terça-feira, 19 de maio de 2015

Estes seriam o registo e o "sentido de estado" que eu desejaria ver implementados no meu Sporting!...


Entrevista a Carlos Vieira, vice presidente do Sporting e administrador da área financeira da SAD.
Dos 30 milhões de euros das obrigações, 20 são para pagar anterior empréstimo. E os restantes 10 milhões?
Os 20 milhões deviam ter sido usados para pagar o último empréstimo obrigacionista, mas não foi o momento adequado. Ainda não tínhamos os capitais próprios positivos [passivo superior ao activo]. Os restantes 10 milhões resultam da reestruturação. Vão servir para pagar dívidas anteriores, para converter passivo de curto prazo em passivo a longo prazo e para fundo de maneio. Não serão para comprar jogadores.
A taxa de juro destas obrigações é a mais baixa de sempre. Mas não devia ser mais reduzida, dado que é bastante superior, por exemplo, a emissões feitas pela REN e por Portugal nos mercados?
A Sporting SAD é uma sociedade que tem apresentado capitais próprios negativos e prejuízos sistemáticos. Isto tem um historial relevante para o mercado. Estas emissões são um mercado interessante. A REN, por exemplo, pode ter um endividamento elevado, mas tem ratings de qualidade. Falta-nos esse histórico.
Mas há sempre um risco. Mais elevado do que noutras empresas. Porque os investidores devem escolher as obrigações do Sporting?
Claro que há um risco. O investidor aposta com históricos. Sei de gente que investe, sempre que pode, nos produtos das SAD dos três grandes para distribuir o risco. Nunca houve uma implosão nestes processos. As SAD portuguesas têm cumprido.
Isto não afasta o interesse de investidores institucionais? Não está mais focado no adepto?
Não. A informação não é pública, mas os primeiros dias revelam que há interesse de investidores institucionais. O mercado tem apetite por taxas de juro elevadas, devido à descida das mesmas, que tem levado à falta de procura. A última operação no mercado de obrigações foi da SAD do FC Porto [Junho de 2014].
É aliciante repetir esta operação?
Graças ao acordo de reestruturação, a taxa de juro média dos empréstimos do Sporting é muito mais baixa do que as dos outros grandes. A razão para irmos ao mercado é porque precisamos de estar lá. É importante sermos escrutinados. O nível de exigência da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) foi muito superior ao habitual, porque temos pouco capital disperso em bolsa (free float).
Está por realizar o aumento de capital de 18 milhões de euros, que prevê a entrada de novos accionistas. O Novo Banco vai entrar no capital da SAD?
Não, não vai entrar. Há adiantamentos feitos pela banca e há a expectativa de entrada de investidores para ajudar a resolver a situação da dívida.
A promessa de novos investidores foi feita em campanha eleitoral. Quem assume os 18 milhões de euros até à entrada efectiva no capital da SAD?
Esta etapa faz parte do processo de reestruturação. Um novo investidor terá de entrar sempre com um euro por acção no capital, o dobro da cotação atual [49 cêntimos]. As necessidades de financiamento têm sido cobertas com a perspectiva de haver um novo investidor. Não há dificuldades financeiras por estes 18 milhões não terem sido supridos até agora.
Esse investidor está encontrado?
Há várias entidades que estão interessadas em entrar com os 18 milhões de euros.
E já há acordo?
Não posso mencionar isso. Até há procura por um valor superior a esse. Procuramos uma perspectiva global em termos de investidores, geografia e participação em algo mais do que a mera entrada em capital. Ou seja, se conseguir um investidor estrangeiro interessado em participar na gestão e que possa abrir mercados internacionais. Se fizermos uma aposta num parceiro que nos faça aumentar as receitas, melhor. Não procuramos quem queira investir apenas um milhão.
Quando serão anunciados os investidores?
Não é urgente. O que importa é ver as coisas com calma, sobretudo numa altura complexa, em que procuramos novos patrocinadores. Se for em Junho ou Julho, excelente. Também poderá ser no final do ano.
Quando é que os sportinguistas podem esperar que haja distribuição de dividendos?
A SAD tem resultados transitados negativos. Não pode distribuir dividendos. O Sporting só tem capital próprio positivo por causa dos Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis (VMOC), que não contam para o cálculo.
Isso quer dizer, até 2025 [quando vencem as VMOC], dificilmente irão pagar dividendos?
Posso ter um resultado líquido positivo e resolver esta situação. Se tiver um lucro de 100 milhões, com transferências, posso usar parte para abater dívida ou investir em jogadores. Não posso adiantar mais nada a não ser que queremos ser a primeira SAD a pagar dividendos.
Sete milhões de euros é um valor justo para um eventual naming do Estádio? Está a ser negociado em conjunto com o naming da Academia?
Os estatutos do Sporting não permitem a alienação do nome do Estádio. O naming está a ser visto juntamente com o patrocínio das camisolas e o nome da Academia. Há entidades que estão dispostas a controlar tudo e há empresas especificamente para o estádio, embora não tenha aparecido nada de especial. Dificilmente se encontra uma empresa com dinheiro que se veja só para patrocinar a camisola. Uma empresa nacional não tem.
Está a dizer que o próximo patrocinador da camisola do Sporting não será português?
Sim. Não têm dinheiro para investir nos três grandes. O que nos é transmitido é que ou investe em todos ou não investe em ninguém.
Mas são os tais sete milhões?
Isso tem de ser visto de forma interligada.
É como um "pacotão"? Quem ficar com o estádio, fica com a academia e as camisolas?
Se chegar um investidor com 20 milhões de euros, temos de negociar. Se o Sporting chegar à fase de grupos da Champions, para uma marca internacional que exporte, vale mais do que se estiver apenas nas competições nacionais.
O Sporting está em risco de disputar o play-off da Liga dos Campeões sem patrocinador?
Não. Há a possibilidade de jogar com o patrocinador só para o play-off. Depois, veremos se continua.
Esse patrocinador para estes dois jogos já está assegurado?
Não é difícil arranjar um patrocinador só para dois jogos, mesmo português. Se o patrocínio custa 3,25 milhões de euros e faço 30 jogos no campeonato, cada camisola vale cerca de 100 mil euros, em média. O ideal é definir os sponsors com um ano de antecedência. No limite, se quiser vender camisolas evento a evento, é vendida três vezes acima do valor normal. Podemos mudar de patrocinador todos os jogos. No limite, pode render mais dinheiro. A área comercial está pronta para trabalhar em qualquer cenário.
O naming pode ser votado na assembleia geral em Junho?
Não. O campeonato começa em Agosto. Isto vai até "às últimas". Estamos sempre à espera de uma melhor proposta.
Há conversações para a Guiné Equatorial ser patrocinadora do Sporting?
Abrimos lá uma academia e há uma relação interessante com eles. Se me disser que há uma empresa desse país interessada em patrocinar o Sporting, isso é possível.
E o governo?
Não estou a ver.
Mas há essa possibilidade, apesar dos possíveis danos para a imagem do Sporting?
Não vejo porquê. A Guiné Equatorial pertence à Comunidades dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).
Se o tribunal der razão à Doyen, no caso Rojo, o Sporting tem de pagar 12 milhões de euros... está confiante em vencer o processo?
Estamos confiantes de que temos razão, se essa razão nos vai ser dada parcial ou totalmente no tribunal... agimos em consciência, consideramos que nós agimos bem e os outros mal. É um processo complexo que vai ser dirimido.
E se o Sporting não ganhar?
Temos de arranjar os 12 milhões.
Isso não será problema tendo em conta o cumprimento do fair play financeiro?
Seria um problema se ficasse a zero no final deste exercício e ficasse com 12 milhões negativos. Em Dezembro tivemos 24 milhões de lucro, se esses 12 milhões fossem contabilizados tínhamos 12 de lucro. Estamos à vontade.
Benfica e FC Porto vão ser testemunhas da Doyen...
Ao que percebi vão dizer que o contrato que nós contestamos é igual aos contratos que têm com a Doyen. Duvido. Terei interesse em ver esses contratos. Temos a convicção de que os dois contratos específicos, Rojo e Labyad, são leoninos. E não são no sentido do Sporting.
Segundo o relatório e contas de 31 de dezembro o valor do plantel do Sporting é de 25 milhões de euros. O do Benfica é de 94,4 milhões e do FC Porto é de 85 milhões. Há uma disparidade porque muitos atletas do Sporting são da formação. Para voltar a ganhar, o Sporting precisa que os outros grandes sigam a política de contenção de custos?
Isso tem prejudicado o Sporting porque os investidores olham e vêem a disparidade do valor dos plantéis. A redução de custos [nos outros dois clubes] é uma inevitabilidade, não tenho dúvidas. Na Europa, vamos ter 20/30 clubes e todos os outros vão ter de se ajustar à realidade. Não há em Portugal uma estrutura de receitas para ter um plantel como o do FC Porto.
E um plantel como o do Benfica?
Há a perceção de que com os atletas que estão em final de contrato o Benfica só renova por metade ou menos.
Já disse que o Sporting não precisa de vender jogadores. Que fontes de financiamento alternativas o Sporting tem para manter todos os seus elementos mais importantes?
Temos uma estrutura de receitas para ter um clube arrumado, sempre que vem uma venda temos de a dividir entre pagar dívida à banca e fazer algum investimento adicional. Uma coisa que sempre me fez impressão; os jogadores não são para andarem a ser vendidos. O objectivo é potenciar receitas ganhando títulos. Temos de criar condições para que os jogadores de topo fiquem cá e ganhem muitos títulos.
O orçamento para 2015-2016 vai ser de 20 milhões indexado à presença na Liga dos Campeões?
E à camisola.
Se o Sporting vender um jogador por 20 milhões, metade será para amortizar dívida e a outra metade para investir no plantel?
Não é linear. Temos um plano estruturado com os bancos. Não há um rácio 50/50. É verdade que nos valores líquidos de uma venda parte vai para dívida bancária e o restante pode ser reinvestido.
Quanto dinheiro falta para que o pavilhão seja uma realidade?
Nenhum. A missão pavilhão era, ao todo, de 10 milhões de euros. O pavilhão propriamente dito custava 7,2 milhões mais IVA, agora são 7,4 milhões mais IVA. Para o pavilhão, que será inaugurado em Março de 2017, o dinheiro existe e está fechado. A verba em falta é para obras de manutenção do Multidesportivo.

Aprecia-se esta entrevista de Carlos Vieira e fica-se com a sensação de estarmos perante um livro aberto, de letras gordas que se lêm sem necessidade de óculos. Não há entre-linhas, nem malabarismos. O preto é preto e o branco é branco...

Estes seriam  o registo e o "sentido de estado" que eu desejaria ver implementados no meu Sporting!...

Leoninamente,
Até á próxima

13 comentários:

  1. Amigo Álamo, já tinha estado a ler esta interessante entrevista, de CV num link da Tasca do Cherba, e sim concordo com o Álamo qd diz "fica-se com a sensação de estarmos perante um livro aberto, de letras gordas que se lêm sem necessidade de óculos. Não há entre-linhas, nem malabarismos. O preto é preto e o branco é branco"...Tb eu gostaria mto de ver este "sentido de estado" implementado no nosso Sporting...Vamos acreditar que tal é possível acontecer....

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era tão simples, amiga Leoa Maria! Bastava roubar o espelho ao "narciso"!...

      SL

      Eliminar
  2. Meu caro amigo.... Eu sentir-me-ia 'respondido' à sua exclamação... (se ela fosse minha) "Este é o registo e o "sentido de estado" que eu desejaria ver implementados no meu Sporting!..." com a identificação primeira que faz... "...vice presidente do Sporting e administrador da área financeira da SAD"

    Uma coisa não me parece ser possível sem a outra... ou então sou eu que estou completamente fora de contexto.... no que ao organigrama leonino - clube e sad - diz respeito...

    Se um vice presidente e administrador, não refletem a posição oficial da empresa ou instituição que representam... numa entrevista pública, então, de facto, "Algo vai, 'muito', mal no reino da Dinamarca"...

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro amigo ZE... não me obrigue a dizer aquilo que não quero!...

      SL

      Eliminar
  3. Por amor da santa ..... este Homem faz parte da Direcção do Clube.

    "o registo e o "sentido de estado" que eu desejaria ver implementados no meu Sporting!" Não deseje. Já lá está .... implementado.

    Directos, rigorosos, justos e defensores do clube. Quem nos dera tal nos ultimos anos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, caro "anónimo das 15:58", "por amor da santa" é sempre a minha exclamação quando vejo e ouço alguém da Direcção do Clube, com registo diferente deste e sem o mínimo de "sentido de estado"!...

      Eliminar
  4. já tinha lido a entrevista.
    além do "orgulho alheio", imediatamente me pergunto... não é bom ser-se representado por esta direcção?

    se alguns andam na retaguarda a fazer um exemplar trabalho de sapa e qualidade, outros andam à frente a fazer ondas e apanhar com tudo o que é tiros... espero que assim continue!

    E espero que o homem (que proventura será respondável por juntar, em prol do SCP, um elenco fanrtastico) continue a ter peito largo que chegue para tanta bala bem como continue com muit a paciencia e, ainda, que continue a agitar as águas..
    é que no lodaçal em que estamos, se elas não são bem agitadas, arriscamos-nos a ser mordidos por piranhas ou alguma cobra coral (apesar do nome atraente ...cuidado)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu nunca criticaria uma estratégia dessa natureza, se em vez do "ostensivo e quase insultuoso espelho narcísico", eu assistisse a uma sagaz, mordaz, quiçá cínica, conduta do lado do "guerrilheiro urbano"! Mas o "estupor" do espelho parece inquebrável!...

      E se me permite acrescentar,ainda direi que quanto mais civilizada, elevada, elegante e terrivelmente fria e cortante fosse essa conduta, mais resultados com toda a certeza seria capaz de obter...

      O gozo que me dá assistir às "faenas" que Rogério Alves faz ao pobre do lampião que tem ao seu lado no "Dia Seguinte"!!!...

      Eliminar
    2. Mas há dúvidas que o trabalho do Carlos é bem mais difícil com o constante espalhafato do Bruno?

      Eliminar
    3. Não caro Carlos Franco, creio que já ninguém terá dúvidas! Principalmente naquela franja de sportinguistas em que honradamente me incluo, que apreciam bem mais o trabalho silencioso que o espavento narcísico!...

      Eliminar

    4. Era tão simples se o trabalho de BdC fosse apanhar com um gosma da silva uma vez por semana...
      Sem querer armar me aos cucos mas também sem falsas modestias, com um gosma da silva até eu dava baile todas as semanas.
      É q o universo de "opiniated" SCPguistas, felizmente não se limita ao espalha brasas Eduardo ou ao naoentendoDeusporquefizesteoROCsportinguense. ...

      Mas façamos figas, não falta muito para termos o distinto e elegante RA com a sua própria lista... cheira me é que não terá lá gente do calibre da actual direcção... e também me cheira que a várias coisas mudaram, tais como (distinta e elegantemente) por ser desnecessário sujar o bom nome de ilustres SCPguistas , os resultados da auditoria nao saem ou serão desvalorizados e, com certeza, não darão lugar a processos crime...

      Eliminar
  5. Obrigado Alámo por disponibilizar a entrevista :).

    Tive a ler comentários noutros Blogs e fiquei preocupado com o que li por lá no entanto após ler a entrevista aqui sem deturpações fiquei esclarecido e contente com mais esta demonstração de profissionalismo seriedade e Sportinguismo do Carlos Vieira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Preocupado com comentários noutros blogs sobre ESTA entrevista ?!
      Como é possível ?

      Camarada leonino, tem de deixar de ligar aos comentários sobre assuntos do SCP, especialmente apreciações de entrevistas a elementos da direcção em blogs que não sejam de sportinguistas ..

      É óbvio que lá no cabelo do argentino ou no bafo do dragao consigam deturpar tudo...

      Eliminar

PUBLICIDADE