quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Acredito que apenas terá sido um dia mau de Pedro Santos Guerreiro!...


Resultados

«Em semana de grande entrevista de Jorge Jesus e (da tentativa) de contra-entrevista de Luís Filipe Vieira, a notícia passou talvez despercebida. Mas quem já escreveu um milhão de vezes nesta coluna sobre os péssimos resultados económicos do Sporting no passado não deve deixar passar em branco os lucros do presente. São eles a garantia de futuro possível de um clube que chegou a estar num estertor insuportável.

A SAD do Sporting apresentou os seus melhores resultados de sempre, com boa prestação operacional e lucros expressivos. Isto resulta da fortíssima reestruturação feita no início do mandato de Bruno de Carvalho, que, por mais que negue, foi forçado pela ‘troika’ dos bancos a cortar custos de uma forma inclemente. Onde Bruno de Carvalho tem especial mérito não é aí. É nas receitas. Porque o Sporting não morreu da cura. Assumiu, por exemplo, um orçamento do futebol que foi quase um quarto do do FCPorto mas conseguiu receitas nas competições europeias, na bilheteira e na venda de jogadores que balancearam as contas. Isso passou pela disciplina mas também pela boa escolha de treinadores (apesar da loucura financeira com Jesus…) e pela galvanização dos sportinguistas, que reataram com o clube e acorreram ao estádio.

É tão importante realçar este mérito como sublinhar que ele aconteceu depois de um perdão indirecto de dívida, que o Sporting também negará sempre. E sobretudo exigir que o padrão se mantenha e não preceda novas loucuras. Para já, o Sporting ganha onde perdeu durante décadas: nas contas. E no respeito que isso merece.»
(Pedro Santos Guerreiro, Abrir o Jogo, in Record)

Já por aqui expressei, por diversas vezes e desde há anos, a minha admiração por Pedro Santos Guerreiro, tanto na abordagem de matérias da sua especialidade, a área económica, quanto no que mais aprecio num jornalista, a isenção e a equidade que sempre usa nos temas que entende tratar , especialmente quando entra na pouco recomendável área do futebol, com toda a carga de quase irracional paixão que envolve.

Mas, tal como no melhor pano cai a nódoa, a crónica de hoje de PSG, trouxe-me uma inusitada surpresa: o para mim impensável alinhamento com três das mais estafadas teses sustentadas pela "central de propaganda goebbelsiana do arcanjo gabriel":

1 - O mérito da recuperação económica, financeira e desportiva do Sporting, não começou com a capacidade, firmeza e inflexibilidade negocial da equipa liderada por Bruno de Carvalho logo no início do mandato, quando teve de se confrontar com a "troika dos bancos credores", antes, "por mais que negue", pela "fortíssima restruturação" consubstanciada no "corte de custos de forma inclemente" forçado pela dita troika. Terá sido então essa "bendita troika" que salvou o Sporting, limitando-se Bruno de Carvalho e a sua equipa a "dizer ámen" a todas as imposições.

2 - E PSG parte depois para outra absurda, contraditória e inacreditável tese, quando refere a simultaneidade e inultrapassável incongruência entre a dureza a que a "troika dos bancos credores" começou por forçar o Sporting e "divina e altruista complacência" com que depois lhe terá perdoado parte da dívida. Presume-se daqui que os negociadores leoninos terão apontado uma pistola a cada um dos negociadores da dita troika.

3 - Finalmente, PSG, embora reconhecendo ao Sporting, na pessoa de Bruno de Carvalho, o mérito da "boa escolha de treinadores", apelida, à boa maneira de quem eventualmente lhe terá encomendado a missão, de "loucura financeira" a contratação de Jorge Jesus. Como se alguma vez, os 5 milhões que no novo exercício financeiro o Sporting terá de pagar a JJ, alguma vez possam colocar em causa a saúde económico/financeira de uma instituição, cujos resultados no último exercício o próprio acaba de enaltecer e que dariam para pagar a quatro treinadores de igual custo. Vindo de quem vem, nem ele próprio acreditará que terá escrito o que escreveu...

Tal como acontece no futebol, em que há sempre um jogo em que os nossos ídolos fazem uma exibição desastrosa, PSG terá "entrado em campo" para escrever esta crónica, num dia em que mais valia ter ficado em casa, em vez de nos vir mostrar a camisola oferecida pelo arcanjo!...

Acredito que apenas terá sido um dia mau de Pedro Santos Guerreiro!...

Leoninamente,
Até à próxima

5 comentários:

  1. Carissimo Álamo,

    um dos muitos pontos positivos da vinda do JJ para o SPORTING é o facto de obrigar a muitos lampiões que apregoavam a isenção, a ter a necessidade (pois tambem se sentem atingidos por esta "facada") de vestir a camisola e pôr o cachecol ao pescoço do clube do coração, e assim se vai desmascarando uns e outros!!!

    é vê-los a sair que nem cagalhotos de coelho, é sempre a aviar!!!

    um abraço

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dá ideia de que o "fenómeno" estará a acontecer com muitos, na verdade! Há que reconhecer que é um teste muito duro, mas de PSG, sinceramente, não esperava!...

      SL

      Eliminar
  2. A devoção a Jesus era muito grande... E agora vêem-se obrigados a terem que abjurar essa fé... Para qualquer crente o acto da apostasia é sempre doloroso... Até para os supostos mais isentos e equânimes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu aplauso para o comentário de Helder Mestre! Conciso, preciso, objectivo, profundo e... leonino!...

      Bem haja!...

      SL

      Eliminar
  3. Alamo, louvo -lhe a crença na condição humana.

    Em considerar que este "dia mau " é inocente... ou apenas um dia mau.

    Não sei muito mas, pela minha experiência, "sei" uma coisa, até o mais recto dos benfiquistas tem o seu ponto que não ultrapassa, em que não dá o braço a torcer...um ponto em que o seu fair play tem um limite..

    Portanto, na minha opinião não é um dia mau... é apenas, como dizia o meu pai, uma no lombo e outra na cara (festa no lombo, chapada na cara)

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE