quinta-feira, 6 de outubro de 2016

O que eles pretendem já há muito me esqueceu!...



Ainda Elias Trindade viajava sobre o Atlântico sob os auspícios do inimaginável acordo a que chegara com o Sporting, que abandonara nas circunstâncias por todos conhecidas, e logo aos adeptos sportinguistas se colocou a questão de saber porquê e para quê as partes haviam decidido colocar de lado divergências mais ou menos profundas e prosseguirem de novo juntas um caminho que, significando para Alvalade o colmatar de um espaço no meio campo apenas preenchido pelo seu capitão, poderia muito bem vir a representar para o jogador a possibilidade de encerrar com chave de ouro uma carreira em que talvez não tenha conseguido atingir, nem os limites dos seus sonhos e muito menos tudo o que lhe haviam perspectivado todos os que o acampanharam desde que em 1997, com apenas 11 anos de idade, debutou no Palmeiras, o popular "verdão", o clube mais titulado do Brasil. 

Afinal os deuses parecem ter oferecido a Elias a derradeira chance de se afirmar, ironicamente em Alvalade, como talentoso atleta de eleição. Chegou, viu e só não vencerá se não quiser, porque uma inusitada conjugação dos astros parece apostada em conceder-lhe a oportunidade única de se despedir do futebol pela porta grande.

Elias será o natural sucessor de Adrien Silva,  enquanto o capitão dos leões não concluir o delicado e moroso processo de recuperação. Culminando um natural processo de integração na equipa e de habituação aos processos e ideia de jogo de Jorge Jesus, a lesão de Adrien em Guimarães atirou-o para a titularidade nesse jogo quando ainda decorria a primeira parte e não poderá dizer-se que o internacional brasileiro desperdiçou a oportunidade, apontando o terceiro golo dos leões, cumprindo de algum modo o que o treinador dele pretendia e lançando um sério aviso à concorrência de Meli e Petrovic, que muito provavelmente terão de esperar pela sua oportunidade, já que JJ parece não ter quaisquer dúvidas, assim Elias corresponda ao que ele espera e exige.

É que muito para além dos condicionalismos que a lesão de Adrien Silva forçosamente implicará, pairará sempre no ar, pesem embora as palavras que vão sendo soltas para o ar, a muito provável saída de Adrien já em Janeiro. Tal não aconteceu na última janela do mercado, mas a "espada de Dâmocles" continuou, impiedosa, a balançar sobre o caso.

Terá portanto Elias redobradas razões para, de uma vez por todas, agarrar com unhas e dentes a oportunidade que a fortuna parece estar a oferecer-lhe e, comprometendo-se com os processos e ideia de jogo de JJ, colocar em campo o empenho, a dedicação, o espírito de luta e de sacrifício, a intensidade e a solidariedade que teve oportunidade de apreciar no seu companheiro Adrien Silva.

Não me admirará absolutamente nada se os adeptos soportinguistas assistirem a breve trecho a uma dupla vitória: a de Jorge Jesus na recuperação de um talento nato e a do próprio jogador sobre si mesmo...

Era bonito assistirmos a tudo isso e vermos cairem por terra os prognósticos espúrios que alguma CS já vai "adivinhando" (LINK) sobre a intervenção do Sporting na janela de mercado em Janeiro...

O que eles pretendem já há muito me esqueceu!...

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. Amigo Álamo, acredito que Elias poderá vir a ser um substituto à altura de Adrien se trabalhar para isso, pareceu-me que em Guimarães, já deu um arzinho da sua graça...

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também apreciei o que Elias já foi capaz de fazer nesse jogo de má memória para nós. Mas apesar de tudo já deu boas indicações. Nunca será igual a Adrien, mas acredito que se tiver vontade, Jorge Jesus poderá empurrá-lo para um patamar mais elevado que aquele em que se encontra. Como acentuei no post, está nas mãos dele fechar a carreira em grande, assim ele o queira...

      Um leonino abraço para Mirandela, em particular para a amiga Leoa Maria.

      SL

      Eliminar
  2. Aprecio as características de Elias, um jogador de seleção... do Brasil, que não é para todos. O Sporting e o seu treinador terão que trabalhar no sentido de que os DDT não possam continuar a colar a imagem de que é apenas por Elias estar em campo que sofremos mais golos. O que pretendem é claramente desestabilizar. Nos programas de TV os comentadores lampiões usam e abusam do tempo de antena para criticar e atacar o SCP em vez de destascar e louvar coisas das suas cores, se as houvesse. Ainda me lembro da insistência de que Elias chegava para substituir Adrien que estaria de saída para Inglaterra... esquecendo-se de tentativas anteriores de contratação de médios (Sandro, Lucas Silva...). O que interessa aos DDT é dizer que sem a saída de Adrien, Elias era um problema. O que espero e desejo é que Elias seja parte da solução. E, neste caso, a solução é que sejamos campeões!
    Um abraço e SL!

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE