terça-feira, 14 de julho de 2015

"O mais importante são as queixas de um atleta"!...



«As "fracturas de stress" são fracturas incompletas de um osso em contexto de sobrecarga dessa mesma estrutura óssea,Também são chamadas fracturas de sobrecarga, de esforço ou pseudo-fracturas, e são diferentes das fracturas provocadas por trauma directo. Tíbia, perónio, metatarsos, osso do tarso e fémur são os locais de eleição nos desportistas. [...]

A fractura de stress da tíbia permite a prática desportiva, nomeadamente o futebol, até uma fase de extensão da fenda óssea, quando o stress excede o processo de cura. O diagnóstico, pode não ser fácil, no início. Os exames que confirmam o diagnóstico são a cintigrafia óssea e a ressonância magnética, pois apenas 28% dos atletas apresentam Raio X positivo no primeiro estudo, 50% dos casos só é positivo na 12.ª semana e em 6% dos casos nunca apresentam Raio X positivo. [...]

A primeira abordagem deste tipo de lesão é conservadora por um período de cerca de 12 semanas, mas poderá chegar às 20 semanas. A localização da lesão (a região anterior da tíbia é mais complicada), o tempo decorrido, a diferenciação desportiva e a restrição funcional são factores decisivos para uma decisão cirúrgica, sempre a ter em conta num atleta de alta competição. [...]

Uma das melhores futebolistas da selecção nacional feminina, que após quatro meses de tratamento conservador e tentativa de regresso à competição, fez recaída das queixas, foi operada e felizmente o resultado final foi muito bom, permitindo um regresso à competição sem limitações, após a cirurgia.»
(Henrique Jones, ortopedista e antigo responsável clínico da Selecção Nacional, in Record)

«Do ponto de vista médico é muito simples e rápido. Um atleta tem queixas, automaticamente é declarado inapto para a competição. Tem queixas é considerado inapto. Tão simples como isso. O mais importante são as queixas de um atleta, que podem ser subjectivas, obviamente. É uma decisão que tem de ser tomada. Estamos a falar na véspera do jogo. Ou se está em condições ou não se está. O benefício da dúvida vai para o atleta.»
(Henrique Jones, em 17 novembro de 2011, in Record)


Pois é, bem me dizia o meu grande amigo e sportinguista doutor João Resende, também ele ex-médico das selecções jovens de Portugal, infelizmente já desaparecido, que Henrique Jones "sabia da poda". Mas, coitado, teve que pagar a "côngrua", em vez do "bentinho"! Entretanto, alguém vai passando incólume por entre os pingos da chuva e ninguém consegue apeá-lo da cadeira!...

Com William Carvalho, talvez porque era atleta do Sporting, todo o mundo, em nome de outros valores e interesses, parece ter esquecido que...

"O mais importante são as queixas de um atleta"!...

Leoninamente,
Até à próxima

8 comentários:

  1. Há cada coincidência! Então não é que o Mónaco vai apresentar queixa à FPF ( ou da FPF ? Não percebi bem, sinceramente) porque o seu atleta Bernardo Silva apresentara queixas antes do jogo da final e, apesar disso, foi posto a jogar - tem uma micro-ruptura ...e o médico também não enviou atempadamente o respectivo relatório ao clube...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Liondamaia, sabe o que acontece quando se remexe em excrementos?!... Eu sei que sabe. Todos sabemos...

      Eliminar
  2. Caro Álamo,

    Infelizmente, muitos dos atletas de alta competição desconhecem algo que deveria ser de "formação básica" para qualquer atleta que seja profissional, e que designo por "factores de redução do rendimento desportivo"... E dentro de variados sub-campos, tais como alimentação, ingestão de bebidas alcoólicas, tomas de medicação, etc, etc, lá virá um tópico que serão "as lesões"... Dentro destas, deveria ser ensinado a cada atleta, em função da especificidade da modalidade que pratique, quais os tipos de lesões mais comuns e como preveni-las, ou detectá-las na sua forma mais precoce, para que o período de tratamento e/ou repouso seja o menor possivel. Isto, claro está, com recurso a alguma formação ministrada por médicos da especialidade (ortopedistas), evidenciando alguns 'sinais de alarme' que poderiam ser detectados pelos próprios atletas, prevenindo assim muitas lesões mais graves e respectivo tempo de paragem prolongado. Assim a modos de, "conhece o teu corpo, pois ele é a tua ferramenta de trabalho". Como isto está, é sempre uma 'roleta'... E depois a culpa tende a morrer solteira... Passe a comparação é quase como pretender que um motorista de pesados não tenha "forçosamente" que saber noções básicas de mecânica, ou seja, não faz sentido nenhum.

    E faço este preâmbulo para referir que o facilitismo que a FPF denota nestes casos do William Carvalho e do Bernardo Silva é revelador que incompetência e a incúria graça na FPF em geral e no seu Deptº mé(r)dico em particular... E agora se o Sporting Clube de Portugal tinha uma proposta de 40 M € para vender o William, ou o Mónaco para vender o Bernardo?!? Quem paga?
    Irá mais uma vez a culpa morrer solteira?

    A ver vamos as 'cenas dos próximos capítulos' de mais uma novela do futebol á portuguesa...

    Aquele Abraço de Leão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Subscrevo inteiramente o excelente comentário do amigo YaZalde! Mas mais do que a minha concordância, que bom seria que o seu repto fosse lido por quem de direito no Sporting Clube de Portugal!...

      Grande Abraço de Leão

      Eliminar
  3. Amigo Álamo,

    O importante que era para muitos egos sermos campeões. Parecia tão fácil.
    E como é fácil convencer jovens de 21 anos a jogar mesmo qu eles se sintam "tocados"

    Abraco

    ResponderEliminar
  4. Parece que o médico Henrique Jones era competente, não se copmpreende que tenha sido mandado embora "por indecente e má figura" (nem sei bem as causas, confesso...), mas o que agora depois destes embróglios "salta à vista"...
    É que talvez tenha sido mandado embora, para "arranjar poiso" para um "amigo" qualquer...
    E é que eu nem me admirava vmesmo nada que tiovesse sido popr isso...!!

    Abr e SL

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE