sábado, 13 de maio de 2017

Estou a ver que não saio mesmo de casa no fim de semana!...


PERIGOSA BIPOLARIDADE NA FICÇÃO DO SPORTING

«O diálogo ficcionado entre Bruno de Carvalho (BdC) e Jorge Jesus (JJ), na reunião mais aguardada:
BdC - Olá Jorge, entre, entre, está em sua casa…
JJ - Olá presidente, como vai isso, está preparado para a boda? (risos)
BdC - A nossa ou a minha? (risos)
JJ - Vejo que não perdeu o sentido de humor (risos)…
BdC - Sabe como eu sou, Jorge, frontal, directo, transparente, não gosto de hipocrisias…
JJ - Aquela do ‘caudal ofensivo’…
BdC - Eh pá, estava em brasa, eu gosto muito do seu trabalho, Jorge, mas eu tive uma trabalheira com a organização do jogo e com o almoço a seguir, até levei a minha mãe, o estádio estava verde e cor de rosa, lindo, lindo, e vocês fazem-me engolir três pasteis de Belém?!
JJ - Ó presidente, isto só veio confirmar aquilo que eu pensava… A gente não vai lá com Castanhos…
BdC - Ó Jorge, eu sei que você percebe muito de bola, mas eu também percebo um bocado disto, não esqueça que tirei o curso de treinadores e tenho passado muito tempo no banco… Aquele escuteiro mirim é que…
JJ - (carregando o sobrolho) Presidente, eu vim para o Sporting para ser campeão, não preciso que diga que temos de pensar, todos, o que andamos a fazer… Eu já jogava no Sporting muito antes de você ser sportinguista, não se esqueça..
BdC - Ó Jorge, não fui eu que fiz aquelas substituições… E foi você que disse que a equipa ficou pior… Se era para ficar pior, era melhor não fazer nada… As substituições são para melhorar; não são para piorar…
JJ - Mau, mau… Eu meti o que tinha… Queria o quê? Que metesse o Esgaio, o Rúben Semedo e o Palhinha?!
BdC - Ó homem, não se zangue…
JJ (elevando o tom de voz) Não se zangue, não… Não meti os reforços [referindo-se a Campbell e Castagnos] e a formação [Francisco Geraldes]?!!!
BdC - … Mas não era preciso dizer que teve de meter as segundas e as terceiras linhas… Você não dizia que o Campbell ia fazer a diferença?
JJ - Ó presidente, veja lá se entende de uma vez por todas: quem treina os jogadores sou eu, sou eu e mais ninguém que sabe quais são as necessidades e sou eu e mais ninguém quem decide tudo que tem a ver com a equipa… E você concordou com tudo quando me foi contratar…
BdC - Ó Jorge, mas eu sou o presidente…
JJ - (coçando a cabeça) Está bem, e então?… Você diz que os adeptos estão crentes num projecto, mais do que em treinadores ou jogadores… Mas em que ficamos: sou ou não sou o seu treinador? Qual é esse projecto sem treinadores e jogadores?…
BdC - (bebendo um golo de água) - Ó Jorge, eu sou o presidente, eu é que defino o projecto, eu é que sou o presidente… O Ricciardi não lho disse?
JJ - O que o Riccirardi me disse é que tenho de continuar, eu é que sou o treinador deste projecto, eu é que mando na equipa.
[Nuno Saraiva bate à porta, pede para entrar e diz que tem uma mensagem importante para o presidente, segreda-lhe ao ouvido e sai do gabinete]
BdC - Ó Jorge, você quer ir para o FC Porto?!
JJ - Que conversa é essa?!
BdC - Agora estamos de boas relações…
JJ - Queria lembrar-lhe, presidente, que tenho mais 2 anos de contrato…
BdC - Você sabe, ó Jorge, que a amizade é algo que muito prezo. Só estou a tentar colaborar e você, repito, é o treinador do meu projecto… Podia era assinar uma cláusula anti-rivais… E até assinávamos por mais 1 ano… Não acha fixe, ó Jorge?
JJ - Eu quero é saber quais são os jogadores que vou ter na próxima época… Não está fácil falar consigo e calculo que até final da época vá continuar muito ocupado…
BdC - Para si, estou sempre disponível… Você sabe que o Sporting não nada em dinheiro… Temos que ter critério e não repetir o que se passou esta temporada…
JJ - Só preciso de laterais, centrais, médios e avançados… E até já tenho uma lista…
BdC - Eu também tenho aqui uma lista… Jogadores muito bons e baratos…
JJ - Ó presidente, você acredita que vamos ser campeões com jogadores baratos?
BdC - … E ainda temos os da formação e não se esqueça do Gauld, o nosso Messi…
JJ - E a estrutura, presidente?
BdC - Ó Jorge, não se preocupe com isso… Estou a tratar… Não se esqueça que somos o clube dos Geraldes… Estamos cada vez mais fortes… Eu, o Geraldes e o Saraiva somos uma grande estrutura… E agora com o Porto do nosso lado, ninguém nos pára!… Nem precisa de se preocupar com o Octávio… E ainda temos o nosso amigo Ricciardi! Imparáveis!
[Bruno de Carvalho atende o telemóvel, diz que a reunião já não demora e que está quase despachado].
BdC - Desculpe lá, Jorge, mas as 24 horas são curtas para mim… Bom, acho que a reunião está a correr muito bem… Podemos até acabar, eu chamo aqui o Nuno e podemos fazer um comunicado a dizer que está tudo bem entre nós e que chegámos a acordo. Acordo é uma forma de expressão (risos)… Estamos e estivemos sempre de acordo, não é verdade? (risos). Confiança total no projecto, presidente e treinador mais unidos que nunca, vamos ser campeões!
JJ - Ó presidente, mas…
BdC - Ó Jorge, você vai desculpar-me, mas… tenho mesmo de sair.
Correm rumores, não confirmados, que a próxima reunião será realizada no final da época.

JARDIM DAS ESTRELAS (4 estrelas)

Não subestimar 
o V. Guimarães

Hoje pode haver campeão. Tetracampeão. Fim de semana de romarias. À Luz e a Fátima e muitos com o ouvido em Kiev para acompanhar Portugal no festival da canção. Um dia cheio de ‘canonizações’. Um dia raro para muitos portugueses. O Benfica, se vencer o V. Guimarães, quebra em definitivo a hegemonia do Porto. Está preparada uma grande festa, em Lisboa e no País, mas principalmente na capital, e esperemos que, a acontecerem, os festejos de outras épocas tenham servido de alguma coisa para se evitarem incidentes graves. Não se tem falado de questões de segurança para essa possibilidade, talvez por causa da visita do Papa, mas esperemos que todos tenham sido responsáveis… Há, contudo, um pormaior que interessa não menorizar: o Benfica joga hoje com uma das melhores equipas deste campeonato e, para vencer o V. Guimarães de Pedro Martins, vai ter de realizar um jogo inteligente. Um grande teste (final) para o Benfica, mas também um grande teste (final) para o V. Guimarães.

O CACTO

Sinal de força 
e de... fraquezas

Nestes momentos, esquece-se sempre do que se disse e das divergências que se foram acentuando. Os clubes devem manter relações institucionais, que só devem ser suspensas por razões efectivamente extraordinárias. O futebol em Portugal seria muito melhor se os três grandes fossem capazes de coexistir, respeitando as diferenças entre todos. Nesta fase da época – o momento das decisões – o reatamento das relações entre Sporting e Porto, selado a partir de um encontro entre direcções de comunicação entre os dois clubes, parece demasiado conjuntural e apenas abona a força que o Benfica passou a protagonizar no sistema de organização do futebol em Portugal.»
(Rui Santos, Pressão Alta, in Record)


Já não chegava a crónica do Joel Neto e tinha que vir agora também o Rui Santos, armado em carapau de corrida e ficcionista, ou guionista ou lá o que pretenda ser...

Estou a ver que não saio mesmo de casa no fim de semana!...

Leoninamente,
Até à próxima

1 comentário:

  1. Este Rui Santos está a ver se também entra no clube da cartilha. Para mim perdeu a pouca credibilidade que ainda tinha.

    Leão da Estrela

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE