sábado, 25 de outubro de 2014

Marco Silva, fantástica corrida para modernidade !!!...

O fundo?! Bom, não será propriamete cinzento, muito menos vermelho!...

João Mário e Adrien

"Há um ano, por esta altura, o meio-campo do Benfica era uma coisa à parte de tudo aquilo que se via em Portugal. Mesmo na Europa, poucas equipas, com três unidades, conseguiam mecânica tão singular e eficaz. A dupla Matic-Enzo trabalhava ao nível de um trio. Ter um jogador a menos contra quase todos os adversários não era problema. Com os futebolistas certos, Jesus mostrou como criar dinâmicas novas num jogo velho.

Hoje, é o meio-campo do Sporting que nos revela algo diferente. Mais uma criação com carimbo de um treinador português; nova demonstração de que por cá se trabalham muito bem as dinâmicas. A forma como Marco Silva “movimenta” João Mário e Adrien é complexa, e impressionante pelo lado da eficácia. Uma vez mais, dois fazem o trabalho de três, só que com as costas protegidas por William. A ideia, nascida no Estoril com Gonçalo Santos, Diogo Amado e Evandro, destaca-se agora por força da melhor qualidade dos executantes.

Enzo e Matic eram enormes na fase de construção e erguiam um muro quando a equipa perdia a bola. João Mário e Adrien articulam-se de forma desgastante, mesmo sem a capacidade física da ex-dupla benfiquista. Se o adversário quer sair em posse, João Mário avança para junto dos centrais contrários, colocando a equipa a defender a partir do 4x4x2, uma vez que Adrien junta-se a William. Quando o adversário passa a primeira linha de pressão, João Mário recua para uma zona mais central e o Sporting passa a defender num 4x2x3x1. Contudo, em posse, os leões atacam a partir de uma ideia 4x3x3, com William só na zona 6, para Adrien e João Mário passarem a apoiar os avançados.

O futebol português evolui a um ritmo alucinante. Jesus e Marco vão em fuga nesta corrida da modernidade. Oxalá outros se juntem a eles em breve.".
(José Ribeiro, Contas Feitas in Record)

Nós, os amantes do futebol, pelo futebol, pela beleza que irradia e, muito particularmente, quando exibido pelos mestres e doutores da Melhor Academia do Mundo, muito raramente usamos "as lentes" com que José Ribeiro nos brinda no seu excelente artigo.

Mas quando sentimos o puxão na manga do nosso casaco e nos colocamos a jeito de olhar para o prisma de observação do seu convite, também somos capazes de ver o jardim que Marco Silva estará a construir.

E descobrimos, ou confirmamos, com ou sem surpresa, a fantástica corrida para a modernidade, que Marco Silva terá iniciado há quase cinco meses. Qual rei Midas, agarrado por convicção e com determinação,  a um "low profile" que nos orgulha, tem vindo a tocar o que lhe foi colocado nas mãos e... o ouro já começa a brilhar!...

Seja com as gloriosas camisolas verde e brancas, seja com as honrosas e honradas quinas ao peito, os doutores da Academia Sporting começam a ser o orgulho de muitos adeptos do futebol, sejam quais forem as cores do seu sentimento. E esse crédito pertence interinho a Alvalade e... a Marco Silva.

Enquanto os DDTs no pântano putrefacto do futebol tuga, se vão entretendo na perpetuação do lodo e na multiplicação dos répteis, em Alvalade ama-se o futebol, luta-se pelo futebol, constrói-se e inventa-se o futebol de hoje e de amanhã, enquanto os governantes e os acólitos federativos da governação, vão assobiando para o lado.


Um dia destes, que ninguém se admire se Fernando Santos colocar onze leões em campo. Manuel da Luz Afonso e Otto Glória já estiveram perto em 66, a Espanha campeã europeia e mundial também e  Joachim Löw para recolocar a Alemanha no caminho do êxito recente, não hesitou.

Feliz do clube, de um país e de um seleccionador, que podem contar com um técnico corajoso, competente, arguto e capaz, como Marco Silva, de empreender o que José Ribeiro proclama ser, uma tão... 

"Fantástica corrida para a modernidade"!...

Leoninamente,
Até à próxima

2 comentários:

  1. Excelente 'post' amigo Álamo!

    Que descrição sublime daquilo por que clamávamos há muitos anos e que agora vemos a acontecer dia a dia pelas bandas de Alvalade!

    Obrigado por em todas as linhas que escreve transpirar Sportinguismo, mas o Sportinguismo que o meu pai me ensinou a amar e no qual continuo a acreditar!

    Força Sporting Clube de Portugal!

    SL

    ResponderEliminar
  2. Excelente artigo amigo Álamo, sonho com o dia de ver na selecção um 11 do Sporting, para já contentava-me com o meio campo (Wiliam, Adrien e João Mário) ao mesmo tempo, e claro Cédric Nani e o Rui, já eram seis no onze inicial, orgulho de ser Sportinguista...

    SL

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE