segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

André Carrillo e o exemplo de Juan Seminário...



E de repente, Alvalade teve o privilégio de assistir a uma exibição de André Carrillo diferente do habitual, revelando, finalmente, maior objectividade nas suas acções e o sentido colectivo que tardava em compreender como o degrau inultrapassável que necessariamente terá de transpôr, para se afirmar definitivamente como um jogador de eleição.

Ninguém, para além de Leonardo Jardim, se atreverá a afirmar que o caminho agora empreendido pelo jovem e talentoso peruano, não sofrerá amanhã uma qualquer regressão. Só mesmo o seu técnico parece acreditar que estará próxima a explosão de "La Culebra", quando o vimos aplaudir com um sorriso rasgado de satisfação, o seu envolvimento nas transições defensivas, numa solidariedade colectiva sempre esquecida, e a sua objectividade no esforço ofensivo, traduzida magistralmente na assistência para André Martins, de que resultaria o segundo golo, numa situação onde, habitualmente, o nosso 18 teria tendência para individualizar e acabar por fazer gorar mais um momento de esforço colectivo. 

Mas quase tão importante como o trabalho individualizado que se adivinha virá a ser desenvolvido por Jardim junto do jogador, terá sido a demonstração de Carrillo no derby de sábado à noite, de que estará mesmo disposto a evoluir sob o comando do seu líder e a não desbaratar de maneira quase infantil, a carreira de grande jogador que parece estar ao seu alcance.

Chegam-nos notícias da alegria de "La Culebra" no final do jogo, condimentada com o elogio e estímulo dos companheiros e de toda a estrutura leonina. Todos reconhecem na jovem promessa peruana, as características que podem muito bem levá-lo a um patamar que só os sobredotados são capazes de alcançar. Será um pena que o próprio, entretido a olhar para o seu umbigo, tarde em perceber que tem o privilégio de ter caído na melhor escola de formação do mundo e nas mãos de um treinador como poucos encontrará na sua carreira e que, para sua sorte e felicidade, o admira e vê nele qualidade suficiente para alcançar o êxito que a formação recebida nas suas origens jamais lhe permitiria. 

André Carrillo fará bem se conseguir conhecer de cor a história de um dos mais fabulosos jogadores que terão passado por Alvalade: Juan Roberto Seminário! Peruano como ele, chegou a Alvalade, com um rótulo de qualidade muito semelhante ao que agora acompanhou Carrillo quando atravessou o Atlântico, mas na bagagem trazia, para além disso, uma mentalidade competitiva, um espírito colectivo e uma solidariedade para com as equipas a que pertenceu, que deixaram saudades em Alvalade. Que "La Culebra" tenha a inteligência e o querer suficientes para seguir as pisadas do "Expresso de Lima"!...

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. Pareceu-me um dos jogos mais conseguidos do nosso "la culebra"...a entreajuda, o arreganho a classe...aquele "passe de ballet" com que evitou que a bola saisse pela linha final, para depois a meter no sítio certo à espera do remate fatal...foi de mestre...!

    Seminário...que saudade me deixou esse jogador...!!

    Tenho dois "casos" resultantes da classe desse extraordinário jogador que nos chegou dos distantes Andes...

    Um dia num jogo do Sporting para a Europa, o Seminário fez uma jogada fabulosa...eu bati palmas e um asqueroso benfiquista saiu-se com esta...: que pena não lhe partirem uma perna...

    E eu que até aí sempre desejei que o Benfica ganhasse os seus jogos internacionais..."mudei de linha" e só descanso quando os vejo chegar ao fim...com mais uma derrota...!!

    A outra...: num determinado dia de há muitos anos...3 amigos benfiquistas convidaram-me para ver um jogo na Luz entre o Benfica e o Sporting...
    Um amigo meu sportinguista emprestou-me um enorme chocalho em bronze (daqueles que se punham ao pescoço dos bois...) e eu aí fui com eles para junto da claque benfiquista...
    De repente o Seminário arranca uma daquelas suas jogadas...e eu agitei no ar o dito chocalho, enquanto gritava...Sporting...Sporting...!!
    Bem...foi a primeira e a última vez...
    Pouco faltou para ser agredido no meio daqueles galinholas e logo ali fiz uma jura...: durasse eu os anos que durasse...jamais voltaria a pisar aquelas paragens...(e para o azar ser completo...perdemos...)

    No Sábado...lá estarei a fazer a minha parte e mais um esforçozinho para substituir um ou outro que não possa estar preente...!!

    Sporting Sempre...!!

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Max, muito obrigado pelas duas histórias que nos trouxe e que nos explicarão tanta coisa...

      Perguntam-me à vezes amigos meus benfiquistas, que os tenho e muito prezo, porquê a minha animosidade e de tantos outros sportinguistas pelo Benfica?! Pois, serão muitas e muitas histórias como as que o amigo hoje nos trouxe e outras que cada um de nós sportinguistas já viveu, que nos transformaram em fleumáticos anti.benfiquistas. E note que não será nada contra a instituição Benfica, que me merece e a todos nós, muito respeito. É algo que apenas se resume aos seus adeptos, em que muito raramente somos confrontados com a dignidade e respeito que deveriam nortear as relaçõe entre cores diferentes.

      SL

      Eliminar
  2. "E note que não será nada contra a instituição Benfica, que me merece e a todos nós, muito respeito. É algo que apenas se resume aos seus adeptos..." O SCP são os sócios e o SLB são os 10 benfiquistas que o Álamo conhece. Pobre Maximino.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE