terça-feira, 26 de maio de 2015

Sporting seria campeão numa liga só de portugueses!...




Vale o que vale este estudo do jornal Record, disponível apenas para assinantes Premium que, pelo interesse e curiosidade de que se possa revestir para os adeptos sportinguistas, aqui publico a seguir. Aos adeptos de outros clubes recomendarei que a sede dos protestos será naturalmente o jornal citado.

"Tal como nas duas últimas temporadas, Record decidiu analisar todas as fichas de jogo da I Liga, num total de 340 partidas, pegar no bloco de notas e procurar criar uma tabela na qual apenas contam os golos apontados por jogadores portugueses. E, tal como em 2012/13 e como em 2013/14, o campeão real em nada se assemelha ao "campeão português". Mesmo assim, há um aspecto importante a reter antes de avançar para os dados propriamente ditos. A temporada que agora terminou foi aquela que, das três analisadas, apresenta maior percentagem de golos portugueses, com 42,9% (327 em 763), contra os 35,9% de 2013/14 (206 em 573) e 37,7% de 2012/13 (251 em 667).

Passando agora aos dados, conforme poderá ver na tabela ao lado, o campeão nesta classificação é o Sporting, com 64 pontos, fruto de uma campanha com 16 vitórias, 16 empates e apenas 2 derrotas. Pese embora esta conquista, alavancada pelos golos de Adrien (8), Nani (7), Carlos Mané (6) e João Mário (5), os leões não acabam com o melhor ataque português, um estatuto que pertence ao V. Guimarães, autor de 34 tiros certeiros, logo seguido pelo Sp. Braga (32) e Nacional (31). Só depois surge o leão, com 30. A formação de Marco Silva também não é aquela que mais jogos venceu, pertencendo essa posição ao Nacional, que triunfou em 17 partidas, contra as 16 dos leões e igualmente do V. Guimarães. Contudo, a formação de Alvalade acabou por fazer valer o seu menor registo de desaires para levar este título para casa.

O Sporting regista ainda a maior evolução dos últimos três anos: em 2012/13 era o antepenúltimo, com apenas sete golos portugueses, passou para 2.º em 2013/14, com 22, surgindo agora como "campeão", totalizando os já referidos 30 golos. Um registo que ajuda a reforçar a ideia de que o clube de Alvalade, agora presidido por Bruno de Carvalho, tem investido forte na potencialização dos seus jogadores formados, o que se traduz nestes registos na tabela apresentada.

Benfica e FC Porto em sentidos opostos

Como nos últimos dois anos, o Benfica aparece em 2014/15 na metade inferior da tabela, totalizando apenas 34 pontos, bem longe dos "reais" 85. Mesmo assim, merece destaque o facto de a equipa da Luz ter passado de um golo em 13/14 para seis na presente temporada. No entanto, tal registo dá aos encarnados o pior ataque desta Liga, a três golos das equipas colocadas acima nesta tabela, posição partilhada por Boavista, V. Setúbal e... FC Porto.

Os dragões, que na época passada foram terceiros, com 18 golos marcados, na actual temporada caem a pique, passando para o nono posto, com metade dos tiros certeiros do ano anterior, um registo claramente influenciado pela aposta em jogadores de outras paragens, nomeadamente espanhóis ou sul-americanos. A formação portuense acaba por ser a quinta com menos vitórias, apenas seis, sendo ainda a recordista de empates do ano, com 24 igualdades em 34 jogos possíveis.

Tabela de pernas para o ar



Além das mudanças relativas aos grandes, nota para as classificações das equipas que lutaram para não descer à II Liga. Por exemplo, as duas formações que cairam ao segundo escalão, o Gil Vicente e o Penafiel, nesta análise acabam tranquilos a meio da tabela, no 11.º e 10.º postos, 7 e 5 pontos acima da zona de descida, respetivamente. Zona de despromoção na qual "moram" Marítimo e V. Setúbal, equipas que, como se sabe, escaparam à descida com alguma tranquilidade. Aqui, os madeirenses terminam com 30 pontos, mesmo tendo um melhor ataque do que, por exemplo, o FC Porto, ao passo que os sadinos são últimos com 29. Recorde-se que na tabela real o Marítimo foi 9.º, ao passo que o V. Setúbal acabou em 14.º.



De referir ainda que nove equipas terminam com mais pontos na tabela virtual do que na classificação real, havendo ainda duas que acabam com exactamente os mesmos pontos (V. Setúbal e P. Ferreira). Contudo, essa igualdade traduz-se em efeitos diferentes. Se os castores acabam por subir uma posição, de oitavo para sétimo, os sadinos caem para último, conforme acima dissemos.

NÚMEROS

327 golos marcados por jogadores portugueses na Liga 2014/15, registo que representa 42,9% do total. Um número melhor do que 2013/14 (35,9%) e 2012/13 (37,7%);

51 a diferença pontual entre os Benfica "real" e o Benfica "português", de 85 para 34. Do lado contrário, o Arouca foi quem mais ganhou (16), superando Penafiel (15) e Nacional (14);

34 golos apontados pelo V. Guimarães através de jogadores portugueses. Os minhotos são o melhor ataque da prova falada em luso, seguidos por Sp. Braga (32), Nacional (31) e Sporting (30).

28 O Penafiel foi a equipa que mais vezes sofreu golos de jogadores portugueses. Seguem-se Estoril (27), Marítimo (25) e V. Setúbal (24);

6 tiros certeiros conseguidos pelo Benfica fazem da águia o pior ataque português da prova."

Um dia que muito provavelmente já não estará muito longe, assistiremos inevitavelmente ao triunfo daquela a que hoje o jornal chama de "tabela virtual"! E virtual passará ser o modo de vida, a gestão e a mentira a que, hoje por hoje, todos vamos assistindo no futebol português.

Um dia a regra da constituição dos planteis de grande parte das equipas portuguesas por jogadores importados do estrangeiro, passará a excepção e o futebol português passará a ter a marca de genuinidade que chegou a ter e que culminou na fantástica odisseia da nossa selecção em 1966!...

Leoninamente,
Até á próxima

4 comentários:

  1. Confesso... que não terminei de ler o, enfastioso texto... pois, objetivamente é daqueles "estudos" à tuga.... que servem para...... (nem para isso......)

    O melhor estudo que se poderia fazer - e provavelmente terá cabimento num futuro não muito distante - é que..., assim que as circunstâncias obrigarem os 'outros' a virarem-se para dentro de portas.... (Até os Cancelos, desta vida, já valem 15M) os primeiros resultados serão..... UAU...!!! EUREKA...!!! Afinal a solução estava aqui tão perto.... e MUITO RAPIDAMENTE assumirão os seus lugares, cativos, entre o primeiro e segundo lugares da classificação oficial.... i.e., por muito que mudem as moscas.... a 'dita' será sempre a mesma.... venha ela com cheiro da América Latina, dos Balcãs ou da Conchichina.... O que importa mesmo é ver o mundo de vermelho e azul vestidos....!!! Isso é que é de valor....!!!

    SL

    ResponderEliminar
  2. quod erat demonstrandum26 de maio de 2015 às 17:16

    Certamente, tal como o D. Sebastião aparecerá numa manhã de nevoeiro com a padeira de Aljubarrota pelo braço e a Inês de Castro colhendo boninas para o regaço... Lindo!

    No dia em que o seu devaneio se concretizar, as equipas portuguesas serão uma cagadela de mosca na Europa, pelo simples facto de que não têm qualquer hipótese de singrar com material maioritariamente formado nas suas «canteras».

    Aliás, bastará atentar nas formações que têm sucesso a longo prazo nas competições europeias. Aliás, bastará atentar nos nomes que permitiram ao Sporting dar o salto nos dois últimos campeonatos ganhos.

    Até a própria seleção de 66 tem muito que se lhe diga, se atentarmos na origem de vários dos futebolistas que a compuseram.

    Por último, esperava-se que o Sporting subisse o seu nível para poder ombrear com os outros. Afinal, tudo se resume a esperar que os outros percam qualidade para que nós possamos ter alguma hipótese de competir com eles regularmente. É esta a triste sina do nosso país em todos os setores? É com Adriens, Cedrics, Pizzis, etc., etc., que a seleção repetirá os feitos de épocas douradas?

    P.S. - Continuas a ser um miserável escriba, ó «planteis»!

    ResponderEliminar
  3. Pouco relevante esse estudo

    ResponderEliminar
  4. Alamo este post nem parece teu...vitorias morais?!! O Sporting agora 'e isto!

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE