terça-feira, 21 de outubro de 2014

O desnorte dos intervenientes e o "gordo vai à baliza"!...


Ainda não vi por aí nenhum dos habituais comentadeiros, paineleiros e interesseiros do futebol, explicar direitinho, as fundamentais razões em que assentou a histórica e deslumbrante vitória do Sporting nas Antas. Não tenho três olhos, mas anima-me a convicção de que o segredo terá estado na estratégia de Marco Silva e que esta assentou, fundamentalmente, em obrigar o adversário a errar, a ir pelo caminho mais conveniente aos interesses leoninos. E o "Lo Patego" caiu que nem um patinho e foi comido, sem faca nem garfo!

Ainda todo besuntado com o geladinho "Olé" que trouxe das Antas, eis que me colocam à frente outra guloseima parecida. Desta vez não foi o Marco Silva, que a vida não está para andarmos a estrear restaurantes todos os dias e a atenção do nosso "mister" estará agora mais concentrada nas salsichas. Desta vez o estratega tem voz grossa e ideias firmes e começo a ter a sensação que estará a dar um baile ainda maior à firma Papa & Kadafi, SARL , que aquele que o leão Marco deu ao "Lo Patego"!...

Se a humilhante derrota infligida ao "andrades" na sua própria casa, resultou dos erros que a estratégia leonina determinou na defesa dos "tripas", com o auto-golo de Marcano e as fífias e a falta de jeito à mistura, protagonizadas pelos seus pífios companheiros na defesa dos corruptos, complementadas com a classe de Montero, Nani, Slimani e Carrillo, quer-me parecer que o "desnorte dos intervenientes" - leia-se Papa & Kadafi, SARL! - no autêntico auto-golo de Luís Duque, ultrapassará todas as inenarráveis tristes figuras dos espanhóis de "Lo Patego" no final da tarde de sábado.

É que começam a ser demasiados, os "cavalos de Troia pintados de verde", plantados nas "praças principais" das mais diversas estruturas do pântano! Caramba, já não chegava o leão Hermínio Loureiro, ser o nº 2 da FPF, Vice-Presidente para as Relações Institucionais e natural substituto em caso de ausência ou impedimento do Presidente, e outro leão, Vitor Pereira, ser o "dono dos árbitros" no Conselho de Arbitragem, ainda tinha de vir agora o Luís Duque embelezar o "ramalhete", com a agravante de, por inerência, também lhe caber assentar o rabinho nos cadeirões mais confortáveis da Federação?!...

Pois é, vistos de longe, estes "cavalinhos de Tróia" poderão parecer inofensivos, quiçá controláveis. Mas nada me garante que não venham a ser peça importante de uma maquiavélica, rigorosa e insondável estratégia a prazo, dessa ostracizada e "grega voz grossa"! 

Sim, é certo que "o gordo vai à baliza" e que a sua centena e meia de quilos pouco espaço deixará livre, dos já de si reduzidos 2,44 x 7,32! Mas eu já vi lá pelos lados das Antas, em dia de nevoeiro, um apanha-bolas colocar a bola no fundo das redes e passar a perna ao árbitro, que creio se chamaria Alder Dante. Portanto, impossíveis no futebol tuga, serão sempre uma impossibilidade! E essa "coisa" de, provada a intenção, não haver intencionalidade, colou uma vez, mas, o Ti Manel da Serra não durará sempre! Um dia morrerá como todos!...

Apreciei no cartoon, mais do que a baliza toda tapada pelo gordo, a serena confiança do "indigitado" marcador do "penalti"! E vem-me à memória uma frase batida: "You no creo en las brujas, pero que las hay, las hay"! E essa convicção de que os "cavalos de Tróia" serão uma construção mitológica que a História nunca comprovou, não me convence. Construção mitológica também será o pomposo nome que deram às Antas e já ninguém a discute...

Quando um dia a História destes dias for feita, quem sabe se das suas páginas não ecoará uma tonitroante e "abagaçada" voz grossa?!...

Leoninamente,
Até á próxima 

Sem comentários:

Enviar um comentário

PUBLICIDADE