quinta-feira, 14 de maio de 2015

O mais curioso será notar tal sentimento em... "franciscanos"!...



Quando a 4 de Novembro de 2014 (LINK),  Carlos Vieira se deslocou a Malabo, capital da Guiné Equatorial e assinou em representação do Sporting Clube de Portugal, como primeiro grande clube europeu a investir numa academia de formação de jogadores naquele pequeno país africano, um protocolo com a Academia Desportiva Cano Sport, que estabelecia um conjunto de vantagens mútuas que previa (LINK):

1 - Que o Sporting enviasse de imediato equipamentos para todas as equipas da Academia Desportiva Cano Sport e iniciasse a elaboração e implementação de um plano de trabalho que visasse a formação de treinadores, técnicos e até administrativos;

2 - Como contrapartida, o Sporting ficaria com direito de preferência sobre todos os jovens da academia guineense, que havia sido criada em Março de 2014 e contava com 77 alunos escolhidos entre 1 200 que haviam prestado provas para três equipas diferentes, para além de outras eventuais vantagens que naturalmente apenas terão ficado reduzidas a escrito e sem divulgação pública;

Nenhuma voz crítica se levantou então contra o Sporting Clube de Portugal, invocando eventual défice democrático do regime político daquele país emergente na cena política internacional, por via da sua riqueza em jazidas de gás e petróleo. Enquanto foi hora de o Sporting abrir os cordões à bolsa, disponibilizar os seus quadros e o seu ímpar "know-how", o silêncio foi ensurdecedor.

Passados apenas seis meses e perante notícia hoje avançada por um tablóide dito sensacionalista, mas que lá vai continuando a gerir fama e proveito, sem que raramente costume "dar água a pitos no Inverno", logo um clamor de indignação se levantou neste país de brandos costumes, cabelos compridos e ideias curtas, condenando o Sporting pelo facto de manter relações comerciais com um país que, vivendo sob a ditadura de Teodoro Obiang, não deixou de ser admitido a 23 de Junho de 2014, como membro de pleno direito de CPLP. É a hipocrisia no seu estado mais puro, por mor do Sporting!...

Aqui ao lado, não consta que "nuestros hermanos" e em particular os adeptos "colchoneros", se tenham sentido incomodados, quando o Atlético Madrid aceitou o patrocínio do Azerbaijão em duas épocas consecutivas, e não se pode dizer que o regime de Ilhan Aliyev seja um exemplo de democracia.



Parece que ao Sporting Clube de Portugal apenas estará permitido comer as migalhas do "pão com bolor que o diabo amassou" e calçar as sandálias de São Francisco de Assis!...

O mais curioso será notar tal sentimento em... "franciscanos"!...

Leoninamente,
Até à próxima

5 comentários:

  1. Antes ser Franciscano do que mais papista que o Papa, seja ele vermelho, azul, espanhol, ou português.
    E a seguir, vamos aceitar dinheiro ou o patrocínio de um traficante de droga, ou de armas, ou de seres humanos, só para podermos ganhar?
    Não querer ver o nosso clube envolvido nos mesmos esquemas que tanto criticamos aos outros, é hipocrisia?
    Então e criticarmos os outros, mas tolerarmos quando se passa connosco, é o quê?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O comentário do "anónimo das 23.45" seria irrefutável à luz dos princípios e valores que também defendo, se não enfermasse de premissas arrebatadas, gongóricas, redutoras e irrealistas, que também me impeliram a estabelecer a analogia com a hipocrisia que poderia ter estado eventualmente subjacente à recusa da admissão da Guiné Equatorial na CPLP.

      No caso vertente, creio fazer sentido aplicar ao Sporting aquilo que poderemos classificar de "instinto de sobrevivência", num mundo onde os valores e princípios enunciados, simplesmente deixaram de existir, desde que o futebol se transformou de desporto de massas, num distorcido, desregulado e aberrante mundo de negócios, controlado e manipulado pela "nova ordem mundial". E o "instinto de sobrevivência" suspende automáticamente todas as normas decretadas, quer pela Natureza, quer pelos valores e princípios civilizacionais.

      Chegados aqui, ou o Sporting aceita reger-se pelas normas em vigor no mundo em que está integrado, ou morre! Pura e simplesmente! Será uma opção que outros grandes clubes mundiais e nacionais, já tiveram e continuam a ter de equacionar: Chelsea, Shalcke 04 e até UEFA, são patrocinados pela Gazprom, sendo que penso não haver necessidade de classificar esse monopólio; Atlético de Madrid aceitou o patrocínio do Azerbaijão; outros "flyam" nas asas da "Emirates Airlines" e seria fastidioso acrescentar mais exemplos, bastando encerrar com o facto de também o Benfica andar a rapar na soleira da "sala de trono" de Obiang e o Porto de cântaro e pucarinho com a Doyen.

      Aos sportinguistas caberá fazer a escolha que Che Guevara colocou ao povo cubano em 1959: Pátria ou Morte! Ou calçam as luvas e entram no ringue, ou morrem!...





      Eliminar
    2. Nem mais Álamo, ainda para mais quando o que alavanca o espírito "Franciscano" de alguns não é a sincera preocupação mas apenas e só a cruzada contra o o maquiavélico BdC!

      É deixa-los espernear ...

      SL,

      Eliminar
  2. Mais uma demonstração de hipocrisia é o que demonstra essas notícias...

    Há meses falou-se do benfica estar a tratar de "ligaçoes" a esse país..."ficou tudo quedo e mudo..."

    Desejo que a Guiné possa efectivamente "associar-se" por direito próprio aos países defensores dos direito humanos...
    Desejo que abandone esses actos de perseguição contra os oposicionistas...de que é acusada...
    Pelo menos comprometeu-se com isso, ou não teria sido admitido na CPLP...

    Mas em relação aos possíveis patrocinios eu pergunto...:

    A Fly Emirates existe num país que respeita os direitos humanos...?
    A Fly Qatar existe num país que respeita os direitos humanos...?
    A Adidas manda fabricar os seus produtos, em países onde os direitos humanos são respeitados ...onde se paga um justo salário ("parece" que sim...0,13 centimos /hora por 16 horas de trabalho nalguns casos...)...?

    A Nike entrega as suas encomendas somente a países que fazem da defesa dos direitos humanos a sua bandeira...?

    E poderia com toda a certeza continuar o rol..."o problema só não existe" porque nenhuma delas patrocina o Sporting...!!

    Abr e SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso, caro amigo Max! O problema afinal resume-se ao... Sporting! É no glorioso e histórico Sporting Clube de Portugal que está o problema! Tudo o resto constitui o melhor e mais fascinante dos mundos, o paraíso sonhado por todos: honesto, digno, transparente, sem corrupção, sem compadrio, sem trafulhice, justo, equilibrado e que orgulha milhões e milhões!...

      Abr e SL

      Eliminar

PUBLICIDADE