terça-feira, 24 de março de 2015

E todos ficamos à espera que o rei abdique e o príncipe seja coroado!...


Terei as mais fundadas reservas sobre o impacto que terá no futebol português a eleição de Fernando Gomes para o Comité Executivo da UEFA, mesmo que isso possa vir a significar, pelo facto de ter sido o mais votado entre todos os 12 concorrentes, a conquista de uma vice-presidência. Temo que entre as permanentes deslocações à Suiça e o tempo que por lá fique retido, a única alteração de monta será a redução substancial do tempo que passará a dedicar à nossa Federação. Mas como as grandes questões do futebol português nunca serão função do tempo que o Presidente lhes dispensar, estaremos conversados.

Já sobre a magistratura de influência que da sua eleição poderia resultar, era preciso que Michel Platini fosse diferente daquilo que é, um "ditadorzito de meia-tigela", ou que a capacidade intelectual do novel executivo tuga, estivesse ao nível, por exemplo, do seu antecessor Silva Resende, para que alguma pequena réstia do Sol da UEFA iluminasse a escuridão e a insignificância do nosso pobre futebol.

Claro que o estatuto sofrerá uma alteração quase radical: de "modestíssimo verbo de encher", passará a "modestíssimo enchedor de verbos" e as penas brilhantes e multicolores duplicarão de tamanho, transformando-o aparentemente num pavão ainda mais imponente! Mas por cá, tudo continuará como dantes, sem que o quartel-general saia de Abrantes e a salubridade do "pântano" venha a ser minimamente alterada, muito bem pelo contrário.

Mas se alguém pensa que a regeneração do futebol português passa pelas mãos de todos este pavões que, parafraseando o advogado do outro, há longo tempo não tomam banho e cheiram demasiado mal, estará redondamente enganado!...

E todos ficamos à espera que o rei abdique e o príncipe seja coroado, conforme a "constituição do pântano"!... 

Leoninamente,
Até á próxima

Sem comentários:

Enviar um comentário

PUBLICIDADE