quarta-feira, 25 de março de 2015

Na verdade, muita coisa bonita pode acontecer em Alvalade, nos tempos mais próximos!...



Uma capa bonita a que hoje o jornal Record publica. E se a ela somarmos a parte mais interessante do seu congénere A Bola, depois da conveniente limpeza do material promocional avermelhado habitual e repetirmos a operação no azulado O Jogo, ficaremos com uma ideia aproximada tanto do passado recente quanto do presente e de uma projecção animadora do futuro.






Na verdade, muita coisa bonita pode acontecer em Alvalade, nos tempos mais próximos!...

Leoninamente, 
Até à próxima

12 comentários:

  1. Que nojo, Rui Patrício, Cedric e João Mário deviam estar no Sporting em vez de estar na selecção e o Sporting paga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez se o caro Superleão for capaz de confrontar a sua opinião com a de Marco Silva sobre este tema, encontre motivos para reflectir seriamente sobre a validade do seu pensamento!...

      Depois, seria bom o caro lembrar-se que os países de top do mercado inrenacional, cada vez mais estão a condicionar as contratações de jogadores pelos clubes dos respectivos países, ao facto de os mesmo serem ou não internacionais pelas suas selecções...

      Dá-me ideia que o caro terá deixado que se instalasse em si uma terrível fobia às selecções, quando o que faltará será uma imperiosa e urgente alteração a nível de regulamentos da FIFA, no sentido de compensar os clubes com retribuições mais ajustadas à realidade actual do futebol, em vez de acumular ano após ano lucros milionários que ninguém sabe onde acabam por desaguar. Daí o mal estar em torno daquilo em que se transformou a FIFA e o facto de haver três candidatos à presidência do máximo organismo mundial, em completa e declarada oposição a Blatter....

      Eliminar
    2. Marco Silva é treinador, ou seja, qualquer dia pode ser chamado a treinar uma selecção qualquer e ganhar milhões sem praticamente ter que fazer nada.

      Chama-se a isso corporativismo, assunto bem conhecido em Portugal e no resto do Mundo.

      Por causa destas tangas, muitos clubes vêem muitos treinadores de grande categoria fugir para as selecções, porque as federações estão cheios de dinheiro porque essencialmente não precisam de pagar salários aos jogadores.

      Ainda agora o Sporting reforçou-se com Ewerton que não brinca na selecção.

      Compensações aos clubes, isso seria estragar o negócios às federações, que pagam uma ninharia pela utilização dos jogadores.

      Afinal não é por acaso que a FPF está cheio de dinheiro e o Sporting está na mais desesperante situação financeira para não mencionar falência.

      Eliminar
  2. vão começando a esfregar as vossas mãos, não deixem arrefecer....

    pró ano é que é!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem aventurados os pobres de espírito!...

      Eliminar
  3. Por isso e que a equipa do Mendes esta como esta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda não está, mas aceitam-se apostas sobre até quando estará!...

      Eliminar
  4. É verdade e pode começar já pela Taça de Portugal.

    Mas, como o amigo saberá, não chega para perpetuar um ciclo. Ou seja, para vencer aqui e aqui, a formação dá, mas para entrar numa senda prolongada de vitórias é necessário contratar um par de futebolistas que façam a diferença.

    E aí entram outros problemas: para os conseguir, é necessário vender, mas, se se vende, perde-se também algo. Porém, como diria o meu avô, o caminho faz-se caminhando e superando cada problema individualmente.

    Já agora, tenho uma dúvida (se fosse só uma...): a tão propalada recuperação económico-financeira do Sporting é mesmo de tal monta para fazer sorrir? Confesso que não percebo patavina do assunto, mas, do que li e pouco compreendi (re-assinalo), a questão das VMOC não é uma espécie de PPP, um problema que se empurrou com a barriga, mas pode configurar um cutelo pacientemente à espera para operar a sua degola?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O caro Rui Remígio terá a sua opinião nas diferentes vertentes que o seu comentário abrange, as quais naturalmente me merecem todo o respeito, mas que de modo algum significará que obtenham a minha concordância.

      Analisando o primeiro parágrafo do seu comentário, permita-me contrapôr que os ciclos de êxitos, dependerão mais de estabilidade e tempo, que de "contratações de futebolistas que façam a diferença"!...

      Quanto à "quadratura do círculo" que apresenta no segundo parágrafo, permita-me também discordar, na medida em que entendo que para alcançar o caminho preconizado pelo seu avô, não será obgrigatório vender, nem as vendas algumas vez significarão a possibilidade de melhorarmos, embora ninguém no mundo possa provar que o contrário também não será possível. Tudo no futebol é subjectivo e ainda ninguém terá conseguido descobrir a "fórmula resolvente"!...

      Sobre as suas dúvidas sobre o que define como "propalada recuperação económica/financeira" do SCP e as famigeradas VMOCs, remeto-o para a nossa ministra das Finaças, que com o país numa situação mil vezes pior que o Sporting, salvaguardados os devidos contextos, afirmou que contraindo empréstimos a juros substancialmente mais baixos que o nosso serviço da dívida externa, esta poderia ser alvo de pagamento antecipado, com claro benefício para a situação financeira do país, quer pela redução de juros, quer pela dilatação dos,prazos de pagamento. Ora, a menos que o caro Rui Remígio seja um inveterado e puro sacristão "laranja", não vejo porque a argumentação de Maria Luís Albuquerque não se possa aplicar ao Sporting: "enquanto o pau vai e vem folgam as costas"! Portugal, como pessoa de bem, pensa em pagar os seus compromissos, tirando vantagem do diferimento dos prazos! Ora ao Sporting Clube de Portugal, como pessoa de bem que também é, porque lhe terão de estar vedados os mesmos caminhos e há pessoas como o caro Rui Remígio, que ocupam grande parte do seu tempo em projectar cenários apoclípticos, quando o prazo subjacente às VMOCs - até 2025 - será incomparavelmente mais moderado e confortável que a dívida externa portuguesa?! Ou será que as simples letrinhas VMOCs o assustam assim tanto?! Já se perguntou a si próprio, que ordem de cuidados teria Maria Luís Albuquerque, se fosse Presidente do Sporting Clube de Portugal, em vez de ser ministra das Finanças?!...

      Tudo tem o seu tempo para ser resolvido, quando os horizontes não se situam no "curtíssimo prazo"! Ora essa terá sido a primeira, grande e incontornável vitória de BdC sobre a banca credora do SCP. Agora que teremos 10 anos para nos prepararmos para o pagamento dessa "dívida colossal", deveremos permitir que as nossas perninhas tremam como as de um "caloiro" no primeiro dia de aulas?!...

      Eliminar
    2. Em minha modesta opinião, a questão é um pouco essa, a de empurrar com a barriga. Mas...
      Mas é um problema a 10 anos e 10 anos é muito tempo e permite muita coisa. Por exemplo: se consolidarmos o equilíbrio de Tesouraria e se se tornar "hábito" termos Contas no positivo, se calhar não temos que recear as VMOC. Mal seria se precisássemos de ter 127 milhões! A continuar o nosso caminho com o atual critério, precisaremos de muito menos. E cumpridos os 10 anos, logo se verá.
      Seja como for, as VMOC transformar-se-ão em Capital Social, ações B, pelo que o Sporting Clube manterá, sempre, a maioria de votos na Sporting SAD.
      Contudo, repito: isto é o que eu acho que fui capaz de compreender, ou seja, não estou seguro de que seja 100% como disse.
      SL

      Eliminar
  5. «Sporting é o viveiro da seleção». Depois a fábrica de talentos está sediada no Seixal.

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE