quinta-feira, 9 de julho de 2015

Porquê o inferno para uns e o paraíso para outros?!...


Ainda nem um ano se cumpriu desde que Bruno de Carvalho, para o bem ou para o mal, ousou afrontar e iniciar uma guerra, contra uma das mais poderosas e organizadas mafias do planeta, eventualmente um dos mais camuflados, venenosos e estranguladores tentáculos de uma "nova ordem mundial", em que muito poucos acreditarão, até ao dia em já nada puder ser feito para evitar que os seus desígnios maquiavélicos de control global e total do mundo que somos, se cumpram: os famigerados fundos que nos habituámos a ver designados apenas por três inocentes letrinhas, "TPO", (Third Party Ownership)!...

Ainda será demasiado cedo para avaliar se Bruno de Carvalho terá cometido um quixotesco, colossal e irreversível erro político/estratégico, lançando sobre o Sporting Clube de Portugal um provável e eterno anátema, ou se no rasto da bandeira que corajosa, quiçá poeticamente ergueu, conseguirá reunir o exército capaz de cortar tão poderoso tentáculo. Talvez já em Setembro o acordão do TAS sobre o caso Sporting/Rojo/Doyen nos traga o resumo da primeira batalha. Mas enquanto isso não acontece, em cada dia se vão notando com maior intensidade os danos que passaram a abater-se sobre o Clube de Alvalade.

Os casos Danilo Pereira, Ricky Van Wolfswinkel e, presumivelmente, Teófilo Gutiérrez, serão apenas três picos da ponta de tão gigantesco "iceberg", a que só os tolos atribuirão o epíteto de episódico e meramente circunstancial. O que aconteceu nos dois primeiros casos e vem acontecendo no último, é o resultado e a consumação da estratégia concertada de estrangulamento e aniquilamento, por parte dos TPOs e empresários, agentes e investidores ligados ao fenómeno global do futebol, dirigida contra quem ousou desafiar o poder instalado.

E bastará que todos as mulheres e homens honrados e integros adeptos do futebol, independentemente das cores que moram nos seus corações, se interroguem sobre o porquê de o Sporting Clube de Portugal ter sido atirado para o fogo ardente e alteroso dos infernos, enquanto que Porto, Benfica e até o "mini-grande" Braga, gozam as delícias do paraíso!...

Porquê o inferno para uns e o paraíso para outros, quando o que está em causa é apenas um jogo universalmente amado?!...

Leoninamente,
Até à próxima

1 comentário:

  1. Uma coisa eu nunca farei...

    Mesmo que eventualmene a sentença do TAS nos seja adversa no pleito com a Doyen...

    Continuarei a apoiar a posição de BC e da sua Direcção...mesmo nesse dificil e intrincado assunto...!!

    Podem não nos dar razão agora, mas "o tempo provará" que o Sporting tem razão...!!

    A verdade é que a Doyen nunca tratou o Sporting, da mesma maneira que o fez com o porto ou o benfica, e isso é para mim inadmissível...

    Uma empresa que "ganha dinheiro" (e não será pouco...) com negócios do futebol, não pode tratar uns como "filhos" e outros como "enteados"...

    Abr e SL

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE