segunda-feira, 15 de junho de 2015

E o dia 1 de Julho nunca mais chega!...


Os croqueteiros

"Bruno Carvalho encontrou o Sporting em tal agonia que se viu forçado a aplicar um programa semelhante ao da troika: cortar a direito. Despachou os jogadores mais caros, procurou reequilibrar o plantel sem grandes gastos, confiou num treinador jovem e competente, e contribuiu – com erros pelo meio, é certo – para que os leões ganhassem o primeiro título em sete anos e voltassem a ter a possibilidade de jogar a Champions.

Se mantivesse essa política – e a SAD fecha a época com quase 30 milhões de euros de lucro – teria de seguir a estratégia de Passos Coelho: continuar a cortar nos salários à medida que as receitas fossem minguando. E sabendo que jamais cresceria se não tornasse a ser campeão.

A contenção orçamental que os rivais terão de adoptar e o "desinteresse" de Luís Filipe Vieira pelo técnico bicampeão deram-lhe a oportunidade que não poderia desprezar: era agora ou nunca mais. A contratação de Jorge Jesus dá-lhe a certeza de que o Sporting tomará a iniciativa de tentar ganhar todos os jogos, com isso enchendo o estádio e galvanizando jogadores e adeptos.

A história do dinheiro é uma falácia: consiga Jesus a qualificação para a Champions e logo entrarão 2 milhões de euros por vencer o playoff, mais os 12 milhões da fase de grupos. Ou seja, em Setembro próximo, o Sporting pode ter já garantido o total a pagar a Jesus pelas três temporadas!

É verdade que a forma como se processou o afastamento de Marco Silva foi miserável, mas a vida é o que é. E é também tempo para a brigada do croquete, que pretende honrar os pergaminhos do seu passado e continuar a enterrar o Sporting, ficar a brincar com os netinhos e deixar a bola rolar. Depois, se ainda tiverem voz, então falem.
(Alexandre Pais, Canto Directo, in Record)

"A história do dinheiro é uma falácia", diz e bem Alexandre Pais! Já por aqui deixei exactamente o mesmo pensamento.  Com as linhas mais recuadas a actuarem como o fizeram ao longo de toda a época há pouco terminada, com um tão miserável controle de profundidade, o "playoff" de acesso à fase de grupos da LC, esse sim, seria uma falácia e o nosso destino seria, incontornávelmente, a LE.

Com Jorge Jesus abre-se a oportunidade de lutarmos no "playoff" com armas que nos poderão garantir o acesso à fase de grupos da LC. Nada estará garantido , é certo, porque tal dependerá de um incontornável número de factores. Mas pelo menos essa oportunidade fica em aberto e isso significará um salto enorme em relação ao que seria o nosso fatal destino. 

Do mesmo modo, deveremos olhar para as competições internas. Seria perder mais um ano, continuarmos com a mesma filosofia de jogo, de equipa pequena e sempre dependente do jogo da sorte e do azar e de factores que, decididamente, nunca soubemos, nem viríamos a saber controlar. Com Jorge Jesus será possível sermos nós próprios a construir o nosso caminho, abandonando a nossa crónica pequenez e lutando por algo mais que o terceiro lugar, porque esse seria o maior desígnio possível: nunca as "falinhas mansas para tolos ouvirem", as colossais deficiências de treino e a pobre e limitada argúcia táctica, nos permitiriam dar o salto que a nossa ambição exige.

E o dia 1 de Julho nunca mais chega!...

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. É verdade farto desses croquetes!!

    https://frenteleoninaacredita.wordpress.com/

    ResponderEliminar
  2. Amigo Álamo, perante o exposto...nada me resta para dizer, senão...:

    E o dia 1 de Julho nunca mais chega!...!!

    Bem...ainda vou acrescentar que...

    Eu continuo a acreditar...!!

    Abr e SL

    ResponderEliminar
  3. Quem é que é mais caro: Adrian Lopez do Porco ou Jorge Jesus do Sporting?

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE