terça-feira, 9 de janeiro de 2018

À espera de algum comentário descomprometido!...



A fim da tarde de hoje, difundido alegadamente pela Agência Lusa, caiu nas redacções um comunicado com o seguinte teor:

FPF convida universidades para comissão independente sobre títulos nacionais

«A direcção da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) decidiu esta terça-feira convidar as universidades de Lisboa, Porto e Coimbra para a nomeação de elementos para a comissão técnica independente para estudar a categorização das competições internas.

Fonte da FPF disse à agência Lusa que esta decisão foi tomada na reunião da direcção do organismo de hoje, tendo em vista a integração de investigadores das áreas de História e Direito dos referidos estabelecimentos de ensino superior na comissão, cuja criação foi decidida em Dezembro último.

A comissão vai definir os prazos para a conclusão da categorização das competições internas, a apresentar posteriormente em Assembleia-Geral da FPF, que ratificará ou não as conclusões, explicou a mesma fonte, acrescentando que, desta forma, a direcção federativa manter-se-á alheia ao processo.

O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, tem reclamado que o seu clube tem 22 campeonatos nacionais, por o clube ter vencido quatro Campeonatos de Portugal, prova que foi também conquistada por Olhanense, Marítimo, Carcavelinhos e Belenenses.

O primeiro campeonato português reconhecido é o de 1934/35, prova que foi ganha pelo FC Porto.»


Recebi a notícia com um misto de satisfação e desconfiança, baseado-me apenas no teor do comunicado, pelas razões que passo a enunciar:

1 - A génese da decisão federativa parece-me correcta e de aplaudir: as universidades escolhidas traduzirão à partida os mais importantes focos de saber, cultura e idoneidade que poderemos reunir neste pobre e pequenino país!

2 - A fonte da FPF por si só, ou de braço dado com o(a) jornalista da Lusa, bem poderão limpar as mãos à parece mais próxima, tão sujas elas me parecem, na medida em que,

a)- no primeiro parágrafo referem que as citadas universidades terão sido convidadas para "a nomeação de elementos" para a comissão técnica. 

b) - Esta ideia é reforçada no segundo parágrafo, quando é referido que a decisão da direcção federativa terá em vista "a integração de investigadores das áreas de História e Direito dos referidos estabelecimentos de ensino superior na comissão."

c) - Porém, no terceiro parágrafo, afigura-se-me flagrante a contradição com o anteriormente afirmado, ao ser referido que " a direcção federativa manter-se-á alheia ao processo."

Donde resulta claramente a minha desconfiança: a comissão será formada exclusivamente por investigadores nomeados pelas universidades, ou será também "integrada por músicos e padres da aldeia" nomeados por "partes interessadas"?!...

3 - O penúltimo e último parágrafos refectem, sem ambiguidades, a "indole e boa fé" da "fonte da FPF por si só, ou de braço dado com o(a) jornalista da Lusa", ao colarem, absolutamente à margem e inquinando a isenção que o processo nesta fase deveria deixar transparecer, por:

a) - O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, deveria ser no momento em que é escolhido o caminho a seguir para o definitivo esclarecimento de uma situação que a FPF se tem revelado incapaz de resolver, carta absolutamente fora do baralho e jamais o seu nome e as suas reclamações, justas ou não, deveriam ser para aqui chamadas. Dizem a ética e os bons costumes.

b) Quando a grande e maior questão, entre outras menos relevantes, que aos investigadores dos três maiores centros universitários do país será colocada, será a de saber se aos vencedores das quatro "ligas experimentais" deverão ser atribuídos os títulos de "campeões nacionais", assistimos com repulsa à mais caricata e nojenta posição por parte  da "fonte da FPF por si só, ou de braço dado com o(a) jornalista da Lusa", ao declararem, precisamente acerca da primeira dessas "ligas experimentais", que "o primeiro campeonato português reconhecido é o de 1934/35, prova que foi ganha pelo FC Porto"

Daqui resulta inequivocamente e às claras, que a intenção da "fonte da FPF por si só, ou de braço dado com o(a) jornalista da Lusa", terá sido apenas e tão só, a de não regatear esforços na "ajuda" que terão entendido prestar, extemporaneamente e "com dolo mas sem intenção", aos investigadores universitários na sua ciclópica missão. Por certo que os catedráticos não terão dúvidas sobre se o "dolo teve ou não teve intenção" e humildemente hão-de agradecer penhoradamente à "fonte da FPF por si só, ou de braço dado com o(a) jornalista da Lusa". 

4 - Como seria se esperar entre os jornais desportivos destacou-se até agora A Bola, pelo seu sepulcral silêncio, e os outros reproduziram, textualmente, o "cozinhado" da agência Lusa, sendo óbvio o desconforto de todos...

E por cá ficamos à espera de algum comentário descomprometido!...

Leoninamente,
Até á próxima

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

PUBLICIDADE