sexta-feira, 24 de julho de 2015

Sporting na final da CapeTwonCup2015!...

O primeiro roubo da época
Eu esperava e gostava de ter visto as coisas bonitas que vi no jogo de hoje em Cape Town, sem algumas pinceladas que aqui e ali alguns leões colocaram no quadro e que levaram JJ a gritar, que eu bem ouvi, "bola no pé, bola no pé"!...

Pois, eu sei que ainda será muito cedo para colocar já a exigência num patamar tão elevado. JJ é um técnico de eleição, mas não faz os milagres que só o tempo e o trabalho conseguirão. Mas já deu para concluir, e que me perdoem os adeptos do Benfica e do Porto,  o Sporting terá sido dos três aquele que mais me agradou, o que seria natural dada a minha condição de sportinguista, mas na exacta medida em que me pareceu ser o únco dos candidatos ao título a registar uma agradável evolução nos seus processos de jogo, muito particularmente em relação a todos os comportamentos colectivos de um passado não muito distante.

Um dos pormenores que mais me saltou à vista foi a povoação do centro do jogo, sem que isso signifique centro do campo: há muitos anos que eu não via tanta gente do Sporting no espaço onde se decidem as partidas. Dizia o comentador, que o Sporting coloca agora seis jogadores nas bolas paradas sobre a grande área adversária, onde num passado recente colocava quatro e, só muito raramente, cinco. Pois!...  

Mas vi também a linha defensiva mais junta e ligeiramente mais adiantada do que me habituei a ver ainda recentemente e a linha média a oferecer o dobro das coberturas, sendo os homens quase os mesmos e faltando por ali quem nós sabemos demasiado bem.

E vi ainda aquilo que sempre critiquei nos processos de jogo recentes: o portador da bola, seja ele quem for, passa agora a ver ser-lhe exponencialmente garantida uma quase infinidade de soluções de passe.

Finalmente, as linhas laterais perderam a exclusividade da progressão no terreno, que agora é repartida por todo o campo, dependendo do momento de jogo, do posicionamento adversário e do talento e coragem dos condutores da bola. E isto significa que a previsibilidade do Sporting foi quase reduzida à sua expressão mais simples, que o adversário passou a nunca ter certezas sobre a forma como o Sporting lhe vai aparecer na área.

Claro que ainda andará por ali muito vício. Claro que haverá por ali quem ainda nem sequer saiba de cor o nome de muitos companheiros. Claro num jogo desta natureza e nesta altura da prè-época seriam descabidas referências individuais. Mas atrevo-me a fazer duas. A primeira, para reafirmar aquilo que há anos por aqui dizia: a braçadeira de capitão foi finalmente entregue a quem  há muito tempo a deveria ter ostentado. A segunda para reafirmar também, aquilo que ainda recentemente por aqui disse: Ruben Semedo está na calha para suceder ao grande William Carvalho, com o nº 6 nas costas. E que grande golo aquele!...

No próximo domingo iremos apreciar um jogo de grau de dificuldade máximo, para apenas três semanas de preparação. Vai ser muito interessante, sendo que o resultado será o que menos interessará.

Leoninamente, 
Até à próxima

4 comentários:

  1. Pois eu, caro Álamo, comungo por inteiro das palavras que o meu amigo mais uma vez teve a amabilidade de nos presentear, e acrescento:

    Temos um caso sério na NOSSA baliza, Rui Patrício, revela-se cada vez mais um Guarda Redes completo e seguro. Foi fundamental para segurar a passagem á final deste Torneio, se bem que isso não é o mais importante.
    Os jogadores estão, naturalmente, pesados, isto é, as cargas fisicas de treino reduzem o poder de explosão e a velocidade de processos, contudo, vislumbrei muitas das ideias de jogo com que Jorge Jesus gosta de moldar as suas equipas... Muita gente na frente, muita pressão sobre os defesas contrários, bola no pé, mais jogadores no centro do terreno e muito mais presença na área do adversário. Afinal o objectivo deste jogo do pontapé na bola é precisamente marcar mais golos do que o adversário.

    Na 1ª parte gostei do Rui Patrício, do Paulo Oliveira, do Tobias, do André Martins, do Gelson e do Mané (5 da NOSSA formação).
    Gostei menos do Jefferson e do João Pereira, do Adrien e do Slimani.
    Não gostei do João Mário, pouca intensidade, pouco poder de choque, muitas perdas de bola, muito passe pro lado e para trás. Não arriscou um passe de ruptura.

    Na 2ª parte gostei do Rui Patrício, do Rúben Semedo e do Teófilo Gutierrez.
    Gostei menos do Naldo, do Esgaio, do Jonathan, do Walyson e do Iuri Medeiros (já entrou mais tarde).
    Não gostei do Ciani, do Carrillo (foi uma vergonha, passes falhados inacreditáveis, miserável mesmo) e do Montero (pouco participativo no jogo).

    Se quanto a Ciani (chegou á uma semana) e a Montero ainda se pode dar o benefício da dúvida, já quanto a Carrillo mantenho a opinião que tenho há vários anos... É mais um intruja ao serviço das Doeyns deste mundo. Um jogador com possibilidade de ser uma estrela, mas que teima em não querer jogar em equipa. Por mim, se não aceitar renovar era despachá-lo o quanto antes e pela melhor oferta.

    Em suma, um bom treino, com uma equipa forte fisica e tacticamente, e bastante evoluida tecnicamente... e de certeza numa fase muito mais adiantada da época. Venha a final no próximo Domingo pelas 14:30 para observarmos a evolução dos NOSSOS jogadores!

    Aquele Abraço de Leão

    ResponderEliminar
  2. Acho que os sul-africanos nos enganaram e bem! Não que sejam grandes jogadores, longe disso, talvez estejam já em competição, os jogadores estão muito "soltos"
    Nós...bem, enquanto a equipa utilizou muitos jogadores do ano passado e enquanto não deram o estoiro, a coisa lá foi andando -não fora o desastrado Slimani e o vencedor estaria encontrado ao intervalo. Mas com as forças a desaparecerem e a entrada de jogadores que mal se conhecem, vieram ao de cima todas as deficiências da equipa, especialmente as defensivas
    Mas é pré-época ... e não é só para nós, que eu saiba.
    Amigo Álamo, aquele Gelson está com a corda toda ou é mesmo assim? Este não engana, está ali um futuro grande jogador... se ele assim o quiser e a cabecinha deixar, não é?
    E o outro, o Wallison ... ele já anda por ali há uns anos, não? Pelo menos parece ... que vai dar craque.
    Quanto ao Semedo ... assim ele queira e a cabeça deixe porque - e concordo totalmente consigo - poderá estar ali um potencial William, mas mais raçudo e, por isso, mais físico. Para o bem e para o mal...

    ResponderEliminar
  3. Espero bem que nao se empreste o Tobias.
    Já desconfiava mas ha quem precise de ver mais jogos com a dupla Mauricio-Sarr de 2015/16 para ficarmos com a certeza que Tobias tá muito a frente destes 2!
    Até Semedo a central vale mais...

    ResponderEliminar
  4. ciani? volta naby sarr! tijolos em vez de pés. naldo, assim assim...

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE