quarta-feira, 10 de maio de 2017

Bruno de Carvalho tem à sua frente um brutal desafio!...


PARA MIM (TAMBÉM) CHEGA

«Eu não sei de quem foi a ideia de contratar o Castaignos, o Zeegelaar ou o Douglas, mas uma coisa sei: a responsabilidade última é sempre do Presidente, quem quer que ele seja.

É por isso que palavras como as proferidas depois da amarga derrota com o Belenenses são incompreensíveis; um presidente não pode ter um discurso de situação quando a equipa ganha e de verdadeira oposição quando perde; já disse aqui e repito, no Sporting a vitória é dos jogadores e do treinador e a derrota é do Presidente, só assim se protege a equipa, o clube e os seus valores.

Mas, incoerências à parte, eu até entendo (e partilho) o estado de alma do presidente e a sua vontade de mudar, porque o que aconteceu foi mau demais.

Só que tenho dúvidas que consiga mudar alguma coisa; por outras palavras: que autoridade existe para com um treinador que foi utilizado como trunfo eleitoral, membro destacado da Comissão de Honra e que, ainda por cima, custa um dinheirão, que o clube não tem, para mandar embora?

A realidade é que, mesmo com esta fraca performance da equipa, quem está por cima, por força das circunstância e das concessões a ele feitas, é Jorge Jesus e a pauta da música será, até ao epílogo, escrita por ele.

Ou seja, Jorge Jesus fica no Sporting se quiser, ou vai-se embora, se quiser.

Não me parece que esta seja uma situação tolerável e compatível com o estatuto do clube que o emprega e lhe paga o que paga; o Sporting não pode ficar refém de ninguém!

Para mais, ficou patente, no jogo com o Belenenses, talvez a equipa mais fraquinha que este ano se apresentou em Alvalade, que sem as gazuas Gelson e Podence, o Sporting é uma equipa previsível, sem ideias e, sobretudo, sem soluções tácticas.

E a questão que então se coloca, é esta: terá Jesus condições para permanecer no Sporting? E, se sair, tem legitimidade moral para pedir uma indemnização?

Este é, porventura, o maior desafio até agora colocado à liderança de Bruno de Carvalho; esperemos que tenha a clarividência de o resolver a bem do Sporting.»
(Carlos Barbosa da Cruz, O canto do Morais, in Record)

Compreende-se sem muito esforço, o discurso de Carlos Barbosa da Cruz. Ele representará uma das linhas mais duras, inflexíveis e intolerantes da oposição a Bruno de Carvalho que, em bandeja de prata, teve a "gentileza" de lhe oferecer com as "cinzas da mais recente e vergonhosa derrota", os trunfos com que talvez nunca tenha sonhado. E não perdeu tão soberana oportunidade!...

Como sportinguista ferido e sensível nestes dias de tempestade que se têm abatido sobre a nação leonina, balancei, após a primeira leitura, entre mandar às urtigas a bilis que escorria das palavras do cronista ou trazê-la para este meu cantinho, mesmo que tapando as narinas com a mão esquerda e teclando com a direita, lembrado de gesto semelhante de Álvaro Cunhal, em circunstâncias completamente diferentes, mas com objectivos idênticos ou, pelo menos, não muito distantes. E acabei por me decidir a deixar por aqui tão amargo fel, certo de que poderá de algum modo contribuir para que Bruno de Carvalho se convença de uma vez por todas, que os pedregulhos espalhados pelo seu caminho lhe exigem cada vez mais e mais capacidade de reflexão na sua tantas vezes descuidada caminhada...

Porque numa coisa pelo menos, CBdC poderá ter alguma razão...

Bruno de Carvalho tem à sua frente um brutal desafio!...

Leoninamente,
Até à próxima

4 comentários:

  1. Alamo,
    O futebol e tramado..se a bola entra ta tudo bem ate aquilo que ta mal, se nao entra ta tudo mal ate o que esta bem ou a compor-se.
    A seca de titulos exponencia tudo, a paciencia, a amargura e confesso o que mais tenho pena sao as criancas, o futuro do nosso clube.
    Eu tu e muitos nem com o sporting na B mudaremos de clube, eles nao sei.
    O clube precisa de tempo,paciencia e fundamentalmente bom senso e destes 3 ingredientes pouco tem existido.
    Isto tudo para te dizer que ainda nao hospitalizado no julio de matos e convicto de estar no meu pleno juizo acho que neste estado veria com melhores olhos a saida do presidente do que do treinador.
    PS-podes-me bater a vontade que eu aceito, sobre o sporting ja estou indolor.
    Grande abraco amigo

    ResponderEliminar
  2. É verdade que este senhor é da oposição a Bruno de Carvalho e de que outrora disse muita coisa para atacá-lo mas não é menos verdade o que o sportinguista Barbosa diz: "Ou seja, Jorge Jesus fica no Sporting se quiser, ou vai-se embora, se quiser.
    Não me parece que esta seja uma situação tolerável e compatível com o estatuto do clube que o emprega e lhe paga o que paga; o Sporting não pode ficar refém de ninguém!"
    Espero que tudo se resolva a bem mas parece que os dois têm mesmo de acertar muita coisa.
    SL

    ResponderEliminar
  3. Com mais ou menos bílis, raciocino e análise correcta por parte de Carlos Barbosa sobre a actual realidade do Sporting e do seu presidente Bruno de Carvalho que por iniciativa própria se colocou como refém de um treinador egocentrista.

    É bom voltar a lembrar que numa instituição onde exista uma CULTURA de EXIGÊNCIA, um administrador e/ou presidente que realizasse um contrato com um seu empregador nos termos que Bruno de Carvalho deu assinar a JJ, esse presidente e/ou administrador seria colocado em tribunal por gestão danosa. Repito e sublinho, tal só acontece numa instituição onde existe uma CULTURA de EXIGÊNCIA... a mesma que Bruno de Carvalho tanto defende para o Sporting, mas que é ele próprio a dar os maus exemplos.

    João Tavares

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro homonimo,
      Argumenta que BC deveria ser despedido por gestao danosa, mas nao descreve os argumentos que sustentem a mesma...
      Como socio logicamente este assunto deixa-me curioso, pode-me dizer em que fundametos sustenta a sua afirmacao??

      Eliminar

PUBLICIDADE