca da primeira depois da décima. A certeza com que havemos de partir para onde e por onde for necessário. Sempre assim foi e sempre assim será. Esforço, dedicação e devoção não nos hão-de faltar. E o "tic-tac" sempre nos acompanhará !... Porque o coração é vida e o Sporting também!!!...
Leoninamente,
Até à próxima


O respeito e a dimensão humana...

Sempre entendi as palavras adversário e respeito, quase como irmâs gémeas e é-me difícil dissociá-las. Se a primeira sempre se me apresentou como a figura de opositor, competidor, contrário e nunca a consegui associar por extensão à de inimigo, a segunda, que vem do latim respicere  e que significa olhar para trás, sempre evocou em mim a idéia de julgar alguma coisa, pessoa ou entidade, em relação ao que foi feito, quando é valoroso e deva ser reconhecido.
Nesta condição, como amante de futebol, assumem particular interesse para mim, as declarações dos técnicos responsáveis pelas equipas em vias de defrontar o Sporting Clube de Portugal, nas conferências de imprensa que antecedem esses encontros. Porque me permitem avaliar a filosofia e os valores e princípios que cada um desses técnicos conseguiu inculcar  nas equipas que lideram.
Entre as afirmações produzidas na última das ditas oportunidades, pelo técnico do Clube Desportivo Feirense, que ontem defrontámos e categoricamente vencemos em Aveiro e aquelas que o seu congénere da União Desportiva de Leiria hoje pela manhã produziu, vai um mar imenso de diferenças, que definem com limpidez inequívoca  a dimensão humana, a personalidade, o carácter e a capacidade de cada um deles.
Enquanto Joaquim Machado Gonçalves - o Quim Machado no futebol -, esquecendo o respeito que o Sporting Clube de Portugal lhe deveria merecer, tratou o adversário que iria defrontar como um igual e revelando conceitos matemáticos inimagináveis, atirou com a facilidade e superficialidade comum dos míopes que, «...Estatisticamente, o Sporting está mais perto de perder e o Feirense mais perto de ganhar...» !... De cabo de esquadra, pançudo e inculto, esta eloquente tirada. Os argumentos técnicos que este homem vai emprestando, por enquanto, à equipa que ainda lidera, pudemos apreciá-los depois, no decorrer do jogo de ontem à noite, sendo que, para grande decepção minha, LFL terá descoberto vitualidades em que mais ninguém reparrou. O Quim, quando deparou com um batalhão de jornalistas sequiosos de "bombas e sangue", confundiu respeito com medo e prometeu jogar para a vitória, como se estivesse dentro do balneário a falar para os seus rapazes e sem ter a correcta noção que esses argumentos nunca o transportarão aos patamares que porventura algum dia terá sonhado tangíveis. Outros atributos lhe seriam necessários.
Manuel Cajuda, goste-se ou não, uma legenda do futebol português, em declarações hoje prestadas em entrevista à RDP/Antena1, disse-nos que os argumentos que a sua equipa irá utilizar em Alvalade no próximo domingo, são substancialmente diferentes. Sem precisar de se colocar em bicos de pés e evidenciando o profundo respeito que lhe merece a instituição Sporting Clube de Portugal.
Começou Cajuda por afirmar:

O campeonato ditou que o UD Leiria jogasse à 10.ª jornada contra uma das melhores equipas portuguesas. Vou a Alvalade com respeito, mas não com medo. Provavelmente, não haverá um treinador no campeonato português que tenha ganho tantas vezes ao Sporting como eu.
Mas para quem gosta de futebol, o regresso do Sporting ao seu verdadeiro valor é sempre motivo de satisfação. Nos últimos anos, o Sporting andou afastado da sua grandeza enquanto clube. Parece que está a reconquistá-la e eu devo ficar feliz por isso. O Sporting é um dos grandes candidatos ao título.


Depois aplaudiu o «campeonato excelente» da equipa orientada por Domingos Paciência, treinador que, em sua opinião, está «talhado para o sucesso». E na projecção ao jogo do próximo domingo, em Alvalade, perspectiva «muitas dificuldades» para o UD Leiria, que, avisa, «terá de trabalhar muito» para registar um resultado positivo.
Palavras para quê?!... Cajuda já ostenta no seu currículo algumas vitórias sobre o Sporting, mas não deixou de mostrar o profundo respeito que a instituição lhe merece. Porque respeito, neste caso e sempre, significa ter sempre presente o passado do adversário. Exactamente o que muitos outros esquecem!... É uma questão de dimensão humana !!!...
Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 30 de outubro de 2011

Dezena, plena e serena !!!...

Dezena de vitórias atingida, plena de querer e serena de autoridade, classe, confiança e discernimento.
Não é fácil jogar contra um adversário bem organizado e fechado na defesa, recorrendo sistematicamente a cargas violentas, que o árbitro, contemporizador ou intencionalmente benevolente não pune, mesmo que decorram dentro das linhas que definem a grande penalidade, como no lance em que Elias é derrubado na grande área feirense. Ao contrário, perante situações que ninguém poderá alguma vez entender como merecedoras de advertência disciplinar, quando Rinaudo se aproximou timidamente da agressividade evidenciada pelos jogadores da Feira, recebeu de imediato o prémio amarelo habitual.
É o futebol que vamos tendo e os árbitros a que há muito nos habituámos. Resta ao Sporting ultrapassar os expedientes deste tipo de adversários e conseguir sair vitorioso mesmo quando prejudicado por arbitragens carregadas de "gralhas" notoriamente intencionais.
Uma palavra de ânimo para Jeffren, que parece ter agravado a lesão que o afastou dos relvados durante mais de dois meses. Oxalá seja mais crise de confiança que lesão real e de recuperação difícil. Domingos não explicou, e bem, o que aconteceu ao jogador, remetendo, também acertadamente, a questão para o foro exclusivo do departamento médico. A curiosidade sensacionalista dos "experts" do costume, não encontra no novo Sporting, o terreno fértil de outrora. É a vida!...
Agora a nossa atenção volta-se de novo para a Liga Europa. Na próxima 5ª feira às 20.00 h, na Roménia, com transmissão televisiva na SportTV1, defrontaremos o Vaslui, com a ambição de somar mais uma vitória à dezena que nem os "mafarricos" já nos conseguem tirar!...
Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 29 de outubro de 2011

Prisma, futebol, ontem e hoje !!!...

As palavras são um brinquedo. Alguém o disse já. A nossa querida Rosa é praticante e outros o serão também. Mas foi ela e a sua poesia, que me abriram a janela dessa brincadeira e me acordaram para o prisma. Sim, porque essa palavra, por maioria de razão, também serve para brincar.
Como Keating, em Clube dos Poetas Mortos, na importância de analisar uma situação, ou a vida, ou os sentimentos, ou as coisas, de diferentes formas ou visões, ou seja, sob outro ângulo, outro prisma. Como um recreio de crianças, onde forma, visão, ângulo, conceito, perspectiva, geometria, óptica, brincam em balbúrdia com prisma, o padrinho do jogo. Como eu hoje gostaria de tentar, fazendo colidir o futebol com a máquina do tempo, previamente engatada numa mudança de inversão de marcha.
Ontem o futebol era domingo, terra batida, calções largos e abaixo do joelho e a bola era couro duro, gasto pelo chão agreste, disputas e pontapés de couro também duro e servia quase para um campeonato. Era visto e apreciado com fervor e paixão apenas pelos privilegiados da casa e por meia dúzia de adeptos adversários que se aventuravam nas estradas e comboios do tempo. Ouvido à distância pela rádio, em magotes à volta de um caixote, que nas tardes de domingo deixava ouvir as vozes cristalinas e que todos conheciam, de “relatadores” como Artur Agostinho e Amadeu José de Freitas e comentadores como Alves dos Santos. E discutido e lido com calor e paixão às segundas e terças-feiras, à mesa de um café ou na taberna, e em “A Bola” ou “Record”, ao tempo credíveis, isentos e exemplos de jornalismo desportivo. Ontem o futebol era Sporting e “os cinco violinos” e pouco mais!... Eusébio viria muito mais tarde e Calabote houve apenas um. Os imitadores também viriam mais tarde, com as mesmas ou outras cores.
Hoje o futebol é como o Natal, é quando “uns homens” quiserem, não tem dia marcado. É mais televisão, relvados a fazerem lembrar panos de bilhar e equipamentos “prêt-à-porter”. As bolas são sempre novas e às dúzias e repostas diligentemente – às vezes a diligência depende da estratégia caseira - em jogo por adolescentes e são macias e de design sofisticado e o “marketing” manda que algumas sejam enviadas para as bancadas e as outras hão-de servir apenas para treinar. E são pontapeadas por couro macio, confortável e à medida do pé e duma policromia que os clubes, com todas as suas normas regulamentares, não controlam, porque valores mais altos se levantam. E é visto nas bancadas, por alguns milhares da casa e por menos milhares com as cores adversárias, mas os milhões, de todas as cores, ficam no sofá, com o plasma na frente, durante os sete dias da semana. E ouvido em rádios do tamanho de uma caixinha de fósforos, com um fiozinho que leva, em silêncio, o som aos ouvidos e onde já não se ouve o nosso querido Artur e os locutores de serviço “cantam” todos a mesma música, de cor e da cor, sem isenção, sem profissionalismo, sem dizerem o que se passa nos relvados, mas o que lhes vem à cabeça ou lhes encomendam as subserviências.
Já não há “cinco violinos”, nem Eusébio, e os árbitros são todos “calabotes” e jamais “daltónicos”: usam todos reluzentes apitos dourados e exibem um cronómetro em ouro e de marca celebrizada pelo custo, em cada pulso, que a sua corporação faz questão de lhes fazer chegar, de proveniência insuspeita. A doença que assola as rádios contagiou os jornais, que de três passaram a sete edições semanais, baixando as audiências, a qualidade e a isenção, exibindo hoje descaradas posições monocromáticas capazes de fazer virar na tumba os pais do jornalismo desportivo. Também já não há tabernas e as discussões das segundas e terças nos cafés, imitaram no calendário o futebol que antes lhes servia de tema e este foi substituído pela crise económica global e pelas divergências pessoais sobre o comprimento do nariz dos “pinóquios” que enxameiam a cena política. Agora as discussões futebolísticas mudaram de palco e acontecem, noite dentro, no pouco tempo que sobra da azáfama e das dificuldades quotidianas, na blogosfera e redes sociais.
O prisma – de novo o brinquedo! – ou a sua ausência, fazem-me acreditar que no futebol, apenas permaneceram imutáveis duas coisas. Uma a sua essência, a raiz de uma ideia que arrastou multidões e se globalizou, se universalizou: o futebol em si, como desporto, como arte. A outra, mais abrangente, mais mística, mais apaixonante, mais agregadora e de grandeza ímpar:

o Sporting Clube de Portugal!!!...


Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Angola - Sporting, vem aí !...

O acordo, praticamente estabelecido, entre a Federação Angolana de Futebol e o Sporting Clube de Portugal, para que a equipa leonina se desloque a Luanda, para defrontar a selecção angolana, no próximo dia 10 de Novembro, no âmbito das celebrações do 36ª aniversário da independência daquele país irmão, foi uma das boas notícias que o dia de hoje nos trouxe.
Para quem como eu, conheceu Angola antes da independência, sabe que o que representa o Sporting Clube de Portugal, para uma franja significativa da população angolana adepta do futebol, vai muito para além dos 13 anos de guerra estúpida e cruel que se abateu sobre os dois povos. Essa guerra e as terríveis consequências que determinou para os povos de Angola e Portugal, vai caindo no esquecimento, tanto como aqueles que não tiveram a visão política para a evitar e persistiram durante tanto tempo na sua continuação, indiferentes ao curso natural da história. Angola, pesem embora as dificuldades que  teve de enfrentar internamente, no longo processo que a independência despoletou, começa a reerguer-se das cinzas a que esse processo reduziu o país e afirma-se hoje, pujante, no panorama da economia mundial, em tempos de crise, recessão global e falência de sistemas políticos e económicos.
Mas o sportinguismo cultivado pelos angolanos, no tempo glorioso da rádio e do nosso saudoso Artur Agostinho, permaneceu inalterado, num povo que ama o futebol, adora as equipas locais e se revê no seu "Girabola". Como um "pimba" qualquer cantava em tempos que já me esqueceram, grande parte dos adeptos angolanos de futebol, têm dois amores: a sua equipa local e o Sporting!...
Esteve bem o Sporting em partir para o estímulo, arranque e apoio da Academia Sporting de Luanda. Como esteve agora ao corresponder ao honroso convite que lhe foi dirigido pelas autoridades angolanas para estar presente numa data tão importante para o povo daquele país irmão. E como também esteve bem, ao garantir a presença em Luanda de todas as suas estrelas, que porventura não sejam chamadas para as respectivas selecções nacionais nessa oportunidade. Será um Sporting na máxima força possível, que deverá estar presente e, honrando o seu nome e a sua história, homenagear todos os angolanos que continuam a sentir, com espírito, mística e paixão, um sportinguismo genuíno e comovente. Preparem-se para assistir a cenas surpreendentes e inimagináveis, depois de tantos anos e vicissitudes passados, desde que a bandeira da independência foi hasteada naquele já remoto dia de 11 de Novembro de 1975. Assim a cobertura televisiva saiba honrar a história de ambos os países e do Sporting e não estenda até Angola as habituais guerrilhas hegemónicas da clubite portuguesa. Os angolanos e os sportinguistas não o mereceriam.
Leoninamente,
Até à próxima

Leoninamente!!!... no Twitter

A coisa está melhorando!... Mais um passo. Agora no Twitter, para completar o ramalhete. E com todas estas tergiversações, o post que trago na cabeça ainda não saltou cá para fora. Lá iremos amigos, lá iremos. Está quase e quando uma coisa que se quer muito demora a chegar, o prazer redobra com a espera. É quase como querer o Sporting campeão, percebem?!... Depois, quando isso acontecer, vai ser o bom e o bonito. Da última vez, queimei o claxon do meu automóvel... Pode ser que Maio nos traga mais qualquer coisa bonita, além das flores e do calorzinho de Verão!... Mas se em 2012 não soarem as trombetas e os anjos verdes não descerem à terra para nos acompanharem na celebração, não será por isso que desanimaremos. Por isso eu disse que o prazer redobra com a espera. E isso é uma verdade absoluta, noutros futebóis, noutros mundos e noutras formas de ver aqueles e estes. Deixem-me ser feliz por um bocadinho, que eu prometo não defraudar ninguém. Muito menos o meu - e nosso - Sporting!...
Leoninamente,
Até à próxima

Leoninamente!!!... no facebook

Não foi fácil para um "nabo informático" como eu e ainda para mais principiante nas redes sociais!... Mas a perseverança que me nasceu do espírito leonino, que o meu saudoso pai me inculcou desde que me conheço, fez o milagre...
Aqui estou a dar a boa nova, grato a um amigo que muito estimo, que me incentivou a fazê-lo. Porque dizia, e disso sabe ele, que eu deveria alargar os meus horizontes. Não sei se conseguirei e saberei aguentar todas estas competições em que me tenho vindo a "inscrever". O plantel é curto e se abuso muito da rotatividade, corro o risco de ficar zonzo. Mas vou tentar copiar Domingos Paciência, que tenho, sem ele o saber, como um dos meus mentores mais importantes. Tenho outros, mas isso serão outros futebóis...
Dizem-me que os amigos hão-de vir e que o grupo há-de crescer. Não sei, porque sou um principiante. Mas vou-me preocupar mais com acertos e correcções na táctica e particularmente no modelo de jogo, porque quero ver se consigo um futebol vistoso.
Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

No meio de nós, com a força do universo leonino !...

De um post hoje publicado por Rui Calafate no seu blog "I'ts PR Stupid" e que poderá aqui ser apreciado na íntegra, tomei a liberdade de extrair o trecho seguinte, por se tratar de um fantástico e consequente desafio ao nosso presidente Godinho Lopes:

Dou a sugestão a Godinho Lopes, que em atitude de protesto por o Benfica não dar os bilhetes que desejamos, venha ver o jogo para a bancada junto dos adeptos sportinguistas. Será muito bem recebido e defendido e contará com toda a força do universo leonino.

Tendo em conta a salvaguarda de eventuais preocupações por parte de Godinho Lopes, em preservar as boas relações institucionais com o clube adversário, seria admissível que fosse cuidadoso no tratamento deste caso. Porém, esse cuidado deveria ter partido primeiro do presidente benfiquista, que deveria procurar encontrar-se com o presidente do Sporting e negociar com boa fé uma solução que se situasse entre o que está estabelecido nos regulamentos e a pretensão do Sporting Clube de Portugal. Fosse qual fosse o resultado dessa negociação, ficaria provada a boa fé de LFV, a que necessariamente deveria corresponder uma atitude compatível por parte de Godinho Lopes.
A ser verdade que o clube adversário tenha rejeitado liminarmente a pretensão do Sporting, Godinho Lopes terá as mãos absolutamente livres para corresponder ao desafio de Rui Calafate. Não tenho quaisquer dúvidas de que se a resposta dada ao Sporting foi a que publicamente chegou ao conhecimento dos sportinguistas, será isso mesmo que fará. A menos que valores mais altos se levantem e então o presidente do Sporting facilmente poderá fazer chegar até nós a mensagem de que foi esse o seu entendimento. E todos nós, estou cerrto, o compreenderemos.
Leoninamente,
Até à próxima

FPF, voto secreto e método de Hondt !...

O longo processo de candidaturas para as eleições de 10 de Dezembro na FPF, estará quase a ficar concluído. Aquilo que havia  para concertar estará concertado. Os jogos de bastidores já não terão mais tempo para se aperfeiçoar, para refinar processos e intenções. "The game i'ts over" e o produto estará, para satisfação de alguns, dúvidas de muitos e decepção de uns quantos, "prêt-à-porter"!...
Após um começo de jogo repartido, fomos assistindo ao desenvolvimento de estratégias, tácticas e modelos que carregaram ainda com mais dúvidas aqueles que, comprando o seu bilhete e estando presentes nas arquibancadas, foram coçando a cabeça em indício claro de não estarem a perceber a mínima do que se passava "lá em baixo no relvado".
Assistimos a verdadeiros prodígios técnico-tácticos, por parte dos treinadores das equipas em confronto. Aos "mind-games" habituais, que nos fizeram perceber que Mourinho e Villas-Boas serão uns novatos puros e simples na especialidade. E finalmente veio a notícia de que afinal isto não era uma final pura de uma qualquer competição. Tratar-se-à de uma final a duas mãos, em que o primeiro jogo terá terminado empatado e, face aos tumultos verificados, a entidade organizadora terá optado por mandar realizar a segunda mão, em estádio neutro e à porta fechada.
Houve quem pensasse que haveria desempate através da marcação de grandes penalidades. Como Damas o pensou no dia 3 de Novembro de 1971 contra o Glasgow Rangers de má memória para nós e, cheio de ilusão e sportinguismo, defendeu os cinco penalties dos escoceses. Não amigos, os novos regulamentos, como nessa data fatídica para as nossas cores não nos permitiram prosseguir na competição, dizem agora que terá de haver um segundo jogo e longe da praça pública. Estarão presentes, não 22 jogadores e três - ou cinco - árbitros, mas apenas 84 jogadores, sem a presença de quaisquer juízes. É como se fosse um conclave para a escolha de um novo "papa" sem o "anterior" ter morrido!... Complicado ?!... Nem por isso!!!...
Bem andaram os sportinguistas - honradamente me incluo - que se mantiveram calma, serena e silenciosamente na expectativa, deixando decorrer este primeiro jogo sem euforias desmedidas e sem derrotismos apressados e extemporâneos. E bem terão andado - assim o espero - os dirigentes do Sporting que acautelaram aquele mínimo que sempre temos reclamado para a nova cúpula federativa: a decência!... Não se pretenderá trocar pura e simplesmente a cor do novo "papa" e dos próceres da arbitragem, disciplina e justiça. Muito menos se terá sequer tentado alcançar aquele poder que tem dado tantos títulos e glórias fora dos relvados. Como disse, ao Sporting apenas terá interessado salvaguardar a Decência, a Equidade, a Isenção e a Justiça.
Penso - penso eu de que, como diria o outro! - que poucos terão dúvidas sobre quem será o próximo presidente da FPF. E essa escolha arrastará - o método de Hondt será incontornável - os responsáveis daquelas áreas que todos sabemos. Muito mais importante do que as candidaturas que mais logo serão irreversíveis, será o pensamento dos 84 delegados - já escolhidos, inerentes ou eleitos - que no dia 10 de Dezembro irão decidir - em voto secreto e universal - o novo rosto do futebol português.
É precisamente nestes dois importantes pontos - votação secreta dos 84 delegados e aplicação subsequente do método de Hondt - que estará o nó górdio das eleições de 10 de Dezembro. Talvez só então se compreendam as aparentes - terão sido mesmo?!... - desinteligências entre Godinho Lopes e Luis Duque e o apelo que felizmente foi surgindo dentro da grande nação sportinguista à calma, serenidade e silêncio. E talvez só então também se compreendam o desespero e o atabalhoamento de última hora que se notou nos defensores do "status-quo", ou das migalhas sobrantes do estertor do poder decadente.
Mesmo agora, que o último jogo desta final decisiva se aproxima, fácil será adivinhar a corrida às grandes e pequenas superfícies, na ânsia de compra de toneladas de frascos de "shampoo", para a proverbial "lavagem de cabeças",  que alguns dos 84 delegados não terão coragem de recusar, mas que a inexorável disposição do voto secreto - o comprometedor e iníquo braço no ar foi mandado às urtigas - certamente protegerá. Cá estaremos para o comprovar!...
Leoninamente,
Até à próxima


quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Ritmo de leão para o novo Pavilhão!...

O dia ainda não me tinha trazido nada de bom, além da chuva desagradável e do vento que me virou o guarda-chuva ao contrário. Mas não há mal que sempre dure...
Há pouco li no site do Sporting uma notícia que poderão apreciar aqui e que me encheu a alma: foi finalmente aprovado o plano de pormenor da nossa  nova casa das amadoras em Alvalade. Por informação que colhi depois, noutros locais, no princípio do próximo ano iremos assistir ao arranque da construção do nosso pavilhão, um sonho de muitos anos, que entretanto nos obrigou a andar com a casa às costas.
A conquista dos vários títulos alcançados, mesmo desterrados para casas de favor que pouco nos diziam, não deixou de ser saborosa e devidamente celebrada. Mas ficou sempre aquele sabor amargo de não nos ser possível celebrar essas vitórias com os nossos campeões, na nossa própria casa. Essa travessia do deserto vai acabar. Que Godinho Lopes compreenda o sentimento da grande nação leonina e imponha o ritmo do leão à obra que tanto desejamos!... E já agora que seja linda de morrer e arrecade todos os prémios de engenharia e arquitectura. Nós merecemos!!!...
Leoninamente,
Até à próxima

Autêntico, pela primeira vez !...


Há momentos tão bons e importantes na vida, que julgamos não merecer o que ela nos oferece. E só a convicção de que resultam sempre de um equilíbrio que, não tendo Arquimedes ou Stevin encontrado para ele qualquer explicação científica, não deixa de nos envolver e conseguir amenizar aqueles outros, de adversidade, desventura, infortúnio ou desamor, espalhados e misturados na poeira do caminho de cada um.
Ter um amigo como Manuel Humberto e ter o privilégio e a honra de receber o seu convite para partilhar o espaço de Sporting Antêntico com ele e com os seus amigos, constituirão, porventura, o paradigma equilibrante que me faz acreditar no Sol, no Amor, na Poesia, na Música e ... no Sporting!...
Não poderia ser outra a minha resposta. E aqui estou. Pela primeira vez. Grato a MM e honrando a amizade que me ofereceu em troca de nada.
Como me disse e fez questão de vincar, pisar e repisar, esta minha colaboração não implicará o abandono da menina dos meus olhos que é "Leoninamente!!!...". Virei quando quizer, com as mãos livres e a alma solta. Como se tivesse "as chaves de casa"!... Quanta nobreza neste gesto!... Virei amigo, mas virei com uma condição que imporei a mim próprio: apenas quando o meu pensamento e a minha capacidade me permitirem obra que não destoe neste espaço ímpar da blogosfera leonina. Sporting Antêntico é um cantinho de dignidade, de elevação, de arte e de muitas outras coisas em que acredito, particularmente de sportinguismo como temática central, onde me sentirei bem e farei por merecer a generosidade com que fui contemplado.
A minha colaboração chega num momento alto para as nossas cores. Um momento de regeneração e de recuperação da mística do glorioso Sporting Clube de Portugal. Fica por isso quase leoninamente facilitada a minha tarefa. Mas tentarei ajudar a que nos superemos e possamos vir a ser, em cada dia, ainda melhores!...

Leoninamente,
Até à próxima
                       


terça-feira, 25 de outubro de 2011

Podemos ser ainda mais fortes !!!...

Quando no final do jogo de ontem foram colocadas a Domingos Paciência algumas questões sobre o momento actual do Sporting e sobre as perspectivas de poder vir a lutar pelo título, o nosso técnico foi claro, preciso e profundamente realista:

Todos nós temos a consciência de que podemos conseguir ainda mais, é uma responsabilidade muito boa. Não pode haver distracções e isso não vai acontecer. Conheço cada vez melhor os meus jogadores e a ambição deles é grande, querem vencer cada jogo. Estamos fortes mas podemos ser ainda mais fortes.
Na corrida ao título?!... Nem nós nem os adeptos podemos pensar assim. Vamos pensar que podemos repetir momentos bons como os de hoje. Se mantivermos este nível e qualidade poderemos andar nos lugares da frente e lutar com os nossos rivais.

Sem euforias desmedidas, sem promessas despropositadas e exibindo um sorriso puro e simples de satisfação por tudo aquilo que o grupo que comanda vem conseguindo, Domingos é o espelho fiel do magnífico sentimento que se vai instalando na grande nação sportinguista. É um sentimento de satisfação e de alegria, mas onde impera acima de tudo a contenção e a rejeição liminar de euforias e de extemporâneos objectivos. E tão grande é a empatia e a comunhão que sente em toda a massa adepta que não hesitou em afirmar, sobre a colocação do título como objectivo, que " ..nem nós nem os adeptos podemos pensar assim. Vamos pensar que podemos repetir momentos como os de hoje..."!... É corajoso e realista o apelo de Domingos Paciência e não me resta a mínima dúvida de que vai ser seguido pelos adeptos sportinguistas. Porque ele falou como adepto e os adeptos perceberam a mensagem, o seu significado e o que implicitamente traduziu, do homem que conduz e faz parte de um projecto que está a restaurar o orgulho do glorioso Sporting Clube de Portugal.
Recordo aquele rictus facial que o terceiro golo do Marítimo impiedosamente marcou em  Domingos. E não sei que outro adepto leonino terá então exibido uma tão grande e frustrante desolação. Agora o sorriso é limpido e os olhos brilham, tal como em cada um de nós. Mas em Domingos Paciência, entre a amargura desse dia já distante e a contida alegria de hoje, esteve uma crença inabalável no seu trabalho e na sua capacidade de não desmerecer a confiança que nele depositou um universo inteiro de adeptos.
Domingos Paciência está a dar-nos o melhor de si, da sua capacidade, do seu saber, da sua grandeza como técnico sagaz e inteligente. Está a fazer da "sociedade de nações", como era apelidado o plantel do Sporting no início da época, um grupo unido e amigo, que corporiza com alegria e com evidente prazer, um ideal competitivo quase sem paralelo nas competições onde está inserido.
Há momentos de jogo em que o Sporting parece praticar há muito o "tiqui-taca" que Andrés Montés inventou e o Barcelona de Pepe Guardiola vem tornando célebre. Vemos jogadores no banco, como que impulsionados por uma poderosa mola, saltarem de alegria na marcação de cada golo, com expressões que dizem tudo sobre o espírito que reina no colectivo. Há atletas do nosso plantel, vindos das mais díspares origens, que não conheciam Domingos de lado nenhum e hoje afirmam que o seu técnico é fantástico e pode vir a ser um dos melhores do mundo. E todos eles afirmam a bondade das suas decisões de rumarem ao Sporting. Há até um que diz que o Sporting é grande em tudo!... Porquê?!... Porque está acontecendo tudo isto?!...
Não quero retirar a parte do mérito que deve ser atribuida a Godinho Lopes, Luis Duque e Carlos Freitas. Nem um milímetro, porque sou um sportinguista reconhecido e não estarei sózinho pela certa. Mas desde que estes atletas aterraram na Portela e se juntaram aos que sobraram da vassoura, quem juntou os cacos e na confusão babélica de linguas, usos, costumes, religiões e formas de entender o desporto que praticam, está a erguer uma poderosa "squadra" verde e branca?!...
Pois é, Domingos Paciência, por tudo aquilo que acabo de dizer, merece o nosso aplauso, o nosso respeito e a nossa grande e sincera homenagem!... Bem hajas Domingos!... Estamos fortes, mas acreditamos em ti e na grande probabilidade de virmos a ser ainda mais fortes!!!...
Leoninamente,
Até à próxima
 

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Nona sinfonia verde !!!...

Vou roubar a ideia à querida "Leoa Assanhada", mas não tenho forças para resistir ao meu impulso interior e declaro, embevecido, orgulhoso e com a alegria a bailar-me nos olhos húmidos, que acabo de assistir à execução magistral da NONA SINFONIA VERDE !!!...
E como em qualquer execução sublime de uma magistral composição musical, o maestro, a orquestra e o público, são factores preponderantes e inquestionáveis no resultado final da interpretação. Domingos Paciência e os 14 bravos, esforçados, devotados e dedicados atletas que estiveram em campo, bem mereceram a glória de ser aplaudidos por um público entusiasta, emocionado e feliz!...
É muito difícil traduzir por palavras a alegria e o prazer que este jogo me trouxe. Pecaria sempre por defeito e aqueles bravos não mereceriam que a minha incapacidade os beliscasse. Uma palavra de respeito para com o adversário. Já me esqueci das descortesias do presidente do clube e do seu treinador, na conferência de imprensa que antecedeu o jogo. Refletem apenas as consequências das nossas próprias culpas passadas. É minha profunda convicção de que o presidente e o treinador do nosso próximo adversário, não lhes seguirão as pisadas e abordarão o jogo com mais respeito, cuidado e temor.
Temor, exactamente o sentimento que o Sporting Clube de Portugal tinha deixado de infundir nos seus opositores e que agora começa a impor. Temor, exactamente o que os adeptos sportinguistas sentiam, após o apito inicial do árbitro em qualquer jogo e contra qualquer adversário. Temor, rigorosamente o que os atletas de épocas passadas sentiam, senpre que a bola lhes chegava aos pés.
Hoje o Sporting infunde temor nos adversários e limita-lhes as convicções, as intenções e as veleidades. Hoje os adeptos sportinguistas vão ao estádio José Alvalade respirando confiança e fé e transmitem-na aos atletas de verde às riscas vestidos, que pedem a bola, querem a bola, tem prazer com a bola e enviam tudo isso para as bancadas, numa troca sublime e numa comunhão perfeita.
Vamos começar a pensar na DÉCIMA !!!...
Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 23 de outubro de 2011

O elemento feminino e o Sporting !!!...

O caminho faz-se caminhando!... Eu sei, é um lugar comum, mas repeti-lo não faz mal a ninguém. Pode ser um placebo, um fármaco ou procedimento inerte, que apresenta efeitos terapêuticos devido aos resultados fisiológicos decorrentes da crença do paciente de que está a ser tratado. Os treinadores de futebol utilizam o método amiúde. E dizem que a equipa deve pensar jogo a jogo. Outro placebo, ou lugar comum, ou o que lhe quizerem chamar. Mas descobrir o caminho caminhando, ou pensando uma competição jogo a jogo, certo é que Domingos Paciência, conseguiu passar a sua mensagem e hoje ninguém de nós sportinguistas tem dúvidas sobre a confiança e o querer que se instalou no plantel do Sporting. Contudo há dois pormenores - ainda não consegui definir se grandes ou pequenos - que me despertam a atenção em cada jogo e vitória que a equipa vai coleccionando: o companheirismo que a equipa exibe e o prazer e a alegria de dar prazer e alegria a nós que os vemos e aplaudimos!... Não é coisa pouca amigos e todos nós o sabemos muito bem, há muitos e demasiados anos. Obrigado Domingos Paciência!...
Com toda a gente acima e abaixo de nós na tabela classificativa, a celebrar vitórias neste fim de semana, poderia o nosso coraçãozinho começar a encolher-se ao pensar no jogo de amanhã à noite. Mas falando apenas de mim, em verdade vos digo, que o meu coraçãozinho não se encolheu e mora em mim uma serena confiança na obtenção da 9ª vitória consecutiva que, adivinho, a nossa querida "Leoa Assanhada" irá apelidar de sinfonia, ou hino da alegria, ou qualquer outra coisa bonita que será música para os nossos ouvidos!... O elemento feminino tem o dom intrínseco de sentir e expressar de maneira diferente de todos os "jubas" novos ou menos novos. Por isso eu me emociono por ver em Alvalade tantas mulheres bonitas e leoninamente apaixonadas. Por isso eu tenho pena de não ver na nossa blogosfera sportinguista, mais mulheres bonitas e expressivas. Mas tenho esperança de que hão-de vir. Hão-de responder à chamada do seu e nosso grande amor: Sporting!!!...
Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Teremos de saber merecer o Sporting !!!...

Se na primeira jornada do campeonato, não tivessemos sido "xistrados", com o golo anulado a Postiga e um penalty cometido sobre Schaars não assinalado.
Se na segunda jornada o sistema não tivesse engendrado o esquema que obrigou a que um árbitro dos distritais de Aveiro, apitasse o jogo com o Beira Mar, com toda a envolvente de polémica pressão e de instabilidade que originou.
Se na derrota sofrida na terceira jornada, não tivessemos sido espoliados de um golo limpo, de um penalty claro e da expulsão de um jogador da equipa adversária.
Se mesmo nas vitórias alcançadas nas 4ª, 5ª, 6ª e 7ª jornadas, tivessemos podido contar com arbitragens decentes e isentas e não continuassemos sujeitos à iníqua e desavergonhada tolerância zero decretada pela secção internacional da corporação arbitral.
Se paralelamente ao descalabro arbitral de que foi vítima o Sporting, os mais directos adversários não tivessem contado ao longo deste quase quarto de campeonato, com a complacência e benevolência da mesma corporação que nos tentou atirar para a profundeza dos infernos, onde estaria a esta hora o glorioso clube de Alvalade ?!...
Seria sempre subjectivo afirmar que o Sporting lideraria a classificação com 21 pontos. Mas dizer que a liderança seria nossa e que a vantagem sobre o segundo classificado seria provavelmente maior que o nosso actual atraso para os primeiros, talvez não correspondesse a uma subjectividade tão grande como isso.
Este pequeno enunciado de condicionalismos, serve para dizer que há campeões que o são, com a cereja colocada no topo do bolo pelas "sistemáticas" decisões arbitrais. O Sporting, se quizer ser campeão, jamais poderá contar com a cereja!... Terá de se contentar com uma humilde ginja e mesmo essa, terá de ser ele próprio a colhê-la, lavá-la muito bem lavadinha do pó e veneno com que o sistema inunda a atmosfera desportiva do país, cristalizá-la e com muito geitinho e sempre atento aos abanões que a inveja e o despeito possam provocar no pedestal, colocá-la sobre o bolo que o esforço, a dedicação e a devoção consigam construir.
Que os sportinguistas não se iludam!... Depois da 8ª vitória consecutiva, pode ser que surja a 9ª, a 10ª, a11ª e outras, mas há-de vir um dia em que alguém subtrairá o açúcar da massa com que o Sporting pretende fazer o bolo. O sistema conhece melhor que ninguém, a vantagem de recuar um passo, para depois poder avançar dois ou mais. Todos assistimos de momento ao recuo do sistema, que se tem traduzido nas últimas jornadas, numa bem dissimulada demonstração de isenção arbitral. Mas essa isenção terá parecido existir, pela simples razão de que os argumentos desportivos do Sporting, de tão sólidos e incontornáveis, não têm permitido qualquer outra intervenção. Mas ao primeiro tropeção, seja de que natureza for, que o Sporting tenha que ultrapassar, todos teremos de estar prevenidos para a emboscada que nos prepararem. E a única resposta capaz de permitir ao Sporting, recuperar de qualquer percalço que a adversidade nos coloque no caminho, é a união de todos os sportinguistas.
E um dos rostos mais visíveis da união sportinguista é o admirável mundo da blogosfera leonina. Reflitamos, cada um de nós, para o contributo que possamos dar no sentido dessa união. Quando publicarmos, desde o mais simples e despretensioso post, até aos mais extensos, profundos e sofisticados conteúdos, pensemos que para além de muitos milhares e milhares de sportinguistas interessados e amantes do Sporting, os respectivos sites estão abertos a muita gente que não é sportinguista e que pode aproveitar os nossos melhores e piores desígnios, para os reverter contra o clube que amamos. E pensemos também que dentro da nossa própria casa, dentro do nosso plantel e equipa técnica, dentro do nosso balneário, podem resultar desagradáveis consequências do foro psicológico, de um qualquer simples ou mais elaborado comentário, se não houver da parte do seu autor o devido cuidado de não beliscar minimamente, quem está neste momento imbuído de um espectacular espírito de grupo, de unidade, de companheirismo, de confiança, de ânimo, de esforço, de dedicação e de devoção rumo a uma glória que todos pressentem estar ao seu alcance. É uma enorme responsabilidade aquela que começa a estar sobre os ombros desta admirável blogosfera sportinguista. Vamos todos colocar para trás das costas, os nossos egos, as nossas vaidades e egoísmos, os nossos projectos expansionistas e respectivos proveitos egocêntricos e materiais. Vamos todos pensar em primeiríssimo lugar, na indispensável união da imensa nação sportinguista e ser responsáveis por tudo aquilo que publicarmos. Porque o Sporting é o nosso grande amor e merece toda a nossa atenção, todo o nosso cuidado, toda a nossa competência, todos os nossos sacrifícios !!!... Teremos de saber merecer o Sporting!!!...
Leonianmente,
Até à próxima


quinta-feira, 20 de outubro de 2011

E vão 8 vitórias consecutivas !!!...

Foi uma vitória que não oferece contestação!... Limpinha, sem espinhas e ainda por cima com uma exibição que não sendo fulgurante, teve momentos mágicos, particularmente os movimentos que deram origem aos dois golos.
Foi agradável ver Evaldo a galvanizar-se e a deixar de ser o patinho feio de alguns de nós. Vejam só o que pode fazer a competição por um lugar. O Evaldo de hoje foi diferente e não me custa admitir que terá merecido o golo que marcou. O companheiro do lado oposto também fez um bom jogo, se bem que escusava de ter dado a ensaboadela na cabeça de Wesley, provocação que levou este a perder a cabeça, agredi-lo e a receber ordem de expulsão justa. Mas... João Pereira sabe bem o que fez e se o auxiliar de baliza tivesse visto o filme todo, teriam ido os dois para a rua. Nunca mais aprende este rapaz. Os centrais tiveram muito pouco trabalho, mas foram competentes em tudo o que fizeram e a linha média esteve a um nível mais do que agradável. Na frente Pereirinha cumpriu, embora continue a falhar em muitas das decisões que toma, como aquele remate disparatado para a bancada, pouco antes de ser substituído, que terá levado Domingos a agir uns minutos antes do que estaria a pensar. Wolfswinkel esteve muito próximo de celebrar, mas eram pernas a mais à volta dele, mais os braços, as cabeças e os corpos de tanta gente, que o rapaz pouco mais podia fazer. Mas teimou, lutou,  estorvou e desconcentrou muita gente. Foi o abre-latas daquela lata de sardinhas que os romenos exportaram para Lisboa. Os três que entraram quase no final, não tiveram tempo para mostrar muito, se bem que encaixaram bem na estrutura e Carrillo até abriu a porta para o segundo golo. Restam Capel e Matias que deliciaram as bancadas de Alvalade. E se a Capel nada nem niguém pode roubar a titularidade, Matias terá hoje provocado a Domingos Paciência uma alegria quase incontida, que vai certamente provocar-lhe uma muito agradável dor de cabeça. Ambos são jogadores espectaculares, que empolgam as bancadas e fazem os adeptos ir ao estádio. E parece que quando as coisas começam a encaixar, tudo sai bem, tudo é bonito e resulta.
Mas o que mais me voltou a impressionar hoje, foi a alegria que eu vi nos jogadores, a confiança que respiram, a certeza de que vão vencer, doa a quem doer. Eu já me tinha esquecido dos tempos em que o Sporting era assim e eu nunca sofria a ver um jogo, pelo menos em Alvalade. Domingos parece ter descoberto a fórmula mágica: os jogadores têm prazer em provocar o prazer nas bancadas.
Da arbitragem, que hei-de dizer?!... Quase nada e a excepção ao seu bom trabalho, esteve no exagero do amarelo a Rinaudo, em pequenos lapsos no benefício ao infractor e na demasiada temporização que exige na marcação de livres ainda afastados da grande área. De resto nota-se em todos os seus gestos que não é português, apesar de bastante jovem, porque recusa protagonismos e não exibe raivinhas e preconceitos bacocos. Arbitra apenas e essa é a única razão porque faz parte do jogo. Em Portugal temos actores que tudo fazem para estar na cabeça do cartaz. Está-lhes no sangue e a cultura não ajuda.
Está o apuramento garantido e o primeiro lugar ao virar da esquina. Não me admiraria que com este mesmo Vaslui, esse segundo objectivo fosse alcançado.
Com a serenidade desta 8ª vitória consecutiva, há que começar a preparar a recepção ao Gil Vicente.
Leoninamente,
Até à próxima


Rumo à vitória e ao amanhã !...

"Ilori?!... Para mim não conta a idade, só reconheço trabalho."

Primeiro colocado de prevenção e posteriormente convocado para o duelo com o Vaslui, Tiago Ilori mereceu assim mais um voto de confiança de Domingos Paciência. A chamada do júnior configura uma lógica de observação e preparação assim explicada pelo técnico leonino. "Podem ter todos a certeza que para mim nunca estará em causa a idade desde que reconheça a um atleta valor e trabalho, capacidade para assumir confrontos desta exigência. Poderei lançar o Ilori em jogo sem quaisquer problemas", defendeu Domingos Paciência, que assegurou ter o defesa-central debaixo de olho desde a primeira hora: "Tenho plena confiança no Ilori e por essa razão fez parte da equipa desde o inicio, na pré-época. Apenas tem jogado pelos juniores."
In "O Jogo on-line" 20-10-2011
 
 
Domingos Paciência e Tiago Ilori representam para mim, com o devido e elevadíssimo respeito que me merecem todos os bons treinadores deste país e todos os jogadores que constituem o espectacular plantel leonino 2011/2012, o Sporting de hoje, o Sporting que finalmente temos de volta: certezas!...
A certeza de que o nosso Sporting é dirigido por um treinador competente, sério, digno e íntegro!... E a certeza de que Tiago Ilori será capaz de responder com humildade, com trabalho sério, com classe, com categoria, quando o seu técnico entender que está chegada a sua hora!... Isso basta-me para que esteja absolutamente descansado, face ao jogo de logo à noitinha em Alvalade.
Sei que a paixão que determina estas certezas e um milhão de outras que leoninamente albergo no meu sentimento sportinguista, poderá não ser suficiente para que o Sporting vença o encontro contra o Vaslui. Mas é suficiente para que o meu pensamento permaneça inalterado. Um jogo de futebol, com toda a subjectividade que encerra, não será nunca mais do que isso mesmo: um jogo de futebol!... E aquilo que penso e sinto sobre o Sporting de hoje, não tem a mínima carga subjectiva. Há mil e um factos palpáveis, concludentes, insofismáveis que afirmam a agradável realidade do novo Sporting!...
Logo mais, ao fim da noite, espero vir aqui confraternizar e celebrar, com os meus irmãos sportinguistas, a nossa 8ª vitória consecutiva, com o apuramento na fase de grupos quase conseguido. Mas amanhã estaremos todos focados no próximo passo, no jogo de 2ª feira com o Gil Vicente. Porque a vida continua e o amanhã será sempre mais importante que o hoje.
Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Façam um Sporting melhor, ouviram?!...

Não sabia que exactamente no dia de hoje, decorrem 93 anos sobre a morte daquele que é toda a razão de ser do Sporting Clube de Portugal:

                                                José Alvalade

De seu nome José Alfredo Holtreman Roquette, neto de Alfredo Augusto das Neves Holtreman, visconde de Alvalade.

Visita assídua de um dos melhores blogs da comunidade leonina, Sporting Autêntico, de cujo autor me honro de ser particular amigo, deparei hoje nesse espaço singular de comunhão leonina, com uma singela homenagem ao nosso fundador. E como sportinguista que sou, atrevo-me a ferir a modéstia desse meu querido amigo e, associando-me a essa homenagem, convido todos os sportinguistas a partilharem aqui esse hino de sportinguismo que me foi dado apreciar.
Esteja onde estiver José Alvalade, sinto como sportinguista, que neste dia em que recordamos a sua partida, seria capaz de gritar para toda a gloriosa nação leonina, como um dos nossos maiores pensadores, revolucionários e ensaístas do século passado, Mário Sacramento, gritou para o seu povo, no seu «Diário - Aqui jaz quem me matou»: "... Façam um mundo melhor, ouviram?!... Não me obriguem a voltar cá!..."
Leoninamente,
Até à próxima

Porque o Sporting é o nosso grande amor !!!...

A convocatória de Domingos Paciência, quase nos deixa antever a equipa titular que amanhã vai apresentar contra os romenos do Vaslui. Penso que fará alinhar de início, Patrício; João Pereira, Carriço, Polga e Evaldo; Matias, Rinaudo e Schaars; Carrillo, Wofswinkel e Capel. E atrever-me-ia a vaticinar como muito provável a utilização, entre os que sentarão no banco - Marcelo, Ilori, Pereirinha, André Santos, André Martins, Bojinov e Rubio - do nosso menino Tiago Ilori, dadas as recuperações ainda frescas de Carriço e Polga. Oxalá que aos dois centrais que se prevê sejam titulares, tudo corra pelo melhor e que ainda não seja desta que assistamos à estreia do miúdo - bem graúdo por sinal! Mas se tiver mesmo de ser, que também tudo lhe corra bem.
Uma vitória amanhã seria ouro sobre verde, esse verde que o nosso estádio exibirá, ainda mais esplendoroso que nunca, mercê de um voluntariado também ele, novo em Alvalade, a fazer lembrar os remotos e místicos anos da construção do velhinho Alvalade onde, a fazer fé nos relatos da época, legiôes de leões participaram voluntariamente com meios humanos e materiais, na construção.
A imagem que vai passando para o exterior, da obra que está a ser erguida em Alvalade, a pulso, com fervor e fé clubística, orgulha-nos e envaidece-nos a todos. E ninguém se iluda julgando que apenas a nossa cor está a ser recuperada. É a mística, é a certeza no futuro, é o regresso da nossa grandeza, é a alegria de ser sportinguista! Tudo isso, que é o Sporting, está de volta!...
Por isso, uma vitória amanhã seria ouro sobre verde e seria também, bastante mais do que justa, seria o prémio de um amor nunca regateado e jamais posto em causa. Porque meus amigos, só nós compreendemos, porque o Sporting é o nosso grande amor!!!...
Leoninamente,
Até à próxima

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Ficava aqui a pintar para sempre !!!...

Chama-se Bruno Lopes e respondeu ao desafio lançado no site do Sporting, oferecendo-se como voluntário para tornar mais verde o nosso estádio. Como poderão apreciar aqui, diz que não é pintor, mas que se vai safando e que ficaria ali a pintar para sempre, sentindo-se dentro do Sporting!...
Sentirmo-nos dentro do Sporting, é um privilégio apenas ao alcance dos sportinguistas e só estes poderão compreender o orgulho, a satisfação e o amor que as palavras de Bruno Lopes reflectem.
Um abraço para o Bruno e para todos os voluntários sportinguistas que vão dando em cada dia corpo e sentido à nossa casa e à nossa causa!... Bem hajam!!!...
Leoninamente,
Até à próxima

Nem mesmo em troca do Sol !!!...

O que o sistema inventa para abanar com a saudável e sólida estrutura do Sporting Clube de Portugal!... Agora o veículo utilizado dá pelo nome de Diário de Notícias e o vírus pode ser aqui apreciado!!!...
Como se houvesse algum sportinguista, amante do seu clube, pagante das suas quotas e espectador cativo, permanente, regular ou irregular dos jogos de Alvalade, que fosse capaz de admitir a Godinho Lopes uma tal afronta!... Era a convulsão e o caos e, muito provavelmente, o princípio do fim de todo um projecto encetado por esta direcção, de recuperação do Sporting!... Era o estádio de Alvalade deserto!... Eram as pastilhas de cianeto a cair desordenadamente no pote de ácido sulfúrico, tornando a atmosfera leonina irrespirável e mortal!...
Suportariam melhor todos os sportinguistas o último lugar na I Liga e a consequente descida à II Liga, que ver esse arremedo de homem vestido de verde e branco!... Há um mínimo de dignidade que um homem não vende, nem mesmo em troca do Sol!... António José da Silva, "O Judeu", seria certamente sportinguista, não fora ter morrido bem antes do Sporting nascer !!!...
Leoninamente,
Até à próxima

Nem que a vaca tussa !!!...

Com o Sporting a iniciar o desenvolvimento atempado de todo o processo de organização no estádio José Alvalade, do encontro do "play-off" entre a selecção nacional e a Bósnia e com os contratos  entre a FPF e o clube quase redigidos e em preparação para as devidas assinaturas, assistimos atónitos à marcação pela federação do encontro para o estádio da Luz, de que tomei conhecimento aqui.
Não valerá a pena especular sobre as razões que estiveram na base deste "golpe de rins federativo". Nós, sportinguistas, não somos meninos de coro para necessitar que nos expliquem as razões deste volte-face!
Foi o último estertor dos moribundos dirigentes federativos e, ao que todos vamos sabendo, Paulo Bento não terá de modo nenhum, ficado muito bem na fotografia. Mas o velho ditado de que "a quem faz mal nunca lhe acontece bem" pode vir a confirmar-se. Oxalá não escreva alguèm, direito por linhas tortas!...
Tinha planeado estar em Alvalade a apoiar a selecção. Não irei estar presente na Luz, onde nunca pus os pés, nem tenho intenção de pôr. Ninguém alguma vez me verá como contribuinte de "operações coração"!... E como eu, desconfio bem que muitos sportinguistas hão-de fazer mesmo! Que sejam todos felizes, a começar por Paulo Bento e a terminar nos paus mandados que ainda passeiam pelos corredores federativos. Estes últimos jamais me poderiam surpreender. Aquele terá permitido a muita gente compreender os porquês de ontem, como hoje e amanhã por certo, não ser capaz de deixar de andar permanentemente envolvido em guerras, questiúnculas e polémicas. E a imagem de seriedade e carácter que obstinadamente tem tentado construir, terá levado uma "borradela" semelhante às patas dos leões da Assembleia da República e, ironicamente, com tinta da mesma cor.
Alvalade há muito se habituou a todo este nojento jogo de interesses. Ainda não se tinha iniciado a abertura dos seus caboucos e já os rios eram desviados, à sachola ou com "bulldozers", para as terras estéreis de Carnide. Nada que nos tenha surpreendido! Pois se até um ex-presidente leonino ajudou à festa e hoje, passados mais de 10 anos, o leito original ainda não foi completamente reposto!...
Espero e desejo que a dignidade do Sporting Clube de Portugal seja defendida, por quem de direito! Nem que a vaca tussa !!!...
Leoninamente,
Até à próxima

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Não percebo "nadica" de nada!!!...

A comadre João Ferreira, parece ter-se zangado com a comadre Luis Guilherme!... Se o saudoso Fernando Pessa fosse vivo estaria a esta hora a dizer: "... E esta, hem ?!..."
Como poderá ser apreciado aqui algo irá mal no reino das comadres!... Quem me diz o que se está a passar?!... Eu não estou a perceber "nadica " de nada !!!...
Leoninamente,
Até à próxima
P.S. - Ai as eleições para a FPF, ai, ai !...

E os 2 pontos da 1ª jornada ?!...

Uma série de decisões dos orgãos competentes da arbitragem do futebol profissional português veio hoje dar razão ao Sporting Clube de Portugal. Incompreensivelmente tarde e sem que os prejuízos causados ao clube possam alguma vez ser minimizados ou anulados, aí estão as consequências dos actos falhados de alguns dos intérpretes arbitrais que o Sporting muito legitimamente contestou e a que agora foi dada completa e inequívoca razão.
Como pode ser apreciado aqui e ainda aqui, foi feita a justiça possível!... Mas sobram dúvidas sobre os castigos que serão aplicados a João Ferreira e Paulo Baptista e os 2 pontos roubados ao Sporting ficarão para sempre a beneficiar os adversários concorrentes ao título. Que não se queixam e ainda chamam "heróis" aos protagonistas desse autêntico roubo de igreja!...
É o futebol que temos e os dirigentes que temos!... Melhor seria que fechassem a "cloaca"!!!...
Entretanto, o "menos mau", o "mau" e o "vilão", como pode ler aqui, estarão reunidos esta tarde, para alinhavarem o "plano da continuidade"!... Receio bem que Fernando Gomes venha a ficar mal nesta fotografia, a menos que, à boa maneira do pescador de robalo, esteja a dar linha para cansar o peixe graúdo!... Tudo são subjectividades neste pântano peçonhento...
Leoninamente,
Até á próxima

Wolfswinkel, um verdadeiro leão !!!...

Há gestos que definem um homem e como um espelho, refletem a imagem de tudo o que transportam no seu interior. Já aqui sublinhei, que o Sporting na presente temporada trouxe para o seu seio um fantástico naipe de atletas. Mas acima dessa agradável constatação, vimos entrar pela nossa porta dentro exemplos sublimes de homens na verdadeira acepção da palavra. Homens que em cada momento e atitude nos dizem que acima dos atributos de excepção que como atletas revelam, são exemplos de verticalidade, princípios e valores. Sempre que à frente dos meus olhos se depara um desses gestos e atitudes. não resisto a apludi-los com emoção, entusiasmo e orgulho. Hoje um jornalista de "O Jogo", Filipe Alexandre Dias, trouxe ao nosso conhecimento um episódio ocorrido no jogo de Famalicão, que pode ler aqui e é uma imagem paradigmática do que acabo de dizer.
Richy van Wolfswinkel não será apenas aquele jogador fabuloso que nos enche de alegrias e saboroso orgulho. É um ser humano de eleição que começa a gerar uma onda de simpatia e reconhecimento, até nos adversários que o defrontam e sofrem as consequências da sua classe e da sua imensa categoria. É um atleta que dignifica orgulhosamente a camisola que enverga e nos faz pecar com a vaidade que em nós se vai instalando, por ser um doss nossos, por ser um homem à altura do glorioso Sporting Clube de Portugal que representa, por ser um verdadeiro leão!...
Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 16 de outubro de 2011

A coragem de construir o futuro !!!...

O jogo de Famalicão terá provocado novas e inesperadas debilidades no sector central da defesa do Sporting, se atentarmos a que de momento, nenhum dos atletas pertencentes ao eixo central defensivo no plantel, se encontra em condição fisica que lhe permita considerar-se 100% apto para o jogo da próxima 5ª feira da Liga Europa. Domingos Paciência admitiu isso mesmo no final do jogo e não será difícil de adivinhar dificuldades durante os próximos quatro dias que antecedem o confronto com o Vaslui.
Daniel Carriço, a contas com uma entorse dolorosa no pé direito, que o obrigou no final do jogo, a regressar ao autocarro amparado por dois companheiros, não deverá estar apto a tempo, já que é previsível que a sua recuperação vá bem para além de uma ou mesmo duas semanas.
Onyewu, substituído ao intervalo por precaução, devido a queixas miálgicas na virilha, é possível que venha a recuperar e possa dar o seu contributo no jogo com os romenos, mas as garantias não serão absolutas.
Rodriguez, jogou os últimos 45 minutos, mas este facto somado ao desgaste provocado por dois jogos completos na selecção do seu país e com as viagens que teve de efectuar, se atendermos à irregularidade que vem manifestando na sua condição física desde que iniciou a época no Sporting, leva-nos a duvidar da sua absoluta disponibilidade.
Anderson Polga, que não alinhou devido a um estiramento na coxa direita,  terá pela frente uma recuperação nunca inferior a uma semana, o que também o impedirá de dar o seu contributo.
Com Polga e Carriço claramente fora de hipóteses de poderem dar o seu concurso à equipa, sobram apenas Onyewu e Rodriguez que, mesmo podendo estar prontos para 5ª feira, não darão garantias suficientes para os 90 minutos e obrigarão Domingos Paciência a fazer uma incursão na lista B de inscritos que o Sporting enviou para a UEFA, para conseguir ter no banco alternativas a qualquer imprevisto, já que não acredito muito que na sua cabeça esteja a intenção de repetir o recurso de Evaldo que utilizou em Famalicão.
Nesta condição, consultada a referida lista, constato que apenas o central Tiago Ilori se encontrará inscrito e terá condições para colmatar as necessidades de Domingos Paciência. Tenho dúvidas sobre se algum outro central junior fará parte dessa lista. A informação que consegui não o garante. Mas porque não dar a este menino da nossa Academia essa oportunidade?!... Assim como a outros que reúnam as condições necessárias?!... É exactamente quando as necessidades o impôem que o Sporting deve partir para o aproveitamento daquilo que de bom o clube produz. Sem medos, sem preconceitos, sem a presunção de pretender fazer sempre tudo bem. Tudo o que é novo na vida transporta consigo os riscos inerentes a essa situação. Mas quantos Maradonas, Figos, Nanis, Messis e Wolfswinkeis ficariam pelo caminho se ninguém arriscasse?!...
Domingos Paciência ainda não estará imbuído desse espírito formador e de risco de que sempre o Sporting foi portador! Mas tem agora uma oportunidade fabulosa para lançar um, ou dois ou três dos nossos meninos na alta roda e não deve perdê-la!... Porque deve compreender que o clube que honradamente representa, também se revê nessa coragem. Na coragem de construir o futuro!... E escuso de dizer que todos os sportinguistas estarão com ele. Sempre !!!...
Leoninamente,
Até à próxima 

sábado, 15 de outubro de 2011

Depois de amanhã pode ser tarde !!!...

Como quase todos os sportinguistas adivinhavam, não foi fácil esta eliminatória da Taça de Portugal, As dificuldades com que o Sporting teve de se confrontar eram espectáveis e só uma equipa que já transporta consigo uma filosofia de jogo que apenas admite a vitória, é capaz de as ultrapassar, sem que alguma vez estivesse em dúvida o resultado final.
O estado lastimável do relvado não deveria permitir que os organismos competentes autorizassem a realização do jogo. Os regulamentos deveriam permitir e mesmo impôr, que o resultado do sorteio fosse invertido, sempre que o recinto desportivo não reunisse as condições mínimas para a prática desportiva. É urgente a criação de uma autoridade credível dentro de FPF, que inviabilize este nojento jogo de capelinhas e de compadrios, que permite que a integridade física dos atletas e árbitros participantes em cada jogo seja todos os fins de semana posta em causa.
A arbitragem de Soares Dias foi aceitável, se tomarmos em consideração que a maior parte dos lances em que possam ser colocadas reservas, se ficaram a dever ao péssimo estado daquele batatal a que alguns chamam de relvado. Todos os jogadores tiveram um comportamento correcto e as expulsões, se bem que pouco ou nada tenham influenciado o resultado final, foram contingências que o árbitro poderia ter evitado, se tivesse mostrado alguma compreensão e "savoir-faire". Rídicula a amostragem de amarelo a Marcelo.
Para além do homem do jogo, Wofswinkel e do habitual acólito Capel, não me atrevo a fazer qualquer outro destaque na equipa do Sporting, que revelou um espírito e um sentido colectivo que esteve na origem desta sétima vitória consecutiva. O nosso "lobo", uma vez mais, impressionou pela frieza nos momentos cruciais, pela sua exímia e espectacular colocação no terreno e pela luta e abnegação que voltou a usar ao longo dos 90 minutos. Começa a ser um caso muito sério de produtividade e nele residirá grande parte do sucesso da equipa. Estamos em Outubro e começa a nascer em mim a dor terrível de sentir que a sua partida no final da época será irremediável. Desejaria que Godinho Lopes e a Administração da SAD, amenizassem rapidamente esta dor que começa a lavrar no meu peito, com a colocação da sua cláusula de rescisão em 50 M€!... A troco seja do que for, mas façam-no já amanhã!... Porque depois de amanhã pode ser tarde !!!...
Leoninamente,
Até à próxima

O leão incomoda muita gente !!!...



Comentários para quê?!...
Pouco passava das três da madrugada, hoje em Lisboa. Apenas se sabe o que pode ler aqui, publicado pela SIC Notícias.
O leão incomoda muita gente!!!...
Leoninamente,
Até à próxima

Ainda Djaló e os "inocentes" !!!...

O Sporting Clube de Portugal, através do Pedro Sousa, assessor ou director - havemos de saber um destes dias!... -  de comunicação da SAD, com a confirmação dada pelo próprio treinador Domingos Paciência, clarificou cabalmente a situação de Yannick Djaló. O jogador rescindiu com o Sporting e partiu para outras paragens, no cumprimento de sonhos e desejos amiúde manifestados. Era um direito que lhe assistia e a que o Sporting acedeu, com a negociação dos direitos desportivos que detinha sobre o atleta, com o clube francês de Nice. Assunto encerrado e ao imbróglio que posteriormente surgiu entre o jogador, o clube francês e as instâncias internacionais competentes, o Sporting é perfeitamente alheio.
Face à indefinição que presentemente o jogador estará a enfrentar, os jornais e outros orgãos de informação, com  a RR à cabeça e mesmo o clube francês, que encontrou em Portugal aliados com que não contaria, têm especulado com o manifesto e claro propósito de tentarem arrastar o Sporting para o vórtice do tornado. Missão que talvez conseguissem noutros tempos de má memória para o clube e para a imensa família sportinguista. Porém, hoje as coisas são completamente diferentes e a única ligação do Sporting ao processo prende-se com o pagamento da transferência, que ainda não terá chegado à tesouraria da SAD. Mas a FIFA e o TAS sempre revelaram no passado a inflexibilidade, que há-de determinar o completo e integral pagamento do acordo estabelecido entre os clubes.
Perdidas as sucessivas batalhas, o batalhão da inventiva especulação, para salvar as vendas em assustadora e vertiginosa queda, que porventura terminará na já badalada insolvência, avançam hoje com mais uma "nuance" da sua desesperada estratégia. O inefável e "credível" Correio da Manhã, secundado pelo Diário Digital e Sapo Desporto, em acção aparentemente concertada, dão Yannick Djaló quase com os dois pés no F.C. do Porto, na reabertura do mercado em Janeiro. Era esperado, sem qualquer réstea de surpresa, o resvalar para este tipo de jogadas. Diria mesmo que corresponde milimetricamente, por um lado à satisfação dos conhecidos egos do dirigente máximo da colectividade nortenha, que os mentores ou autores do pretenso "furo" jornalístico não perdem a oportunidade de continuar a bajular. Por outro lado, corresponde a uma óbvia intenção de abanar as convicções de alguns sportinguistas, de que infelizmente nos vamos apercebendo nos locais mais  lúgubres da leonina blogosfera, que também existem e com os quais todos somos obrigados a conviver, no pressuposto de que a accão autofágica e desestabilizadora destes cruzados do mal possa conseguir por dentro aquilo que forças mais poderosas não conseguiram do exterior.
Seja como for, as palavras de Domingos Paciência traduzem magistralmente o sentimento da grande nação sportinguista: Yannick Djaló é passado!...  Que chegue o mais rapidamente possível ao Sporting o pagamento da transferência, pouco nos importando se vem directamente do Nice ou se a capital do Norte faz ou não de interposto. E que o luso-guineense seja feliz e todos os seus!!!...
Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

André Santos, abre os olhos !...

O jogo de amanhã com o Famalicão será um jogo de dificuldades ultrapassáveis, mas que exigirá àqueles que Domingos Paciência escolher, uma entrega e um espírito de luta à altura do troféu em disputa e das camisolas que envergam.
Não adivinho a equipa que Domingos escolherá para entrar no municipal 22 de Junho. Mas deduzo que André Santos será um dos escolhidos e não me devo enganar. André deverá esforçar-se por pensar que está no Sporting para isto mesmo, para ser utilizado quando a equipa precisar dele. E amanhã vai precisar. Mas ai dele se deixar que amuos ou retaliações lhe perturbem a prestação e que alguma vez lhe serão permitidos. André Santos realizou na época passada 42 jogos pelo Sporting. E satisfez e levou a que Paulo Bento o considerasse como opção válida. Mas que isso não o leve a pensar que satisfez plenamente. Faltaram-lhe sempre duas coisas que se chamam agressividade e entrega total. Faltou-lhe exactamente o que o Sporting buscou e encontrou em Fito Rinaudo. Que ponha os olhos no companheiro, que aprenda com ele, que beba cada pormenor das exibições do seu parceiro de lugar. Porque o Sporting vai precisar que André Santos seja um jogador, mantendo as características pessoais, que nos pareça a quase fotocópia de Fabián Rinaudo. E ele pode vir a sê-lo, se trabalhar para isso, se aprender em cada treino a copiar-lhe a garra, a entrega, a dedicação, a nunca dar uma jogada por perdida. Se André conseguir isso e até pode começar já amanhã a demonstrá-lo, permitirá a Domingos Paciência confiar nele, poupar bastante mais Rinaudo, sem que o Sporting diminua o seu rendimento como equipa e afirmar-se em definitivo como titular indiscutível  na selecção, onde os últimos dois jogos nos disseram de forma categórica que o lugar está vazio.
As dificuldades que adivinho, advêm do lamentável batatal em que os responsáveis pela manutenção do estádio deixaram transformar o relvado e do árbitro Artur Soares Dias, cuja forma de actuar me tem deixado sempre algumas reservas. Não direi que é um mau árbitro, mas ainda não exibe aquela segurança que é apanágio dos bons árbitros. Oxalá que o apito e a relva - ou a ausência dela - não sejam razões suficientes para nos impedirem amanhã, de assistirmos a um verdadeiro jogo de taça. E oxalá, naturalmente, que o Sporting jogue bem e traga uma vitória para Alvalade.
Leoninamente,
Até à próxima

Cuidado, há fontes que secam !!!...

O Sporting alterou o seu rumo na importante área da comunicação para o exterior. Bastaram dois ou três episódios para o demonstrar cabalmente. Os vampiros bem esperneiam e esvoaçam em torno de tudo o que lhes pareça capaz de alimentar a sua voracidade, mas vão tombando inertes no chão que sustenta a inexpugnável parede leonina.
Primeiro foi a desistência da candidatura de Filipe Soares Franco. As voltas que os morcegos deram em torno de Alvalade. As investidas que protagonizaram e nada! Nem uma pinga de sangue conseguiram colher. Alguns sportinguistas ainda se puseram a geito, mas, exceptuando uns meros latidos, ouvidos aqui e ali, a caravana lá prosseguiu o seu caminho.
Depois foi o caso Luis Aguiar, que a imediata instauração de um processo disciplinar, com o bastante provável apagamento do Sporting e de Portugal da rota e carreira do jogador, reduziu a cinzas. A bem da verdade, aqui presto a minha homenagem ao comentário civilizado do íntegro, conceitudo e intelectualmente intangível Júlio Machado Vaz no programa Trio d'Ataque. Estaremos eventualmente a assistir ao aparecimento, nos meandros do comentário desportivo, da primeira grande estrela, em muitos e estafados anos de benfiquismo bacoco e impertinente, que consegue o nosso respeito e a nossa admiração.
Finalmente a novela Yannick Djaló, cavalo onde, inexplicavelmente, ou talvez nem tanto, a RR parece ter colocado as fichas todas. Outros apostadores se perfilaram no "guichet", mas Pedro Sousa, às 21.54 de 4ª feira, acabou-lhes com a raça, com as fichas, com as intenções e com os sonhos. Disse este nosso homem, que ... "no passarán" !... E disse-o de forma a que "records" e "bolas", "cêémes" e "renascencistas" de batina ou de camisolas coloridas das cores que sabemos, se fossem deitar nesse dia, com aquela dor que exibe o marido quando sabe em último lugar que a mulher escorregou na calçada. Como sportinguista, danado com toda a gente que continuava, no Sporting, a saudar com educação e respeito, quem nos ofendia em cada esquina, gostei da exibição comunicacional de Pedro Sousa. Que os mentores e executores de toda a má língua anti-sportinguista que bem conhecemos se escarmentem: se a vossa situação económico-financeira, com um pequenino empurrão, puder estar prestes a escrever-se insolvência, tenham cuidado com o que fazem aos 3 milhôes, porque as fontes, outrora fartas e caudalosas, podem secar!... Pedro Sousa não é cesteiro, mas ontem fez-vos um cesto! E pode fazer-vos um cento!!!...
Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Dizem que Pedro Sousa afinal é Director !,,,

De uma noticia destacada de "O Jogo on-line", que pode ser vista aqui, foi com alguma surpresa e agrado que consegui retirar algumas conclusões interessantes, a saber.
Em primeiro lugar, desta vez o Sporting não ficou, como vinha sendo hábito, à espera de ver em que paravam as modas. Avançou com rapidez e clareza para o esclarecimento cabal de que concluiu o negócio da transferência de Djaló para o Nice, com as assinaturas da resolução do contrato com o jogador e da transferência dos direitos desportivos para o clube francês, na véspera de o prazo expirar. Inapelável, curto e conciso!...
Foi ainda explicado que o jogador esteve mais de 12 horas em França, no último dia de inscrições, para chegar a acordo com o Nice, assinar contrato e ser oficializado na FFF. Sem apelo!...
Mas a maior surpresa e motivo da minha profunda satisfação, foi saber que esta posição do Sporting foi veiculada pelo Director de Comunicação do Sporting, Pedro Sousa!... Nem mais, é o jornal que o diz e saberá porquê. Agora compreendo a resposta pronta e eficaz do Sporting e fiquei a saber que afinal Pedro Sousa não será bem um acessor da Sporting, SAD. E ... o homem mexe-se, não é?!... E sabe muito bem, como e onde !...
Leoninamente,
Até à próxima

A estatística e o novo Sporting !...

Não resisti a transpor para aqui um estudo desenvolvido pelo jornal "O Jogo", que poderá não ter chegado a todos. Um bom trabalho de Jean-Paul Lares, que dignifica o próprio e o jornalismo desportivo português.

                                Ninguém joga mais à bola que o leão                    

Domingos Paciência chegou a Alvalade com a missão de construir um novo Sporting e foi incumbido pela então recém-eleita Direcção de dotar a equipa de uma identidade própria, dominadora, agressiva, própria de um candidato ao título comprometido com a obrigação de proporcionar bons espectáculos aos seus adeptos. Ora, segundo os números acumulados ao longo das primeiras sete jornadas da Liga ZON Sagres, está no bom caminho: é que não há equipa em Portugal que jogue mais à bola que a do emblema verde e branco. Ou seja, a formação de Domingos é aquela que contabiliza maior número de bolas jogadas e também a que melhor uso faz de cada uma, já que também está à frente da concorrência não apenas no número de passes efectuados como também naqueles que são feitos de forma correcta e com o melhor destino.
Os leões lideram ainda no número de faltas sofridas e, por consequência, no total de livres directos favoráveis.
Certo é que a filosofia de Domingos Paciência - defender e pressionar mais à frente, tentando recuperar a bola no campo do adversário - começa a dar os seus frutos; a série de seis triunfos consecutivos, entre campeonato e Liga Europa, é disso o melhor exemplo. E também ilustra uma tendência que tem igualmente expressão nos números oficiais: 48,4 por cento do tempo de posse de bola do Sporting corre com esta jogada no campo do adversário, o que coloca a equipa de Domingos no grupo que mais tempo passa no terreno do seu oponente.
A força do meio-campo é um dos grandes trunfos desta revolução e está na base da criação de uma identidade que parece assumir forma definitiva: com a parceria estabelecida entre Rinaudo, Schaars e Elias, o sector intermédio assegura simultaneamente intensidade e profundidade na pressão, capacidade de gestão da posse de bola e até presença efectiva no último terço do terreno, sobretudo através dos remates e livres do holandês e das movimentações do internacional brasileiro, mais próximo do avançado.
4210  O número de bolas jogadas pelo Sporting ao longo das primeiras sete jornadas, número que faz dos leões a equipa que mais contactos tem em toda a Liga ZON Sagres, a uma média de 601,4, a uma boa distância do Benfica, segundo desta lista, com 587,3 bolas jogadas por encontro.
2734  O número de passes correctamente executados e bem dirigidos pelos leões no campeonato. O Sporting é o clube que maior número de passes certos efectuou - a uma média de 391 por jogo, acima dos 383 do segundo da lista, o FC Porto, e exibe uma boa percentagem de eficácia: 75%.
48,4  A percentagem do tempo de posse de bola no meio campo do adversário, número que coloca os leões ao nível do FC Porto e ligeiramente atrás do Benfica (48,9).
136  As faltas cometidas sobre os jogadores do Sporting, valor que faz dos leões os mais castigados de  toda a Liga ZON Sagres, a uma média de 19,4 faltas sofridas por cada partida jogada.

Já não são só os elogios que de todo o lado chovem, ao excelente plantel que mora em Alvalade. Agora é a estatística, essa pretensa filha desprezada da Matemática que, irrefutavelmente, demonstra a qualidade da equipa que está a nascer em Alvalade. Sendo  uma ciência exacta, não podem os dados que ela permitiu verter no papel, ser analisados subjectivamente. Factos são factos e não poderão nunca ser subvertidos ou pintados com a cor que estiver mais à mão. Por isso anda tanta gente surpreendida e incomodada !!!... Nós, sportinguistas, continuamos, tão só e apenas contentes !!!...
Leoninamente,
Até à próxima




terça-feira, 11 de outubro de 2011

Está um frio em Copenhaga !...

E agora ali está Paulo Bento em conferência de imprensa, a ... dizer que, a ... equipa não cumpriu os objectivos, a ... equipa esteve nervosa, as coisas até podiam ser melhores se ... a ... mas nada está perdido, uma vez que 5ª feira até podemos encontrar a ... uma equipa que ... a ... nos permita seguir a ... em frente.
Farto-me de dar voltas à cabeça para me tentar lembrar onde terá sido que vi este filme, mas acreditam que já não me consigo lembrar?!... Pronto, vou à minha vida, porque alegrias, alegrias, agora só as posso ter, vindas de onde vocês sabem. Pode ser que nos apareça pela frente uma Bósnia ou coisa que o valha. Mas, a sério, a sério, vou mudar o rumo para Famalicão!...
Leoninamente,
Até à próxima

Deixava-os a falar sózinhos !!!...

Se eu estivesse no lugar de Paulo Bento, logo à noitinha no balneário, antes do jogo, colocava um ar carrancudo e de muito poucos amigos, pedia silêncio no meio da habitual balbúrdia de egos e vaidades,  pedia que retirassem os habituais auscultadores das orelhas e dizia:
Meus amigos, deixem-se de "paneleirices" parvas, de vaidades saloias e de vedetismos estéreis, que todos sabemos há muito não levam ninguém a lado nenhum, joguem a sério e ganhem esta merda!... Porque se não o fizerem, eu direi no final do jogo, a todos os orgãos de comunicação portugueses, que todos vocês são uma cambada de incompetentes frouxos e vaidosos e que não fizeram népia do que vos tinha recomendado!...
E virava-lhes as costas e deixava-os a falar sózinhos !!!...
Leoninamente,
Até à próxima

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Mais cedo do que tarde !!!...

E vem o Rinaudo e fala da sua felicidade de ser um leão em Alvalade. E a sua família reforça as suas palavras e afirma que sente um Fito feliz nos mais pequenos pormenores. A mãe chega a dizer que é impressionante como ele cresceu no Sporting. E vem o seleccionador argentino e diz que Rinaudo respira saúde e bem estar, que tudo está bem com ele e que é imprescindível no seleccionado das pampas.
 E alguém nos diz, ainda da Argentina, que “Emiliano Insúa precisava de um clube como o Sporting, onde lhe deram toda a confiança, e de tal forma as coisas lhe estão a sair bem que já foi chamado por Sabella para os próximos jogos da selecção. É um excelente sinal!...
E vem o seleccionador do conjunto norte-americano, Jurgen Klinsmann e diz de Onyewu: “Ele está confiante. Chegou bastante bem fisicamente. Penso que as coisas lhe estão a correr de forma fantástica no Sporting. O Gooch motivado é muito importante para nós. Psicologicamente parece-me estar bem. Precisa de continuar a jogar para prosseguir o seu desenvolvimento. O Onyewu está de volta”!...
E vem  André Carrillo e diz que o Sporting é um clube sério e por isso quis vir para Alvalade, onde se sente envolvido por uma grande família que o motiva e incentiva, chamando-lhe pelo nome em cada jogo.
E vem os italianos dizer que o nosso Ricky Wolfswinkel é um "grandíssimo giocattore" e já o comparam com Filippo Inzaghi. Querem levá-lo já em Janeiro, mas o ingleses dizem que estão em primeiro, porque já pensaram nele antes do Sporting, que os comeu de fininho.
E vem o Futre, confirmar aquilo que a imprensa de nuestros hermanos diz sobre Diego Capel, que no Sporting se tornou um jogador completo, porque ataca e marca golos e defende como nunca em toda a carreira defendeu.
E vem Bert van Marwijk, seleccionador holandês, colocar Stjn Schaars na lista de 23 convocados, para os jogos com Moldávia e Suécia, explicando que "... Schaars está a melhorar bastante. É óbvio que necessitava de um novo impulso na carreira e precisava de jogar a um nível superior..."
E vem Mano Menezes e leva-nos por uns dias o Elias, porque é imprescindível na canarinha, que é só a melhor selecção do mundo e com um campo de recrutamento onde evoluem quase 80% dos jogadores que constituem a nata do futebol mundial.
E vem Paulo Bento e leva-nos Rui Patrício e João Pereira, derretendo os críticos que continuam a criticar-lhe as opções, com argumentos de embirrações e quejandos.
E no meio de tudo isto, o que sentimos nós sportinguistas, por esta chuva de estrelas que de repente desabou sobre as nossas cabeças?!... Esfregamos os olhos de incredulidade e receamos largar a maldita da depressão que nos menorizou e entristeceu durante os últimos, dolorosos e extensos anos?!... Mas então estamos todos doidos, ou nunca mais nos libertamos da terrível pequenez, que quase conseguia o milagre de abafar o nosso orgulho leonino, de calar as nossas gargantas e de imobilizar as nossas mãos, metidas nos bolsos, a apertar qualquer coisa que doía por dentro sempre que qualquer adversário se acercava da nossa baliza?!...
Amigos, alegria é para ser sentida, vivida, desfrutada em cada minuto. Alegria não é inchaço do peito, nem olhar franzido de superioridade. Alegria é enrolar o cachecol ao pescoço e rumar a Alvalade com uma certeza maior que nós. Alegria é ligar o televisor meia hora antes do jogo, para beber todos os pormenores que os pascácios vermelhos dos comentadores vão vomitando e saltar do sofá a cada golo gritando, goooooooooooolo do Spooooooooooooorting !... Alegria é deitar fora todos os lápis e papéis de contas classificativas e deixar decorrer cada uma das 23 jornadas que ainda faltam, como se fosse única, como se fosse uma final. Alegria é pressentir que temos uma equipa fantástica, treinada por um homem inteligente e trabalhador, que já interiorizou a grandeza do clube que decidiu representar e honrar.
Por mim, vivo esta alegria com a simplicidade leonina que me ensinou a inabalável fé sportinguista. A mesma fé que já me fez esperar horas de encantamento e êxtase, metido com a minha mulher no meu carro, em brutais engarrafamentos de celebração de títulos nacionais na Avenida Lourenço Peixinho em Aveiro e queimar repetidamente os pobres dos cláxons de tanto "gritarem" Sporting!... E há em mim a certeza de que se não for desta vez, outra vez será! Mas será mesmo ! Mais cedo do que tarde!!!...
Leoninamente,
Até à próxima


Estás no nosso coração André Carrillo !!!...

Em entrevista ao jornal Sporting, que irá para as bancas amanhã, André Carrilho dá a conhecer o seu pensamento sobre a grandeza, valores, cultura e massa adepta do Sporting. Há algumas afirmações suas, que por desvanecedoras para a grandiosa nação sportinguista, me surpreenderam por tão cedo serem expressas por um homem com meia dúzia de meses de leão ao peito. Mas de tudo o que afirmou ao orgão oficial sportinguista, gostaria de destacar:

"Escolhi o Sporting, porque é um clube sério"!...

"É muito bom pertencer a um clube em que os seus adeptos apoiam todos os jogadores, estão sempre a aplaudir-nos e a gritar pelos nossos nomes. Isso é mesmo muito bom para qualquer equipa e nós temos a sorte de ter uma família assim, que está sempre presente. É esse apoio que nos dá tranquilidade durante o jogo"!...

Com palavras simples, este menino que o Sporting foi buscar ao Peru, ainda a despontar para uma carreira que todos adivinhamos sublime, sempre de cabeça levantada e com os pés deslizando suave e elegantemente sobre a bonita relva de Alvalade, já exibe orgulhosamente o leão que começou por ostentar no peito e deixou que em pouco tempo lhe inundasse a alma!...
Se alguém tiver a curiosidade de pretender saber o porquê, que busque as razões que levaram Juan Seminário, Hector Yazalde, Alberto Acosta e tantos outros a abrir o seu coração e deixarem-se envolver por um amor que lhes ficou para sempre instalado na alma!...
E aqueles que, intolerantes e cegos por sentimentos rasteiros, deixam escapar de vez em quando um assobio ou uma vaia, pensem se o amor que dizem sentir pelo Sporting alguma vez tem comparação com as palavras e o sentimento deste menino de Lima que chegou há dois dias a Alvalade...
Estás no nosso coração André!... Havemos de te apoiar sempre, em tudo o que fizeres. Mesmo que nem sempre resulte bem, nós estaremos cá para te aplaudir, para te incentivar, para te motivar, para te empurrar para o êxito, que sendo teu, será sempre nosso!...
Obrigado por dizeres, assim, de forma tão simples, que "... temos a sorte de ter uma família assim..."!... Nós, Sporting, também dizemos que temos muita sorte por te ter recebido no nosso seio. Que sejas feliz André. Que o futuro te sorria e tenhas o êxito que desejas. E independentemente do teu amanhã, sempre ficarás no nosso coração!....
Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE