sábado, 2 de maio de 2015

Eventualmente anjinhos!...


Capela de pressão

"No Gil Vicente-Benfica desta tarde, toda a gente tem muito a perder. A equipa da casa está pressionada na luta pela permanência, os campeões nacionais sabem que não podem vacilar e João Capela, o árbitro, também sabe que muito facilmente pode sair queimado para o resto da carreira. O árbitro lisboeta tem sido o tema de conversa desta semana, muito por culpa do barulho que o FC Porto tem feito, ao qual também o Gil Vicente tem juntado a sua voz. Os dragões – como, parece-me, qualquer outro clube português na mesma situação – tentariam fazer barulho com qualquer que fosse o árbitro escolhido para dirigir o encontro do rival. Por isso, o melhor seria escolher aquele que menos razões lhes desse para tal.

Até prova em contrário, não tenho nenhuma dúvida sobre a seriedade dos árbitros que apitam na 1.ª Liga. Mas também sei que são humanos e, claro, há uns mais suscetíveis e influenciáveis do que outros. Não sei se é o caso de João Capela – pessoa com quem nunca falei – mas o passado recente do juiz lisboeta tornou-o num barril de pólvora de apito na boca. Na primeira volta, foi ele o árbitro que validou (por indicação do assistente) um golo claramente ilegal do Benfica. Foi o único desse jogo, pelo que é evidente que foi um erro de João Capela que deu o triunfo aos encarnados. Junte-se a isso o histórico que o FC Porto (sempre tão competente nestas contas...) fez e percebe-se que pior nomeação seria difícil.

A cada dúvida que tenha, e dúvidas são coisas que todos os árbitros têm muito em todos os jogos, Capela vai hesitar. Se errar a favor do Benfica, quem atacou a nomeação poderá transformá-lo num novo Bruno Paixão, "persona non grata" do FC Porto desde uma terrível atuação em Campo Maior há 15 anos; se errar contra o Benfica, e com influência no resultado, os papéis invertem-se e serão os encarnados a recordá-lo, pela negativa, durante largos anos.

Para Capela, este é o pior jogo que poderia apitar, pelo que ainda é mais difícil compreender a nomeação de Vítor Pereira. Para bem dele e, acima de tudo, da verdade das contas finais deste campeonato, fico a torcer para que, amanhã, ninguém se lembre do nome do árbitro.
(Sérgio Krithinas, Capela de Pressão, in Record)

Estou cheio de pena do "barril de pólvora de apito na boca"! Estou cheio de pena da sua fragilidade psicológica e do trabalhão que vai ter daqui a uns anos a partir a parede onde, eventualmente, o anjinho tem chumbado em cimento os "guarda-jóias" repletos de libras de ouro que tem vindo, eventual e angelicamente, a receber por cada trabalhinho...

Estou cheio de pena de Sérgio Krithinas! Por ser um homem sem dúvidas sobre a seriedade dos árbitros, até prova em contrário! Tanta pena que vou encomendar umas "asinhas de anjo" e inscrever o seu nome para a procissão do Senhor Jesus dos Navegantes em Setembro!...

Oh senhor jornalista e quando é que deixa de ser, eventualmente, anjinho?!...

Leoninamente,
Até à próxima

5 comentários:

  1. Álamo

    Para mim a palavra que me vem à mente quando aparece o nome deste Capela é "capeladas" derivado de "chapeladas", termo muito vulgar em eleições.

    Para mim ficou definido para sempre no jogo dos "4 penalties":
    Um? Pode ser...
    Dois? Está a lixar-nos.
    Três? É um ladrão!
    Quatro? Se houvesse honestidade no futebol português este vigarista nunca mais podia ser árbitro.

    Mas o de mais logo também não é muito melhor...

    Abraco

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo "8", pois é, mas nem te passa pela cabeça os "pássaros" que por aqui comentaram, exactamente, ao contrário de ti. Imprimi todos esses comentários, para te mostrar na próxima vez que tivermos a oportunidade de conversar.

      Abraço

      Eliminar
  2. Xii Alamo, tinha imensa curiosidade em ver o que escreveram galinhas de cérebro de cocó!!

    É incrível as voltas que dao para arranjar argumentos desonestos que se tiveres distraído até parecem sérios !!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Impossível de serem publicados os excrementos do "cérebro de cocó das galinhas", meu caro Lourenço! O cheiro é insuportável para poderem ser aqui expostos! É um dever cívico colocar-lhes a cabeça na guilhotina e enterrar tudo o mais fundo possível!...

      Eliminar
    2. Impossível de serem publicados os excrementos do "cérebro de cocó das galinhas", meu caro Lourenço! O cheiro é insuportável para poderem ser aqui expostos! É um dever cívico colocar-lhes a cabeça na guilhotina e enterrar tudo o mais fundo possível!...

      Eliminar

PUBLICIDADE