quinta-feira, 12 de março de 2015

Mais dinheiro para o futebol?!...

in Record


Terá afirmado a nova "Fonte do Leão da Estrela", num "encontro em família" convocado para Alvalade e que ali terá decorrido, segundo se sabe, com a presença de alguns elementos da equipa da Direcção chefiada por  Bruno de Carvalho que, por via da pena a que ainda se encontra sujeito, terá entrado mudo e saído calado, entre outras coisas importantes, de que "leoninamente" já demos conta, que o Sporting abre a porta ao reforço do investimento no futebol, nomeadamente na componente salarial, sem que isso signifique qualquer desvio da linha dura de contenção orçamental e de sustentabilidade financeira que vem sendo perseguida.

"O cenário poderá ser posto sobre a mesa a qualquer momento, se esse vier a ser o entendimento da administração da SAD", tendo como suporte o dado comunicado, sobre a existência de um saldo positivo de 16.7 milhões em transacções de jogadores, no 1º semestre de 2014/15: “Temos de cumprir o orçamento a todos os níveis mas, em função do trabalho que foi realizado, podemos fazer transferências de valores. Não há necessidade de continuar a baixar. Um dia pode até haver aumento”.

Estarão abertos portanto, tanto o cenário da concretização de renovações estratégicas importantes e ao valor justo, quanto, direi eu, "leoninamente", a procura no exterior, de soluções ditadas por eventuais lacunas que venham a ser detectadas ou que resultem das condicionantes do mercado.

O Sporting afirma portanto que não irá mudar a sua política! Mas eu terei de confessar que não tenho a menor dúvida de que essa política será imperiosamente mudada, na exacta medida em que nem me passa pela cabeça que possam voltar a ser repetidos os erros cometidos no mercado de Verão do ano passado! 

Compreende-se o "low profile" da narrativa utilizada pela nova, ou restaurada "Fonte do Leão da Estrela", tanto para consumo interno, quanto para o exterior. Mas o reflexo dos "erros do passado recente", não poderá ser ignorado e muito menos repetido... 

E isso implicará uma profunda alteração de política, consubstanciada na incontornável preferência pela qualidade e pelo abandono rotundo e difinitivo da quantidade! Resumindo e simplificando, conseguindo uma radical alteração na relação quantidade/qualidade/aproveitamento, nos antípodas do que foi conseguido no defeso do ano passado! Apenas isso, que já não será pouco!...

A menos que seja julgada admissível, a perda de mais uma época!!!...

Leoninamente;
Até à próxima

Sem comentários:

Enviar um comentário

PUBLICIDADE