sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

O Sporting ainda vive num imenso mundo de preconceitos !...



Talvez o maior pensamento que J.F. Kennedy terá deixado aos seus compatriotas e ao mundo, esteja encerrado na frase de um dos seus mais brilhantes e importantes discursos:

"Não perguntes o que teu país pode fazer por ti, pergunta antes o que podes fazer pelo teu país".

Ontem, na cerimónia de entrega dos Prémios Stromp, Bruno de Carvalho, Presidente do Sporting Clube de Portugal, deixou um fortíssimo e significativo recado que deverá servir para uma profunda reflexão de toda a grande nação leonina:

"Não atribuam prémios Stromp a dirigentes, só pelos simples facto de serem dirigentes, mas sim pelo trabalho que fizeram pelo clube".

De facto, se atendermos à incontornável realidade que terá envolvido a atribuição dos dois últimos Prémios Stromp/Dirigente do Ano, constataremos sem dificuldade, que algo irá demasiado mal no "Reino do Leão", nomeadamente no Grupo Stromp.

As palavras de Bruno de Carvalho, mesmo que a elegância lhe tenha imposto a aceitação do prémio, não deixam de ser um libelo acusatório a todos aqueles a quem têm cabido as responsabilidades das escolhas. Porque colocar no mesmo saco, um a seguir ao outro, o pior presidente da História do Sporting Clube de Portugal e aquele que se vem esforçando com denodo e felizmente com algum êxito, por apagar a página mais negra da nossa vida colectiva, será impossível de compreender por todo e qualquer sportinguista que se preze.

O Sporting ainda vive num imenso mundo de preconceitos !...

Leoninamente,
Até à próxima

2 comentários:

  1. "Não atribuam prémios Stromp a dirigentes, só pelos simples facto de serem dirigentes, mas sim pelo trabalho que fizeram pelo clube...".

    Concordo plenamente...!!

    Aliás "esses prémios " nem nunca deveriam ser atribuídos...

    Ser dirigente do Sporting e cumprir com a missão para que foi eleito...
    Já é o melhor prémio que uma pessoa poderá receber...!!

    Sporting Sempre...!!

    SL

    Boas Festas.,..!!!

    ResponderEliminar
  2. Foi a pensar nessa incongruência que até ele teve dificuldade em receber tal galardão.

    Esperemos que o futuro dê ainda mais razão ao Bruno de Carvalho e que possa fazer jurisprudência na atribuição deste prémio aos Dirigentes vindouros que só o devem receber depois de mostrarem o seu real merecimento.

    Mano Álamo, um Bom e Santo Natal para todos nós

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE