sexta-feira, 25 de setembro de 2015

O regresso à fórmula mágica!...


Regressa a fórmula mágica

«Quando há quase três meses, William Carvalho falhou o penálti que desfez o sonho português do título europeu de sub-21, invadiu-nos uma sensação de profunda injustiça. A Selecção Nacional tinha sido, de longe, a melhor equipa do torneio, assim como o médio leonino fora uma das figuras mais relevantes da prova. A taça foi para a Suécia, mas dois dias depois William foi eleito pela UEFA como o melhor futebolista do Euro. Foi um acto de justiça, embora pequena consolação para um jogador "de equipa" que seguramente trocaria a distinção individual pelo prémio colectivo.

A tristeza parecia arrumada, mas como canta Jobim e Vinícius, ela não tem fim. O pior estava para vir. William apresentou-se no Sporting e descobriu-se que tinha uma fractura de stress. Jesus teve de se conformar e arrumar a equipa sem William. Ele que a tinha projectado com o médio como peça fulcral, sendo fácil de imaginar o ‘peso’ que teria, tomando como exemplo as experiências anteriores onde ganharam relevo os desempenhos de Javi García, Matíc, Enzo Pérez e Samaris no Benfica. O regresso de William traz de volta a fórmula mágica de Jesus em toda a sua dimensão.

Perante esta realidade será incontornável falar de um Sporting ‘antes de William’ e ‘depois de William’. Aquele que ficará para trás em breve (não é previsível que o médio seja titular no Bessa), foi suportado pelo esforço de Adrien , claramente com um perfil mais de 8 do que de 6, mas que acabou por ser a melhor solução que o plantel ofereceu a Jesus. Chegou para consumo interno, mas como nos jogos de quebra cabeças só uma peça encaixa na perfeição. É o caso de William.»
(António Magalhães, Entrada em Campo, in Record)


O caminho de Jorge Jesus em Alvalade não tem sido fácil. Demasiados e imprevistos escolhos se têm colocado neste percurso de quase três meses. Não fora toda essa legião de obstáculos e outro leão rugiria neste momento na extensa e luxuriante selva dos nossos sonhos e esperanças.

Mas não há males que sempre durem e JJ começa agora a ver, lentamente, o horizonte a desanuviar. Com a chegada de William Carvalho e Ewerton o naipe de soluções aumenta e pressente-se o fim das soluções transitórias a que foi obrigado a recorrer, do esticar a manta para a cabeça descobrindo os pés e da recuperação da matriz que lhe deu fama, proveito e... títulos. E nem a única nuvem que se avista sobre os céus de Alvalade será suficiente para o impedir de perseguir os objectivos que convictamente afirmou em Alvalade no dia da sua apresentação.

Muito particularmente a chegada de William constituirá, sem sombra de qualquer dúvida, o maior reforço que JJ poderia desejar nesta fase complicada de afirmação da equipa. O "senhor dos anéis", o rei da nossa esperança, será o catalizador, o factor de equilíbrio, o fiel da balança, o acelerador e o galvanizador de que a equipa tanto necessitava para galgar finalmente aquele patamar que separa as equipas "jeitosinhas", daquelas que vencem e convencem e espalham pelos relvados, classe e futebol avassalador, como JJ gosta e defende e os adeptos sportinguistas tanto desejam ver e aplaudir.

Muito dificilmente o veremos no Bessa já na plenitude daquilo que é e pode oferecer à equipa. Talvez uns breves minutos, JJ saberá melhor do que todos nós. Mas só o facto de ser convocado, há-de aproximar e empurrar companheiros e adeptos para a meta que todos veremos cada vez mais próxima...

E será o regresso à fórmula mágica que nos há-de encher de vaidade e orgulho!...

Leoninamente,
Até à próxima 

2 comentários:

  1. Todos ansiamos pelo regresso do King, mas...
    Vai ser precisa alguma paciência até que voltemos a ter o grande William.
    Há-de faltar-lhe ritmo e intensidade, mas a sua presença, só por si, será galvanizadora para a equipa e para os próprios adeptos.
    Depois, logo a seguir, vamos ter Ewerton - mas que Ewerton? O jogador corajoso, raçudo, destemido ou ainda um jogador a lutar contra os seus próprios medos?

    Vai ser preciso que todos, companheiros de equipa e adeptos, ajudem, não podemos falhar!

    ResponderEliminar
  2. Força William...!!!

    Concordo que teremos de ter paciência com o menino master... Até para o defendermos...!!!

    Contudo os grandes..., aqueles que são o pózinho em cima do bolo... só podem, sob pena de perderem o estatuto, assumir a sua dimensão... e 'simplesmente' CHEGAR VER E VENCER....!!! (É a sina dos maiores...)

    SL

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE