terça-feira, 31 de março de 2015

A primeira "operação renovação" falhou estrondosamente!...

Alegria justificada!...
E o jogo de hoje à noite contra a selecção de Cabo Verde, que por aqui admiti como podendo transforma-se no "jogo da renovação" que Fernando Santos poderia começar a ensaiar para a fase final do França 2016, acabou por ser a confirmação de que muito dificilmente mais de metade daqueles que pisaram o relvado do António Coimbra da Mota, terão categoria suficiente para voltarem a merecer a atenção do seleccionador nacional em futuras convocatórias.

De todos aqueles que tiveram o privilégio de vestir pela primeira vez a camisola da selecção principal de Portugal, com nota positiva e por ordem decrescente, apenas Bernardo Silva, Paulo Oliveira, Ukra e André André. Dos restantes e pelo mesmo critério, salvaram-se Vieirinha, João Mário, Adrien Silva e Cedric. Nos restantes, a nota negativa acompanha-os a todos, pelo que não correram o que o jogo e a oportunidade exigiam e pela categoria que não revelaram, para poderem ser tidos em conta como soluções de futuro.

Com apenas um treino, pouco mais Fernando Santos poderia pretender, que empenhamento e demonstração de talento. O empenho não se viu e o talento foi escasso. E Cabo Verde regressa a casa com o cheque e uma vitória, ambos amplamente merecidos. E se é certo que o valor mais alto neste encontro, era a solidariedade, talvez não fosse preciso levá-la a extremos no relvado.

A selecção de Cabo Verde, numa exibição conseguida, revelou entrosamento e e solidez, com excelente coesão defensiva, sobressaindo Varela e Gegé. Na linha média destacou-se  Nuno Rocha e no ataque Heldon e Fortes fizeram por justificar a vitória. Foi por eles que Paulo Oliveira mereceu o primeiro cartão amarelo da partida e que André Pinto acabou por ser expulso.

Fernando Santos vai ter umas boas dores de cabeça com o quadro que se lhe apresenta. A começar na baliza e a acabar lá na frente, lá terá que continuar a recorrer à "terceira idade" para se qualificar e depois do Euro de Sub-21, fazer um refrescamento de talento e força, porque por aquilo que pudemos apreciar, o filão que hoje entendeu experimentar, parece não merecer exploração.

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. Meu caro,

    Se meter uma série de jogadores para dentro de campo é uma renovação, vou ali e já venho. Renovação é colocar o William Carvalho a titular na equipa principal, por exemplo. A continuar assim, ainda importamos o Katsouranis ou o Karagounis.

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah meu caro, peço-lhe encarecidamente que não volte a repetir essa hipótese dos dois gregos! É que nunca se sabe que tipo de influências o "nosso" Gomes passará a ter lá pelas UEFAs!

      Não sei o que vai ser da nossa selecção, meu caro. Mas que ando apreensivo, terei de confessar. A minha esperança é que VENHA mais alguém além do Rui Águas! Mas já não será para 2016!...

      Obrigado e um abraço também.

      Eliminar
  2. Epá, o Heldon já vale 20 milhões, já o Cédric, Paulo Oliveira, Adrien e o João Mário só valem 15 milhões.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE