domingo, 27 de setembro de 2015

O grande desafio de Jesus: o 6x4x0 de Petit e dos outros!...


Creio que já não haverá nesta muito "sui generis" liga portuguesa, nenhum treinador adversário que não tenha na sua posse o "mapa do tesouro" que Jorge Jesus pouco ou nenhum cuidado terá demonstrado, nem teria de ter, em preservar da devassa alheia. A mais sofisticada demonstração deste meu pensamento, foi-nos ontem cabalmente apresentada ao longo de 94 minutos no estádio do Bessa, por mais um ilustre representante da nova vaga de treinadores portugueses, para quem o futebol deixou de ser um espectáculo que se vende por preços exorbitantes, para deixar no balneário a responsabilidade da qualidade do produto que deverá ser apresentado, oferecendo gato a quem comprou lebre e "trabalhando" sem pruridos ou pudor para o "pontinho"

Armando Gonçalves Teixeira, cujo nome de guerra "Petit", muito provavelmente, se adequará mais à sua dimensão de técnico, com o "mapa do tesouro" debaixo do braço a que terá juntado as "cábulas" de todos os seis jogos anteriormente disputados pelo Sporting desde o arranque da temporada no estádio do Algarve, teve o privilégio de apresentar ontem, na própria casa da equipa que lidera, no estádio do Bessa, a última novidade, o mais revolucionário dispositivo táctico que o futebol conheceu: o 6x4x0!...

Nunca algum técnico tinha ousado jogar com dois defesas plantados em cada uma das faixas laterais e colocando à frente dessa colossal defesa de seis homens, uma segunda linha de quatro defesas, abdicando completamente das restantes linhas de construção e finalização que todos os modelos, por mais defensivos ou ultra-defensivos que se possam imaginar, até hoje celebrizaram. Mas haverá que reconhecer que a sua estratégia e inovação táctica resultou na perfeição: conseguiu "o famigerado pontinho", pouco importando agora analisar se concorreu ou não para apressar a morte do futebol. Isso será matéria de análise para o "International Board", no sentido de encontrar e implementar a vacina mais adequada a esse prenúncio de morte.

Porém, ai de Jorge Jesus se ficar à espera dessa "providência cautelar" dos organismos que zelam pelo "aggiornamento" das 17 leis deste desporto de multidões. Bem poderá esperar sentado pelo "vídeo-árbitro" ou pela mudança ética e qualitativa da arbitragem, tanto a nível internacional, quanto a uma quase utópica regeneração nacional!...

Jorge Jesus terá, necessária e imperiosamente de buscar soluções dentro da equipa, capazes de dar resposta ao plágio que se adivinha no futuro, da "negação de futebol" a que ontem assistimos no Bessa, por parte de uma grande parte dos treinadores das equipas que defrontarem o Sporting.

Creio que se apresentará hoje ao técnico leonino, um dos maiores desafios da sua carreira, porque nem sequer poderá recorrer nos próximos três meses a um eventual recurso ao mercado, quando nesse espaço de tempo muito se poderá vir a decidir em termos de todo o projecto desportivo que abraçou.

Numa coisa o próprio Jorge Jesus concordará: alguma coisa terá de mudar! Caber-lhe-à, do alto da sua reconhecida capacidade técnica e experiência, avaliar se essa mudança terá de passar pelo modelo ou pelos intérpretes e nestes, por alterações de posicionamento ou de disponibilidade mental. Porque o caminho até agora perseguido parece não ter saída!...

O grande desafio de Jesus será: o 6x4x0 de Petit e dos outros!...

Leoninamente,
Até à próxima

5 comentários:

  1. Ontem, a exemplo do que já tinha acontecido esta época, acompanhei o jogo com esperança, alguma tristeza e muita preocupação.
    A esperança de quem acredita, até ao último segundo, que o golos surgirá na baliza contrária. E o João Pereira bem o podia ter feito ao cair do pano.
    A tristeza de constatar que, pelo menos até ontem, Brian Ruiz e Teo Gutierrez (já para não falar de outros) estão longe de corresponder às expectativas. Atrevo-me a dizer que estes dois jogadores estão longe de corresponder às expectativas do próprio Jorge Jesus.
    E a preocupação de quem não vê grandes possibilidades de melhoria nos próximos tempos, mesmo com o William Carvalho. Por exemplo, no plantel não abundam desiquilibradores, e o Sporting ainda dá tiros nos pés. Porque não fazer um acordo com o Carrilho de forma que saia em Janeiro para o estrangeiro (mesmo que por uma verba relativamente baixa) e ajude a equipa até lá.
    Algumas arbitragens péssimas têm-nos calhado em jogos importantes. Este último jogo, por exemplo, poderia ter catapultado o Sporting para uma liderança isolada e, consequentemente, teria injectado muita confiança na equipa.
    Ainda assim, creio que o que mais fragiliza a equipa é a sua falta de eficácia. Ou seja, a incapacidade de concretizar mais golos tirando partido do domínio territorial, da posse de bola, do número de ataques, etc.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Outra vez o Carrillo, caro "anónimo das 22:57"?! Será que possui informação privilegiada, ao ponto de poder afirmar que é "o Sporting que dá tiros nos pés", ou não sabe nada de nada e estará apenas a meter umas "buchas" e uns "bitaites" baseados em todo o trabalho dos alcoviteiros a soldo que pululam nos jornais, rádios e televisões?!...

      Eliminar
    2. Caro Álamo, de facto, como não faço parte da estrutura directiva do Sporting, desconheço os detalhes do que se tem passado com o processo de renovação (ou não) do Carrilo. E, não dispondo de informação proveniente de qualquer outra fonte, procuro interpretar o que vem na CS.
      Concordo que muita informação divulgada nos jornais, rádios, televisões e sei lá que mais órgãos de CS é treta e que, por isso, deve ser simplesmente descartada. O que não invalida que constate(mos) o facto do Carrilo não estar a jogar e, com isso, o Sporting, que entretanto lhe continua a pagar, ficar financeira e desportivamente prejudicado. Permita-me acrescentar que, não obstante o bom trabalho de BC e desta Direcção nas vertentes financeira e desportiva, o SCP só tem a ganhar se os adeptos estiverem alerta, se na medida das possibilidades de cada um questionarem o que lhes suscita dúvidas, se fizerem críticas construtivas, etc.
      No entanto, a questão de fundo do meu comentário anterior está longe de ser o Carrilo. O SCP é maior que todo e qualquer Carrilo deste mundo. A tristeza e preocupação que manifestei resultam principalmente de vários jogadores que me parecem fundamentais para ganharmos o campeonato (ainda?) não estarem a corresponder às minhas (nossas?) expectativas. Por outro lado, é certo que a equipa está agora melhor classificada que no passado recente. Oxalá, pois, que os craques/avançados do Sporting melhorem de rendimento, a equipa continue no topo da classificação, e todo e qualquer mau estado de espírito vá acampar lá para o outro lado da segunda circular.

      Eliminar
    3. Caro "anónimo das 19:35", a elevação e o sportinguismo do seu comentário impelem-me a ir um pouco para além daquilo que tenho deixado transparecer nos textos que sobre o "processo Carrillo" tenho publicado.

      Também não faço parte da estrutura directiva do Sporting. Terei, quando muito, o privilégio de conhecer "pequenas nuances internas" do grande sarilho que essa estrutura terá em mãos. E por muito que os seus convictos apoiantes desejem e os detractores praquejem, há realidades incontornáveis que só o tempo se encarregará de esclarecer, porventura sem dar razão a nenhuma dessas tendências. O jogador transformou-se num joguete nas mãos de quem o representa e de quem detém metade dos seus direitos económicos. Por razões que só ele conhecerá, tornou-se completamente dependente e estará manietado de pés e mãos, pouco ou nada mesmo contando no momento a sua vontade.

      Acusa-se o Sporting de ter acordado tarde para as negociações. Nada mais falacioso, Há mais de um ano que o caso se arrasta e tudo aponta para que não tenha outro desfecho que aquele que já nessa altura estava decretado: o Sporting vai perder desportiva e financeiramente. Poderá apenas, salvar a sua dignidade. penso que isso estará a ser feito. Aos adeptos conscientes talvez apenas reste o mesmo caminho: com dignidade, estarem ao lado do clube e falar o menos possível no caso. A esperança é demasiado remota...

      Cordiais saudações leoninas.

      Eliminar
  2. Já se passaram alguns dias sobre este jogo, mas vim aqui na esperança de que neste blogue, que acompanho com alguma regularidade, se faça eco daquilo que me transmitiram, mas que acho ser uma boa ideia e que tem pernas para andar.

    De facto, toda a gente viu um jogo em que o Boavista jogou desde o início para o pontinho.

    Pois , isto pode mudar, e os jogos podem ter mais interesse e acaba-se com este ANTIJOGO alterando aquilo que me parece pertinente e viável que é: OS JOGOS COM RESULTADO 0-0 (zero - zero) as equipas terminarem com ZERO pontos.

    Creio que com uma medida destas os jogos teriam muito mais interesse e acabava-se com os autocarros em frente da baliza e deixaríamos de assistir a jogos deploráveis como este.

    Fica aqui a sugestão. Vale o que vale.

    Saudações leoninas

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE