sábado, 21 de março de 2015

E todos viverão bem na ilegalidade!!!...



Viver bem com a ilegalidade

"A oportuna gastroenterite de Tiago Rodrigues é apenas o último episódio de uma novela que já fede, tantos são os capítulos a repetir a mesma história. Na jornada passada o azar tocou a Kayembe, coitado, que se lesionou à última hora e acabou na bancada após sete jogos a titular. É preciso ter pachorra para aturar quem trata os portugueses que gostam de futebol como gente estúpida. É verdade que não podemos fazer nada. E que quem pode não faz. Afinal, vivemos bem com a ilegalidade.

O que vai acontecer certamente é que a lei dos emprestados será mudada após tanto crime cometido. As instituições fecharão os olhos a quem prevaricou e tudo ficará bem. O exemplo vem de cima. Se hoje um primeiro-ministro que não paga impostos acha que não tem que se demitir, porque terão de ser todos os dirigentes e treinadores honestos? Ninguém vê isto como violar a lei.

Mesmo que semana após semana se repita a ilegalidade, no fundo, é só fechar os olhos à regra que não dá jeito. Já vimos este filme com Miguel Rosa e Deyverson e esses nem emprestados eram. Os interesses confundem-se, a transparência é cada vez mais opaca e são poucos os adeptos que aceitam como limpos os triunfos dos outros. Porque a um crime nosso, há sempre um pior do rival a citar. Sim, isto fede.

Discursos como os de Lopetegui ajudam ao descrédito. Para o treinador espanhol o que coloca o Benfica na frente são as expulsões. Não se deu sequer ao trabalho de as analisar. Infelizmente, é já mera caixa de ressonância. Se há onde pegar nas arbitragens do campeão, não é aí. FC Porto e Benfica, como os outros diga-se, há muito que deixaram de se preocupar com a verdade. Cada um tem a sua. E vende-a o melhor que sabe. E nós vamos engolindo. Uns mais do que outros. Chega?" 


Sim, o futebol português vive na mais completa ilegalidade! Os interesses subvertem a verdade desportiva. A transparência é uma figura de retórica de opacos dirigentes que os tribunais se recusaram a condenar, com álibis que nem aos próprios decisores convenceram. E os adeptos dos beneficiados, engolem alegremente o rícino da mentira e da trapaça, a troco de faixas encomendadas, porque no segredo tumular dos gabinetes, os resultados combinados, a alternância de campeonatos e direitos televisivos, há muito que foram acertadas, numa reedição do Tratado de Tordesilhas!...

Numa Federação Portuguesa de Futebol absolutamente dependente de uma linha ditatorial imposta pelo Presidente, digno representante amanuense do escol do dirigismo tuga, vegetam os submissos lacaios de toda uma estrutura amorfa, incompetente e sem réstia de dignidade, desde a direcção aos conselhos responsáveis pela Disciplina, Justiça e Arbitragem e imperam os ditames dos dois subscritores do "tratado"!

Numa Liga Portuguesa de Futebol Profissional, cava-se a vala comum onde será sepultada a desgraçada amálgama de clubes inocentes e dignos, liderados por estúpida quadrilha de dirigentes brutos, cegos, pacóvios e presunçosos, à espera das migalhas que nunca cairão da mesa, quiçá meretrizes de beira da estrada, a quem os dois chulos mandantes, amanhã darão o pontapé no trazeiro, sem que se livrem "semana após semana", das chapadas que vão levando nas trombas.

E num Governo de Portugal, o ilustre e "guerreiro" secretário, vai assobiando para o ar, enquanto os seus acólitos discutem o sexo dos anjinhos de toda esta humilhante procissão!...

Fora do palco, vai esperneando o actor proscrito que não coube no elenco e mais três ou quatro actores secundários, sem papel e sem função, porque nem para espernear terão coragem!...

O drama aproxima-se do seu final! Depois virão as praias, as água quentes em mares de "fundos" e rios de milhões e lá para Agosto, virá Moliére com as pancadas sacramentais, anunciar a mesma peça, com o mesmo argumento e ligeiríssimas alterações na encenação! E correrá de novo o pano, não sem que antes alguém grite, "fora de cena quem não é de cena"!...

E todos viverão bem na ilegalidade!!!...

Leoninamente,
Até á próxima

9 comentários:

  1. Este caso do Miguel Rosa e Deyverson e para mim uma vergonha e vai acontecer mais vezes,nao engulo tudo o que faz LFV.Devia ser como em Inglaterra,limite na quantidade de emprestimos(clube X so pode emprestar 2 jogadores a clube Y) e impedimento de jogadores de defrontar a clube mae.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devia ser, mas não é caro nonameslb, sendo o Benfica e Porto os únicos responsáveis pela continuação desta atrocidade competitiva! Para além de que Miguel Rosa e Deyverson nem sequer são emprestados. Mas ainda bem que para o caro "nonameslb" isto constitui uma vergonha e que não engole tudo o que de nefasto LFV traz ao futebol português. Olhe que não deve haver muitos benfiquistas a pensar assim. Talvez nem ultrpassem os dedos das mãos! Uma pena, mas é a verdade nua e crua!...

      Eliminar
    2. O caso do Rosa e o Deyverson não é comparável pois não é abrangido pela legislação vigente. São jogadores do Belenenses oferecidos pelo Benfica sob determinadas condições e cláusulas que são perfeitamente legais.

      Já o caso dos emprestados está legislado e regulamentado pelas leis da Liga mas o único clube que não cumpre, com a ajuda de chico espertices, e passa incólume é o Porto.

      Têm 10 jogadores emprestados a 7 clubes e ainda nenhum dos emprestados jogou contra eles.

      Eliminar
    3. E o "anónimo atento", lá do alto da sua "cátedra vermelha", diz-nos que consegue ver o "argueiro" nos olhos dos outros, mas é incapaz de ver o "barrote" que tem defronte dos seus! Estamos todos esclarecidos, faltando apenas que nos venha esclarecer, qual o SUPORTE LEGAL, que permite ao Benfica, OFERECER jogadores ao Belenenses e estabelecer as tais CONDIÇÕES E CLÁUSULAS PERFEITAMENTE LEGAIS!!!...

      O "anónimo atento" deve julgar-nos todos estúpidos!!!...

      Eliminar
    4. Estúpidos talvez não, mas que armados em espertos sofrem de ignorância estupidificante, com toda a certeza!

      O mesmo suporte legal que permite aos clubes que compram jogadores com cláusulas por objectivos, como a venda do Rodrigo ao Valência tipo, "se jogar 20 jogos ou mais paga mais 5M€", e o clube comprador impedi-lo de atingir os 20 jogos para não ter de pagar o "aluguer", impedindo-o assim de jogar. Percebido?

      Já se informou se o seu clube não fez já o mesmo?

      Eliminar
  2. Quanto a esta história dos emprestados, não há volta a dar: comprovar a prática ilegal é difícil, se não mesmo impossível. Legisle-se, por isso, de forma clara os empréstimos e posse partilhada de direitos económicos. Naturalmente, restringindo o número de emprestados, impedindo à partida a sua utilização, e impedindo a partilha de direitos económicos. A meu ver, é a única forma de moralizar. Tudo o resto são aparências.
    Depois há outro aspecto da crónica do Bernardo Ribeiro que me dá um certo asco, quase ao nível das práticas denunciadas:
    O amigo Bernardo faz como todos os seus colegas da CS: usam os seus editoriais para fazer figura de gente preocupada com as atrocidades do futebol português. Parecem aqueles que vão ao Domingo à missa para no resto da semana chafurdarem à vontade na vida pecaminosa.
    Tanta indignação com as ilegalidades e com os discursos inflamados, mas o que é que vemos na linha editorial do jornal Record? Olhem a capa de hoje: entre denunciar uma ilegalidade ou dar destaque ao bate-boca, o que é que o Record escolheu? O caso do Tiago Rodrigues fica ali no cantinho para não dar muito alarido. Na semana passada, com o Kayembe, idem.
    Vá lá, que a 05/12/2014 destacou o "Mistério" da ausência de Miguel Rosa e Deyverson. Mas, se calhar, só este caso é que lhe dói mesmo na consciência.
    São todos, e continuarão a ser, subservientes aos clubes, federação e liga. É quem os alimenta.
    A semana passada o director do SEF denunciou a existência de ilegalidades na imigração de jogadores em clubes da 1.ª liga. Algum órgão da CS se indignou ao ponto de puxar para cabeçalho da 1.ª página, ou de procurar apurar os casos? Toda a gente soube do atleta júnior do Porto que foi apanhado na fronteira, a viajar separado do resto da equipa quando veio de Madrid. Desde então, silêncio absoluto.
    Os responsáveis da CS entram todos no saco imundo do futebol português. É dele que precisam para que os seus postos de trabalho subsistam. O resto é conversa de Maria Madalena.
    Como diria o outro... "É preciso ter pachorra para aturar quem trata os portugueses que gostam de futebol como gente estúpida."
    Saudações desportivas (desculpem não ser leoninas, mas sou benfiquista;)),
    nuno

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordarei sem vacilar com o primeiro parágrafo do comentário do caro benfiquista Nuno! Mas quanto às considerações que faz sobre a CS e em particular sobre BR, parecem-me incoerentes e injustas! Se há jornalistas que assumem a coragem de denunciar as tremendas ilegalidades cometidas no futebol português, o sub-director do jornal Record, tem sido um deles, desde que me lembro de ler os seus textos, há muitos anos, mesmo nos tempos dos consulados de Alexandre Pais e do justamente escorraçado pela Cofina, João Querido Manha!

      Despejar todo o jornalismo português na sargeta, como se deduz da generalidade do seu comentário, parece-me demasiado redutor e tremendamente parcial, quando todos os adeptos do futebol não terão dúvidas sobre a determinante influência do Benfica nos dois jornais desportivos de Lisboa, e do Porto, no jornal de Joaquim Oliveira.

      E não ser capaz de separar o trigo do joio, entre toda a mediocridade e subserviência do jornalismo português, metendo tudo no mesmo saco, já poderá ser entendido como intencional má fé, na busca de argumentos para a defesa de "sua inimputável dama"!...

      Com semelhantes argumentos, nem necessitava de afirmar o seu benfiquismo! Todos perceberíamos perfeitamente! Na verdade "é preciso ter pachora para aturar quem trata os adeptos de clubes diferentes do Benfica, como gente estúpida"!...

      Eliminar
  3. Álamo, é isto que começa a branquer-se neste campeonato e que começa a cair no esquecimento de muitos.
    O campeonato é mentiroso, as arbitragens vão melhorar e muitos vão esquecer-se da vergonha que foi a primeira metade com campeonato.
    'Roubei-lhe' o texto do Bernardo para dar eco ao mesmo e espero que não leve a mal.
    Abraço e SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Permita que o corrija caro "grandeartistagoleador", quando afirma que "as arbitragens vão melhorar"! Não posso impedi-lo de assim pensar, mas a minha convicção só poderá ser em absoluto, contrária à sua, enquanto todo o futebool português não se regenerar, facto que, pelo caminho que as coisas levam, apenas acontecerá quando as suas barbas começarem a encanecer, se os deuses mesmo assim o permitirem, coisa que ninguém poderá gharantir!...

      Sobre o confessado roubo do texto do Bernardo, creia que a causa é tão nobre que apenas me poderá trazer orgulho e satisfação.

      Abraço e SL

      Eliminar

PUBLICIDADE