terça-feira, 14 de julho de 2015

Acreditar no Pai Natal!...


Os muitos milhões do futebol

"Tem piada comparar nos dias que correm as capas dos jornais desportivos com as dos generalistas. De um lado o drama grego, de um povo que diz não à austeridade e a quem tudo lhes quer tirar, mas vê as ideias da Europa conservadora triunfarem sobre um governo democraticamente eleito. Fala-se de milhões, sim, mas para salvar uma economia que ninguém parece conseguir ressuscitar. Do outro, milhões e milhões em contratações e salários, de clubes que a julgar pelo que se lê têm dinheiro para dar e vender.

Não é assim. E custa entender como podem os emblemas portugueses – e gregos, já agora – continuar a gastar como se não houvesse amanhã. No Porto é Casillas que chega de Madrid e um Imbula milionário. Em Alvalade um treinador que vem ganhar cinco vezes mais do que anterior. Só na Luz parece ter chegado a vez de apertar os cordões à bolsa. Não porque o paradigma seja outro, mas porque a exposição ao Novo Banco dificultou e o passivo precisa de ser acautelado. É tempo de encaixar mais e gastar menos.

Parece haver milhões a mais no futebol. É estranho que o desemprego tenha levado milhares de portugueses a fugir do país, que estejamos todos a pagar a taxa social única para endireitar as contas e os clubes vivam uma realidade paralela.

Há clubes a quem só o fair-play financeiro impede de gastar ainda mais. E mesmo esse já é fintado com truques de magia. É curioso que o dinheiro que não existe para as reformas, a saúde ou a justiça seja usado em salários e contratações obscenas. É dinheiro russo, chinês, petrodólares ou da Guiné Equatorial. De onde vem não interessa. Como é gerado ainda menos. Desde que investido no nosso clube está tudo bem. Um pouco como quando a miséria só bate à porta dos outros."


O Bernardo Ribeiro deve ter batido com a cabeça em algum lado! Com que então, "Só na Luz parece ter chegado a vez de apertar os cordões à bolsa. Não porque o paradigma seja outro, mas porque a exposição ao Novo Banco dificultou e o passivo precisa de ser acautelado. É tempo de encaixar mais e gastar menos"?!...

Se calhar anda distraído e ainda não leu as duas últimas crónicas de Pippo Russo (AQUI) e ainda (AQUI), nem passou pelo site de L'EQUIPE (AQUI) e muito menos se terá dado ao trabalho de se informar sobre as dívidas do presidente do Benfica ao BES (AQUI) e sobre a "ligação" entre BES, grupo PROMOVALOR e o Benfica (AQUI).

Caramba, um jornalista com as suas responsabilidades não poderá jamais acreditar no Pai Natal!...

Leoninamente,
Até à próxima

4 comentários:

  1. Amigo Álamo, BR tem os seus dias, ora está a favor de um, ora está a favor de outro...talvez tivesse levado um puxão de orelhas das suas chefias, e assim esteja a validar a "rábula" da pinhão, de que o benfas, é o único que está a seguir o caminho da austeridade....

    SL

    ResponderEliminar
  2. Quem é que já gastou mais: o Carnide ou o Sporting? Está-se a tentar criar a ideia de que o Carnide está a gastar muito pouco. Na verdade o Sporting tem sido o que menos tem contratado e investido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas como não é essa a verdade do regime... Não faltará muito para dizer que no carnide está o verdadeiro, o único, o autêntico exemplo de austeridade.
      Deixá-los falá-los, meu caro, que o que importa é que a nossa caravana passe.

      Eliminar
  3. OFF-TOPIC

    http://www.record.xl.pt/Futebol/Nacional/1a_liga/Sporting/interior.aspx?content_id=962188

    William Carvalho com fratura na tíbia
    LESÃO AO SERVIÇO DOS SUB-21 INDIGNA SPORTING


    Este é mais um exemplo/argumento que se enquadra na minha teoria.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE