segunda-feira, 15 de maio de 2017

Asininamente!...



Cristalizámos, estagnámos, se calhar retrocedemos e nem no apercebemos de que o que somos hoje não será bem a imagem do espelho que nos rouba a verdade que está mesmo à nossa frente!...

Asininamente!...

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. Para quando um mea culpa seu por apostar e apoiar cegamente um presidente completamente egocêntrico e demagógico? Paga balúrdios a um treinador que se acha muito superior àquilo que é. No ano de Marco faz de presidente, treinador e responsável pelas contratções, contratando carregadfas de entulho inacreditáveis que tentou impor ao treinador. Vai buscar JJ convencido de que tinha dado o golpe supremo, sem perceber que Vieira se viu finalmente livre de um egomaníaco que só queria rimas de jogadores caríssimos e apostava apemas internamente.

    Mas modalidades é uma desgraça. A única que ganha é a que já ganhava antes. Os orçamentos do futsal e do andebol são uma brutalidade. Para quê? Ganhar o que sempre se ganhou? E no hóquei? Outro balúrdio. E para quê? O barcelos com meia dúzia de cêntimos ganhou o mesmo: a taceca UEFA sobre patins. A Oliveirense elimina o todo poderoso Barcelona e chega pela segunda vez consecutiva à final da Euroliga.

    Quatro anos depois, a nível de resulyados, o sporting continua umasombra de si mesmo. Financeiramente veremos no futuro.

    Bardamerd@ para esta palhaçada!

    ResponderEliminar
  2. Caríssimo Álamo:
    Não tenho conta de Facebook. Aliás, só estou numa rede social, o LinkedIn, e apenas por motivos profissionais.
    No entanto, consegui copiar um parágrafo da última arenga do senhor presidente do Sporting Clube de Portugal, que aqui reproduzo integralmente, para não ser acusado de descontextualização. A única coisa que coloco são aspas para se perceber a divisão entre o que diz o senhor presidente, e o que digo eu próprio.
    " No dia em que for ligar a cartas abertas de adeptos, blogguers, opinadores e afins sobre o facto de estar desagradado com ter perdido uma final com uma goleada é o dia em que perdi a noção da grandeza do Clube onde estou e tenho de me ir embora. Ser tão grande quanto os maiores da Europa é a visão que me guia, e quem tiver outra opinião tem as eleições para concorrer com uma visão mais redutora, se assim o entender. E que fique aqui a minha "carta aberta" a todos: enquanto aqui estiver, a exigência é máxima e estarei sempre nos bons e nos maus momentos, mas não esperem de mim "passagens de mãos pela cabeça", que não exija os títulos nacionais e europeus ou que deixe de dizer, em privado e em público, o que entender ser importante, em função da estratégia e visão estabelecida e da relação de total transparência e cumplicidade com os Adeptos e Sócios que são aqueles a quem tenho de prestar contas do trabalho que se vai realizando."

    Caro Amigo Álamo, estou seguro de que escreveria um comentário abusivamente longo, se fosse dizer o que me vai na alma só sobre este parágrafo. Vou portanto, resumir em três frases o que penso:
    - não aceito lições de Sportinguismo de um menino que ainda andava de fraldas quando eu já trabalhava; ah, e já agora, nunca ganhei dinheiro do Sporting, só paguei, de há quarenta anos a esta parte, nem nunca comi croquetes, dos antigos ou dos actuais, que também os há;
    - dizer que não se liga a opiniões dos outros é mau, senhor presidente; olhe que quem não escuta o povo dá-se mal;
    - a cultura de exigência é boa, mas eu não posso exigir aos meus colaboradores que vençam sempre, muito menos a quem está melhor preparado e apetrechado do que eles;
    - para terminar, parece que vencer as últimas eleições com os votos que teve (incluindo os meus e os dos meus filhos, e são muitos), em vez de lhe aumentar apenas a confiança, lhe aumentou a jactância e a arrogância.
    Sabe, senhor presidente, nos desfiles triunfais, os generais romanos tinham sempre atrás de si um escravo que lhes segurava a coroa de louros sobre a cabeça, ao mesmo tempo que lhes segredava ao ouvido "sic transit gloria mundi" (a glória do mundo é transitória). Aproveitar as lições da História é sempre recomendável, como decerto sabe.
    Ainda neste fim de semana vimos que a humildade e a modéstia arrastam multidões, e transformam sonhos em realidade (e não, não estou a falar do benfica).

    Um Abraço, caro Álamo,

    José Lopes

    ResponderEliminar
  3. Partilho da sua indignação, caro José Lopes. Não sei que esperança a curto prazo poderemos alimentar com dirigente e treinador como os que actualmente temos...

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE