quinta-feira, 7 de maio de 2015

Não haverá nada pior, que nos habituarmos a encolher os ombros!...


Ainda o Sol não se pôs para além do "mar de sargaço" que continua a constituir a divisão de elite do futebol português e já os galos das capoeiras dos órgãos de informação desportiva fazem ouvir o seu cucuricar por entre os cumes dos pinheiros da raia nascente, anunciando a chegada de... "mais uma volta, mais uma corrida", na mesma pista lodosa e nauseabunda, em que impera, corruptora e impune, a lei do atropelo aos mais básicos princípios da verdade desportiva. 

Abriu mais cedo este ano, a "época da caça aos incautos adeptos", que a degradada e quiçá incontrolável sustentabilidade económica/financeira dos arautos dos "senhores do pântano", assim o impõe. A vida está difícil, é preciso vender papel e cliques e a mentira e a especulação valem incomparavelmente mais que a verdade, a dignidade e a ética.

Fazem fila na Praça Centenário de Alvalade e a caminho da saudade da Porta 10A, os produtos do "scouting especulativo ou panfletário" dos tablóides do costume, bem secundados pelos novos arautos tecnológicos que se preparam para lhes fazer o funeral. São às dezenas os "artistas" que nascem quotidianamente, qual cogumelos depois da chuva, perante a indiferença dos sportinguistas, tão fartos da repetição da cena, que eliminaram do seu léxico a palavra "tentação" e há muito deixaram de contribuir para esse peditório.

Mas à grande nação leonina, mesmo que imune a panfletos e especulações, sobram motivos de preocupação, pelos medos e decepções das propalados "mexidas cirúrgicas" de há um ano atrás: "cesteiro que faz um cesto, faz um cento"! E certezas de que não se repita a "dúzia de cirurgias" do último defeso, que acabaram por custar 15 milhões aos cofres leoninos, ninguém terá, quando ainda não estaremos refeitos da avalanche que nos entrou pela porta dentro - Jorge "Gazela" Santos, Slavchev, André Geraldes, Nabby Sarr, Hadi Sacko,  Ramy Rábia, Ryan Gauld,  Jonathan Silva, Orioll Rosel, Junya Tanaka e Paulo Oliveira -, mesmo que há muito por cá andassem, Ricardo Esgaio, Cedric Soares,  Miguel Lopes, Tobias Figueiredo, Ruben Semedo, Nuno Reis, Wallyson, Filipe Chaby, Daniel Podence, Gelson Martins e outros.

Porque entre todo o fumo das "esmolas" - umas grandes, outras pequenas - que demasiado cedo este ano começaram a ser "oferecidas" aos adeptos leoninos, algum poderá estar a chegar da nossa própria chaminé, para que os nossos olhos se possam ir habituando a chorar com o incómodo...

E não haverá nada pior, que nos habituarmos a encolher os ombros!...

Leoninamente,
Até à próxima

Sem comentários:

Enviar um comentário

PUBLICIDADE